Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

LuanaPorto

15 dias sozinha: Bolívia e Peru (R$3050,00 com aéreas)

Posts Recomendados

O ínicio

 

O sonho de mochilar sempre esteve em mim, mas a vida de estudante sempre consumiu os poucos $$$ que eu ganhava no meu estágio.

Mas ai arrumei um emprego firmeza e depois de exaustivos 2 anos de trabalho as férias viriam...

Foi quando comecei a pesquisar destinos de baixo custo pela América do Sul, e conheci o mochileiros.com, li e re-li relatos e tópicos que pudessem me ajudar, procurei blogs e no facebook encontrei vários grupos, pages e dicas.

Comecei a juntar dinheiro, a comprar o que achei necessário e principalmente: a preparar o psicológico da família.

Descobri que ao invés de 15 dias de férias, teria 30 ::otemo:: , mas com as passagens já comprada e um valor absurdo pra mudar a data ficou impossível.

 

Roteiro

 

29/03 Joinville > Curitiba

30/03 Curitiba > São Paulo > BH

(Passei uma semaninha em terras mineiras)

06/04 BH > São Paulo

07/04 São Paulo > Sta Cruz de la Sierra

08/04 Sta Cruz de la Sierra > La Paz

09/04 La Paz

10/04 La Paz

11/04 La Paz > Copa

12/04 Copa > Isla > Copa

13/04 Copa > Cusco

14/04 Cusco

15/04 Cusco

16/04 Cusco > AC

17/04 Machu Picchu > Cusco

18/04 Cusco > La Paz

19/04 La Paz

20/04 La Paz > Sta Cruz

21/04 Sta Cruz

22/04 Sta Cruz > SP > BH

 

Confesso que não sai daqui de Joinville com esse roteiro, mas pelos poucos dias que tive aproveitei ao máximo os poucos lugares que estive.

 

Gastos

Não tenho planilha de gastos e nem fiz uma. Portanto não sei quanto gastei em cada dia, quanto gastei em cada refeição ou hostel. Sei que esses R$3050,00, está contabilizado tudo que gastei lá e as passagens, sem contar as roupas, mochila e coisas que comprei aqui.

E olha que eu gastei. No meu ultimo dia em Copa, torrei U$100,00 em suvenires e não me arrependo, tem tanta coisa linda que a vontade era trazer uma barraquinha pra mim ::love::

Mas digo que bebi dignamente, dormi bem, comi bem (apesar de que nos primeiros 3 dias fiz a dieta dos industrializados e só fui comer comida boliviana, porque duas brasileiras queridíssimas que trombei no Wild Rover me convenceram).

Levei tudo em dólares, que foi algo em torno de U$833,00 e fiz um saque de R$150,00 no ultimo dia de viajem, pois desconhecia a taxa do aeroporto.

Em momento nenhum senti medo, não usei a dolera, apesar de ter comprado, andava com o dinheiro na mochila e escondi U$200,00 na bota ::tchann:: . Tudo lindo e perfeito.

 

Dicas

1: VÁ SEM MEDO. Acredite. Me senti muito mais segura pelas ruas da Bolívia do que na estação tiete de são paulo.

2: NÃO CONFIE EM TAXISTAS. Sim. Mesmo que eles tenham credenciais, se agarre na sua mala e seus pertences. Em Cusco, quando descemos do terminal rodoviaria rumo ao hostel, o Rogerio (que conheci no trajeto), quase teve a câmera furtada, pelo espertinho do taxista.

3: DIGA QUE É BRASILEIRO. Mostre o passaporte, abre o sorrizão e aproveita. Não sei porque, mas os bolivianos e peruanos adoram o Brasil. Adoram falar de futebol, das praias. Mas eles só conhecem o Rio de Janeiro, senti um certo bulling ::vapapu:: quando falava que era de Santa Catarina do Sul, que aqui fazia frio e ouvi um sonoro: COMO ASSIM? NO BRASIL FAZ FRIO?

