Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Membros
O que houve com meu post ? Escrevi um post imenso, mas acho que deve ter dado algum problema na hora de enviar. Enfim, resumindo: eu e minha noiva compramos um netbook, uma filmadora, um gps (botamos para usar), um mp3 (idem) e só de eletronicos. No duty ainda compramos umas poucas garrafas de uísque para o casamento. Na ponte da amizade a fila dava voltas e mais voltas para quem quisesse declarar e nao havia uma viva alma, ao menos pelo que pude ver, com apenas uma mochilinha. Era tudo gente abarrotada de compras sem mal conseguir carregar. Uma vergonha, se eu ficasse na fila só teria saído de lá na madrugada. O objetivo do II, quem estuda direito tributário sabe - é intervenção na economia. Se você compra pouco e pra consumo próprio, você não é público alvo. É o contrabandista que é. Mas essa é a teoria, é claro. Cada um interpreta do jeito que convém (mesmo que convenha ao humor do fiscal).

 

Quanto ao onibus, todos passam pela aduana da argentina e paraguai. A diferença é que o do crucero del norte te deixa lá dentro de CDE, não precisa pegar outro em Foz, ao passo que o outro te deixa em Foz e você tem que ir andando dali (+- 1,5 km acho).

 

O netbook eu levei na mochila e o resto eu despachei. Tudo passa pelo raio-x, mas passamos tranquilamente.

 

Minha experiência foi essa, cada um faça do jeito que preferir.

 

 

Cara,vc deu sorte.Não que seja incomum,mas de passar direto!!!!

 

Eu declaro ao menos o que no meu julgamento vai dar incomodação pq uma vez fui ameaçado de ter o carro lacrado em Campo Mourão pelo fato de ter um kit de lentes e 2 HD nao relacionados na DBA e estava no fundo de uma mochila cargueiro,ou seja,por uma "mixaria".

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 730
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Colaboradores
Certo , o que tem minha mercadoria ser aberta, se eu estiver no Brasil, não posso enviar algo para outro estado, é proibido ?

 

Tiagope,

Um conselho voce está querendo arrumar uma maneira segura de trazer mercadorias nao declaradas, MAS nao existe maneira segura de trazer mercadorias não declaradas sem o risco dela ser apreendida. Se existisse os sacoleiros estariam fazendo! Os contrabandistas nao usam rotas obvias ou correio para contrabandear. Eles atravessam o rio Parana por pequenas embarcações, circula por dentro de mata e estradas nao asfaltadas e etc.

 

Essa regiao é a principal rota de entrada de material Contrabandeado no Brasil, eles ficam de olho no Correios, nos aeroportos e estradas. A receita e policia federal fecham o cerco na regiao de maneiras que nem imaginamos. Obviamente que muita coisa passa. Pois a quantidade de sacoleiros e pessoas circulando é imensa. MAS a quantidade de apreenssões é imensa também. Muitos se iludem achando que a fiscalizacao se restringe a aduana, mas vai muito além. Acham que nao existe fiscalizacao por que nao foram parados na Aduana.

 

Se voce quiser trazer muita coisa , voce traz e arriscar ser pego! Pode ser que nao te parem pode ser que te parem e apreendam tudo. O que posso te dizer é, poucos mochileiros tem mercadorias apreendidas, por motivo simples a PF e RF nao querem pegar turistas com pequenas compras, nao vale a pena financeiramente ter uma logistica para isso.

 

Se for poucas coisas é pequena a chance de pararem voce, mas se for querer renovar os eletro-eletronicos de casa ou comprar em grande quantidade para revenda a chance de se pego é bem maior

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Nome sem Uso

 

Concordo com voce quando diz que ele nao ~eo objetivo principal o turista, mas o contrbandista. Eu comprei mais de US 300, mas acima da cota foi o relogio que coloquei no pulso, memorias SD e pilhas recarregaveis que abri e coloquei no Bolsa da minha camera. Vc comprou varios eletronicos, mas essas comprar todas devem ter dado uns US 800-1000, e voces eram em duas pessoas. ou seja nada muito além da cota.

