Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Fala galera mochileira!!

Este tópico foi criado para que todos possam postar dicas sobre roteiros, dicas, preços de transpote, comida, hospedagem, e outras na Chapada do Veadeiros e Região.

Alguém se habilita??

Quem não conhece e está afim ou que já foi é quer voltar, seja bem vindo e junte-se à nossa turma!!!!

Abraços,

Sergio

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post

Olá Galera,

Uma dica: comprar o "Guia por onde andar no nordeste Goiano" do Bismarque Villa Real, que custa R$12,00 e mostra todas as atrações do nordeste goiano, dividido em roteiros que passam pela Vila de São Jorge, Alto Paraiso e Cavalcante entre outras.

O guia 4 rodas também tem alguma coisa sobre Alto Paraíso.

 

Sobre a hospedagem, existem desde camping com diarias de R$8,00 por pessoa até pousadas com diárias de mais de R$80,00 o quarto.

 

Julho é uma das melhores épocas para se viajar por lá.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Carnaval na Chapada.

 

Se for ficar em Camping em São Jorge, é bom se prevenir, pois algumas pessoas se excedem, mas nada que não aconteca em outros locais.

 

Se vc quiser ter um pouco mais de paz é interessante ficar mais afastado do centrinho de São Jorge que na alta temporada fica lotado.

 

Dica: se for para o passeio no Parque Nacional, chegue cedo, pois com o movimento muito grande na cidade, logo a quantidade de guias acaba e quem fica do lado de fora só tem a oportunidade de fazer o passeio no dia seguinte. Talvez seja ate interessante procurar um guia no dia anterior e já chegar no local com ele. Esse passeio é o único da chapada que nao pode ser visto sem a presenca de um guia credenciado do parque. Normalmente é cobrado uma taxa de R$ 50,00 a 60,00 para um grupo de 10 pessoas. A caminhada é puxada e dura o dia inteiro.

 

Bom passeio !!

Compartilhar este post


Link para o post

São Jorge é uma old-búzios. A vila é super simpatica, tem bares, restaurantes e pousadas super charmosas e para todos os bolsos. Tem muitos campings e fica na "porta" da chapada. A noite tem os forrós e o pessoal da vila entrosa sempre com os turistas. É bom d+.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post

O povoado de São Jorge fica a 35 km de Alto Paraiso, a maior parte já asfaltada. Lá está a entrada do parque nacional, os habitantes são ótimos anfitrioes, muito hospitaleiros, a coisa mais fácil é arrumar lugar pra ficar lá, isso nao parece problema, nem precisa de reserva, exceto em altíssima temporada.

Compartilhar este post


Link para o post

A chapada não tem segredo. É fácil achar serviços de guias e pousadinhas na cidade. A única coisa difícil é escolher entre um passeio e outro, já que são todos lindos. Mas não deixe de ir no vale da lua (fundamental), ao jardim de maitréia e à cachoeira almecegas.

 

Só uma observação: São Jorge é uma cidade minúscula, bem pequenina mesmo.

 

JJR - Postado - 06/08/2004 : 21:33:23

Realmente São Jorge é um barato ! Vale a pena ficar por lá . É simples, mas muito bom.

Algumas trilhas dá para fazer de lá, mas a maioria te que ir de carro.

Dicas para visitação : Vale da Lua, Raizama, Termas (águas quentes) e o Parque Nacional.

JJ

Compartilhar este post


Link para o post

Olá amigos!

 

Deixando aquela deixa.

Recomendo a Pousada do Eden. Fica 01s 14Km depois d São Jorge. Assim, é 01 lugar d água quente,piscinas naturais, sauna indiana, cháles(detaalhe, sem energia), trilhas, donos são gente boa, assim tudo muito natural. Me parece q o site é o próprio nome da pousada. Sou d Goiânia e aamo ir p ficar por lá. Ainda + se tiver com aquela gata. Daquelas q topa fazer os 14Km a pé, entendeu. rerere lembrando q vcs vão T q voltar, viu!

 

Recomendo tb: Raizama, Vale da Lua, o Parque. E agora Cavaalcante, q ñ tá tão comercial como São Jorge.

