Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Viena para econômicos saindo de Praga (4 dias sem passar apertos)


Posts Recomendados

  • Membros

[creditos]Esse relato é um oferecimento do blog http://www.uziporai.com.br[/creditos]

 

[...] As referências que eu tinha sobre Viena eram poucas, não sabia muito bem o que esperar. Pesquisando, vi que a maioria das atrações na capital austríaca se referiam à Sissy, personagem histórica que ficou mundialmente conhecida ao ser interpretada por Romy schneider na trilogia biográfica da rainha.

 

Não muito empolgado com as informações que angariei, passei a ver Viena como uma cidade em que tinha que ir somente por estar no meio do caminho rumo a Budapest.

 

Como Chegar

 

Geralmente, os mochileiros e viajantes de plantão vão à Viena saindo de Budapest, de Bratislávia ou de Praga, que foi o meu caso. O percurso entre as capitais dura pouco mais de 4 horas. Ainda bem que ao meu lado sentou uma brasileira e fomos conversando por toda a viagem, o que fez o tempo passar voando.

 

Como Comprar a Passagem de Trem

 

A passagem mais barata que encontrei foi através do site da companhia tcheca: http://www.cd.cz, no valor de 538 coroas, o que equivale a 19 euros. Para comprar, basta clicar na aba “eShop” e preencher os espaços com o nome Praha e Viena, escolher a data, a hora, a classe, a categoria do passageiro (se é maior ou menor que 26 anos) e após preencher tudo, clicar em “seach”. Aparecerá as opções e o resto do processo é intuitivo, sem segredos.

 

O destino final impresso na passagem será o da estação Wien Meidling, mas você também pode descer na anterior, Wien Hbf, que é a estação central recém-construída. Depende de qual delas a sua hospedagem estará mais próxima.

 

Onde Ficar

 

Viena é uma cidade extremamente cara. Encontrar um hotel barato centralizado não deve ser tarefa fácil. Já pelo Airbnb, encontrei opções mais acessíveis. Hospedei-me na casa de um casal de músicos, Suzana e Stéfano. O quarto era pequeno, porém muito confortável, a casa era limpa e a localização bastante cômoda, ao lado do metrô Taborstraße, no bairro de Leopoldstadt, isto é, há poucas quadras do centro turístico.

 

Ao entrar em contato com os propriedades, pechinchei e eles me fizeram a diária por 25 euros, sendo que o preço normal era de 35. Atualmente, o anúncio deles parece estar com algum problema, em todo o caso, deixo o link, caso queiram averiguar: https://www.airbnb.com.br/rooms/173375

No site eu dividi o relato em dois, mas aqui colocarei os juntos, assim que um trecho ou algumas fotos podem ficar faltando.

 

Atrações

 

Assim que cheguei à casa, começou a cair um toró com direito a raios, relâmpagos e trovões. Da janela do quarto, eu via os raios caindo por toda a cidade. Então como tenho medo, fechei tudo, apeguei as luzes e fui dormir. Quando acordei, a tempestade já havia passado e em breve cairia a noite.

 

Pensando em comprar alguma coisa para comer e logo em seguida voltar para casa, pois não gosto de andar à noite por lugares que ainda não me familiarizei, comecei a andar, andar e quando dei por mim já estava em meio ao centro histórico. Simplesmente, o que eu via era tão bonito, que já não queria voltar para casa. As ruas de Viena me atraiam a continuar lhe explorando.

 

Catedral-de-Santo-Estev%C3%A3o.jpg

 

Minha primeira impressão foi que Viena parece muito a Paris, principalmente, pelos detalhes de ouros nos prédios e estátuas. Mas além da beleza, o centro da cidade me chamou a atenção pelo clima de segurança, de simpatia. É difícil explicar, talvez fosse devido ao tempo que estava agradável… Alguma coisa acontece de extraordinário no ar que realmente é inexplicável.

 

Igreja-de-S.-Pedro.jpg

 

Andando pelo centro, pude comprovar o quando Viena é ligada à música clássica. Estando com tempo e dinheiro, sugiro assistir a algum concerto. Mesmo que não goste desse tipo de música, vale a pena passar pela experiência de ver uma ópera num dos imponentes teatros da Áustria.

 

Parlamento-austr%C3%ADaco.jpg

 

Mas entre tantas construções impactante, o que realmente atrai as câmeras fotográficas é o parque Volksgarten, principalmente se você ter a mesma sorte que eu em vê-lo na primavera.

 

rathaus-flores.jpg

 

No dia seguinte, após ficar encantado com o centro, fui de metrô até a estação Wien Quartier Belvedere para conhecer o Palácio de Belvedere, uma das locações de “Em Família”.

 

Para entrar no jardim não paga nada, mas se acaso queira conhecer o palácio por dentro terá que desembolsar 12,50 euros, valor que não paguei, pois já havia decidido conhecer o castelo da Sissy. De todos os modos, para quem quiser comprar a entrada do Belvedere pela internet, o site é esse: http://www.belvedere.at/de/tickets

 

Belvedere.jpg

 

Sem entrar no palácio e nem nos museus que tem por lá, continuei andando pela cidade e acabei me perdendo, porém não tive problemas. Ao me perder em Viena, encontrei atrações que nem sabia que existia.

