Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Wesley Fortes

Pirenópolis, Goiás, Goiânia e Brasília - Janeiro 2015 (Com valores $$)

Posts Recomendados

Muito bem galera mochileira, hora de compartilhar mais uma trip com vcs. Depois de algumas pesquisas decidi ir para o Centro-Oeste, mas não para explorar a Chapada dos Veadeiros ou o Pantanal (ainda). Chamei meu parceiro de viagens e fomos explorar cidades "menos conhecidas" do pessoal do sudeste. Piri, Goiás, Goiânia e a mais badalada Brasília. Compramos passagens pela TAM para o trecho SP-BSB-SP por R$ 278,50 com taxas. Demais trechos todos feitos de ônibus. Reservamos antecipadamente apenas o hostel em Pirenópolis, o GO Hostel. Bora ver como foi?!

 

03/01 - Sábado

Saímos cedo em direção ao aeroporto (ônibus R$ 3,00; trem e metrô R$ 3,00). Ao chegarmos na estação Barra-Funda, onde pegamos o Metrô o trem ficou parado por uns 5 ou 10 minutos... o que apertou nosso tempo para chegar ao aeroporto. Tanto que dessa vez ao chegarmos na estação São Judas de cara pegamos um táxi para o aeroporto... Iríamos em voos diferentes mas em horários bem próximos, mas para o meu amigo o táxi não salvou e ele acabou perdendo o voo. Eu fiz meu check-in enquanto ele remarcava o voo e lá pelas 10:20 nosso voo partiu para Brasília. No aeroporto fomos ao balcão de informações e lá, muto bem atendidos. O cara nos deu um mapa de Brasília e nos indicou como chegar à Rodoviária Interestadual, que é onde vc deve ir para fazer viagens de Brasília para fora do DF, com Alto Paraíso ou, no nosso caso, Pirenópolis. Pegamos o ônibus que faz a linha circular do aeroporto (R$ 8,00) e descemos na estação 114 do metrô. Lá, pegamos então o metrô até a estação Shopping (R$ 2,00) que é ao lado da Rodoviária. Antes de irmos comprar as passagens fomos ao shopping almoçar (R$ 24,40 c/suco) e logo em seguida partimos pra Rodoviária. No guichê da Viação Goianésia compramos passagem pra Piri (R$ 26,75) que sairia por volta das 15hs. Chegamos em Piri lá pelas 6hs e tentamos ligar para o hostel para saber como ir da rodoviária até lá, mas ninguém atendia o telefone e eu não lembrei (de novo) de anotar o endereço do hostel. Rodamos perdidos, passamos pelo Centro de Informações turísticas, onde pegamos um mapa e depois conversamos com um senhor q fica rodeando a rodoviária e ele nos levaria onde possivelmente seria o hostel... daí, na 10ª ligação me atenderam e passaram o endereço... o tiozinho nos deixou lá na porta (R$ 10,00). O hostel estava beeem movimentado...tava rolando tipo uma festinha na piscina e, bem, não tinha ninguém na recepção... depois fomos acomodados. Depois do merecido banho fomos bater perna pelo centro à noite e paramos numa pracinha pra comer uma tapioca (R$ 5,00). Fim da noite voltamos pro hostel, cansados, mas na expectativa dos dias seguintes.

 

Gasto do dia: R$ 90,15

 

04/01 - Domingo

Levantamos por volta das 8hs pra tomar café e logo saímos para comprar ingresso pra alguma das inúmeras cachoeiras. Vc pode encontra-los em vários locais e perto do hostel tinha um tiozinho que vendia. Conversamos um pouco com ele e decidimos ir para a Cachoeira da Usina Velha (R$ 20,00). A partir do hostel são uns 5km, então, decidimos ir à pé. Compramos água pra levar (R$ 1,50), uma água de coco (R$ 3,00) e botamos o pé na estrada. Sol de rachar. Não lembro quanto tempo demoramos pra chegar..mas não foi muito. Como era um domingo estava com bastante gente, mas tava de boa. A profundidade do poço é pequena então dá pra ir de boa até a queda. Ahhh q delícia de banho... relaxante e revigorante...hehe. Fora da queda principal tem umas outras que também são bem legais. Subimos pra explorar um pouco a parte de cima e depois começamos a ornada de volta. Depois de um bom banho saímos pra bater perna e tomar um açaí (R$ 5,50) e passamos no mercado pra comprar algo pra comer na cachoeira no dia seguinte (R$ 2,45). Ficamos de bobeira no hostel e mais à noite saímos. Voltamos na pracinha da noite anterior, passamos ela rua do lazer e fomos comer uma pizza (R$ 9,00 p/p.). Voltamos pro hostel, galera já tinha ido todo embora... ficamos nós para aproveitar o resto da semana.

 

Gasto do dia: R$ 41,45

 

DSCN3053.JPG.24c44680bee54b2fa600b8ace2a53546.JPG

 

DSCN3057.JPG.d26275b6560645669b07eb92c3003a5b.JPG

 

DSCN3069.JPG.6bc13b5ba761fb53dbc98773ec291853.JPG

 

CIMG6246.JPG.489f34d88f27f7440b94a010da424a64.JPG

 

DSCN3078.JPG.d7150ff4a2cc0bfadbbd63cd444ab6cc.JPG

 

05/01 - Segunda-Feira

Ritual matutino no hostel e partimo pra frente da casa do sr. Bilu, de quem tínhamos comprado os ingressos no dia anterior, pois para irmos à Cachoeiras Bonsucesso tivemos de arrumar um táxi, que ele nos arrumou no dia anterior por R$ 30,00 p/p. No horário combinado o taxista estava lá e partimos. A entrada na Fazenda custa R$ 20,00 e se paga na entrada mesmo. A fazenda conta com umas 5 cachoeiras, desde pequenos "filetes" de água até quedas mais altas e incrivelmente lindas. Há poços para banho na maioria e alguns chegam aos 7 metros de profundidade. Há um pequeno trecho com um pedaçõ de uma antiga estrada de pedras do século XVIII, e as cachoeiras da fazenda são: Do Açude, Landi, Do Palmito, Da Pedreira, Bonsucesso, Da Lagoa Azul! O trecho da Pedreira até a Lagoa Azul é praticamente uma escalaminhada, mas é de boa. Lá pelas 15hs retornamos para o hostel e no fim da tarde fomos falar com o sr. Bilu pra fechar um táxi pra irmos até o complexo do Abade no dia seguinte. à noitinha descemos para o centro histórico e fomos jantar num restaurante perto da pracinha (R$ 24,90). Como era segunda, a cidade estava mais vazia... então voltamos pro hostel.