 

Tiagope

 

Quase todo mundo extrapola a cota, compra acima do US 300, mas pouca coisa alem disso. O que estamos tentando dizer é que se voce extrapolar muito a chance de ser pego é bem maior. conheco gente que trouxe uns US 2000 de compras de lá, e passou direto. Mas a chance dele ser parado foi bem maior que alguém que traga US 500. O que chama a atenção da PF é a quantidade de produtos.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Walter,

 

Pode ser, mas eu antes conversei com muita gente que passou por isso. Como disse, não vi ninguém com pouca coisa na fila. Sim, assumi um risco, embora em nenhuma legislação eu tenha lido que tomam mercadoria de quem não passou da cota.

 

Eu sinceramente gostaria de ter descido e declarado, resolvido logo tudo, mas quando vi a fila não pensei duas vezes, ainda mais quando ouvi o fiscal no ônibus sem mandar ninguém com pouca coisa descer. Eu simplesmente perderia o resto da minha viagem só nisso. Eu só não filmei ou tirei foto porque seria avacalhação, mas dá vontade mesmo é de filmar e mostrar bem a bagunça que é aquilo lá. Fiquei sinceramente revoltado com o descaso que tratam até quem quer fazer tudo de acordo com o que está previsto. Acho que nunca vi nada tão bagunçado em toda a minha vida, nem a fila do SUS era páreo.

 

Deco-luis andre,

 

Pois é, é porque o volume foi pequeno. Eu achei que o custo x benefício de lá não está tão bom quanto dizem. Aqui no Rio você acha praticamente tudo por preço semelhante, tirando perfumes, notebook e filmadora. Câmera digital, videogames, componentes de pc, tudo você acha por preço próximo, com garantia e boa procedência no Boadica. Essa viagem eu fiz mais a turismo (peguei uma promo ótima, passagem bem baratinha), achei que conhecer as Cataratas dos dois lados já valeu a pena.

 

Sobre mover o tópico, acho que é praticamente impossível falar de Puerto e não falar de CDE, e vice-versa. Acho meio inevitável misturar os assuntos, de todas as cidades no mundo, CDE-Puerto-Foz talvez sejam as mais conectadas.

 

PS: uma coisa importante que esqueci de dizer. Quando você desce, é CERTO de que irá pagar imposto sobre tudo que exceder. Pois você necessariamente será revistado, ao menos foi o que me disseram. Então vá preparado.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores
kkkk, não, não vou comprar drogas, é pq queria ir do Paraguai para Argentina, e assim voltar para o Brasil ... entendeu ? Por isso a pergunta da cota, pq qualquer eletrônico passa da faixa. Lilili e não descobri nenhum jeito de trazer mais de $300 :(::Ksimno::

 

Tiago, a regiao das 3 fronteiras é super de boa quanto a isso, eles nao fiscalizam mesmo pq boa parte do dinheiro que move a regiao está no comercio livre de mercadorias.

Só tenha cuidado se for atravessar outra fronteira, tipo Assunção-Clorinda ou Encarnacion-Posadas. Aí sim é mais rigoroso, as malas passam por r-x, e podem implicar se virem muita coisa junta. Nesse caso, é melhor ou deixar em algum guarda-malas no Brasil (rodoviarias/aeroportos), ou despachar pra casa.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Silnei changed the title to Cidade del Este

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Felipao86
      Olá pessoal,
      Dando seguimento aos relatos de viagens que tenho feito desde 2013, vou relatar os 5 dias que passamos em Foz do Iguaçu, de 03 a 08 de fevereiro de 2015.
       