 

Karlskirche.jpg

 

O Turismo da Sissi

 

Reza a lenta que Viena não conseguia competir de igual para igual com cidades icônicas como Roma e Paris. Pouco visitada por turistas, o governo queria mudar esse quadro, foi então que tiveram a ideia de permitirem que as gravações de um filme sobre a Sissi fossem feitas nos cenários reais pelos quais viveu a imperatriz.

 

A estratégia funcionou. A trilogia protagonizada por Romy Schneider foi um sucesso mundial, o que elevou a personagem histórica ao patamar do mito, tal qual Evita, Princesa Diana e, para citar um exemplo brasileiro, Xica da Silva.

 

A fim de ver ao vivo os cenários dos filmes e seguir os passos da mítica Sissi, o turismo em Viena nunca mais foi igual. Até hoje, multidões se deslocam à Áustria para conhecer as três principais atrações referidas à imperatriz que são: o Palácio Schönbrunn, o Hofbrug Wien (apartamentos imperiais) e o Imperial Fuurniture Collection (onde está o mobiliário usado nos filmes).

 

Sissi Pass

 

Esses três lugares estão em endereços diferentes, assim sendo, caso não possa ir em todos eles, é possível comprar as entradas separadamente, mas se você quer mesmo conhecer os três, então sairá mais barato comprar o Sissi Pass que dá direito a entrar em todos eles pelo preço de 25,50 euros, uma economia de mais ou menos 9 euros.

 

Você pode comprá-lo através do site http://www.imperial-austria.at/all-tickets.html ou comprar diretamente na bilheteria de uma dessas três atrações.

 

Sissi e Zoo

 

Eu tinha decidido comprar na entrada do Palácio Schönbrunn que é o principal do pacote e também o mais caro se comprado separadamente (11,50 a visita simples e 14,50 a visita vip), no entanto, assim que cheguei lá, descobri que ao lado do Palácio Real havia o Schönbrunn Zoo, um zoológico com pandas e outros animais raros.

 

jardim-sissi.jpg

 

Como não é todo o dia que a gente tem oportunidade de ver um panda, afinal, só existem 33 no mundo e 90% deles estão na China, resolvi que não compraria o Sissi Ticket e sim um outro pacote que custava 29,50 euros e dava direito a conhecer o zoológico, o Palácio e mais algumas atrações pequenas que ficam dentro do parque, como: a casa dos répteis, o labirinto, o mirante do jardim e uma aula na padaria Strudelshow com direito a um pedaço de Strudel grátis.

 

Comprei esse ticket na bilheteria do zoológico, mas é possível comprar apenas a entrada do zoo, separadamente o preço é de 15,50, podendo também ser adquirida no mesmo site acima.

 

panda-zoo.jpg

 

Como Chegar

 

Para chegar ao parque onde está o Palácio e o Zoo é muito simples. Basta pegar a linha U4 do metrô e descer na estação Hietzing. Chegando por essa estação o portão do parque mais próximo fica apenas a uns 200 metros e o melhor é que nessa entrada há uma loja de chocolate Lindt. Os preços lá não são tão baratos como na Suíça ou na Holanda, mas são melhores que no Brasil e você ainda pode experimentar uma trufa de graça.

 

urso-polar-zoo.jpg

 

Gostei muito do Schönbrunn Zoo. Achei os animais bem cuidados e melhor separados do público, isto é, não são obrigados a estar nos lugares de exposição, respeita-se a vontade do animal de ir e vir. Diferente, por exemplo do Zoológico de Luján em Buenos Aires, o qual não fui e nem aconselho ninguém a ir devido às denúncias de maus tratos, o zoo de Viena é um programa imperdível.

 

Terminado a peregrinação pelo zoológico, fui conhecer as outras atrações que meu ticket dava direito. O primeiro em que passei foi no Schöbrunn Maze, o labirinto em que o ingresso separado custa 2 euros, mas que não vale nem isso. É uma atração legalzinha em que você tem que achar o meio do labirinto para poder subir na plataforma e assim tirar fotos de cima.

 

labirinto.jpg

 

Já cansado de ver tanta coisa, ainda faltava fazer uma parada no Wagenburg, o museu que expõe as carruagens e o figurino de Sissi. A entrada não estava no incluída no meu ticket, então tive que desembolsar 3 euros, o que valeu a pena.

 

carruagem-de-ouro.jpg

 

Depois dessa overdose de Sissi, não quis mais ver os outros museus sobre a imperatriz e tirei o quarto dia para fazer um bate-volta à Bratislávia, a capital da Eslováquia.

 

Sobre Viena resta dizer que, como visto na parte 1, a cidade vai muito além das atrações que lhe deram fama.

 

[creditos]No blog o relato está dividido em duas partes e aqui eu as juntei, no entanto, deixei alguns trechos e fotos de fora, caso queira ver mais é só acessar: http://www.uziporai.com.br/2014/12/austria-viena-sissi-e-os-pandas-parte-2.html[/creditos]

Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...