Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Livros para te acompanhar na viagem


Posts Recomendados

  • Membros

eu adoro comprar o jornal local pra ver os classificados e encartes, pra saber quanto custam as coisas, o custo de vida, os empregos anunciados, onde o aluguel é mais caro. Isso sempre faço quando viajo, é mania. Leio tambem as noticias, claro :)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 ano depois...
  • Respostas 40
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros
Pra quem for viajar pela América Latina eu recomendo "Paraíso Destruído" de Frei Bartolomé de Las Casas.

 

 

Os espanhóis, com seus cavalos, suas espadas e lanças começaram a praticar crueldades estranhas; entravam nas vilas, burgos e aldeias, não poupando nem as crianças e os homens velhos, nem as mulheres grávidas e parturientes e lhes abriam o ventre e as faziam em pedaços como se estivessem golpeando cordeiros fechados em seu redil. Faziam apostas sobre quem, de um só golpe de espada, fenderia e abriria um homem pela metade, ou quem, mais habilmente e mais destramente, de um só golpe lhe cortaria a cabeça, ou ainda sobre quem abriria melhor as entranhas de um homem de um só golpe. Arrancavam os filhos dos seios da mãe e lhes esfregavam a cabeça contra os rochedos enquanto que outros os lançavam à água dos córregos rindo e caçoando, e quando estavam na água gritavam: move-te, corpo de tal?! Outros, mais furiosos, passavam mães e filhos a fio de espada. Faziam certas forcas longas e baixas, de modo que os pés tocavam quase a terra, um para cada treze, em honra e reverência de Nosso Senhor e de seus doze Apóstolos (como diziam) e deitando-lhes fogo, queimavam vivos todos os que ali estavam presos. Outros, a quem quiseram deixar vivos, cortaram-lhes as duas mãos e assim os deixavam; diziam: Ide com essas cartas levar as notícias aos que fugiram para as montanhas. Dessa maneira procediam comumente com os nobres e os senhores; faziam certos gradis sobre garfos com um pequeno fogo por baixo a fim de que, lentamente, dando gritos e em tormentos infinitos, rendessem o espírito ao Criador.

 

 

Esse senhor cacique fugia sempre aos espanhóis e se defendia contra eles toda vez que os encontrava. Por fim, foi preso com toda a sua gente e queimado vivo. E como estava atado ao tronco, um religioso de São Francisco lhe disse algumas cousas de Deus e da nossa Fé, que lhe pudessem ser úteis, no pequeno espaço de tempo que os carrascos lhe davam. Se ele quisesse crer no que lhe dizia, iria para o céu onde está a glória e o repouso eterno e se não acreditasse irria para o inferno, a fim de ser perpetuamente atormentado. Esse cacique, após ter pensado algum tempo, perguntou ao religioso se os espanhóis iam para o céu; o religioso respondeu-lhe que sim, desde que fossem bons. O cacique disse, incontinente, sem mais pensar, que não queria absolutamente ir para o céu; queria ir para o inferno e fim de não se encontrar no lugar em que tal gente se encontrasse.

 

 

Este livro tem uma narrativa muito parecida com aquela feita por Eduardo Galeano em " As Veias Abertas da América Latina".

 

Eu gosto de ler as obras escritas por Graciliano Ramos, não propriamente para ler em viajens, diante da densidade do enredo, mas para ler nas tardes de inverno.

 

Gostaria de colaborar com o tópico colando um trecho de "Vidas Secas".

 

"Baleia respirava depressa, a boca aberta, os queixos desgovernados, a língua pendente e insensível. Não sabia o que tinha sucedido. O estrondo, a pancada que recebera no quarto e a viagem difícil no barreiro ao fim do pátio desvaneciam-se no seu espírito.

 

Provavelmente estava no cozinha, entre as pedras que serviam de trempe. Antes de se deitar, sinhá Vitória retirava dali os carvões e a cinza, varria com um molho de vassourinha o chão queimado, e aquilo ficava um bom lugar para cachorro descansar. O calor afugentava as pulgas, a terra se amaciava. E, findos os cochilos, numerosos preás corriam e saltavam, um formigueiro de preás invadia a cozinha.

 

A tremura subia, deixava a barriga e chegava ao peito de Baleia. Do outro peito para trás era tudo insensibilidade e esquecimento. Mas o resto do corpo se arrepiava, espinhos de mandacaru penetravam na carne meio comida pela doença.

 

Baleia encostava a cabecinha fatigada na pedra. A pedra estava fria, certamente sinhá Vitória tinha deixado o fogo apagar-se muito cedo.

 

Baleia queria dormir. Acordaria feliz, num mundo cheio de preás. E lamberia as mãos de Fabiano, um Fabiano enorme. As crianças se espojariam com ela, rolariam com ela num pátio enorme, num chiqueiro enorme. O mundo ficaria todo cheio de preás, gordos, enormes."

 

_______________

 

Fonte: RAMOS, Graciliano. Vidas secas, 82ªed. Rio de Janeiro: Record. 2001. p. 85-91.

 

_______________

 

Infelizmente os jovens de hoje só querem saber de MTV, internet e DVDs. As obras de Graciliano Ramos deveriam ser de leitura obrigatória no ensino médio.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 meses depois...
  • Membros

Daí galera!! Segue minha dica:

Jack Keruack - Os Vagabundos Iluminados (The dharma bums)

A história gira ao entorno de um poeta, "pseudo-budista", mochileiro por essência em sua busca por sentido!

Tem versão pocket. Leitura leve e fluida, uma boa para uma trip!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Lembrando sua recente morte, sugiro o Ray Bradbury... Aliás, comprei o Fahrenheit 451 na minha última viagem, para ler no avião de volta. Faltavam 40 e poucas páginas e simplesmente deixei o livro no bolso da poltrona! (Li o restinho pela internet mesmo...)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 mês depois...
  • Membros de Honra

Ultimas inspiracoes, nao necessariamente para levar em viagens para para inspirar a fazer mais.

 

This thing of darkness - livro grosso pacarai, conta a historia de quando darwin viajou pelo mundo a bordo do Beagle, capitaneado pelo capitao FitzRoy, e teve seus insights sobre a origens das especies. Muito interessante. Romance baseado em extensa pesquisa historica, o enredo narra um periodo de mais de 30 anos de historia. A parte inicial fala muito da terra do fogo, patagonia e cabo horn. O canal de beagle, onde fica ushuaia, tem sua descoberta narrada no livro. Para as pessoas interessadas nesse ramo da ciencia e em navegacao eh um prato cheio. Nao sei se existe traducao para o portugues.

 

Outros dois q estao na lista sao as biografias de Marco Polo - pra quem nao sabe foi quem estabeleceu a primeira rota de comercio da europa com a china la pro sec 12 se nao me engano, e Fernao de Magalhaes - considerado por muitos como o primeiro a circumnavegar o planeta (por volta de 1540).

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Eu sei que nada se compara ao ato de folhear, mas nas viagens, pra economizar espaço, eu dou preferência aos ebooks... Leio no celular ou no notebook, mas o melhor mesmo seria aqueles leitores de ebook que vendem em todo canto hoje em dia, tipo o Kindle...

 

Quanto às dicas, meus preferidos já foram citados nesse e no outro tópico...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 meses depois...
  • Membros

O Guia do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams

A Menina Que Roubava Livros - Markus Zusak

1984 - George Orwell

Bravo Novo Mundo - Aldous Huxley

Um Trabalho Sujo - Christopher Moore

On The Road (Pé na Estrada) - Jack Kerouac

Edgar Allan Poe

Sidney Sheldon

Stephen King

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...