Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Wesley R Oliveira

2ª EXPEDIÇÃO À PATAGONIA - CHILE E ARGENTINA - JANEIRO/15

Posts Recomendados

Duas coisas me motivaram a fazer esta 2ª Expedição à Patagônia:

 

1º - Em 2011 a trip deixou um pouco a desejar,alguns dias chuvosos e com a hilária troca de um pé da minha bota no Refugio Cuernos ficou inviável completar o “W”.

 

171312_1578707510817_6643294_o.jpg.886dd426612681308195ef27e2179699.jpg

 

2º - A excelente promoção Smiles - MD - conseguimos comprar Vitória x El Calafate x Vitória por 10 mil milhas o trecho.

 

Faltava montar a Expedição e começei convidando alguns amigos para esta aventura. Ao final estávamos em 9 membros (Eu, Teo, Welder, Olavo, Camila, Ricardo, Rodolfo, David, Alessandra) e no ultimo minuto do segundo tempo Bárbara (que ja estava el El Calafate) se agregou ao grupo. Estava formada nossa equipe para explorar a Patagônia.

 

DSC03736.JPG.b4acf502710491a0e7e3da01bcff73c4.JPG

 

 

Compramos as passagens com uns 5 meses de antecedência, o que foi essencial para planejarmos nosso roteiro e principalmente se preparar fisicamente. Nossa meta era fazer todo o percurso de maneira independente e isso demandava fortes caminhadas, transporte de mochilas com equipamentos, roupas, suprimentos etc.

 

Levamos nossa grana em dolares e conseguimos a cotação de 1 dolar x 13,1 pesos argentinos e 1 dolar x 600 pesos chilenos.

Aos que planejam se aventurar pela patagonia aconselho a fazer a troca da grana em Buenos Aires, pois a cotação em El Calafate/ El Chalten é sempre bem mais baixa.

 

Como ficamos pouco tempo em conexão em Buenos Aires acertei antecipadamente com uma pessoa que faz cambio levar os pesos no aeroporto. Foi super tranquilo e economizamos uma boa grana. Posso passar seu contato (in box) a quem interessar.

Nosso roteiro ficou assim:

 

 

14/jan/15 Ida Vitoria x El Calafate

15/jan/15 Chegada El Calafate (9h) e ida Puerto Natales - Pernoite Casa Lili

16/jan/15 Inicio do W por Acampamento Torres

17/jan/15 Acampamento Torres x Acampamento Cuernos

18/jan/15 Acampamento Cuernos x Acampamento Italianos e ataque ao Vale do Frances

19/jan/15 Acampamento Italianos x Acampamento Grey

20/jan/15 Acampamento Grey x Puerto Natales - Pernoite Casa Lili

21/jan/15 Puerto Natales x El Calafate x El Chalten - Pernoite Pioneiros

22/jan/15 El Chalten (dia livre) - Pernoite Pioneiros

23/jan/15 Viedma Pro - Escalada no Gelo

24/jan/15 Inicio treking Rio eletrico x Piedras del Fraile x Piedras Blancas x Poicenot

25/jan/15 Poicenot - ataque a base Fitz Roy - Laguna de los 3 x Laguna Sucia x Acampamento Laguna Capri

26/jan/15 Laguna Capri x Pliegue Tumbado x Acampamento Lago Toro

27/jan/15 Paso del Viento e pernoite Acampamento Lago Toro

28/jan/15 Acampamento Lago Toro x El Chalten - Pernoite Hostel Pioneiros

29/jan/15 El Chalten x El Calafate x Buenos Aires x Sao Paulo

30/jan/15 Chegada em Vitoria as 9 h manha.

 

 

Não conseguimos passagens nos mesmos voos, então combinamos de nos encontrarmos e El Calafate e de lá seguirmos todos juntos para Puerto Natales e iniciar o “W”.

Eu fui o ultimo a embarcar e todos já aguardavam por mim. Cheguei 2h antes do voo no aeroporto de Vitoria-ES para não haver qualquer tipo de problema e na hora do check in a funcionaria simplesmente me disse que nao poderia embarcar pois nao teria tempo suficiente em Buenos Aires para conexão, retirada de bagagem e fazer os procedimentos de aduana. Argumentei com ela que tinha todos os e mails da Gol confirmando meus voos e 9 amigos ja me aguardavam para uma Expedição. Passado o problema para a gerente da Gol e apos perder meu voo, conseguiram realocar em outro e com isso atrasar minha chegada em El Calafate, mas tudo bem, importante é que conseguiu se resolver e iniciaríamos o W na data prevista.