 

"01 dia agente se veee, vc vaai veee"

 

Skowa

Compartilhar este post


Link para o post

Eu fui pra Chapada em 2000, foi uma das melhores viagens da minha vida!! Só estou surpresa de alguém ter falado de São Jorge como "comercial"... Será que em 4 anos, aquilo mudou tanto? A gente via araras livres andando pelas ruas de terra enquanto tomávamos a cerveja pós trilha no bar do Pelé... Os passeios próximos a São Jorge são realmente imperdíveis. Eu fiquei no camping Parada Obrigatória que é muito perto da entrada do Parque. Mas eu acho que vale a pena ficar uns dois dias em Alto Paraíso, pq as cachoeiras de Almécegas e São Bento que são muito lindas são mais próximas de lá. Os lugares são distantes uns dos outros. Um carro é muito bem vindo. Eu fiquei dependendo de carona. Peguei várias caronas com desconhecidos, sem medo nenhum, e fiz até amizade um vovô que dirigia um caminhão velho que era amigo de vários donos de terra e por isso fui alguns lugares sem pagar a entrada. Me lembro que tinha um ônibus por dia, de manhã, que ia de Alto Paraíso pra São Jorge. Eu fui no Vale da Lua, mas papei mosca, depois que voltei é q soube que tinha até escorrega de pedra e eu não vi... As águas termais são uma delícia, mas os passeios mais bonitos estão dentro do parque mesmo. Não percam o pôr do sol visto do "aeroporto de disco voador". As fotos que eu tirei, não acreditaram que eram de verdade, ficaram falando, ou vc botou um filtro na lente ou vc mexeu no photoshop, e eu não fiz nada ...

Compartilhar este post


Link para o post

Pessoal, deem uma olhada nas dicas e historia de Cavalcante, postados há muito tempo aqui no mochileiros pelo Bulha. Uma boa opção pra fugir dos destinos obvios de Sao jorge e Alto Paraiso:

 

Quem vai á Chapada dos Veadeiros costuma se limitar a visitar Alto Paraíso e São Jorge, às vezes indo até Colinas contornando o Parque.

No entanto, as pessoas ainda não descobriram (na verdade muitos estão descobrindo) a cidade de Cavalcante.

A partir de Alto Paraíso, chega-se à Cavalvante seguindo a estrada para Terezina de Goiás. Chegando em Terezina, após uns 70 Km, vira-se à esquerda pegando uma estrada asfaltada de uns 25 Km que termina na cidade.

A partir de São Jorge, pela estrada de terra, é só seguir em direção a Colinas e logo depois chegar em Cavalcante.

Cavalcante está localizada entre as Serras das Araras, de Santana e da Boa Vista. De dentro da cidade, para onde se olha, só se vê serra. Os moradores mais antigos da região chamam o local de "Buracão de Cavalcante", pois é um região mais baixa, entre estas três serras, a apenas 730 m de altitude (a cidade).

Cavalcante é a cidade mais perto dos povoados Kalunga, antigos qilombos. Até os anos 80 pouco se conhecia sobre eles. Hoje em dia são bem conhecidos. Os índios avá-canoeiros também ocupavam a área, mas hoje em dia só restam sete indivíduos em uma reserva em Tocantins.

Nos séculos 18 e 19, Cavalcante era uma cidade muito próspera, em virtude da extração aurífera. Exemplo disso é que em São Félix, antigo distrito de Cavalcante, hoje inundado pela lagoa da hidrelétrica de Serra da Mesa, havia uma casa de fundição. Uma casa de fundição naqueles tempos significava uma grande movimentação econômica.

A cidade, portanto, sempre teve uma riqueza material em virtude do ouro, com uma consequente riqueza cultural, com exibições teatrais e até de operetas, e uma arte barroca não tão desenvolvida como a mineira, mas nem por isso menos importante. A Coluna Prestes passou por Cavalcante.

Ainda hoje é possível encontrar muros de pedra feitos por escravos (Ex: Fazenda Novo Mundo), assim como chiqueiros, aquedutos e fornos construídos com a mesma tecnologia e mão-de-obra.

A produção mineral de Cavalcante era escoada por uma trilha cavaleira que seguia até Veadeiros (antiga Alto Paraíso), seguindo de lá para MG até Parati, onde era embarcada.

