Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Posts Recomendados

Olá, eu e meu marido estivemos na Colômbia de 18/12/14 a 01/01/15.

 

Rotas

Compramos as passagens de ida e volta pela Copa Airlines com milhas.

As passagens internas compramos da Viva Colômbia e Copa.

 

Campinas – Panamá – Bogotá – COPA

Bogotá – San Andres – VIVA

San Andres – Cartagena – COPA

Cartagena – Bogotá – VIVA

Bogotá – Panamá – Campinas - COPA

 

Obs. Viva Colômbia: é uma empresa confusa e cheia de frescuras ::putz:: : se vc não imprimir o cartão de embarque terá que pagar 25.000 pesos colombianos para fazer isso no check-in. Serviço de bordo é pago. Se for despachar terá que pagar e só pode ser até 12 kg. Para até 20 kg tem mais uma taxa. Pagamos 1 taxa extra e despachamos as malas como se fossem de 1 pessoa só. Não tem marcação de poltrona, vc senta onde quiser (imagina como é a hora de entrar no avião kkk). Até vc conseguir entrar no avião vc participará de pelo menos 5 filas kkk. Além disso, nenhum vôo que pegamos com eles saiu pontualmente. Se o valor compensar vá em frente, mas com o espírito aberto kkkk.

 

Câmbio

 

Levamos dólares e reais.

Cambiamos uma pequena quantia de dólares no aeroporto de Bogotá, assim que sai do desembarque: 2.200 pesos por dólar.

O restante dos dólares cambiamos no centro de Bogotá (candelária) na rua dos transmilênios por 2.220 pesos por dólar.

Nem utilizamos os reais pois o câmbio estava ruim 750 pesos por real.

Encontramos brasileiros que cambiaram em Cartagena e disseram que estava 2.050 pesos por dólar.

 

Hostels

 

Bogotá: Masaya Hostel – ::cool:::'> fica na Candelária: o melhor da viagem, ótimo. Atendimento muito bom. Limpo (tinha gente limpando toda hora). Cozinha com boa estrutura. Banheiros grandes com várias cabines e água quentinha. Hostel com vários ambientes. Café da manhã mara! O café não estava incluído, era 7500 pesos por dia mas super compensava pq era mto bom: omelete de 2 tipos, 2 ou 3 tipos de frutas, manteiga, geléia, suco, café, cereais completo, uma belezinha. Pegamos quarto privativo que tinha vista pro cerro monserrat. A localização é muito boa pq permitiu fazermos td a pé – 4 diárias com o café da manhã saiu 300.000 pesos.

 

San Andres: Sheylla’s Place III – fica a 5 minutos do centro: é um prédio residencial que pegaram o último andar e fizeram de pousada. São 6 quartos grandes e privativos, cozinha, banheiro e sala comunitários. É um banheirinho só para os 6 quartos, mas até que deu certo. Não tem água quente no chuveiro, mas acredite isso não é um problema com o calor que faz lá. É uma pousada que vai mais família. A limpeza é 1 vez por dia. Recepção razoável. Sem café da manhã – 5 diárias saíram 375.000 pesos.

 

Cartagena: Hostal Las Tortugas – ::ahhhh:: fica no Getsemani a 5 minutos da Torre do Relógio: atendimento bom. Nosso quarto não foi limpo nenhum dia. Banheiro coletivo só era limpo de manhã. Não tem água quente no chuveiro, o que não é um problema pq lá faz calor de matar. Cozinha muito pequena e suja. Permite festas, então quem tem dificuldade de dormir não rola. Tem café da manhã mas bem fraquinho e controlado. Só vale por ser bem perto da muralha – 4 diárias saíram por 360.000 pesos.

 

Restaurantes

 

Dica: a maioria dos pratos são mto bem servidos então pedíamos 1 prato para os 2.

 

Bogotá: na Candelária é melhor do que no centro de Bogotá para encontrar bons restaurantes. As lanchonetes de rua não são nem um pouco convidativas (lê-se bem sujas).

 

‘Candelário’ tem preços bons e a comida é boa. Aproximadamente 13.000 pesos o prato.

‘Crepes & Waffles’ uma delícia, limpo e preços razoáveis. Na dúvida coma lá.

‘El Corral’ tbm mto bom e preços parecidos com Crepes & Waffles.

‘Las Brujas’ comemos ceviche peruano e caribenho, mto bom. É um restaurante mais romântico.

‘San Isidro’ fica no cerro Monsserrate, é mto bom, luxuoso e com uma vista linda mas caríssimo.

‘Andres Carne de Res’ meio carinho, mas tem que ir. É mto diferente.

Cafeterias ‘Oma’ e ‘Juan Valdez’ tem por toda parte.

Tem tbm as barraquinhas de frutas, arepas e arequipas.

 

San Andres:

 

‘Mahi Mahi’, ‘Sea Watch’, ‘Casa Blanca’: ficam um do lado do outro na orla, são do mesmo grupo e vc pode sentar em qualquer um dos restaurantes e pedir o cardápio de qualquer um deles. Se quiser mais requinte sente no Casa Blanca rsrs.

 

Cartagena: É bem tranquilo comer na cidade amuralhada. Tem mtas opções boas e todos os preços.

 

‘Hard Rock’ gostoso, ambiente agradável!!!

‘Chipi Chipi’ é uma cevicheria bem boa que fica perto da praça Fernandes Madrid.

‘Café del Reloj’ assim que vc entra pela torre do relógio fica à direita. Ambiente mto bom, atendimento ótimo, comidas, sobremesas e café deliciosos.

Cafeterias ‘Oma’ e ‘Juan Valdez’ .

Dica: as arepas de Cartagena são muuuto melhores do que de Bogotá.

 

BOGOTÁ

 

1° dia: Chegamos ao Aeroporto El Dorado e pegamos um táxi até o Hostel Masaya que fica na Candelária (~40 minutos e custou 25.000 pesos).

A Candelária é um bairro universitário, tranquilo e seguro. Tem fácil acesso a tudo e pode visitar os principais pontos turísticos a pé.

Fomos para a praça Bolívar. Estava toda enfeitada para Natal, linda. Teve projeção de um vídeo natalino em um dos prédios históricos.

 

2° dia: como não tínhamos adaptador para as tomadas (aqueles de 2 pinos achatados) fomos para o centro comprar.

Tour guiado pela Candelária: fizemos a reserva ainda no Brasil por email ao PIT (posto de informação turística). O PIT fica em uma das esquinas da praça Bolivar. O tour é gratuito e dura aproximadamente 2h. É só panorâmico, não entra nos lugares e vale mto a pena. Depois com os conhecimentos adquiridos vc entra no que te interessar.

Depois do tour fomos entrar nos lugares: Centro Cultural Gabriel Garcia Marques (uma livraria, com pátio, espelho dágua, tem um El Corral na frente e um Juan Valdez ao lado), Museu Botero (bem legal), Casa da Moeda, Museu Casa da República. Todos esses ficam um do lado do outro e são grátis. Pagamos apenas 6000 pesos para o áudio guia (opcional) no museu Botero.

No fim da tarde fomos a Igreja Santo Agostinho (atrás do Palácio Narinõ).

Em Bogotá tem as redes de Artesanias, então fomos procurar uma delas. A guia do tour nos indicou a do lado do Museu do Ouro pois era mais barata que as demais. Fomos e era enorme, artesanatos bem feitos mto legal. Vale a pena comprar lá.

 

DSCN1044.JPG.4c32c7b26bb5dffca9c5b250f36995fa.JPG

 

3° dia: acordamos cedo e fomos pra Zipaquirá, onde tem a Catedral de Sal.

