Ir para conteúdo

SAN ANDRÉS E PROVIDÊNCIA - NOV/2012


Posts Recomendados

  • Membros

SAN ANDRÉS E PROVIDÊNCIA 2012

 

Mais uma vez venho a este fórum deixar minhas impressões sobre uma viagem super legal, que foi San Andrés e Providência, na Colômbia.

 

Antes de prosseguir, registro que esta foi a segunda viagem que fiz com minha esposa a San Andrés. Nossa primeira viagem foi em 2008, quando passamos 3 maravilhosos dias nesta bela ilha. Gostamos tanto que resolvemos retornar para conhecer, também, a fantástica ilha de Providência.

Também é importante registrar que não demos sorte com o tempo nas 2 ilhas. Infelizmente, a época (outubro a janeiro) é de chuva e vento, o que acabou por estragar um pouco a viagem. Pegamos vários dias de chuva e tempo nublado, deixando de fazer vários passeios. Pior. A parte do mar que fica próximo as praias estava com as águas meio sujas, por conta dos detritos que chegavam no mar por conta das chuvas, especialmente em Providência, que é uma ilha vulcânica. Mas, chuvas à parte, deu para aproveitar o suficiente as 2 ilhas.

Mas, de antemão, deixo a dica: evitem viajar para o Caribe entre os meses de outubro a dezembro e talvez janeiro. Este já foi o 3º ano seguido que viajamos para o Caribe em novembro. Nos outros anos demos sorte (fomos à Bonaire, Aruba, St. Martin, Anguila, Sata), pegamos um ou outro dia de chuva. Nada que estragasse. Mas, desta vez, a chuva e tempo nublado foram mais intensos.

 

Pois bem, nossa viagem ocorreu entre os dias 15/11/2012 e 25/11/2012.

 

A seguir, repasso as informações que julgo importantes para quem quiser ir (além das suprarelatadas):

 

1- VOOS - CHEGADAS

 

a) Para chegar em Bogotá, fomos de milhas TAM. 15000 pontos por trechos. É importante que se saiba que a TAM não faz mais São Paulo-Bogotá, quem faz é a LAN. Então, no trecho nacional até Guarulhos, fomos de TAM e de lá até Bogotá, fomos de LAN, uma ótima companhia. Para quem voa muito de TAM, como eu e minha esposa, sabe que para voos da própria TAM, dentro da América do Sul, não há restrições de assentos. No entanto, a LAN tem assentos limitados para passagens compradas com milhas. Portanto, se for usar os pontos da TAM, compre no limite dos 90 dias anteriores ao voo em que a TAM permite comprar, para poder conseguir vaga no avião da LAN.

b) Não tinhamos tempo para ficar em Bogotá. Então, para chegar em San Andrés, procuramos um voo imediato a nossa chegada em Bogotá, às 18:40h. Conseguimos um voo da LAN para ás 01:10h da madrugada, chegando em San Andrés às 03:15 da madrugada. Fomos de milhas Lan. Compras pelo site http://www.lan.com.

3) Para chegar em Providência, compramos passagens pela companhia aérea SATENA, por seu próprio site: http://www.satena.com. Super tranquilo. Custo de $ 429000,00 para 2 pessoas, ida e volta.

4) Volta de San Andrés a Bogotá pela AVIANCA (http://www.avianca.com). O voo da LAN de retorno ao Brasil sai de Bogotá às 05:35 horas. Pegamos o voo da Avianca das 22:20h, que chegou em bogotá umas 00:30h.

 

2- HOSPEDAGEM

 

a) San Andrés. Ficamos hospedados em 2 locais diferentes, um na chegada e outro na volta de Providência.

