Ir para conteúdo

13 dias pelas praias desertas do AL, RN e PE com fotos


Posts Recomendados

  • Membros

Estive fazendo parte dessa viagem há dois anos, de Recife a Maceió, e dessa vez quis incluir Natal e retornar nos lugares que mais gostei, além de esticar um pouco a estadia nas capitais.

 

Fase de planejamento : Uma vez que tinha mais ou menos certo o que queria visitar, ficou faltando planejar o trecho Natal - Recife e escolher os meios de transportes. O que definiu o sentido da viagem, chegada em Natal e retorno de Maceió, foi a combinação entre disponibilidade de datas para utilizar as milhas aéreas e tarifas. Depois de muita pesquisa, o que ficou mais vantajoso foi Trecho SP - Natal, milhas programa TAM (vôo de SP- Galeão- Galeão -Natal com 2h de espera - saída 7:15 e chegada às 12:20) e retorno de Maceió-SP, bilhete pago, a 290 reais, também pela TAM (12/01 de madrugada com 1 conexão em BSB - saída 2:30 chegada em SP 12: 20). Fiquei um pouco contrariada, pois pretendia sair um entre dias 27 e 29 de SP, mas não achei mais milhas pra estes dias, e mesmo pro dia 30 foi um sufoco, isso cerca de 30 dias antes. Por conta disso, tive que cortar João Pessoa do meu roteiro. Pesquisei locadoras de carro para o trecho Recife - Maceió e a melhor cotação foi da Acelere rent a Car, http://www.acelererentacar.com.br/" onclick="window.open(this.href);return false; de Recife. 75 reais por dia por um 1.0 com ar, mais taxa de 250 reais pra devolução em Maceió, e sem bloqueio da franquia no cartão de crédito. Achei muito boas as condições deles, entregaram o carro no Hotel em Recife e buscaram no hotel em Maceió. O trecho Natal - Recife foi feito de ônibus pela viação Progresso, e reservei todos os hotéis da viagem, sobretudo o de Natal, pois seria concorrido por conta da época. A transação de passagens e milhas me consumiu muitas horas de pesquisa no site da e ligações, e a pesquisa de hotéis menos, mas também foi cansativa, e por conta disso resolvi não fechar passeio algum e decidi ver isso quando chegasse em Natal, pois lá seria o local onde iria precisar mais de passeios, pois o resto da viagem eu já tinha feito e sabia bem o que queria ver ou rever.

Então meu roteiro ficou assim:

 

30/12 13h a 2/01 09 h- Natal

2/1 - 9 as 13h ônibus para Recife

2/1 a 3/1 - Recife

3/1 a 4/1 Recife-Tamandaré -(de carro alugado)

4/1- Carneiros de Manhã, à tarde para SMM com parada rápida em Barra Grande (Maragogi)

4/ a 10/1 - São Miguel do Milagres

10/01 - SMM- Maceió

10 e 11/01 - Maceio

 

30/12 - a 2/1- Natal. Viagem sem maiores problemas, tudo no horário, chegada em Natal tranquila, táxi para o Republika Hostel, em Ponta Negra, diárias a incríveis 120 reais o casal numa suíte sem ar. O Hostel é ajeitadinho e novo, a uns 700 m da praia, todo azul e branco. Os problemas foram: O ventilador estava fixo virado para o lado, não vinha na nossa cama, o que nos rendeu noites bem mal dormidas por conta do calor. O sinal do wi-fi não chegava bem no quarto. Pontos positivos foram o atendimento excelente e prestativo, com informações boas sobre passeios, restaurantes, transporte e quarto de casal era o melhor do hostel, no andar de cima e com duas janelas, longe da circulação de pessoas. Chegando lá, descobri que a minha falta de planejamento em relação aos passeios foi crucial, pois o passeio que mais queria fazer, que era a Galinhos, só siaa de 4as e domingos (cheguei no domingo e ia embora na 4a de manhã). Fomos almoçar, conhecer a praia de Ponta Negra, e à noite fomos andar pela avenida. No dia seguinte, 31/1 ainda exausta da viagem, acordei às 8 h e perdi tamb o passeio a Maracajaú, e aí me dei mal, pois dia 1/1 nenhuma agência faria passeio, pois é o único dia de folga das agências de Natal. Tive ideia de alugar um carro ir pra Maracajaú dia 31 e pra Galinhos dia 1, por conta. Foi um custo achar carro disponível, e quando achei, (por volta de 11 h do dia 31), a zica que deu é que minha CNH estava cancelada, pois pedi uma 2a via, pensando que tinha perdido a 1a, e encontrei a 1a depois de um tempo, e as duas eram absolutamente iguais, eu levei a 1a via na viagem, sem saber que estava inválida, o quesó fui descobrir na locadora. Sem carro, sem passeio, o jeito foi fazer um city tour pela Marazul Turismo dia 31 à tarde (50 reais) e foi bem legal, um rolê pelas praias urbanas, prédios históricos do centro, forte dos Reis Magos (que infelizmente não pudemos entrar, fechou mais cedo devido ao feriado), e visita à Zona Norte de Natal, e parada no mercado de artesanato.