Passado estes transtornos tudo correu super bem, com excessão de nossa amiga Alessandra que no dia anterior teve uma infecçao urinária que a impediu de fazer o “W”. Por sorte ela havia contratado seguro saude que prestou toda assistencia, com medicos, exames e remédios. Uma pena, mas devemos esta preparados para situações adversas sempre.

 

Nossa roteiro previa iniciar o “W” pelo lado do Grey, mas no último instante resolvemos iniciar por Torres tendo em vista que o tempo estava firme e as Torres bem visiveis, neste caso melhor garantir logo a visão privilegiada das Torres.

 

Da Laguna Amarga pegamos um onibus ate Hosteria Torres e de la iniciamos nosso tão sonhado “W”.

Essa “perna do W” é conhecida como o percurso mais cansativo devido as subidas ingremes carregando a mochila cargueira. O dia estava lindo, todos empolgados que nem sentimos tanta dificuldade.

 

DSC00839.JPG.d5217ace528299cffee9343afceffd96.JPG

 

DSC00845.JPG.18a0d39bc98dc0e4d09d7ad7208ac80d.JPG

 

Demos muita sorte de conseguir vaga no Acampamento Torres (gratuito) e com uma certa infraestrutura. Armada as barracas, lanche feito, resolvemos atacar as Torres e em menos de uma hora estávamos no lago na base das Torres curtindo aquele visual incrível!!!!

 

DSC00864.JPG.ea570be1283cc5839c747922ebc7ae3d.JPG

 

 

No dia seguinte caminhamos ate Acampamento Cuernos, apesar do percurso longo (aproximadamente 22 km) o trilha era mais plana com poucas subidas. Neste dias optamos por Cuernos por ser um camping estruturado e podemos nos deliciar com um bom banho quente, cozinha equipada e até uma cerveja long neck gelada (bem cara é verdade R$ 25,00).

Ao chegar, negociei na recepção e ela isentou 1 de pagar, assim diminuimos o valor do camping em mil pesos, saindo U$13 por pessoa.

O lugar é privilegiado com uma vista maravilhosa do Lago Nordernskjold, onde assistimos a um belo por do sol por volta das 22h.

 

DSC00947.JPG.e84986f280e28ce61eaad07ab6f35a11.JPG

 

DSC00942.JPG.be277d1dcf46a2889a83432034144cf1.JPG

 

 

Logo cedo, barracas desarmadas, seguimos até o Acampamento Italianos onde montamos acampamento. De lá subimos todo o vale do Frances ate o mirante final. Foi um dos dias mais puxados do percurso. Apesar de seguir do Italianos até o mirador sem a mochila cargueira, o trecho é com muitas subidas o que dificulta muito sua conclusão.

 

DSC01011.JPG.1d0560d967ae62e8f070e544a8e2d3dd.JPG

 

DSC01046.JPG.9c75c29c4ca360ff4fab705ebd070f29.JPG

 

 

No quarto dia nosso destino final era seguir ate o Acampamento Grey. Foram km de longas caminhadas, parecia que a mochila pesava 10 vezes mais que o peso real. Apos um percursos de aproximadamente 15 km começamos a caminhar margeando o Lago Grey de onde se avista todo o Glaciar e também inúmeros Icebergs boiando no Lago. Essa vista incrível nos deu força para chegar ao o destino final, exaustos porem realizados de completar o tao sonhado “W”.

Também optamos por acampar em Grey por ter uma boa estrutura, banho quente (19 as 21 h apenas) e cozinha.

Desta vez a negociação foi melhor e consegui a isenção de 2 assim rateamos o valor do camping que saiu por U$ 6 cada.

 

DSC01138.JPG.ee922f4c9884f6ade2838028de23cd69.JPG

 

DSC01168.JPG.15263326388f66560c54d3ff42ad625f.JPG

 

DSC01242.JPG.266583630f617a86faef71ec03d334f0.JPG

 

 

Fizemos uma trilha curta e podemos ter um belo visual do Glaciar Grey, havia uma baía onde dezenas de Icebergs de diferentes formatos nos convidavam para fazer muitas fotos e é claro pegar um na mao para a foto classica rsrsrs.

 

DSC01206.JPG.610ec8a6fc57f0762a64be3c58dbaa0f.JPG

 

No dia seguinte eu, Olavo e Welder seguimos uma outra de trilha de 1 h que nos levou a um mirante bem em cima do Glaciar Grey no Acampamento Los Guardas, Neste sim a vista foi muito privilegiada o que rendeu otimas fotos.