      Como já tem um tempo que fomos, não lembro de todos os detalhes, mas caso tenham alguma dúvida posso tentar olhar em anotações antigas.
      Meus relatos também são mais sucintos, fiquem a vontade para perguntar qualquer coisa.
      Voamos pela Gol com escala de 10 horas em Curitiba, tempo suficiente para uma esticada até o maravilhoso Jardim Botânico, arredores e também o Mercado Municipal, que fica ao lado da Rodoviária.
      Curitiba é muito linda, arborizada e fácil de locomover. No aeroporto você pega um mapinha da cidade. De lá tem um ônibus executivo (R$12,00) que te leva até a rodoviária dura em torno de 40 min o trajeto e de lá pegamos um taxi até o Jardim Botânico.
      Andamos bastante, tiramos muitas fotos admirando aquele lugar fantástico. Imagino que os jardins na Europa sejam nesse nível para cima!
       

       
      Ao final da tarde voltamos ao aeroporto e pegamos o vôo para Foz. Foi o pior vôo da minha vida, turbulência grave, muitos trancos, estava um tempo muito fechado e com muita chuva. O comandante avisou que talvez teríamos que ir para Maringá mas no final deu tudo certo. Foi a primeira vez que senti medo dentro de um avião (até hoje ainda não voltei 100% ao normal, rs).
      Lá no Aeroporto de Foz tem um ônibus coletivo que leva até o terminal da cidade (não lembro agora os nomes, mas é super tranquilo). Descemos perto do hotel e termimanos de chegar de taxi (agora que não deu nem 10,00).
      Ficamos hospedados no Hotel Blue Star II (reservas pelo booking): é um hotel bem simples, mas tem ar condicionado, bom chuveiro e frigobar. Café da manhã honesto. Pagamos 80,00 reais a diária. Ele fica próximo a um shopping onde fizemos muitas refeições (ruins né, comida de shopping).
       
      Dia 1: Cataratas do Iguaçu (lado brasileiro) e Parque das Aves
      Após o café da manhã, pegamos o ônibus perto do hotel até o terminal e de lá o ônibus que vai até o parque das Cataratas (é o mesmo que vai até o aeroporto);
      No terminal de ônibus tem um quiosque de informações turísticas.
      Ingressos para o parque comprados (24,00 por pessoa para brasileiros) vc pega um ônibus panorâmico e vai até a entrada da trilha. O restante do caminho é feito a pé e em vários pontos há mirantes para apreciar a beleza das cataratas.
      Realmente é algo indescritível, a beleza das quedas d´água, o vapor e o barulho da água é muito relaxante. Uma sensação de contato com a natureza muito intensa e tranquilizante.
      Durante toda a manhã fomos apreciando as cascatas e tirando muitas fotos.

       
      Nos divertimos com os quatis tentando roubar frutas da bolsa de uma francesa e os monitores do parque dando orientações.
      Aliás, a infraestrutura do parque brasileiro é fantástica, tudo muito limpo, organizado e bem sinalizado.
      No meio do caminho tem uma trilha para o Macuco Safari, que é um passeio de barco pelo rio com visita a quedas d´agua. Na época acho que custava 140 reais por pessoa. Não fizemos porque sabíamos que no lado argentino tem o mesmo passeio (mais completo na verdade, pois tem mais cascatas que a lancha te leva) pela metade do preço.
      O gran finale do passeio é chegar até a garganta do diabo por baixo, através daquele mirante. É impossível não se molhar todo, mas é muito gratificante.
      E vale a clássica foto do pica pau, rs
       

      Lanchamos na praça de alimentação (combo sanduba com fritas e refri, 25 reais cada);
      À tarde fomos ao parque das aves, é só atravessar a rua do outro lado do parque e já está na entrada.
      A entrada custa 24 reais por pessoa.
      Eu achei que ia curtir o parque porque vi por outros relatos, mas eu gostei demais! Demais mesmo! É cada pássaro mais lindo que o outro, é incrível ver como a natureza é diversificada.
      E outra coisa, o parque é imenso! Gastamos mais tempo nele do que no parque das Cataratas.
      A parte mais legal é quando você entra num viveiro de araras e elas ficam voando acima de você fazendo um barulho ensurdecedor.
      Uma pena que a bateria da minha câmera e do celular acabaram logo no início do passeio, não deu para tirar muitas fotos.


       
      Ao final do dia voltamos para o hotel e à noite comemos um japa (bem ruim) no shopping que fica perto.
       