4: MULHERES... IGNOREM AS CANTADAS. Essa tem a ver com o tópico acima. Você chega, solta o verbo em português e vem a perguntinha: é brasileira? Ai minhas queridas, se prepara pra uma enxurrada de elogios (eu espero que sejam hahaha)

5: NÃO FALAR INGLÊS E ESPANHOL NÃO É EMPECILHO. Não falo nem inglês e nem espanhol, nos primeiros dias é complicado, mas acredite depois de uns 2 dias e muitas pacenas e cusquenas a gente já se acha fluente.

 

E por fim se divirta e aproveite, porque perrengue toda viagem tem, basta tirar o melhor de cada momento.

 

Sem duvida essa viagem foi a melhor coisa que já fiz na vida, conhecer uma nova cultura, pessoas de todos os cantos do mundo, histórias, vivenciar momentos que só quem está lá entende, não há relato que possa descrever a sensação que se sente, a vibe de certas coisas. E acredito que todos deveriam fazer uma trip assim, ao menos uma vez na vida.

Foram dias de auto-conhecimento, reflexão, bebedeiras e bons sentimentos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

06/04 BH > São Paulo

Meu Voo saiu de BH perto das 22:00 cheguei em SP e após quase 1 hora de vôo estava desembarcando em Guarulhos.

Meu voo era só no outro dia, precisava dormir por lá. Só tinha o nome de um hostel, me informei como chegava até lá e fui até a estação tiete e de lá peguei um taxi.

Eu não tinha feito reserva e adivinhem? Pois é, estava LOTADO.

O taxista então me falou que tinha um MOTEL :shock: a caminho do aeroporto de guarulhos, que às vezes ele levava uns clientes. Bom, resolvi confiar no amigão e fui. Pois é. Motel barateza e eu sem dinheiro pra corrida do taxi, que tinha dado R$90,00 + R$30,00 do motel ::lol4::

E ai que o taxista de um show de confiança e parceria. Pagou minha pernoite e falou que no outro dia iria me buscar as 08:00 e que então poderia passar num banco pra que eu pudesse sacar e pagar a corrida e tals.

Só tomei um banho e cai na cama.

 

07/04 São Paulo > Sta Cruz de la Sierra

 

No outro dia 07:30 o motora batendo na minha porta. Então partimos, a ansiedade já tomava conta do meu ser. Gente, eu tava sozinha em SP confiando minha dignidade a um taxista que eu nem conhecia e seguindo para Bolívia. Era muita emoção pra mim ahahaha

Ele me levou pra tomar café num botequinho bem com cara de SP, paramos num banco e seguimos rumo ao aeroporto de Guarulhos.

E lá, pra minha surpresa o taxista gente finíssima não me cobrou a corrida, cobrou só corrida do dia anterior e o dinheiro da pernoite.

Tudo certo, faltava 1:30 para a saida do meu voo.

Corri para o check in e esperei. esperei. esperei. esperei.

Sei que embarquei e senti ao lado de um Boliviano e fomos conversando. Gente boa, falou que eu era louca de ir sozinha, que a Bolívia é muito perigosa, me disse pra evitar sair a noite e não dar moral pra taxistas. rsrsrs

Cheguei em Sta Cruz e na imigração a coisa é Oi, carimba, Tchau. Ai depois você passa num negocio estranho tipo um detector de metal, que você aperta um botão e ele sorteia se você será revistado ou não.

Eu não fui.

Sai, troquei uns dólares e fui pegar um taxi. Foi então que no trajeto me perguntei: O QUE EU TO FAZENDO AQUI? Mas eu tava feliz e otimista e isso que importava.

Cheguei no hostel - Loro Loco, peguei um quarto compartilhado... Arrumei ou desarrumei a mala, tomei um banho, dei uma voltinho por Sta Cruz, comprei cervejas e voltei para o hostel.