Caminho: pegar ônibus Terminal Norte (n° 72). A passagem custa 1500 ou 1800 pesos dependendo se é hora de pico ou não. Desce no terminal norte e pega uma Buseta para Zipa que custa 4300 pesos. O trajeto todo dura quase 2h.

A cidade é uma graça, praças e igrejas lindinhas. Fomos andando até a Catedral. A entrada custa 23.000 pesos no tour básico e tem outros tipos de tours com valores mais altos.

O passeio dentro da Catedral dura em torno de 1:30h com guia. Vc fica a 180 metros abaixo da montanha. Tem toda a via crucis, show de luzes e um filminho 3D além de um espelho dágua maravilhoso. Vale muito a pena! Tem que ir!

De noite fomos para o famoso Andres Carne de Res. É um restaurante mto diferente. É um prédio inteiro cada andar todo enfeitado com os temas terra, céu, inferno etc. Eh mto da hora. As comidas são um pouquinho caras mas tem que ir. Áh o atendimento é ótimo. Tem que agendar pelo site ainda do Brasil, pq lá lota.

O Andres fica na Zona Rosa, área nobre de Bogotá então depois do Andres ficamos andando por lá. É um bairro mto lindo, cheio de barzinhos, shoppings e lojas de marca. Td decoradíssimo para o Natal. ::otemo::

 

DSCN0799.JPG.e170781afd60f30117b25a37bfa0d17a.JPG

 

DSCN0854.JPG.b6b91624dcc5354e19105d028c4060b1.JPG

 

 

4° dia: Cedo fomos para a praça Bolívar conhecer a Catedral. No caminho passamos na igreja da Candelária.

Como o pessoal do hostel indicou fomos procurar um centro de artesanias (que não são as oficiais) que fica na Calle 10 com Carrera 10. Os artesanatos são mais baratos mas não são bonitos como nas redes oficiais.

Fomos para o Museu do Oro (grátis aos domingos assim como demais museus). Mto legal e interativo.

De tarde fomos fazer a visita guiada na Casa Narinõ (residência do presidente). Agendamos previamente do Brasil por email. Para conseguir entrar é um trampo: para entrar na recepção tem que deixar td q é metálico e passa por uma porta tipo de banco. Depois passa a bolsa , blusas etc em um raio X. Daí eles te pedem câmeras e celulares e deixam guardado. Vc faz um cadastro e tira foto. Depois eles dizem q vc não pode entrar de bolsa, e confiscam sua bolsa. Perde um tanto de tempo nessa confusão. Mas o tour é bem legal. Não teve troca de guarda pq falaram q em dezembro não tem.

No final eles devolvem tds as coisas e só pode tirar foto da frente da casa. Agora veja bem, eu e meu marido perguntamos se podíamos usar o banheiro (que fica dentro da casa) e o cara deixou entrarmos com máquina, celular e bolsa e sem acompanhante kkkkk.... ::tchann:: Vai entender esses colombianos.

Fomos para o Cerro Monserrate. Pegamos uma promoção que subindo das 17 às 19:30h pagaríamos 10.000 pesos ida e volta. Subimos de funicular e descemos de teleférico. É mto bonita a vista lá de cima, pegamos o anoitecer. Se puder vá tbm de dia, deve ser lindo. ::otemo::

 

5° dia: último dia em Bogotá. Ficamos andando pelo centro e tentamos ir no edifício Colpatria, o mais alto de Bogotá, mas este dia não era dia de Mirador. Fomos embora para San Andres.

 

 

 

SAN ANDRÉS

 

No aeroporto de Bogotá vc já tem que pagar a taxa pra entrar na ilha. Está 48.000 pesos.

 

Dica: indispensável em San Andres é a sapatilha aquática (10.000 pesos) pq as praias tem mta pedra e snorkel (de silicone por 20.000 pesos, os de plástico entram água).

 

6° dia: Fomos alugar o carrinho de golf. Queriam cobrar de 80 a 90.000 pesos, choramos e deixaram por 70.000. Vc pode ficar com o carrinho até as 18h. Ele anda a 10 por hora rsrs mas é divertido. A ilha tem 32km para percorrer com pontos turísticos ao longo do caminho e parávamos tbm em qqer ponto que achávamos bonito ou que queríamos entrar no mar.

 

Primeira parada foi West View: o melhor de San Andres. Tem estacionamento pro carrinho, vc paga 4000 pesos pra entrar e ganha um pedaço de pão pra alimentar os peixinhos. Lá tem toboágua e trampolim, aluguel de colete (5000 pesos), lockers com propina voluntária, mesas, lanchonete. Pegamos colete pq a profundidade é de no mínimo 4m. Delícia fazer snorkel lá, mtoss peixes, mais do que todos os outros lugares de San Andres que fizemos snorkel. Passe um bom tempo nessa parada, é a que mais vale a pena.

 

Segunda parada: Hoyo Soplador: vc estaciona o carrinho e já vem uma pessoa falando que não precisa pagar nada, que ele cuidaria do carrinho, mas que ele pedia que consumíssemos lá. Ele nem espera a gente pedir nada e já vem trazendo piña colada, ficamos constrangidos e pegamos rs. Bom o Hoyo soplador é divertido, rende boas fotos e vídeos.

 

Não paramos na Piscinita pq tava bem caidinho.

 

Terceira parada: praia de São Luiz e Rocky Cay: tem que pagar 5000 pesos de estacionamento e tem que consumir. Tinha cadeiras disponíveis. Como pegamos o locker (5000 pesos) já contou como consumação. Essa praia é bem organizadinha mas como tava tarde nem ficamos curtindo já fomos atravessar o mar para Rocky Cay. Rocky Cay é uma ilhota em que a atração é o navio encalhado trazido pelo furacão Katrina. Vc chega na ilha caminhando no mar mesmo, tenho 1,59m e a água chegou a bater no meu pescoço.

 

DSCN1345.JPG.41100fb29c35c728f7efac778ea72762.JPG

 

7° dia: passamos o dia curtindo a praia de Sprat Brigth, a praia do centro. E compramos os passeios para Jonhy Cay (9.000 pesos) e Cayo Bolivar (160.000 pesos) com o Maurício da Explorer, ele fica numa mesa em frente à loja Sigali Sigali na orla, ele faz bons preços.

 

8° dia: Passeio para ilha Cayo Bolivar: é o passeio mais caro e inclui café da manhã, almoço e bebidas a vontade. Nos pegaram no hotel.

O barco é pequeno, aberto, sem estrutura, não tem onde segurar, o assento não tem encosto, não tem segurança nenhuma (só coletes). Enfrentamos alto mar durante 1:15h, mar agitadíssimo e experiência de quase morte kkkk. Verdade! Foi aterrorizante. Eles não avisam como é, tínhamos ideia pelos relatos dos mochileiros. Não recomendamos para criança, idosos, problema de coluna ou coração. Recomendamos apenas para quem gostar de mtaaaa aventura pq a falta de segurança é mto grande. ::essa::

Chegamos e o mar de Cayo Bolivar é maravilhoso, um verde inesquecível. A ilha é bemm pequena. O café da manhã é pão com mortadela e o almoço é um peixe, arroz e salada que eles serviam com a mão. Refri, cerveja e água a vontade. Fomos embora às 15h e a volta foi menos desesperadora e durou uns 40 min.