      Dia 2 – Cataratas (lado argentino)
      Primeira coisa: se você quer conhecer bem as Cataratas a visita ao parque do lado argentino é indispensável. Primeiro porque o parque é muito maior, segundo porque você tem uma vista diferente (no lado brasileiro você vê bem as cascatas, do lado argentino você fica em cima delas) e porque a visão da garganta do diabo é incrível.
      Tínhamos lido como ir de ônibus até o parque, mas seria demorado e custoso. Ficamos sabendo de um hostel que fazia um transfer ida de volta por cerca d 30,00 reais e lá fomos nós!
      Por esse preço não esperava nenhum luxo, mas fomos numa van toda vandalizada (rs). O carro quase desmontou no meio do caminho. Fomos eu e minha esposa e um casal de franceses só.
      Demoramos demais na imigração argentina porque os funcionários estavam de greve no dia. Uma hora depois seguimos viagem.
      O parque argentino é mais rústico, sua infraestrutura é mais simples, porém nós gostamos muito mais do que o lado brasileiro. Você também tem maior contato com a fauna local. É bem maior e com 3 circuitos: inferios, superior e Garganta do Diabo.
       


       
      Fomos por todos eles, começando pelo Circuito Inferior. A todo momento você se vê acima das cascatas, a sensação de vertigem aumenta muito e vamos saboreando cada um desses momentos incríveis.
      Existem placas informativas (em espanhol e inglês) com a flora e fauna características.
      Prepare-se, é um dia inteiro de caminhada! Muitas, mas muitas trilhas de caminhada!
      Na hora do almoço fizemos o passeio com a Aventura Nautica, similar ao Macuco Safari, porém muito mais barato. Show de bola, você vai até debaixo de uma das cataratas, a sensação de refrescância naquele calor que fazia foi tudibom!
       


       
      O mais legal fica no final, que é a garganta do diabo. Você pega um trenzinho interno e depois tem que andar bastante até chegar na boca da garganta. A sensação é indescritível, parece que ela está nos sugando para baixo. Muita gente fica tonta no local.
      Ao final do passeio ainda passamos por um museu que conta a história da criação do parque e da colonização da região como um todo.
       

       
      Esse dia foi muito cansativo, fomos direto para o hotel dormir, exaustos!
       
      Dia 3 – Itaipu: A pedra que canta!
       
      Tinha grandes expectativas desse dia. Me lembro de ter estudado itaipu quando nas aulas de geografia do ensino médio e queria muito conhecer a estrutura do lugar. Gente, não tem cabimento aquilo, é uma obra gigantesca, própria mesmo de obras do regime militar. A imensidão de concreto a sua frente é difícil até de calcular.
      E o legal de itaipu é que o turismo lá deixou de ser simplesmente uma visita panorâmica à usina. O lugar virou um verdadeiro complexo de atrações.
      Nós fizemos 3 passeios durante o dia: circuito especial (é a visita mais completa na hidrelétrica, te leva até o centro de comando – 61,00), o polo astronômico (tem um planetário, mas achei bem fraquinho – 17,00) e o Ecomuseu (tem um museu contanto um ponto da construção da hidrelétrica e o impacto ambiental causado – 10,00). O site é bem organizado, dá pra comprar direitinho com os horários (http://www.turismoitaipu.com.br)
       


       
      O dia passa muito rápido nesse lugar. Realmente incrível.
       
      À noite fomos comer na churrascaria do Gaúcho (http://www.churrascariadogaucho.com.br), tinha um rodízio de carnes razoável mas com um bom preço (acho que era 25,00 reais por pessoa).
       
