Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

15 Dias - Santiago, Pucón, Puerto Varas e Torres Del Paine


Posts Recomendados

  • Membros

Dia 1 (12/04) – Chegada em Santiago

Transfer do Aeroporto ao Apartamento

 

Existem diversas formas para sair do Aeroporto e ir para o Hotel: Taxi, Transfer ou Transporte Público.

Escolhemos o Transporte Publico que consiste em ser 1/10 do valor de um Taxi ou Transfer

Ao desembarcar, vá para a ultima saída a direita. Ao sair do saguão, no ""canteiro""central ficam os ônibus da TurBus ou da Centropuerto.

Pegamos o Centropuerto e pagamos 1.500 pesos cada um. Descemos na Estação Universidade de Santiago (onde fica o terminal de Ônibus interurbanos também). Detalhe que a parada não é dentro da estação, então é preciso procurar a entrada da estação e descer um lance de escadas. Optamos por isso porque precisávamos comprar a passagem para Pucon nesse terminal, e porque não queríamos gastar uma fortuna de taxi logo de cara, sendo que o Apartamento era 2 quadras do Metro.

Estando com bastante mala, é bom ser um dos primeiros a entrar no Bus para conseguir colocar a mala na parte reservada pra ela, caso contrario, poderá pedir pro motorista abrir a porta do fundo na hora de descer e ir com a mala até lá. Assim é bom porque ele também tenta te avisar quando é o ponto.

 

Mais detalhes e dicas nesse site:

http://umaesquina.com/2014/07/chile-como-ir-do-aeroporto-ao-centro-de-santiago-2

 

17649201033_51c8126b14_c.jpgSantiago by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 2 (13/04) –Santiago

Vinicola Casas del Bosque (Valle Casablanca)

 

Antes de visitar uma vinicola na segunda-feira, consultem antes se ela abre!

Mudamos o roteiro porque a vinicola que fomos na terça não abria segunda.

 

Motivo da escolha:

Decidimos ir na Casas Del Bosque no Valle Casablanca (sentido Viña del Mar) porque pelas dicas ela era uma tipica vinicola ""pequena"" sem ares comerciais como a Concha y Toro, e porque tem um restaurante top chamado Tanino!

Além disso era possivel ir por conta. Foi sensacional!

 

Translado:

Pegamos um onibus no terminal san borja. Para chegar, deve descer na estação central (linha vermelha do metro) sair da estação e entrar no centro comercial logo a esquerda. Ir até o fundo do centrinho. Ao chegar, procure um guiche da pullman e pergunte pelo onibus até Casablanca. Vão te direcionar pro guiche correto mas voce provavelmente vai ate a plataforma pagar direto pro motorista.

O trajeto que pegamos parava em uma cidade antes e parava em todos os pontos do vilarejo. Tenha paciencia.

Em casablanca descemos na praça e ja pegamos um taxi ate a vinicola. Ela eh praticamente a primeira da rota das vinicolas a partir do centro da cidade.

 

Cuidado com os horários tanto pra ir qto voltar pois existe alguns espaços grandes de 1 a 2 hrs entre eles. Demos sorte de chegar bem em cima.

 

Valor: 2.300 mil pesos cada + 2.000 pesos do taxi

Tempo: 1 hr aproximadamente + 5 minutos de taxi

 

Passeio Principal:

Fizemos o tour premium com 5 degustações e foi muito bom. Pegamos um grupo de brasileiros e o funcionario falou um portunhol muito bom... bem esforçado! Valeu a simpatia!

O melhor fica para a sala reservada, com uma mesa bacana e todo um clima aconchegante para a degustação.

Valor: 9.500 mil pesos cada

 

Depois finalmente o almoço, a brincadeira com um cachorro local e a soneca na área de descanso.

Almoço no Tanino: Uma entrada (empanadas que ja servia de almoço de tão recheada), um prato cada um (laura foi de massa -nhoque- e eu de carne -file mignon) mais um vinho branco geladinho e uma garrafa de agua.

Valor: 44.300 mil pesos (2 pessoas)

Carinho mas valeu cada centavo pelo visual, pelo sabor e pelo atendimento.

 

Atenção: Chegamos em cima da hr do tour e reservamos o almoço antes de começar. Quando chegar, já procure alguém do restaurante para garantir o almoço!

 

Dormimos uma hr mais ou menos nas espreguiçadeiras e na hr de ir embora encontramos um casal de brasileiros que estavam de carro, e alem de nos levar a Santiago, subiram no mirador da vinicola conosco e aproveitamos bem o visual. Só dá pra chegar de carro ou sabado no tour das 4 da tarde.

 

Existem outras opçoes de vinicolas, como a Indomita que ouvi falar muito bem e a vi na estrada toda imponente no alto de uma mini montanha, mas vai de cada um!

 

Chegamos do passeio e capotamos!

 

Gastos Principais:

Passeio e Almoço: 70 mil pesos (2 pessoas)

 

18266003052_3218e78c48_c.jpgSantiago - Vinícola Casas Del Bosque by douglinhas87, on Flickr

 

18268974362_4352ef5e9b_c.jpgSantiago - Vinícola Casas Del Bosque by douglinhas87, on Flickr

 

17652231063_d7d6d408c1_c.jpgSantiago - Vinícola Casas Del Bosque by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 3 (14/04) –Santiago

Vinicola Santa Rita (Bike and Wine Tour)

 

Motivo da escolha:

Queríamos visitar uma vinícola de forma diferente, explorar os campos de uvas e que fosse mais agitado que ir apenas caminhando. Assim, a alternativa foi buscar o passeio de bike.

Enviei um email para a vinícola querendo fugir da empresa de turismo, entretanto a própria Turistik que me respondeu informando que eles operam. Fechei o passeio com antecedência, paguei pela internet e no dia fomos até o ponto de encontro selecionado.

