Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Bruno Marinho

Machu Picchu saindo de Rio Branco/AC

Posts Recomendados

A viagem a ser relatada foi feita no carnaval de 2014.

Primeiro dia

 

Na verdade, saímos de Manaus, num voo com escala em Porto Velho, com destino a Rio Branco, onde chegamos perto da hora do almoço.

Em Rio Branco, um amigo nos buscou no aeroporto e nos levou até onde ficam os táxis lotação que levam até Assis Brasil, na fronteira com o Peru, em uma viagem de 4 horas, que nos custou R$ 300,00. A estrada até Brasiléia está boa, no entanto, de Brasiléia até Assis Brasil existem alguns buracos gigantes na pista.

Chegamos em Assis Brasil pouco antes de a alfândega fechar, mas conseguimos fazer todos os trâmites ainda neste dia. Logo na fronteira pegamos um táxi peruano, que nos levaria até Puerto Maldonado.

Troquei dólares e Reais por Soles numa tenda bem em frente à alfândega.

De lá seguimos até Puerto Maldonado em uma viagem de aproximadamente 3 horas, que nos custou 130 Soles.

Chegando lá, fomos para o hotel Puerto Amazonico, onde passamos a noite.

 

1743619_657731810955171_1103198253_n.jpg.aed95bbe45b6e52f7fb26da888821367.jpg

 

 

Segundo dia

 

Pela manhã passeamos por Puerto Maldonado, apesar de não haver muitas atrações na cidade. Fazia um calor típico da Amazônia.

 

P1040501.JPG.856a310fcb0656bc077d9183ae862dce.JPG

 

Perto da hora do almoço, pegamos o avião da TACA que nos levou até Cusco.

Chegando em Cusco e já começamos a sentir os efeitos da altitude. Não teve jeito, tivemos que tomar o famoso chá de coca, oferecido no hotel. E funciona mesmo! Aliviou bastante os efeitos, pelo menos para mim. O pior era o coração muito acelerado e o cansaço frente ao mínimo esforço.

Fomos para o hotel Royal Inca II, que fica bem próximo à Praça D'Armas. Valeu a pena ter pago um pouco mais pelo hotel, pois foi realmente excelente localização e serviços.

Nesse primeiro dia escutamos os conselhos de descansar pra ver se o corpo se acostumava à altitude. Mas mesmo assim, fizemos alguns passeios nas redondezas e aproveitamos para ir à Praça D'Armas e ao Qoricancha.

 

_MG_9099.JPG.34a31b8a96654c3899e4a00985b6b752.JPG

 

IMG_0120.JPG.c73144dabb396964e398293178e9577e.JPG

 

De volta ao hotel, pedimos o contato de algum guia que vendesse pacotes para Machu Picchu e Vale Sagrado. Nos indicaram a Sra Juana, de quem disponibilizarei o telefone em breve. Ela nos vendeu o pacote para Machu Picchu, composto de ônibus, saindo do hotel às 04:00h. Foi uma viagem de 1:40h de ônibus, mais 1:40h de trem e mais 0:30h de ônibus para chegar no topo da montanha. Já para o Vale Sagrado ela nos indicou o Sr Hector, de quem também disponibilizarei o telefone. Este guia nos levou em seu próprio automóvel, espaçoso e confortável, para todos os pontos do Vale Sagrado, indo na contramão dos ônibus turísticos e só nos custou pouco mais que o pacote no ônibus.

 

 

Terceiro dia

 

Cedo, no horário combinado, o Sr Hector foi ao hotel para nos buscar. Seguimos para o passeio pelo Vale Sagrado. Começamos por Chinchero, o local de maior altitude por onde passamos. Lá pudemos ver vários resquícios da civilização Inca e observar como a população local mantém os traços físicos e a cultura indígena.

 

IMG_0182.JPG.a5f90d71fdec5cfb1207b2915b31a604.JPG

 

De lá, seguimos para Ollantaytambo, onde existe um templo gigantesco, com centenas de degraus para chegar até sua parte superior. Muito cansativo, mas vale a pela.

 

IMG_0269.JPG.b7e2c0fc3b06dd2f168240ede6ea39b1.JPG

 

Depois fomos para Pisac, onde observamos o maior número de terraços onde eram feitas as plantações, nas encostas dos morros, em forma de degrau.

 

IMG_0306.JPG.360db15c1de6e6dc5798d37fc04b3a78.JPG

 

Saindo de Pisac, ficamos parados um tempo na estrada, pois estava ocorrendo um desfile de carnaval típico da região. O interessante foi conhecer um pouco da cultura local, mesmo sem planejar.

 

IMG_0354.JPG.361d62c4c73b4511c94b299555ba9b19.JPG

 

De lá fomos para Tambomachay e Saqsaywaman, onde não pudemos ver muitas coisas, devido ao atraso causado pelo desfile da carnaval.