      Dia 4 – Ciudad Del Este e Puerto Iguazu
      O dia internacional da viagem. Decidimos ir a Ciudad Del Este ver o que era de tão barato lá. Na época que fomos estava acontecendo uma reforma na Ponte da Amizade de modo que era mais rápido atravessar andando do que de moto ou carro.
      No meio do caminho da ponte fui parando para tirar umas fotos e distraído meu celular caiu no chão. Por muito pouco ele caía no rio. A vantagem é que já estava mesmo indo ao Paraguai, mais fácil de comprar outro, rs.
      É realmente um local totalmente voltado par compras. Mil lojas e shoppings, vendedores ambulantes na rua e que não lhe deixam em paz nenhum minuto. Detestei. Tive a mesma sensação quando passei na Calle Florida em Buenos Aires. Só tinha um pouco de sossego quando entrava em algum shopping.
      Mas de fato é tudo bem mais em conta. Minha esposa comprou um celular pela metade do preço e perfumes com uns 40% de desconto. Ainda conseguimos pechinchar um massageador de “brinde”.
      À volta para o Brasil é aquela tensão, mesmo sabendo que não tínhamos extrapolado o limite de compras (acho que é 300 dólares), os fiscais da receita ficam de olho em qualquer um suspeito. A fiscal parou um cara bem na minha frente que parecia ter acabado de comprar um notebook.
      (Um detalhe que muita gente esquece: a fiscalização no retorno ao Brasil pela ponte é aleatória, porém no aeroporto de Foz é obrigatória para TODOS. Antes do check-in tem um Raio-X da receita e todos devem passar por ele. SE não me engano lá eles apreendem mesmo mercadorias suspeitas. Fiquem atentos).
       

       
      Voltamos ao hotel para descansar um pouco pois à noite iríamos conhecer Puerto Iguazu, cidade argentina fronteiriça.
      Fomos e voltamos com uma van combinada com o cara do hostel (o mesmo que arrumou nosso transporte para o parque das cataratas do lado argentino).
      Lá em Puerto Iguazu o lance é visitar as lojinhas de temperos, vinhos e alfajors e comer em alguns daqueles restaurantes. Ficamos em um e pedimos uma porção de bife de chorizo, que não estava muito boa e fez minha esposa passar mal à noite.
      No entanto, compramos um azeite delicioso que até hoje usamos em casa. Muito bom mesmo!
       
      (Vou ficar devendo fotos de Puerto Iguazu, esquecemos a câmera no hotel!).
       
      Voltamos ao hotel já de madrugada. No dia seguinte pela pegamos o vôo de volta para casa (e vimos muita gente tomando multa na fiscalização da Receita antes do Check-in).
       
      Resumão: um lugar incrível, que até hoje tenho vontade de voltar pelas belezas naturais. Realmente as cataratas são uma das maravilhas do mundo. Itaipu também foi bem surpreendente.
      Não voltaria a Puerto Iguazu nem Ciudad del Este.
      Faltou visitar o templo Budista, que dizem ser bem famoso, e o Marco das 3 Fronteiras.
      Obrigado pessoal. Qualquer dúvida estou a disposição.
    • Por Anderson Paz
      Para quem acha que o Paraguai é só para compras está muito enganado. Além de um povo extremamente simpático e de ser um país barato para se viajar, e Paraguai tem outros atrativos. Segue algumas dicas de locais interessantes para conhecer no país, a partir de uma viagem pelo país em fev/2011 com amigos.
       
      Ciudad del Este
      - A cidade, na parte mais próxima da fronteira, é uma grande feira de importados. Fazer compras em Ciudad del Este é muito estressante! Não dê atenção às pessoas que te abordam para te levar em lojas. Elas ficarão no seu pé e acharão ruim
      - De Ciudad del Este, é possível ir às atrações de Itaipu sem ter pagar nada, enquanto que o custo das atrações do lado brasileiro é meio carinho.
      - Saltos del Monday: a 4 km de Ciudad del Este e aproximadamente 20km da fronteira com o Brasil, encontram-se belas cataratas. É possível chegar por ônibus público.
       