 

DSCN1623.JPG.ea3069b4159dfeb70874539b06fb6bf7.JPG

 

9° dia: Aquário e ilha Johnny Cay: o passeio saiu por 9.000 para cada (com o Maurício) mas em todos os outros lugares estava por 20.000. O barco é o mesmo de Cayo Bolivar só que dessa vez são só uns 10 minutos então tranquilo. Vc tem que pagar a taxa de conservação da ilha (5.000 pesos). Primeiro o barco nos deixa no Aquário que é um lugar no mar que dá para fazer snorkel. Tem locker lá por 4000 pesos. Fica mais ou menos 1h lá e levam para Johnny Cay que é uma ilha bem estruturada mas td tem que pagar. A água é linda e o retorno é 15h.

 

CARTAGENA

 

Obs: dois brasileiros nos informaram para tomar cuidado com os policiais pois eles pedem seu passaporte ou pegam sua bolsa e implantam droga pra cobrar propina. Então cuidado, não deixe q eles saiam da sua vista com nada seu, peça pra olharem na sua frente. Apesar disso nenhum policial nem nos revistou e foi td tranquilo graças a Deus. ::mmm:

Como chegamos tarde só ficamos andando na muralha de noite, que aliás estava linda decorada pra Natal.

 

10° dia: andamos o dia td dentro da muralha. As ruazinhas são uma graça, os balcões com flores lindos. Mtos restaurantes, praças bem cuidadas.

Fomos na igreja San Pedro Claver, Palácio da inquisição (grátis aos domingos)mto legal, Praça Santo Domingos onde fica a igreja de mesmo nome e a estátua La Gorda de Botero.

De tarde assistimos o pôr do sol no Café del Mar (que é carinho mas dá pra ir só assistir o pôr do sol) com uma musiquinha de fundo, mágico.

 

DSCN2396.JPG.a90d453855c09ef6ec3f9be0f0452dc5.JPG

 

DSCN2002.JPG.5c88bb34aaf4f38c28653ec451548642.JPG

 

11° dia: Isla de Rosário e Playa Blanca: custou 45.000 pesos com almoço incluído.O barco tem um pouco mais de estrutura que os de San Andres. No caminho tem guia que vai explicando sobre as ilhas, paradas para ver os peixes. Primeiro para em Isla de rosário para o pessoal ir no oceanário ou fazer snorkel. Como não fizemos nada disso tivemos que ficar esperando o pessoal voltar pra continuar. Isla de Rosário não tem graça, tem so um pedacinho de praia que um tantão de gente se espreme pra ficar. Fomos para Playa Blanca e lá tem o almoço que é peixe, arroz, salada e suco e vc pode ficar até às 15h na praia. A praia é lotadíssima, areia super suja, tem jetsky andando no meio dos banhistas. A água é bem bonita mas se vc for pra San Andres o passeio não vale a pena. ::bad::

 

DSCN2130.JPG.840cb5d975d1665ee26821f631b04cc9.JPG

 

12° dia: fomos na Casa Rafael Nuñez, casa de um ex presidente que foi por 4 vezes e era Cartagenero, eles tem mto orgulho dele. Pegamos guia (propina voluntária) e a visita ficou ainda mais interessante. Não deixe de ir, vale a pena.

13:30h pegamos o Tour de Chiva (40.000 pesos), com guia passa pelo bairro de Bocagrande, bairro do Getsemani, convento de la Popa, Castelo San Felipe e Muralha. Vale a pena, com todas as entradas inclusas. Convento de La Popa só vale pela vista que é linda, é o ponto mais alto de Cartagena. O castelo é bem interessante. A volta num pedaço da muralha tbm é legal. ::hahaha::

 

DSCN2421.JPG.526acf5a78076ebb3f46092c1c38f4cc.JPG

 

 

13° dia: dia de ir embora, ficamos andando no shopping Plaza Mall ao lado do Castelo e andamos na muralha.

De noite pegamos avião pra Bogotá e depois Panamá-Campinas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom o relato Amilton & Poly, parabéns!!!!

 

Quero tirar umas dúvidas com vcs.

 

1- Vcs tiveram que pagar alguma taxa (imposto) de saída do país? Li em alguns lugares que era obrigatório. Meu voo é pela TAM/LAN.

 

2- Que empresa vcs usaram para fazer o passeio até Isla Rosário?

 

3- Tiveram que tomar vacina contra febre amarela, se sim, e o cartão internacional da anvisa como fizeram?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito bom o relato Amilton & Poly, parabéns!!!!

 

Quero tirar umas dúvidas com vcs.

 

1- Vcs tiveram que pagar alguma taxa (imposto) de saída do país? Li em alguns lugares que era obrigatório. Meu voo é pela TAM/LAN.

 

2- Que empresa vcs usaram para fazer o passeio até Isla Rosário?

 

3- Tiveram que tomar vacina contra febre amarela, se sim, e o cartão internacional da anvisa como fizeram?

 

 

Olá Mad-br, mto obrigada!

 

1. na hora do check in na Copa pra irmos embora a moça pediu para irmos em outro balcão carimbar que não era necessário pagar a taxa obrigatória. Acho que a Copa 'paga' (devem embutir na passagem). Agora não sei como é com outras empresas.

 

2. Pra Isla Rosario compramos dos vendedores oficiais que ficam na Torre del Reloj. Eles vestem colete vermelho.

 

3. Já tínhamos tomada quando fomos pra Argentina em 2011 então a carteirinha ainda estava válida, mas não foi solicitado em nenhum momento. Tomamos a vacina, levamos a carteirinha no posto da anvisa no aeroporto (no nosso caso em Viracopos Campinas), sai na hora a carteirinha internacional.

 

Qdo vc vai viajar?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Queria saber também em geral qual a melhor região para se hospedar ?

pretendo ir em outubro é verão ?

 

Olá Loganeto,

 

Hospedagem:

Bogotá: Candelária

San Andres: Centro

Cartagena: dentro da cidade amuralhada

 

Clima: Bogotá é frio o ano inteiro. Cartagena e San Andres é calor o ano inteiro.

 

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito legal o relato de vocês, parabéns pela viagem, as fotos estão lindas.

 

::otemo::

 

Quero ir em Julho e estou fazendo a logística da viagem, estou esbarrando nos preços de passagens aéreas, só estou encontrando promocoes pela Viva Colombia, encontraram muitos problemas com o serviço deles?

 

Gostaria de saber quanto gastaram com as passagens e com as viagens, os trechos que vou comprar são mais ou menos iguais.

 

obrigado

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito legal o relato de vocês, parabéns pela viagem, as fotos estão lindas.

 

::otemo::

 

Quero ir em Julho e estou fazendo a logística da viagem, estou esbarrando nos preços de passagens aéreas, só estou encontrando promocoes pela Viva Colombia, encontraram muitos problemas com o serviço deles?

 

Gostaria de saber quanto gastaram com as passagens e com as viagens, os trechos que vou comprar são mais ou menos iguais.

 

obrigado

 

Olá Helderzito,

 

Não tivemos problemas com eles, mas eles são muito "enrolados" quanto a bagagem, caso for com muita bagagem vale a pena pagar o excesso ao comprar pela internet (lá eles explicam os valores, pesos, etc), eles sempre atrasam os voos, faça o check-in antecipado, do contrario terá que pagar uma "bolada" para eles fazerem, os assentos não são marcados quem chega primeiro senta na janela rs e o serviço de bordo é pago. Compramos com milhas a o trecho da Copa e a Vivacolombia é o mesmo preço que esta no site hoje (01/02/15), é meio tabelado.

 

Espero ter ajudado.

Boa sorte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom o relato de vocês!