20130117012412.JPG

 

 

Natal estava com muito lixo acumulado nas ruas, problemas com a prefeita que foi cassada, e a queima de fogos em Ponta Negra foi cancelada, devido às obras de manutenção no calçadão. O programa pro Reveillón foi participar da ceia do Hostel, bem legal por sinal, por 25 reais por cabeça (bebidas à parte), e subir na laje pra ver a queima de fogos dos hotéis. dia 1, pegamos um ônibus de linha e fomos pra Pirangi conhecer o maior cajueiro do mundo, muito legal mesmo, recomendo o programa, e depois estendemos pelo mesmo trajeto, até a praia de Búzios, ao sul de Natal, muito bonita e tranquila, e assim foi minha estadia meio desarticulada em Natal. Serviu pra aprender que tem que planejar tudo mesmo, especialmente se você tem um roteiro muito apertado como o meu.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118213406.JPG 500 281.25] [b:8lbqp36m]Vista de cima do maior cajueiro do mundo[/b][/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118213804.JPG 500 281.25 ]Vendedor de do biscoito cavaco chinês, na Praia de Búzios, em Natal[/picturethis]

 

 

2/1 a 3/1 - Natal- Recife. Saímos de Natal às 9h com o ônibus da viação Progresso. Pegar ônibus em Natal foi uma aventura desde a compra online, só consegui comprar as passagens dia 30 na espera no Galeão, pois dois dias antes da viagem, o site estava congestionado e Call center sem funcionar, uma lástima. A rodoviária um caos, tinha que comprar bilhete de embarque fora do guichê da companhia, enfim, um sufoco. A viagem que era pra ser 4h30 se estendeu por duas horas a mais, por conta de um imprevisto com passageiros com passagens erradas e um trecho da estrada interditado. Chegamos ao Recife às 15:30, pegamos metrô até o Aeroporto (metrô rápido porém muito sujo), e de lá um taxi até o Hotel Des Arts, em Boa viagem, um hotel velhinho mas bem simpático, com a melhora cama da viagem. Diária 180 o casal. Saímos para dar uma volta na orla e procurar um lugar para almoçar (às 18 h !). Achamos o excelente Chica Pitanga, maravilhoso, uma ceia regional delícia, não muito barana (52 o quilo), mas valeu a pena. Voltamos para o hotel.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118214200.JPG 500 281.25 ]Marco Zero, No Recife .[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118214657.JPG 500 375] [b:8lbqp36m]Convento de Sao Francisco, em Olinda[/b][/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118214826.JPG 500 375] [b:8lbqp36m]Bonecoes do Carnaval[/b][/picturethis]

 

3/1 - Recife - Tamandaré. Acordamos às 6h fizemos o check out e fomos fazer um city tour de táxi com o taxista Junior (peguei referência no blog meusonhadocasamento.loveblog.com.br) por Recife e Olinda. Eu já tinha estado 2 dias em Olinda, mas Recife nao conhecia, serviu pra dar aquela volta básica pela cidade, Marco Zero, prédios históricos, as pontes, etc, e depois seguimos pra Olinda. Entremos no Convento de S. Francisco, no Mosteiro de S. Bento e no Alto da Sé, tudo isso em 2 horas rs. Ao meio dia estávamos de volta ao hotel pra pegar o carro e seguir pra Tamandaré (problema com a CNH foi contornado ). Saída meio tumultuada de Recife, postos de gasolina sem aceitar cartão, mas deu tudo certo. Peguei a ponte nova sobre o rio Ariquindá, passei pelos acessos à praia dos Carneiros, e cheguei e por volta de 15 h em Tamandaré, na pousada Baía dos Corais, de frente pro mar, 220 a diária, a mais cara da viagem, mas o melhor café da manhã. O tempo começou a fechar e fomos caminhar pela praia, meio debaixo de chuviscos. à noite fomos jantar no Terrasol, que eu já conhecia de 2 anos atrás e é ótima relação custo-benefício.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118215136.JPG 500 375] [b:8lbqp36m]Vista do encontro dos rios Ariquindá e Formoso[/b][/picturethis]

