Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Patagônia Argentina - Ushuaia e Calafate ABRIL/2014


Posts Recomendados

  • Membros

Galera fui para a Patagônia Argentina durante o feriado de Pascoa e Tiradentes no inicio do ano. Já publiquei em meu blog http://www.ToMochilando.com , mas faço questão de divulgar com os colegas dos Mochileiros.com porque é daqui que sai a maior parte de dicas de minhas mochiladas! Achei mais fácil e didático separar o relato em partes para não ficar cansativo e proporcionar mais detalhes e dicas de lugares e passeios.

 

Ushuaia – Primeira Parte

Ushuaia é a cidade mais ao sul do Planeta, fica localizada na Terra do Fogo, nome esse dado pelos europeus quando iniciaram as navegações marítimas e ao passarem no extremo sul da America observavam diversos indígenas que faziam fogo para poderem se esquentar do tenebroso frio da região.

mapa.jpg.f5c46075ffd158ec97bff99f0a32c091.jpg

Quando ir:

Ushuaia, cidade mais austral do Mundo, pode ser visitada em todos os meses do ano. Cada estação tem sua peculiaridade. Se no inverno as estações de esqui estão abertas e os atrativos da neve podem ser aproveitados, o verão proporciona visuais fantásticos e dias extremamente longos (cerca de 17 horas de exposição de luz solar). Por outro lado, fui agora no outono e pude constatar peculiaridades únicas dessa estação como as diversas folhas caídas nos passeios e um visual bem típico dessa época do ano. Durante a semana de minha estadia nevou bastante na cidade de Ushuaia, mas não é regra. Se você quiser ver neve nesse período tem que ir para o Cerro Martial, onde na certa se terá contato com a neve.

placa.jpg.7bb71b81ce05f78c40e09d53908726a2.jpg

Como Chegar:

Através de avião se tem voos diários de Buenos Aires, sendo operados pela Lan e pelaAerolineas Argentinas. Optei por uma promoção da segunda empresa. Não tive problemas e inclusive gostei muito do serviço de bordo da Aerolineas, no entanto, conheci duas pessoas em Ushuaia que tiveram problemas com extravio de bagagem pela empresa aerea argentina. Uma viagem Buenos Aires X Ushuaia dura cerca de três horas, e se estiver vindo de Calafate a viagem dura cerca de 1 hora.

De forma terrestre a viagem dura cerca de 30 horas de ônibus vindo de El Calafate. Tanta demora se justifica pelo fato de você passar por terras chilenas, acarretando duas imigrações. Se vier de ônibus, cuidado com as suas bagagens. Procure trancar as mochilas com cadeados e manter por perto sua bagagem de mão. Os Carabineros (nome dado aos policiais chilenos) são rígidos na fiscalização e o cuidado se faz necessário para cuidar de alguém colocar algo indesejado em suas bagagens.

Onde Ficar:

Existem diversos hostels na cidade. Depois de pesquisar muito resolvi escolher o Hostel Antarctida que além de possuir um preço em conta (em torno de 140 pesos argentinos por noite), possuí uma excelente área de integração entres os hospedes. Para quem viaja sozinho é uma boa forma de se socializar com outros mochileiros.

O único porem do Hostel é que os dormitórios não possuem banheiros nos quartos e que os banheiros ficam em outro piso. Um leve transtorno, mas que deve ser destacado ainda mais num lugar extremamente frio como Ushuaia.

Mas no geral a avaliação é boa. Staff atencioso, preço excelente, eficiente sistema de calefação, boa internet wi-fi e excelentes áreas de socialização na cozinha e na sala.

hostel.jpg.793c8230ec4eb5408cb930f2a224262f.jpg

Cambio

Diferentemente de Buenos Aires que você consegue fazer tranquilamente o cambio negro na Calle Florida com uma cotação mais agradável que o dólar oficial, em Ushuaia não existe tanta oferta de cambio vantajoso. Você conseguirá cotação melhor em Restaurantes e no Cassino. #FicaaDica de na vinda, em Buenos Aires, você trocar seus Reais ou Dólares por pesos. Eu acompanhei o cambio e troquei o meu dinheiro com o pessoal dessa pagina do facebook aqui. (recomendo).