Eu estou indo pra San Andres com meu namorado agora dia 21 e estamos surtando por causa do dólar. Vocês chegaram a ver valores de câmbio em San Andres?

Porque pelas minhas contas se for o mesmo de Bogotá que vocês falaram ali (1dolar = 2100 e 1real = 750), está valendo mais a pena levar real.

 

Enfim, to surtando com isso, não sei mais o que fazer.. Se puderem dar um help, agradeço muito!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Camila,

Estive em Cartagena em novembro - ou seja, não tenho informações atualizadas e elas não servem para o lugar que você quer.

Desde que fui lá, o peso colombiano sofreu uma desvalorização frente ao dólar.

Quanto aos reais, estava assim:

- no site do BC e em posts que eu tinha pesquisado na época: 1 BRL = 850 COL

- na Confidence, por encomenda (tem uma quantia mínima que não lembro quanto é): 1 BRL = 650 COL

- no aeroporto de Cartagena: 1 BRL = 500 COL

ou seja, valeu a pena trocar os reais por dólares - mesmo com as perdas por fazer uma conversão a mais.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito bom o relato de vocês!

Eu estou indo pra San Andres com meu namorado agora dia 21 e estamos surtando por causa do dólar. Vocês chegaram a ver valores de câmbio em San Andres?

Porque pelas minhas contas se for o mesmo de Bogotá que vocês falaram ali (1dolar = 2100 e 1real = 750), está valendo mais a pena levar real.

 

Enfim, to surtando com isso, não sei mais o que fazer.. Se puderem dar um help, agradeço muito!

 

 

Camila,

 

Chegamos a perguntar a cotação em Cartagena e San Andres, mas não recordo os valores mas posso afirmar com certeza que em Bogotá a cotação era bem melhor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por absfernandez
      Fala camaradas. 
      Sempre vejo os relatos aqui no Mochileiros, no qual me ajudam muito, porém nunca escrevi nenhum relato. 
      Então; com atraso, resolvi escrever este relato (simples e basico e talvez diferente, pois vou dar uma focada em rolês mais alternativos que acabei fazendo), da viagem que fiz em março/2019 para Colombia. Nas cidades de: Bogota - Medellin - Santa Marta - Cartagena - San Andrés. 22 dias
       
      Infelizmente não vou lembrar de tudo com detalhe, pois já faz alguns meses e não anotei nada, ficou tudo na cuca.  Então BORA LÁ.
       
      Resolvi ir para a Colombia em Outubro de 2018, quando já tinha marcado minhas ferias. Minha intenção era ir para Cuba, mas vi que estava bem caro em termo de passagens e o custo local tbm é elevado. Então resolvi Colombia (pela facilidade do idioma e por ser quente, ter praias e o principal pra mim, otimas atrações culturais)
       
      Fechei as passagens com um amigo meu no fim do ano, numa alta do Dólar, e como eu estava com medo de aumentar mais, acabei comprando e depois vi que paguei bem caro. Paguei 2100,00 bozos - ida para Bogotá e volta por Cartagena (de SP) pela Latan. No início do ano, as passagens estavam a R$ 1900,00 e teve o dia das passagens aéreas que acho que foi em fevereiro, e tava R$ 1680,00. Enfim, deixei o chororo de lado e foda-se, passagens aéreas estamos sujeito a isso.  
      Minha ida foi em Março, dia 07. Logo após o Carnaval, então ja fui cansado e empolgado. 
       
      Para toda a viagem fiz um roteiro com antecedencia, no qual nao segui nem um pouco. kkk Mas da uma ajudada. Para quem tiver interessado, segue o link>
       
      https://docs.google.com/document/d/1yD3_KBDKWH_2ylxrT0nFQ4UYQteoHkxtB11zitSmoBc/edit?usp=sharing
       
      1 - PARTE - BOGOTÁ
       
      1º Dia
      Desci no Aeroporto de Bogotá, e tinha que ir para Candelaria, bairro no centro da cidade onde ficam a maiorias do hostels. Durante a viagem, sentei ao lado de uma alemã, no qual já mandei pra ela a ideia de dividirmos um taxi, já que ela ia para um hostel perto do que eu ia. Ao sair, troquei uns 20 trumps no aeroporto, só que troquei na parte externa do aeroporto, infelizmente não me lembro quanto paguei, mas na parte de fora pagam mais do que na interna. 
      Resolvi ficar no Bo Go Hostel, tinha um otimo preço, media de 25 mil cops com café da manhã, o hostel é muito bom, na questão de acomodação e staff, café da manhã. Só não recomendo pelo motivo de ser na parte alta da candelaria, então pra quem gosta de sempre estar saindo, se torna muito cansativo ficar subindo uma ladeira imensa até o mesmo. Pra quem não liga de andar, ÓTIMO (Se forem atras de Hostel, procurem algum proximo ao Chorro de Quevado). O taxi até a Candelaria deu 30mil cops, tinha dado 35, só que dei aquela chorada e rolou. Ai dividi com a Alemã e ja era. 
      Cheguei na Candelaria a noite, de primeira impressao, achei meio sinistro o lugar, pois é bem ermo e cheio de soldados do exercito com fuzil pela rua. O sinistro é só a impressao mesmo, nos outros dias eu estava andando bebado pelas noites no bairro. kkkkk Deixei as coisas no Hostel e fui para o Chorro de Quevedo que é uma pracinha sensacional, onde ha contadores de historias, artistas de ruas, e jovens bebendo e se drogando. (PRA MIM, LUGAR IDEAL PARA FAZER AMIZADES)

      2º Dia
      Sai para comprar um Chip, comprei pelo centro numa loja da claro, 3mil o chip e mais 20mil de plano com internet por 20 dias e face e whatsapp a vontade. Nos camelos o chip sai por 2mil. Fui a Plazoleta Del Rosario, que é uma praça perto do Museu do Ouro que tem algumas casas de cambio, onde ja fiz a troca do dinheiro que levei (la é onde pagaram melhor, de todos lugares que fui). Dei um role pela cidade para conhecer melhor. O tempo estava muito nublado e ao fim da tarde deu uma melhorada, resolvi ir ao Cerro de Monserrate. Do Hostel fui a pé mesmo, deu uns 15 minutos andando, bem de boa e aparentemente seguro.Lembrando gente que achei a colombia bem segura, mas é aquela coisa. Estamos na america latina, sempre ando com cara fechada, ligada, não dou uma de boa gente com ngm,sempre com pé atras. Botava meu boné, agasalho e bora la. 
      Cheguei no monserrate e como estava tarde nao quis subir a pé, que é um rolezinho. Paguei 20mil cops se não me engano para subir de funicular (meio carinho). Ao subir. PUTA QUE PARIU. Que visão de bogotá. Dei uma fumada e fiquei contemplando aquele horizonte e cidade incrivel. Parecia que eu estava jogando Sim City. Lembrando que o Monserrate é um otimo lugar para quem gosta de aves, tem diversas especies aviarias diferentes da nossa fauna. 
       

      Topo do Monserrate 
      Chegando no Hostel, tomei aquele banho e bora pra noite de Bogotá. As meninas do Hostel me chamaram para ir beber com elas no Chorro de Quevado, mas ja tinha me programado para ir em um lugar chamado Latino Power, uma casa de shows meio que balada e centro cultural, com forte ideologia de esquerda (la era meu lugar), vi um show sensacional de uns senhores chamado Estrellas del Caribe, um role puro da colombia, fugindo um pouco da Salsa. La fiz amizade com um Rasta de 70 anos, chamado Lucas, no dia seguinte encontrei o mesmo vendendo artesanato no centro. Ganhei dele uma pulseira e umas flores de maconha (¯\_(ツ)_/¯ ) . 
      Paguei 25k para entrar no Latino Power, a cerveja era 3mil cops. Otimo lugar, fiz algumas amizades onde conversei bastante sobre politica, cultura, etc. 
      Este local fica na região de Chapineiro, onde tem diversas baladas. Fui de uber, paguei uns 12k pra ir e uns 12k pra voltar. La os roles começam depois das 22 hrs. 

