Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Portugal,Espanha,Suíça,França,Mônaco,Grécia,Egito,Jordânia,Israel,Turquia,Alemanha


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Bom dia colegas aventureiros. Segue abaixo mais um relato de viagem típica de mochileiro. Viagem para pessoas com fôlego para andar bastante..... Vou escrevendo aos poucos. Preciso reunir informações e fotos para procurar não esquecer nada neste relato. Fico até na dúvida em qual área devo colocar este relato: Europa, África, Oriente Médio ou Ásia. Vai ser um relato bem grande pois foram muitas cidades e pontos turísticos com muita coisa para contar.

 

Trata-se de uma viagem que começou dia 14/12/12 em Guarulhos com o seguinte roteiro (em alguns trechos tem um acréscimo ou desconto de horas e minutos no trecho devido a escalas e diferenças de fuso horário):

 

-Sai de Guarulhos 14/12/12 as 16h40m (passagem ida e volta São Paulo - Madri com escala em Lisboa e Istambul - São Paulo com escala em Frankfurt por R$5354,27)

-Chegada em Lisboa 15/12/12 as 5h30m

-Sai de Lisboa 15/12/12 as 17h25m

-Chega em Madri 15/12/12 as 19h40m

-Somente terrestre:

- Toledo

-Sai de Madri 17/12/12 as 20h15m

-Chega em Barcelona 17/12/12 as 21h30m

-Sai de Barcelona 19/12/12 as 17h00m

-Chega em Genebra 19/12/12 as 18h40m

-Sai de Genebra 20/12/12 as 17h35m

-Chega em Nice 20/12/12 as 18h35m

-Somente terrestre:

- Monaco

- Cannes

-Sai de Nice 22/12/12 as 10h00m

-Chega em Atenas 22/12/12 as 13h25m

-Sai de Atenas 23/12/12 as 16h00m

-Chega em Luxor 23/12/12 as 20h45m

-Sai de Luxor 24/12/12 as 21h25m

-Chega em Cairo 24/12/12 as 22h35m

-Sai de Cairo 25/12/12 as 20h45m

-Chega em Amman 25/12/12 as 22h00m

-Somente terrestre:

- Amman

- Madaba

- Baptism Site

- Dead Sea

- Petra

- Amman

- Jerash

- Jerusalem

- Belem

- Planicies de Golan

- Snir

- Tiberias

- Monte das Beatitudes

- Capernaum

- Tabgha

- Ginnosar

- Cana

- Nazareth

- Megido

- Haifa

- Cesarea

- Tel Aviv

-Sai de Tel Aviv 04/01/13 as 5h20m

-Chega em Istambul 04/01/13 as 7h40m

-Somente terrestre:

- Istambul

- Gallipoli

- Canakkale

- Troia

- Pérgamo

- Kusadasi

- Éfeso

- Selcuk

- Pamukkale

- Fethiye

- Xantos

- Patara

- Antalya

- Aspendos

- Konya

- Cappadocia

- Istambul

-Sai de Istambul 16/01/13 as 5h05m

-Chega em Frankfurt 16/01/13 as 7h20m

-Sai de Frankfurt 16/01/13 as 22h00m

-Chega em Guarulhos 17/01/13 as 6h05m

 

Começamos o relato no dia 14/12/2012. Embarquei eu e minha esposa para Madri com escala de 12 horas em Lisboa. Logo neste escala já descemos com os principais pontos turísticos de Lisboa para aproveitarmos ao máximo este breve passeio. Do aeroporto pegamos um trem do aeroporto até chegarmos a estação Cais Sodré a € 3,00 por pessoa, de onde partem Bondes, ônibus e metro. Procurem a rota do Bondinho “Eléctrico 28”. A € 2,85 por pessoa este bondinho, com ares de início do século 20, sobe e desce as ladeiras mais emblemáticas da capital, passando pelos principais pontos turísticos. O percurso ideal parte da Basílica da Estrela e segue até o Miradouro de Santa Luzia. Depois deste passeio de Bondinho pegamos um onibus na mesma estação Cais Sodré em direção ao Centro Cultural de Belem onde conhecemos o Jardim da Torre de Belem e a Torre de Belem, Jardim da Praça do Império, Monumento Padrão dos Descobrimentos, Jardim de Belem e o Museu de Arte Popular. Passeamos bastante com a degustação do famoso Pastel de Belem.