Quanto chegamos lá na vinicola, vimos um caixa para comprar as degustações e o passeio de bike lá na hora, mas não vi o preço para saber se é mais barato e tranquilo do que com a agência. Caso escolha alugar um carro e passar pela vinícola, talvez consiga fazer esse passeio.

Resultado: Passeio turistão e caro. Nem chegamos e já rolava aquela pressão pelo horário de volta. Esse foi o lado chato, mas o desenrolar do passeio valeu a pena.

 

Passeio Principal:

O passeio consiste em andar cerca de 10km pelo vinhedo, e o visual na parte que se vê o vale faz valer a pena. Constantemente ficava para trás por causa das fotos (risos). No começo da viagem a corrente da Laura soltou e na expectativa de arrumar rápido, nem pedimos pra esperar. Adivinha? Não conseguimos, o guia sumiu e a Laura voltou pra trocar a bike. O mais engraçado foi ver a sequencia nas fotos da GoPro que ficou registrando a cada 5 segundos. O guia ficou meio nervoso.

Continuando, o programa segue seu roteiro: Explicação da plantação e colheita, depois tem a ida até onde produzem os vinhos (barricas) e voltamos. Parece que rola uma degustação no meio, mas nesse dia houve um problema logístico (perguntei para o guia porque estava na expectativa e ele enrolou na resposta). Já perguntem antes pra que dê tempo de organizarem.

Ao chegar, vamos para uma “varanda” degustar os vinhos, e é aquele processo de explicar e etc.

O destaque ficou para 3 brasileiros que estavam juntos. Um deles estava de ressaca e segurava a taça que nem copo de cerveja. Ele pulava a etapa de sentir o cheiro do vinho. Resultado: No final da degustação, o guia vacilou, os caras pegaram o vinho Gran Reserva (o mais top que foi servido) e saíram enchendo o copo da turma (mais eu e a Laura do que os outros). A degustação virou consumo normal e fomos para a Van daquele jeito. Chegando na Van, eis que os brazucas chegaram com outro vinho dentro de uma sacola. Eu abri batatinha pra turma e virou festa na Van, mas tudo escondido pra Guia não ver. Bom, essa aventura teve vários detalhes engraçados, mas deixa pra lá porque são coisas que não estão no planejamento de ninguém!

Atenção: A vinícola não abre segunda-feira.

 

Gastos Principais:

Passeio: 130 dólares para 2 pessoas (R$ 416 reais ou cerca de 80 mil pesos chilenos-> caro...rs)

 

17647844814_2940191a69_c.jpgSantiago - Vinícola Santa Rita by douglinhas87, on Flickr

 

18269750245_fdf0752a95_c.jpgSantiago - Vinícola Santa Rita by douglinhas87, on Flickr

 

18081943430_6dfb00a927_c.jpgSantiago - Vinícola Santa Rita by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 4 (15/04) –Santiago

Dia Livre e ida a Pucon a noite

 

Compramos passagem assim que chegamos em Santiago para ir a Pucon em um ônibus noturno.

Ao comprar, podíamos escolher entre semi-leito, leito, e cama Premium. Escolhemos a cama com medo de dormir mal, mas um casal que conhecemos quando chegamos disse que foi muito tranquilo e bem mais barato. Talvez compense pegar um leito ou semi-leito. A viagem foi bem tranquila. Perdemos a paisagem mas ganhamos em aproveitar melhor o dia.

 

Dia 5 (16/04) – Pucon

Livre - Almoço El Fogon, Café Cassis e Por do Sol

 

O objetivo inicial era fazer o Parque Huerquegue, com o Ojos de Cabulga e tudo mais nesse dia, para no dia seguinte subir o Villarica e finalizar a passagem por Pucon com a ida em alguma Therma.

Sinal amarelo para o Vulcão Villarica e tempo fechado no primeiro dia mudaram todos os planos.

 

Tiramos o dia para andar pela cidade, que é pequena. Almoçamos no El Fogon (comemos uma carne muito boa, optando pelo Menu do Dia ainda), depois no fim da tarde fomos no Café Cassis (fotos) e pegamos um por do sol inesperado na “prainha” (fotos), devido ao tempo fechado. O Café Cassis é muito gostoso e tivemos enorme surpresa em encontrá-lo no nosso destino seguinte, em Puerto Varas. Os doces são incríveis, o chocolate quente então... vale muito a visita, principalmente pelo ambiente!

 

Gastos principais: 27.200 pesos chilenos (2 pessoas)

Almoço: 18.700 pesos chilenos (mais caro por ser carne, mas tem menu do dia por 5 mil pesos p/ pessoa)

Café Cassis: 8.500 pesos chilenos

 

18085330468_4513b76d12_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

18085385058_e32cd6d437_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

18082703948_1caa273081_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

18082618218_85516abd44_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 6 (17/04) – Pucon

Ojos de Cabulga e Parque Huerquegue - Treeking Lagos

 

Translado:

Optamos por alugar um carro já que tínhamos dois colegas brasileiros de companhia e assim ficaria mais barato. Caso contrário, teríamos que usar transporte publico, que por sinal daria tranquilamente. Entretanto para ir ao parque, o ônibus sai cedo e por isso precisa se programar um dia antes.

O carro com gasolina saiu por 16 mil pesos chilenos (eu e Laura) e daria pra ser mais barato se conseguíssemos um UNO, mas já estava alugado. Alugamos em uma locadora local, totalmente caseira e por indicação do Rodrigo, dono do Hostel.

 

Passeio Principal:

O tempo abriu e o caminho até o Parque já estava bem bonito. Paramos no Ojos de Cabulga e tiramos umas fotos, mas na prática não tem nada de mais. É um lago e algumas quedas com cores impressionantes, mas não espere algo grandioso. Cobra-se 1 ou 2 mil pesos para entrar.