      Latino Power 
       
      3º Dia
      Peguei para conhecer Museu do Ouro, Museu Botero, Museu Militar e fiz um bike tour.
      Museu do Ouro, paguei 5k para entrar, fiquei bem pouco tempo, pois acho meio porre essa tara do ser humano por ouro. Mas pra quem gosta é legal. Museu botero é junto com o de arte moderna e é incrivel, a entrada é gratuita. Museu Militar é gratuito tbm, entrei dei uma olhada breve e saí até pq o exercito colombiano não é parametro para museu militar. Estes museus dá para fazer tudo a pé, pois é proximo um do outro e fica na candelaria. 
       
      Conselho extra: prove as frutas da colombia, tenha esta curiosidade. 
       
      Depois fiz o BikeTour, que sai as 10 hrs e as 14 hrs do Chorro de Quevado, o bike tour é de “graça”, eles só pedem uma propina (caixinha colaborativa). Paguei 20k de propina, mas os gringos pagaram uns 40k. Lembrando que em bogotá, medellin, só tem gente branca fazendo turismo, tudo gringo. Então os passeios, sao tudos guiados e explicado em ingles. Eu como sou formado pela escola Joel Santana, nao entendia muita coisa. Então depois das explicações pela cidade, colava ao lado dos guias e eles me explicavam em espanhol. 
      Ps: tive muita dificuldade em socialização nos hostels de bogotá, medellin e santa marta, devido a falta de sul americanos e a minha ineficácia para um ingles social e nao de sobrevivencia.  Mas é um passeio legal a se fazer, pois você sai um pouco da zona do centro onde o walking tour é realizado,. Nesse passeio, voce toma suco com frutas tipicas, sorvete e alguns petiscos, conforme os guias vao passando em alguns lugares, tudo isso de graça. O bike tour é facil, só chegar uns 15 minutos de antecedencia e ver o guarda sol amarelo no Chorro.
      Para almoçar os guias do bike tour me indicaram um restaurante barato e muito gostoso de um Portugues que morava na Venezuela e foi para a Bogotá devido a crise. Se estiverem na de economizar, recomendo o bar deste senhor: Juan Chocolate Restaurante, fica na Calle 12, proximo ao Chorro. Um menu completo sai por 12mil cops. 
       
      No final da tarde fui na La Redada, um centro cultural que fica proximo ao centro tbm. La tem um café com umas opçoes veganas e exposições temporarias. Um otimo lugar para trocar conhecimentos e informações sobre questoes sociais. 
      (Se você que esta lendo, é conservador, vota no Bozonaro, nem recomendo ir nesses centros culturais, pois vao estar cheio de ptistas kkkkkk)

      Em algum lugar de Bogotá
       
      Chegando muito cansado no hostel, oq fiz ? Descansar que não foi. Me arrumei e fui ao Theatron, uma balada LGBTQ+ em Bogota, que é considerada a maior balada gay da america latina. Sou hetero, mas nao tenho problema com este tipo de ambiente. A balada é gigante, tem se nao me engano 13 ambientes em 5 andares e diversos temas cada pista. É realmente incrivel. É uma balada para todos os gostos e orientacoes sexuais, e achei todos os frequentadores muuito respeitadores. No dia paguei 55k com openbar  (barralibre) . Deu 14 mil cops de uber até la, e ela fica em Chapineiro tbm. 
      Cheguei no Bo Go hostel as 4:30 da manhã, mamado. Tinha me programado para ir na Catedral de Sal ou no Parque Jaime Duque. Porém cheguei tao acabado que acabei nao indo em nenhum dos dois. 
      Pela manhã peguei para ir no Mercado das Pulgas de San Alejo, peguei uma bicicleta e fui andar por bogotá, achei uns rapazes jogando bola em uma quadra publica. E la fiquei a tarde jogando bola. (FOI UM GRANDE DIA).

      Mercado das Pulgas de San Alejo
       
      FOI MINHA PRIMEIRA VIAGEM SOZINHA. E ALGUMAS DECISOES PARTICULARES TORNARAM A VIAGEM INCRIVEL, POIS NAO SEGUI UM ROTEIRO ESPECIFICO. 
       
      VOCÊS PODEM ME PERGUNTAR;  NOSSA!!! VC FOI PARA BOGOTA E NAO CONHECEU A CATEDRAL DE SAL ?
      SIM. EU NAO CONHECI, MAS PRA MINHA PESSOA FOI MUITO GRATIFICANTE JOGAR FUTEBOL COM LOCAIS EM UMA QUADRA PUBLICA, FOI INCRIVEL CONHECER UM RASTA DE 70 ANOS, QUE NO DIA SEGUINTE TAVA ME OFERECENDO MACONHA SEM AO MENOS ME CONHECER, TROCAR CONHECIMENTOS POLITICOS SOCIAIS COM LOCAIS.
       
      Continua...
       
       
    • Por caio.andrade555
      México, Belize e Guatemala
      Relato de Viagem
       
      Olá, Mochileiros. Meu nome é Caio Andrade, sou de Manaus – Amazonas, e junto com minha esposa, Gilci Helena, somos apaixonados por viagens.
      Diferente do que aconteceu com o Mochilão que fiz pelo Peru-Bolívia-Chile, eu não encontrei quase nenhuma informação sobre o mochilão México-Belize-Guatemala. Então, eu fui coletando informações isoladas de outros relatos e também do Instagram da maravilhosa Gabi (@viajandocomgabi). Por este motivo, resolvi fazer este relato o mais rápido possível.
      Gostaria de informar (e pedir desculpas para quem gosta) que este relato não terá fotos, mas apenas o relato detalho junto com valores, pois é isso que realmente importa. Caso você queira ver algumas fotos e alguns vídeos sobre o roteiro, visite o meu perfil no Instagram (@caioandrade.adv).
      Gostaria de ressaltar que 
      Então, vamos ao que interessa!!!
       
      Roteiro, Duração e Transporte
      O meu mochilão começou em 12.06.2019 e terminou em 03.07.2019, e perfiz o seguinte roteiro: Cancún (Mex) > Tulum (Mex) > Caye Caulker (Blz) > Flores (Gua) > Antígua (Gua) > San Cristóbal de Las Casas (Mex) > Cidade do México (Mex).
      Todo o meu trajeto foi feito por ônibus e shutles (minivans). No México, a empresa que domina o transporte é a ADO, que atende todo país. Para montar minha planilha de gastos, eu entrei no site da ADO, simulei os trajetos e obtive os valores. O site não aceita compras com cartões internacionais. Porém, comprando com antecedência no guichê da ADO, assim que você chegar no México, você terá descontos absurdos. Por exemplo: o trajeto San Cristóbal – Cidade do México estava custando cerca de 1.600 pesos, mas como comprei com dois dias de antecedência, ele saiu por 870 pesos.
      Já na Guatemala, os trajetos são feitos por shuttles (minivans), que são extremamente desconfortáveis, sem encosto para sua cabeça e você não consegue descansar. Ainda procuramos em varias agencias uma minivan que tivesse encosto para cabeça, mas TODOS não tinham. Então, prepare o seu corpo e o seu emocional.
       
