Ir para conteúdo

Havana 7 dias


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Olá amigos,

 

Não é comum encontrar relatos de viagem para o único país socialista das Ámericas, assim com o intuito de ajudar futuros mochileiros que pretendem conhecer esse país tão peculiar, farei aqui o meu relato de viagem para a capital cubana.

 

Antes de mais nada é preciso de visto para conhecer o local, eu optei por utilizar um despachante devido a falta de tempo. O processo é relativamente simples, para aqueles que preferem realizar a tarefa por conta própria existe um consulado em São Paulo.

 

Eu viajei pelo voo da empresa peruana Taca. Uma boa companhia que realizou os voos sem o minino de atraso. No meu caso isso foi importante pois na minha volta eu teria uma conexão em Lima de apenas 1 hora. Porém tudo ocorreu sem maiores problemas.

 

Primeiramente saí de Belo Horizonte e passei dois dias no Rio de Janeiro com amigos. Os meus voos foram os seguintes

 

Rio de Janeiro - Lima (2 horas de escala)

Lima - Son Salvador (23 horas de escala)

Son Salvador - Havana

 

Em relação essa escala de 23 horas, eu sai do aeroporto e fui conhecer a caótica capital de El Salvador, um local que posso dizer que é no mínimo curioso.

 

Dia 1 - Chegada em Havana

 

Para minha infelicidade eu cheguei em Havana debaixo de uma verdadeira tempestade, e eu ainda precisa trocar dinheiro, trocar os euros pelos CUC, que é a moeda do turista, e existe o CUP que é a moeda do povo local que não pode ser utilizada por nós. O taxista me levou em uma casa de câmbio próxima ao aeroporto de Havana, e assim realizei a troca do dinheiro. Segui para minha hospedagem que era no bairro Vedado próximo ao Malecon. Com uma certa dificuldade cheguei ao local. E como era fim de tarde e a chuva insistia em continuar, passei o dia descansando na pensão.

 

Observações importantes: Não leve dólares para Cuba em hipótese alguma, quando ocorre o cambio da moeda americana pelo CUC, as casas de cambio e bancos cobram um imposto de 13% sobre a troca, diferentemente de outras moedas, no caso a mais aconselhável a ser trocada é mesmo o Euro.

Eu realizei minha reserva em Cuba pelo site http://www.mycasaparticular.com , que conta com uma infinidade de casas que você pode se hospedar não só em Havana mas em toda Cuba, são opções mais econômicas e interessantes, pois você passará sua viagem em uma legitima casa cubana, eu fiquei na casa 0014, no bairro Vedado, propriedade do Sr. Carlos, fui bem tratado, porém a casa era um pouco longe dos pontos de interesse de Havana.

 

Dia 2 - Tempestade no Caribe

 

A chuva continuava de forma agressiva, e a região onde eu estava, se encontrava totalmente alagada, algo parecido com Belo Horizonte quando chove (os mineiros vão entender), e lá você é proibido de sair de casa quando ocorre uma situação desse tipo, então meu segundo dia em Havana foi "sensacional" passei ele dentro de casa.

No fim eu e Sr. Carlos, ficamos simplesmente conversando da situação de Cuba, de coisas do Brasil, e outras coisas irrelevantes.

 

Observação importante: Nem todos cubanos se sentem a vontade para conversar sobre a situação de seu país, sobre os irmãos Castro, ou coisas políticas. Alguns conversam sem problemas, já outros se sentem bastante receosos. Bem o Sr. Carlos, fazia parte daqueles que conversam sem problemas. Conheci e descobri muita coisa sobre a política e a situação Cubana.

 

Dia 3 - A chuva ameniza

 

Finalmente a chuva acalmou, agora eu estava livre para conhecer a pitoresca cidade de Havana, segui para plaza vieja, ponto de parada obrigatório em Cuba, e a chuva ainda caía, Cheguei em um dos pontos mais famosos de Havana, e o local estava deserto, parece que os turistas não queriam enfrentar a chuva que estava caindo de forma mais amena. Eu pensei comigo "Não é todo dia que visito Cuba, vou ficar apenas mais 5 dias aqui, então que se dane a chuva".

Andei pela histórica Havana Vieja, e o contraste do local é fortíssimo, são alguns prédios históricos bem conservados, enquanto alguns estão simplesmente em ruínas, literalmente caindo aos pedaços.

O meu dia se resumiu a rodar Havana a pé.

 

Dia 4 - Conversando com o povo cubano

 

Com o templo nublado segui rumo à estação rodoviária, com a intenção de comprar uma passagem para Cienfuegos. Chegando ao local fui informado que os onivus não podiam visitar o local devido as chuvas torrenciais de dias anteriores. Não só Cienfuegos como as demais cidades cubanas. Fiquei realmente chateado por que além de não conhecer uma cidade que eu estava muito ansioso pra ver eu vi meu planejamento de viagem dando errado, assim sendo eu não conseguiria visitar CIenfuegos, nem Santa Clara e nem Trinidad.