 

4/1 Praia do Carneiros - BarraGrande- São Miguel dos Milagres. Acordamos cedo e fomos pra Carneiros. No dia anterior, tinha visto algumas placas oficiais indicando acesso público à Praia do Carneiros, quem já esteve lá sabe que o acesso só era possível pelos bares de praia que cobram day use. Porém a maioria das placas estava pichada, encobrindo a informação! (deve ser coisa dos donos de pousadas e bares de Carneiros, que não querem que " gente diferenciada"chegue à praia - coisas do nosso país). Por essas e por outras, acessei Carneiros pela praia ao lado depois de andar um bocado. Contratei um barco só para nós dois com o Renato, F. (82) 8305 9897, super prestativo, por 60 reais o casal, e fizemos o passeio diferente, indo até o cruzeiro, no alto do morro, de onde se tem uma bela vista do encontro dos rios Ariquindá e Formoso, e depois a parada básica na igrejinha simpática pra tirar umas fotos. Eu não queria saber de ir até o mangue, lama e banco de areia, já tinha feito isso na viagem anterior e queria distância da muvuca.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118215542.JPG 500 375 ]Praia dos Carneiros.[/picturethis]

Demos um tempinho na praia, e voltamos cerca de 13 h pra Tamandaré pra pegar as malas no hotel e seguir viagem. Paramos na praia de Barra Grande, já em Maragogi, pra admirar aquele "azul-Cancún" ( roubei o termo do Ricado Freire rs) único daquele trecho da costa. Na vez anterior estive na praia de Ponta de Mangue, que achei o mar mais bonito ainda, embora a praiaa fosse mais cheia e mais suja também que a Barra Grande. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118220224.JPG 500 375] [b:8lbqp36m]Praia de Barra Grande, em Maragogi[/b][/picturethis]

Seguimos para pegar a balsa em Japaratinga e às 15 h estava no eu destino principal da viagem, a Rota Ecológica Alagoana, o paraíso intocado da nossa costa, que desejo firmemente que assim permaneça por muitos e muitos anos amém. Check in feito na Pousada da Acácias, uma das únicas acessíveis daquele trecho, (160 a diária pro casal), fomos jantar no restaurante Manzuá e finalmente descansar da maratona que foi entre Natal e SMM.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118220501.JPG 500 375 ]Placa hilária na balsa para Porto de Pedras. A placa em Inglês foi traduzida no google translator.

[/picturethis]

5 a 9 /1 - Rota Ecológica. vou resumir estes dias que foram basicamente, 1 ou duas praias por dia. dia 5, dia a Praia do Morro , intocada e bela, tem que ir até Passo de Camaragibe, atravessar de barco a foz do rio e combinar horário de retorno com o barqueiro. É a praia mais deserta da rota, não tem nem lugar direito pra ficar embaixo dos coqueiros, com muito mato, mas assim que é bão. Na volta, almoço no restaurante Foz do Camaragibe, excelente, já conhecia pois na outra viagem fiquei hospedada ao lado, na única opção realmente barata de hospedagem na rota (60 a diária pra casal), pousada Barramar F. (82) 3258 5141, barganha pra mochileiro. É simples mas tem ar e o café é bom, além do seu Edvar ser de uma simpatia e generosidade ímpares. Pode-se também hospedar-se na D. Lia (82) 3258-5140, dona do restaurante, que tem uns quartos na parte de cima do restaurante, pelo mesmo preço. Ambas as pousadas tem acomodações simples, sem o charme das pousadas fru-fru da rota, mas tem vista pra praia da barra que é linda, com a foz do rio, e pelo preço da diária não tem concorrente na Rota. Recomendo para o pessoal que não tem grana pra ficar no roteiro de charme e quer conhecer um dos últimos pontos tranquilos e paradisíacos do nosso litoral.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118220704.JPG 500 375 ]Praia do Morro, em Barra de Camaragibe[/picturethis]