 

IMG_0392.JPG.16c0d00b604733bbf9a3c24a102f1511.JPG

 

IMG_0425.JPG.d5116f46b3976de6a783924014ed992c.JPG

 

O ponto forte do passeio foi o guia, que sabia muito da história e pode nos passar várias informações importantes.

 

A noite saímos para comer um ceviche, próximo à Plaza D'Armas e voltamos para o hotel.

 

 

Quarto dia

 

Esse foi o dia de conhecer Machu Picchu!

Saímos do hotel às 4:00 da madruga, para uma viagem longa, mas muito compensadora. O ônibus turístico veio nos buscar no hotel e seguimos no mesmo por aproximadamente 1:40h até Ollantaitambo, onde pegamos o trem para uma viagem de mais 1:40h até Águas Calientes. Durante o percurso de trem pudemos admirar a paisagem composta de montanhas nevadas e rios durante quase todo o trajeto. Em Águas Calientes, pegamos um ônibus até o topo da montanha, em um trajeto de 0:30h que nos deixou na porta de Machu Picchu.

O local dispensa comentários. Realmente é impressionante ver a perfeição das construções Incas. Tudo calculado e funcionando até hoje! Mais impressionante ainda é imaginar como eles conseguiram transportar tantas pedras gigantescas sem a ajuda de máquinas. Um guia nos conduziu no local, em uma visita de 2 horas, a meu ver, muito corrida. No final tivemos bastante tempo livre para passear pelo local e tirar várias fotos!

Na volta foi a mesma viagem de ida, longa e cansativa, mas aproveitamos pra dormir um pouco.

Chegando em Cusco, jantamos alguma coisa e fomos dormir.

 

 

Quinto dia

 

No último dia em Cusco aproveitamos para passear pela cidade e comprar algumas lembranças (o melhor local para comprar é no Centro de Artesanato), já que nosso voo era perto de meio dia e não teríamos muito o que fazer mesmo.

Pegamos o avião em um voo assustador, onde o avião despencou em uma turbulência sem qualquer aviso por parte do piloto. Ainda bem que estávamos com o cinto de segurança e ninguém se machucou.

Chegamos em Puerto Maldonado e pegamos logo um táxi para a fronteira com o Brasil.

Fizemos o desembaraço na fronteira e seguimos em um táxi brasileiro até Epitaciolândia, onde tivemos uma grande dificuldade para achar um hotel limpo pra dormir. Por sorte encontramos o Vila das Orquídeas, que é excelente!

Comemos algo no hotel mesmo e dormimos.

 

 

Sexto dia

 

No último dia de viagem fomos até Cobija na Bolívia, onde comprei uma câmera fotográfica muito mais barata que no Brasil e seguimos de carro para Rio Branco, onde pegamos o voo de volta para Manaus.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá querido eu gostei do seu post e é de muita ajuda visto que moro em manaus e gostaria de fazer essa mesma aventura, porém tenho dúvidas e gostaria de pedir sua ajuda, obrigada e fico ansiosa no aguardo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia a todos!

Vou repassar agora os custos aproximados da viagem:

 

Taxi de Rio Branco até Assis Brasil - R$ 300,00 (4 horas de viagem)

Taxi de Iñapari (Fronteira com Assis Brasil) até Puerto Maldonado - 130 Soles (3 horas de viagem)

 

Hotel em Puerto Maldonado - Puerto Amazonico, Avenida Leon Velarde n° 1080, 0051. Puerto Maldonado

R$211,00 casal e R$144,00 indiv. com café da manhã incluído, wi-fi e estacionamento.

 

Puerto Maldonado x Cusco R$ 842,00 (ida e volta) pela Avianca (acabei pagando caro, pois tive que comprar a passagem muito próximo da viagem, já que o planejamento inicial era ir de carro alugado desde Rio Branco)

 

Hotel em Cusco - Hotel Royal Inka I - Diária de casal US$ 72.20

 

Vale Sagrado - Em vez de comprarmos o pacote convencional, pagamos um guia que nos levou de carro por todos os locais. Ele nos cobrou 250 Soles pleo dia inteiro de passeio, o que, dividido pelos 3 ficou muito barato.

 

Machu Picchu - 220 Dólares por pessoa (inclui o transporte e as entradas. São umas quatro horas pra ir e outras quatro pra voltar até Cusco.