      Hospedagem
      Todas as minhas hospedagens foram reservadas pelo Airbnb, pois queria pagar tudo antes da viagem e também porque eu queria ter mais comodidade e privacidade. A hospedagem é um dos pequenos luxos que eu e minha esposa nos permitimos durante a nossa viagem. Rsrsrs
      Uma dica muito importante: como eu não sabia os valores de certos passeios e precisava montar minha planilha de gastos, eu entrei em contato com o hotel que havia reservado e perguntei os valores dos passeios, visto que todos os hotéis de cidades turísticas oferecem esse serviço. Também já fiz isso pelo booking e funciona também.
       
      Qual moeda levar
      NÃO LEVE REAIS. Fiz isto apenas uma vez quando fui para o Chile e me arrependi. Muitos “nacionalistas” pregam que temos que devemos levar reais, pois, se levarmos dólares, faremos dois câmbios e pagaremos mais. MENTIRA. Já viajei para Chile, Argentina, Bolívia, Colômbia, Uruguai, Venezuela, Peru e Equador, e em TODOS esses países, eu tive mais vantagem levando dólares do que reais. Sem contar que algumas cidades pequenas, como Antígua, San Cristóbal, Caye Caulker, não têm casa de câmbio que aceitem reais.
       
       
      1oDia – 12.06 (Cancún – México)
      Primeiramente, queria destacar o programa fidelidade Km de Vantagens, do Ipiranga. Foi graças a ele que consegui comprar milhas aéreas da Multiplus pela metadade do preço regular, o que me deu uma economia de mais de R$1.600.
      O voo de Manaus para Cancún estava muito caro. Pesquisando, encontrei uma passagem mais barata para a Cidade do México. Como eu queria ganhar tempo, comprei uma passagem pela Interjet, empresa low cost, para Cancún e saiu mais barato.
      Nosso voo chegou em Cidade do México às 07:30h e logo fui fazer o câmbio dos dólares que levei. No terminal 1, há excelentes cotações. Quanto mais distante do portão de desembarque, melhor será a cotação. Consegui um câmbio de USD 1 = 18,07 pesos mexicanos no CI Banco.
      No aeroporto, comprei um chip. O mais barato com internet ilimitada por 10 dias custa 100 pesos. Comprei um chip no primeiro quiosque que vi por 300 pesos e andando mais um pouco descobri esse de 100.
      Fizemos nosso check-in na Interjet e chegamos em Cancún às 15h. Fora da sala de desembarque há um guichê da ADO que oferece translado para a estação do centro por 86 pesos. Na estação da ADO, compramos nossa passagem para Tulum e tivemos desconto. Pegamos um táxi para o nosso apartamento.
      Nosso apartamento ficava localizado bem em frente ao Mercado 28, um mercado de artesanato e restaurantes, e a 15min andando da estação ADO. Não ficamos na zona hoteleira, pois estava muito caro.
      Desfizemos as malas, trocamos de roupa e fomos andar pela cidade. Almoçamos/jantamos no Mr. Habanero; pedimos tacos e burritos. Em quase todos dos restaurantes mexicanos, são oferecidos nachos com molhos picantes como entrada, sem qualquer custo.
      Passamos no supermercado e compramos água, café e sabão.
       
      Gastos:
      Chip: 300 
      Café espresso: 112
      Chip: 100
      ADO (do Aeroporto para o Centro): 172 (86 p/p)
      Passagem para Tulum: 238 (119 p/p)
      Taxi da rodoviário para o hotel: 80
      Mr Habanero: 410
      Supermercado (água, sabão e café): 47,60
      TOTAL: 1459,60 pesos
       
       
      2oDia – 13.06 (Cancún – México)
      Como eu e Gilci estávamos comemorando dois anos de casados, resolvemos fazer uma sessão de fotos. A sessão foi na Praia Delfines, uma praia muito linda e com poucas pessoas. Depois das fotos, fomos para o apto trocar de roupa, pois ele estava de vestido e eu de roupa social. 
      Resolvemos voltar para a praia Delfines. Todos os ônibus com a sigla R2 e a palavra Hotel passam pela zona hoteleira e pela praia Delfines. Muito fácil de chegar. Passamos o dia na praia, comi algumas mangas e piñas coladas. Na praia, há um letreiro de Cancún e sempre tem fila para tirar fotos.
      Voltamos para o apto e comemos sushi no restaurante Akky, o mais barato que encontramos.
       
      Gastos:
      Ônibus: 24 (12 p/p)
      Salgadinhos: 35,50
      Manga: 35
      Pina colada de 1 litro: 150
      Manga: 30
      Ônibus: 24 (12 p/p)
      Tacos: 99
      Helado: 30
      Sushi Akky: 418
      Total: xxxx pesos mexicanos
       
      *Desculpe qualquer erro ortográfico. Estou escrevendo do aeroporto internacional da cidade do México. Na próxima postagem, irei ter mais cuidado. 
       
