Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Relato Europa Finalizado (Munique, Praga, Berlim, Amsterdã, Bruxelas, Londres, Paris, Roma)-2012/2013


Posts Recomendados


  • Respostas 157
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

Cara essa dúvida só quem pode responder infelizmente é vc mesmo... eu tbm queria ter ido a Barcelona qdo fiz a viagem... mas não conseguiria adicionar... no fim optei por desistir de lá em função de ser um local que imagino seja melhor conhecer no verão... Enfim...liste os locais que tem pra conhecer em cada lugar e veja o que é mais fácil (nunca é rss) abrir mão.. Abs.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Paris Dia 4

 

Devo dizer que Paris e Roma meus ultimos destinos não foram tão bem planejados em termos de roteiros pela cidade pq chegou o fim de ano e não tive tanto tempo de me programar... Dei um google em termos com roteiro paris, rota a pé paris etc... Por isso posso dizer que o tempo não foi tão bem utilizado como nos demais o que de certa forma me fez perder tempo em certos locais, dificuldades que não tive em outros lugares... nada que eu me arrependa no entanto, pois ao mesmo tempo me permitiu várias descobertas que não estava em meus planos. Neste dia acordei mais tarde por conta da balada da noite anterior e me juntei ao grupo para irmos à região do luxo de Paris. Fui para a Ópera mas não entrei...até fiquei com vontade... mas acho que o legal de um lugar desses realmente deve ser ver um espetáculo...ir por ir não me atraiu... Demos umas voltas pela região, Madelaine, Printamps e Galerias Lafayette. Lugares fantásticos, de arquitetura e decoração, merecem ser visitados. Mas realmente só para conhecer, grifes caríssimas! Nessa região uma menina me abordou para o tal golpe pedindo ajuda para caridade. A menina vendo o tipinho de turista ja chegou falando "Do you speak English?" Não sei bem como funciona pq não dei atenção..mas tinha lido num forum sobre isto...dizem que ocorre também na Notre Dame... Aqui vai uma dica que li no relato da Gabi... Há um restaurante no úlltimo andar da Galeria Lafayette muito bom de preço acessível. por 12 Euros Um almoço de Lasanha, salada, e garrafinha de vinho. Recomendo! Dali me despedi da turma pois iria fazer um programa que agrada pouco mas pra mim imperdível. Fui visitar o complexo de tênis Roland Garros. Fica bem longe das áreas mais centrais e tem um nó nas estações finais do metro que meu deu um baile. Para piorar esta região encontrei poucas pessoas falando inglês... tentei arranhar meu francês mas não foi muito suficiente. Enfim consegui chegar na estação e de lá até o complexo uma caminhada de uns 15 minutos. Foi um dia bem frio... nessa área que é muito aberta ventava bastante... Depois de uma longa caminhada chego na portaria e o porteiro me informa que estaria fechado e só abriria dali a 2 dias. É possível fazer uma visita guiada... basta entrar em contato por e-mail. Depois de tanto sacríficio e tempo perdido voltei para a torre Eiffel que só tinha visto de perto com o tempo escuro... Quando lá cheguei fui brindado com um presente... Céu limpo e azul (o que não ocorrera nenhum dos dias anteriores) e uma fila relativamente pequena. Não pensei 2 vezes e decidi fazer a subida até o topo da torre... Na fila conheci uma inglesa que me deu altas dicas da cidade... Após uns 40 min. chegou a hora de subir no símbolo máximo da cidade. A subida na torre é realmente um passeio imperdível. É possível fazer a subida dos primeiros andares a pé...mas não me arrisquei (a torre da igreja de praga ainda latejava as pernas qdo pensava em escadas...). A vista é incrível seja qual nível vc se aventurar... mas é bem seguro então não vejo pq não ir ao topo. Valeu super a pena. Como ja estava prestes a escurecer fiquei bastante tempo curtindo com minha amiga inglesa por ali.. o Escurecer visto de lá é sensacional...se puder programe-se para subir por volta de 3:30...Um horário que não te fará esperar muito... Enfim decidi descer. Neste dia combinamos novamente de ir pra algum programinha noturno voltei pro hostel. Desta vez fomos ao Buddha Bar... que foi muito legal...não sei como é o funcionamento atualmente. É um lugar um pouco mais caro, mas valeu a pena... não fiquei até muito tarde, pois o objetivo no dia seguinte era ir cedo para Versailles.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Paris Dia 5

