Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Europa em Janeiro - Londres, Berlim e Paris.


Posts Recomendados

  • Membros

Como fiz longos relatos por cada dia, decidi postar separado por cidade.. até para facilitar a leitura de quem se interessar não pelo roteiro todo, mas por parte dele. A viagem teve início em 18/01/2013 e terminou em 04/02/2013. Para cada cidade, colocarei a mesma introdução, e depois, seguirão os relatos diários de cada cidade. Ou seja, se você está acompanhando os relatos de mais de uma cidade que fui, pode pular para a parte que começo a falar sobre a cidade específica.

 

[t1]Londres[/t1]

 

Introdução: (com as dicas gerais:)

 

O início da nossa jornada começou numa madrugada, quando um amigo me liga dizendo ter encontrado passagens para Paris por US$ 900,00. Em poucas horas, estávamos com nossas reservas.

 

Após um mês planejando, reservando, vendo o máximo de informações possíveis, com uma semana do embarque já estava com tudo planejado. A partir de então, era só controlar a ansiedade. Depois faço os agradecimentos. Meus maiores medo nessa viagem eram: dinheiro e imigração. Vendo nossas possibilidades e disponibilidade financeira, nosso roteiro ficou: Paris, Londres, Berlim e Paris. Como não queríamos perder tempo, compramos as passagens para Londres no mesmo dia da chegada em Paris. Enfim, era só esperar o grande dia.

 

A questão do dinheiro foi muito sinistra, pois as diferenças do câmbio me assustavam e me deixavam em dúvida sobre a maneira de carregar o dinheiro. Acabei fazendo o Global Travel, um em euro e outro pra libra.

 

Usando toda minha vontade de organizar, separei todos os comprovantes: extratos do limite do cartão de crédito, montante de dinheiro nos cartões, reservas dos albergues e as passagens. Apesar de todos falarem que era tranquilo entrar na França, eu tive que justificar e comprovar as etapas da viagem e a minha estadia. Com muito medo, fui interrogado duas vezes!! Kkk Não sei se lamento não estar tão bem arrumado e aburguesado ou se me orgulho de parecer ser um típico latino americano fugindo do terceiro mundo! Otimista do jeito q sou, fico com a segunda opção! kk

 

Se para entrar em paris foi chato, estava em pânico de passar na imigração para londres, o que seria feito 4 horas depois, ja que no mesmo dia pegaríamos o trem para inglaterra. Qual foi minha surpresa de ter sido muito bem atendido e recepcionado. Além de não ter tido qualquer questionamento, o policial se demonstrou simpático e gentil, apenas confirmou verbalmente o que faria e me liberou!

 

Esse primeiro dia foi marcado pela ansiedade e entusiasmo. Tudo foi festa: o pavor na imigração, o frio de lascar (minha primeira vez vendo uma paisagem branca pela neve), a comida cara e nem tanto agradável da estação de paris e a espera para ir a Londres.

 

Chegamos em Londres as 23:30, horário local e não pude ter tido uma melhor impressão! Que metrô! Que cidade! Ruas e carros ao inverso, tudo molhado e úmido, frio e todos muito educados. Kkk engraçados eram os constantes pedidos de desculpas pelos 4 minutos de atraso por causa da nevasca. Todos muito educados e prestativos. Um casal de idosos no trem ficou com altos papos, incentivando nossa viagem e nas ruas qualquer informação foi muito bem dada. O albergue é ótimo e amanhã começa a jornada londrina.

 

Dicas gerais:

 

- Dinheiro

Se for usar cartão de viagem, cuidado com o american express. Não é muito aceito. Só se quiser fazer grandes saques e não se preocupar com câmbios e ter facilidade de recuperar o valor.

 

É possível viver com menos de 50 euros por dia. Tirando as hospedagens e o sistema de tickets de metrô. No total, levei 1200 euros e 300 libras, nesse montante, estavam os 90 % dos albergues que ainda iam ser pagos. Sobrou 50 libras e uns 300 euros, ainda comprei roupas de frio, mala, perdi dinheiro e comi em restaurantes. Fiquei 4 dias em londres, 4 em berlim e 6 em Paris. Se passar por aperto, há comidas semi prontas nos mercados, não sai por mais de 4 euros.

 

-Transporte e museus

Façam o plano de usar de 5 a 7 dias com uso ilimitado de metrô e ônibus. Bom para planejar os gastos e bom para poder ir para qq canto da cidade de forma rápida e eficiente. Oyster em londres, navigo em paris e o ticket de berlim que se compra no aeroporto mesmo.

 

Para quem gosta de ir a museus, em Paris, compre o museu pass, no aeroporto mesmo. Tem para 2, 4 e mais dias com acesso aos principais museus, sem fila.

 

Para quem vai para mais de uma cidade na inglaterra, compre os tickets pelo site "megabus". Com 45 dias de antecedência, é possível comprar passagens por 1£.

 

- Malas e roupas

IMPORTANTE: cuidado com o limite de peso nas bagagens. Viajar internamente na europa é barato só se tiver com malas leves. Veja o limite quando comprar e leve o menos possível, pense que é fácil usar as lavanderias por lá. Se exceder o peso, pode pagar até 30€ de taxa. Fora os transtornos em subir e descer escadas com peso...

 

 

Londres:

 

2 dia (o primeiro dia é a introdução) :D

 

Toda a emoção do 2 dia foi balanceada com dois contratempos: uma das maiores nevascas caía na Europa e fui desatendo usando o cartão de Euro, não de libra, me dando prejuízo em taxas e conversões. Devo ter perdido uns 50 euros nessa desatenção.