       
    • Por @mateusmaps
      Pessoal, to fazendo esse post pois cansei da tamanha desinformação que encontro na internet a respeito dos itens obrigatórios exigidos nos carros em alguns países da América do Sul.
      Já fui parado pela polícia argentina em diferentes estradas mais de 20 vezes, portanto vou falar principalmente da Argentina, mas o procedimento vale para qualquer país.
      Primeira coisa: NÃO acredite em blogs de viagens e nem nos consulados de alguns países estabelecidos aqui no Brasil, se você quer saber o que é obrigatório ou não para o seu carro brasileiro circular em outros países, procura no Google por Ley de Tránsito + o país desejado + o ano vigente se deseja procurar o mais atualizado, apenas isso já abre um leque de informações, e todas oficiais do governo ou orgão responsável de cada país já na primeira página.
      Digo isso pois aqui no Brasil eles estão de sacanagem ou brincadeira com a população; se você acessar o site do Itamaraty do governo brasileiro, que sobre a Argentina está super desatualizado, você encontrará como item obrigatório a lendária mortalha (lençol ou sabana em espanhol, pra cubrir morto), que sempre foi um mito, aparentemente muito tempo atrás em algumas províncias isso constava como obrigatório, e dos anos 90 pra cá passou a ser usado pelos policiais corruptos como forma de extorquir o motorista argentino e estrangeiro. O portal G1 informando a população que cambão é obrigatório para circular na Argentina, e um monte de baboseira que já ví por aí.
      Agora recentemente (Junho 2019), mandei e-mail para diversos consulados argentinos aqui no Brasil (SP, RJ, Curitiba, Porto Alegre, Uruguaiana, Foz do Iguaçu) perguntando quais itens eram obrigatórios para o meu carro brasileiro poder circular na Argentina, e TODOS, todos os consulados me responderam prontamente em até 24h com diferentes anexos (pdf e doc) que o cambão e kit primeiros socorros eram obrigatórios junto com o extintor e dois triângulos. Eu argumentei de volta com todo meu conhecimento adquirido com as viagens e com o link oficial do governo argentino com a Ley Nacional de Tránsito 24449 Artículo 40, onde informa que apenas extintor (matafuego) e dois triângulos (dos balizas de sinalizacíon) eram obrigatórios, além claro, do encosto de cabeça para todos os passageiros presentes e a carta verde pra estrangeiro. Não consta nada de obrigatório o cambão (linga, cable de remolque ou barra de tiro que eles chamam) e nem kit primeiros socorros (botiquín de primeros auxilios). E NENHUM consulado me respondeu mais, parece que não estão interessados em passar as informações corretas a população.
      Em todas as vezes (2016 e 2018) nenhum policial argentino me solicitou cambão e kit primeiros socorros, apenas carta verde e extintor. Certa vez perguntei a um policial sobre o cambão e kit primeiros socorros e ele me disse que é recomendado, e não obrigatório. Depois conversando com alguns argentinos deu pra entender melhor, entre eles esses itens são bastante recomendado no trânsito, e entre os próprios argentinos há também aqueles que acham que são obrigatórios justamente pela tamanha desinformação e o famoso boca a boca.
      Portanto, se não está na lei não é passível de multa. No caso de ainda encontrar policiais corruptos exigindo qualquer item sem estar na lei, faça-o confeccionar a multa, não tem essa de pagar na hora só pra se livrar do problema e seguir viagem. Se você realmente estiver errado, no caso de uma multa por falta de extintor ou extintor vencido por exemplo, o procedimento de pagar a multa na hora com desconto é uma ação verídica e praticada legalmente entre os oficiais de trânsito na argentina, cabe a você escolher pagar na hora com desconto ou receber o ticket com o valor integral para pagar no Banco de LaNacion.
      As famosas histórias dos policiais corruptos se concentra basicamente nas províncias de Entre Ríos, Corrientes e Misiones, que são aqui próximos a fronteira do Brasil, Uruguay e Paraguay. Atualmente a prática tem diminuído bastante, o próprio governo argentino já é ciente da situação, alguns jornais locais como El Clarín já desmascarou esse problema, e ferramentas como o formulário de incidente do  Ministério das Relaciones Exteriores y Culto enviado no post anterior pelo eniobeier, ajudam o cidadão comum. Em minha última passagem por lá (Dezembro 2018) fui de Uruguaiana a Mendoza, e Mendoza a Dionísio Cerqueira, notei vários policiais camineros bem novos, inclusive mulheres, e todos foram cordiais e apenas solicitaram o que estava na lei. Essa renovação na polícia caminera já estão vindo ciente de seus antepassados corruptos e a mudança para melhor é bastante significativa.
      Agora em Julho 2019 estarei fazendo Dionísio Cerqueira a Bariloche, percorrendo toda a Ruta14, se algum policial me permitir, irei gravar um vídeo com ele explicando o que é obrigatório ou não nos carros, aí quem sabe só assim para pararem de passar informações errôneas nos blogs de viagens e consulados.
      Enfim, pra resumir;
      Trânsito na Argentina: Ley 24449 Artículo 40
      Extintor com validade, dois triângulos (se precisar usar no acostamento tem que usar um atrás do carro e um na frente do carro), encosto de cabeça para os passageiros e Carta Verde para estrangeiros.
      Ao se deparar com policial corrupto, procedimento é o seguinte:
      Leve a Ley de Tránsito impressa e argumente com o policial, seja cordial sempre. Mostre que você entende das coisas, se ele te pedir kit primeiros socorros diga que ele é obrigatório no Uruguay para todos os carros e no Chile apenas para veículos de carga e transporte, na Argentina não é obrigatório em nenhum carro, apenas recomendado. Se ele te pedir o cambão, diga também que não consta na Ley de Tránsito que você está segurando ali na mão. O policial corrupto irá querer dinheiro na hora, diga que tem Pesos somente para o pedágio (peaje) e que está viajando somente com cartão de crédito (tarjeta). Se ele insistir na multa corrupta, peça-o que confeccione o ticket e diga que você irá recorrer, e apresente o formulário de incidente para que ele anote suas credenciais e dados da multa, ele vai acabar cedendo pois seu trabalho estará em risco. Se a multa vier por radar móvel (eles operam em um lugar com radar móvel e um pouco a frente outro policial te pára pois recebeu um walkie talkie que você estava acima da velocidade, isso é comum em pequenas cidades e vilarejos ao longo da estrada, onde toda a estrada é 100km e somente próximo alguma entrada de vilarejo tem uma única placa de velocidade a 60km e se você passar acima disso vão te pegar), peça a contraprova da velocidade se você achar que não estava acima da velocidade, se eles não tiverem a prova peça para confeccionar a multa e você irá recorrer. O procedimento de pagar na hora a multa com desconto é opcional, faça isso somente se você tiver certeza que está errado.
      No geral, seja qualquer País em que for visitar, minha dica é; sempre desconfie de informações em blogs de viagens, seja auto critico em relação a informações que consulados e outros órgãos te passam. Sempre busque na internet informações direto na língua do país desejado, pesquise em sites oficiais do governo, seja o assunto trânsito ou qualquer outra coisa.
      Na normativa do Mercosul é explicado que os carros estrangeiros em circulação em outro país do Mercosul, deve seguir as leis de trânsito do país vigente, então o que vocês estão procurando em blogs de viagens e no boca a boca? Procura a Ley de Tránsito de cada país, verifica se é válido por todo o país ou província/estado tem divergências, traduza no Google Tradutor se não souber ou não ter certeza, e seja feliz viajando corretamente e sem gastos extras.
      Vou deixar em anexo um email da Seguridad Vial, orgão oficial de trânsito da Argentina, me respondendo quando questionei sobre o cambão e kit first aid.

       
      Abaixo mais algumas imagens, da Ley 24449 em sí e do site do governo mostrando quais províncias aderiram a Ley Nacional de Trânsito.




       
      Aqui deixo o pdf da Ley atualizado e o mesmo formulário de incidente do post anterior:
      Ley 24449 a febrero 2019.pdf  
      form_argentina-incident report (1).pdf
    • Por renanlouzada
      Boa tarde, mochileiros. Decidi tentar compartilhar com os senhores um pouco da minha experiência nesse segundo "mochilão". 
      Tinha 15 dias de férias para tirar e estava muito em dúvida sobre qual roteiro traçar. Estava quase decidido a ir para a Costa Rica e Panamá, quando no dia da compra, decidi por ir para a Patagônia. Já tinha ido à Argentina, mas não ao sul. Conhecia apenas Buenos Aires. Pois bem, iniciou-se, então, em novembro/2017, o planejamento para essa viagem de fevereiro/2018.
      Fui com, à época, minha namorada, então algumas coisas saíram mais caras do que era esperado - optamos por quartos individuais e com banheiros privativos em todos os casos. Tive dificuldade em colher algumas informações, mas vou tentar repassar tudo da melhor forma aqui pra quem, por ocasião, quiser fazer um roteiro similar e tiver as mesmas dúvidas.
      Nossa viagem começou dia 10/02, saindo de Vitória/ES para São Paulo.
      PS.: MUITAS FOTOS. 

      Nosso roteiro foi: 
      - Vitória x São Paulo (aéreo)
      - São Paulo x Buenos Aires x El Calafate (aéreo)
      - El Calafate x Puerto Natales (ônibus)
      - Puerto Natales x Punta Arenas (ônibus)
      - Punta Arenas x Ushuaia (ônibus)
      - Ushuaia x Buenos Aires x São Paulo (aéreo)
      - São Paulo x Vitória. (aéreo)
      Custos de passagem: R$ 3100,00 para duas pessoas, aproximadamente. Saindo de Vitória, tomei uma decisão que não havia seguido nas viagens anteriores: preocupado com a minha namorada, fiz seguro de viagem para nós dois. R$ 125,00 cada.
      Detalharei a seguir.
      Chegamos em São Paulo, após voar pela AVIANCA, por volta das 21h. Pelo Booking, localizei um motel/hotel relativamente perto do aeroporto. Só não sabia que, apesar de perto, era mal localizado. O nome do estabelecimento era: VISON MOTEL. Para a proposta, pernoitar apenas uma vez até que não tive problema. Lugar relativamente tranquilo PRA DORMIR. Se não me engano, custou R$ 50,00 a pernoite para nós 02. Chegamos tranquilamente com Uber no local. Apesar de "próximo", estávamos cerca de 20 minutos do aeroporto. 