Dia de visitar Versailles... Para chegar a Versailles é super fácil. O RER C te leva até lá... Nesta viagem cometi meu 1o delito. Eu não encontrei uma maquininha de compra do ticket e entrei no trem esperando que algum agente passasse para que eu comprasse um passe, pois tinha ouvido falar que o ticket do metrô não era válido... enfim, quando cheguei à estação de destino havia umas roletas, logo pensei, então tem que pagar na saída... mas não encontrei novamente nenhuma cabine para fazer o pagamento... Nesta hora imaginei que eu já devia ter comprado no embarque e que provavelmente eu teria que pagar alguma multa por conta da viagem "na surdina"... Enfim tentei sair da estação e a roleta girou normalmente... estranhei demais e segui o fluxo de pessoas imaginando que a qualquer momento eu me depararia com o problema... quando enfim passei pela porta ja estava na rua e não tinha pagado o trem... me senti um pouco mal...mas a consciência elástica me permitiu ir embora sem pagar... Coisa que não recomendo de forma alguma... Nada como uma consciência tranquila por estar fazendo o que é certo... Da estação até o castelo é uma caminhada de uns 10-15min...basta seguir o fluxo... todos estão indo ou voltando de lá. O fachada do palácio já é um espetáculo. A construção é de tirar o fÔlego...não é toa que Versailles é um dos locais mais visitados no mundo. Ali sim você consegue entender os porquês da Revolução Francesa...quanto gasto, quanto luxo e quanta riqueza destinados somente à família real. Versailles está incluso no pacote do Paris Museum Pass... Chegando ao Palcio Grand Trianon vc pode assistir um filmezinho que conta a história da evolução do palácio. Foram uma sem fim etapas de reconstrução. Quando Luis XIV se intitulava o Rei Sol realmente o monarca não estava para brincadeira. O passei pelo castelo é bem legal, ainda que seja um pouco cansativo no sentido físico mesmo. É enorme... e vc não consegue parar de andar e admirar os locais. A sala dos espelhos é o ápice... geralmente está lotada (isso pq era inverno, não consigo imaginar no verão)... Engraçado que quando pesquisava sobre versailles vi algumas fotos, alguns relatos no fórum mas nunca imaginei que o local seria tão incrível. Saber que naquela sala foi assinado o tratado de versailles era de alguma forma impactante... Te faz voltar no tempo. Os jardins ainda que no inverno estava parcialmente verdes e claro bem bonitos. Aquilo ali deve ser um show na primavera. Do grande palácio fui caminhaaaaaannnnnddddddooooooooooo...até o o Petit Trianon... De alguma forma perdi a entrada do local e andei uns 30 minutos até a entrada dos jardins que fica fechada no inverno ou seja tive que voltar caminhando o mesmo tempo... Diversas pessoas estavam na mesma peleja...A visita porém vale a pena...obviamente não tão majestoso...mas muito bonito de se conhecer... Pensar que Maria Antonieta tinha um espaço só dela, nos quais nem o Rei tinha acesso sem autorização é incrível. Fiquei bastante tempo em Versailles... quando decidi que já era hora de voltar já tinha ficado alí umas 4-5 horas...passeio no entanto imperdível. Quando retornei à Paris (desta vez paguei o ticket normalmente ja que as maquininhas estavam bem visíveis) estava começando a escurecer... fui visitar La conciergerie, mas excepcionalmente naquele dia fecharia mais cedo então acabou não sendo possível. Na "falta do que fazer" fui visitar uma feirinha que tinha por ali que acabou valendo super a pena pois uma doninha lá me indicou um restaurante ali perto onde fiz uma refeição caprichada por 12Euros... infelizmente não lembro o nome. Voltei para o Hostel passando pelo Marais... que é um bairro meio modinha...mas achei bem normalzinho... De volta ao hostel juntamos uma turminha para irmos ao trocadero fazer fotos noturnas da torre. O trocadero é o melhor local para tirar fotos da Torre... então vale a pena visita diurna e noturna. Mais para o fim da noite eu aproveitei para pedir descontos nos chaveirinhos da torre para uns ambulantes que no fim das constas fizeram preços risíveis... Alguns foram embora acabamos ficando em 4 pessoas.. 3 brasucas e uma francesa apaixonada pelo Brasil. Compramos uns vinhos e queijos (superbaratos e bons nos supermercados) e voltamos para o hostel terminar noite...ahhh Paris...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Paris Dia 6

