Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Patricia Leone

Conceição de Ibitipoca (com fotos e valores) - Páscoa 2015

Posts Recomendados

Em conversa com o colaborador Cláudio, pedi algumas sugestões de roteiros para Trilhas, em locais mais afastados das aglomerações de feriados. Dentre algumas opções, ele citou Conceição de Ibitipoca. Pesquisei sobre e decidi de imediato que iria para lá. Aproveito para agradecer pelas sugestões!

Abaixo, relato sobre a viagem com valores e fotos.

 

Primeiro dia

Saímos de SP na sexta-feira às 4h da manhã. Paramos apenas em um Posto para tomarmos café e depois seguimos direto.

 

Assim que chegamos em Lima Duarte, 2 rapazes e 1 moça pediram carona. Passamos reto mas ficamos com uma sensação de pobreza de espírito muito grande, afinal tínhamos o banco traseiro vazio. Logo à frente, 3 moças pediram carona também, então paramos.

 

Elas eram da Colômbia e Argentina, vendiam artesanato e estavam indo para Ibitipoca. Entraram no carro e seguimos, trocando experiências.

 

O caminho foi tranquilo até certo ponto e, quando faltavam 3 km para chegar, a surpresa: ladeiras íngremes as quais o carro não subia. Carro 1.0, lotado, carregando bagagens pesadas... A primeira alternativa foi descermos e deixarmos somente o condutor.

 

Ainda assim, o carro não subiu. Tentamos empurrar, sentamos no capô do carro e nada. Nisso o pessoal ia passando e cada um dando um pitaco diferente. Um rapaz disse que iria buscar uma corda para puxar e, mesmo sem achar, voltou para tentar nos ajudar. Sem sucesso novamente e lá estávamos nós empacados.

 

Eis que surge um rapaz em um jipe, parou ao lado do carro e orientou meu marido sobre o que ele deveria fazer. Pouco depois, outro carro com 3 rapazes parou também para ajudar. Descarregamos o carro, um deles tentou dirigir e nada. Após diversas tentativas, meu marido seguiu os conselhos do rapaz do Jipe e finalmente o carro subiu. Caminhamos até o carro, com as bagagens, e seguimos em direção à Vila. Chegamos 12h35.

 

Agradecimento especial aos rapazes do RJ que nos ajudaram a carregar as bagagens e tentaram fazer com que o carro subisse, não me recordo o nome de vocês. Se por acaso lerem esse relato, manifestem-se!

 

Chegamos, estacionamos, agradecemos a todos e fomos ao Camping Ibitilua. Nós não havíamos feito reserva, pois ligamos e nos informaram que não seria necessário.

Instalamos a barraca, nos trocamos e fomos almoçar. Paramos em um restaurante que servia almoço “coma à vontade”, e ficamos por ali.

 

Nossa intenção era fazer algum tipo de roteiro já no primeiro dia, mas o Parque Estadual do Ibitipoca recebe 1200 pessoas por dia e, como chegamos tarde, provável que não conseguíssemos entrar. Resolvemos então ficar tranquilos, comemos e fomos descansar para aproveitarmos um pouco a noite.

 

Obs: No site do Parque Estadual consta a informação de que o Parque recebe 400 pessoas durante a semana e 800 aos finais de semana. Entretanto, essa informação está desatualizada pois, desde janeiro/15, passaram a receber 1200 pessoas todos os dias, exceto às segundas-feiras úteis, que o parque não abre.

 

Acordamos 20h, tomamos banho e fomos ao centro. Quando eu falo “fomos ao Centro” significa “saímos do camping e demos 15 passos”, rs...

 

Tomamos umas cervejas artesanais e depois jantamos (pizza e caldo verde). Ficamos um pouquinho por ali, ouvindo música ao vivo, e depois fomos dormir para podermos madrugar, a fim de chegarmos ao parque cedo.

 

Fim do primeiro dia.

 

Segundo dia

 

Acordamos 6h da manhã. Eu com uma dor de cabeça infernal e passando mal do estômago. Enrolei um pouco e, depois de chamar o Hugo, me senti um pouco melhor e seguimos para o Parque mesmo assim. Desistir das trilhas estava fora de cogitação.

 

Nós íamos a pé, mesmo sendo 3km de caminhada. Quando estávamos na rua tomando café, vimos alguns carros que faziam o traslado até o parque. Não hesitamos e fomos de carro mesmo. E foi a melhor coisa que fizemos, dado meu estado lamentável de enxaqueca e mal estar.

 

Entramos no parque e chegamos à entrada da trilha para Janela do céu 7h15 da manhã. Tinha 4 pessoas na nossa frente, mas conseguimos ultrapassá-las, ou seja, fomos os primeiros do dia a chegar na Janela do céu!

O percurso é maravilhoso. Uma estrada de pedra cercada por baixa vegetação, flores e cactos. Muito tranquilo, se você não é sedentário. Mas se você é sedentário, dá para fazer também, mas vai cansar mais rápido.