Com isso voltei para o marco zero de Havana onde fica localizado o famoso capitólio cubano que tem os mesmos moldes do americano. Sentei um pouco na praça para descansar dos dias exaustivos. Logo apareceu um cubano simplesmente querendo conversar, eu como bom mineiro fiquei um pouco desconfiado, mas logo vi que se tratava de uma pessoa sem interesses que queria apenas conversar, queria saber coisas sobre o Brasil, queria informações sobre a novela(quando fui lá estava sendo transmitida a novela Avenida Brasil, e os cubanos estavam em êxtase com a novela) que infelizmente não pude ajudar, e demais assuntos. Porém para minha alegria a chuva voltou mais uma vez, em forma de tempestade. Com isso o meu amigo cubano me convidou para ir almoçar em sua casa. Mais uma vez desconfiado pensei em negar, mas cedi. Fui para a casa dele, onde comi um típico prato cubano (carne porco com arroz negro), com uma típica família cubana (meu amigo Noel, sua esposa e duas tias), em uma típica casa cubana no centro. Ao terminar eu queria pagar algo para ajudar, a principio eles negaram, mas após algum tempo aceitaram, era o minimo que podia fazer após ser tão bem tratado, me despedi de Noel e segui para as demais redondezas de Havana, onde fui chamado por um cubano na rua que também queria conversar, esse de agora de nome José era apaixonado por futebol, e se queixava que em Cuba o futebol não era nada perto de outros esportes como o beisebol, então o papo girou em torno disso.

Já estava de noite quando voltei para minha pensão em Vedado.

Observação importante: O povo cubano é realmente carismático, porém eles gostam de mexer bastante com as mulheres estrangeiras, nada que seja perigoso, mas aquelas típicas cantadas de pedreiro acontecem a toda hora, e acreditem mulheres pelo o que vi lá, não tem como escapar disso.Não é nada que ofereça perigo, porém em alguns momentos chega a ser um pouco chato.

 

Dia 5 - Conhecendo cada rua e beco da Havana Vieja

 

O sol abriu. Aleluia, Agora eu poderia conhecer o famoso bairro velho de Havana sem preocupações e sem me esconder da chuva que quase me carregava. Então tirei o dia para conhecer os principais pontos de Havana. Comecei pela plaza San Francisco, que é a principal que conta com restaurantes e cafés, e uma bela catedral, antiga, segui adiante até a plaza de armas, que achei a mais bonita de Havana(abaixo colocarei as fotos de cada uma delas), depois fui para a plaza de la catedral, e segui conhecendo pontos famosos como a Bodeguita del Médio, próximo a plaza de la catedral, voltei pela alameda e também conheci o museu del ron de havana (Havana Club), especialidade cubana. Como dizem os próprios nativos, nossos três pilares são o rum, açucar e tabaco. Por fim voltei para a plaza de armas próximo ao hotel santa Isabel onde estava ocorrendo uma feira com venda de livros e antiguidades, com muitos materias interessantes. Terminei meu dia com 2 livros sobre a revolução cubana, 1 livro de fotos de Che Guevara e 1 livro de fotos de Camilo Cienfuegos, todos de ótima qualidade, a bons preços.

 

Observação importante: Caso compre algo em feiras, exposições e afins, assim como no Brasil, basta praticar a pechincha caso queria conseguir algo à preços melhores.

 

Dia 6 - Museu de la revolucion e Plaza de la revolucion

 

Meu último dia em Havana, foi destinado aos pontos da revolução, primeiro a praça e em seguida o museu. Como o dia estava de sol, e bonito resolvi ir a pé da minha pensão em Vedado até a praça da revolução. Bem, eu cheguei lá, mas foi demorado demais, e debaixo do sol, desaconselho a todos essa parte rs. Alguns Kg mais magro, cheguei ao ponto onde Fidel Castro, mais conhecido como El comandante, fazia os seus famosos e longos discursos, o local ainda conta com "mirador" que estava fechado, adivinhem por que? Por causa das chuvas dos outros dias ele estava num pequeno processo de reforma. A praça também conta com prédios decorados com as esfinges de Che Guevara e Camilo Cienfuegos, dois importantes nomes da revolução cubana.

Da praça segui para o museu, meu meio de transporte dessa vez foi o famoso CocoTaxi. Cheguei ao museu, perdi um bom tempo lá dentro, O espaço conta com detalhes todo o processo que desencadeou a revolução do unico país socialista das Ámericas. O museu conta com um ótimo acervo de materiais e peças, além de ter um ótimo espaço, para os que não sabem, o museu era a antiga casa presidencial cubana, o motivo de mudança de local, ocorreu devido a "falta de segurança" do mesmo, agora os irmãos Castro ficam bem longe do centro de Havana.

Logo depois disso conheci também o local onde a turma do Buena Vista Social Club se encontrava para tocarem suas musicas e jogar conversa fora.

Finalizei meu dia, tomando uma cerveja na plaza de armas, ao som de uma agradável banda que tocava musicas típicas de Cuba.