 

O segundo dia foi o grande dia reservado para começar explorando a cidade! Começamos pela parte cultural de museus, indo ao British museum e national gallery. Tudo absurdamente grandioso e gratuito. Com exposições sobre história antiga das partes colonizadas, os ingleses possui um ótimo acervo de seus saques imperialistas: china, india, egito, grécia... Impressionante! Muita informação e emoção.

 

Por causa da neve, andamos muito de metrô e não exploramos tanto os bairros adjacentes dos pontos em que íamos. Mas nada desanimava: brinquei de guerra de neve com meu amigo, escorreguei, senti frio, curtimos a paisagem esbranquiçada nos parques. Tudo parece ser muito tranquilo. Visitamos a bloomsbury square, numa parte um pouco universitária. Parques, conjuntos de apartamentos e uma grande construção chamada "casa da vitória" chamaram minha atenção. O trafalgar square é lindissimo, sua visão, com chafarizes complementa a admiração da construção e exposições da "national gallery".

 

Depois fomos ver o famoso big ben, westminster abbey, e picadilly circus ( uma espécie de times square londrino). Não entramos na abadia de westminster, mas admiramos demais sua grandiosidade, e esperamos virar a hora para ouvirmos o badalar do grande relógio! Emocionante! Agradeci ao meu amigo por não termos comprado a entrada para london eye (a grande roda gigante) adiantado, pois não vi nada demais nela, bonita, sim, mas não acho que vale entrar.

 

Terminamos o dia super cansados, com os pés congelados, num pub aconchegante para comer o "fish and chips" - o prato típico. Bebemos a cerveja inglesa escura. Bom, gosto é de cada um, mas o prato é apenas bom e a cerveja, não beberia de novo! Kkk

 

Nunca é demais comentar, mas como fico impressionado com o metrô daqui! Não levamos mais de 15 minutos para chegar em qq lugar. Hoje já me sinto quase um londrino kkk pois já consigo entender seu astronômico sistema de linhas e estações. Lógico, eficiência do serviço acompanhado pela eficiência na informação, pois tem placas por todos os lados.

 

Os preços são salgados. No prato com a cerveja, gastamos 15 libras. No metrô, compramos o bilete ilimitado de 30 libras por 7 dias.

 

3 dia (Londres)

 

Não consigo me conter até agora de tanta euforia! Foram mais de 10 horas andando, sem comer para não perder tempo. Fizemos uma mega maratona rodando a cidade e fazendo todo o roteiro previsto! O êxtase é tanto que a gente nem reclama do cansaço. Hoje não nevou, sendo uma grande ajuda.

 

Acordamos ainda um pouco groge as 8 30, mas mesmo assim começamos nosso 2 dia de aventura indo para Abbey Road, a famosa esquina onde os beatles fizeram uma foto, capa do álbum que leva o nome dessa famosa rua. E é famosa mesmo! Foi fácil arrumar companhia para formamos um quarteto e fazer uma foto similar. Senti pena dos educados motoristas londrinos impacientes com tantos alarmes falsos de pedestres pisando na faixa da rua. Simplesmente muito foda ter estado nessa rua, com uma igrejinha gótica simples, mas super aconchegante e uma vizinhança também agradável, pois aparenta ser um bairro de periferia.

 

Depois fomos para o outro lado da cidade, ver o teatro de shakespeare, tower bridge, tower of london, st pauls' cathedral, london wall. Fantástico. Essa parte é uma mistura: da grande londres antiga, ainda com resquícios da dominação romana (com as ruínas da antiga muralha); a medieval, com a 2 maior catedral do mundo, perdendo apenas para a do Vaticano e a super londres financeira, globalizada, expondo todo seu poder econômico nos modernos prédios da "the city". Esse era o centro do maior poder financeiro mundial entre os anos 1750 a 1950.

 

Me sinto tão a vontade que já comecei a ser abusado e tento falar no sotaque britânico! Kkkk muito legal me ver compreendido e saber da possibilidade de não usar mais o estilo estadunidense! Achei demais quando tirei dúvidas para onde as pessoas deviam ir, como se fosse um morador!

 

Sem nos rendermos ao cansaço, seguimos para o Palácio de Bukinghan, com a bandeira estendida, provavelmente uma indicação de que a rainha estava lá. (quem sabe?) Mesmo sendo um republicano, não deixei de lado o encanto dessa pomposa e inútil tradição. Confesso que achei ridículo ver aqueles guardinhas andando de um lado para o outro, mas faz parte do enfeite.

 

Então, terminamos nosso roteiro no famoso Camden Town, um bairro SUPER descolado, onde toda a expressão de liberdade corporal pode ser vista, tanto nos moldes mais extravagantes, punks e coloridos, ao gótico, escuro e depressivo. Fomos ao the Hawley Arms, o pub que a Amy frequentava. Cooolllll. Sem dúvida uma atmosfera descontraída reina naquele reino!

 

Após 10 horas andando, paramos e fomos comer numa feira uma comida gostosa e barata (similar requintado e limpo do famoso podrão). Voltamos de ônibus (todos são naquele modelo vermelho de dois andares), e sentimos a sensação de dirigir na mão invertida! Kkkk impossível não estranhar.

 

Tive um excelente dia e olha que foi apenas o segundo de passeios nessa nossa jornada.