 

Cusco x Puerto Maldonado de Avianca

 

Puerto Maldonado x Iñapari 130 Soles

 

Assis Brasil x Rio Branco R$ 300,00

 

Boas viagens!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quando eu fui eu troquei cada Real por 1,10 Soles. O melhor câmbio foi na fronteira, em Iñapari, em uma loja bem na frente de onde você vai carimbar o passaporte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por VoandoAltoFH
      Pessoal,
      Vou fazer um relato detalhado do Mochilão que fiz no comecinho deste ano, mas que lembrei só agora de postar aqui neste site.
      O legal de tudo isso é que registrei em videos, então estará bem fácil entender o passo a passo da viagem.
      Foram no total 32 dias de viagem e gastei R$ 13.560,00 para 2 pessoas, incluindo TUDO (hospedagem, comida, passagem aérea, passagem de ônibus, seguro viagem, passeios, transporte, taxi, mercado, museu, gorjeta, entrada de parques, etc)!!! Considerando que a cotação do dólar na época beiravam os R$ 3,85 posso dizer que em moeda americana saiu por US$ 3.522,00.
      Ressalto que se dividir o valor por pessoa, acabou saindo então por R$ 6.780,00 ou US$ 1.761,00 por pessoa aproximadamente. 
      Então, acredito que saiu bem barato e aproveitei muito a viagem.
      Todos os episódios estão registrados no meu canal do Youtube, mas postarei um pouco mais detalhado aqui, já que o conteúdo é escrito.
      Mas quem tiver curiosidades, poderá assistir por lá.
       
      Canal Voando Alto
       
      Abs!
    • Por VoandoAltoFH
      Assista em Video no Youtube - Cusco
       
      Um breve resumo de tudo que fiz em Cusco e seus arredores. 
      Para realizar os passeios básico, serão necessário no mínimo 5 dias, o recomendado 1 semana.
      Dos 5 dias, 2 gastei em Cusco para planejar a viagem para Machu Picchu, fechar os pacotes turísticos, visitar os museus e o sítio arqueológico Sacsayhuaman. 
      Teve 1 dia inteiro para o passeio ao Vale Sagrado, optei pela versão VIP que é bem mais completo, que inclui Moray e Salinera de Maras.
      E 2 dias somente para Machu Picchu. Machu Picchu fica  longe de Cusco e terá que ir de trem até a cidade próxima chamada de Machu Picchu Pueblo, mais conhecido como Aguas Calientes, que era o antigo nome. É cansativo se tentar um bate-volta. 
      Então, 1 dia será para chegada na cidade de trem, na manhã seguinte visitar o sítio arqueológico Machu Picchu e voltar de trem à tarde para Cusco.
      Lembre de comprar o seu boleto turístico que é um ingresso que contém um pacote fechado de vários museus, sítios arqueológicos, teatros e eventos culturais. 
      É possível economizar uma boa grana, ao invés de pagar por cada ingresso separadamente. Principalmente se for realizar o passeio pelo Vale Sagrado.
      Compre ele no Museu de Arte Popular, próximo a Plaza de Armas. 
      O boleto custa 130 soles, que dá em torno de R$ 150,00 e vale por 10 dias.
      O Sacsayhuaman fica na parte elevada de Cusco, é um pouco cansativo se for a pé, leva de 30 a 40 minutos do centro da cidade e é uma subida bem longa. Se quiser, poderá ir de taxi.
      Chinchero é o início do passeio ao Vale Sagrado. Acabei contratando uma agência de turismo que saiu por 50 soles por pessoa, em torno de R$ 58,00.
      Estava incluído o transporte com Van, guia local e o almoço. As entradas terá que pagar por contra própria, adquirindo o boleto turístico.
      Moray e Salinera de Maras, estão incluídos somente no pacote de Vale Sagrado VIP, que é o que eu recomendo por ser a mais completo.
      Muitos acabam emendando este pacote com a ida ao Machu Picchu, mas não recomendo fazer isso porque você vai acabar perdendo a visita ao Pisaq. 
      Minha dica é que faça o tour do Vale Sagrado por completo e depois se preocupe somente com o Machu Picchu.
      As Salineras de Maras, este local não está contemplado no boleto turístico, então terá que pagar a entrada de 10 soles por pessoa, que dá em torno de R$ 12,00.
      Em Ollantaytambo fica localizada a estação de trem que vai 
      te levar até Machu Picchu Pueblo. 
      As pessoas que emendam o pacote do Vale Sagrado com Machu 
      Picchu, acabam por permanecer por aqui e não terminam o passeio do Vale Sagrado.
      Esta cidade fica a 2 horas de Cusco. Lembrando que não é possível chegar a Machu Picchu de carro ou Van. Haverá sempre um trecho, mesmo que pequeno em que terá de realizar de trem ou a pé.
      Pisaq é a última parte do passeio pelo Vale Sagrado, que é bem 
      recomendável visitar.
      Depois disso fui para a cidade de Machu Picchu Pueblo de trem. 
      Os pacotes vendidos pelas agências é em torno de 220 a 250 dólares por pessoa e nele estão incluídos a ida e volta de 
      trem, entrada ao Machu Picchu, hospedagem, em alguns casos refeição, outros a visita aos termas e a van para subir ao sítio 
      arqueológico, algumas agência incluem somente a ida de van sem a volta. 
      Negocie a ida e volta, porque descer a pé e muito cansativo.
      No meu caso, fiz tudo por conta própria, pois o valor era muito alto para poder confiar em qualquer agência de turismo.
      E não é tão difícil organizar isso sozinho, poderá realizar a reserva de hotel pelo site do Booking. 
      O trem pelo site do Peru Rail ou Inca Rail. Optei pelo Peru Rail por ter uma grande disponibilidade de horários e era um pouco mais barato que a concorrente.
      A entrada para Machu Picchu já tinha comprado em Cusco e a van que te leva até o sítio arqueológico poderá ser reservado em Machu Picchu Pueblo.
      Existem as opções um pouco mais baratas de se chegar a Machu Picchu, mas que no final de contas é mais cansativo e demandará mais do seu tempo. 
      O preço dos trens é bem caro, bem abusivo. Paguei em torno de 500 soles, em torno de R$ 570,00.
      A van que te leva até o sitio arqueológico custa em torno de 79 soles, ou R$ 90,00 para ida e volta.
      O ingresso do Machu Pichu foi de 152 soles, ou R$ 175,00.
      Creio que se eles continuarem a aumentar mais os preços, talvez não compense mais. Ultimamente têm criado várias regras restrigindo a quantidade de pessoas.
      Outras vezes, obrigavam a contratar um guia local para adentrar ao Machu Picchu. Por sorte, não foi exigido na minha vez.
      É um lugar para se visitar 1 vez e nunca mais. Haja grana para isso.
      Mas pelo menos a vista foi de matar, não é a toa que é uma das maravilhas do mundo.
      Aproveitem esse pequeno resumo com os melhores momentos de Machu Picchu.
      * Links:
      - Andean Flicker Adventure (Pacote Vale Sagrado)
      Endereço: Calle Educandas, 375 - Cusco
      Whats (Yessica): +51 984 982 013
      Tel: +51 084 599 832
      E-Mail: [email protected]
      https://www.facebook.com/flickeradven...
    • Por VoandoAltoFH
      Assista em Video no Youtube - Aguas Calientes
       