 

Gasto do dia: R$ 74,90

 

DSCN3098.JPG.2ff0c6defd7fd2230a10792b6c3e668c.JPG

 

DSCN3100.JPG.6ec931021888e741b966a9d4f6042050.JPG

 

DSCN3106.JPG.4a501484fe559dc9be76f613f0259fee.JPG

 

DSCN3113.JPG.57cc464b30e175cb8b92c77db1b68432.JPG

 

DSCN3122.JPG.04b1d86a52a92d81509477597cd78586.JPG

 

DSCN3128.JPG.91d958d01cbb27685b4d42734dbf78ab.JPG

 

DSCN3134.JPG.91b47ccd409041dade7c740554165a24.JPG

 

06/01 - Terça-feira

Depois do café e de arrumar a mochila fomos esperar o cara que nos levaria para o Complexo do Abade ((R$ 60,00 p/p.). Demora um pouquinho pra chegar e se compra a entrada lá mesmo na chegada. Você pode optar por dois tipos de ingresso: o parcial (R$ 20,00) que permite acesso às cachoeiras do Cânion e do Abade; ou o ingresso completo (R$ 30,00) que te permite andar por todo o complexo no meio do cerrado. Optamos pelo completo. As paisagens são muito bonitas, com alguns mirantes, outras cachoeiras como a do Sossego e uma outra que não lembro o nome. E nessa que não lembro o nome tive uma das mais belas vistas. Subindo acima da queda que beira a trilha nos deparamos com umas quedas de uma BELEZA incrível... sério... fiquei extasiado!! Seguindo a trilha passamos por uma ponte suspensa, aquelas do estilo Indiana Jones, que diz-se ter uns 25m de altura. Bem legal. Seguindo a trilha paramos na cachoeira do Cânion e depois seguimos pra cachoeira do Abade. É muito bonita.... a maior queda que vimos em Piri e o poço tem profundidade variada.... dá pra todo mundo se divertir. Depois de curtirmos bastante voltamos pra entrada do complexo e o cara do táxi já nos esperava para voltarmos. No caminho paramos no mirante e depois seguimos viagem de volta pro hostel. À tarde saímos pra tomar um açaí (R$ 5,50) e como começou a chover passamos logo no mercado pra comprar alguma coisa pra jantar... tá... foi miojo mesmo rsrsrs (R$ 1,50), mas foi um miojo com legumes incrementado...hehehe Assim que parou a chuva voltamos pro hostel e à noite fizemos nosso jantar...

 

Gasto do dia: R$ 97,00

 

DSCN3149.JPG.7b55b1c6834333062466c7c981e85400.JPG

 

DSCN3158.JPG.297d33d10e5b16cecf4c0724245e1fd6.JPG

 

DSCN3168.JPG.ca7bd042e175d697a5414122d1605ab3.JPG

 

DSCN3187.JPG.7cd6433774a11519235a8d00ea6f5b1d.JPG

 

DSCN3203.JPG.bcbccf8e43d0b5e9a9018673dfd3f3b0.JPG

 

DSCN3224.JPG.72704b222f3a61fd21646af86de94205.JPG

 

DSCN3235.JPG.a6c77295e72182075fec5ebe09d2f18e.JPG

 

07/01 - Quarta-Feira

Último dia pra curtir Piri depois do café fomos comprar ingresso para a cachoeira Meia Lua (R$ 20,00), que é no mesmo ruma da Usina Velha, então, fomos novamente à pé. Não diria que é perto, mas com disposição dá pra ir tranquilo. Fica um pouco mais à frente da Usina Velha. É bem legal também a cachu. Dá pra ficar de boas lá, deitado nas pedras com a água correndo.... tem poço pra banho bacana, delícia mesmo!! À tarde partimos de volta pro hostel não sem antes forrar o estômago com um misto que vendem lá na lanchonete da cachoeira (R$ 4,00). Se não me engano dá pra pedir almoço também. Depois do banho, à noite, fomos aproveitar a última noite em Piri. Demos umas voltas pelo centro histórico e paramos pra jantar (R$ 28,00 com uma breja). Ficamos até bem tarde pelo centro e terminamos assim nossos dias e noites em Piri.

 

Gasto do dia: R$ 52,00

 

DSCN3255.JPG.27fc28fe8e4d8cc4f1541085983aafa3.JPG

 

DSCN3272.JPG.a42431ae7743dc9877f006f4e61002f9.JPG

 

CONTINUA...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

CONTINUANDO... (desculpem a demora)

 

08/01 - Quinta-Feira

 