 

Pegamos o avião com destino a Madri e ao chegar tinha uma enorme preocupação quanto as famosas exigências feitas ao turista que deseja ingressar ao país. De todas as viagens que fiz até hoje foi a vez mais relaxada de todas!!! Não sei se foi a fato de ter feito uma escala em Lisboa. Só sei que desembarcamos do avião e saímos do aeroporto sem nem ao menos ter verificação de passaporte!!! Não teve raio x, nem saída separada para viajantes da comunidade européia. Acho que o aeroporto inteiro estava em greve. Do aeroporto fomos direto a Calle Gran Via a €6,50 este deslocamento. Avenida bem no centro muito agitada e com ótimas hospedagens. Ficamos em no Hostel Helena a R$66,36 o casal por duas noites!!! Esta reserva foi feita com bastante antecedência. No dia 16/12 andamos bastante pela cidade utilizando o ônibus da companhia City Tour a €21,00 por pessoa. Em casos como o nosso com passeios rápidos, eu sempre recomendo este tipo de deslocamento. Você tira um dia inteiro para percorrer os principais pontos turísticos da cidade e com tempo livre em cada um dos pontos.

 

No dia 17/12 acordamos cedo e pegamos um ônibus de frota intermunicipal para Toledo a €14,52 por pessoa. É bem mais barata a passagem de ônibus de qualquer outro tipo de deslocamento. Esta apenas a 70 km de Madri. Muito linda esta cidade. A antiga capital da Espanha é uma das cidades medievais mais encantadoras de toda a Europa. Perfeitamente localizada no topo de uma montanha cercada pelo Rio Tejo, Toledo impressiona com as suas belezas naturais, prédios grandiosos e a sua arquitetura de influências árabe e gótica. Tivemos a oportunidade de passar um dia explorando a cidade. Em Toledo aconselho pegar um panfleto no guichê turístico da cidade e sair caminhando. Apesar de irmos de ônibus, não deixamos de conhecer a estação de trem da cidade dentre outros pontos turísticos como Puente de Alcantara e Puerta de Doce Cantos (a ponte, juntamente com a majestosa Puerta de Doce Cantos, o portal que dá acesso à cidade, formam uma paisagem única que causa uma primeira impressão de Toledo), O Palácio de Alcázar, A Catedral de Toledo, A Plaza Mayor, A Plaza del Ayuntamento, O Centro Cultural San Marcos, O Paseo de San Cristobal, O Monastério de San Juan de Los Reyes, A Plaza de San Juan de los Reyes e Paseo de Recaredo, A Puente de San Martín, A Puerta de Bisagra entre outros pontos. Chegamos bem cedo à Toledo, pois já havia voo marcado para Barcelona saindo de Madri à noite (passagem Madri-Barcelona custou R$178,21 para os dois).

 

Chegamos aproximadamente 21h30m em Barcelona e pegamos o trem com destino ao centro(€5,00 por pessoa). Reservamos um quarto no Hostel Europa. Simples, barato, limpo e muito bem posicionado (€33,50 casal por dia), a 100 metros da estação Liceu, estação na famosa rua La Rambla ao lado da famosa Praça Catalunya. Desta praça parte aerobus e City Tour Barcelona. Tudo o que precisa para se locomover e conhecer os principais pontos turísticos da cidade. Ficamos dois dias em Barcelona para conhecermos todos os principais pontos turísticos. Para Barcelona, pagamos €30,60 por pessoa para dois dias com o City Tour para dar tempo de conhecer com mais detalhes os pontos turisticos.

 

 

Continuando em Breve...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Respostas 30
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Colaboradores

Ai veio um passeio que não estava nos planos. Compramos todas as passagens com muita antecedência e não tivemos o trabalho de confirmar os horários. Sempre que comprarem passagens com muita antecedência, estão sujeitos e mudanças de horários. Pois bem, chegamos ao aeroporto de Barcelona para embarque programado para Nice-França. Quando fomos ao horário previsto do Boarding Time, tivemos a surpresa que este voo foi antecipado em 40 minutos. Após muita conversa, tivemos que escolher em ganhar outra passagem para Nice somente no outro dia ou uma passagem para Genebra que seria o próximo a sair. Pensamos bem e decidimos conhecer outro lugar, pois já havíamos rodado bastante em Barcelona e ao mesmo tempo adicionaríamos uma cidade a mais em nosso roteiro. Esta passagem, que era a principio Barcelona-Nice, nos custou R$75,22 por pessoa e a passagem Genebra-Nice, custou €74,00 por pessoa.