No entanto, no começo dos anos 1960, as reservas auríferas diminuíram drasticamente. Com isso, a economia da cidade ruiu. Moradores mais velhos comentam que caminhões saíam carregados de obras de arte em direção aos antiquários do Rio e São Paulo. Até a cúpula de ouro da Igreja de Sant'Anna levou sumiço na ocasião da mudança do local do templo.

Muitos garimpeiros continuaram a procurar ouro. No entanto, hoje em dia, pouco se acha. Muitos condutores de turismo (guias)da cidade eram antigos garimpeiros e podem contar boas estórias.

Há dezenas de maravilhosas cachoeiras da região, com bons locais para aprática de técnicas verticais. Um dos cânions mais radicais para se descer no Centro Oeste utilizando-se as técnicas verticais e de canionismo é o formado pelo Rio São Bartolomeu no local conhecido como Ponte de Pedra.

Hoje em dia a cidade tem uma tendência crescente para o ecoturismo e para o turismo de aventura. Tem duas pousadas, um hotel, duas pousadas campestres, alguns campings e muitos moradores alugam suas casas para os turistas. Festas populares, como a Caçada da Rainha, também estão sendo retomadas com mais força e apoio em virtude do turismo.

Cavalcante passou a ter uma economia baseada na pecuária, agricultura familiar, e extração dos minérios que sobraram. Ainda hoje é possível encontrar dragas no Rio das Almas retirando areia para a construção civil, dano ambiental já denunciado mas pouco apurado. O muro de contenção da barragem de resíduos químicos da mineradora que ainda atua na região quebrou e contaminou o Rio das Almas por algumas semanas. Entendo que o incentivo ao turismo na região poderá incentivar o abandono de tais práticas.

Na entrada da cidade há um pequeno centro de apoio ao turismo onde pode-se encontrar os guias. Eu recomendo o Pedrão, o Daniel ou seu João da Vagem (o que tem as melhores estórias de garimpo).

Quem for, eu recomendo que vá à Cachoeira de Santa Bárbara, que fica dentro do povoado kalunga Engenho II. Na volta, pode-se comer um almoço Kalunga na casa do seu Cirilo. Outros locais legais são o Vale das Araras (onde há uma pousada) e as cachoeiras da Fazenda Veredas.

A ONG Berço das Águas tem um projeto que propõe o incentivo ao ecoturismo e tursimo de aventura como estratégia para o desenvolvimento sustentável da região e está mapeando uma trilha que segue o caminho que os bandeirantes faziam quando carregavam o ouro, desde Cavalcante até Alto Paraíso, e por trilhas menos antigas de Alto Paraíso até São João d'Aliança.

 

 

VISITE CAVALCANTE!

 