 

4 dia (Londres)

 

Ja começo a perceber meu limite no cansaço, e estou apenas no terceiro, de 15 dias de andanças! Mas hoje foi mais tranquilo. Começamos indo a Notting Hill, um bairro muito charmoso e aconchegante, homenageado no filme com esse nome. Vi a livraria do filme, fui na feirinha (que estava tendo, mesmo sendo terça feira, mas soube que nos finais de semana são mais intensas), provei e comprei frutas. Andamos (pra variar) e vimos alguns jardins, igrejinhas locais (dp da westminster e St Pauls, qq igreja local é no diminutivo para mim) e fomos almoçar no rodízio de pizza do Pizza Hut. (10libras, tudo liberado, até as bebidas)

 

Seguimos para o hyde park e lá, mesmo nos congelantes -3, nos encantamos com a jardinagem e lagos do local. É um parque artificial, similar ao Central Park novayorkino (acho grosseiro comparar, mas sei que NY é mais divulgada), no meio da cidade. A intenção de dar um ar bucólico foi muito bem sucedida. Praticamente se esquece que está numa cidade tão grande a sua volta. Com cisnes, patos, aves, esquilos e monumentos, é possível ficar horas la admirando e adquirindo tranquilidade.

 

De la fomos a um local extremamente refinado, cheia de lojas com produtos caros, chamado Knightbridge, onde fica a Harvey's Nicols, uma galeria para granfinos que deixa qq patricinha do leblon enlouquecida! Não há divisões entre as lojas, os produtos ficam como se estivessem em exposição, uma feira de modas! Foi interessante perceber o nervo do capitalismo no local onde todo esse sistema se originou.

 

Saímos de la e andamos pela Regente St, seguindo esse clima de consumo exibicionista elitizado. La está a maior loja de brinquedos do mundo, a Hamleys, a coisa mais agradável naquele lugar. (disse agradável, não bela. Pois tudo aqui e estonteantemente lindo). Impossível não se encantar com brinquedos. Os vendedores fazem demonstrações de alguns deles, qq criança, e adulto, ficam doidos! Imaginei meus sobrinhos botando os 5 andares daquela loja abaixo!!!! Kkk

 

Por fim, voltamos ao albergue para ficar de pernas pro ar!!!

 

5 dia (Londres – Stonehenge)

 

Esse era um dos grandes dias mais esperados. Ta certo que todos ativam minha ansiedade, mas hoje foi reservado para visitar a stonehenge, uma das maravilhas do mundo antigo! Incluído nesse pacote está Salisbury, uma pequena cidade cuja catedral é uma das grandes marcas da arquitetura gótica inglesa.

 

Vale muito a pena visitar esses lugares antigos. O mistério, a história, as dúvidas e o esoterismo complementam a expectativa e exponenciam o encanto desses lugares. Não se compara a Machu Picchu, mas a stonehenge comoveu meu coração e contribuiu para minha ânsia por conhecer o mundo antigo e meu respeito para aqueles que se dedicam a estuda-lo. Diz-se que poderia ser templo, ponto de observação astrológica ou marcação solar, mas o impressionante são as ruínas. Pena e adoração se complementam, pois o próprio processo que deteriorou essa obra faz parte da história desse misterioso local. Nem a sensação térmica de 15 graus negativos me desmotivou!

 

Por fim, terminamos nosso roteiro na pequena cidade com aspectos ainda medievais de Salisbury. Dava para imaginar perfeitamente os movimentos das tavernas, vilarejos e as pequenas feiras ocorrendo no mercado central ou nas quinas de construções. Magnífico! Sem contar a estrondosa Catedral, imensa, com seus vitrais, nave, bancos talhados e as imponentes ogivas marcante dessa arquitetura. Uma obra tão espetacular que até Adolf Hitler procurou poupar na leva dos bombardeios durante a || guerra. Difícil ficou, para mim, conter as lágrimas nesse momento.

 

Uma ótima pedida para complementar o encanto proporcionado por Londres! Uma pena, termino o dia com aquela vontade de querer mais, triste por deixar essa cidade tão espetacular! Valeu muito a pena e espero muito que as outras cidades européias me surpreendam tanto! Vamos ver...

 

Algumas fotos:

2013-01-20_15-53-35_86.jpg.86b4b47a47f00f39113c5349f134d266.jpg

2013-01-21_12-11-53_803.jpg.0095821eb10e19c2bf92ef8324b5fe8f.jpg

2013-01-21_14-37-45_209.jpg.c44d7de867ba160e45dafbab4f360fb7.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Como fiz longos relatos por cada dia, decidi postar separado por cidade.. até para facilitar a leitura de quem se interessar não pelo roteiro todo, mas por parte dele. A viagem teve início em 18/01/2013 e terminou em 04/02/2013. Para cada cidade, colocarei a mesma introdução, e depois, seguirão os relatos diários de cada cidade. Ou seja, se você está acompanhando os relatos de mais de uma cidade que fui, pode pular para a parte que começo a falar sobre a cidade específica.

 

Introdução: (com as dicas gerais:)

 

O início da nossa jornada começou numa madrugada, quando um amigo me liga dizendo ter encontrado passagens para Paris por US$ 900,00. Em poucas horas, estávamos com nossas reservas.

 

Após um mês planejando, reservando, vendo o máximo de informações possíveis, com uma semana do embarque já estava com tudo planejado. A partir de então, era só controlar a ansiedade. Depois faço os agradecimentos. Meus maiores medo nessa viagem eram: dinheiro e imigração. Vendo nossas possibilidades e disponibilidade financeira, nosso roteiro ficou: Paris, Londres, Berlim e Paris. Como não queríamos perder tempo, compramos as passagens para Londres no mesmo dia da chegada em Paris. Enfim, era só esperar o grande dia.