 

Dia 6 -praia do Toque de manhã, da famosa pousada pioneira na Rota, e mudança pro Hotel Costa dos Corais, que eu consegui uma promoção do Groupon e ficou 180 por dia o casal, num chalé na beira do Rio. Hotel meio decadente, com internet só na área social, mas em local bom, com um riacho separando o hotel da praia de Porto de Rua, a mais central e urbanizada da Rota, a única com alguns bares e restaurantes. Demos uma passeio de fim de tarde na praia.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118220913.JPG 500 281.25 L]Foz do Rio Tatuamunha[/picturethis]

Dia 7, finalmente a Praia do Patacho, o supra sumo da Rota, praia deserta linda, água verde clara, maravilhosa.Ficamos o dia inteiro lá, e na volta, um quase perrengue: tinha perdido a chave do carro! Fui até o carro com a esperança de ter derrubado a chave lá ou mesmo ter deixado no contato, quando um santo pescador disse que uma pessoa encontrou a chave na areia (!!!) e guardou consigo, ali mesmo na praia. Meu anjo da guarda trabalhou este dia, ia ser um perrengue sem fim se tivesse perdido a chave, não há chaveiros ali, o mais perto seria em Japaratinga. Teria que acionar o seguro, rebocar o carro, enfim, me livrei de tudo isso por sorte. Aliviados, voltamos ao hotel e fomos comer no Restaurante do Enildo, comia caseira boa, ali no Porto da Rua mesmo.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118221112.JPG 500 281.25 ]Praia do Patacho[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118221322.JPG 500 281.25] [b:8lbqp36m]Mais uma da praia do Patacho[/b][/picturethis]

 

Dia 8, choveu de manhã, o tempo só abriu lá pro meio dia. Fomos tentar achar a praia da Lage, quando finalmente descobri que ela é a e mesma praia do Patacho, o que difere é que e cada lugar da praia existe um povoado com nome diferente (Lage e Patacho), mas a praia é a mesma ! foi bom ter descoberto isso, pois desde a viagem anterior tinha ficado com vontade de conhecer a Lage, pois tinha lido que ela é que era a praia mais bonita da Rota hehehe.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118221700.JPG 500 281.25 [b:8lbqp36m]Casario no vilarejo de Tatuamunha[/b][/picturethis]

Fomos então fazer o passeio do Peixe Boi, no rio Tatuamunha, que foi bem legal. É um passeio de observação e dá pra ver alguns dos bichanos que passam bem perto do barco. À tarde, fomos fazer um "praia tour', passar pelas praias do Marceneiro (linda e deserta), e a praia do Riacho, e assim conhecer finalmente todas as praias da Rota, de ponta a ponta. Almoçamos de novo lá na Foz do Camaragibe. (infelizmente não tinha polvo, mas tudo lá é ótimo, repetimos a camarãozada).

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118221939.JPG 500 375] [b:8lbqp36m]Tentativa de capturar o peixe boi, que no quis dar as caras[/b][/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118223151.JPG 500 374.125874126 \]Praia do Marceneiro [/picturethis]

Dia 9/1, mais um mico de viagem (a viagem que não tem pelo menos um mico grande não vale!), fomos caminhando pela praia do Hotel até a praia de Tatuamunha, que tem que atravessar o rio. Esta praia é pequena, junto à foz, é é um cemitério de coqueiros caídos. A foz do Tatuamunha é belíssima, com margens cobertas de vegetação e você ainda se der sorte topa com um dos 15 peixe bois que habitam por lá, mas a praia estava meio dificil de ficar, também sem coqueiros "limpos" ao redor. Resolvemos voltar mas aí ferrou-se pois em 1 h a maré subiu muito e ficou impossível atravessar o rio de volta, o que nos rendeu uma caminhada de uns 7 km dando a volta pela estrada,sob o sol escaldante do meio dia alagoano. Mas pelo menos cumpri o roteiro de ir em todas as praias da rota, sendo que da outra vez tinha passado um dia nessa praia de Tatuamunha. Cansados, no fim de tarde demos mais um pulo na praia do Toque.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118223405.JPG 500 281.25] [b:8lbqp36m]Praia de Tatuamunha[/b][/picturethis]