      Falaremos do que fazer em Machu Picchu Pueblo, mais conhecido como Aguas Calientes.
      Você terá que passar nessa cidade antes, para subir ao sítio arqueológico Machu Picchu. 
      Recomendo ficar 1 noite na cidade e visitar Machu Picchu na manhã seguinte e após visitar o local, pegue o trem da tarde por volta das 3:30 para retornar ao Cusco.
      No meu caso, cheguei na cidade de trem por volta das 11:30 da manhã, conforme o último video que postei da Peru Rail.
      Assim você terá o resto do dia para curtir e conhecer a cidade. 
      Mas antes disso, terá fazer algumas coisas, como reservar a van ou ônibus que irá te levar ao sítio arqueológico que mostrarei logo a seguir.
      Esse ônibus é caro. Para estrangeiro, está custando US$ 12,00 por trecho. Assim a ida e volta será US$ 24,00. Conforme a imagem que está sendo mostrado agora.
      E esse é a feirinha que aparece logo após você descer da estação de trem.
      Voltando, algumas pessoas tentam economizar no ônibus e sobem ao Sitio Arqueológico Machu Picchu a pé. O que não recomendo, para aqueles que já tem o trem reservado para horário da tarde. Pois a subida ou descida levará em torno de 2 horas de caminhada, então você perde muito tempo.
      Outros, pagam somente a ida, e descem caminhando. Mas a minha recomendação é pagar a ida e volta. Não compensa a economia, porque lá dentro do parque você vai caminhar bastante, sugiro guardar o fôlego para ver com calma lá dentro, ter uma folga e tranquilidade em relação ao tempo.
      E aqui é a parte principal da cidade, com o rio. Lá na frente a avenida principal Hermanos Ayar, que é onde vocês pegarão o ônibus para subir ao Machu Picchu.
      Referente ao ônibus, notei que há meio que um monopólio na região, a tendência é aumentar ainda mais os preços, até os visitantes começarem a dizer "chega". Pois nos últimos anos, só vejo os preços subindo de quase tudo aqui em Machu Picchu.
      É triste saber que pouco desse dinheiro fica no desenvolvimento da própria cidade, pois ouvi dizer de alguns peruanos que boa parte vai para a Capital, os políticos e outros de companhia estrangeiras, no caso de trens.
      Aproveite para conhecer cada ponto turístico da cidade, poderá receber uma mapa gratuitamente nas informações turística, que fica na Avenida principal, próximo a linha de trem.
      Estão vendo aquela casinha na direita, ao fundo é lá que terão o mapa e as informações do local.
      Bacana é ver essa linha de trem e as locomotivas passando bem perto, achei bem legal essa experiência.
      Essa é a praça principal a Manco Capac, por aqui terão uma boa variedade de restaurantes. Mas como é cidade turística, os preços estarão um pouco salgados, ou caros. Mas vale a pena experimentar a culinária local.
      Caso não tenha comprado a entrada para Machu Picchu, compre no centro cultural ao lado Igreja ou capela que aparece no video, da praça principal.
      Na Ave Pachacutec, tem também boas opções de restaurantes e café para curtir a cidade, tanto de dia e de noite. Ela fica paralela da avenida principal.
      Nessa rua Sinchi Roca é onde você vai comprar a passagem da van ou ônibus que irá levar ao sítio arqueológico, se chama Consettur.
      Feito isso, lá é onde fica o ponto de espera para pegar o ônibus. Este foi um restaunte que comi na cidade, pra mim foi bom, mas alguns relatos do Tripadvisor e também do Google, não gostaram muito, então não posso assim recomendar. Fique por sua conta e risco.
      Não recomendo comer na parte de fora, porque os ônibus passam direto na avenida e você vai cheirar direto o escapamento dos veículos, ou a queima de combustível. Então fica a dica.
      Após isso no dia seguinte, depois que conheci a Machu Picchu. Eu tinha um tempo sobrando até dar o horário do trem. 
      Aproveitei para cohnecer melhor a feirinha próximo da estação.
      Espero que goste do video, das informações, curta, compartilhe e se inscreva no canal.