Continuamos até o parque e chegamos 13:00. Corremos para começar o treeking dos Lagos (mais curto). Foi um treeking cansativo e isso porque era o mais rápido. Apenas 5 horas e meia de treeking (risos) e nem fizemos inteiro.

Valeu para tirar fotos do Vulcão do Mirador.

DICA: ir até os miradores vale muito a pena, mas os 2 lagos depois do mirador demoram pra chegar e não compensa tanto assim. Talvez se seguir mais pra frente, mas foi muito esforço para pouco visual.

 

Gastos Principais: 27 mil pesos chilenos (2 pessoas)

Parques: 11 mil pesos chilenos (2 pessoas)

Carro: 16 mil pesos chilenos (2 pessoas)

 

18265826022_77f5618a9f_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

18083358189_1098f87c05_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

18265714182_fea61a7ea1_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 7 (18/04) – Pucon

Livre sem Destaques - Descanso

 

18266507542_9bd1d124c8_c.jpgPucón by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 8 (19/04) – Puerto Varas

Livre sem Destaques

 

Comemos um Salmão muito bom no restaurante Fogon, sendo atendido por um chileno que foi criado no Brasil e tinha um sotaque paulistano puxado. Muito engraçado.

No fim da tarde, fomos no Café Cassis e comemos um cheesecake sensacional de Framboesa (foto).

 

Gastos Principais: 23 mil pesos chilenos (2 pessoas) – Almoço e Café Cassis

 

Dia 9 (20/04) – Puerto Varas

Volta ao Lago Llanquihue de Carro (Lago Todos os Santos, Saltos del Petrohue, Laguna Verde, Cidade Frutillar)

 

Alugamos um carro para dar a volta ao lago llanquihue e passar por Frutillar.

Fomos até o Lago Todos os Santos (depois dos Saltos Del Petrohue) que tem uma cor muito bonita. Não fizemos o passeio de barco que os locais te abordam oferecendo, mas andamos pela areia e tiramos algumas fotos. Talvez valha a pena fazer o passeio de barco e ter outra perspectiva, com o Osorno no fundo. Não pagamos nada para chegar no lago.

Comemos no barzinho que tinha lá, e voltamos em direção ao Saltos Del Petrohue.

Entramos no Parque e exploramos os visuais. Até que achei bem estruturado, com indicações, proteções, banheiro, placas. Pagamos 3 mil pesos no total para entrar.

É um visual bem bonito, com a mistura das cores verdes entre água e arvores.

Depois disso, seguimos em direção a dar a volta no lago, e paramos na Laguna Verde. Uma Lagoa bem verde, nada mais. Não paga para entrar e valeu por ter cruzado com uma raposinha (foto).

Depois disso, só fomos parar em Frutillar, onde almoçamos e demos uma volta na avenida.

Detalhes de Frutillar: Existe a Frutillar alta e a baixa. O lado turístico e bonito é na baixa, na avenida do lago. Nesse dia, o tempo estava encoberto e frio. Não deu pra ver o Vulcão direito e decidimos ficar com o carro mais um dia para voltar no dia seguinte e subir o Vulcão Osorno.

 

DESTAQUE: Fazendo o sentido anti-horário, saímos de Puerto Varas e chegamos rapidamente aos lugares citados acima. Após chegar na base do Vulcão Osorno, um pouco depois dos Saltos, o visual da estrada fica sem graça. Recomendo ir até a base do Vulcão e voltar sentido Puerto Varas mesmo e seguir até Frutillar. Infelizmente essa parte da estrada ficou toda estragada dois dias depois, após o Vulcão Cabulco entrar em erupção. Espero que volte a ficar verde e bonita.

 

Atenção ao alugar carro:

Estacionamento  Verifique o local para estacionar porque paga até para parar na rua, inclusive de noite e madrugada, mas existe algumas ruas fora da região que tem semáforo que não paga depois das 8.

Pedágios: No Chile, paga-se para entrar na cidade e não nos trechos. Assim, saímos de Puerto Varas e esquecemos a câmera. Voltamos e tivemos que pagar para entrar na cidade.

Placa de Pare: Diferente do Brasil que a placa PARE significa vá com cuidado e dê a preferência, lá no Chile a placa PARE é PARE. Você precisa parar o carro, colocar primeira e sair, mesmo que não tenha ninguém vindo.

Como descobri? Dei carona para um funcionário da locadora que estava me ajudando e ele disse que eu poderia facilmente tomar multa, embora não sei como seria uma multa fora do país. Talvez tivesse que pagar para a empresa que aluguei o carro.

 

Gastos Principais: 35 mil pesos chilenos

Aluguel do Carro (1 dia): 25 mil pesos chilenos

Gasolina: 10 mil pesos chilenos

 

18270272095_b063068d4c_c.jpgRaposa by douglinhas87, on Flickr

 

18272856961_4ce67525a3_c.jpgSaltos do Petrohue by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 10 (21/04) – Puerto Varas

Ida a Frutillar de manhã e Subida ao Vulcão Osorno a tarde

 

Acordamos cedo e fomos para Frutillar aproveitar o sol da manhã, já que no dia anterior não demos a mesma sorte.

Tiramos excelentes fotos próximo a um deck no lago, fomos até o Teatro para tomar um café e voltamos para Puerto Varas para pegar um casal com o filhinho que conhecemos no Hostel. Detalhe: Esse casal está viajando de Trailer, com um planejamento de subir a America do sul, passar pela Central e ir até os EUA. Não só por isso, mas conhecê-los foi uma lição de como fugir da onda capitalista de acumular e acumular riquezas. Como o Marcão disse sobre os gastos: “O importante é empatar”. E esse é o único empate que se ganha mais: mais experiência, mais tempo com a familia, mais diversão, mais economia domestica como lição, mais desafios, enfim. Quem sabe um dia eu possa fazer algo parecido !

