Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

De Frankfurt até os Fiordes, de carro.


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Bem,tentando cumprir minha promessa de voltar...

 

Eramos eu e minha esposa e o roteiro básico da viagem foi chegada em Frankfurt e saída de carro no dia seguinte, entregue apenas no dia da volta no aeroporto, passando pela Bélgica, Holanda, Dinamarca, Suécia e Noruega. Em princípio pode parecer muito, embora tenham sido trinta dias, mas se você faz uma boa pesquisa e seleção de onde pretende ir isto deixa de ser problema.

 

Primeiro dia: chegada no hotel em Frankfurt. Escolhi um do lado da Hertz, pode parecer bobagem mas facilita bastante pegar o carro e já estar com as malas ao lado

 

Detalhe: sempre viajo com carro alugado pela Hertz, com pagamento antecipado no Brasil e aproveitando as promoções. Nesta viagem, com trinta dias de aluguel, paguei uns R$ 70,00 por dia. O carro foi um Ford Focus SW.

 

Bem, não posso falar muito sobre Frankfurt pois quase não conheci nada por lá. Depois de instalado no hotel fui para o centro histórico comer salsichões e tomar cerveja e dar um passeio na beira do rio. Pode-se dizer que é um bom programa para que já está lá mesmo, como no meu caso.

 

Algumas fotos de lá:

 

Segundo dia: Como dito, peguei o carro e caí na estrada. Primeira parada foi em Freudenberg - Alter Flecken cerca de 130 km de Frankfurt, um daqueles vilarejos que vemos em fotos e ficamos cheios de vontade de ir. É bem pequeno e dá para curtir em algumas horas e depois seguir viagem.

 

mais fotos:

 

De lá partimos para Koln, continuo em outro post.

 

Abraços,

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

terceiro dia: Chegamos em Koln já de noite, no dia anterior. Já aproveitamos para jantar e dar um primeiro passeio pela cidade. O dia seguinte foi dedicado a caminhar pela cidade. Nestas situações o carro sempre fica parado no estacionamento até a hora de ir embora, pois a melhor forma de conhecer as cidades é a pé mesmo.

 

E sem dúvida Koln é uma cidade que merece. Muitos lugares para se conhecer. A catedral é uma das maiores que conheci, embora o interior na minha opinião não acompanhe a beleza exterior. Bons restaurantes, lindos visuais....eu diria que para amantes da fotografia é um prato cheio. Indico o visual do outro lado do rio, principalmente se forem noturmas, com o visual da ponte, da catedral e demais prédios históricos.

 

Na ponte curta os milhares de cadeados presos nas telas (isto parece moda na Europa...).

 

Para quem gosta de fotos, veja o link:

 

Quarto dia: depois de uma volta de despedida caímos novamente na estrada. Fomos parando por algumas cidades pelo caminho, como Zons, uma bela vila medieval toda murada, as margens do rio Reno e mais algumas, como para ver um trem aéreo bem antigo - o Schwebebahn - em Wuppertal.

 

Mas o maior objetivo deste dia era o vilarejo de Munschau, que fica na região de Eifel do Norte. E valeu a pena, o mais belo vilarejo que vi nesta viagem. Situado as margens do rio Ruhr, com muitas casas de maiderame é fantástica, imperdível. Vejam as fotos:

 

O dia terminou com a chegada em Bruxelas. Continuamos em outro post....abraços,

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Quinto dia: Um dia para Bruxelas.

 

Pode parecer pouco mas acordando cedo e com um longo dia de sol pela frente é possível. Claro que existem muitos lugares que não fui e atrações que podem te interessar, mas viajar é uma experiência única e pessoal e só você pode definir o que vale a pena ou não conhecer. Claro que para que está começando na "doença" das viagens pode ser um pouco complicado mas da segunda vez em diante já fica mais fácil. Coloquei abaixo um link onde dou dicas em como planejar sua viagem:

 

dicas-como-criar-seu-roteiro-de-viagem-em-oito-etapas-t49495.html

 

Bem, voltando ao relato, na véspera já tínhamos passado na na Grand Place, que sem dúvida é uma das mais bonitas da Europa e é famosa pelas belas construções que sediavam as antigas guildas. Tem várias, as donos de armarinhos, dos barqueiros, dos cervejeiros..... a noite tem uma iluminação especial que cria um visual bem especial, embora meio over em alguns momentos.

 

No dia seguinte muita andança, começando pela galeria de Saint-Humberts e depois andando pelos locais mais conhecidos e pelas ruas da cidade, sem pressa, entrando na catedral, passando pela praça de dia, indo ao obrigatório Manneken-Pis, a estátua mais famosa da cidade, pelo palácio da justiça e pelo arco com a indefectível carruagem e seus cavalos em cima .. bem parecido com o portão de Brandemburgo em Berlim, fica no parque do Cinquentenário. Muitos podem perguntar, e os museus? Não fui...nada contra, até curto mas já fui aos principais, mas que quiser conhecer tudo disponível pode considerar mais um ou dois dias.

 

Em relação a comida, uma atenção especial para os chocolates, uma maravilha, dos melhores do mundo. E tem também as batatas fritas, consideradas as melhores do mundo. Existem quiosques que vendem as batatas com linguiças, fui em um dos principais da cidade, que não lembro mais onde fica, só lembro que não era no centro, ficava para o lado do parque do Cinquentenário. O nome é Maison Antoine, mas apesar do nome é um quiosque. Vá com fome pois vale por um almoço e foi apenas 13 euros para 2, além de conhecer um hábito tradicional local, não tinham outros turistas, economiza-se tempo e dinheiro.

 

E quanto as cervejas? Para quem curte imperdíveis, principalmente as fortes, tipo 9,2 %.

 

Bem, para manter o hábito, algumas fotos:

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 mês depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...