      * Links
      - Boleto para Machu Picchu (Site oficial). Poderá comprar na própria loja física, próximo ao Museo Historico Regional. Necessário levar o passaporte original.
      https://www.machupicchu.gob.pe/inicio

      - Consettur: Ônibus para subir ou descer de Machu Picchu (tarifas e reservas).
      http://consettur.com/
    • Por VoandoAltoFH
      Assista em Video no Youtube - Machu Picchu
       
      Existem 3 circuitos no Machu Picchu: 
      - Circuito 1, a escolhida e a mais completa, visitando quase todos os pontos principais do parque.
      - Circuito 2, leva a um ponto menos altos do local e fica mais na parte agrícola da cidade. 
      - Circuito 3, seria para aqueles com dificuldades de locomoção, é bem curto e rápido.
      Escolha o circuito 1, a mais completa e visite todos os cantos e pontos possíveis. Leva em torno de 3 a 4 horas de visitação.
      Além deles, existem 2 rotas opcionais pagas. Terá que decidir na hora de comprar o seu boleto. São a montanha Machu Picchu e a montanha Waynapicchu. 
      Vale a pena realizar esses opcionais? Depende. Seria você subir em 2 montanhas mais altas do local, caminhar em uma trilha bem perigosa, subir muitas escadas e ver o Machu Picchu de cima. Uma vista privilegiada do local.
      É bem cansativo e talvez não recomendaria pelo esforço, nível de perigo e para quem tem medo de altura.
      A entrada comum custa 152 soles que dá R$ 175,00. Com roteiro opcional, uma das montanhas, o valor sobe para 200 soles, que dá em torno de R$ 230,00. 
      O ônibus custa US$ 12,00 por trajeto, para ida e volta no total US$ 24,00. Poderá subir a pé, mas é bem ingreme e cansativo, leva em torno de 2 horas por trajeto.
      Os hostels ou hotéis da cidade, servem café da manhã por volta das 5 horas da madrugada. E o check-out geralmente é bem cedo, em torno das 8 horas da manhã. 
      Terá que retirar a sua bagagem. Alguns hostel cobram para guardar as suas malas. Caso não seja possível, utilize o guarda volumes do Machu Picchu por 5 soles, ou R$ 5,50.
      Aqui é a entrada principal do sitio arqueológico, lá na frente tem o guarda volumes e o banheiro por 2 soles, ou R$ 2,20. Passe no banheiro antes, pois não existem toaletes lá dentro.
      Não esqueça de carimbar a visita de Machu Picchu em seu passaporte, naquela casinha à direita. É bem legal fazer isso e registrar esse momento, apenas como decoração.
      Lembre de trazer pelo menos 1 litro de água por pessoa e lanches. 
      Não é necessário você contratar um guia particular para visitar o parque, mas as regras podem mudar.
      Qual o melhor horário para visitar?
      Recomendo que seja na parte da manhã. Algumas pessoas, vão no primeiro horário, às 6:00 da manhã, pois é bem vazio e não tem muita gente. Mas eu não recomendo isso, porque as chances pegar uma névoa ou neblina no local são muito grandes e você não poderá ter esta vista ao fundo, quando for bem cedo.
      Minha dica é pegar o das 8 ou 9 da manhã, pois conforme vai esquentando, a névoa vai se dispersando. E assim poderá ter uma vista fantástica da cidade.
      O ponto ideal é bem ao lado desta casinha, na esquerda onde as pessoas estão fazendo a fila. Por aqui que você terá as melhores fotos de Machu Picchu, agradeço muito a Deus por esta oportunidade e essa vista maravilhosa.
      Aproveitei para visitar a Puente Inca, que era um antigo trajeto utilizado pelos Incas, é bem assustador.
      Não recomendo a trilha ao Puente Inca para aqueles que tem problemas de mobilidade e tenha medo de altura, pois o caminho é bem estreito e qualquer besteira você pode cair no precipício.
      Essa trilha vai te consumir uns 40 a 50 minutos do seu tempo, e antes de visitar lá, terá que registrar a sua entrada e saída.
      Não achei nada demais, mas o caminho é bem assustador e a ponte também.
      Quem quiser subir ao Waynapicchu ou Montanha, terá que realizar uma trilha semelhante a este, com várias subidas de escada é lógico.
      Machu Picchu fica à 2.400 metros de altitude. Foi construída no século XV sobre as ordens de Pachacuti. Descoberto oficialmente em 1911. Cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído. 
      É considerado uma das 7 maravilhas do mundo moderno, um patrimônio mundial da UNESCO.
      O Intihuatana, o relógio solar, ou "lugar onde se amarra o sol", fica no ponto mais alto de Machu Picchu, no setor sagrado. Esculpida de acordo com o alinhamento dos pontos cardeais e era utilizada para registrar a passagem do tempo, além de auxiliar nos ciclos de agricultura. Dizem emanar uma suporta energia positiva.
      A Roca Sagrada, seria como um altar, um elemento central e importante em uma área dedicada à adoração de Apu "Yanatin", ou seus deuses.
      No templo del Condor, dá para ver uma a forma de um pássaro ou Condor esculpida nas rochas. A ave representava a missão de conduzir os mortos ao céu e fazer a conexão entre deuses e mortais, fica situado na parte baixa da cidade.
      Entrando por volta das 8 da manhã, saí mais ou menos às 12:30. Deu tempo para fazer um almoço tranquilo na cidade e depois pegar o trem das 3:30 da tarde para Cusco.
      Espero que goste do video, deixe seu like, comente, compartilhe e se inscreva no canal.