 

Voltando a realidade, não menos divertida, precisei correr até a locadora de carro para informar que ficaria mais um dia com o carro. No caminho, tirei uma foto correndo da rua da cidade com o lago e o Vulcão Osorno no fundo e me arrependo por não ter parado para apreciar mais a vista.

 

Pegamos o carro e fomos em direção ao Vulcão e o tempo estava incrivelmente aberto. Mal sabíamos que no dia seguinte aquele caminho estaria sobre cinzas do vulcão Cabulco.

 

Com o carro é possível chegar até a primeira base do Vulcão, onde a partir daí deverá ir de Teleférico até mais pra cima. Embora não seja o topo, que só chega de treeking, já dá pra ter uma vista muito bonita dos Alpes, do Lago e do Vulcão Cabulco.

 

Gastos Principais: 60 mil pesos chilenos

Aluguel do Carro (1 dia): 25 mil pesos chilenos

Gasolina: 7 mil pesos chilenos

Custo do Teleférico: 14.000 mil pesos por pessoa (28 mil para os dois)

 

18271529521_8261ec1471_c.jpgFrutillar by douglinhas87, on Flickr

 

17648588784_502d3d2ae3_c.jpgFrutillar by douglinhas87, on Flickr

 

18267356462_220d226c0b_c.jpgFrutillar by douglinhas87, on Flickr

 

17649458213_108dfd56ef_c.jpgFrutillar by douglinhas87, on Flickr

 

18272434651_7edc7789a7_c.jpgPuerto Varas by douglinhas87, on Flickr

 

18271016265_323a51b7da_c.jpgPuerto Varas by douglinhas87, on Flickr

 

18270973055_877611134a_c.jpgPuerto Varas by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 11 (22/04) – Puerto Natales

Translado

 

Decidimos ficar em Puerto Natales por ser mais perto do Parque Nacional Torres Del Paine.

 

Viagem de Puerto Varas até Puerto Montt (1 hr e pouco) para ir de avião até Punta Arenas. Chegamos em Punta Arenas e pegamos um Transfer até o centro da cidade. Pedimos para o motorista nos deixar no terminal de ônibus que poderíamos ir até Puerto Natales. Compramos a passagem de ida e de volta, baseado no nosso voo de Punta Arena para Santiago 3 dias depois, e fomos almoçar porque demoraria 1 hr mais ou menos.

 

O engraçado é que nessas duas cidades as pessoas não usam guarda-chuva e percebemos isso devido ao forte vento que existe nesse fim de mundo.

 

Chegamos em Puerto Natales e fomos super bem recebidos pelo funcionário do Hostel Santa Cecília. Infelizmente não conseguimos cancelar uma diária, já que decidimos de ultima hora dormir uma noite no Parque Torres Del Paine, mas foi compreensivo já que estava na regra. Saimos para jantar e voltamos para domir já que fazia frio e ventava muito, além de não ter nada pra fazer na cidade, logicamente.

 

E esse foi nosso dia de translado ao fim do mundo. Um dia marcado por viagens e estradas desertas. Chegar no fim do mundo é um tanto quanto demorado e com uma dose considerável de ócio. Esse é um ótimo momento para reflexão!

 

Gastos Principais: 29.300 mil pesos chilenos

Translado Aeroporto-Cidade Punta Arenas: 6.000 pesos chilenos (2 pessoas)

Passagem para Puerto Natales: 22.000 pesos chilenos (2 pessoas) - ida e volta

Taxi para o Hostel: 1.300 pesos

 

Passagem de Puerto Montt até Punta Arenas: R$ 500,00  Acredito que peguei promoção, porque pesquisei depois e estava tudo mais caro.

 

Dia 12 (23/04) – Puerto Natales

Livre - Buscando Aluguel de Carro para ir ao Parque no dia seguinte

 

Alugar carro lá não é fácil, já que muitos procuram para ir no Parque e normalmente possuem mais 4x4 do que um carro simples. Demos sorte de conseguir um carro novinho por um preço bom e que poderíamos pegar a noite e entregar dois dias depois na hora almoço pagando apenas 1 diária. Não sei como consegui isso. Detalhe que o preço bom foi 45 mil pesos, ou seja, caro, mas foi o mais barato possível. Alugamos o carro na agencia Punta Alta.

Nesse dia ficamos descansando.

 

Dia 13 (24/04) – Puerto Natales

Parque Nacional Torres del Paine

 

Saimos cedo de Puerto Natales em direção ao Parque e o caminho tradicionalmente mais rápido estava fechado devido as chuvas e a queda de barrancos na entrada “superior” do Parque. Assim, fomos pela Ruta Del Fin Del Mundo. A estrada começa bem mas depois vira rípio e é preciso ter cuidado com pedras e muitos buracos. Ao chegarmos no Parque, pagamos 18 mil pesos cada um. Vale ressaltar que se for em baixa estação, não há nada lá dentro para se abastecer de comida. Os cafés que passamos estavam fechados. Tentamos ir até o Glaciar Grey mas começou a chover e desistimos. Fomos até a Hosteria Petrohue, que conseguimos uma promoção no Booking e decidimos ficar uma noite lá, com o objetivo de curtir o dia tranquilo e acordar dentro do parque. Tínhamos apenas 1 dia e uma parte da manhã.

No final das contas, saiu muito caro e custou muito tempo esse passeio até o fim do mundo para ficar apenas 1 dia no parque, mas valeu a pena. O fato é: Coloque no roteiro Torres Del Paine quando tiver mais tempo e de repente puder fazer o lado Argentino também.