 

DSC01303.JPG.71fa4a4554ac3691dd55d907892985e3.JPG

 

De la descemos ate o acampamento e seguimos para Paine Grande onde pegariamos o Catamarã (15 mil pesos) ate Pudeto, onde o onibus para Puerto natales ja nos aguardava.

O Onibus Puerto Natales x Torres Del Paine x Puerto Natales ja compra ida e volta por 18 mil pesos.

 

Ao chegar em Puerto Natales e deixar as tralhas no Hostel Casa da Lili a gente só queria comer bem e tomar uma cerveja gelada.

Este Hostel, apesar de ter 100% de qualificação positiva no Hostelworld me pareceu bem simples e tumultuado, pequeno pra tanta gente, mas tem um clima amigável com muitos mochileiros do mundo todo.

 

A Passagem para El Calafate só conseguimos para o dia seguinte as 18 h, assim tivemos o dia livre em Puerto Natales para descansar ou fazer algumas compras de equipamentos outdoors. Almoçamos muito bem no Carlitos (recomento).

 

O onibus saiu pontualmente para El Calafate e chegamos la por volta das meia noite. Só tinha vaga nos onibus para El Chalten as 16h, assim como nosso grupo era grande, optamos por locar uma van que saiu quase o mesmo preço da passagem de bus (300 pesos por pessoa).

 

Resolvemos sair as 2 da madrugada e chegamos as 5 da manha em El Chalten, o dia ainda amanhecendo e com um frio danado. Com muita sorte conseguimos vaga no Hostel Pioneiros del Vale (diaria 170 pesos - sem cafe da manha ), este hostel é muito bom bom, espaçoso, lokers, otimos chuveiros quentes nos quartos.

 

DSC02206.JPG.b2e00daf571cf5966b8fca3bd0122d88.JPG

 

DSC02210.JPG.f9592b15d6d8aa1df066aed7a56ce834.JPG

 

Aproveitamos este dia para descansar e também fechar os passeios com agencia para o dia seguinte.

Apenas eu, Alessandra, Welder e Barbara fizemos o Viedma Pro - Passeio bem caro (U$ 210)

mas vale muito a pena passar o dia inteiro no Glaciar, ter aulas de escalada no gelo e poder fazer varias escaladas e rapeis durante o dia inteiro. Não esta incluido o almoço é tem que levar um lanche reforçado.

Fiz amizade com os guias e insisti para que nos levasse a conhecer as cavernas que formam com o degelo, mas nos disseram que só se formam mas no final do verão… fiquei insistindo e no final do passeio nos levaram para conhecer duas cavernas fantasticas, o gelo derretendo do teto, a cor azulada, foi um presente para nosso grupo de apenas 10 pessoas. Ainda nos levaram muito proximo a parede frontal do Glaciar Viedma, onde foi possivel toca-lo e fazer muitas fotos. Para finalizar um brinde com licor de creme e comemorar um dia incrível desta Expedição.

 

 

DSC01383.JPG.6a668aaa997e40ae109453ed4396f428.JPG

 

DSC01616.JPG.21153f174fca44b12b80ba94a7b42bd4.JPG

 

DSC01577.JPG.698e0b9cc32aae41b18a29e1f08da6fe.JPG

 

DSC01767.JPG.b431a6712ea096d5cf169fc60708e53a.JPG

 

DSC01781.JPG.44f1a22e4fdbd903838a1a46b2c60a9f.JPG

 

DSC01807.JPG.d68f62d0601aa2824adb94b7a50ac795.JPG

 

DSC01565.JPG.dd730dcf593f7d8678c3bb62fd86a4c1.JPG

 

 

Nos 5 dias seguintes nosso treking por El Chalten seria exclusivamente em camping selvagem, todos gratuitos, porém com estrutura mínima, por outro lado tendo a oportunidade de alcançar os lugares mais fantasticos, assistir o nascer do sol em locais privilegiados.

 

Começamos no Rio Eletrico (tem uma van que leva de El Chalten ate la por 100 pesos aproximadamente 25 km de distancia).