Ultimo Dia de cidade luz... meu vôo só sairia às 21hs então fiquei bem tranquilo neste sentido...daria tempo de fazer bastante coisa. Acordei cedo e fui até um café tradicional e fiz uma refeição bem completa...De lá parti para Roland Garros que neste dia estaria aberto e enfim poderia fazer o tour guiado. O cara que comandava o tour foi um sujeito bem bacana...liberou o museu para visitação até que aguardassemos o horario. O museu é super simples e pequeno...não vale uma ida até lá só pra ele...mas tem peças de apertar o coração. A grande tassa com o nome G. Kuerten gravado 3 vezes enche o brasileiro de orgulho...(pra quem não sabe, Roland Garros é um dos 4 torneios anuais mais importante...super tradicional tem sua horigem ante de 1900... o atleta que ganha o título recebe apenas uma mini réplica da taça...a taça original é mantida no museu e a cada ano o nome de um ganhador é gravado na base da taça)...Para quem gosta de tênis é um passeio imperdível. Vc visita as dependencias do complexo de tênis e ainda tem acesso às duas principais quadras do torneio. A estrutura do local é sensacional, realmente deve ser o sonho de qquer tenista jogar no barro sagrado. O tour (em inglês) é recheado de informações e curisidades dos atletas. Guga é onipresente, tem fotos, telas, videos e é citado o tempo todo pelo guia. O único local restrito que não se visitar é o vestiário dos atletas que fica fechado o ano todo e só é reaberto em tempos de torneio. O tour leva 1,5 - 2h... mas é show.. Na loja oficial vc encontra diversos produtos - bem caro - acabei dando sorte e comprando uma camiseta por 20 euros...uma bagatela tendo em vista os preços médios praticados. Terminado o passeio decidi que não deveria me arriscar a nenhum lugar muito fora de mao...ainda tinha muita coisa por ser vista na cidade...enfim teria que ficar para uma próxima vez... Retornei ao Louvre para fazer mais algumas galerias que não tinha visitado. O museu é realmente encantador e deve ser visitado tanto quanto se quiser...há infinitas obras a serem apreciadas. Infelizmente o setor da pintura americana estava fechado neste dia... não consegui ver brasileiros ou ainda obras de Frida e Diego. Mas fui brindado com o códio Hamurabi, que não tinha visto na primeira visita. Como superar mais de milênio de existencia... Gastei mais um tempinho ali e decidi que era hora de partir... Paris estava ficando para trás... No caminho até o hostel foi possível perceber que diversas lojas se preparavam para a promoção que começaria dali alguns dias... acabei conseguindo combrar um cachecol de lã por 2 euros.. Demais... Voltei ao Hostel e me preparei pro sofrimento...minhas malas a esta altura não cabiam nem o cachecol, e o peso estava impossível... era uma dessas grandes de rodinha...(tinha uma outra mala média dentro) mais uma bolsas dessas laterais além de uma mochila lotada... As opções para ida ao Aeroporto Orly eram várias, trem, metro mas acabei optando por um ônibus. O trajeto até o ônibus foi uma tortura...algumas pessoas até tentavam me ajudar mas sabendo o incomodo que estava agradecia a ajuda e continuava em ritmo bem lento... Por fim cheguei ao ônibus que em 30 min chegou ao aeroporto. Para o embarque obviamente eu tinha estourado todos os limites possíveis de bagagem... Minha mala grande excedia em peso, a média excedia tamanho... acabei tendo que fazer uns ajustes para que fosse aceito (empresa vueling - mas comprei no site da Ibéria então tinha direito a 1 bagagem).. acabei tendo que pagar uma multa de 60 euros. (Adeus low coast)... Mas enfim...não sofri muito pois estava chegando ao meu ultimo destino... Roma me aguardava...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Roma Dia 1

 

Na saída de Paris já foi possível entrar no clima italiano... o falatório no avião denunciava bem a origem das pessoas. O idioma aparentemente parecido com o português dava uma atmosfera ao que estava por vir. Após um vôo rápido em 2h estava descia no aeroporto Fiumicino. Cheguei por volta de 23e30. Eu até tentei pegar o último trem que partia por volta deste horário mas não foi possível. Quando estava voltando pra área do aeroporto fui abordado por um senhor de cabelos brancos oferecendo o serviço de táxi. Logo eu que tanto tinha lido sobre segurança, evitar taxis clandestinos etc, num momento de completa bobeira me vi no carro sem nenhuma identificação com um senhor falastrão...que ficava falando que o Brasil é muito perigoso... Pfavor não corram este risco... Felizmente nada me aconteceu mas o maledito havia combinado 40 euros e me deu troco de apenas 5 euros. Nem pude xingar muito afinal eu já devia dar graças a Deus de estar ali vivo e com minhas coisas intactas... Fiquei no hostel Alessandros Palace, pertinho da estação central Termini. É um hostel bom... as camas não eram lá grandes coisas mas não eram péssimas. Banheiro limpo porém os lockers eram bem pequenos. Mas não tive problemas..ninguém mexeu em nada. Tem um barzinho até que animadinho e oferece um café da manhã decente (pago a parte). A localização é uma incógnita...muitos recomendam pq é perto de td outros acham que é perigoso...não tive nenhum problema mas tem uns tipos bem estranhos na região sim... Não utilizei mas há algumas lavanderias bem próximas ao hostel, com aluguel de PCs e internet.