A hosteria é bem charmosa. Fizeram um lanche pra gente porque a garçonete foi muito atenciosa, pois quando chegamos a tarde com fome não tinha bar/restaurante para nos atender e teríamos que esperar o jantar que além de caro, são 2 opções sem possibilidade de outra escolha.

Esse é um passeio para aventureiros ou ricos ou quem tem bastante tempo. Nós não somos ricos nem tão aventureiros e estávamos sem tempo. Aproveitamos o que deu pra aproveitar.

Dentro das nossas opções, pegamos o carro e fomos explorar o parque para ir até alguns mirantes. Encontramos 2 argentinos e atravessamos o parque para dar carona. Eles fizeram o W (4 dias caminhando) e não viram nenhum puma. Na volta da carona nos deparamos com 3, não 1, mas 3 e parecia ser família ainda. Tirei várias fotos e é impressionante como eles se camuflam na vegetação.

O Parque é muito bonito, com uma vista diferente e recomendo muito, mas as dicas para não tornar essa viagem uma cilada eu já relatei. Se eu fizesse bate-volta por exemplo acredito que seria extremamente cansativo. Como não explorei tanto quanto queria, meu relato fica limitado, mas acredito que valha muito a pena fazer o treeking W, pelo menos, e se aventurar entre os lagos, pedras e gelo.

 

Gastos Principais: 187.550 mil pesos

Entrada Parque: 36.000 pesos (2 pessoas)

Estadia Hosteria Petrohue: 60.500 pesos (1 diária) -> 110 Dólares

Alimentação no Hostel: 28.050 pesos  51 dólares

Aluguel do Carro + Gasolina: 63.000 pesos

 

18271204311_1b21ce1877_c.jpgParque Torres Del Paine by douglinhas87, on Flickr

 

18083668669_2c9a23d3b9_c.jpgParque Torres Del Paine by douglinhas87, on Flickr

 

18082539218_8d99cdf9fb_c.jpgParque Torres Del Paine by douglinhas87, on Flickr

 

17650218703_400a902981_c.jpgParque Torres Del Paine by douglinhas87, on Flickr

[flickr] Parque Torres Del Paine[/flickr]

 

18271197571_4c3f485849_c.jpgParque Torres Del Paine by douglinhas87, on Flickr

 

18266109972_5a0a12aa02_c.jpgParque Torres Del Paine by douglinhas87, on Flickr

 

Dia 14 (25/04) – Puerto Natales

Translado de volta a Santiago

 

Passamos o dia viajando. Saímos do Parque de manhã, fomos até Puerto Natales, depois pra Punta Arenas e voamos para Santiago. Chegamos lá pelas 22:00 e fomos pro apartamento.

Cuidado: Se alugar o apartamento, veja o endereço certinho. No booking tem alguns que você aluga em uma central e depois eles te passam por email o endereço. Eu acabei errando o local, era tarde e ao pegar um taxi, o filho da mãe cobrou uma fortuna (sim, com taxímetro alterado). Errei porque o email de confirmação veio em espanhol e em inglês, e o endereço correto só estava no final do email, na parte em inglês. Acabei indo no endereço da central.

 

Dia 15 (26/04) – Santiago

Compra de Vinhos

 

Tiramos o dia para comprar vinhos. A maior parte compramos no supermercado Unimark e tinha vários bons no Jumbo também, mas já tinha gastado a cota. Nas lojas especializadas vale a pena comprar uns mais sofisticados e diferentes, mas percebi que no supermercado você encontra uns diferentes e é mais barato que essas lojas (CAV, Mundo Del Vino).

 

Melhor do que explicar muito, segue a lista que aqui no post fica meio ruim de ler, mas o que vale é a intenção:

 

Qtd Nome Marca Vinicola Uva Tipo Região Ano Preço Chile Em Reais (/170) Local de Compra

1 Santa Carolina Santa Carolina Santa Carolina Carbenet Sauvignon Reserva de Familia Valle del Maipo 2012 8.990 R$ 52,88 Jumbo

1 Clos Andino Les Terrois Altos Vinos Carmenere N/D Peumo 2012 8.900 R$ 52,35 Série Limitada: 6.586 garrafas CAV

1 Casa Real Casa Real Santa Rita Carmenere N/D Valle de Conchagua 2011 7.990 R$ 47,00 CAV

1 Casa Real Casa Real Santa Rita Carbenet Sauvignon N/D Valle de Conchagua 2010 7.990 R$ 47,00 CAV

3 Casa N/D Lapostolle Carbenet Sauvignon N/D Rapel Valley 2012 7.190 R$ 42,29 Unimark

2 Queulat Ventisquero Trinidad Carbenet Sauvignon Gran Reserva Valle del Maipo 2012 6.890 R$ 40,53 Unimark

1 Bicentenario N/D Casa Donoso Carmenere Gran Reserva Valle del Maule 2013 5.269 R$ 30,99 Jumbo

2 Chungará N/D Casa Donoso Carmenere Gran Reserva Valle del Maule 2012 4.990 R$ 29,35 Unimark

1 Secret Reserve N/D Santa Rita Red Blend N/D Valle del Maipo 2013 4.990 R$ 29,35 Unimark

1 Estrella de Oro Estrella de Oro Santa Carolina Carbenet Sauvignon Reserva Valle de Conchagua 2012 3.890 R$ 22,88 Unimark

1 Estrella de Oro Estrella de Oro Santa Carolina Carmenere Reserva Valle de Conchagua 2013 3.890 R$ 22,88 Unimark

2 120 120 Santa Rita Carbenet Sauvignon Reserva Especial Valle del Maipo 2013 3.390 R$ 19,94 Unimark

1 Emiliana N/D Emiliana Carbenet Sauvignon Reserva Valle Central 2013 3.190 R$ 18,76 Unimark

 

O desafio foi colocar na mala. A conta de peso já tinha sido feita antes, mas o desafio era colocar e não quebrar.