      * Links
      - Boleto para Machu Picchu (Site oficial). Poderá comprar na própria loja física, próximo ao Museo Historico Regional. Necessário levar o passaporte original.
      https://www.machupicchu.gob.pe/inicio

      - Consettur: Ônibus para subir ou descer de Machu Picchu (tarifas e reservas).
      http://consettur.com/
    • Por milehist
      Vim trazer o meu relato pessoal e algumas dicas para quem for a Cusco. Foram 8 dias inesquecíveis.
      Meu voo foi dia 27 de setembro, de Salvador na Bahia a Cusco foram 2 conexões (em Guarulhos e em Santiago do Chile), um total de 14 horas de viagem com conexões curtas (a maior foi 3 horas em SP, suficiente apenas para comer alguma coisa e seguir). Minhas passagens não incluíam bagagem, portanto viajei apenas com bagagem de mão, mas despachei ainda em Salvador pq não tinha espaço no avião (para meu alívio, a mala chegou sã e salva em Cusco).
      Cheguei em Cusco as 16h, peguei um taxi no aeroporto por 20 soles (o hotel chegou a pedir meus dados para o transfer, mas não confirmou e nem foi me buscar). Nesse primeiro momento fiquei no hotel Qolqampta, indico fortemente, local agradável, café da manhã ok, quarto confortável. A única desvantagem foi a localização, apesar de perto da plaza de armas, o prédio fica no topo de uma ladeira (tudo em Cusco é ladeira!), e num primeiro momento de aclimatação, seu corpo pode reclamar um pouco.
      Ainda no Brasil eu contratei a empresa Qorianka para fazer o passeio de Machu Picchu (o único que contratei antes de chegar la, dado a disponibilidade de ingressos). A noite Max da empresa estava me esperando para explicar como funcionaria o passeio mais aguardado da vida. Eu super indico a empresa. Preço ok, responsabilidade, compromisso, serviço de excelência. Foi ele que me indicou um lugar com melhor câmbio para comprar soles, os melhores lugares para comer, foram eles que compraram meu boleto turístico. Literalmente, fazem de tudo para nos sentirmos confortáveis e seguros. Acabei comprando os outros passeios com eles.
      Dia 28 - reservei o dia para me adaptar a Cusco, conheci o mercado San Blas, o Mercado São Pedro, comprei soles e orcei os outros passeios. Dica importante: usem protetor solar! O clima em Cusco no geral é frio, a noite e pela manhã é muito, muito frio (entre 5 e 10 graus), mas no decorrer do dia vai esquentando e o sol queima (estou bronzeada como se tivesse ido para alguma praia do nordeste). Fiz a cotação de preços dos passeios e a sensação que tive foi a seguinte: nos lugares confiáveis o preço parece ser tabelado. Descartei os mais baratos e os mais caros por motivos óbvios, e recorri à Qorianka. Como já tinha fechado MP com eles, pedi um desconto e funcionou. Primeiro vou descrever meu roteiro e a seguir passo minhas impressões e conselhos.
       