- Hostal Mar Y Mar. Email: [email protected]. F: +573176572436. End.: Av. Colômbia 1-32. Proprietários: Javier e Clara. Preço de $ 120000 (uns U$S 67,00) pesos colombianos, sem direito a nenhuma refeição. Reservamos pelo booking.com (nota de avaliação no booking.com acima de 9). É uma pousada nova, inaugurada há poucos meses. Só possui 3 quartos, com mais um sendo construído. Os quartos possuem ar condicionado, frigobar, TV de tela plana com canais a cabo, água quente, microondas. O quarto é muito novo. A localização da pousada não é no centro. Fica num local super tranquilo, perto do hotel Decameron Mariland (se não me engano). Creio que do hostal até o centro, são cerca de 1000 metros de uma caminhada tranquila pela peatonal (calçadão da beira mar). A praia peatonal fica bem perto da pousada. Seus proprietários, Javier e Clara, são excelentes. Super prestativos. Como exemplo da boa vontade deles, citamos a tentativa de reservar alguns passeios para nós, e o fato de guardarem nossas malas quando fomos para Providência. Para a chegada a San Andrés, o Javier tinha reservado um taxi para nos buscar por $ 18000 (uns US$ 10,00). Viajamos tranquilos. Porém, quando chegamos, o tal taxista não estava lá com uma plaquinha com nossos nomes. O Javier também tinha nos dito que qualquer problema, podíamos ligar para ele. Então, liguei. De pronto ele falou que o taxista dormiu e ele mesmo foi nos buscar sem nos cobrar nada por isso. Um detalhe importante é que o hostal não tem nome. Portanto, é bom mesmo reservar um taxi com o Javier. O curioso é que os taxistas de San Andrés são meio perdidos. Não sabem direito onde são as pousadas mais simples. Tivemos problemas para encontrar a pousada Cli´s Place , quando voltamos de Providência. Por último, vale a observação de que o hostal não possui internet WIFI disponível, o que acaba fazendo falta.

 

- Posada Nativa Cli´s Place. Email: [email protected]. F: 57 (8)5120591. Celular: 573144908850 e 573176559775. Preço: $ 100.000,00 pesos bolivianos pela diária. Localizada bem no centro de San Andrés, na avenida 20 de Julio. Para achar, fique atento a uma praça que tem na avenida uma quadra antes da praia. A pousada fica ao lado da praça. Tem o nome pintado num muro. Também é uma ótima opção para ficar em San Andrés. Os quartos não são tão bons e novos como os do Hostal Mar y Mar, mas atendem. Ficamos num quarto com ar condicionado, TV. A água é fria. Não tem frigobar, mas tem uma cozinha à disposição, podendo utilizar a geladeira e fogão para cozinhar. A dona da pousada, a senhora Cleotilde, é uma simpatia só. Ficamos apenas 2 dias nesta pousada, quando retornamos de Providência, mas a recomendo bastante se você não se importa com o luxo dos grandes hoteis. Para mim e minha esposa, o que importa é o lugar. Hotel, basta ter uma boa cama e um com ar condicionado (a ilha é bem quente).

 