Passei o resto do dia deitada na rede, pensando e pensando... Dormi cedo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Já peguei umas dicas tua nos roteiros rsrsrsr.Agora vou esperar o fim do relato.

Menina, tu és louca? pegar um taxi em SP nessas condições? Teu santo é muito forte rsrsrsrs

 

Que bom Maria... Espero poder ajudar com mais dicas.

E quanto do taxi, eu só fui pensar na loucura que isso foi, quando estava escrevendo o relato ::lol4:: Eu sempre parto da premissa que as pessoas são boas e querem o bem. Dessa vez deu certo! hahaha

Agora fiquei pensando... eu podia ter sumido ne euhuehuehue

Mas faz parte, o tiozão era super gente boa ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Acompanhando p/ minha trip ano q vem =)

Vc tirou muitas fotos?

 

Eu não gosto muito de bater fotos não... Mas bati umas 300 ou 400 fotos HAHAHAHAHA vou postar no final de semana as melhores...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

08/04 Sta Cruz de la Sierra > La Paz

Nesse dia acordei cedo, arrumei minha mochila e fui tomar café. Café bem simples, pão, margarina e geleia... Tinha uns doidões no hostel, que tinham comprado queijo, presunto e dividiram com os demais pra reforçar a refeição hahaha.

Depois do café tomado, da louça lavada, mochila nas costas e #partiu rodoviária. Na recepção do Loro Loco, tem uma guria que não fazia a minima questão de tentar entender a informação que eu pedia. Comecei a ficar estressada já ali. Então chegou um ser iluminado que compreendeu meu portunhol. Queria saber pra onde era a rodoviária. Ele pegou um mapa e me disse: SEGUE O MAPA. Ótimo, peguei minha mochila e fui pra rua. Num cruzamento eu me lembrei que EU NÃO SEI LER MAPAS ::hãã2:: e decidi seguir minha intuição... caminhei, caminhei, caminhei, caminhei... 40 minutos caminhando e nada da malditada rodoviária. Olhei para o mapa, olhei para o nome da rua que eu estava e adivinhem? É, minha intuição me mandou para o lado errado, virei a DIREITA quando era pra ir para a ESQUERDA carregando 14 kg nas costas :? Tudo bem, pensei comigo. Não deve ser muito longe. Virei a volta e denovo, caminhei, caminhei, parei e pedi informação, dessa vez tava indo para o lado certo ::otemo:: até que de longe eu avisto uma movimentação, ônibus, cholas, cholinhos, CHEGUEI. Isso deveria ser umas 11:00 da matina.

Na entrada da rodoviária tem muuuitos bolivianos tentando vender passagens, berrando, tentando parar as pessoas e tal. Ignorem eles, o unico lugar 'confiável" para compra de passagens é la dentro nos guiches.

Procurei as empresas que vendiam Sta Cruz > La Paz, achei uma lá, que agora esqueci o nome, mas é do guiche vermelho. Perguntei as coisas basicas: se era bus cama, se tinha ar condicionado (aqui faço um obs, Sta Cruz venta demais, é muito vento, é muito calor, e levanta uma poeira marrom da rua que impregna na pessoa, levem lenço umidecido dentro do ônibus, não vão se arrepender), quantas horas e tals. A mocinha me disse que era bus cama e me recomendou pegar a primeira poltrona na parte superior, aquela que fica de cara no retrovisor, aliás essa foi uma péssima recomendação, o sol bateu na minha cara a tarde inteira e a manhã toda do outro dia também :/ ela também me disse que o bus tinha sistema de calefação (bom, não ia passar frio.. pelo menos a principio) fechei com eles. Preço tava bom, acho que paguei 120bs. Mas o bus saia só as 14:00 e eu estava com fome. Pedi pra deixar minha mochila e fui dar uma volta aos arredores da rodoviária.

Parei numa lan house pra mandar sinal de vida pra família e avisar que pelas próximas 16 horas estaria num ônibus rumando a La Paz.