10/1- São Miguel- Maceió. Último dia na Rota, voltamos à Lage/Patacho, pois tinha acertado com o jangadeiro santo que me deu o caminho da chave perdida, o Dodó (82) 9335 3264 , de fazer o passeio à piscina do Patacho que eu já tinha ido na vez anterior. Foi o ponto alto da viagem esse passeio, chegamos na hora perfeita na piscina, não tinha ninguém lá. Esta é a melhor praia da rota pra ver piscina, pra quem tem aversão à gente como eu, pois só tem 3 pousadas no Patacho, enquanto que as piscinas do Toque sã bem mais concorridas. Ainda assim infinitamente melhor que a muvuca master das galés de Maragogi. Nada de catamarã tocando axé, apenas jangadinhas simplórias com uns 4 ou 6 turistas que se aventuram por aquelas bandas. E ainda de quebra o Dodó (super recomendo passear com ele), nos levou a outra piscina nos corais onde tem uma caverna no meio deles, que ele atravessou e saiu lá longe, um dia eu tomo coragem e virou um ser marinho como ele e me aventuro numa fresta dessas. Foi incrível, saí de lá sonhando em virar peixe, e partimos pra Maceió pra última parte da viagem, um pouco de civilização pra readapatar-se ao retorno à São Paulo.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118225802.JPG 500 281.25 Legenda da Foto]Piscina do Patacho[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118224121.JPG 500 281.25 ]Piscina onde ficava a entrada da caverna dentro dos corais[/picturethis]

Me perdi um pouco na estrada por falta de sinalização. Pra quem for, fica a dica: depois de passar por Passo de Camaragibe fique esperto, vai haver uma entrada à esquerda pra S. Luiz de Quitunde e não tem placa. Google Maps no celular não tinha sinal (aliás a Oi não pega direito na Rota, e a Tim às vezes falha também), mas por volta de 15 h chegava em Maceió. Teve um problema com a reserva do Booking e fui parar em outro hotel, na Jatiúca, o Vela e Mar praia hotel, simples mas bem honesto, e pelo preço que ficou (nos deram desconto por conta da confusão que houve com a pousada reservada), foi sem dúvida a melhor relação custo benefício da viagem: 120 a diária pro casal, quarto com ar e internet ,nota 7.5. Almoçamos no típico Bodega do Sertão, um quilo bem bom, e fomos passear na orla, com uma parada na feira de artesanato da Pajuçara. Dia 11, último dia da viagem, fomos de carro ao centro de Maceió e andamos por todos os cantos, visitando todos os prédios históricos e igrejas e teatro, que eu gostei muito. Depois fomos pra Marechal Deodoro, cidade histórica a 30 kim ao sul de Maceió, também rodamos a cidade que é uma graça. Paramos pra almoçar no excelente Bar do Pato, na Massagueira, braço da Lagoa do Mundaú. Voltamos a Maceio paramos no bairro histórico do Jaraguá pra mais fotos dos prédios, e visitamos o memorial da República, e voltamos pro hotel as 15 pra devolver o carro. À noite mais uma volta à pé na orla, de Jatiúca até a Ponta Verde, e à meia noite taxi pro aeroporto e retorno à São Paulo.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118224342.JPG 500 281.25 ]Teatro Deodoro, em Maceió [/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118224626.JPG 500 281.] [b:8lbqp36m]Igreja em Marechal Deodoro [/b][/picturethis]

 

 

Considerações gerais, aprendizado e dicas dessa viagem :

1- Se você tem pouco tempo, pesquise os passeios que quer fazer com antecedência. Pegue dicas de agências e bugueiros, em sempre dá pra fazer isso no local, eu fiquei bem frustrada em Natal por não ter conseguido ir a Galinhos e Maracajaú.

2- Tome cuidado com os prazos muito apertados. Imprevistos acontecem e se você não dá um espaço pra eles, sofre.

3 - se não der pra fazer tudo que queria e planejou, curta as coisas que aparecerem da melhor maneira possível. Afinal tudo é válido numa viagem, até ficar no hotel jogando buraco num dia de chuva. Só não é válido ficar de cara amarrada e estragar o resto da viagem.

4 - Não dependa só de cartão, mesmo os locais onde se aceita, à vezes o sistema de internet é precário e fica sem comunicação, leve uma reserva em dinheiro.

5- Pergunte, as pessoas no NE são na maioria bem prestativas. Compensa a sinalização e comunicação precárias.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130118224845.JPG 500 281.25 ]Casario no Bairro do Jaraguá, em Maceió [/picturethis]

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...