b) Providência

- Hotel Sirius. Site: http://www.siriushotel.net. Email:[email protected] F: 0057-8-514-8213. Gerente: Sr. Paulino. Preço da diária de um quarto de casal: $ 165000,00, com café da manhã. Preço este conseguido depois de chorar muito. Ele queria nos cobrar cerca de $ 185000,00. O hotel Sirius é muito bem localizado e tem um excelente custo benefício. Fica na Bahia Suroeste da Ilha (southwest bay), a maior praia da ilha (uns 500 metros de areia). O hotel fica a beira mar. Para os mergulhadores, como nós, ele é excelente, porque possui um centro de mergulho próprio. O Paulino, gerente do hotel (o dono do hotel é um Suíço de 25 anos que o recebeu de herança e vive na Suíça) é super gente fina. Quando chegamos ao hotel nos levou ao restaurante, onde há um mapa da ilha, explicou um pouco sobre a ilha e o que havia para se fazer. Explicou que Providência está fora dos grandes centros de turismo, daí não possuir grandes hoteis. De fato, constatamos que a ilha tinha poucos turistas, quando comparado com San Andrés. O Paulino ainda nos deixou ingressar no quarto do hotel ainda na parte da manhã, por volta das 10h e fazer o checkout por volta das 15 horas, já que nosso voo era perto das 17 horas. Quanto ao hotel em si, ele poderia estar mais bem cuidado. Os quartos possuem ar condicionado, TV, frigobar e são bem espaçosos. Dormimos numa cama gigantesca, equivalente a 2 de casal normal. No entanto, notamos que alguns quartos necessitam de pequenas reformas. A parte externa do hotel também necessita de um pouco mais de cuidados. Creio que é porque talvez o Paulino não tenha autonomia para gastar com reformas. O dono do hotel raramente vai a ilha e segundo o Paulino só quer saber do que foi apurado. Quanto ao café da manhã, é razoável. É meio estilo americano. Frutas, suco, café, ovo, manteiga, geleia e pão. De qualquer forma, o hotel Sirius é altamente recomendável, principalmente por estar de frente para um mar maravilhoso e ter acomodações suficientes para quem quer ter dias relaxantes na frente do mar maravilhoso do caribe.

 

3- O QUE FAZER?

 

A) San Andrés

 

Conforme já relatado, esta foi nossa segunda vez em San Andrés. A primeira vez foi em junho de 2008, quando pegamos um sol de rachar e um mar realmente de 7 cores. Foi justamente este mar maravilhoso o que nos fez voltar. Infelizmente, o mar estava lá, porém, com muito vento e com chuva a noite e chuva ou tempo nublado durante o dia. O sol saia muito timidamente.

Como já conhecíamos as principais atrações de San Andrés, desta vez queríamos refazer o que tinhamos gostado e o que ainda não tínhamos feito anteriormente.

Portanto, locais como Olho Soprador e aquário, estavam fora de nossos planos.

Um dos passeios que pretendíamos fazer, inclusive chegamos a reservar do Brasil, era o Cayo Bolivar. Chegamos a reservar com a Marina Tonino, por telefone diretamente do Brasil. F: +573163143053. No entanto, devido ao vento forte, o passeio não pode sair. Uma pena, pois parece ser o melhor passeio da ilha.

Pretendíamos retornar a pequena ilha de Jhony Cay. No entanto, apesar de perto, devido aos ventos fortes, também não estava saindo passeio para lá.

Nos restou então alugar uma moto (scooter) e sair rodando pela ilha, para parar em suas principais praias (e de vez em quando tomar um banhozinho básico de chuva). Praticamente demos 3 voltas na ilha, uma por dia.

No primeiro dia, fomos a Piscinita (antes tentamos ir a West View, mas não estava podendo entrar no mar, por conta do vento forte). Para entrar, paga-se algo em torno de uns R$ 2,00 por pessoa. Lá, mesmo com o tempo meio nublado, entrei no mar e tomei um banho maravilhoso. A água do mar estava super transparente. Nem parecia que o tempo estava ruim. Valeu muito a pena. Depois do banho, almoçamos no restaurante do local, onde comemos o prato mais típico de San Andrés: pescado frito com ensalada, arroz de coco e patacones (banana prensada). Uns R$ 20,00 o prato para uma pessoa, mas bem servido. Mal sabíamos que nos próximos dias comeríamos esse prato até enjoar.

No segundo dia, tentamos, mais uma vez, ir a Johny Cay, mas não tinha jeito. Tempo ruim ainda. Portanto, lá fomos nós de moto de novo. Desta vez, pegamos a moto e fomos no sentido contrário ao do dia anterior. Paramos na praia que achamos ser a melhor da ilha, a de Rock Cay. Há placas na estrada, mas deve-se ter cuidado para não passar direto. Lá, dá para ir com água na cintura até a ilhota de Rock Cay e fazer um excelente snorkel. Vale muito a pena. O mar lá é super transparente. Depois do banho legal, fomos em direção a São Luiz, atrás do restaurante indicado por um dos mochileiros, o restaurante Paraíso. Tem um bom custo-benefício. A comida é muito boa e fica na beira mar de uma praia super legal.