Ah, foi nesse dia que resolvi provar as delicias da culinária local. Parei num restaurante cheio de cholas e pedi uma sopa. Gente, veio água quente, um pedacinho de aipim e osso. Olhei aquilo e quis chorar. TAVA COM FOME, MUITA FOME. Mal comi, porque da onde sentei conseguia ver a cozinha e a coisa era tensa. Depois, andei numa feirinha que tinha na rua ao lado e voltei pra rodo, resolvi esperar por lá.

Comprei pringles (minha principal comida por la), chocolate, chicletes e água para a viajem.

Tava sentada no banquinho, só observando os locais. E como o povo é diferente viu. Ai um desses atendentes de guiche, sentou do meu lado e falou: VOCÊ É BRASILEIRA? Como assim? Ele sabe que eu sou brasileira? Ta escrito na minha cara? HAUAUHAUHHAU, respondi educadamente que era, e nisso ele anotou o telefone dele num papel, me entregou e falou: QUANDO VOLTAR A STA CRUZ ME LIGA QUE VOU TE LEVAR NUM BAR BRASILEIRO. Minha vontade foi sair correndo e rindo. Pedi licença e fui ao banheiro.

aaaah o banheiro, um caso a parte. Você paga 2bs para usar um banheiro sujo, fedido e alagado... Mas é o que tem.

Depois de muita espera, embarquei. Paramos para um lanche no estilo boliviano de ser. Suco nojento em copo sujo, sopa estranha e uns doces.

E seguimos viajem, estava passando uns filmes na TV e fui assistindo. Ai o filme acabou e começou o mesmo filme de novo UHAHUAUHAUHA, pois é, tava bom demais pra ser verdade.

A noite começou a cair e o frio a chegar. E ficou muito frio, mas muito frio mesmo, nunca senti tanto frio na vida e pois é, NÃO TINHA CALEFAÇÃO coisa nenhuma. Fui enganada. Sorte que levei a cargueira comigo, peguei todas as roupas e me cobri, peguei no sono.

La pelas 3 horas da madruga, acordei com uma berreceira. Estavamos parados no meio do nada, pois a estrada tava lisa e o busão não conseguia subir o morro e tinha um trecho que tinha desmoronado terra. Pensei: QUE LEGAL, FRIO, CHUVA, A GENTE PARADO NO MEIO DE UMA ESTRADA SEM ILUMINAÇÃO E MATO PRA TUDO QUE É LADO. Foi quando baixou o santo no motorista e ele resolveu que ia subir aquele morro. Arrancou, começou a subir eeeeeeeeee voltava o bus pra trás, foi assim por 3x. Achei que ia morrer, que o bus ia capotar, passei medo pela primeira vez ::Ksimno:: , porém não a ultima rsrsrs Até que deu certo e seguimos viajem.

O jeito que os bolivinos dirigem é um caso a parte, deixo pra vocês descobrirem quando chegarem lá.

Dormi boa parte da viajem, acordei no outro dia com uma vista linda das cordilheiras nevadas e a entrada de El Alto.

 

Horas total da viagem Sta Cruz > La Paz: 20 HORAS.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

09/04 La Paz

 

La Paz é um caso a parte, você a ama ou a odeia. Eu não gostei muito da cidade, mas estava lá por um motivo e por um dos pontos altos desse mochilão a Downhill na estrada da morte.

Pra mim foi um baque aquele transito, a filosofia deles é: quem for primeiro ganha, não importa, se é carro, moto, ônibus ou pedestre.

Eu não tinha reserva em nenhum hostel, mas tinha o endereço de alguns. Rumei para o Loki e a estrutura deles é realmente muito boa, pena que estava lotado. Mas na recepção ouvi um idioma conhecido, era português e eram duas mulheres, tava salva. Mandei na lata: SÃO BRASILEIRAS? HAHAHAHAHA, e eram e estavam procurando um hostel também. Decidimos sair pra procurar um hostel juntas.