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por guilhermenavarro
      Um relato de Guilherme e Thais, com nossos amigos de viagens e do interiorrrr de SP, Daniel e Dayane. Realizamos uma viagem de 03 dias completos para Chapada dos Veadeiros entre 19/06 e 23/06, durante feriado prolongado. 
      Origem: São Paulo. Avião com destino Brasília e aluguel de veículo (Duster) no próprio aeroporto. Optamos pela Duster pra evitar problemas com buracos, maior espaço interno e em eventuais travessias de rios, apesar de que em época seca (junho) o nível é baixo.
      Hospedagem e Clima: Camping Pachamama. Durante a noite faz frio (+/- 13ºC), utilizamos sacos de dormir (10ºC) + Isolante Térmico, foi o suficiente.
      Objetivo do Relato: Apresentar um conteúdo que facilite uma viagem ao local, com as nossas impressões, planejamento, custos e dicas.
      Aplicativo para Trilhas e Locomoção: aplicativo Avenza Maps. Mesmo na ausência de sinal ou internet, com mapas georreferenciados, é possível se guiar em trilhas e rodovias, com a sua posição aparecendo no mapa. Os mapas georreferenciados estão disponíveis para download ao final do relato. Nem todos os mapas foram utilizados na viagem, creio que o mais útil seja referente à trilha para Cachoeira do Segredo, nas proximidades da vila de São Jorge.
      Contextualização: O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros contém parte dos atrativos da região, e é localizado cerca de 3 horas distantes de Brasília (244 km). A entrada para visitantes é localizada na vila de São Jorge, pertencente ao município de Alto Paraíso de Goiás. Outra cidade integrada à região é Cavalcante, onde é situado o quilombo Kalunga, que contempla boa parte de outras cachoeiras de interesse.
      Dessa forma, a vila de São Jorge, Alto Paraíso e Cavalcante constituem-se nos principais destinos turísticos da região, e opções de hospedagens. Uma vez que o nosso grupo (de dois casais) prefere a hospedagem em camping, distante de cidades, optamos por nos hospedarmos no Camping Pachamama, localizado entre a vila de São Jorge e Alto Paraíso.
      Roteiro: O roteiro foi baseado na distância entre os locais, sendo que os agrupamos conforme a distância entre eles e o Camping.
      Consideramos o período de 03 dias para realização dos mesmos. Sendo assim, nos baseamos em mapas com a localização dos atrativos (disponíveis na internet e outros, que criamos para um melhor planejamento) e informações sobre acesso e interesse. O resumo do roteiro está abaixo:
      Quinta-Feira: Cachoeira Candaru e Cachoeira Santa Bárbara (Quilombo Kalunga, município de Cavalcante)
      Sexta-Feira: Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Trilha dos Cânions e Cachoeira Cariocas (vila de São Jorge)
      Sábado: Vale da Lua, Fazenda Volta da Serra e Jardim da Maytrea (Entre Alto Paraíso e vila de São Jorge)
      Quarta-Feira (19/06): Brasília - Chapada dos Veadeiros (Camping Pachamama)
      Chegada à Brasília (18:00) e trajeto (244 km) para o Camping Pachamama. Trata-se de uma estrada de boa qualidade e boa sinalização, realizamos o trecho em menos de 3 horas.  Estradas: GO-030, GO-010, GO-239. A rodovia GO-10 é seguida até a cidade de Alto Paraíso, posteriormente é tomada à esquerda a GO-239, que liga Alto Paraíso à vila de São Jorge. O Camping Pachamama é localizado à beira da rodovia em questão. Caso o destino seja a cidade de Cavalcante, basta permanecer na GO-010.
      O Check in no Camping Pachamama ocorre até as 22:00, onde a recepção, assim como durante comunicação prévia via e-mail, fornece uma série de informações sobre as acomodações do Camping, orientações de convivência e dicas sobre as atrações da região. O Camping fornece espaços de convivência, como a fogueira, oferece churrasqueira, armários para acondicionamento de alimentos, cozinha, banheiros com chuveiro quente. As acomodações são todas bem equipadas, limpas e bonitas.
      No Camping, o silêncio é preservado e são realizadas atividades como observação dos astros, através de telescópios. A área de Camping é gramada e com ótima vista para os planaltos (Figura 1 e Figura 2), que representam principalmente a porção central do Parque Nacional, ilustrado, no caso do Camping, pelo Morro da Baleia.

      Figura 1: Área de Camping (Camping Pachamama, GO-239, Alto Paraíso-GO) 

      Figura 2: Nós e o friozin de manhã cedo (Camping Pachamama, GO-239, Alto Paraíso-GO) 
      Quinta-Feira (20/06): Cavalcante (Quilombo Kalunga) -> Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira Candaru
      Uma vez que se tratava de feriado prolongado, a estratégia para visitar a Cachoeira Santa Bárbara (a mais disputada da região), localizada no quilombo Kalunga, Município de Cavalcante, foi realizar esse passeio no primeiro dia, uma vez que parte dos visitantes ainda não estariam instalados na região.
      A estratégia deu certo, saímos às 06:30 do Camping em direção a Cavalcante. Por volta das 08:00 chegamos no Centro de Atendimento ao Turista (CAT) de Cavalcante, onde acompanhados da Guia Ivana nos dirigimos ao Quilombo Kalunga. Quando a procura é grande, no Quilombo Kalunga são distribuídas senhas para acesso à Cach. Santa Bárbara (Figura 3), sendo que o local comporta 300 visitantes por dia (fomos a senha 257). Enquanto nossa vez não chegava, visitamos a Cachoeira Candaru (Figura 4).
      Para contextualizar o local, o Quilombo Kalunga contém 03 principais cachoeiras: Cachoeira Santa Bárbara, Cachoeira Candaru e Cachoeira Capivara. Ao menos em relação às duas primeiras, o acesso é feito através de uma carona em pau de arara, e que com certeza agrega ao passeio. Uma vez que o acesso é feito através dessa carona, o trecho de caminhada é curto.
      Alimentação: Tanto no CAT, na cidade de Cavalcante, quanto no Quilombo Kalunga é possível comprar lanches para um café da manhã. No Quilombo ainda é possível almoçar, por 30,00 R$, coma a vontade.
      Valores: Diária da Guia é cerca de 150,00 R$ por grupo. Carona sede do Quilombo - Cach. Candaru é 20,00 R$ ida e volta por pessoa. Carona sede do Quilombo - Cach. Santa Bárbara é 10,00 R$ ida e volta por pessoa.
      Janta: Ao retornar para região de Alto Paraíso, resolvemos fazer um churrasco no Camping. A estrutura do Camping é ótima, compramos gelo para a cerveja e nos foi gentilmente fornecido um isopor pela responsável do Camping. Utilizamos as mesas do Camping para jantar.