Esse foi um dia bem cansativo... dia de deixar Piri e ir pra Cidade de Goiás. Pela manhã, após o café fizemos o acerto das diárias no hostel (R$ 280,00 por 5 diárias). Mochila nas costas partimos rumo à rodoviária tomando um açaí (R$ 5,50). De acordo com o que tinha visto por aqui iríamos fazer o seguinte trecho: Pirenópolis-Anápolis-Inhumas-Goiás. O ônibus de Piri para Anápolis tem horários pré-definidos. Pegamos o de 12hs que foi bem pontual (R$ 7,00). A viagem dura em média umas 2hs e meia. Chegando na rodoviária de Anápolis fomos nos informar sobre ônibus para Inhumas. Depois de confirmar os horários fomos almoçar no shopping próximo à rodoviária. Descobrimos um "subway" de massas por quilo, bem legal (R$ 20,00 e ganha o refri). Depois do almoço voltamos pra rodoviária e por volta das 16 ou 17hs o ônibus partiu pra Inhumas. O estranho é que no meio do caminho o ônibus para, como se fosse o ponto final... aí todo mundo desce....e depois sobe e paga de novo (R$ 9,00 x2). Até agora não entendi. Em Inhumas pegamos ônibus para Goiás (a empresa é a Moreira e a passagem custa R$ 20,00) e depois de umas horas de viagem chagamos no fim da tarde em Goiás. Da rodoviária nos informamos e seguimos para o Centro Histórico em busca de hospedagem. No caminho fomos recebidos por uma barulhenta revoada de pássaros. Paramos num restaurante pra comprar uma água (R$ 2,00) e aproveitamos pra pedir indicação de algum lugar pra ficar. Nos indicaram a Pousada Vovó Du e decidimos ir ver qual era. A pousada fica na rua da Câmara Municipal nos arredores das ruas de pedra do centro histórico. Pedimos pra ver o quarto: quarto com ventilador, três camas de solteiro, tv, banheiro privativo, R$ 40,00 por pessoa com café da manhã; fechamos. Depois de um banho merecido depois da cansativa viagem fomos dar umas pernadas pelo centro. Logo voltamos pra descansar pro dia seguinte.

 

Gasto do dia: R$ 348,00

 

09/01 - Sexta-Feira

 

Depois do café saímos pra dar umas voltas pelo centro histórico e conhecer um pouco da cidade. Caminhamos margeando o Rio Vermelho e fomos até a Igreja do Rosário, bem bacana... e depois descemos pela rua té a Casa de Cora Coralina... não chegamos a entrar. De lá fomos ao Centro de Informações Turísticas pra ver mais dicas do que fazer pela cidade e fomos muito bem atendidos lá. Tínhamos a intenção de conhecer a Serra Dourada, mas era bem caro, então não rolou e depois de pegar mais algumas informações fomos até o escritório do balneário Santo Antônio, na praça, pra saber como era o lugar. Depois de uma boa conversa decidimos fechar o pacote do dia que em dia de semana custa R$ 32,00 com direito a almoço à vontade...(e que almoço ::otemo:: ). A guria do escritório pediu umas moto-táxi pra gente (R$ 15,00) e ainda cedo chegamos ao balneário. O balneário é, basicamente, um grande clube com várias piscinas, riozinho, trilha... é bem legal pra passar o dia e achamos que foi um preço justo... ainda mais considerando o almoço... aquele fogão à lenha enorme com uma variedade de comida boa... nossa, muito bom e depois poder deitar numa rede e espreguiçar...top demais. Depois d almoço fomos fazer a trilhazinha que tem lá e dá numas pedras por onde desce o riozinho... não tem poço pra banho lá, mas é legal. Depois de aproveitar um pouco mais das piscinas pedimos pra chamar um moto-taxi pra gente (R$ 12,00). Voltamos pra pousada e saímos à tarde pra tomar um açaí muito bom (R$ 7,00) e depois à noite andamos um pouco pela praça já bem movimentada e fomos comer tapioca na Tapiocas do Serrado... recomendadíssimo!!! Vários tipos de tapioca... uma tapioca e meia pra cada um ficou em R$ 11,00.

 

Gasto do dia: R$ 77,00

 

DSCN3289.JPG.5b6f2d3356ba70bf57e5450016f6ed99.JPG

 

DSCN3300.JPG.322974b42bc85306985333eb63f5426d.JPG

 

DSCN3304.JPG.48a387644dafe36aa9d9dbf0461e87e4.JPG

 

10/01 - Sábado

 

Nesse dia decidimos ir conhecer a Cachoeira das Andorinhas... antes, fomos dar uma volta e paramos no CIT; de lá chamamos 2 motos pra irmos até a cachoeira(R$ 30,00 ida e volta). Descemos na entrada, combinamos a hora de eles nos buscarem de volta e acertamos a entrada com a dona (R$ 5,00). Da entrada até a cachoeira vão uns minutinhos de caminhada muito bons, tudo arborizado, bem bacana. Chegamos na cachoeira que não é muito grande nem volumosa, mas é bonita e ótima pra tomar um bom banho, encontramos um pessoal lá (um casal e uma senhora)..... antes, porém, de tomar banho na cachoeira fomos caminhar pela trilha que segue à esquerda.... leva mais uns minutos de caminhada e vai terminar numa lagoa, que nem sei se dá pra tomar banho...(pra mim bastou olhar). Depois voltamos pra cachoeira pra agora sim tomar um bom banho.... tem um pequeno poço pra banho, mas gostoso mesmo foi tomar AQUELA "chuveirada" de cachoeira. Tem uma espécie de fenda, daí é só passar e tomar aquele banho. Ahhh... a interação total com a natureza!!! :D Depois de algumas horas por lá voltamos e tentamos ligar pro cara da moto pra nos buscar (celular lá às vezes pega, às vezes não). Conseguimos afinal e depois de uns minutos chegaram pra nos buscar. Paramos no mercado municipal e almoçamos lá num restaurante por quilo... e comemos à vontade por R$ 10,00 (comida boa!!). Voltamos pra pousada pra cochilar um pouco e mais à tardezinha, fomos pro Largo da Carioca.... mais perto do centro e dá pra tomar banho também e tem bem mais gente. Comecinho da noite saímos pra bater perna, pois tinham dito que haveria uma feirinha gastronômica e música local. No caminho encontramos o casal e a senhora da cachoeira... conversamos um pouco e depois fomos andar, combinando de nos encontramos com eles mais tarde. Demos uma olhada na feirinha ("inha" mesmo) e decidi provar um empadão goiano (R$ 10,00)... É uma refeição,é bom.... quase suei pra terminar...kkk. Depois disso encontramos nossos três novos amigos e ficamos trocando ideia, bebendo um pouco até beeem tarde, combinando de irmos juntos ao Poço do Sucuri no dia seguinte.