No terceiro dia, já pegamos a moto e fomos para São Luiz. Não perdemos tempo. Neste dia, saiu um solzinho legal. REtornamos ao restaurante paraíso e ficamos lá aproveitando um pouco do marzão de San Andrés.

San Andrés tem inúmeras lojas de produtos importados. Dá para comprar muitas coisas legais. Há lojas de perfumes, bolsas, óculos de sol, eletrônicos, roupas, tênis, entre outras coisas. Recomendo a La Riviera, que é uma loja grande e não vende produtos falsificados (pelo menos é o que achamos). Além do mais, possui uma variedade grande de produtos, como perfumes, bolsas, óculos, relógios, bebidas, etc. Há também a Presidente, que vende roupas de marcas famosas, como a Tommy Hilfilger, Hugo Boss, Polo Rauph Lauren, entre outros. Os preços são melhores que o free shopping do Brasil. Acho que vale muito a pena tirar uma tarde para passear entre as lojas.

San Andrés também possui, em seu centro, alguns restaurantes e boates. Tem desde fast food, italiano, regional (frutos do mar), pizzaria, entre outros. É fácil de achar, pois o local é pequeno. Possui um calçadão legal (a peatonal). Inclusive a praia peatonal é bem legal. Vale tirar um dia para aproveitá-la. Nós, apesar do tempo ruim, passamos umas horinhas nela no nosso último dia, na volta de Providência. Tomamos um banho legal.

No quarto dia, seguimos para a fantástica Providência, conforme relato em seguida.

 

B) Providência

 

Saímos logo cedo de San Andrés para tomar o primeiro voo para Providência. Por volta das 8 da manhã, já estávamos lá.

O primeiro ponto a destacar é a fantástica chegada a ilha. Um visual fantástico. De cima, é possível visualizar as águas super claras da ilha. Também já foi possível verificar que a água perto da costa estava mais escura, tendo em vista as chuvas dos últimos dias, que acabava por fazer com que a lama das montanhas da ilha caíssem no mar e sujassem a água.

Infelizmente, por conta das chuvas, essa foi a situação em que encontramos a principal praia da ilha, Southwest Bay. O lugar é fantástico, mas a água não estava super transparente. Mas, não estava feio. Só não estava uma água digna de Caribe.

Bom, chegamos na ilha com o tempo nublado.

Depois de nos instalar no Hotel Sirius, e de ter as explicações do Paulino sobre o que fazer na ilha, resolvemos que o melhor para o primeiro dia seria alugar uma moto e rodar a ilha. O Paulino intermedeia o aluguel de motos, mas, quando decidimos, ele tinha saído. Assim, acabamos alugando uma scooter no hotel Miss Mary, que fica bem ao lado do Sirius. É bem tranquilo alugar uma moto lá. Inclusive, os preços são muito bons, quando comparados com outros lugares. Pagamos cerca de $ 50.000 por um dia de aluguel, entregando a noite. Para entregar no dia seguinte, pagaríamos $ 60.000.

O passeio de volta a ilha é muito bonito. Também é mais rápido do que em San Andrés, já que a ilha possui um perímetro menor.

Pegamos a estrada em direção ao centro da ilha (ao lado do qual fica a ilha de Santa Catalina), pelo lado esquerdo da ilha. Primeira parada, um lindo mirante para tirar fotos. De lá é possível avistar toda a praia Southwest Bay, como dito, a maior da ilha. Seguindo adiante, paramos em Almond Bay, onde há um polvo enorme na entrada. É só descer por um caminho de uns 300 metros que chega na praia. De lá, o visual é lindo. É um lugar muito bom para apreciar o por do sol. Vale tomar umas boas águas de coco, ou coco loco (coquetel típico local, que inclui entre seus ingredientes a água de coco e é servido dentro dum coco) para os mais animados.