      Figura 3: Nós e a Cachoeira Santa Bárbara (Quilombo Kalunga/Cavalcante-GO)

      Figura 4: Dani e a Cachoeira Candaru (Quilombo Kalunga/Cavalcante-GO)
      Sexta-Feira (21/06): Vila de São Jorge -> Parque Nacional - Trilha dos Cânions e Cachoeira Cariocas
      Contextualização: O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros possui entrada de visitantes na Vila de São Jorge. São 04 opções de trilhas (http://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/guia-do-visitante.html), e os caminhos são devidamente sinalizados durante todo o trajeto. A dificuldade é variável, sendo que é possível (com agendamento prévio) realizar a travessia do parque, com acampamento durante o percurso, ou mesmo trilhas simples, de poucos metros.
      Por conciliar cachoeiras favoráveis ao banho e paisagens bonitas, optamos pela Trilha dos Cânions (Figura 5) e Cachoeira Cariocas (Figura 6). Trata-se de 06 km de ida, e 06 km de volta, o desnível é baixo se comparado à Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras. A Geologia do PARNA Chapada dos Veadeiros se refere ao Grupo Araí (Mesoproterozoico, 1770 Ma.), formado em ambiente de rift (semelhante ao que se passa atualmente próximo à Etiópia, através da separação de duas porções da África) caracterizado por marés e ações de ondas (Figura 7), e predominam na trilha visitadas quartzitos com estratificações cruzadas que... traduzindo, indicam o sentido e direção do transporte de sedimentos à época.
      Alimentação: Na recepção do Parque é possível tomar café da manhã e lanches.
      Valores: A entrada do Parque é gratuita (junho/2019). Foram gastos 15,00 R$ de estacionamento, à frente do Parque.
      Janta: Ao sair do Parque fomos ao restaurante Rústico, ainda na Vila de São Jorge. O local apresenta cardápio variado (carnes, massa, hamburgeres), o hamburger realmente muito bom. Também tomamos uma Cerveja Local da Chapada dos Veadeiros (32,00 R$). O preço do local é salgado.