 

A questão do dinheiro foi muito sinistra, pois as diferenças do câmbio me assustavam e me deixavam em dúvida sobre a maneira de carregar o dinheiro. Acabei fazendo o Global Travel, um em euro e outro pra libra.

 

Usando toda minha vontade de organizar, separei todos os comprovantes: extratos do limite do cartão de crédito, montante de dinheiro nos cartões, reservas dos albergues e as passagens. Apesar de todos falarem que era tranquilo entrar na França, eu tive que justificar e comprovar as etapas da viagem e a minha estadia. Com muito medo, fui interrogado duas vezes!! Kkk Não sei se lamento não estar tão bem arrumado e aburguesado ou se me orgulho de parecer ser um típico latino americano fugindo do terceiro mundo! Otimista do jeito q sou, fico com a segunda opção! kk

 

Se para entrar em paris foi chato, estava em pânico de passar na imigração para londres, o que seria feito 4 horas depois, ja que no mesmo dia pegaríamos o trem para inglaterra. Qual foi minha surpresa de ter sido muito bem atendido e recepcionado. Além de não ter tido qualquer questionamento, o policial se demonstrou simpático e gentil, apenas confirmou verbalmente o que faria e me liberou!

 

Esse primeiro dia foi marcado pela ansiedade e entusiasmo. Tudo foi festa: o pavor na imigração, o frio de lascar (minha primeira vez vendo uma paisagem branca pela neve), a comida cara e nem tanto agradável da estação de paris e a espera para ir a Londres.

 

(os relatos da primeira parte em londres estão em outro relato)

 

Dicas gerais:

 

- Dinheiro

Se for usar cartão de viagem, cuidado com o american express. Não é muito aceito. Só se quiser fazer grandes saques e não se preocupar com câmbios e ter facilidade de recuperar o valor.

 

É possível viver com menos de 50 euros por dia. Tirando as hospedagens e o sistema de tickets de metrô. No total, levei 1200 euros e 300 libras, nesse montante, estavam os 90 % dos albergues que ainda iam ser pagos. Sobrou 50 libras e uns 300 euros, ainda comprei roupas de frio, mala, perdi dinheiro e comi em restaurantes. Fiquei 4 dias em londres, 4 em berlim e 6 em Paris. Se passar por aperto, há comidas semi prontas nos mercados, não sai por mais de 4 euros.

 

-Transporte e museus

Façam o plano de usar de 5 a 7 dias com uso ilimitado de metrô e ônibus. Bom para planejar os gastos e bom para poder ir para qq canto da cidade de forma rápida e eficiente. Oyster em londres, navigo em paris e o ticket de berlim que se compra no aeroporto mesmo.

 

Para quem gosta de ir a museus, em Paris, compre o museu pass, no aeroporto mesmo. Tem para 2, 4 e mais dias com acesso aos principais museus, sem fila.

 

Para quem vai para mais de uma cidade na inglaterra, compre os tickets pelo site "megabus". Com 45 dias de antecedência, é possível comprar passagens por 1£.

 

- Malas e roupas

IMPORTANTE: cuidado com o limite de peso nas bagagens. Viajar internamente na europa é barato só se tiver com malas leves. Veja o limite quando comprar e leve o menos possível, pense que é fácil usar as lavanderias por lá. Se exceder o peso, pode pagar até 30€ de taxa. Fora os transtornos em subir e descer escadas com peso...

 

Berlim

 

7 dia (Berlim) - Os outros dias estão na primeira parte do relato.

 

Hoje foi o dia de andar!! Fizemos a parte central da cidade aproveitando a caminhada histórica dos monumentos da guerra, do III Reich e da antiga berlim oriental. Essa parte lembra e lamenta muito a II guerra, realmente mt emocionante. Vimos primeiro o Portão de Brandenburgo, dp o reichstag, memorial soviético, o monumento do holocausto, o local onde ficou o bunker, a chancelaria nazista, a estátua do Marx e Engels, a catedral, ilha dos museus, as praças rivais (alex e postdamer), a torre de Tv!!! Da para imaginar o quanto to exausto!

 

Impressionante foi o memorial soviético e o Reichtag, onde é possível estar presente em locais chaves do processo de reconstrução dessa cidade totalmente destruída em 1945. No memorial soviético há imagens da guerra, a berlim destruída e a rendição Alemã. Muita emoção! E no parlamento há toda uma explicação do funcionamento do estado alemão, o processo de unificação e as homenagens.

 

Ao lado do Reichtag e do portal de Brandenburgo, há a marcação da divisão da cidade... onde pude simular o pulo do lado comunista e capitalista. Muito legal!! Descontração nesses lugares tão importantes.

 

Nessa época a cidade fica congelante. A temperatura, com sol, não passa dos 5 negativos. Andando pela rua, fui obrigado a comprar café, chapéu e um tênis apropriado. No fim do dia, o fato mais inusitado possível ocorreu, algo que marca a descontração berlindense... Enquanto admirávamos uma limusine parada em frente ao portal de brandenburgo e ao lado do consulado estadunidense, um casal nú deixa o carro, tiram fotos no ar congelante e voltam para o carro, possivelmente continuando a gravação do filme por eles estrelados. Kkkk meia hora de muita gargalhada serviu para nos dar o ânimo para voltar para casa.

 

Por fim, fica um pouco da saudade da organização britânica. O metrô pode ser mt bom, mas só os alemãs o entende. Ô coisa complicada!