 

Gasto do dia: R$ 55,00

 

DSCN3326.JPG.784587fb0ba2e8226c1feca3a99a17c9.JPG

 

DSCN3334.JPG.13179d797fb1cfcfd07abe22870f2968.JPG

 

DSCN3331.JPG.fb9409b3fd491a3deede731d556bcc37.JPG

 

DSCN3362.JPG.5146a2bd2a49f3e5e4ef979f098cbbbd.JPG

 

11/01 - Domingo

 

Conforme o combinado, depois do café estávamos em frente à pousada onde eles estavam hospedados, esperando pra sair (nesse dia ganhamos carona pois eles estavam de carro). Esperamos um pouco e logo saímos rumo ao Poço do Sucuri. A entrada custa R$ 10,00. Lá tem piscina, prainha, umas pequenas corredeiras e, claro, o poço, que parece bastante fundo. Como não sei nadar bem me contentei em olhar!! Exploramos bem a área, curtimos as corredeiras por entre as pedras, acima do poço, e fomos almoçar... Um peixe bem gostoso que rateando ficou em R$ 13,00 pra cada um. Fim da tarde voltamos pra cidade, nos despedimos e eles voltaram pra sua cidade... gente muito bacana!!! Meu amigo foi pra pousada e eu fiquei vagando pelo centro histórico; aproveitei pra tirar umas fotos. Depois fomos tomar um açaí (R$ 7,00)... e à noite fomos andar pelo centro histórico em nossa última noite na Cidade de Goiás, tomando um picolé de frutas do cerrado (R$ 0,50).

 

Gasto do dia: R$ 30,50

 

DSCN3364.JPG.da3d536bd5ac8e1053ee4546584a5c75.JPG

 

DSCN3373.JPG.706250957aeed5167d4a5cc66533ea13.JPG

 

DSCN3376.JPG.aebc972fd8f22d02d74225a089a4889a.JPG

 

CONTINUA...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

12/01 - Segunda-Feira

 

Dia de partir da terra de Cora Coralina, cedo fomos tomar café e arrumar as coisas pra partir pra Goiânia. Acertamos a diária da pousada (R$ 160,00 por 4 diárias) e campamos a pé pra Rodoviária, uns 10 ou 15 minutos de caminhada tranquila. Compramos passagem para as 11:15 (R$ 28,00 - Empresa Moreira) com destino à Goiânia. Esperamos algum tempo e mais ou menos no horário previsto embarcamos pra capital goiana. A viagem é meio demorada, não lembro bem quantas horas, mas talvez de umas 3 a 4 hs. Chegando na Rodoviária de Goiânia fomos almoçar (R$ 16,90) e depois ligamos pra 2 hostels que eu tinha anotado pra ver se tinha vaga. Um estava esgotado e ligamos no Hostel 7 (da HI). Tinha vaga, diária a R$ 50,00. Nos informamos de como chegar lá de ônibus e partimos rumo ao hostel. É fácil de chegar.... fica numa travessa perto do shopping e do Parque da Vaca Brava. Fizemos check-in, acertamos 2 diárias (R$ 100,00) e nada melhor que um belo banho depois da longa viagem. Esse hostel é muito maneiro (comento nas impressões finais da trip). Mais à noitinha saímos pra ir jantar... como o shopping é perto fomos lá na praça de alimentação e jantamos (R$ 20,76 com suco). Depois de bater um pouco de perna voltamos pro hostel e com não tinha outros hóspedes por ali ficamos jogando video-game até tarde rsrs.

 

Gasto do dia: R$ 325,66

 

13/01 - Terça-Feira

 

Na manhã seguinte fomos tomar café e já tinha mais algumas pessoas. Conversamos um pouco sobre o que fazer em Goiânia e descolamos um mapa com algumas indicações. Com o mapa na mão e disposição saímos pra explorar um pouco da cidade. Andamos bastante e como estava quente não resistimos à uma água de coco (R$ 7,00 1/2 litro) e nossa primeira parada foi no Zoológico (R$ 2,00). Relativamente pequeno, com poucos animais mas bacaninha. Por R$ 2,00 tava justo :D rsrs. Na saída compramos um bom dum caldo de cana (R$ 3,00) pra dar energia pra continuar caminhando. Passamos pelo lugar mais bacana até então, o Bosque dos Buritis. Relativamente grande, bem arborizado, visual maneirinho, mas assim, nada de excepcional. Do bosque fomos procurar a Praça Cívica. Nos informamos e quando chegamos lá... foi meio decepcionante eu diria. Não tem nada de mais lá... é como o paço municipal de qualquer cidade, não tem nada de atrativo.. só as bandeiras, um monumento e um vasto estacionamento sujo e meio fedido. Como não tinha o que fazer ali fomos procurar um lugar pra comer e acabamos no Subway mesmo (R$ 6,50). Dali, fomos pro ponto e compramos o bilhete, que é necessário pra pegar o ônibus que não tem cobrador (R$ 5,60 = 2 bilhetes/um já pro dia seguinte pra ir pra rodoviária). Voltamos pro hostel, fizemos hora, jogamos video-game, de novo, e depois fomos trocar ideia com uma galera que tinha chegado: a Mel, uma dançarina linda e simpática, e dois amigos motoqueiros de Minas, gente boa também. Papo vai, papo vem ... cada um ia fazer algo diferente e nós fomos pro Shopping jantar. Tive minha primeira experiência com comida japonesa...gostei muito ::otemo:: (R$ 21,50 - self-service). Depois pegamos um sorvete (R$ 2,00) e fomos bater perna no Parque da Vaca Brava. É bastante movimentado, gente de todas as idades, bacana. E assim terminamos nossa estada em Goiânia. Na manhã seguinte partiríamos para a terra de João de Santo Cristo.