 

Embarcamos para Genebra e no caminho já reservamos um hotel a €134,00 o casal (tudo, tudo, tudo na Suíça é caro....) para sairmos um pouco à noite e podermos passear pela cidade no dia seguinte sem as mochilas. Lugar muito civilizado, limpo e sistemático (e caro). Pessoas que atendem as suas dúvidas com muita educação, mas que não falam mais que o necessário. Conhecemos brasileiros que trabalhavam por lá, mas que tinham muita vontade de retornar ao Brasil. Sentiam muito falta do calor humano que sobra para cá. Pois bem, 20/12 à tarde e embarcamos para Nice e ao desembarcar decidimos que sempre iríamos consultar a próxima passagem para não termos surpresas no embarque e tivemos outra surpresa e de certa forma muito boa. Fomos para Nice como um ponto de apoio para conhecer Mônaco, Eze, Cannes e um pouco de Nice, mas com este passeio adicional de Genebra, não teríamos tempo para muita coisa e como um presente, a passagem de Nice para Atenas foi adiada do dia 21/12 para 22/12. Ficamos muito contentes com a surpresa.

 

Chegamos dia 20/12 a noite e saímos para passear pela cidade. Muito bonita, a beira mar e por estar muito próximo da Itália, se passar alguns neste maravilhoso balneário mediterrâneo, com certeza terá a impressão de estar na França e na Itália ao mesmo tempo. No dia seguinte pegamos um trem em direção a Mônaco a €3,20 por pessoa. Sempre quis conhecer este lugar. Passeio ao Principado de Mônaco, sede do governo do príncipe Alberto Grimaldi. Muitos museus, aquários, jardins, cassinos e o famoso autódromo incrustado nas ruas. Para quem gosta de Fórmula1, como eu, é um ótimo passeio. No caminho de volta a Nice, indico uma parada em Eze, cidade medieval onde conhecemos uma das mais antigas fábricas de perfume do mundo, a Fragornard. Passamos direto por Nice e fomos a Cannes com muitos pontos a conhecer dependendo do tempo à disposição (compramos a passagem a Cannes já com o retorno a Nice a €13,00 por pessoa). Fomos ao Palais des Festivals (aonde acontece o Festival de Cannes), passeamos pela Avenida La Croisette, visitamos a igreja de Notre Dame de Bon Voyage e passeamos por Le Suquet (bairro antigo). Se tivéssemos mais tempo iria ao Museu Internacional de Perfumaria. Chegamos tarde a Nice e tivemos tempo para jantar em Vieux Nice (a Velha Nice).

 

Continuação em breve...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Dia 22/12 embarcamos em direção a Atenas. Desembarcamos e pegamos o trem em direção à estação com acesso ao metrô. O hotel já estava com reserva feita e localizada em lugar estratégico, bem próximo aos pontos turísticos principais, ao lado da acrópole a R$104,80 a diária do casal. Devido à mudança do plano original ao qual entrou Genebra no meio do passeio, tínhamos apenas a tarde e a noite do dia 22 e a manhã até a hora do almoço do dia 23. Mas deu tudo certo. Conhecemos a famosa Acrópole (o antigo centro religioso da cidade), a Ágora com vários edifícios antigos, a Areópago (uma elevação próxima à Acrópole com uma das mais belas vistas da cidade), o Templo de Zeus Olímpico, os Jardins Nacionais, a Praça Syntagma (com o prédio do Parlamento Grego, antigamente o Palácio Real), o Monte Licabeto, o Museu da Acrópole (recém-inaugurado, muito interessante), a Catedral de Atenas, a Igreja de Omorfoklissia, a Igreja de Panaghia Kapnikarea, o Estádio Olímpico de Atenas e o famoso Estádio Panathinaiko. Demos uma volta pelo bairro Plaka. Quem tiver mais tempo seria interessante andar pelos bairros Kerameikos e Monastiraki também. Estes bairros centrais guardam um casario típico e oferecem um comércio variado.

