Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Dani B

Cobras - Como Evitar?

Posts Recomendados

Uma bota de couro ou de borracha. Até uma polaina serve. Evitar dias quentes, em horários depois do meio dia.

 

Tu não mantém as cobras longe, tu tem que saber evitar elas, o invasor é tu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera, e como vocês procedem em caso de acidentes com cobra durante a trilha? Normalmente se está longe de centros médicos etc.

 

Se a cobra for peçonhenta bau bau?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha voçe vai viajar em 30 dias e pensa , nossa aquele lugar é cheio de cobras oO,ai vem á idéia (Não vou tomar banho por 30 dias),e levar um coler de olha para cobras morcegos!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Pessoal!

 

 

Nesta época do ano (maior atividade dos ofídios), não custa relembrar:

 

Características morfológicas para diferenciação entre cobras venenosas e não venenosas

 

CARACTERÍSTICA DAS COBRAS VENENOSAS

 

:: Cabeça de formato triangular

:: Olhos pequenos, com pupilas verticais (similar às dos gatos)

:: Possui fosseta loreal (pequenos orifícios próximo das narinas) *** Exceção da Coral "verdadeira" (micrurus), que não tem a fosseta

:: Escamas pequenas, formas irregulares

:: Cauda curta, que se afina rapidamente (na cobra cascavel há a existência do guizo, que emite ruído característico)

:: Possui 2 presas bem maiores que os demais dentes (para inocular o veneno)

:: Sua picada apresenta na pele sinais de um ou dois orifícios bem definidos e mais profundos

 

 

COBRA NÃO VENENOSA

 

:: Cabeça de formato arredondado

:: Olhos grandes, pupilas redondas

:: Não apresenta fosseta loreal *** Exceção da Coral "verdadeira" (micrurus), que não tem a fosseta e é venenosa

:: Escamas em placa, desenhos simétricos

:: Cauda longa, que se afina gradativamente

:: Possui dentes pequenos e iguais distribuídos pela boca

:: Sua picada apresenta na pele marcas pequenas, quase iguais, de pouca profundidade

 

 

Lembro ainda que muitas vezes, mesmo uma picada de cobra venenosa não consegue inocular veneno para uma intoxicação, seja porque a vítima usava alguma vestimenta ou calçado que impediu a penetração das presas ou pela própria característica da forma como se deu a picada. É necessário verificar a ferida e ver se ficaram sinais profundos de presas (uma característica disso, além das marcas na pele é a própria dor, geralmente intensa, no local atingido).

 

 

CONDUTA RECOMENDADA EM CASO DE ACIDENTE COM OFÍDIOS

 

Segundo os protocolos de atendimento padronizados pelo Ministério da Saúde:

 

:: Administrar soro antiofídico é a prioridade. Deve-se encaminhar a vítima para hospital de referência ou unidade de pronto atendimento o mais rápido possível.

:: Manter a vítima deitada e em repouso

:: Imobilizar a extremidade picada mantendo-a abaixo do nível do coração.

:: Limpar o local da picada

:: Afrouxar a roupa, remover anéis e braceletes que podem interromper a circulação da extremidade após desenvolvimento de edema

:: Hidratar a vítima com água

:: Levar a serpente caso ela tenha sido morta, para identificação. Não assumir riscos desnecessários para efetuar este procedimento

:: Estar atento para o desenvolvimento de choque ou parada respiratória, secundária ao efeito do veneno

:: Proibir a execução de procedimentos como aplicação de torniquete, gelo e incisão da ferida para sugar o veneno (*).

:: Aplicar o soro quando disponível, sempre por via IV (intra venosa). Nunca aplicar soro SC (via sub cutânea) ou no local da picada. A dose de 1 U de soro neutraliza 1 mg de veneno e independe do peso do paciente. O soro anti ofídico polivalente não é eficaz em acidentes por corais, que exige o soro específico (anti elapídico).

 

(*) Um procedimento que NÃO É ABALIZADO pelo Ministério da Saúde e pela maioria dos centros médicos e unidades de socorro mas que era muito utilizado e apresentava alguma eficiência é, logo após a picada, puncionar em volta da picada com uma agulha esterilizada (uns 15 a 20 furos) e chupar o sangue que saisse, cuspindo-o em seguida (não se deve fazer isso se tiver cárie ou ferida na boca).