       
      Reduções Jesuíticas
      - La Santísima Trinidad de Paraná: a 380 km (5 h) de Foz do Iguaçu está a mais completa das reduções jesuíticas; lindíssima! Tivemos sorte de ir em uma dia que havia visita guiada à noite, com um espetáculo de som e luz. Vale a pena! No dia seguinte ainda fizemos ainda a visita guiada diurna. Ambas as visitas foram muito bem guiadas pelos guias locais. Depois do passeio diurno, fomos com a guia ao local de onde tiravam rochas para serem usadas na construção da redução. Esse passeio porém é dispensável.
       


      - Jesús de Tavarangue: a apenas 12 km de Trinidad. Redução jesuítica também bastante imponente e interessante. Há um ônibus entre as duas localidades.

       
       
      Assunção
      - Em Assunção, conhecemos basicamente o centro histórico, que achei muito bonito, e a estação ferroviária abandonada.
      - Nos hospedamos em uma boa e econômica pensão familiar de uma senhora super atenciosa: Pension Da Silva (Eligio Ayala 843). Recomendo-a bastante.
       

       
      Conhecemos duas cidades nos arredores da Assunção: Areguá e San Bernadino.
       
      Areguá
      À 29 km de Assunção. Cidade bem agradável, com alguns prédios históricos. Sua maior atração é o Cerro Koi, que fica um pouquinho afastado do centro, que é um sítio com formações geológicas de pedra arenisca hexagonal, presente somente nesse local, no Canadá e na África do Sul.
       


      San Bernadino
      À 50 km de Assunção. Cidade balneário às margens do Lago de Yparacarai, charmosa e com algumas discotecas e diferentes opções de bares e restaurantes. É muito movimentada durante dezembro e janeiro, porém como fui em meados de fevereiro estava bem pacata e a maior parte dos estabelecimentos estava fechada.


       
       