Sentimos a natureza se comunicando conosco do início ao fim do percurso. O vento gelado no rosto, o sol embaçando a vista... Sensações maravilhosas que senti pela primeira vez e que contribuíram para a plenitude da felicidade por estar ali!

 

Janela do Céu

Janela do Céu

 

Chegamos à janela do céu, e já nos antecipamos a tirar os sapatos e pisar naquela água gelada, para chegarmos o mais próximo da cachoeira. Que lugar maravilhoso!

 

Janela do Céu

Janela do Céu

 

Ficamos um tempo ali, contemplando, meditando e quando o segundo grupo se aproximou, ficamos mais um tempo e resolvemos ir embora.

 

A princípio, visitaríamos somente a Janela do céu e voltaríamos pelo mesmo caminho, para conhecermos as grutas que deixamos para trás. Mas ao sairmos, vimos que havia a possibilidade de seguirmos sentido ao Pico do Pião, por uma outra trilha, fazendo a volta ao parque. Era 10h30 da manhã, tínhamos ainda o dia todo pela frente e eu já estava recuperada do mal estar...

 

Seguindo em frente, passamos ainda pela Cachoeirinha e por um ponto onde sentamos na beira de uma pedra e ficamos ali um tempo, olhando e viajando na paisagem...

 

IMG-20150405-WA0064

Cachoeirinha

 

Esse caminho é feito por quem está no camping do parque, para que não tenham que ir até a portaria e andar mais para chegar à Janela do céu.

 

O caminho não é tão bonito quanto o que fizemos na ida, e é mais íngreme e cansativo. Principalmente para que vai ao Pico do Pião, por motivos óbvios. Mas não é nada impossível e qualquer um pode fazer.

 

Passamos primeiro pela Gruta do Pião e, embora eu soubesse que era bom levarmos lanterna, não levamos. Pegamos rabeira com um pessoal que estava entrando, vimos a gruta e saímos. Eu, particularmente não tenho um gosto muito grande por grutas. Então não fiz muita questão de passar muito tempo por ali.

 

Gruta do Pião

Gruta do Pião

 

Continuamos a caminhada e chegamos ao Pico do Pião, que oferece uma vista fantástica... É a vista do infinito. Como chegamos por volta das 13h por lá, tinha bastante gente contemplando, tirando fotos. Ficamos um tempinho e fomos embora.

 

Caminho final para Pico do Pião

Caminho Pico do Pião

 

Descemos a estrada que nos levou ao Pico e chegamos à estrada que nos levaria à portaria. Há uma série de outras atrações no caminho, mas estávamos cansados e morrendo de fome, portanto, visitamos o Lago dos Espelhos, Prainha e seguimos em frente rumo à portaria.

 

Obrigatoriamente, no fim do percurso você cai automaticamente no restaurante do parque. Chegamos às 16h, mais ou menos.

 

Almoçamos e seguimos rumo à portaria. Mais 1,5km de caminhada, subidinha inesperada e que castiga, mas finalmente chegamos. Voltamos para a vila também de carro.

 

Acho que andamos uns 21 km e visitamos:

 

Janela do Céu

Cachoeirinha

Gruta do Pião

Pico do Pião

Lago dos Espelhos

Prainha

 

Chegamos na Vila e fomos para o Camping. Descansamos até 18h, tomamos banho e fomos para a Vila de novo. Não iríamos no dia seguinte ao Parque, pois conseguimos fazer dois roteiros que queríamos e a estrada era longa pra SP. Então, aproveitamos para curtir a noite.

Mas ainda assim era cedo...rs... Que coisa maravilhosa o tempo não passar quando estamos em um lugar como esse...

 

Achamos um lugar chamado Portal da Serra, onde tinha Música ao vivo e vários restaurantes e lanchonetes ao redor. Sentamos e ficamos por ali até cansarmos, ouvindo uma ótima música.

 

Fomos para o camping e dormimos sem hora para acordar.

 

Levantamos umas 9h30, tomamos café no camping, compramos uns presentes na Vila e seguimos viagem pra SP. A volta foi chata, pois perdemos a entrada para a estrada que nos levaria sentido Porto Real, portanto, tivemos que ir até Caxambu. A estrada de Caxambu até a Dutra é de mão única, com muitos caminhões. Demoramos um tempo razoável até chegarmos à Dutra.

Além disso, pegamos um pouco de trânsito na região de Taubaté e Arujá. Mas chegamos 20h30 em casa, horário até que razoável, levando em consideração a volta do feriado.

 

Todas as fotos serão disponibilizadas no flickr (algumas já constam por lá):

 

Algumas dicas:

 

Como chegar

Pegue a Salim Farah Maluf; Depois Dutra sentido RJ

Passando a placa de Resende fique atento à Saída 291, para quem vai entrar em Porto Real. Pegue a saída para cair na rodovia RJ 159;

Continue na RJ 159 até chegar na MG 457; Essa última rodovia vai fazê-lo chegar a Bom Jardim de Minas;

Passando por lá, pegue a BR 267, até Lima Duarte;

Chegando em Lima Duarte, siga as placas para Conceição de Ibitipoca. Distância entre as duas cidades, cerca de 26 km, parte em estrada de terra, parte de paralelepípedos em boas condições e outra parte, asfalto esburacado.