 

Embarcamos em direção a Luxor – Egito no dia 23/12 à tarde, com escala em Cairo a R$230,00 por pessoa. Dias antes da viagem tinha muita preocupação com relação ao visto deste país. Pelo internet, peguei o endereço e telefone do consulado do Egito para emissão do visto e também achei um site mostrando que o visto poderia ser comprado dentro do aeroporto sem nenhum problema a 1/3 do preço. Como dizia que o visto tirado no Brasil valia por três meses com permanência de um mês no país mediante o pagamento de R$ 80,00 e o visto tirado no aeroporto também valido por um mês de permanência (portanto a mesma validade para os dois) no valor de U$ 15,00, decidimos arriscar e tirar o visto no aeroporto. Moleza! Foi só chegar a Cairo, ir em direção ao guichê e comprar. Indico desta forma a todos.

 

Continuação em breve...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Tinha muita vontade de conhecer o Egito. Para mim era um lugar mágico com suas relíquias do passado. Prestem muita atenção nesta parte do depoimento! Ao chegar ao aeroporto, realmente é conforme algumas pessoas escrevem aqui no Mochileiros. É um desespero de pessoas grudando em você para encaminhá-lo ao táxi. Recomendo a todos segurar a mochila ou mala com força. Não que possa ser roubado e sim pelo fato de colocarem suas malas no porta malas e pronto! Não ter como negociar a viagem. As pessoas são muito pobres e se vê na cara o desespero por dinheiro. Pois bem. Com muita paciência e abraçados às mochilas negociamos com um rapaz a viagem do aeroporto até West Bank (aproximadamente 11 km do aeroporto) por 100 liras. Muita calma ao negociar com o pessoal de lá. R$1,00 vale 3,40 liras, ou seja, andamos por meia hora do aeroporto ao hotel, tarde da noite por aproximadamente R$30,00. Não existe isso no Brasil. De Cumbica para te largarem na Marginal Tietê, os taxistas pedem no mínimo R$100,00. Escolhemos um hotel deste lado da cidade (New Memnon a R$41,00 a diária do casal) porque em um dia você vem do oeste até chegar de volta ao aeroporto conhecendo tudo. Continuando a nossa aventura, ao embarcarmos no táxi em direção ao hotel com o rapaz, entrou outro companheiro dele no banco da frente. Já era aproximadamente 21h30m andando por ruas praticamente desertas com duas pessoas totalmente estranhas que conversavam na língua deles onde eu e minha esposa não entendíamos nada. O coração quase saiu pela boca quando de repente o táxi para, o rapaz se despede, e entra um senhor com cara de terrorista que troca informações com o rapaz que estava no banco ao lado e começa a andar novamente. Comentei com minha esposa: ESTAMOS SENDO SEQUESTRADOS!!! Após alguns segundos, recobrando a consciência, começamos a conversar com o motorista e ele disse que já estávamos bem próximos ao hotel. Fomos nos conhecendo e o senhor era o pai do rapaz que nos pegou no aeroporto. Paramos no hotel, o recepcionista confirmou nossa ficha feita no Booking e fomos acertar com o motorista do táxi e fecharmos com ele no próximo dia para ficar conosco o dia inteiro. Fechamos com um “motorista - guia turístico” para nos pegar no hotel, rodar o dia inteiro nos principais pontos turísticos e nos deixar no aeroporto por 230 liras, ou seja, R$68,30!!! A pobreza é tanta que na verdade o motorista não foi nos buscar. Partiu-me o coração quando perguntou que horas que a gente queria sair para ele estar acordado, pois ia dormir dentro do carro na frente do hotel.... Triste.... O próprio dono do hotel perguntou que horas que o café poderia ser servido. Como a religião maioritária do Egito é o islã sunita, as 5h00m já se ouve rezas nos microfones das mesquitas. Para aproveitar bem o dia combinamos as 5h00m o café da manhã. O próprio dono do hotel nos acordou e nos serviu o café. Em virtude da crise do Egito ele deve limitar o número de funcionários. Pois bem, acordamos, tomamos um belo café da manhã e saímos com o taxista. A Luxor moderna cresceu a partir das ruínas de Tebas, antiga capital do Império Novo. A sua riqueza, tanto arquitetônica como cultural, fazem dela a cidade mais monumental das que albergam vestígios da antiga civilização egípcia. O Nilo separa Luxor em duas partes: a margem oriental, outrora consagrada aos vivos, onde encontramos os vestígios dos mais importantes templos consagrados aos deuses da mitologia egípcia, e a margem ocidental, consagrada aos mortos, onde se localizam algumas das mais importantes necrópoles do antigo Egito, segundas em importância relativamente às existentes no planalto de Gizé, no Cairo, e onde foram feitos alguns dos achados arqueológicos mais significativos da antiga civilização, designadamente o túmulo de Tutankhamon. Como estávamos do lado dos mortos, começamos