Onde Comer

Existem diversos restaurante na cidade com os mais diversos preços. A dica é que você não deixe de experimentar a Centolla e o Cordeiro Patagonico, pratos típicos da região. Na verdade, não recomendarei nenhum estabelecimento especifico, pois na avenida principal existem diversos restaurantes. Se você quer economizar com um lanche rápido a ida ao Bananas Bar é uma opção altamente recomendada.

centolaviva.jpg.88da5c5dae18b99c77c75df2992ef79d.jpg

centolaprato_thumb.jpg.4523ffe5f867f19fbb7f385551e1a38d.jpg

Passeios:

A cidade possui diversos atrativos turísticos e nesse primeiro post trataremos acerca de dois passeios realizados no inicio da viagem: o passeio no Canal Beagle e a visita a prisão do fim do mundo.

 

Canal Beagle

O passeio ao Canal Beagle é realizado por diversas empresas e cada um tem a sua peculiaridade. Os valores variam entre 400 a 800 pesos. Optei pela empresa Três Marias (que além do tradicional passeio no Canal, também oferece um treeking na Ilha H). Uma outra opção para quem vai no Verão é dar uma olhada no passeio da PiraTour que além das tradicionais ilhas ofertadas, também vai para Isla Martillo ( também conhecido como Pinguineira) que é onde ficam milhares de pinguins durante determinados meses do ano.

montanhasushuaia_thumb1.jpg.ff482d0088803ae11052d3fecdbaf858.jpg

Sobre o passeio ofertado pela Três Marias (preço de 500 pesos) você vai em algumas ilhas observar os animais (passa bem pertinho), passa no falso farol do fim do mundo e desembarca para a caminhada de cerca de uma hora na ilha H.

 

IMG_2011_thumb.jpg.788f0e13c9e82e61048bba46d804c9ca.jpg

Prisão do Fim do Mundo

Aproveitei um dia depois de um passeio para dar uma visitada no Museu da Prisão do Fim do Mundo. Todos os dias as 18:30 acontecem as visitas guiadas e fica aberto até as 20 horas. Nela você conhece as histórias de alguns presos famosos que passaram na prisão durante a primeira metade do século passado. Um outro aspecto legal do passeio é conhecer a réplica fiel do verdadeiro Farol do Fim do Mundo (que se eternizou na história com a obra do escritor Julio Verne), o acesso a replica só é possivel no passeio guiado.

Portanto, a visita a Prisão do Fim do Mundo é interessante, ainda mais que você pode realiza-lo no fim do dia depois de algum outro passeio. Também acho que só vale a pena a visita com o guia, senão você somente irá ver um monte de celas e sem saber o contexto de como foi construída e quem passou por essa prisão.

598dc1485f902_prisofimdomundo.jpg.176b05d2fccbda0dfc380dc331ffa950.jpg

 

Passeio 4x4

O passeio te proporciona imagens vislumbrantes, uma excelente parrilhada e um bom papo com outros viajantes. O carro passa te pegar bem cedo no hostel. Você faz o deslocamento na famosa rota 3 por um veículo 4x4. Na estrada principal você para num estabelecimento para conhecer os cachorros que são usados para puxar os trenós durante o inverno e também é possível tomar um café ou chocolate quente para dar uma esquentada no corpo. Seguindo o passeio você vê o mirante do Lago Escondido e adentra numa estrada de chão

Durante o passeio você vê diversos Diques feitos por castores. Os castores viraram uma praga na Terra do Fogo, sendo inclusive permitido sua caça. Eles não são naturais da região e foram importados do Canada na década de 50 para a produção de tecelagem. A indústria da pele não prosperou, mas, cresceu em larga escala a presença dos esquilos na localidade. O grande problema é que por natureza os esquilos fazem diques, esses diques depois de prontos inundam uma enorme área que acaba gerando um desequilíbrio ecológico. A culpa é/foi dos esquilos? Claro que não, os castores foram introduzidos artificialmente na região.

Além dos castores e seus diques, durante o passeio é possível avistar diversas Aves (tive a oportunidade de ver um Pica-Pau).

Chegando próximo do Lago Fagnano o carro para e permite que você faça uma breve caminhada até o lago. Após o tempo para as fotos e contemplação, nos dirigimos ao refúgio onde os próprios guias fazem um excelente churrasco regado a vinho. O momento é propício para um bate papo com outros viajantes e troca de experiências sobre a viagem.