    • Por amochila
      Fala Viajante,
      Quero compartilhar com vocês nossa Trip pelo Paraguay. Muitos viajantes acabam tirando esse país da sua trip por ter poucas informações de viagens e com o objetivo de contribuir aqui e quem sabe, inspirar você a conhecer esse país que é maravilhoso.
      Bom, nossa viagem começou por Foz do Iguaçu (PR) onde alugamos um carro na Localiza. Fizemos um plano que nos permitia sair do país com o carro. É um pouco mais caro, porém é mais vantajoso ir de carro do que ter que depender de ônibus no país, que ainda é meio precário. Como estávamos na fronteira do Brasil com o Paraguay, a nossa viagem pelo país começou por Ciudad del Este (CDE) mesmo.
      Em Ciudad del Este (CDE) tem muita coisa para conhecer além do setor de compras, aliás, se puder, fuja dessa parte da cidade e vá um pouco mais para dentro de CDE. Nossa primeira parada foi no Parque Saltos Monday. Como estávamos de carro, ficou mais fácil, mas dá para ir de táxi também (é bem tranquilo e barato). A entrada do Parque custou G$ 12.000 e lá dentro tem a opção de utilizar o elevador para ir a um ponto e visualizar a queda d'água lá debaixo. Vale super apena para fazer altas fotos e ter a percepção de uma pequena Cataratas só pra você. O custo do elevador foi de G$ 10.000 e pode ser pago diretamente na entrada do elevador. Ah, como estávamos de carro, tivemos que pagar o estacionamento que custou G$ 10.000.
      Se quiser saber mais detalhes sobre como é o Parque dos Saltos Monday, o que dá pra fazer nele, entre muitas outras coisas, lá no Blog da Mochila contamos mais detalhes.
      Em CDE tem um parque aberto no meio da cidade e que vale muito visitar para curtir um belo por do sol.
      De volta à estrada, dirigimos rumo à cidade de Caacupé. Essa cidade é conhecida pela Basílica de Caacupé onde milhares de fiéis paraguaios se dirigem no mês da Padroeira de Nossa Senhora de Caacupé e lotam a cidade. A cidade é pequena e não tem muita coisa para se fazer, mas vale para conhecer a Basília que traz um pouco da história do povo Guarani A Basílica é bem grande, cheia de adornos e vitrais de tirar o fôlego. Foi sem dúvida um dos momentos mais ricos e significativos da nossa viagem. Para os viajantes religiosos, a Basílica proporciona momentos de renovação da fé, mas não se preocupe se você não é nem um pouco religioso, a Basílica tem um lugar muito legal para você conhecer. Além de muitos espaços legais para apreciar um pouco da cultura religiosa do povo guarani, no alto da Basílica tem um Mirador que guarda uma grande relíquia do povo desse país.
      Do momento em que você inicia a subida até a Cúpula da Basílica, é possível se deparar com pinturas feitas nas paredes e que contam um pouco da história do povo guarani. São imagens bem bonitas e ao mesmo tempo, provoca no viajante uma reflexão do quanto o povo guarani sofreu com o processo de colonização e catequização jesuítica. Nas paredes, a história de um povo, de uma cultura única na América Latina. É simplesmente mágico! Para subir na Cúpula da Basília pagamos uma pequena contribuição de G$ 2.000 guaranis.
      Se quiser saber mais detalhes sobre como visitar a Basílica de Caacupé, acesse nosso Blog e aproveite nossas dicas desse lugar fantástico.
      Como nosso objetivo era chegar o mais rápido possível em Asunción, partimos de Caacupé rumo à Tobati que é uma cidadezinha bem ao lado.
      Mas sobre o resto da viagem fica para um próximo Post...
    • Por xmday
      Olá amigos
      Nesse curto post, vou resumir a dica de como fazer a visita à usina de Itaipu pelo lado paraguaio a custo zero, já que eles não cobram absolutamente nada.
      Eu já fiz a visita à Itaipu do lado brasileiro em 2012 (na época 20 e poucos reais) e em 2019 retornei à Foz do Iguaçu. Me assustei com o aumento do preço (42 reais) e resolvi pesquisar como ir na Itaipu paraguaia, já que ia passar um dia em Ciudad del Este.
      É muito fácil ir à Itaipu paraguaia, mas antes pesquise os horários das visitas no site:
      https://cti.itaipu.gov.py/es/node/20
      1. pegue o ônibus internacional que faz Foz do Iguaçu x Ciudad del Este. Desça próximo do ponto final e vá ao micro terminal de ônibus urbano de Ciudad del Este
      O terminal é pequeno e há muitos ambulantes dentro vendendo de tudo, rs.
      https://www.google.com/maps/place/Terminal+Bus+Urbano/@-25.5101438,-54.6162558,16z/data=!4m8!1m2!2m1!1sterminal+ciudad+del+este!3m4!1s0x0:0xd2de0bcc4d38d8f4!8m2!3d-25.5101438!4d-54.6162558
       
      2. pegue um ônibus para Hernandarias. O boleto custa 3000 Gs (cerca de 2 reais). O ônibus vai fazer +/- o percurso abaixo. Calcule pelo uns 45min de deslocamento (ônibus + caminhada) + o tempo de espera do ônibus para Hernandarias.
      Desça no ponto de ônibus do lado oposto ao posto de gasolina da Petropar (o ponto de ônibus da volta fica colado ao posto). Aguardamos uns 10min apenas para pegar o ônibus e o deslocamento durou menos de 30min.
      Ponto onde vc vai saltar:

      E o ônibus segue para Hernandarias....

      3. caminhe 650m até chegar no centro de recepção de visitantes da Itaipu paraguaia
      Só seguir as placas

      Chegamos

      4. Para voltar, pegue o mesmo ônibus no ponto colado ao posto de gasolina Petropar

       
      Aproveito para protestar sobre o alto custo da visita à Itaipu brasileira rssss
    • Por luizbellotti
      Gostaria de saber se alguém recentemente fez esse percurso saindo de Santa Cruz para Assunção, Paraguai.
      Pretendo voltar do Peru passando pela Bolívia e Paraguai para chegar em Foz de Iguaçu.
      Estou na dúvida da existência de ônibus no trajeto, preço, entre outras coisas. Há pouca informação e não confiei muito na que conta no Rome2Rio.
      Se alguém puder dar alguma dica ou informação mais atualizada eu agradeço.

×
×
  • Criar Novo...