Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

18 dias africa do Sul ( jefreys, knysna, stellenbosch, cape town, kruger)


Posts Recomendados

  • Membros

Opa!, nem acabou minha viagem ainda e estou aqui p passar a quem tiver interesse, algumas impressões q estou tendo na minha visita. Estou na africa desde dia 21 de julho, chegamos em vôo direto sp- johannesburg de 8 Hrs. Nem saímos do aeroporto e pegamos outro vôo para port elizabeth de uma hora, onde começou nossa trip.

Alugamos um carro ja no aeroporto e pegamos a estrada para jefreys bay, onde ja deu p notar que as estradas e infra estrutura do país e bem melhor q no Brasil. A única dificuldade fica por conta da direção em mão inglesa, o q um cambio automático ajuda um pouco, e gps e claro.nao se esqueça q e obrigatória apresentação de carteira internacional, feita no DETRAN, demora 30 dias e custa uns 150.

Ja nos primeiros kms vimos os primeiros babuínos na estrada e seria uma recorrente ao longo dos dias.

Chegando em jefreys fomos direto para nossa "pousada", supertubes guest House, umas casas de frente p praia, mais especificamente frente a mais famosa direita do mundo. Nao podíamos ter feito melhor escolha, um luxo, no final se conseguir coloco fotos, atendimento maravilhoso, o que seria uma constante em toda nossa viagem.

O wct tinha acabado um dia antes, e nossa "casa" tinha sido ocupada nada mais nada menos q pelo campeão do evento, australiano mick faning, encontramos ainda o brasileiro Filipe toledo e kolohe andino, 2 top ten mundiais q tiraram fotos conosco. Estava rolando altas ondas mas estávamos um pouco cansados e nao caímos nesse dia, ( esqueci de falar q a equipe era minha esposa, filho de 18 e filha 16.

Amanheceu um dia lindo e acordamos ja com as pranchas e roupas de borracha cedidas pela pousada e pra Agua. Oceano indico nao tem Agua tão gelada assim, mas p quem e de santa Catarina foi um choque, e a presença quase q constante dos grandes tubarões branco mais bancadas de pedras amedrontam qq um.

Em jefrey bay fica a fabrica da bilabong, mvca,QuickSilver, enfim paraíso pras compras. Nao falei ainda mais essas horas nos ja estávamos de cara de como as coisas são baratas p nos brasileiros, 1 real da 4,5 rands, uma janta no mais fino restaurante com bebidas e sobremesas 150 reais p todos. E volto a frisar o atendimento pq e algo q realmente conquista o turista, conheço alguns países mundo afora e posso dizer q como aqui nao tem igual, desde o a ao z todo mundo e simpático, atencioso, amável, exceção para qdo éramos atendidos por brancos, dae o nível baixa bastante, no momento, após conhecer a história do povo Sul africano mais de perto sinto enorme desprezo e raiva pelo q o "homem branco" fez neste pais, fazem 20 anos q terminou este capitulo horroroso chamado apartheid, mas as consequências ainda estão em claras evidencias, a diferencia social entre brancos e negros e incrível, mesmo p nos brasileiros, fora aqui em cape town q vi alguns poucos negros com alguma condição, quase na totalidade vivem em favelas ( town ship) nas aforas das cidades e são muiiitos, em momento ou lugar algum vi um negro patrao, mas sempre funcionário,com praticamente nenhuma chance de conseguir uma vida melhor. ja os brancos dispõe de uma excelente qualidade de vida, belissimos campos de golfe, otimos restaurantes. Outra coisa e a segurança, em nenhum momento nos sentimos inseguros, são rarissimas ocorrências de furto ou roubos apesar da extrema pobreza q os negros vivem.

Após 3 dias magníficos, rumamos para knysna ja na gardem route, aqui estabelecemos nosso qg para fazer algumas atividades nas redondezas, fomos no maior bungee jump do mundo sobre ponte mas faltou coragem, visitamos o knysna elephant park onde andamos de elefante, os alimentamos e aprendemos mais sobre estes gigantes. Visitamos tbm o monkey land, santuário dos macacos q ficam livres pela reserva a qual se vai caminhando e observando as carias espécies inclusive do Brasil. Tem um waterfront no centrinho o qual era nosso destino a noite e tinha o marios um restaurante italiano ótimo e barato, além de vários mais.

Levantamos acampamento rumo a stellenbosch principal região de vinhos da africa do Sul bem pertinho de cape town 50 km. A região e extremamente bonita assim como a estrada que passa por lugares incríveis como pletemberg bay, mossel bay, sempre acompanhados por uma cadeia de montanhas como cenário.

São mais de 350 vinicolas so em stellenbosch então nao posso ajudar muito, mas a q mais gostamos foi delaire state wines, azara, rust en vert, e dae em diante era muito vinho p cbç q agora nao lembro mais. Todas oferecem degustação por preços irrisórios tipo 40 rands( 10 pila) pra experimentar os vinhos, tomei alguns que custavam 500 reais aqui a garrafa, imagina no Brasil, e ainda me dando ao luxo de saborear e cuspir o vinho en vez de tomar, senão vc vai parar ja na primeira vinícola, aqui recomendo escolher um hotel dentro de alguma vinícola, o visual das montanhas e parreiras e o máximo. O centrinho e legal p um passeio tbm, ou vc pode tbm vir a partir de Ct pois e meia hr so.

CAPE TOWN, wow, q coisa linda, sempre achei q o rio era o máximo, mas cape consegue ser mais legal, banhada por 2 oceanos, toda cercada por montanha belíssimas, sem favelas ( tem umas enormes mas bem isoladas das cidades), total segurança, poderia morar aqui e ser muito feliz, ficamos no cape royale um 5 estrelas pelo preço que ficaria num 2 ou 3 estrelas no max no rio, tivemos azar do teleférico p table mountain ficar fechado por 10 dias para manutenção anual, e decidimos subir o lions heads, wow again, e foi maravilhoso, pouco mais baixo q o table, mais com um cume em forma de cume mesmo onde se tem uma vista incrível em 360 graus de toda cape town. Infelizmente minha esposa e filho nao conseguiram chegar no topo, até eu q me considero aventureiro confesso q em momentos fiquei com medo, a coisa vai ficando alta e mais alta e a trilha mais fina e mais fina, eles começaram a sentir muita vertigem e passar mau apesar de eu falar p nao olhar p baixo e nem p atras, em determinado momento o negocio ficou muito punk, o trecho final e muito íngreme necessitando escalar mesmo, ainda com ajuda de correntes e ganchos, a pior parte e uma escalada com tipo uma escada de ferrinhos na pedra de uns 5 metros de costas para o precipício em q qualquer vacilo e mortal, infelizmente nao vinos a placa onde alertava pra fazer outro caminho mais seguro, um pouquinho mais longo mais sem essas dificuldades, atingir o cume deu aquela sensação misturada de risos, lagrimas, euforia...tenho certeza q nunca mais na vida vou esquecer esse feeling.

Visitamos o cabo da boa esperança e cape point, são do ladinho um do outro, cape point muito mais belo, visitamos tbm boulders beach e seus pingüins e simons town, o destaque e a estrada chapmans peak uma das mais belas e impressionantes que ja recorri, voltamos mais 3 vezes ainda a este percurso, o por do sol visto daqui tbm será inesquecível.

Visitamos algumas praias de surf mas nao caímos, ainda bem. Pois numa q visitamos q pensamos em cair, ( muizemberg) no outro dia teve um ataque de Tubarao a um surfista qestava entre a vida e a morte, e nem tudo e perfeito.

Cont.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...