 

Gasto do dia: R$ 47,60

 

DSCN3391.JPG.b0d5beca93b70e2cc65c74e940f673fd.JPG

 

DSCN3399.JPG.8cbfabed916881228a7f1535a4282205.JPG

 

DSCN3406.JPG.96f0e9c7ffeb58dc8032a1a024be7e39.JPG

 

CONTINUA... (Brasília: última parte)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

14/01 - Quarta-Feira

 

Depois do café da manhã e do check-out partimos de nossa rápida passagem por Goiânia rumo à capital federal. Pegamos um ônibus até à rodoviária e lá compramos passagem pra Brasília (R$ 39,50 - Viação Goiânia ou Araguarina). Como tínhamos tempo resolvemos almoçar na rodoviária, que é também uma espécie de shopping (R$ 16,50). Depois enquanto esperávamos troquei ideia com um tiozinho nonagenário (espero que seja assim que se escreve) que ao saber que eu era paulista logo se manifestou corinthiano...rsrs. No horário o busão partiu e depois umas horas de viagem (mais uma vez não lembro quantas) estávamos na Rodoviária Interestadual de Brasília. Dali partimos de metrô para a Estação Central (R$ 3,00), onde está a Rodoviária do Plano Piloto. Eu tinha visto dois hostels em Brasília e lá na rodoviária liguei para o Hostel FreeWay pra saber que ônibus pegar e como chegar. Nos explicaram direitinho... pegamos o ônibus W3 Norte (R$ 2,00)... descemos no Pão de Açúcar da avenida de mesmo nome e procuramos o hostel e não achamos. Nesse meio tempo encontramos o Hostel7 de Brasília. Fomos ver lá e o preço tava mais alto que em Goiânia... então decidimos ir ver qual era a do FreeWay.. Mas o cara parece que já sabia e falou que se a gente não gostasse do FreeWay poderíamos voltar e ele faria o preço de Goiânia. Ligamos pro Freeway que não estávamos achando e vieram nos encontrar. Chegamos lá e de cara já pusemos um pé atrás.... quando entramos e fomos conhecer o hostel não nos animamos a ficar. Nos pareceu tudo muito improvisado, estrutura ruim... saímos dizendo que íamos ver outro lugar e depois decidiríamos. Voltamos pro Hostel7...e valeu muito a pena pagar uns Reais a mais... Não era questão de frescura, era de comodidade mesmo. Depois trocando ideia com o pessoal que trabalha no hostel eles disseram que abriram o hostel lá aproveitando a demanda da Copa. Mas enfim. Fizemos check-in, acertamos 4 diárias (R$ 200,00) e fomos nos alojar. Hostel bem movimentado, bastante gente daqui do Brasil e de fora também. Depois de se ajeitar e tomar um banho a gente saiu pra comer alguma coisa. Achamos uma lanchonete bacaninha e dividimos uma pizza média (R$ 26,00 /2). Depois voltamos pro hostel, trocamos ideia ainda com uma galera e depois fomos dormir pra no dia seguinte começa a desbravar um pouco da terra de João de Santo Cristo.

 

Gasto do dia: R$ 274,00

 

15/01 - Quinta-Feira

 

Primeiro dia pra andar por Brasília, descemos pra tomar café e aproveitamos pra trocar ideias, informações e pedir dicas do pessoal. Com o mapa em mãos decidimos ir para o Eixo Monumental e conhecer os principais pontos cívicos e outros que estão "espalhados" pelo eixo. Decidimos ir a pé, não é muito longe. Dia ensolarado, de animar qualquer um. Fomos descendo pelo eixo olhando tudo, bem impressionados, e nossa primeira parada foi no Museu Nacional de Brasília. Bem maneiro... tava rolando uma exposição lá. Saindo, aproveitamos a vista pra Biblioteca Nacional pra tirar algumas fotos. Depois compramos uma água (R$ 2,00) e seguimos pra Catedral. É realmente bem bonita... por fora e por dentro. Destaque para os anjos suspensos, a réplica da Pietà, e a Cruz da Primeira Missa. Valores artístico, histórico e arquitetônico todos num mesmo lugar. Dali continuamos descendo, passando pela Esplanada dos Ministérios e fomos até o Congresso. Há visitas periódicas, todas monitoradas. Mas como estava de regata não pude entrar. Então saímos e fomos até o Palácio da Justiça e tiramos algumas fotos em frente... achei bem bonito. Continuamos nossa pernada até a Praça dos Três Poderes. Ali estão o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal e o Congresso, um monumento à memória de JK e a famosa escultura "Os Candangos"! Na praça tinha um pessoal vendendo lembrancinhas e dei sorte que tinha camiseta. Comprei uma por R$ 10,00 pra poder fazer a visita no Congresso. Antes disso fomos ao Panteão da Pátria. Agora com a nova camiseta pudemos fazer a visita ao Congresso. É bem interessante. Conhecemos os principais locais, um pouco da dinâmica da prática parlamentar e você ainda pode mandar um postal na faixa. Depois passamos só pela frente do Palácio do Itamaraty, mas as regras para visitação lá são um pouco maiores. Então, voltamos para o hostel e depois fomos no mercado comprar o almoço hehe (R$ 12,50) mas era bem tarde já. Matamos um pouco de tempo jogando vídeo-game, conversando com a galera e à noite fomos no shopping pra bater perna e jantar (R$ 13,90). Voltamos e ficamos conversando até a hora de ir dormir.