      Figura 5: Nós e o Canyon ❤️

      Figura 6: Cachoeira Cariocas

      Figura 7: Marcas de Ondas nos quartzitos do Grupo Araí...
      Sábado (22/06): GO-239 (ligação Alto Paraíso - Vila de São Jorge) -> Vale da Lua, Fazenda Volta da Serra (Cachoeira do Cordovil e Poço das Esmeraldas) e Mirante do Jardim de Maytrea
      Contextualização: O Vale da Lua e a Fazenda Volta da Serra são próximos entre si, e do Camping Pachamama.
      O Vale da Lua (Figura 8) apresenta grande beleza cênica e ao final do percurso há a possibilidade de nadar, inclusive entre as fendas na rocha. A caminhada é curta, poucos metros.Tem como atração as rochas conglomeráticas (Figura 9) de matriz carbonática (Conglomerado São Miguel, base do Grupo Paranoá, de idade Mesoproterozoica... traduzindo, de 1 a 1,6 bilhões de anos). A matriz carbonática é solúvel, assim como ocorre em cavernas de rochas carbonáticas, e apresenta feições cársticas. A alta solubilidade desse conglomerado faz com que o Ribeirão São Miguel escave a superfície rochosa, crie marcas que demonstrem o fluxo de água, e as chamadas "Panelas". Mais informações sobre a história geológica do Vale da Lua: http://sigep.cprm.gov.br/sitio077/sitio077.pdf
      Alimentação: É possível comprar lanches na recepção do local.
      Valores: A entrada no Vale da Lua é 20,00 R$ por pessoa.
      A Fazenda Volta da Serra tem como principais atrações a Cachoeira Cordovil (Figura 11) e Poço das Esmeraldas, optamos por iniciar o passeio pela Cachoeira Cordovil, e ao retornarmos fizemos pequeno desvio que nos levou ao Poço das Esmeraldas. O percurso é 4 km ida, 4 km volta até a Cach. do Cordovil, sendo que o caminho é por si só uma atração (Figura 10), onde a paisagem do das serras, de campos limpos e do cerrado com árvores retorcidas toma conta. A dificuldade de uma trilha varia conforme o relato, sendo que ouvi amigos que fizeram o passeio anteriormente afirmarem que o trecho final é extremamente difícil, com pedras escorregadias; realizamos a trilha com bota, em época seca, e a dificuldade da trilha foi baixa. 
      O Poço das Esmeraldas possui águas cristalinas, esverdeadas. As camadas pelíticas (sedimentos finos) da Formação São Miguel parecem aflorar (no linguajar geológico... quando uma rocha aparece por aí), onde são claras as gretas de contração... traduzindo:  sabem aquelas  imagens famosas do nordeste, onde o fundo de lagos, rios secos ficam todos craquelados? isso é uma greta de contração! e no registro geológico, isso também permanece. Vemos, portanto, gretas de contração bem antigas (Figura 12).
      Alimentação: É possível comprar lanches e brindes na recepção do local. O Café da Fazenda Volta da Serra e o Mel, também produzido no local, são bem gostosos.
      Valores: 25,00 R$ por pessoa.
      Após sairmos da Fazenda Volta da Serra, e antes de ir a vila de São Jorge, nos dirigimos ao mirante do Jardim de Maytrea (Figura 13). Localizada na própria GO-239, que liga Alto Paraíso a vila de São Jorge. Trata-se de uma vista super famosa da Chapada dos Veadeiros, é um passeio rápido mas que vale a pena, ainda mais ao final da tarde.
      Janta: Provavelmente no melhor restaurante da Vila de São Jorge, o Restaurante Buritis. Há a opção de comer massas, ao estilo Spoleto, com diversos ingredientes e podendo repetir o prato. Ou pedir pratos individuais, fartos, com arroz, feijão, e carnes. O preço é camarada, a comida é muito boa. Nota 10.

      Figura 8: Nós <3, Aia, do Conto de Aia, e o Vale da Lua

      Figura 9: Clastos em Paraconglomerado São Miguel, pronto a ser retrabalhado (novamente solto e carregado) pelo rio atual

      Figura 10: Trilha na Faz. Volta da Serra, sede da fazenda - Cachoeira do Cordovil

      Figura 11: Cachoeira do Cordovil, Fazenda Volta da Serra

      Figura 12: À esquerda gretas de contração em rochas do Grupo Paranoá, de idade Mesoproterozoica (1 a 1,6 bilhões de anos) que margeiam o Poço das Esmeraldas na Faz. Volta da Serra. À direita, apenas para exemplificação, gretas de contração atuais, em algum outro lugar do Brasil rsrsrs