Após o almoço nos dirigimos a costa do Lago Escondido e foi nos proporcionado a oportunidade de andar de canoa na água. A sensação de remar num lago, no fim do mundo, olhando as montanhas com os picos nevados é muito boa! #valeapena apesar do esforço!

Agora o passeio como um todo é indispensável? Vale a pena o custo de $800,00 (oitocentos pesos)? Valer a pena vale, no entanto, diria que não é algo indispensável para se fazer em Ushuaia se haver poucos dias para conhecer a região. Cumpre destacar que se você tiver em grupo pode alugar um carro que verá quase as mesmas paisagens, terá a oportunidade de conhecer outros belos lugares e não ficará preso ao roteiro imposto por uma empresa.

Parque Nacional Tierra del Fuego

Se o passeio do 4X4 gera controvérsias, a ida para o Parque Nacional é imperdível. Vá cedo, pois o Parque possui muitas trilhas e merece pelo menos um dia de dedicação lá. Fiz a Trilha Costeira que possui 8 Km e mais algumas menores que no total fechou uma distancia de cerca de 14km durante o dia todo!

Existem duas formas tradicionais de chegar ao Parque, a primeira é com o Trem do Fim do Mundo que acabei não indo e a outra é de ônibus. Quanto a ida pelo Trem se você pesquisar um pouco verá que as opiniões são muito divergentes, tem gente que adora e gente que não curte muito. Pelo que pude perceber e pelos comentários locais a ida ao Parque pelo Trem do Fim do Mundo rende algumas paisagens bonitas, mas é algo monótono, demorado e bem CVC. Minha dica é se você tiver uma quantidade razoável de dias em Ushuaia pode ser que vale a pena, mas se a viagem for corrida que nem foi a minha, acho que se pode aproveitar o Parque Nacional indo cedo e direto para lá de Ônibus ou Carro.

Existem diversas paradas de ônibus para as diversas trilhas do Parque Nacional, se você tiver apenas um dia recomendo que faça pelo menos a Trilha Costeira que apesar da longa caminhada, trará visuais impressionantes como os abaixo:

Cumpre destacar que no inicio da trilha você tem os Correios do Fim do Mundo, ali é possível você carimbar seu passaporte e mandar um postal através Serviço Postal mais austral do Mundo #FicaaDIca para mandar uma recordação para um parente ou amigo que não more na mesma cidade que você!

Ida ao Glaciar Martial

Como na semana que fui para a Patagônia Argentina não tinha nevado, a solução para ver os flocos de neve era ir subir o Glaciar Martial. Uma subida íngreme e cansativa que no inverno e verão, ou seja em alta temporada, pode ser feita por um teleférico. Além de ser um bom treeking na montanha, lá em qualquer época do ano é possível ter contato com a neve e possivelmente ver os flocos de neve caindo do céu (como no vídeo abaixo).

 

A subida na montanha é possível ser feita em meio dia, pois só é cansativa pela subida e não pela distância. Recomenda-se levar agua e barra de cereal, pois aparentemente os únicos lugares para a compra dos mesmos é antes da subida.

A subida é imperdível, visuais magníficos e contato com a neve. Quem vai para Ushuaia tem que subir no Glaciar.

Obs: No caminho da ida ou da volta é legal parar o carro para tirar uma foto panorâmica da cidade. Se você der sorte e o tempo estiver limpo, pode ter certeza que será uma recordação muito top de Ushuaia.

 

CALAFATE

 

E vamos para a ultima parte de nosso relato na Patagônia Argentina. Antes de iniciar fica a menção que se tivesse mais tempo teria ido para Torres Del Paine no Chile para fazer o circuito W de 4 dias, mas fica para uma próxima mochilada.

 

Após a passagem por Ushuaia, segui de avião para El Calafate! Como era só uma breve passagem pela cidade, o objetivo era conhecer o Glacial Perito Moreno, mas deu para dar uma olhada na cidade!

 

Onde Ficar?

 

Após muitas pesquisas fiquei no Hostel America del Sur que possui uma estrutura excelente, um ótimo staff, uma boa sala de convivência e definitivamente a melhor vista de um hostel que já fiquei. Na sala de convivência existe uma grande janela que proporciona uma visão panorâmica da cidade.

hostelcalafate.png.58ac59c5d28f146608d355f5b79f4dc5.png

 

O que Fiz?