 

Gasto do dia: R$ 40,40

 

DSCN3422.JPG.dbc745ddccd19fe4fdf3af81f5aa2580.JPG

 

DSCN3423.JPG.6092f1d7d0d6e5bc884fc18bb8453e42.JPG

 

DSCN3440.JPG.6c269cb34b2b25495f2208a0786d5039.JPG

 

DSCN3458.JPG.41d7cdd26d9a8b71f69f5297ce37c3a3.JPG

 

DSCN3466.JPG.86a154c13f17a4bca6cbb8fa8b4ff477.JPG

 

DSCN3471.JPG.04fcf38cc37e8d80dc98acece75d90af.JPG

 

DSCN3475.JPG.13c77df7fe399e03ed7a745dcafa69e3.JPG

 

DSCN3480.JPG.d9c27aa9eabd22b3aee873dbdbec417f.JPG

 

16/01 - Sexta-Feira

 

Nesse dia decidimos ir conhecer a outra ponta do Eixo Monumental e pegamos o ônibus (R$ 3,00) pra irmos até o Memorial JK (paga entrada mas não lembro o valor). O Memorial é bem interessante, tem muita coisa, muita história. Destaque para a biblioteca pessoal de JK e para a cripta onde está o seu corpo (tem um vitral incrível). Seguimos depois para o Memorial dos Povos Indígenas que é bem legal também, mas relativamente pequeno. Descemos e paramos um pouco na manifestação dos servidores do DF e depois seguimos para o Centro de Convenções Ulisses Guimarães e tiramos umas fotos meio de longe do Estádio Nacional Mané Garrincha. Seguimos até a feirinha perto da Torre de TV e fomos almoçar (R$ 10,00). Depois subimos na torre, de onde se tem uma incrível vista da cidade que alcança até o Lago Paranoá e pode ver-se, também, a Ponte JK. Finalizamos a tarde com uma visitinha ao Parque da Cidade e voltamos pro hostel (R$ 2,00). À noite não vimos nenhum lugar pra ir.... então ficamos no hostel jogando conversa fora e rolou um miojo de jantar rsrs.

 

Gasto do dia: R$ 15,00

 

DSCN3551.JPG.b76b450ec1b42f21ba8bd9d512ecd9d6.JPG

 

DSCN3554.JPG.63a2daecc7a82c44145e27c0cfa9470a.JPG

 

DSCN3582.JPG.44ae569291128400dc348858881ed24f.JPG

 

DSCN3592.JPG.ee15f3b2505219a2bf990925ba8ecfcb.JPG

 

17/01 - Sábado

 

Último dia pra aproveitar a capital. Café reforçado, mapa na mão, disposição e partimos na sola rumo ao Lago Paranoá. Como a caminhada era mais espichada compramos água antes (R$ 2,00) e fomos. Depois de um tempinho de caminhada e umas dúvidas com o mapa chegamos. Tem uma orla de madeira bem bacana pra caminhar às margens do lago e há caiaques pra alugar e dar um passeio... só não passeamos de caiaque pq estávamos despreparados para. Depois de ficar ali observando a paisagem fomos tomar um açaí e dali partimos para o Parque Olhos D'Água. O parque é bem legal.. deu pra gastar a tarde lá e depois voltamos pro hostel (R$ 10,00). Fizemos umas comprinhas no mercado pro jantar e ficamos até tarde na área de convivência do hostel.

 

Gasto do dia: R$ 10,00

 

DSCN3595.JPG.9687b58dfb5c52d0bd98730f524382d1.JPG

 

DSCN3601.JPG.2b42e09506e1ee50c7400f0a4c39db61.JPG

 

18/01 - Domingo

 

Dia de ir embora. Então, é dia mais burocrático. Fizemos check-out, acertei uma cerveja (R$ 9,00) e pedimos pra chamarem um táxi pra gente, pois era bem cedo ainda. Salgado (R$ 64,00 /2). O voo do meu amigo sairia mais cedo que o meu, então eu fiquei um tempo lá no aeroporto esperando. Tomei um lanche (R$ 9,00) e na hora prevista meu voo partiu para São Paulo. Cheguei em Guarulhos peguei ônibus até o Metrô Tatuapé (R$ 6,00), depois metrô até a Barra Funda e trem pra minha cidade, Jandira (R$ 3,50). Pra terminar, mais um ônibus até chegar em casa. Mais uma trip concluída!!

 

IMPRESSÕES

 

Eu adorei essa trip pelo Centro-Oeste. Curti tudo o que vi, as pessoas que conheci, foi tudo massa mesmo! Vamos a algumas considerações por cidade?

PIRENÓPOLIS: É uma cidade super bacana, recomendadíssima. Ficou um pouco cara pelo fato de não estar com carro próprio pra ir às cachoeiras. Mas como estávamos em 2 acredito que tenha sido mais ou menos o mesmo custo de ter alugado um carro... não sei. Mas talvez em mais pessoas esse custo diminua. Mas sem carro próprio ou alugado não tem jeito... ou paga pra ir, ou arruma carona... ou não vai. E ir pra Piri e não ir às cachoeiras não rola neh?! O Go Hostel é bem bacaninha, a Yara é super legal, o café da manhã é bem responsa; mas é um pouco desorganizado. Não tem "staff", praticamente. às vezes nem alguém pra vc perguntar alguma coisa, mas ainda assim é um bom hostel. Piri é mais agitada nos fins de semana.

GOIÁS: Típica cidadezinha de interior e como tal a vida agitada da cidade se dá na praça aos fins de semana. Os atrativos naturais da cidade estão um pouco afastados do centro e entram na mesma lógica de Piri. Ou paga táxi ou moto-táxi pra levar, ou vai de carro alugado, ou não vai. mas é uma cidade bem bacana, curti muito. Recomendo muito as tapiocas da Tapiocas do Cerrado, muito boas. A Pousada Vovó Du foi uma boa recomendação e recomendo aqui também pra quem for.

GOIÂNIA: Nada além de uma capital com estilo metropolitano.....

BRASÍLIA: Me surpreendi com Brasília. Superou muito minhas expectativas. Tem muita coisa pra fazer, ver, conhecer... O Hostel7 é uma ótima opção de estadia, tanto em Goiânia como em Brasília. É bem estiloso, organizado, várias comodidades que tornam a relação custo/benefício bem proveitosa. Roupa de banho é legal levar pra Brasília porque vc pode resolver se refrescar no Lago Paranoá ou simplesmente da um passeio de caiaque.

Em resumo, foi uma ótima trip, e espero que tenham curtido o relato e que seja útil e inspirador pra quem queira se aventurar por aquelas bandas!!!

Abraço pros guris!!!

Bjos pras gurias!!!