      Acima, umas fotos do quarto em si.
      11/02
      A luta, porém, foi para, na manhã do dia seguinte, conseguir ir para o aeroporto. Tentei por 05x chamar um Uber e todos cancelavam a corrida. O tempo passando e eu, como não conhecia nada ali, ja estava ficando desesperado com medo de perder o voo. Quando, na sexta tentativa, assim que o motorista aceitou eu liguei e expliquei que queria ir para o Aeroporto pegar um voo internacional. Assim, com 5 minutos ele chegou. E então me explicou a razão de ninguém aceitar a corrida: o local era periferia e, geralmente, dali as pessoas iam para o interior de favelas. Perigo de não conhecer a cidade onde vai se hospedar.. mas enfim. Tudo certo, embarcamos em voo pela LATAM para Buenos Aires, chegando por la aproximadamente as 10h. Descemos no Aeroparque. 
      Como eu já havia comprado o chip de internet EasySim4u, procuramos uma loja da Personal para comprar um chip para minha namorada, apenas para se comunicar via whatsapp, já que fotos e videos seriam enviados tudo pelo meu chip. Encontramos um por cerca de R$ 60,00. Funcionou por toda a viagem. Ps.: todos os valores serão informados ao final, com uma planilha detalhada que fiz.
      Por fim, após algumas poucas horas de espera, embarcamos em outra aeronave da LATAM para, agora, com destino a El Calafate, nosso primeiro ponto de parada. 
      Chegamos nessa bela cidadezinha por volta das 16h local e dividimos um transfer com dois chineses (nunca vi tantos!!!!) até o centro da cidade, ficando mais precisamente no hotel TERRAZA COIRONES. Uma bela vista. Mas falo dele a seguir.
      Nao perdemos tempo: deixamos as coisas no quarto e partimos para o centro da cidade, onde conseguimos um transporte (gratuito. A cidade oferece!! Não paguem por isso!) até o Glaciarium.  Apesar de já um pouco tarde, conseguimos chegar a tempo. Não me interessou muito o museu, então fui apenas para o Bar de Gelo. Algo extraordinário e inimaginável, até então - como muitas outras coisas vistas. 



      Todo o bar é feito de gelo, como puderam ver nas fotos. Temperatura varia entre -5 a -7ºc e, para permanecer pelos 30 minutos que permitem, é necessária a utilização dessa roupa estranha que parece de astronauta.  É possível desfrutar de alguns drinks feitos na hora, já inclusos no valor da entrada do bar.
      Finalizada a experiência, esperei por alguns minutos o transfer chegar para retornarmos à cidade. O Glaciarium fica uns 20 minutos do centrinho. E a vista, pelo lado de fora, já estava me empolgando. Muito bonito o visual.



      Finalizada a ida ao Glaciarium, voltamos ao centro e conseguimos dar uma caminhada pela cidade, visitando alguns rápidos pontos. Demos uma volta (sem comprar nada) no “Paseo de Artesanos” e “La Aldea de los Gnomos”. Há algumas coisas legais, até vale a pena comprar. Mas como tinha acabado de chegar, não estava disposto a comprar nada até então.


      Por fim, fui para uma cervejaria artesanal que pesquisei antes, a fim de comer e, claro, tomar um gelo. O nome do local é LA ZORRA TAPROOM. Recomendo. O preço não é dos mais baratos, mas não espanta. Um lanche foi suficiente para cada um, além de uns dois chopps. Na foto, inclusive, o relógio já marcava 21h40. E o sol tava ali, firme e forte

       
      Dia 12/02
      No segundo dia, acordamos cedo e tomamos café no próprio hotel, partindo em seguida junto ao transfer para o passeio no Perito Moreno. Antes de andar na geleira, contudo, foi feita a visita ao Parque Nacional Los Glaciares, onde, a partir das passarelas existentes, se vê e observa a geleira, que em alguns momentos se rompe e te permite ter uma das vistas mais belas possíveis. O barulho, quando acontece, parece um trovão. Difícil explicar. Hehe.




      Dali, partimos para um porto onde entramos numa embarcação rumo à base do Perito Moreno, onde começaríamos a caminhada pelas geleiras. Aqui vai uma observação: existem dois tipos de passeios que se podem fazer: o Mini Trekking, que tem duração aproximada de 1h30min, e o Big Ice, que dura pouco mais e “entra” nas cavernas de gelo. Porém, isso também depende do dia, pois a geleira se modifica sempre e, às vezes, pagarão mais pra fazer o Big Ice e não terá tanta coisa diferente. Eu fiz o Mini Trekking e, pessoalmente, saí bem satisfeito. As empresas de turismo, pelo que me constou, revendem o pacote da empresa “Hielo y Aventura”. Eu comprei direto dela, o preço é tabelado então é tudo a mesma coisa.






      Por fim, após o passeio de dia todo (necessário um dia somente pra isso), retornamos à cidade. Fomos ao hotel, tomamos um banho e, depois, fomos jantar. Ainda tinha sol: escurecia em quase todos os pontos da patagônia próximo das 22h. 
      Lembra que falei lá no começo do seguro de viagem pra minha namorada? Então.. saindo do hotel, consegui a proeza de torcer o pé na escada. O pior não foi nem a torção, foi o barulho como se tivesse quebrando algo. Com sangue quente, fui mesmo assim pra rua e fomos jantar num restaurante chamado El Ovejero. Comi, bebi, andei mais e, por volta das 22h30m, retornamos pro hotel. Aí, sim: DOR. Tomei banho, deitei na cama e começou uma dor intensa no pé. Inchou demais, quase dobrou de tamanho.
      Tentei aguentar por uma hora a base de uns remédios que levamos e gelo, mas estava impossível. Fomos até o hospital local e, graças ao seguro de viagem (!!), fomos atendidos e liberados (cerca de 1h20m entre atendimento, medicação e liberação). Compensou um pouco, pois a consulta e os medicamentos ficariam em cerca de R$ 180 reais. Economizei R$ 55,00, no caso.. enfim. Fui pro hotel já com a dor tranquilizada e o inchaço diminuindo. O desespero seria pelo que viria mais à frente.
    • Por Lizandra Telles
      Roteiros para Viajantes é um blog de viagens, principalmente para encorajar mulheres a viajarem sozinhas e acreditam que tudo vai ser muito complicado.
      Estudos mostram que mulheres preferem viajar sozinhas pela independência e liberdade. Organizando o seu próprio roteiro, tendo a possibilidade de conhecer novas pessoas e ter experiências únicas.
      Geralmente, as mulheres que viajam sozinhas acabam tendo uma autoconfiança melhor de si, mesmo com alguns medos, elas tentam enfrentá-los, mostrando que sempre é possível buscar seus objetivos. Veja também o infográfico: [Infográfico] Mulher Viajante: Não tenha medo de viajar sozinha.
      Minha missão é incentivar as mulheres a viajarem, mesmo sem companhia. Mostrando que viajar sozinha e planejar sua viagem melhora a autoestima, confiança, a saúde mental e até mesmo a depressão.
      Roteiros para Viajantes pode ajudá-la a planejar sua viagem de forma mais prática e fácil.
      Saiba mais: https://www.roteirosparaviajantes.com.br/


×
×
  • Criar Novo...