      Figura 13: Jardim da Maytrea... não me pergunte o porquê do nome
      Informações Geológicas:
      Mapa Geológico (Folha Cavalcante), ao norte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: http://www.cprm.gov.br/publique/media/geologia_basica/pgb/mapa_cavalcante.pdf
      Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (Sítio SIGEP 096): http://sigep.cprm.gov.br/sitio096/sitio096.htm (clique em ver Capítulo Impresso)
      Vale da Lua (Sítio SIGEP 077), informações geológicas: http://sigep.cprm.gov.br/sitio077/sitio077.pdf
      Mapas Georreferenciados (Abrir no app Avenza Maps):
      -São Jorge-Alto Paraíso - Trilha Cach. Segredo - Avenza Maps
      -Alto Paraíso - Trilha Couros e Muralha - Avenza Maps
      https://drive.google.com/a/usp.br/file/d/1x2q2qU7a2QSbn_5dj8L-4UswVcQZDuGN/view?usp=sharing
      -São Jorge - Trilhas Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros  - Avenza Maps
      https://drive.google.com/a/usp.br/file/d/1coEOgUTiXCTxjkwilzZcSzdEXHyKu16w/view?usp=sharing
      -São Jorge-Alto Paraíso (Trilhas na região de vila de São Jorge e Alto Paraíso) - Fotos Aéreas - Avenza Maps
      https://drive.google.com/a/usp.br/file/d/1dJ_KsofUVhLlGA0AQmvnkNz_-6Lvag2M/view?usp=sharing
      -São Jorge-Alto Paraíso - Topografico - Avenza Maps
      https://drive.google.com/a/usp.br/file/d/1kGxgt1PY9Xf1aP-RA2udc1kAAgfTfIPR/view?usp=sharing
      -São Jorge-Alto Paraíso - Ruas  - Avenza Maps
      https://drive.google.com/a/usp.br/file/d/19LslnGKD5ncxiFxWQJkCLAlcA9lcbiMp/view?usp=sharing
      -Cavalcante (Trilhas na região de Cavalcante) - Ruas  - Avenza Maps
      https://drive.google.com/a/usp.br/file/d/1yZYagn1-lUD4Yuu3-Gjh8WtdwZtMKfhW/view?usp=sharing

       
    • Por Rogpan
      Nossa Trip foi bem louca galera!
      Primeira vez que resolvemos fazer o Mirante, confesso que foi uma das melhores e mais sinistras...rs
      No dia 30SET resolvemos comemorar meu niver fazendo uma bela trilha, um bate e volta dos bons... Como estava recebendo uma grande amiga em BSB Ariadne Rodrigues ( amiga de velhas cervejas )... fechamos a equipe convidando nosso grande amigo Reis ( conhecido nas redes sociais das trilhas).
      Partimos então para a Vila de São Jorge - GO e claro direto para a trilha!
      O acesso dar-se ao final da Vila de São Jorge no caminho para a antena de telefonia e seguindo um caminho não muito demarcado, como trata-se uma área particular apenas se chega de carro até uma área onde deixamos os carros e seguimos a pé por uns 1500m até a entrada onde fica o Sr Graciliano, senhor simples e de boa prosa... a trilha não tem mapa, é demarcada em partes ( talvez por conta dos guias e dos aventureiros que não curtem pagar ) então as orientações são de total conhecimento de quem já foi pelo menos uma vez e do Sr Graciliano.

       

      Início da trilha
       

      Chegando próx a Cachoeira do Abismo
       

       

      Cachoeira do Abismo
       
       

       
       
      Platô antes da Janela
       

      Reis fazendo um registro
       
       
      Registro no Mirante da Janela
       
       
       
      Após um café com Sr Graciliano
       
      Paga-se em média um valor de R$15,00 a R$20,00 por pessoa (em espécie) para visitação ao local dando direito a visitação na Cachoeira do Abismo ( fácil acesso ) e no Mirante da Janela ( médio a difícil). Neste último é comum muitos visitantes voltarem sem achar o mirante pois na parte final da trilha as demarcações foram retiradas, e acabam muitos se perdendo, o que muitas vezes é acionado o Corpo de Bombeiros local...
      Assim é importante ter em mente as orientações do Sr Graciliano ou ir com alguém que já foi.
      Dica: na última parte, ao achar uma espécie de circulo de rochas, mantenha a sua direita contornando este círculo, descendo um pequeno trecho onde tem como marcação um aste de madeira fincada e contornando pela direita novamente chega-se ao Mirante. Recomenda-se também voltar antes de escurecer ou levar lanternas para não perder o caminho de volta. Já fiz esse trecho a noite e é um pouco ruim o acesso.  
      Boa Trilha!