 

8 dia (Berlim)

 

Hoje fomos conhecer o Palácio de Sanssouci, onde Frederico II passava o verão e fazia suas reuniões aristocráticas. Um luxo esplendoroso! Só o quintal e jardim da para colocar o Maracanã! Ja começo a ter ideia do luxo de versalles!

 

Não exploramos a cidade de Postdam, só o parque san souci, que significa: sem preocupação. Realmente, muito encantador, mas só para museu! Acharia um absurdo aquele luxo todo sendo usado por uma família qualquer... Mas enfim, isso e história.

Após esse passeio, anoiteceu, e decidimos andar pela alexanderplatz. Os nomes podem estar escrito com letras faltando ou em excesso, pq eh mt complicado mesmo escrever. Essa praça era o centro da berlim comunista, e hoje um templo ao consumo! Kkk o mundo realmente deu voltas.

 

Nossa, falta muita coisa ainda para visitar, mas vou relaxar. Ja sinto o limite físico de tanta caminhada. Qualquer parada, eu cochilo. E para os adoradores do estrondoso metro de berlim, hoje nos perdemos. Rodamos por 20 mimutos e fomos parar sem querer no mesmo lugar. Kkk eles tem bondes, trens, ônibus, metrô, mas só quem conhece a cidade que saca... Para mim, eh difícil! Kkk nada que n faça isso um lado negativo, só questão mesmo de costume. Detalhe, nessa de se perder, minha orelha quase literalmente congelou!!!! Fiquei super preocupado, mas dp eu voltei a senti-la quando a tocava

 

 

9 dia (Berlim)

 

Visitar berlim uma semana antes de completar 80 anos da ascensão do Nazismo, algo que marcou o rumo dessa cidade e do mundo, é muita emoçao para uma pessoa só!

 

Nesse tempo a cidade viu o progresso durante o autoritarismo, o holocausto, a guerra avassaladora, a ocupação estrangeira, a divisão política e econômica em uma mesma cidade e, por fim, a reunificação! O melhor de tudo, é muito documentado e serviu, em parte, para caracterizar esse jeito berlinense de ser: concentrado, descolado, receptivo objetivamente e muito consciente do seu papel na cidadania.

 

Como ocorre geralmente na europa, é possível sair e deixar casaco num canto, dançar, beber e voltar agasalhado no grandioso sistema de metrô 24 horas! Tudo muito civilizado.

 

Pensando nesse contexto, da para perceber minha emoção ao ver os resquícios do muro e as homenagens às vítimas. Não contive lágrimas. Há videos, o muro, fotos... Muito bom! A estação Nordbahnhof, que ficou fechada por 30 anos por causa da divisão, hoje guarda uma exposição explicando o isolamento da berlim oriental no sistema de metrô. Loucura total!!!

 

Dp fomos ver os resquícios da igreja memorial Kaiser Wilhelm, destruída em 1943 nos bombardeios. O local está em reconstrução, mas há exposições da história do local. Dp, resolvemos descansar, não fiz questão de ver os monumentais museus, aceito meu limite. Deixei de lado os museus por dois motivos: grana e preferir curtir a exposição da história berlinense a céu aberto do que gastar grana para ver cultura egípcia ou grega. Sem desprivilegiar, mas há a questão do tempo.

 

10 dia (Berlim – Paris)

 

Finalmente a tão sonhada cidade. Talvez tanta expectativa e as excelentes referências britânicas e germânicas façam crescer minha exigência para Paris. Bom, de cara a impressão é que o primeiro mundo ficou no reino encantado da rainha e na descolada Berlim. Me desacostumei com informações contraditórias, metrô cheio e engarrafamento. kkkk A princípio, fui bem tratado pelos parisienses.

 

Ao contrário de berlim, paris é limpa como londres, e sim, muito meiga. Cidade mesmo romântica, para lua de mel. Hoje gastamos um bom tempo no albergue, que por sinal eh bem confortável e tivemos a sorte de ter tido um upgrade e ficarmos num quarto privativo, com serviço idêntico a um hotel sem aumento de tarifa!

 

Deu tempo de ir no Moulin Rouge, Sacré Coeur, o café da Amélie Poulain e ver o local onde se iniciou a Revolução Francesa. Muito grato. A europa é realmente um espetáculo histórico. Pena que não há homenagens diretas sobre a revolução. Nitidamente é uma história deixada de lado aqui. Outra grande diferença de Berlim, cujos monumentos nazistas não estão "escondidos".

 

Algumas fotos:

598da1dd7874f_2013-01-24_18-17-02_8712.jpg.3c5cf6fbfcbdbd0273047548e56e6aa3.jpg

2013-01-25_11-01-45_651.jpg.53ad3c6067b85421892d470be2303546.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

[t1]Paris[/t1]

 

Introdução: (com as dicas gerais e um final resumido de todas as cidades)

 

O início da nossa jornada começou numa madrugada, quando um amigo me liga dizendo ter encontrado passagens para Paris por US$ 900,00. Em poucas horas, estávamos com nossas reservas.

 

Após um mês planejando, reservando, vendo o máximo de informações possíveis, com uma semana do embarque já estava com tudo planejado. A partir de então, era só controlar a ansiedade. Depois faço os agradecimentos. Meus maiores medo nessa viagem eram: dinheiro e imigração. Vendo nossas possibilidades e disponibilidade financeira, nosso roteiro ficou: Paris, Londres, Berlim e Paris. Como não queríamos perder tempo, compramos as passagens para Londres no mesmo dia da chegada em Paris. Enfim, era só esperar o grande dia.