Peguei 2 jornais no Starbucks (free...rs), enrolei um a um com 2 folhas, coloquei duas meias em cada, enrolei em sacolas plásticas e na hora de colocar na mala eu os deixei bem colado um no outro. Forrei o fundo da mala e fui colocando roupa em cima, deixando as blusas mais grossas por cima de tudo. Testei a mala jogando pra cima, rolando, etc e nenhum vinho saiu do lugar. Teste feito e aprovado, partiu Brasil !!!

 

Resumindo, viagem que é a minha cara, pois tem de tudo um pouco: Aventura, diversão, cidade, natureza, cidades diferentes e tudo que possa resultar em vontade de viajar mais.

 

Embora tenha sido mais um relato do que dicas, qualquer duvida que eu puder ajudar, estou a disposição.

 

Abs

 

Douglas Santos

Link para o post
  • 1 mês depois...

  • 1 mês depois...
  • Membros

Olá, realmente seu itinerário me ajudou bastante.

 

Estou indo com minha namorada agora dia 12/09 indo pro Chile fazer uma viajem similar a sua.

 

Chego em Santiago dia 13/09 meio dia e no mesmo dia já sigo anoite para Puerto Varas, ficando do dia 14 até o dia 19. O que eu gostaria mesmo seria subir o Villarica mas é algo que a natureza falou mais forte. Então vamos ter que nos contentar com o Osorno hehe.

 

Depois de Puerto Varas seguimos no dia 19 anoite para Santiago novamente onde dali já pegamos o ônibus e seguimos para Valparaíso e Viña Del Mar, onde ficamos um dia somente.

 

Voltamos a Santiago e ficamos do dia 20 até o dia 27 quando voltaremos para Vitória.

 

Você por acaso chegou a ir nos Outlets que existem por Santiago? Eles realmente valem a pena?

 

Um forte abraço.

 

Ps: quem estiver indo na mesmo época e quiser entrar em contato fique avontade.

27-999719255

Bruno

Link para o post
  • 7 meses depois...
  • 1 mês depois...
  • Colaboradores

Parabéns pelo relato

As fotos estão lindas..

Vou viajar em Outubro para o Chile e um dos destinos será Pucon....acho aquela cidadezinha maravilhosa e meu sonho conhecer...

Viu vc lembra quanto pagou no bus de Santiago para Pucon??

Obrigada abraços

Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por ms.priscila
      ROTEIRO CHILE (11 DIAS)
      INFORMAÇÕES GERAIS

      Visto: dispensa de visto por até 90 dias
      Passaporte:  deve ser válido no momento de entrada; permitida entrada com RG
      Vacinas: não há exigências
      Quando ir: funciona bem para visitar todo o ano, se a sua preferência for neve (jun-set), calor (dez-mar) ou temperaturas mais amenas (mar-jun e set-dez)
      Capital: Santiago
      Moeda: PESO CHILENO ou CLP ($)
      Idioma oficial: castelhano
      Cod. telefone: +56
      Padrão bivolt: 220V
      Tomadas: C, L


      Chile é um país que encanta e o que mais me chamou a atenção foi a poesia de Pablo Neruda, inscrita na história do país. Por isso, não deixe de conhecer todas as casas localizadas em Santiago, Valparaíso e Isla Negra.
       
      ROTEIRO DIA A DIA

      DIA 01
      Chegada e descanso

      Dia 02
      Passeio pago – Cajon del Maipo

      Dia 03
      Palacio de La Moneda, Plaza das Armas, Catedral Metropolitana de Santiago, o Museu Histórico Nacional, Museu de Arte Precolombino, o Edifício dos Correios, Paseo Ahumada

      Dia 04
      Cerro San Cristóbal (ou Parque Metropolitano de Santiago), Casa Museo La Chascona (a primeira casa de Pablo Neruda), mercado central (Don Augusto), Museo de Bellas Artes, Sky Costanera (por do sol)

      Dia 05
      Cerro Santa Lucia, Centro Cultural Gabriela Mistral, Templo Bahai de Sudamerica

      Dia 06
      Vinicola De Concha y Toro

      Dia 07
      Aluguel de carro e Isla Negra; a noite chegada em Val Paraiso

      Dia 08
      Tour gratuito por Val Paraiso, Casa La Sebastiana, Museu Naval e Maritimo e fim de tarde no Muelle Baron

      Dia 09
      Tour por Viña del Mar

      Dia 10
      Dia livre

      Dia 11
      Retorno ao Brasil
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       

      SANTIAGO
      Cerro San Cristóbal (ou Parque Metropolitano de Santiago)
      Endereço: Calle Pio Nono, 450, Bellavista
      Horário: seg, das 13-20h; ter a dom (e feriados), das 10-20h
      Preço: consulte o valor no site

      Casa Museo La Chascona (a primeira casa de Pablo Neruda)
      Endereço: Fernando Márquez de la Plata 192, Bellavista
      Horário: ter-dom, das 10-19h
      Entrada: $7000/R$50 para visitas guiadas em espanhol 
      Como chegar: metrô Baquedano, Parada Turistik
       
      Casa Museo La Chascona

      Mercado Central
      Endereço: San Pablo, 967, Centro
      Horário: Diariamente, das 8 às 19h
      Metrô: Puente Cal y Canto, linha 2-amarela. Parada Turistik
       
      Restaurante Donde Augusto (um dos mais recomendados)

      Plaza de Armas
      Endereço: entre as Ruas Catedral e Compañia de Jesus

      Catedral Metropolitana
      Endereço: Plaza de Armas de 9-19hs
      Entrada gratuita

      Museu Histórico Nacional
      Endereço: Plaza de Armas, 951, Região Metropolitana
      Horário: ter-dom das 10-17h30h
      Entrada gratuita