 

Observação importante: Dependendo da época do ano prepare se para um clima bastante maluco, eu peguei chuvas, ventanias, tempestades, sol escaldante, isso em um período de uma semana.

 

Dia 7 - Adeus Havana querida

 

No ultimo dia apenas almoçei em minha pensão e segui para o aeroporto de Cuba, cheguei bastante cedo pois já conhecia as limitações do aeroporto. O mesmo estava apinhado de gente e uma verdadeira confusão, ainda bem que cheguei cedo e consegui resolver tudo sem maoires problemas.Chegava ao fim uma viagem inesquecível. Ao mesmo tempo que a chuva não me ajudou, conheci a capital de um país singular além de conhecer pessoas fantasticas, que me deram a oportunidade de conhecer uma cultura tão preciosa e peculiar.

 

Aqui fica meu pequeno relato de viagem à Havana/ La habana, espero ter ajudado meus amigos mochileiros com esse relato, caso queiram mais alguma informação estou sempre a disposição aqui no site dos mochileiros.Também podem me mandar um e-mail pelo [email protected]

 

Nos vemos pelo mundo.

 

Não podiam faltar as fotos, seguem as mesmas abaixo

 

Ventania e tempestade em Havana

DSC00704.JPG.f40f4d40069ff8d5f20ad3ab6b0134cf.JPG

 

Sala da minha pensão no bairro de Vedado, meu quarto era o da direita

DSC00692.JPG.9cb7e88a8af1ee7d9020e2f4fc7fd78d.JPG

 

Frota de carros cubanos

DSC00858.JPG.285c662bad4a40a62a756d341d83cb04.JPG

 

Meu amigo Noel

DSC00717.JPG.3347afdcab261cdfc32cf0d56cc7e685.JPG

 

Museu de la revolucion

DSC00803.JPG.d048951989ed475f6ba80ac0d7693752.JPG

 

Plaza de la revolucion

DSC00913.JPG.a091c563341cf7f1f5088ff405c4ccdd.JPG

 

Propaganda socialista

DSC00894.JPG.b7ce65a271ea68a863edec65bcdcbfa5.JPG

 

Capitólio

DSC00942.JPG.69164d750045fc2a8574de08ab40ddb0.JPG

 

Minha rua no bairro Vedado

DSC00959.JPG.bcf79b4d14cfffcff44484a62ca1179d.JPG

 

Catedral

DSC00921.JPG.9f1513d3bd27a90c053e11f67064e4e8.JPG

 

Plaza Vieja

DSC00726.JPG.fc055916bad8b242faa22d296271e6f4.JPG

 

Vista panorâmica de Havana

DSC00952.JPG.f83e42365eadf91fc15982d2466d6b87.JPG

 

Chopp final em Havana Vieja

DSC00876.JPG.3e5e676d7f42b02b3847140feeec12ba.JPG

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • Colaboradores

Olá Ayla

 

Minha estadia em Cuba foi de 28 de novembro até 5 de dezembro...

 

Nessa época o clima tava bem maluco!!!!

 

"Em geral (com variações locais), há uma estação seca de novembro a abril e uma estação mais chuvosa de maio a outubro" (Diz o wikipedia)

 

EU não confiaria muito não, o tal mês seco de novembro, foi chuva direto como vc pode ver!!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • Colaboradores

Olá Arthur,

 

Esse é um calculo meio difícil de fazer pelo seguinte.

 

Se vc quiser ficar por lá de maneira econômica você terá que andar no transporte publico local por exemplo. Até o momento salvo Bolívia e Peru eu só andei de transporte publico. Em Havana tive que andar de taxi, pq os ônibus de lá são extremamente lotados, além de ser de difícil compreensão na minha opinião.

 

Ai o preço já varia. Se vc estiver relativamente longe do centro você terá que pegar taxi para ir nas atrações principais, porém se vc estiver próximo ao centro isso não sera necessário, ai o preço varia mais uma vez.

 

Esse é um calculo meio difícil de se fazer.

 

Basicamente você pode calcular algo dessa maneira

 

Hospedagem = 30 CUC

Alimentação = 30 CUC

Gastos diversos = 20 CUC

 

Total = 80 CUC por dia

 

O preço do CUC é próximo ao dólar, vamos colocar algo em torno de 2,37

 

Total: R$ 190,00

 

Mas isso é muito por alto, como eu disse é difícil calcular

 

Mas o que eu posso te adiantar é que a moeda que temos que utilizar lá é bem cara!!!!!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 meses depois...
  • 4 meses depois...
  • Membros

Boa SenhorThiago...

gostei do seu post, exceto pela bandeira em uma das fotos... Hehe

também sou de BH (só que atleticano, rs) e estou indo pra Havana / Varadero depois de amanhã (quarta-feira).

 

Pode me dizer sobre internet lá? Só li coisas do tipo...

- Não existe mesmo?

- Só dial up?

- Quando existe é cara?

- Wireless nem pensar?

 

Valeu...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...