 

 

DSC01897.JPG.b3a21e886a69858e955bfc08343d44fb.JPG

 

 

DSC02098.JPG.40651bd0e5c9f16148f44982c4232f0b.JPG

 

 

A partir do Rio Eletrico nossa trilha nos levou ate Piedra del Fraile onde se pode observar glaciares e também o Fiz Roy pelo angulo de traz. De lá seguimos até o Acampamento Poicenot onde passamos a noite para assistir o sol nascente refletido no Fitz Roy onde por alguns segundos apenas ele recebe uma coloração alaranjada num espetáculo à parte.

 

Por volta das 10 h atacamos a base do Fitz Roy, treking pesado de subida por aproximadamente 1 h e ao chegar ao topo nos deparamos com a Laguna de Los Tres e também a Laguna Sucia. O visual é fantastico e aproveitamos para fazer muitas fotos.

 

DSC01950.JPG.09671280e9fd5242adcaf1b937eed259.JPG

 

DSC02006.JPG.f1fa09fd0565702b4aa78ef8db92ecf0.JPG

 

GOPR3327.JPG.f85bfbb312f5c70afb2ca1f50b6a4159.JPG

 

Após a descida seguimos para o Acampamento Laguna Capri onde também se tem uma vista privilegiada do Fitz Roy refletido na Laguna (quando não esta ventando).

Pernoitamos e no dia seguinte levantei bem cedo para novos cliques do sol nascendo e as Torres novamente refletindo a cor alarajada.

 

 

DSC02164.JPG.c977727a5af3d9d31432c0069a15f62b.JPG

 

DSC02150.JPG.f8de5e6c67efc6fbfb3da1bb83b75c11.JPG

 

Neste dia boa parte dos membros da Expedição já tinham passagem de volta para o Brasil e foi momento de despedida.

Dali para frente apenas eu, Welder, Teo e Alessandra (por mais um dia apenas) faríamos a parte mais pesada de toda a nossa Expedição.

 

Neste dia foram 35 Km de caminhada, muitos deles com muito ganho de elevação, ascendemos 1200 m de altitude em poucas horas.

 

De Laguna Capri seguimos ate o Centro de Informaçoes em El Chalten para fazer o registro já que nosso destino final (Paso del Viento) é obrigatório fazer o registro com o guarda parques.

 

Ao dizer que tinhamos a intenção se seguir até Paso del Viento ele nos informou que é um Sendero perigoso e exige uma serie de cuidados, sendo obrigatório comprar um Mapa Cartografico e em seguida receber as instruções pessoalmente com ele.

 

Neste momento acabamos desistindo de fazer Paso del Viento e optamos por ir apenas ate Lago Toro, onde também é obrigatorio registrar, porem como as trilhas são bem demarcadas é desnecessario o tal Mapa Cartografico.

 

Caminhamos muito neste dia, no total foram 35 Km desde Laguna Capri x El Chalten x Mirador Pingue Tumbado x Lago Toro. Todos exaustos na chegada só queríamos descansar, satisfeitos por ter conseguido superar nossos limites!!!!!

 

DSC02263.JPG.408a4eda0578b6895572f42a85d25dae.JPG

 

No dia seguinte despedimos de Alessandra que ja voltaria para o Brasil naquele dia e num ato de certa irresponsabilidade decidimos seguir até o Paso del Viento, mesmo sem o tal mapa cartografico e a liberação pelos guarda parques. Fomos de maneira clandestina rsrsr.

 

Logo no início do treking o primeiro obstáculo é um rio, formado pelas aguas do derretimento do Glaciar. A água congelante deixou nossos pes e pernas doloridos de tanto frio. (Tivemos que atravessar o rio sem as botas e apenas de cueca) para do outro lado vestirmos roupas secas.

 

 

Untitled2.jpg.8de6de58e6165f2c2d7c715155730a02.jpg

 

 

DSC02343.JPG.4ed57325d33ed4fe73e28c72c3a18015.JPG

 

 

Dali pra frente a trilha não era bem demarcada e muitas vezes ficávamos em dúvida por onde seguir.

Optamos por uma trilha bem junto ao Glaciar e a sensação de caminhar sobre o gelo, observando o seu derretimento, formando cachoeiras, rios subterraneos nos aguçava ainda mais e seguir a trilha até alcançar o topo e admirar o que nos esperava do outro lado do Paso del Viento…

 

Apos boas caminhadas avistamos 4 pessoas que ja estavam descendo a trilha porém em uma rota completamente diferente da nossa.

 

Ficamos preocupados e começamos a subir no meio das pedras para tentar alcançá-los e pegar alguma informação sobre a trilha.

 

Foram momentos de sufoco até conseguir fazer sinal para que nos avistassem e nos aguardasse para conversar.