 

 

O QUE NÃO FAZER

 

:: Torniquete ou garrote

:: Abrir a ferida

:: Colocar folhas, pó de café ou qualquer substância que possa contaminar a ferida

:: Oferecer bebidas alcoólicas, querosene ou qualquer outro líquido tóxico

 

 

Sugiro visitar o link http://www.butantan.gov.br/home/acidente_com_animais_peconhentos.php

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

MUITO BOM!!!!

 

Olá Pessoal!

 

 

Nesta época do ano (maior atividade dos ofídios), não custa relembrar:

 

Características morfológicas para diferenciação entre cobras venenosas e não venenosas

 

CARACTERÍSTICA DAS COBRAS VENENOSAS

 

:: Cabeça de formato triangular

:: Olhos pequenos, com pupilas verticais (similar às dos gatos)

:: Possui fosseta loreal (pequenos orifícios próximo das narinas) *** Exceção da Coral "verdadeira" (micrurus), que não tem a fosseta

:: Escamas pequenas, formas irregulares

:: Cauda curta, que se afina rapidamente (na cobra cascavel há a existência do guizo, que emite ruído característico)

:: Possui 2 presas bem maiores que os demais dentes (para inocular o veneno)

:: Sua picada apresenta na pele sinais de um ou dois orifícios bem definidos e mais profundos

 

 

COBRA NÃO VENENOSA

 

:: Cabeça de formato arredondado

:: Olhos grandes, pupilas redondas

:: Não apresenta fosseta loreal *** Exceção da Coral "verdadeira" (micrurus), que não tem a fosseta e é venenosa

:: Escamas em placa, desenhos simétricos

:: Cauda longa, que se afina gradativamente

:: Possui dentes pequenos e iguais distribuídos pela boca

:: Sua picada apresenta na pele marcas pequenas, quase iguais, de pouca profundidade

 

 

Lembro ainda que muitas vezes, mesmo uma picada de cobra venenosa não consegue inocular veneno para uma intoxicação, seja porque a vítima usava alguma vestimenta ou calçado que impediu a penetração das presas ou pela própria característica da forma como se deu a picada. É necessário verificar a ferida e ver se ficaram sinais profundos de presas (uma característica disso, além das marcas na pele é a própria dor, geralmente intensa, no local atingido).

 

 

CONDUTA RECOMENDADA EM CASO DE ACIDENTE COM OFÍDIOS

 

Segundo os protocolos de atendimento padronizados pelo Ministério da Saúde:

 

:: Administrar soro antiofídico é a prioridade. Deve-se encaminhar a vítima para hospital de referência ou unidade de pronto atendimento o mais rápido possível.

:: Manter a vítima deitada e em repouso

:: Imobilizar a extremidade picada mantendo-a abaixo do nível do coração.

:: Limpar o local da picada

:: Afrouxar a roupa, remover anéis e braceletes que podem interromper a circulação da extremidade após desenvolvimento de edema

:: Hidratar a vítima com água

:: Levar a serpente caso ela tenha sido morta, para identificação. Não assumir riscos desnecessários para efetuar este procedimento

:: Estar atento para o desenvolvimento de choque ou parada respiratória, secundária ao efeito do veneno

:: Proibir a execução de procedimentos como aplicação de torniquete, gelo e incisão da ferida para sugar o veneno (*).

:: Aplicar o soro quando disponível, sempre por via IV (intra venosa). Nunca aplicar soro SC (via sub cutânea) ou no local da picada. A dose de 1 U de soro neutraliza 1 mg de veneno e independe do peso do paciente. O soro anti ofídico polivalente não é eficaz em acidentes por corais, que exige o soro específico (anti elapídico).

 

(*) Um procedimento que NÃO É ABALIZADO pelo Ministério da Saúde e pela maioria dos centros médicos e unidades de socorro mas que era muito utilizado e apresentava alguma eficiência é, logo após a picada, puncionar em volta da picada com uma agulha esterilizada (uns 15 a 20 furos) e chupar o sangue que saisse, cuspindo-o em seguida (não se deve fazer isso se tiver cárie ou ferida na boca).