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por natan.cruz
      Olá amigos tenho uma viagem de 10 dias programada para fevereiro de 2019 a Brasília e Goiás.
      A princípio faria Brasília e Alto Paraíso de Goiás. 
      Porém um amigo decidiu ir  junto  e ele não está acostumado com trilhas e por isso decidimos Pirenópolis. 
      O que sugerem 05 dias em Brasília e 05 em Pirenópolis? No caso faremos todo nosso deslocamento de ônibus. 
      É possível fazer muita coisa no DF além dos palácios ? Pirenópolis é uma boa opção ? 
      Desde já os agradeço!
    • Por Rogpan
      Galerinha eu e minha esposa estamos há 2 anos morando em Brasília e resolvemos ajudar a catalogar alguns lugares. Resolvemos compartilhar com os mochileiros nossas trips...
      A CIDADE Então fomos fazer um confere em Mambaí - GO que é uma cidadezinha no interior de Goiás, quase na divisa com o estado da Bahia. A cidade é simples, rústica e tem apenas 8.000 habitantes. É um dos points de ecoturismo por aqui. Está a cerca de 310 km de Brasília, situada na Área de Proteção Ambiental (APA), nas nascentes do Rio Vermelho. 
      A estrada é super de boa, depois da saída de Formosa-GO o fluxo de caminhões fica bem tranquilo e é só seguir via GPS passando por Lago Azul e Alvorada do Norte ( logo após esta cidade atenção na saída para Mambaí).

       
      O QUE FIZEMOS NA CIDADE? Como era nossa primeira ida em Mambaí e seria por somente um final de semana, optamos por fechar com uma agência de turismo local a Cerrado e Aventura onde fechamos alguns passeios, trilhas com caverna, pêndulo e tirolesa ( a melhor parte ). 
      o carro é importante, todos os roteiros dependem de carro para chegar nas posições mais próximas, o guia acompanha o grupo dentro de um dos carros! o material de segurança é disponibilizado pela agência.
       
       

       
      Durante os passeios podemos encontrar uma diversidade enorme de belezas naturais, como cachoeiras, cânions e cavernas em meio ao cerrado. No entanto, a descoberta do potencial turístico ainda é recente e a cidade carece de infraestrutura para receber uma quantidade significativa de visitantes. Recomenda-se visitá-la fora de temporada (e foi o que fizemos ) para garantir melhores condições e visuais mais surpreendentes.

       

       
      ONDE FICAMOS? Ainda existe um esforço da cidade para se desenvolver e se preparar, na medida do possível, para recepcionar os turistas da maneira mais adequada e satisfatória. Não encontramos muitas opções para comidas e saídas noturnas, a cidade fica bem pacata porém muito segura... Pode-se achar alguns barzinhos legais e depósitos de bebidas para comprar e ficar pela pousada.
      E por falar em Pousada ficamos em uma super bacana O Luar encantado Pousada e Camping, muito diferente de outros lugares que fomos, o clima lá é super família e bem aconchegante. No terreno da pousada a dona tem uma horta onde podemos apreciar de tudo um pouco... mais ao fundo do terreno (60M) podemos desfrutar de um gostoso banho em um córrego de nascente  com água bem relaxante. 
      O café é incluso na estadia da pousada e é super bem servido, aproveitamos para fazer um vôo com Drone e deixamos de presente algumas imagens para a dona da pousada.
      Pagamos em torno de 150 para um quarto para 3 pessoas. Os valores variam dependendo da época! Os valores de Camping gera em torno de 30 a 50 por pessoa e a estrutura é muito boa!
       

       
       
      INFORMAÇÕES IMPORTANTES É importante deixar o pacote montado antes de ir pois os guias são ajustados de acordo com o que seu grupo irá fazer, fechamos tudo por whatsapp/e-mail e fomos muito bem atendidos, a agência também te da a opção de pagamento em cartão e crédito ou dinheiro.
      Uma importante observação é você levar valores em espécie para facilitar almoço ( também muito IMPORTANTE deixar encomendado via a agência em algum dos poucos lugares que trabalham nessa parte).
      Até a próxima rota!
       
       
    • Por Felipe_agf
      Bom gente, eu sou novo aqui no Mochileiros e esse será o meu primeiro relato (Deus queira de muitos,rsrs), então me perdoem se eu cometer algum deslize.
       
      Eu comecei a planejar essa viagem logo após o sorteio da Copa do Mundo, em Dezembro, onde eu comecei a planejar assistir uma partida de alguma seleção para que eu torça (Brasil ou Portugal, tenho dupla nacionalidade). Como eu tenho família em Manaus e Brasília, eu me inscrevi no sorteio pra Portugal x Eua (Manaus), Brasil x Camarões e Portugal x Gana (Estes em Brasília), mas infelizmente não fui sorteado pra nenhum (Curiosamente, no sorteio anterior consegui 4 jogos da primeira fase + Oitavas no Maracanã). Nesse meio tempo, surgiu uma promoção de passagens (TAM, 240 com taxas) e decidi ir no dia 25 de Junho e voltar no dia 28 e de alguma maneira tentar arranjar um ingresso pra Portugal x Gana (Os ingressos pro jogo do Brasil estariam concorridíssimos e superfaturados no Câmbio negro, e as passagens pra Manaus estavam caríssimas). Só pra concluir essa história da FIFA, depois de todo dia ficar verificando a disponibilidade de ingressos, consegui comprar pelo próprio site da Fifa por R$ 270,00. Como eu fiquei hospedado no apartamento de um tio, acho que não vai muito se encaixar num relato mochileiro, rsrs
      Enfim, vamos para a viagem em si :
       
      Dia 25/06 :
      Eu fui no Equador x França no Maracanã, e logo após o apito final corri para casa, tomei um banho, jantei e fui para o Santos Dumont. Meu vôo era as 10 da noite, então não tive maiores problemas. Fiquei impressionado com a quantidade de ''gringos" no aeroporto. Só pra exemplificar, ao redor da minha poltrona no avião tinham 2 britânicos, um casal chinês e uns ganeses, realmente espantoso.
      Depois de uma hora e meia de vôo, cheguei a Brasília. Aqui vale outra observação : Depois de repassado, o Aeroporto de Brasília está 10x melhor. Eu já cansei de pegar conexão aqui e ver embarques tumultuados e um saguão aquém da demanda. Com a construção dos píers, Brasília não deve em nada a nenhum aeroporto de ''1° mundo''. Enfim, meu tio me pegou no aeroporto e nos levou pro apartamento dele em Samambaia.
       