 

A questão do dinheiro foi muito sinistra, pois as diferenças do câmbio me assustavam e me deixavam em dúvida sobre a maneira de carregar o dinheiro. Acabei fazendo o Global Travel, um em euro e outro pra libra.

 

Usando toda minha vontade de organizar, separei todos os comprovantes: extratos do limite do cartão de crédito, montante de dinheiro nos cartões, reservas dos albergues e as passagens. Apesar de todos falarem que era tranquilo entrar na França, eu tive que justificar e comprovar as etapas da viagem e a minha estadia. Com muito medo, fui interrogado duas vezes!! Kkk Não sei se lamento não estar tão bem arrumado e aburguesado ou se me orgulho de parecer ser um típico latino americano fugindo do terceiro mundo! Otimista do jeito q sou, fico com a segunda opção! kk

 

Se para entrar em paris foi chato, estava em pânico de passar na imigração para londres, o que seria feito 4 horas depois, ja que no mesmo dia pegaríamos o trem para inglaterra. Qual foi minha surpresa de ter sido muito bem atendido e recepcionado. Além de não ter tido qualquer questionamento, o policial se demonstrou simpático e gentil, apenas confirmou verbalmente o que faria e me liberou!

 

Esse primeiro dia foi marcado pela ansiedade e entusiasmo. Tudo foi festa: o pavor na imigração, o frio de lascar (minha primeira vez vendo uma paisagem branca pela neve), a comida cara e nem tanto agradável da estação de paris e a espera para ir a Londres.

 

(a parte de de londres e Berlim estão em outro relato específico)

 

Dicas:

 

- Dinheiro

Se for usar cartão de viagem, cuidado com o american express. Não é muito aceito. Só se quiser fazer grandes saques e não se preocupar com câmbios e ter facilidade de recuperar o valor.

 

É possível viver com menos de 50 euros por dia. Tirando as hospedagens e o sistema de tickets de metrô. No total, levei 1200 euros e 300 libras, nesse montante, estavam os 90 % dos albergues que ainda iam ser pagos. Sobrou 50 libras e uns 300 euros, ainda comprei roupas de frio, mala, perdi dinheiro e comi em restaurantes. Fiquei 4 dias em londres, 4 em berlim e 6 em Paris. Se passar por aperto, há comidas semi prontas nos mercados, não sai por mais de 4 euros.

 

-Transporte e museus

Façam o plano de usar de 5 a 7 dias com uso ilimitado de metrô e ônibus. Bom para planejar os gastos e bom para poder ir para qq canto da cidade de forma rápida e eficiente. Oyster em londres, navigo em paris e o ticket de berlim que se compra no aeroporto mesmo.

 

Para quem gosta de ir a museus, em Paris, compre o museu pass, no aeroporto mesmo. Tem para 2, 4 e mais dias com acesso aos principais museus, sem fila.

 

Para quem vai para mais de uma cidade na inglaterra, compre os tickets pelo site "megabus". Com 45 dias de antecedência, é possível comprar passagens por 1£.

 

- Malas e roupas

IMPORTANTE: cuidado com o limite de peso nas bagagens. Viajar internamente na europa é barato só se tiver com malas leves. Veja o limite quando comprar e leve o menos possível, pense que é fácil usar as lavanderias por lá. Se exceder o peso, pode pagar até 30€ de taxa. Fora os transtornos em subir e descer escadas com peso...

 

Paris

 

11 dia (Paris)

 

Meu Deus, essa cidade é muito linda mesmo. Cada cidade que visitamos tem seus principais atrativos: enquanto londres é um mundo encantado e berlim uma festa liberal, Paris é a cidade do luxo arquitetônico! Para onde se olha, nos surpreendemos com visões mais bela que a outra. Não se passa por um quarteirão sem admirar um grande prédio.

 

Meus pés doem, mas conhecemos: o louvre, petit e grand palais, madaleine, tulliere, invalides, champs elysées, arco do triunfo e ela: a torre eiffel. A torre era para ser no final, mas fomos presenteados por um dia de sol dp de muita chuva. Não quis perder a oportunidade e terminei meu dia vendo o por do sol no topo de um dos cartões postais mais famosos do mundo. Sensacional, agradeço muito por ter vivido coisas tão fantásticas.

 

De todas essas coisas, a mais surpreendente foi palácio e museu do louvre. Se não é o maior do mundo, tenho medo do museu que for maior do que ele. Impossível ficar la um dia inteiro e ver tudo. Só para ter uma idéia, entramos para ver as obras bam bam bam, como o código hamurábi, as esfinge faraônicas e a mona lisa. Isso nos tirou 2 horas e meia, pois paravamos no caminho para curtir não só as exposições, mas as salas delas. Com isso, não chegamos no terceiro andar e nem na metade dos outros. (ainda tem o subsolo) kkk

 

A champs elysées expõe o que há de mais burguês nessa nação pioneira na revolução dessa classe. Nessa região, compra-se 6 doces do tamanho do biscoito bono por 14 €, e uma capa de chuva da griffe Cerrute é uma bagatela de 690€, com um câmbio favorável, não se gasta menos de 1500 reais! Kkk vive la revolucion!

 

Engraçado que ali pertinho tem a praça da concórdia, onde a exibicionista e exuberante rainha Maria Antonieta e Luiz XVI foram decapitados. Enfim, c'est la France! Luxo, explendor, brega, ouro, excesso! Realmente muito maneiro esse lugar. E olha que é só o primeiro dia de passeio...