pelo Vale dos Reis principal necrópole real do Império Novo do antigo Egito, possuindo 62 túmulos dos faraós desse período e também os túmulos dos faraós Tutankamon, Ramsés IX, Seti I, Ramsés VI e o de Horemheb. Ainda hoje se continuam a retirar jóias dos túmulos dos filhos de Ramsés II. Os túmulos aí existentes designam-se pelas siglas KV (significando Kings Valley, em português vale dos reis) seguidas de um número, sendo este atribuído consoante à ordem cronológica da descoberta de cada túmulo. No total existem 62 túmulos, sendo o mais importante precisamente o número 62, o do Faraó Tutankhamon, mais pelo espólio do achado do que porventura a importância do faraó. Em 1994 os arqueólogos começaram a escavar o túmulo KV5, considerado pouco importante até então. Encontrou-se o maior e mais complexo túmulo do Vale dos Reis. Julga-se ter encontrado o túmulo dos 52 filhos de Ramses II. Até agora foram descobertos uma sala com 16 colunas, vários corredores e mais de 100 câmaras. Apesar de não terem sido encontrados tesouros, foram, no entanto recuperados do entulho milhares de artefatos. Os trabalhos arqueológicos, ainda longe do fim, prolongar-se-ão por vários anos antes de se abrir o túmulo ao público. Ao entrar no Vale pagamos aproximadamente R$50,00 para o casal para andarmos pelos corredores. Você tem o direito de visitar 3 tumbas. Corruptos é o que mais tem. Após três visitas, toda hora vai ter alguém te perturbando para liberar um trocadinho e te liberarem mais uma tumba. Dentro das tumbas é totalmente proibido bater fotos, mas é claro que surgi milhares de propostas para te deixarem bater uma fotinho. Tenham muita paciência... Já na primeira visita, nós já estávamos tão esgotados pelos pedintes que, o motorista nos pediu 30 liras para abastecer o carro, garantindo que estaria de volta em 15 minutos, e nós simplesmente deixamos vendo aquele carro partir com toda a nossa bagagem. Sem problema, ao acabar o passeio pelo Vale dos Reis, o motorista estava lá a nos esperar com outra pessoa no banco do passageiro. Era um moleque de aproximadamente 8 anos. Era o filho mais novo dele. Era visível um pequeno problema de pele no garoto, mas o motorista estava sem dinheiro para lhe comprar o remédio necessário.... Triste.... Continuamos o nosso passeio por Luxor e conhecemos O Templo Mortuário da Rainha Hatshepshut. O seu estilo arquitetônico é único. Foi projetado e construído por Senenmut, arquiteto da Rainha Hatshepsut. Esta Rainha (18ª Dinastia) governou como um autêntico faraó sendo assim considerada a 1ª mulher chefe do Governo na História. Este templo constitui uma visão impressionante, tendo sido talhado parcialmente na rocha, e a visão do mesmo funde-se na grandeza da encosta calcária que lhe serve de apoio. O templo foi posteriormente alterado por Ramses II e pelos seus sucessores, e mais tarde os cristãos transformaram-no num mosteiro (daí o nome Deir al-Bahri, que significa "Mosteiro do Norte"). Próximos ao templo principal situam-se as ruínas do Templo de Mentuhotep II, Faraó da 11ª Dinastia que unificou o Egito, e o Templo de Tutmósis III, sucessor da Rainha Hatshepsut. Este Templo lembra muito o estilo arquitetônico de Petra na Jordânia. Conhecemos O Templo de Karnak, sendo o maior dos templos do antigo Egito cujos vestígios chegaram até nós, foi dedicado à tríade tebana divina de Amon, Mut e Khonshu, e foi sucessivamente aumentado pelos diversos faraós, tendo levado mais de mil anos a construir. Constitui uma mescla de vários templos fundidos num só. O seu grande destaque é a Grande Sala Hipostila, cujo teto era suportado por 134 enormes colunas, ainda atualmente existentes, e consideradas como sendo as maiores do mundo. Conhecemos O Templo de Luxor, que foi iniciado na época de Amenhotep III e só foi acabado no período muçulmano. É o único monumento do mundo que contém em si mesmo documentos das épocas faraônica, greco-romana, copta e islâmica, com nichos e frescos coptas e até uma Mesquita (Abu al-Haggag). Fomos Museu de Luxor, que é um belo e interessante museu ainda que pequeno. Foi inaugurado pelo ex-Presidente francês Valéry Giscard d'Estaing em 1974. Possui uma importante coleção de todas as épocas do Egito Antigo. Uma sala aberta recentemente contém as últimas descobertas arqueológicas do Templo de Luxor. O pequeno tempo que nos restou antes de ir ao aeroporto, passeamos pelas margens do Rio Nilo onde se encontram novas instalações pela orla. Indico a todos o taxista que nos acompanhou com muita vontade de nos atender, não nos sequestrou e nem sumiu com nada rsrsrsrs.... Trata-se do Sr. Mohamed Omran Ali. Taxi N° 421, telefone 002-01225578071. Prometi a ele que faria um depoimento da viagem e o indicaria.