Detalhe importante do percurso: Montanhas Mágicas da Mantiqueira. Visual surreal de lindo!

 

Custo Transporte carro

Pedágio Ida: Total de 27,20

Pedágio Volta: 21,10

Combustível (Carro 1.0): 250,00. Abastecemos em SP (80,00), Bom jardim de Minas (50,00) na ida; Lima Duarte (100,00) e Salim Farah Maluf (20,00) na volta. Combustível Bem mais caro nas cidades de MG.

 

Total Transporte: R$298,30

 

Custo alimentação

Sexta-feira

Almoço: 14,00 por pessoa, total R$28,00

Jantar: 49,00 uma pizza e 9,00 um caldo verde. Total para duas pessoas R$ 67,00

 

Sábado

Café da manhã: 5,00 (dois cafés)

Almoço dentro do Parque: 23,00 por pessoa, + bebida. Total para duas pessoas R$57,00

Jantar: Uma porção de fritas (18,00) e duas mini pizzas (10,00 cada). Total: R$ 38,00

 

Domingo

Café da manhã: 15,00 por pessoa no Camping. Total: R$30,00

Camping: 30,00 por pessoa, a diária. Total: R$120,00

 

Total alimentação: R$215,00, para duas pessoas.

• Claro que consumimos bebidas, mas não listei pois cada um consome um tipo e quantidade específicos. Levamos um galão de 6 litros de água, e compramos mais 2 garrafas de 1,5L para levarmos na caminhada.

 

Camping

Ficamos no Camping Ibitilua, espaço enorme, bem no centro da Vila, perto de tudo. Diária de R$30,00 por pessoa, totalizando R$120,00.

Infraestrutura boa, o problema são os porquinhos que emporcaram os banheiros na volta da madrugada.

 

Demais gastos

Entrada no Parque: R$20,00 por pessoa (fomos apenas no sábado)

Transporte da Vila até o parque R$5,00 por pessoa ida e R$5,00 volta

Total demais gastos: R$ 60,00

 

Total gastos: R$ 573,30

Total por pessoa: R$286,65

 

Qualquer dúvida, estou à disposição!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa tarde Patricia.

Bem legal seu relato ::otemo::

Parece ter sido bem divertido.

Estou animado a ir no feriado do 1º de maio. Só mesmo um lugar desses para desintoxicar da cidade.

Vou tentar fazer tudo em dois dias.

Só que estou indo de ônibus. Minha dúvida é: Dá pra fazer tudo sem carro? (Achei interessante os carros que fazem o trajeto, mas é sorte encontra-los ou sempre tem?) Qual região para mim que vou estar apé é mais recomendada?

Ótimo relado!

Obrigado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito legal o relato Patricia, bem explicativo... Também estou pretendendo ir visitar o parque em breve...sabe se o valor das diárias no camping é diferente durante a semana? E o espaço é grande, dá pra ir sem fazer reserva?

Muito obrigado, cordialmente, abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Igor e Valderes! Vou tentar responder suas dúvidas de uma vez só!

 

Dá pra fazer tudo a pé sim. Se você não quiser ir para a Vila, há um Camping dentro do Parque, a 1,7 km da portaria. Mas, caso queira aproveitar a noite , sugiro que fique em um Camping na Vila mesmo. Há outros além deste Ibitilua, mas não tenho referências.

 

Pelo que conversei com a motorista do carro que nos levou, eles só não trabalham quando o parque está fechado, mas nos demais dias, estão disponíveis sim. Não é sorte não, tanto que, estávamos em frente a padaria era mais ou menos 6h30 da manhã e vimos 3 carros parados oferecendo o transporte.

 

Sobre locker, não vi. Deixei as coisas dentro da barraca mesmo, pois paramos o carro longe do camping e era inviável toda hora irmos até ele para pegar alguma coisa. Acredito que não terá problemas quanto a isso. De qualquer forma, segue o telefone do camping, caso queira tirar mais dúvidas: (32) 3281-8211 / (32) 8401-5547 / (32) 3281-8200.

 

No Ibitilua acho que o valor é padrão para qualquer dia. E ele é enorme, dá para ir sem reserva tranquilamente.

 

Existem outros campings, deem uma olhada nesse site - http://www.ibitipoca.tur.br/.

 

O único além do Ibitilua que obtive informações estava cobrando R$60,00 a diária no feriado, então nem vou recomendar...rs

 

Se precisarem de mais alguma informação, estou à disposição!

 

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Patrícia,

 

muito bom seu relato, quero ir na Páscoa desse ano para Ibitipoca. Quero ir de carro, mas bolei quando você falou da subida íngreme rsrs, o meu carro também é 1.0, qual o carro do seu marido? É muito trampo mesmo subir de carro 1.0? No caso vocês só usaram o carro para chegar até Ibitipoca, mas lá mesmo vocês se locomoviam via canela, ou transfer até a trilha certo? O carro na cidade não teria muito uso?

 

Beijos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...