De Almond Bay, continuamos em direção a Santa Catalina, porém, antes, passamos por Água Dulce (ou Fresh Water Bay). É o lugar da ilha com mais pousadas. Porém, aqui a faixa de areia da praia é minúscula. Não vale tanto a pena (lembre-se que não pegamos tempo bom - o mar batia muito e a água estava misturada - talvez na época de sol abundante e de ventos fracos, seja um ótimo local para banho).

Seguindo pela estrada, passamos ainda por alguns mirantes, mas não paramos. Fomos direto para Santa Catalina. Chegamos, então, no centro e estacionamos a moto na entrada da Puente de Los Enamorados, a ponde de madeira que dá acesso, a pé (e somente a pé) a Santa Catalina. Atravesamos a ponte e, como estávamos com fome, fomos comer no restaurante da Eneida. Comemos um pescado frito ao preço de $ 12.000 pesos por pessoa. Um bom preço e uma comida simples, mas gostosa. A ilha em si é bem pequena, tem cerca de 1 km². Se você andar para o lado direito, encontrará apenas um canhão e uma placa. Para o outro lado, você encontra uma parte mais alta. Subindo a escadaria, é possível encontrar o resto do Forte Warwick, que fica logo atrás de uma estátua de Santa Catalina. Do outro lado, há uma outra escadaria que dá acesso a praia de Fort Bay, uma linda praia que vale a visita (fizemos lá um intervalo de superfície de mergulho). Dessa parte alta, o visual é lindo. tiramos várias fotos de Providência.

De volta a estrada, a intenção era parar em outras praias pelo caminho, mas o tempo resolveu fechar de vez. Já depois do aeroporto, caiu uma baita chuva, o que nos fez tomar um senhor banho. Levamos com bom humor, pois ficar chateado com a chuva só estragaria nosso passeio. Voltando então a southwest bay, passamos no supermercado e compramos alguns aperitivos para a noite e alguns lanches. Lembrem de que Providência não tem tanto lugar para comer, especialmente a noite. À noite, há alguns lugares simples para comer no centro de southwest bay. Na estrada, no caminho para água dulce, há um café, chamado Studio Café, que dá para ir andando pela estrada. Lá serve jantar e tem umas tortas bem gostosas. Comemos uma torta deliciosa.

No nosso segundo dia em Providência, programamos mergulho. Nossa intenção era mergulhar para ver tubarões, mas na hora do mergulho, fomos informados que só poderíamos ir para um lugar mais raso na parte onde o mar estava mais calmo e a água mais limpa. Fizemos então 2 mergulhos bem básicos (no máximo 12 metros de profundidade), mas que foi legal. Não tinha nada demais. Conseguimos ver ainda peixe leão (o novo predador do atlântico - para quem não sabe, este peixe, apesar de pequeno, é um invasor das águas do Atlântico e que não tem predador - há ilhas caribenhas, como Bonaire, que paga para quem pescar estes peixes), arraias e inúmeros peixes de recifes. O mergulho foi feito pela operadora de mergulho do próprio Hotel Sirius. Um pessoal muito bom e prestativo. Recomendo bastante. Preço do mergulho: cerca de $ 85000,00 por pessoa, dando direito a 2 mergulhos.

Voltanto a praia, fomos almoçar num restaurante de praia de própria Southwest Bay, chamado El Divino Niño. A comida lá foi tão gostosa, que retornamos lá mais 2 vezes. A especialidade da casa é o famoso Plato Mixto, constituído por 2 peixes fritos, meia lagosta grande, filé de caranguejo, e filé de caracol, além de arroz e patacones. Uma delícia. Tudo ao preço de $ 40000 pesos, uns R$ 45,00. Dá para umas 3 pessoas comerem. Geralmente, eu e minha esposa tinhamos que nos esforçar para comer tudo e não estragar. Vale muito apena.