      Dia 26/06 : Eu acordei umas 8 horas da manhã, o que é surpreendente logo depois de uma ressaca pós-jogo e de uma viagem de avião (Que sempre me deixa acabado, tanto em vôos curtos e longos). Os meus planos eram ficar zanzando por aqueles lados da Esplanada até a hora do jogo (13h), e passar pelo memorial JK, Memorial dos Povos Indígenas e a Torre de TV. Logo depois do café meu tio me deu uma carona e me deixou do lado do Memorial JK, em que descobri que em Brasília foi decretado Ponto Facultativo e todos os pontos turísticos estariam fechados. Eu pessoalmente achei isso um absurdo, ainda mais porque tinha muita gente que veio de outras cidades só pro jogo e ficaram só do lado de fora tirando fotos.

       
      Assim, fui caminhando pela Praça do Buriti até a Torre, onde esta felizmente ela estava aberta, e onde também poderia almoçar na feirinha (E fugir dos altos preços que a FIFA cobrava dentro do estádio). Depois de uma fila relativamente longa, consegui subir até o mirante e tirei minhas fotos da Capital Brasileira.Todos os candangos que eu conheço falam horrores de Brasília, que o transporte público é horrível, que é caríssima, que as cidades satélites são violentas pra caramba, mas eu tenho uma paixão por Brasília (Uma vez eu ouvi um senhor falar que Brasília era uma grande e bela escultura. Embora fosse linda para os Olhos, o seu plano urbanístico foi mal feito e hoje a cidade sofre com esses defeitos).

       
      Como eu estava devidamente ''fantasiado" com a minha Bandeira, Cachecol, Camisa e touca, algumas pessoas pediram pra tirar foto comigo ou com meus adereços, eu até fiquei conversando com uns patrícios lá no alto do mirante. Depois dessa reflexão sobre Brasília, eu desci e a minha barriga começou a falar mais alto. Como já era umas 11h, fui até a praça de alimentação da feira e comi por ali mesmo. Nesse ponto não posso reclamar : Embora fosse um ponto turístico com 12490534 gringos e turistas, os restaurantes estavam oferecendo boas opções por preços justo (Tudo bem que eu já me acostumei com os preços estratosféricos do RJ). Eu, por exemplo, almocei um PF com pedaços de Frango, Carne e Porco com arroz, farofa, cenoura e vinagrete por 14 reais, com mais uma coca de 600 ml por 4 reais.
      Depois de mais umas 2 fotos, eu percebi que já era quase meio dia e comecei a ir pro estádio. Eu paguei 3 reais pra pintarem uma parte da minha cara e entrei na fila da Segurança. Esse foi o principal ponto negativo de Brasília : Enquanto no Maracanã as filas estavam de pequenas a médias (Esperei no máximo 8 minutos cronometrados), no Mané Garrincha as filas estava Monumentais. Depois de uns 15 a 20 min, consegui passar e fui para o meu Portão


       
      O Mané Garrincha foi o Estádio mais caro da Copa, e ele em si é monumental. Embora a Fachada seja estranha, ele por dentro é bem alto e muito inclinado, e surpreendentemente bonito. Sério, como eu fiquei no anel superior, as fileiras lá de cima eram muito inclinadas, chega dava medo,rsrs. Sobre o jogo, acho que eu não tenho muito o que comentar. Os times eram bem fracos e o CR7 pipocou, perdendo as chances que talvez tivesse concretizado o milagre e levado Portugal para as Oitavas.
      O jogo acabou e eu levei uns 20 minutos até conseguir sair do estádio e ir para a Feira da Torre. Como já eram quase 4 da tarde, decidi comer um pastel com caldo por ali mesmo antes de ir embora (Acho que foi 3 reais o pastel e 2 o Caldo, mais ou menos por aí). Logo após, peguei um dos ônibus que o Governo do DF disponibilizou para a Rodoviária do Plano Piloto e de lá peguei o Metrô até Samambaia (Vazio, Vazio).

       
      Amanhã eu escrevo o segundo dia de viagem....
    • Por khumbu_
      Esta pequena cidade histórica, incrustada aos pés da Serra dos Pireneus, no interior de Goiás, é cercada de morros, com dezenas de cachoeiras. Tombada como Patrimônio Histórico e Cultural Brasileiro, mantém seu aspecto antigo e bucólico - retrato vivo da história goiana, onde um povo hospitaleiro, alegre e festivo, convive com um ambiente de extrema beleza natural.
      SUGESTÕES AOS VIAJANTES

      *Traga calçados confortáveis - Pirenópolis é uma cidade pequena, calçada com pedras e cercada de montanhas. Portanto caminhar aqui, em pedras, subindo e descendo, é praticamente obrigatório.
      *Traga boné ou chapéu e filtro solar - O sol é forte quando aparece.
      *Traga quarda-chuva ou capa - se for tempo de chuva (outubro a março).
      *Venha de roupas apropriadas - cachoeiras tem mosquitos, trilhas tem capins que riscam as pernas e o sol queima os ombros. Lembre, cachoeira não é piscina e nem praia.
      *Venha de carro apropriado - nossos melhores atrativos são rurais e as estradas nem sempre estão boas.
      * Não vacile nos feriadões - apesar da criminalidade aqui ser baixa, em feriadões malandros podem visitar nossa cidade.
      * Venha com tempo - para conhecer bem Pirenópolis são necessários vários dias.
      * Procure contratar um guia - é mais seguro e confortável, você perde menos tempo e conhece bem melhor. Vá ao CAT-Centro de Atendimento ao Turista.
      Abraço a todos,
      Rogério Félix


×
×
  • Criar Novo...