 

12 dia (Paris)

 

Versalhes: o maior exemplo de um luxo ostentoso de uma monarquia absoluta. Fizeram realmente bem seu papel. Grandioso, monumental, lindíssimo. Seus salões faustosos indicam o quanto a nobreza se isolava do mundo decadente e injusto da época moderna. Com tanta riqueza, não foi difícil perceber o ódio campesino e pequeno burguês na condenação desses monarcas à gilhotina.

 

Utilizado como casa real e agora como museu, o Palácio de Versalhes é literalmente uma ode a monarquia. Quase não há menção da revolução, nem nos portões onde supostamente, durante uma revolta quando o povo pedia pão, a rainha dissera: "se não tem pão, comam brioches". Apesar de controversa essa versão, nada seria surpreendente se ela tivesse realmente acontecido. Quando mencionada, a revolução sempre é posta como algo ruim, nebuloso, destruidor. Como se a frança não fosse o que é hoje graças a esses tempos turbulentos que tirou do poder aquela elite parasitária e exibicionista, hoje homenageada...

 

É imensurável o luxo e os caprichos. Como se não bastasse o palácio grandioso, foram construídos mais dois: o petit e o grand trianon, onde os monarcas se utilizavam da privacidade. Não tão exuberantes, esses dois "pequenos" palácios não incluía a exibição do rei sobre seu cotidiano. Pois no palácio principal, tudo era um evento: o despertar, o comer, o se divertir e o dormir. Kkk a nobreza, que não tinha nada pra fazer, passava o dia babando ovo do rei dispendioso que bancava todo o requinte da realeza. Óbvio com o dinheiro de impostos, quase todos pagos pela "plebe".

 

Um passeio muito merecedor.

 

13 dia (Paris)

 

Não sei se o cansaço, ou o costume, mas não me surpreendo mais tanto assim com as coisas. Ter deixado Paris por último, teve certas consequências. Tudo bem, a Notre Dame é linda... o palácio e jardim de luxemburgo também, mas o que é isso para quem há duas semanas ta vendo parques, mega igrejas, o palácio de Versalhes, a St Pauls Cathedral? O que é o museu de Cluny, para quem ja foi no Louvre...? Enfim...

 

Hoje andamos pelo centro de Paris: Notre Dame, Saint Chapelle, palácio da justiça, Conciergerie (na île da la cité). Lugares marcantes pela história. No conciergerie, a Maria Antonieta foi condenada, e, provavelmente, no museu de cluny surgiu o mosteiro cluniensense.

 

Fomos a pequena ilha de St Louis, e apreciamos majestosamente a divisão do Sena. Lugar fantástico para namorar e passar um tempo com um gramde amor. Paris é assim, apaixonante mesmo, indiscutível! (para quem vai casar, replaneje os gastos de festas, dê preferência a esse tipo de Lua de Mel). Nos demos o luxo de comer num legítimo restaurante francês o prato Confid de Canard (pato), mousse de chocolate e me surpreender com a água gasosa mais gostosa que ja provei, chamada Badoit. Parece bobeira, mas nunca imaginei que fosse saborear tanto uma água...

 

Seguimos para Sorbonne, Clunny e por fim, Luxemburgo. Muito cansado, voltei ao albergue para dormir e escrever.

 

 

14 dia (Paris)

 

O sonho ta acabando. O relato de hoje começa com o final do dia anterior. Fui conhecer a noite parisienses. Tai uma coisa que o Rio tem de melhor para oferecer. A única coisa melhor em paris é que não se paga para entrar nos lugares, só o que se consome. Ficar bêbado nas noitadas é para ricos, kkk as bebidas não saem pelo equivalente a 17 reais, ou 8,5 euros. E, como estou no 2 mundo, não mais no primeiro, voltar pra casa é tão problemático como seria no Brasil. Novamente saudade de londres ou de berlim.

 

O dia começou com nossa ida ao museu de orsay, uma antiga estação de trem transformada em museu. La há um acervo magnífico de impressionistas e escultores. Obras de Monet, Van Gogh, Renoir, Rodin e demais autores. Gostei muito de uma exposição sobre a Opera Garnier, o "original" do teatro municipal carioca. Explica o funcionamento e a história da reforma urbana que fez de Paris esse exemplo de urbanismo. Pois eh, vir a Paris e fazer uma faculdade de arte.

 

Detalhe invejante foi ver aulas ocorrendo nos museus com crianças super atentas e anotando o que a professora falava nom tom quase inaudível. Sério, qual o nosso problema? A Única criança irritante que vimos aqui, fazendo pirraça, era brasileira... Pode?

 

Após isso, fui sozinho (pois meu amigo foi para a Torre Eiffel) ver o Opéra e depois a place de vosge. Após isso, choveu e nevou, fiquei curtindo o comércio perto do Hotel Ville...

 

Detalhe: os parisienses são barraqueiros. Ontem e hoje vi duas briga na rua. Ontem uma mulher apanhou de um cara e hoje duas mulheres se atracaram e até peruca voou.

 

15 dia (Paris)

 

Penúltimo dia. Completamos todo o roteiro planejado, bom para aproveitarmos mais a cidade sem pressão do cansaço ou do horário. Claro que sempre temos coisas para fazer ou conhecer, mas as principais ja foram feitas.