Fomos em alguns, mas não gostamos. Até que chegamos ao Adventures Brew Hostel, pegamos uns quarto para 3 pessoas. O hostel é ótimo, a estrutura é muito boa, o lugar é aconchegante, tem cozinha, microondas, chá de coca e o café da manhã são panquecas com um doce de leite maravilhoso ou uma geleia que era uma delicia também.

Ficamos lá. Subimos, deixamos as malas, conversamos um pouco... Assim como eu, elas também queriam fazer a Downhill no dia seguinte e pelos roteiros seguiriamos juntas até Copa :D

Resolvemos sair para comer e procurar agencias. Paramos em um restaurando muito simpático na Calle Sarganaga e ali comi uma deliciosa lasanha de carna de ilhama, gente que coisa boa. E então saindo atrás de agencias. E como tem agencia de turismo. Paramos em várias e em todas o preço é muito similar e varia de acordo com a bike. No hostel nos recomendaram a pegar uma bike com freio hidráulico e suspensão dupla, digamos que é uma bike de nível de conforto intermediário. Fechamos com uma ag. super legal e a mais barata... Pagamos 190bs pela bike, café da manhã, lanchinhos pelo percurso, água, equipamentos de segurança, transfer, almoço, camiseta e fotos.

Passeios fechados, fomos ao mercado das bruxas. Eu esperava mais do local, pelas coisas que li. Não vi nada que já não tinha visto nas outras ruas que passamos, com exceção é claro, das ilhaminhas mortas penduradas ahahahah

Andamos, subimos, descemos, subimos, subimos, subimos, descemos e a altitude começou a pegar. Cansaço forte, então eu e a Rosana voltamos para o Hostel... A Vivi foi procurar um shopping.

Descansamos, tomar um banho e a noite ia ter noite das massas por 30bs e todo mundo ganha 1 chopp.

O bar de lá era top, uma vista privilegiada de La Paz. Comemos, bebemos e ficamos lá trocando ideia com mais um brasileiro que já estava no fim da trip.

Mandei sinal de fumaça pra galera aqui de casa, mamãe já tava preocupada ::toma:: HAHUAUHAUHA

Fomos dormir, pois o outros dia era cedo. A agencia passaria as 07:30 para nos buscar.

Dica: 5 dias antes de sair do Brasil comecei a tomar Citoneurin, não sei se foi por ele ou não, mas não senti nada além de cansaço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ah, esqueci de comentar ali, que no Voo de BH para SP eu conheci uma moça que era voluntaria em uma ONG e me disse que tinha feito alguns trabalhos na Bolívia e Peru, ela me deu o telefone dela e de dois amigos, um na Bolívia e outro no Peru, para que eu ligasse caso ocorresse algum problema.

 

E o Boliviano que conheci indo para Sta Cruz, também me passou o telefone dele e disse que sabe que poderiam acontecer alguns perrengues e que caso precisasse era pra ligar, pois ele ou a esposa poderiam me dar alguma ajuda.

 

Acho que é por isso que eu sempre acabo pensando que a maioria das pessoas são boas, porque em todos os lugares que visitamos, sempre vai ter alguém pra oferecer uma mãozinha no perrengue. Bom, eu não precisei da ajuda deles, mas saber que poderia contar com alguém por lá já me aliviou as tensões.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Menina to curtindo muuuito teu roteiro !!! ::otemo::

 

é bom saber q tem pessoas e principalmente mulheres tb q vão pelo portunhol sem mta noção de inglês e espanhol rs

to querendo fazer meu primeiro mochilão ano que vem com roteiro parecido com o teu e to ja colhendo varias informações por aqui...

agora me diz to pouco confusa ainda quanto a isso.. não tenho a mochila vc comprou ela aqui no Brasil, qual comprou? Vou precisar cmprar e ja queria ir dando uma olhada nisso por aqui... rs

 

fico esperando o restante do seu roteiro q to curtindo acompanhar... :)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...