No dia que cheguei aproveitei para ir no Museu do Gelo e no Bar do Gelo (nomes abrasileirados) que ficam cerca de 6 km do centro da cidade. O translado é gratuito, você pega no centro da cidade e tem translados a cada 1 hora.

 

Chegando lá você compra as entradas para o Bar e o Museu. Gostei muito do museu, pode-se ver documentários (em especial 1 que é 3D e mostra imagens do Parque Nacional Perito Moreno), painéis interativos e diversas maquetes mostrando a importância dos glaciares para nosso Planeta e como se dá a formação da neve, do gelo e dos glaciares. Realmente show de bola

 

A outra atração do local é o Ice Bar que é algo para pegar turista disposto a gastar para tirar algumas fotos. Você entra no estabelecimento, fica 15 minutos, e pode beber a vontade. Todavia o pouco tempo, a aglomeração de gente e a limitada opção de bebidas faz com que eu não recomende o lugar. Muito caro, turístico e tempo limitado!

 

Mini-Treeking no Glacial Perito Moreno

 

Experiência Fantástica. Essas seriam as duas palavras para se resumir o passeio pelo Perito Moreno. Dificilmente terei a oportunidade de fazer um treeking encima de um glacial novamente, mas tenho certeza que a experiência de andar sob o imponente Glacial Perito Moreno me marcará para sempre.

peritomoreno.jpg.f857df6c0e10c2eb3dca8ca48c4854d7.jpg

O passeio começa bem cedo e a empresa que possui a concessão Hielo y Aventura passa te pegar bem cedo no hostel. Depois junta a turma que vai fazer o Mini-treeking e a turma que vai fazer o Big Ice. Acabei fazendo o Mini-treeking por falta de disponibilidade do Big Ice, portanto #ficaadica de quanto antes reservar a aventura melhor.

Basicamente a diferença do Mini para o Big Ice é o tempo de passeio e o preço. Enquanto o primeiro custa 800 pesos e você caminha por cerca de 3 horas, o ultimo custa 1200 pesos e tem a duração de 7 horas de caminhada. Frisa-se que o custo da entrada do Parque Nacional (150 pesos) não esta inclusa e deve ser paga a parte.

O passeio se inicia com a chegada ao Parque Nacional Perito Moreno, onde pegamos um Catamarã que nos leva até o Glacial. Lá vestimos as botas apropriadas para andar no gelo e começamos a caminhada. A estrutura da empresa é coisa de Primeiro Mundo. As pessoas são divididas em pequenos grupos, e cada grupo desses possui dois instrutores.

A sensação de andar sob o gelo é fantástica e proporciona imagens vislumbrantes.

trekingperito.jpg.366cb7ff7d1a08be321cca048271581c.jpg

No final do passeio você pode desfrutar uma dose de uísque com o gelo do glacial.

whisky.jpg.8c6b2ef35ddeb5afec3c8ff309d1be63.jpg

Muito importante seguir as recomendações dos instrutores. Quando voltei para o Hostel conversei com uma Argentina de Buenos Aires que havia quebrado o pé durante o passeio por descuido. No entanto, a mulher falou que o atendimento de emergência pela empresa foi exemplar, proporcionando inclusive o pagamento das despesas médicas no hospital da cidade.

 

Galera é isso! Se tiverem alguma duvida ou quiserem ver mais fotos só comentar no http://www.ToMochilando.COm

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Meu maior medo nesse passeio foi ferrar o pé. Quando fui eu tinha recém rompido dois ligamentos do tornozelo e andei parecendo uma retardada pra não acontecer nada ::lol4::

 

Eu amarrei a bota tão forte nos tornozelos que não entrava nem o dedo e mesmo assim eu dei uma torcida no outro tornozelo logo no começo ::hahaha:: Felizmente só doeu na hora e deu pra caminhar tranquila.

 

Bom saber que o resgate funciona.

 

Muito legal o seu relato. Vai fazer um ano que fui e morro de saudades de olhar a cordilheira ao acordar e sair andando com aquele vento cortante na cara ::Cold::

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...