      Plaza de Armas
      Dia 29: contratei o passeio Vale Sagrado + MP, com a Qorianka incluia traslado do hotel + passeio pelo Vale Sagrado dos Incas (Pisac, Ollantaytambo) + trem voyager inca rail de ida e volta + ônibus de subida e descida a MP + ingresso de entrada da cidadela, com montanha machu pichu (que eu escolhi subir) + almoço do dia 29 + diária no povoado de águas calientes + traslado de volta Ollanta - Cusco.
      Sai as 8h do hotel fiz checkout (como ia ficar uma noite em aguas calientes, encerrei no qolqampta e reservei o hostel milhouse a partir do dia 30. a Qorianka cuidou de pegar minhas malas em um hotel e levar para o outro), passamos por pisac, almoçamos em um restaurante buffet muito bom, seguimos para ollantaytambo, e depois do city tuor peguei o trem para Aguas Calientes. São 1h30 de viagem, chegando no povoado já tinha um rapaz do hotel me aguardando com meu nome. Esse hotel terrazas de luna é um espetáculo à parte, muito confortável, o banheiro tem até banheira, o café da manha sensacional. A noite uma representante da Qorianka foi me encontrar para me explicar como funcionaria a subida a MP no dia seguinte.

      Ollantaytambo
      Dia 30: sai cedo do hotel, peguei o ônibus de subida a MP. Entrei na cidadela as 7h, fiz um tour guiado até 7h50, e subi a montanha (o ingresso da montanha era de 7h as 8h). A subida é, para dizer o mínimo, extenuante. São necessárias cerca de 3 horas para ir e voltar, a subida é íngreme e toda em escadarias. É cansativo, mas vale muito a pena. A vista panorâmica de MP é sensacional!!! Subi as 7h55 e as 10h50 estava de volta. Aquela história de que para descer todo santo ajuda é balela, sofri demais na descida, joelhos e tornozelos doeram bastante. Fiquei em MP até as 12h, peguei o ônibus as 12h30, cheguei em águas calientes, almocei e peguei minha mochila no hotel. Meu trem de retorno foi as 15h. Chegando em Ollantaytambo já tinha uma pessoa segurando meu nome em um cartaz, pronto para me levar de volta a Cusco. Chegando em Cusco me deixaram no hostel Milhouse, minha mala já estava lá. Fiz o checkin e aproveitei o bar e restaurante de la (maravilhosos, por sinal).

      Vista da cidadela de cima da montanha Machu Picchu
      Dia 1: reservei Laguna Humantay. O traslado da Qorianka foi me buscar pontualmente as 4h15 no hostel. O pacote inclui: traslado + café da manhã + guia + almoço. O trajeto é um pouco longo, mas como é cedo, aproveitei para dormir. Tomamos café num hostel de uma cidadezinha q fica no caminho e seguimos viagem. Percorremos cerca de 1h30 até o lugar que a van nos deixa e começamos a caminhada. Percorri o trajeto de ida em 1h45, sofri um pouco nesse trajeto. A subida até a laguna é em terreno acidentado e cerca de 80% subida, chegamos a mais de 4.000 metros de altitude, o que deixa o ar rarefeito e causa o temido mal da montanha. Quem quiser, ou não aguentar, pode fazer mais da metade desse trajeto a cavalo, eu percorri caminhando mesmo. Dentre as sensações está o cansaço extremo, a frequente falta de ar e a dor de cabeça, mas para mim, nada insuportável. Ao chegar no destino, vc esquece toda essa dor. É lindo demais. Lindo e muito, muito frio. Aproveite para tirar muitaas fotos em ângulos diferentes (a cor da água muda conforme a incidência da luz). Ficamos cerca de 30 minutos e retornamos. A descida foi mais tranquila, alguns trechos consegui correr um pouco em zig zag, oq ameniza um pouco o esforço do joelho. Chegamos na van, percorremos cerca de 1h30 e paramos para o almoço estilo buffet, depois retornamos a Cusco. Chegando por volta das 16h. Novamente, aproveitei o bar e restaurante do milhouse.