Tudo acabado em Luxor, fomos ao aeroporto embarcar para Cairo (passagem R$276,00 o casal).

 

Continuação em breve...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Colaboradores

Chegamos a Cairo 24/12 as 22h30m e até pegarmos as malas e se dirigir ao hotel já se passava das 23h00m. Como se trata da capital, taxis é que não faltavam desta vez. Aconselho taxis com taxímetro. Não tem conversa. O que indicar no aparelho é o que pagaram. Pegamos o Delta Pyramids Hotel. Hotel ao lado das pirâmides, ou seja, aproximadamente 30 km de distância. Tivemos propostas de até 200 liras em virtude do horário e a distância. Pegamos um taxi com taxímetro e a mesma corrida saiu por “54 LIRAS”. Como é de praxe, o motorista fez aquela choradeira e demos seis liras de gorjeta, ou seja, 60 liras para percorrer 30 km ou aproximadamente R$17,65 pela corrida. Devido à crise ou simplesmente pela pobreza daquele povo, andem sempre com bastante trocado. Não tivemos problemas, mas há depoimentos de pessoas que deram uma nota de 100 e o motorista simplesmente falava que não tinha troco e não devolvia o dinheiro para você trocar. Teve pessoas que pagaram com dólar e o motorista devolvia uma nota falsa. Tem de todo tipo de dor de cabeça, portanto ao descer do avião pare na primeira casa de moedas e troque por liras bem trocadas. No dia seguinte ao sair do hotel procuramos um taxi para nos servir o dia inteiro como foi em Luxor. Tinha um na frente do hotel e negociamos o dia inteiro de passeio, passando pelos principais pontos turísticos e nos deixando no aeroporto por 320 liras. O primeiro passeio foi nas pirâmides. A dor de cabeça já começou na entrada. Como havia muitas pessoas para entrar e uma fila para comprar os ingressos, dei o dinheiro a minha esposa e ela foi comprar as entradas. Para duas pessoas com direito a entrada nas pirâmides, e entrada era de 380 liras. Dei 400 liras bem trocado para minha esposa e ela retornou me dizendo que estava faltando 100 liras. Eu lhe disse que tinha certeza de que estava certo o valor de 400 liras que havia lhe dado e o pilantra da bilheteria não conhecia minha esposa... Ela foi conversar com os policiais que estavam perto da bilheteria e nada adiantou. Eles nem se mexeram. Logo depois foi tirar satisfação com o pilantra e na maior calma lhe deu os bilhetes e 50 liras de troco ao invés de 20 liras com aquela cara pensativa: “desta vez não deu, mas o próximo eu pego”. Minha esposa saiu falando alto para que todos prestassem bastante atenção ao fazer o pagamento para que ninguém fosse prejudicado. Por favor, todos prestem atenção em todos os lugares de Cairo e não somente nas pirâmides. Dentro do parque a dor de cabeça é eterna. Muitas pessoas te enchendo o saco para vender algo, policiais te puxando para indicar um ótimo local para tirar foto e lógico pedir um dinheiro pela informação, crianças pedindo esmolas, etc. É que eu estava com uma vontade enorme de conhecer as pirâmides. Esta enorme vontade é que ma manteve a paciência. Para se ter noção, não indico aos meus pais este tipo de passeio. É possível que pessoas com mais idade entrem em colapso nervoso. Pois bem, após pirâmides e esfinge conhecemos outros lugares indicados pelo taxista. Nosso passeio por Cairo se resume a estes pontos:

- Pirâmides de Gizé. Situadas a uns 20 quilômetros ao sudoeste da capital. A Grande Pirâmide de Quéops é considerada como uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo e a única que permanece ainda em pé. Sua missão foi acolher o sarcófago do faraó Quéops e se crê que para sua construção se usaram cerca de 2,5 milhões de blocos de pedra calcária. Sua altura original era de 146,60 metros, mas atualmente é de 137,16 m, pois falta parte do seu topo e o revestimento. Do jeito que anda Cairo, quem tem enorme vontade de conhecer, assim como eu, é melhor visitarem logo pois não vai sobrar muita coisa com o tempo... Outras aleijadas são outras pirâmides de outros reinos. Encontram-se também mais as duas grandes pirâmides. A de Quéfren (segunda maior) e Miquerinos (esta pirâmide é menor que a de Quéops e Quéfren. Contudo, foi revestida, até um terço da sua altura, com um material mais nobre, o granito de Assuão). Junto as pirâmides está a esfinge de Gizé, localiza-se junto do templo do Vale; possui cabeça humana (do Rei Kefren) e corpo de leão. Tem 70 metros de comprimento e 20 metros de altura. No interior deste monumento parecem estar guardados mistérios e segredos não revelados até aos nossos dias.

- A Mesquita de Ahmad Ibn Tulun é a mesquita mais antiga da cidade, construída em 879, e a que se encontra em melhor estado de conservação. Ordenada construir pelo general Ahmed ibn Tulun, a mesquita se converteu em um referente do Oriente e em uma das mais importantes desse momento. Ocupa 2,4 hectares e a única parte que tem sido sensivelmente restaurada é o mihrab, mas mantendo elementos originais como o arco, os suportes e a configuração em geral.

- A Mesquita - Madraza do Sultão Hasán, uma das maiores do mundo graças a seus 7.900 m² de extensão. É um dos edifícios de origem mameluco mais importantes de toda a cidade e foi construído entre 1356 e 1363.

- O Bairro de Khan el Khalili, fundado há mais de 1.000 anos. São milhares de lojas onde você pode adquirir produtos em ouro, prata, madeira, marfim, cobre, e latão. Souvenirs de todas as modalidades e de todas as épocas do Egito, também são encontrados aqui.

Após este dia caótico embarcamos em direção a Amman a R$506,00 o casal.

 

Continuação em breve...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Boa tarde Fred!

 

Quando tiver tempo não pense duas vezes. Esta trip já é a segunda que faço com minha esposa. A primeira vai encontrar no seguinte link:

 

amsterda-roma-napoles-pompeia-pisa-florenca-verona-veneza-milao-luzern-dijon-paris-12dias-t67759.html

 

Esta demorando eu lançar esta última viagem, pois tenho que pesquisar os custos ao máximo para as pessoas terem a noção de como de certa forma sai "barato". Digo isso, pois se for fazer uma viagem igual a estas que fizemos por uma agência turística, vai lhe custar no mínimo três vezes mais e conhecer muito menos.

 

Qualquer dúvida estamos aí!

 

Abraços,

 

Lucas

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...