 

Nos disseram que até o cume levaria mais uma hora de subida e depois teriamos que voltar antes que o rio subisse.

 

Subisse???? Como assim?????

 

Ficamos sabendo que a grande dificuldade desta trilha era cruzar o rio antes que ele subisse e ficasse impossível atravessar, já que não tem ponte, corda ou qualquer coisa para se apoiar.

 

Durante o dia com o sol forte o gelo dos glaciares derretem mais rapidamente e gradativamente vai aumentanto o volume de agua do tal rio.

 

Estávamos num dilema, voltar de onde estávamos ou seguir ate o cume e correr o risco de ter dificuldades em atravessar o rio…

 

Optamos por subir e conhecer o famoso Paso del Viento. Aumentamos o ritmo, Welder que estava com os pés tomados por bolhas foi ficando para tras e a trilha cada vez mais ingreme.

 

Aproximadamente 1 h depois ao alcançar o cume daquela montanha nos deparamos com a visão mais fantastica da viagem.Welder chegou um pouco depois.

 

A nossa frente um imenso bloco de gelo glacial, o gigante Viedma visto de cima e toda sua extenção.

 

 

DSC02301.JPG.10886b511edd49b2b14cf0d12a5fec88.JPG

 

DSC02294.JPG.f92709b565b186e16f0b2c2eb1e2bce7.JPG

 

DSC02315.JPG.22c24fe869c9638dbff1d03a9548f924.JPG

 

Impressiona estar diante da maior superfície de gelo glacial com exceção dos polos Norte e Sul do Planeta. Naquele momento fui tomado por uma sensação de vitória por termos conseguido ir ate alí, famintos devoramos um lanche, fizemos algumas fotos e lembramos que o tal rio estaria cada vez mais cheio até a hora de atravessá-lo novamente.

 

Descemos com toda força para ganhar tempo e torcendo para que ainda fosse possível cruzá-lo.

 

Ao chegar na sua margem era visível que seu volume já estava muito acima do momento que cruzamos pela manha.

Achamos melhor darmos as maos os tres e assim um daria apoio ao outro caso algum acidente acontecesse.

 

Novamente, apenas de cueca estavamos os tres diante daquela agua extremamente gelada, com muita correnteza, tentando localizar o melhor ponto para atravessar.

 

Foram momentos de tensão que não geraram fotos.

 

Enfim tudo correu bem mas nossos pés doiam muito de tanto frio e estavam roxos, tive que dar uma massagem e enrolar no fleece para amenizar um pouco a dor.

 

Botas calçadas, seguimos exaustos ate o acampamento, onde tudo que queria era entrar no meu saco de dormir e me aquecer.

 

No dia seguinte retornamos a El Chalten e assim finalizamos nossa fantastica Expedição a Patagonia Chilena e Argentina.

 

Não fizemos planilha com os custos mas vou postar alguns gastos que tenho na memoria:

 

01- Passagem Vitória x El Calafate x Vitoria - 20 mil milhas Gol + R$ 283,00 (txs embarque)

02- Passagem bus El Calafate x Puerto Natales - 350 pesos argentinos

03- Passagem bus Puerto Natales x El Calafate - 15.000 pesos chilenos

04- Passagem de van El Calafate x El Chalten - 300 pesos argentinos

04- Transfer Van Aeroporto ate El Calafate - 100 pesos argentinos

05- Passagem onibus El Chalten x aeroporto - 275 pesos argentinos

06- Entrada parque Torres del Paine - 18.000 pesos chilenos

07- Camping Cuernos - 8800 pesos chilenos

08 - Camping Grey - 4800 pesos chilenos

09 - Diaria Hostal Lili - 7.000 pesos chilenos

10- Catamarã - Paine Grande x Pudeto - 15.000 pesos chilenos

11- Diaria Hostal Pioneiros del vale - El Chalten - 170 pesos argentinos

12- Escalada no Viedma Pro - 2.470 pesos argentinos ( 210 dolares aproximadamente)

13- Alimentação - em restaurante média 15 dolares

14- Alimentação em camping

15- Sorvete artesanal em El Chalten (imperdível de sabor Calafate) 55 pesos, casquinha ou

muito melhor 100 pesos meio kg.

16- Bife de choriço em El Chalten no Ahonikenk - 190 pesos

 

 

Espero que estas informaçoes possam ajudar futuros viajantes a conhecer este lugar fantastico da America so Sul.