      Museu de Arte Precolombino
      Endereço: Bandera 361, Região Metropolitana
      Horário: ter-dom, das 10-18h
      Preço: consulte o valor no site

      Palacio de La Moneda
      Endereço: Moneda S/N, Región Metropolitana
      Horário: visitas guiadas de seg-sex às 9:30h, 11h, 15h e 16:30h (necessário agendamento)
      Obs.: às 10h há troca de guardas.
      Entrada gratuita

      Museo de Bellas Artes
      Endereço: Paque Forestal S/N, Santiago, Región Metropolitana
      Horário: ter-dom de 10-18:45h
      Entrada gratuita

      Cerro Santa Lucia
      Endereço: Avenida Bernardo O’Higgins 499, Barrio Lastarria
      Horário: Diariamente, das 9-19h
      Entrada gratuita

      Centro Cultural Gabriela Mistral
      Endereço: Av Libertador Bernardo O’Higgins 227, Barrio Lastarria
      Salas de exposição abertas de ter-sab das 10-20h; dom das 11-20h; visitas guiadas com agendamento prévio
      Entrada gratuita

      Calle Lastarria – de qui-sab há uma feirinha de antiguidades das 10-20h; escolha um restaurante para jantar em alguma noite da sua estada

      Templo Bahai de Sudamerica
      Endereço: Diagonal Las Torres, 2000, Peñalolen
      Horário: ter-sex de 17-21h; sab-dom de 9-19h; não abre às segundas
      Entrada gratuita

      Vinícola Concha Y toro
      Endereço: Avenida Virginia Subercaseaux, 210, Pirque
      Entrada: $18000/R$128 a $22000/R$156; é necessário fazer a reserva da visita no site
      Horário: Diariamente (exceto feriados), das 10-17h
      Transporte: por conta própria, vá de metrô (linha 4-azul) até a estação Las Mercedes; lá tome o ônibus MB 72 ou um táxi (10 minutos). De transporte público, 1h30min desde o centro
       
      Vinícola Concha y Toro

      ISLA NEGRA
      Depois de alugarmos o carro para seguir para Valparaíso e Viña del Mar, optamos por parar em Isla negra, onde está localizada a casa de praia de Pablo Neruda, assim chamada por conta de suas rochas escuras. Sem dúvida alguma, foi um dos pontos altos da viagem. A poesia está impressa em cada manifestação da vida dessa poeta e as casas exalam esse atmosfera. Isla Negra, sem sombra de dúvida, é a mais bonita de todas.
      As estradas são boas, mas a sinalização não o é. Isla Negra está localizada na comuna de El Quisco, a cerca de 114km de Santiago pela rota 68 (1h33 de carro).

      Casa Museo Isla Negra
      Horário: ter-dom de 10-18h
      Preço: $7000/R$50
       

      VALPARAÍSO
      A distância entre Valparaíso e Viña Del Mar é cerca de 20 minutos de carro. Por isso, se você não deseja se deslocar entre as duas cidades, no que diz respeito à hospedagem, escolha Valparaíso (que é a primeira delas) como sua base.

      Free Tour Valparaiso
      Endereço: ponto de encontro Plaza Anibal Pinto
      Horário: seg-dom de 10-15h (inglês, espanhol e português)
      Obs.: Somente buscar aos guias com camisas vermelhas com as palavras FREE TOUR

      Ascensor Artilleria
      Endereço: Artillería 199

      Paseo 21 de Mayo

      Museo Naval y Maritimo
      Endereço: Paseo 21 de Mayo Nº 45 – Cerro Artillería – Playa Ancha
      Horário: ter-dom das 10-17:30h
      Preço: $3000/R$22
      Obs.: aqui se encontra a cápsula usada para resgatar os mineiros soterrados em 2010.
       
      Museo Naval y Maritimo

      Plaza Sotomayor
      Endereço: Prat, Valparaíso

      Museu La Sebastiana (casa de Pablo Neruda)
      Endereço: Ferrari, 692, Cerro Florida
      Horário: ter-dom das 10-18h 3 mil pesos (R$ 10,40)
      Preço: $7000/R$50

      Muelle Baron
      Endereço: Av. España

      VIÑA DEL MAR
      Relógio de Flores
      próximo à Playa Caleta Abarca, bem no final da Av. España
      Entrada gratuita
       
      Relógio de Flores

      Castelo Wullf
      Endereço: Av. Marina, 37, Vina Del Mar, aos pés do Cerro Castillo
      Horário: ter-dom das 10-13h30h e das 15-17h30h

      Playa Miramar
      Obs.: almoçar no Divino Pecado – San Martín 180, Viña del Mar

      Museo Fonck
      Endereço: 4 Norte, 784, Viña del Mar
      Horário: seg de 10-14h e 15-18h; ter-sab de 10-18h e nos dom de 10h-14h
      Preço: $3000/R$22

      Playa Renãca
      7 km ao norte de Viña

      Parque Quinta Vergara
      Endereço: Av. Errázuriz 596

      Casino Viña Del Mar (entrada R$ 15,20; 24hs)
      Av. San Martín, 199, Valparaíso

      Jardin Botanico
      Endereço: Caminho El Olivar s/n El salto
      Horário: seg-dom de 9-18:30h; visitas guiadas gratuitas sab-dom as 11:30 e 15h
      Preço: $2000/R$15
    • Por Gerhard Jahn
      Fala raça!
      Tô felizasso em poder compartilhar essa experiência com vocês. Fiz o mochilão na companhia do meu irmão Kevin Jahn e minha cunhada Carol Jahn em janeiro/fevereiro de 2020, dormindo em barraca, hostels, Airbnb e até no chão do aeroporto (pra dar aquela emoção a mais).
      Apesar de ter sido uma das melhores experiências que já vivi, foi bem difícil planejar essa viagem, então espero que essas poucas informações iluminem quem está cogitando conhecer essa região. De início vou focar apenas nas questões mais relevantes (roteiro, custos e o que levei na mochila), e aos poucos vou relatando os acontecimentos da viagem, principalmente o trekking em Torres del Paine e El Chaltén.