    • Por Carlosfuca
      1. Chapada dos Veadeiros: Cachoeira dos Cristais + chegada em Goiás

      (Foto: Cachoeira Véu de Noiva - Fazenda dos Cristais)
      Mapa: https://goo.gl/maps/B6fUo5G4PnNs5Snh6
      Acordei um pouco antes das 6h da manhã, dormi bem, estava cansado da viagem de ônibus de São Paulo até Alto Paraíso- Goias. Hoje é dia 06 de dezembro de 2019, o dia amanheceu nublado e o sol aparecia vez em quando bem tímido. Assim, apenas preparei o que eu iria levar, pois o destino do dia prometia: Cachoeiras dos Cristais. Dar inicio de vez às visitas pras cachoeiras da Chapada dos Veadeiros.
      Com a carteira, câmera fotográfica, celular e chave numa sacolinha, eis que as 06h40 comecei minha caminhada rumo a GO-110. Saí a rua do Camping Girassóis, dobrei à esquerda na Av Ary Valadão Filho pra, já no portal da cidade, tomar à direita na rodovia GO-110. A partir de então me pus a fazer uma corrida de leve num trajeto de 5km por essa rodovia, na maioria do trecho a estrada permanece reta, mas não plana. Também nada de aclives e declives acentuados.
      Com uma paisagem bem bonita do cerrado brasileiro, as 07h30 me deparo com a placa indicando Fazenda Cachoeira dos Cristais, só seguir mais 3km à direita, numa estrada de terra, daí então volto a caminhar, bem suave e reparando cada detalhe que posso pelos meus sentidos. Devagar também porque o local abre as 08h00 ainda.
      Observando os besouros, as abelhas, os lagartinhos, as folhas, as flores, as árvores, os pássaros, as formigas, a terra, os morros, eis que as 08h10 apresentei na portaria, um senhor me atendeu, seu Chiquinho, e como a lanchonete ainda não estava aberta fui direto pras cachoeiras.
      São varias, muitas de verdade, porém segui direto até a última que é a Véu de Noiva e na volta fui parando nas outras. A trilha até a Véu de Noiva é de 400 metros e essa queda é simplesmente encantadora, o sol ainda meio tímido ajudava a reluzir a beleza contida nessa parte do paraíso. Após muito descansar e curtir numa boa, comecei a subir para as outras quedas, são lindas também, uma perto da outra. Realmente aqui tem muitas opções para todos os gostos e disposições.
      As 10h30 a chuva veio nos acompanhar e então foi a deixa pra eu comer os deliciosos pasteis da lanchonete (pedi Frango com pequi e de Marguerita) e tomar uma saudável jarra de suco de laranja. 
      Agora estou escrevendo num papel, os pingos caem leve na grama e na terra, minha cobertura é um quiosque de palha, o apoio para o papel é uma mesa de madeira envernizada, do meu lado um redeiro. Alguns trovões anunciam chuvas para as próximas horas.
      Como cheguei em Alto Paraíso - Goiás (Chapada dos Veadeiros)
      No terminal Rodoviário Tietê em São Paulo, embarquei  (as 18h - 04/12) num busão pra Brasilia pela viação Real Expresso, preço R$159,00. Cheguei na Rodoviaria Interestadual de Brasilia as 10h30 (05/12), portanto perdi o ônibus das 10h que opera de Brasilia até Alto Paraíso, o próximo só viria as 19h (R$45,00). Bom, pensei em procurar carona e também pensei em pegar metrô e conhecer a cidade, mas no caminho do metro, que é logo do lado a rodoviária, uma quentinha me chamou por R$09,00, então almocei ali mesmo e depois voltei pra esperar no espaço VIP da Real Expresso, daí já aproveitei pra entrar em contato com familiares e amigos, além de avisar a dona do Camping que eu estava a caminho e iria chegar umas 23h00. 
      Fui recebido na rodoviária de Alto Paraíso que está bem próxima do Camping dos Girassóis, armei a barraca e fui dormir...
      Estou em paz, depois eu volto por aqui. E com fotos.
      Pédenatureza!!!
      Página facebook: https://m.facebook.com/campingecachoeiradoscristais/?locale2=pt_BR
       
        
        
        


×
×
  • Criar Novo...