      Laguna Humantay
      Dia 2: Salineras de Maras e Moray. Esse passeio é de meio dia e incluia: traslado + guia. A van da Qorianka me pegou no hotel pontualmente as 8h. Passamos em Chinchero, onde vc vai ter a explicação completa de como os tecidos são produzidos, vai ser muito bem recebido com um chá delicioso, poder tirar belas fotos e fazer algumas comprinhas. Depois segue para Moray, um laboratório de experimentação agrícola lindissimo. O último ponto da viagem são as salineras, que custa 10 soles a entrada, e n está incluida no pacote, que também vai te render fotos maravilhosas. Chegamos em Cusco as 14h. Já em Cusco aproveitei o mercado São Pedro para fazer compras (considerei o melhor preço), tomei café numa lanchonete e fui dormir.

      Moray
      Dia 3: Montaña Colorida. O passeio da Qorianka incluia: traslado + guia + café da manhã + entradas + almoço. A van me pegou as 4h30 pontualmente. Seguimos viagem por cerca de 1h30 e paramos para tomar um belo café em estilo buffet. O guia nos passou as explicações gerais de como seria a subida, cuidados a tomar, dificuldades que poderíamos encontrar. Depois do café seguimos viagem por cerca de 1h e chegamos ao local q as vans ficam e começa a caminhada. A subida da Montaña é menos íngreme do que a da Laguna, mas a altitude é bem maior (chegamos a 5.200 metros no topo do deck para tirar as fotos), e por isso algumas pessoas sofrem muito mais. Eu me senti bem mais disposta. Realmente não senti nenhum desconforto, nem na subida nem na descida, mas fiz o trajeto no meu tempo (cerca de 3h entre subida e descida dos 8km total). Tem a opção de subir a cavalo, mas dispensei. existem 3 pontos q fornecem banheiros, ao custo de 1 soles. A vista é simplesmente fenomenal. A montanha é tudo aquilo que vemos nas fotos e mais um pouco. mas só conseguimos ficar no topo por cerca de 20 minutos devido ao frio. É realmente congelante. Algumas pessoas do grupo passaram mal na descida. Voltamos, paramos para almoçar no mesmo local do café, depois seguimos viagem. Chegamos em Cusco as 16h. Já em Cusco o meu corpo sentiu tudo que não tinha sentido nos outros dias. Tive o mal da montanha no último dia da viagem e passei muito mal o resto do dia.

      Montaña
      Dia 4: meu voo saiu as 10h. Max da Qorianka me deu de brinde o traslado até o aeroporto. Me pegaram as 8h em ponto no hostel, cheguei no aeroporto as 8h20. Meu voo de volta incluia 2 conexões (em Lima e em Guarulhos). Como a ida, a volta durou 14h de Cusco a Salvador. Cheguei na Bahia as 2h45.
      Gente, Machu Pichu é tudo que dizem, e mais um pouco. É maravilhoso. A sensação de subir a Montanha e ver a cidadela la de cima é indescritível.
      No fim das contas, considerei meu roteiro apertado, acredito que o ideal para não levar meu corpo à exaustão, deveria ter sido 10 dias (incluindo os 2 necessários para a ida e volta).
      A Qorianka foi sensacional. Indico fortemente! A logística toda funcionou perfeitamente, não tive nenhum imprevisto e eles estavam sempre disponíveis para me ajudar. Considerando que viajei sozinha, não ter qualquer preocupação com roteiros e imprevistos foi muito importante.
      Os 10 soles que a gente paga para entrar na salineras fica retido com a empresa que é responsável pela compra e beneficiamento do sal, nada desse valor é destinado às famílias responsáveis por retirar o sal (a elas cabe apenas o valor pago pelos sacos). Juro que se soubesse disso, não teria entrado. Eu acredito em um turismo que ajuda a fortalecer a população local, não uma empresa especifica. Comam em restaurantes peruanos, comprem dos peruanos.
      Os guias de Cusco são extremamente organizados e politizados, além de serem excelentes no que fazem.
      A comida peruana é muito boa. Os restaurantes tem o menu turistico: por 20 a 25 soles vc desfruta de uma refeição completa- entrada, prato principal, sobremesa e/ou bebida. Indico experimentar o ceviche peruano, a trucha, a sopa crioula (maravilhosa), a chicha morada, o pisco sour e o lomo saltado.
      Comprei vitamina C efervescente la em Cusco, e tomava 1 pela manha e 1 a noite. Considero que foi essencial para manter minha imunidade ok. O frio em Cusco é cruel. As mudanças de temperatura são drásticas. Para quem tem rinite, sinusite e amidalite, não ter sentido absolutamente nada, foi uma bênção.
      Estou à disposição para dúvidas. Esses relatos me ajudaram demais a montar a viagem perfeita!!


×
×
  • Criar Novo...