 

O relato inicia na madrugada, sobre a noite de sábado parisiense. No dia 02/02 é comemorado o "dia do crepe" ou algo do tipo. Fiz amizades e fomos a uma festa, onde comi crepes e dancei muito sons antigos da década de 80, tanto franceses como os grandes pops: madonna, jackson, gloria gaynor. Uma hora tocou uma espécie de "mambo", algo que entendi ser da "França Caribenha", muito legal. Em discussões, apesar de serem ótimas pessoas, eles tem uma visão sobre essa "França" relacionada a preguiça e moleza, justificando o baixo IDH dessas áreas... Claro que usei muitos argumentos para contrapor tais pensamentos...

 

Com o dia disponível, resolvemos fazer uma viagem estrondante no tempo. Pegamos a linha 01 do metro de ponta a ponta, sendo uma delas o Château de Vincenes e a outra a região La Defense. Enquanto uma é um verdadeiro castelo medieval, a outra é uma região modernizada totalmente atípica da Paris da Belle Époque. Nessa última, há prédios altos, pos modernos,.com shoppings e muita área comercial.

 

Claro que achei melhor andar pelas muralhas medievais, imaginar a guerra dos 100 anos, entrar num castelo pelo passadiço e ver o quarto de um rei mum torreão. Totalmente diferente dos luxuosos palácios da era moderna. Muito legal. Não achei que tivesse algo ainda para me surpreender.

 

16 dia (Paris)

 

O sonho acabou. Volto a realidade. O meu último dia da viagem mais esperada da minha vida foi reservado para compra de lembranças para os entes muitos queridos, malas para trazer o excesso de casacos que comprei e os champagnes encomendados e requisitados. Kkk Provei mais uma culinária "chique" da França. Tomei café da manhã com queijo roquefort e, no almoço, a entrada foi fois gras. Kkk chique? Essas coisas na França são como pratos de domingo... Nossa elite, tipicamente baba ovo da cultura européia, encarece demais tais aperitivos para se deleitar num exclusivista e exibicionista ritual de ostentação de seu poderio econômico.

 

De resto, gostaria de fazer umas últimas observações: muitos me perguntarão qual cidade mais gostei. Bom cada uma oferece suas características marcantes. O bom de todas é o impressionante grau de civilidade dos europeus... Eles realmente vivem muito bem. Possuem excelentes sistemas de transportes, são muito cientes de seus direitos e respeito ao próximo e cuidam muito bem da qualidade de vida que conquistaram. São cidades onde se pode deixar o celular carregar no banheiro do trem, alugar bicicleta em sistemas de tickets eletrônicos, deixar casacos nas portas e pagar a conta do restaurante deixando o dinheiro na mesa, isso sem se preocupar com alguém tirar proveito de vc. (essa de pagar restaurante é tão normal que parece ser de mal tom pegar o dinheiro na frente do cliente).

 

Por outro lado, há diferença de desenvolvimento entre elas. Londres e Berlim estão muito mais estruturadas que Paris. Londres, além de linda, dá um show em organização... Incrível como tudo é bonitinho, educado, pontual, arrumado... As filas no metrô, os taxis pretos, os onibus vermelhos, a ambulância que só toca sirene quando precisa, os motoristas sempre atentos na faixa dos pedrestes, e tudo incrivelmente dentro da lei. A polícia não usa armas. Fora a paisagem e riqueza cultural. Nota 9,5. Perde seus 0,5 décimos por ser extremamente cara.

 

Berlim, a grande surpresa, representa a perfeição de londres com o tempero da liberdade e descontração. Tirando a beleza, foi a cidade mais barata e mais bem estruturada em sistema de transporte. Fora o fato de ser uma cidade cheia de emoções guardada dos tempos das guerras mundiais. Nota 9,9, só perde por seu sistema de transporte ser muito complexo para turistas não germânicos.

 

Paris, o grande sonho, sem dúvida a mais bela de todas. Muito rica cultural e arquiteturicamente, mas a pior entre as três nos serviços. Chego a dizer que se enquadra no "segundo mundo". Ganha muitos pontos num quesito importantíssimo para mim: culinária! Pois a Inglaterra e Alemanha não tinham tantos sabores marcantes. Nota 9,4. Apesar de ter os serviços menos perfeito, pois pegamos metrô cheio e engarrafamentos, possui um sistema de metrô rápido, chamado de RER, que Londres e Berlim não tem. Por isso não tiro tantos pontos dela, mas também não posso deixa-la na frente de Londres.

 

Por último, alguns mitos foram quebrados: nem todos os parisienses são estúpidos. Alguns foram extremamente prestativos, chegando a usar a internet do celular para me dar a informação precisa. Mas vai ser muito difícil não passar por situações de desconforto com o descaso, como fugirem de vc para não dar informação e grosseria no atendimento.

 

Os alemães são muito simpáticos, mais até que os parisienses. Fiz amizade até no metrô, e, la mesmo com eles, usei drogas livremente proibidas no Brasil. A frieza dos britânicos entendi como simples objetividade. Respondem o suficiente, e não há necessidade de sorrir sempre. Não insista e nem sequer cogite corromper alguma norma. Kkk

 

Algumas fotos:

598da1dda9993_2013-01-30_17-41-25_7142.jpg.8132e6f2f45d6e2b83f9de6fd7f68d16.jpg

C360_2013-03-10-23-32-13.jpg.0b3e52ead8b08fb3e32599e7081540b9.jpg

2013-02-03_02-44-24_338.jpg.d462fbe3a6da9b8e63c9009a95d3d4ea.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Po.. o custo é alto se comparado com viagens pela américa do sul, mas achei que fosse gastar mais, principalmente em Londres. Tentei poupar em hospedagens (não tive problemas nos albergues) e não fazer compras supérfluas...

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...