O terceiro dia em Providência foi dedicado a volta a ilha em barco. Um passeio que recomendo. Vale muito a pena. O próprio Paulino, gerente do Hotel Sirius, se encarregou de fazer a reserva. Fomos no barco com mais 1 casal. Custo de $ 30.000 por pessoa. É legal, pois dá para ter uma boa noção da ilha. De fora, o barqueiro para o barco e mostra os povoados, explicando sempre algo interessante, além de algumas paradas legais, como na puente de los enamorados (para quem ainda não foi lá) e em Crab Cay, ou Cayo Cangrejo. Este sim, um lugar lindo, de um mar divinamente caribenho. Só a visita a esta ilhota já vale a pena. Para descer na ilha é preciso pagar uma taxa por pessoa, que, se não me engano, foi de $ 13500. Não deixem de levar máscara, pois a água lá é super tranquila e transparente para fazer snorkel.

De volta ao hotel, aproveitamos o resto dia na praia Southwest Bay.

No nosso quarto dia na ilha, fomos mergulhar novamente. Desta vez, fomos onde queríamos, a Turtle Rock, o lugar mais fantástico de mergulho da ilha. É aí onde se pode mergulhar com uma boa quantidade de tubarões Black Tip (tubarões de arrecifes). No nosso mergulho tinham mais de 10. Valeu muito a pena. Eram tantos, que chega dava medo, mas nada demais, pois lá eles estão num ambiente totalmente equilibrado, com peixes à vontade para se alimentarem. Mergulhamos também em outro ponto, que também tem tubarões e tem um cristo no fundo do mar, muito legal. O intervalo de superfície foi feito em Fort Bay, onde tomamos banhos bem legais.

No final do quarto dia, alugamos uma scooter novamente e seguimos para Playa Mazanillo. Foi a nossa melhor surpresa da viagem. A praia estava divinamente caribenha. Aproveitamos o final do dia no Roland's Bar, comendo um bom pescado frito e um camarão muito gostoso. De quebra, ainda tivemos aula de Criollo com o dono do bar, que nos explicou a misturada que é essa língua (Inglês, Espanhol, etc..), falada na ilha como principal idioma.

No nosso quinto e último dia na ilha, estava um sol muito bonito, que ainda não tinha feito nos demais dias. Pegamos a scooter e resolvemos aproveitar ao máximo. REsolvemos dar uma nova volta na ilha.

Paramos então na Puente de Los Enamorados para tirar novas fotos. Para nossa surpresa, a água estava tão limpa que conseguíamos ver as arraias nadando no fundo do mar. Não pensamos 2 vezes, corremos para a scooter, pegamos as máscaras, e pulamos, no meio da ponte, na água para ver as arraias. Um ótimo banho e que recomendo a qualquer um.

De lá, paramos em vários mirantes e praias para tirar fotos, todas no caminho do aeroporto.

Por fim, terminamos o dia na Playa Mazanillo. O mar estava ainda mais belo que no dia anterior. Valeu muito a pena. Tomamos altos banhos nas suas águas transparentes. O melhor é que a praia era quase que exclusivamente nossa.

Voltamos a southest bay e comemos novamente no El divino Niño.

Às 15:15h, nossa taxista nos levou ao aeroporto de Providência, para logo mais deixar esta que, sem dúvida, é uma das mais belas e preservadas ilhas do Caribe.

Dica: para ver a ilha do avião, sente do lado esquerdo (lado que tem apenas 1 cadeira), principalmente na chegada a ilha.

 

É isso. Espero ter ajudado. Para dúvidas, podem postar no próprio Mochileiros.com ou me escrever: [email protected].

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 mês depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...