DSC03736.JPG.a8d736563b01301ade85e659dacd6e7b.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Wesley, suas fotos ficaram ótimas! Vc pegou mtos dias de sol!! ::cool:::'>

 

Paso del Viento parece msm incrível, mas como estava sozinho não tive coragem. :(

 

Parabéns!

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Wesley, primeiramente parabéns pelo relato, sua trip foi de mais!!

Vou anotar várias informações aqui, vai ser de grande ajuda.

 

Fiquei com uma duvida aqui, para atravessar o rio que leva ao Paso del Viento, não tem uma "tirolesa"?

Em um outro relato vi um vídeo e fotos desta travessia, mas parece que é necessário ter a cadeirinha. Você viu algo parecido? Lhe informarão algo a respeito?

 

Valeu, abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Wesley!!!

 

Que inveja branca dessas tuas fotos e dos dias maravilhosos que tu pegou!!!

merecido né depois de todos os perrengues que tu passou na outra viagem!

 

Parabéns pela trip, muito legal!

 

Sabe que uma das coisas que eu sempre penso e fico com o pé atras de voltar pra Patagonia é de só pegar tempo feio e me decepcionar com a viagem porque quando fui tambem dei sorte com o tempo, nao tanto como tu que pegou dias sem nenhuma nuvem!

 

Abração!

 

Déia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Wesley, suas fotos ficaram ótimas! Vc pegou mtos dias de sol!! ::cool:::'>

 

Paso del Viento parece msm incrível, mas como estava sozinho não tive coragem. :(

 

Parabéns!

 

abraços

 

 

DSS, que bom que curtiu o relato.

Demos muita sorte, sol todos os dias da Expedição!!!

Paso del Viento valeu muito se aventurar por la rsrs

Abrs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Wesley, primeiramente parabéns pelo relato, sua trip foi de mais!!

Vou anotar várias informações aqui, vai ser de grande ajuda.

 

Fiquei com uma duvida aqui, para atravessar o rio que leva ao Paso del Viento, não tem uma "tirolesa"?

Em um outro relato vi um vídeo e fotos desta travessia, mas parece que é necessário ter a cadeirinha. Você viu algo parecido? Lhe informarão algo a respeito?

 

Valeu, abraço.

 

 

Intão Glauco

 

Nós passamos perto do cabo de aço que atravessa o rio, porem estava sem cadeirinha.

Pelo que fiquei sabendo, se vc vai com guias contratados, atravessa de tirolesa.

Nós como fomos clandestinos, rsrsrs atravessamos o rio mesmo.

Não indico fazer isso. Quando voltamos a El Chalten e passamos nos guardas para registrar a SAIDA do treking a Laguna Toro, ate começei a contar pro guarda que a gente atravessou o rio para fazer umas fotos mais perto dos glaciares, mas ele nao gostou e foi logo perguntando: Vcs foram até onde????

Quem vai registrado leva uma documento que se algum fiscal pedir vc apresenta. No nosso caso a gente nao tinha nada, tb não apareceu nenhum fiscal, mas nao sei se a penalidade seria um esporro, mandar voltar ou levar uma multa srsrsrs.

Abrs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Wesley!!!

 

Que inveja branca dessas tuas fotos e dos dias maravilhosos que tu pegou!!!

merecido né depois de todos os perrengues que tu passou na outra viagem!

 

Parabéns pela trip, muito legal!

 

Sabe que uma das coisas que eu sempre penso e fico com o pé atras de voltar pra Patagonia é de só pegar tempo feio e me decepcionar com a viagem porque quando fui tambem dei sorte com o tempo, nao tanto como tu que pegou dias sem nenhuma nuvem!

 

Abração!

 

Déia

 

 

Deia, demos muita sorte, foram dias incríveis de muito sol e pouco vento.

Eu ja havia alertado meus amigos que o tempo muda a cada instante. Passei como mentiroso rsrsr

Mas foi otimo aproveitamos muito mais!!!!

Em 2013 foi o contrario, apos ter visitado Atacama com muito sol (no inverno) levei uns amigo no verão e pegamos muita chuva, fato incomum por la. Tinha ate a TV chilena dando cobertura jornalistica, Dava dó ver a igrejinha de Sao Pedro Atacama toda derretendo. Todos os passeios tb estavam fechados. Uma pena. Mas faz parte... quando estamos viajando coremso estes riscos srsrs.

Bjs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tenho uma duvida esdrúxula

É possível conhecer a patagônia terra del fuego sem ter noção de trekking?

Passagem pra qual aeroporto eu busco?

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...