Não acordei muito cedo pois a noite tinha sido bem cansativa. Neste primeiro dia eu tinha programado para realizar mais um dos meus sonhos de quando a viagem foi pensada... Conhecer o Vaticano. Sou católico então não tem o que falar sobre a emoção de conhecer lá. Fui até a termini e comprei um Roma Pass... confesso que não sei chegar a uma conclusão se valeu a pena ou não... Só utilizei para visitar o coliseu e fórum Romano (contam como 1 atração)... O ticket dá direito a 2 mas como não teria a possibilidade de vistar a galeria Borghese (tem que ser agendada previamente), acabei não utilizando. Mas foi muito útil para metrô e ônibus.

Com o ticket em mãos peguei o metrô para o Vaticano. A parada te deixa bem próximo à praça de São Pedro. Fui até a frente da praça pra matar a curiosidade...mas a chuva logo me desanimou e resolvi começar o tour pelos museu do Vaticano, este sim um must see. Pode ser audacioso da minha parte mas chego a dizer que o museu vaticano chega a ser se não igual bem próximo ao Louvre... Sim, a coleção do museu é vastíssima... vc certamente fica horas ali e ainda fica coisas por ver. Eu havia comprado o ticket pela internet e num lapso que não entendi comprei para o dia errado... (pro dia anterior). A mocinha gentilmente me informou que era só pedir pra alterar a data num dos guichês que seria aceito normalmente.(ufa!). Vale a pena comprar antecipado por conta das filas que são enormes... e debaixo de chuva então veio muito a calhar... O museu é imperdível. Não são só obras sacras... A coleção Egípcia chega a ser tão grande ou até maior que a do Louvre... Um sem fim número de esculturas, bustos, enfim, um deleite pra qquer apreciador entendedor ou não de artes. O museu tem uma dinâmica de circulação que favorece a visita a muitas obras. Destaque para a múmia "desenrolada" incrível. As alas todas com pinturas e afrescos nos tetos... Em uma delas tem-se certeza que são esculturas no teto sendo que na verdade são pinturas... de encher os olhos. Após passar por tanta beleza o visitante é brindado com a beleza estonteante da capela sistina. Simplesmente Indescritível. Todo mundo merece ver... Cuidado com o chão...não foi 1 nem 2 casos de acidentes, tropeções de pessoas andando olhando pro teto. Fiquei horas e mais horas no museu... dali resolvi procurar um local pra fazer um lanche... comi um sandwich num trailer que tava ruim...fiquei puto afinal comer mal na Itália ninguém merece... Eu havia feito a reserva para visitar as escavações da Basílica que levam ao túmulo de S. Pedro. Uma experiência única... válida para religiosos ou não... mas confesso que para quem crê a sensação transcende. A visita levou algumas horas e termina já dentro da Basílica de S. Pedro... aproveitei para fazer minhas orações e visitar os túmulos de alguns dos papas que ficam ali. J. Paulo II está lá. Fotos na Pietá que por sinal é tão bela que chega a emocionar. Saindo da Basílica resolvi que iria até a cúpula... Tem que ter fôlego...afinal o elevador leva somente até uma parte. Se vc é claustrofóbico tbem não recomendo, pois dá uma sensação de abafamento até chegar ao topo. A vista no entanto não tem o que falar. Se vc tem pique é uma passei que vale a pena. Algumas fotos noturnas da praça de S. Pedro e resolvi voltar a pé...sabia que seria uma caminhada longa mas um dos grandes lances de Roma é realmente andar...a qquer momento do nada vc dá de cara com praças, monumentos que fazer valer a pena as dores nas pernas. Segui até o Castelo S'antangelo (mas não entrei) e através de umas vielas com suas casinhas e personas cheguei até Piazza Navona. Ali meu fôlego acabou e peguei um ônibus pro Hostel. Comi por lá mesmo pois o dia tinha sido aproveitado ao máximo e eu estava morto.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...