 

 

O QUE NÃO FAZER

 

:: Torniquete ou garrote

:: Abrir a ferida

:: Colocar folhas, pó de café ou qualquer substância que possa contaminar a ferida

:: Oferecer bebidas alcoólicas, querosene ou qualquer outro líquido tóxico

 

 

Sugiro visitar o link http://www.butantan.gov.br/home/acidente_com_animais_peconhentos.php

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá Pessoal!

 

 

Nesta época do ano (maior atividade dos ofídios), não custa relembrar:

 

Características morfológicas para diferenciação entre cobras venenosas e não venenosas

 

CARACTERÍSTICA DAS COBRAS VENENOSAS

 

:: Cabeça de formato triangular

:: Olhos pequenos, com pupilas verticais (similar às dos gatos)

...

 

COBRA NÃO VENENOSA

 

:: Cabeça de formato arredondado

:: Olhos grandes, pupilas redondas

Sugiro visitar o link http://www.butantan.gov.br/home/acidente_com_animais_peconhentos.php

 

Abraços!

 

Se não possuir treinamento específico para identificação de ofídios, evite o contato ou aproximação dos mesmo, na maioria das vezes os "acidentes" acontecem porquê alguém quis "aparecer", demonstrando sua perícia e coragem.

 

Saudações,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá pessoal!

 

 

E lembro ainda que a "cabeça em formato triangular", no caso dos ofídios brasileiros (digo existentes em território nacional) não corresponde bem ao que se pode chamar de regra, pois existem várias exceções, como a cobra-papagaio (também conhecida como ararambóia - Corallus caninus)...

 

Saudações,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Costumo andar pela mata atlantica e já encontrei várias espécies de cobras, vou passar a minha experiência:

 

Jararaca - a maioria que eu avistei estavam enroladas tanto no chão como num emaranhado de cipós um pouco acima do solo,

então cuidado onde por a mão e onde sentar, não se importaram com a minha presença, não vibraram a cauda como a próxima.

Jararacussu - cobra de porte grande, preta e amarela, linda, essa não estava enrolada e batia a cauda nas folhas das bromélias avisando a sua presença,

um mateiro que estava comigo ficou muito tempo sem entrar no mato por causa desse encontro, até hoje ele afirma que era uma pico de jaca (surucucu).

Coral - essa eu vi quando o pessoal estava colhendo batata doce, estava no meio das palhas.

 

Sugestão de prevenção: Eu uso bota de couro e uma polaina feita de couro até o joelho e o "basset" uma mistura de raças, treinado para caça, que o dono

me empresta sempre que eu entro nas matas próximo a casa de um mateiro meu amigo, quando o "basset" acha algum animal ele fica latindo, avisando que encontrou algo, mas quando ele acha as jararacas perto da trilha, ele fica andando em volta delas só rosnando.

 

Em caso de algum acidente com cobras, levar num posto de saúde que tenha o soro o mais rápido possível, eu procuro saber com antecedência onde fica o posto de saúde

na localidade onde vou explorar, que tenha o soro antes de qualquer expedição. relação dos postos http://www.ivb.rj.gov.br/polos/rio_janeiro.pdf

 

Agora alho e outras simpatias pode esquecer, espero ter ajudado.

Abs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

se estiver andandor por regiao com capim meio alto, andar "chutanto" o capim para fazer barulho, isso ajuda à afasta - las.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Infelizmente (ou felizmente, pra mim) nenhuma simpatia, mandinga ou patuá resolve.

Alho, azeite ou vinagre...

O único modo de manter uma certa segurança é com equipamento: um par de perneiras de couro (de raspa não segura).

A maioria das peçonhentas consegue atravessar calças jeans no bote (até galochas de borracha fina), então olhar o caminho é o principal. E não só onde pisa, mas dentro da área de alcance do bote, às margens da trilha; que dependendo do tamanho e da espécie, pode chegar a mais de um metro.

Em acampamentos, sempre bater os calçados antes de colocar. E evitar largar a mochila no chão ou sentar sem antes dar uma boa conferida em volta.

 

Pra acalmar um pouco seus corações, existe sim um repelente para serpentes, mas é estático. É um equipamento (importado e caro) que vc crava no chão e emite vibrações em alta frequência, mas o alcance é pequeno. Elas ficam desorientadas e tendem a evitar a área em volta dele. No mais, não há o que fazer.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...