       
      ROTEIRO
      Dia 1: 23/01/20 - Floripa > Santiago > Punta Arenas
      Dia 2: 24/01/20 - Punta Arenas > Puerto Natales - Conhecemos o Estreito de Magalhães pela manhã e em seguida pegamos o ônibus para Puerto Natales. Final da tarde compramos as comidas para TdP
      Dia 3: 25/01/20 - Puerto Natales > Torres del Paine - Ataque ao Mirador Base de las Torres, acampamento no Camping Central
      Dia 4: 26/01/20 - Torres del Paine - Travessia até o Valle del Francés, acampamento no Camping Italiano
      Dia 5: 27/01/20 - Torres del Paine - Ataque ao Mirador Fracés e travessia até o Camping Paine Grande, onde acampamos
      Dia 6: 28/01/20 - Torres del Paine > Puerto Natales - Acabamos ficando de molho no Camping Paine Grande até a chegada do catamarã
      Dia 7: 29/01/20 - Puerto Natales > El Calafate - Ficamos mais de duas horas na aduana Chile/Argentina, foram mais de 8 horas de viagem ao total
      Dia 8: 30/01/20 - El Calafate - Dia de conhecer o Glaciar Perito Moreno, não fizemos o Mini Trekking mas foi ótimo pra tirar um dia pra descansar
      Dia 9: 31/01/20 - El Calafate > El Chaltén - Chegando em Chaltén já fomos direto para a Laguna Capri montar acampamento, final da tarde fizemos um ataque ao Fitz Roy
      Dia 10: 01/02/20 - El Chaltén - Descanso na cidade
      Dia 11: 02/02/20 - El Chaltén > El Calafate - Chorrillo del Salto pela manhã e viagem de volta a Calafate após o almoço
      Dia 12: 03/02/20 - El Calafate > Puerto Natales > Punta Arenas - Chá de ônibus nesse dia
      Dia 13: 04/02/20 - Punta Arenas > Santiago > Floripa

      TOTAL GASTO: R$ 4700,00 (joguei o valor um pouco pra cima porque posso ter esquecido de algo)
      Os valores estão por pessoa e na moeda utilizada no momento da compra.
      DESLOCAMENTOS: R$ 3.526,00.
      Passagem aérea ida/volta + seguro viagem + bagagem de mão + cargueira despachada + assento reservado + taxa de embarque: R$ 2760,00 pela LATAM, de Floripa à Punta Arenas com conexão em Santiago.* Ônibus Punta Arenas-Puerto Natales ida/volta: CLP $ 15.000,00 Ônibus Puerto Natales-Torres del Paine ida/volta: CLP $ 16.000,00. Transfer Guarita-Camping Central: CLP $ 3.000,00. Catamarã Camping Paine Grande-Guarita: CLP $ 23.000,00. Ônibus Puerto Natales-El Calafate ida/volta: CLP $ 34.000,00. Ônibus El Calafate-El Chaltén ida/volta: ARS $ 2400,00.  Van El Calafate-Perito Moreno ida/volta: ARS $ 1200,00. *Pelo meu monitoramento só o valor da passagem variou na época entre R$ 1900,00 a R$ 2400,00. Comprei com três meses de antecedência e confesso que há uma semana antes da viagem o preço ainda estava na mesma faixa.
      HOSPEDAGENS: R$ 506,00.
      Puerto Natales 
      Hostel Bella Vista: R$ 55,00 c/ café da manhã e aluguel de equipamentos de trekking, inclusive ganhamos de presente um gás da host Ni Torres del Paine (vou detalhar melhor no tópico exclusivo de TdP) Camping Central: USD $ 21,00. Camping Italiano: Free, grátis, na faixa. ~não recomendo Camping Paine Grande: USD $ 11,00. El Calafate
      Airbnb Groovy Dooby Doo: R$ 59,00. ~não recomendo El Chaltén
      Camping Laguna Capri: Free, grátis, na faixa. Hostel Rancho Apart: ARS $ 1250,00, quarto compartilhado. *valores por noite
      **foram 10 noites, na primeira passamos no avião e na última no chão do aeropoto.
      ENTRADAS: R$ 200,00.
      Entrada do parque Torres del Paine: CLP $ 25.000,00. Entrada do parque Los Glaciares - Perito Moreno: ARS $ 800,00. ALIMENTAÇÃO: R$ 350,00.
      Restaurante no Chile: em torno de CLP $ 3.500,00. Restaurante na Argentina: em torno de ARS $ 600,00. Mercado para Torres del Paine: CLP $ 6.600,00. Mercado para Fitz Roy: ARS $: 660,00. Compras nos aeroportos, rodoviárias, snacks, frutas e etc. COTAÇÕES
      R$ 1,00 = CLP $ 190,00 (Aeroporto de Santiago) R$ 1,00 = CLP $ 170,00 (Punta Arenas) R$ 1,00 = CLP $ 165,00 (Puerto Natales) R$ 1,00 = ARS $ 16,50 (Restaurante Casimiro em El Calafate, apesar de ter a melhor cotação de Dólar, Euro e Real, aqui é clandestino devido aos problemas políticos-econômico da Argentina)  
      VESTUÁRIO E EQUIPAMENTOS
      O segredo é focar em roupas e equipamentos apropriados para a região. A fama da Patagônia ter uma instabilidade climática não é um exagero, tu literalmente vai viver as quatro estações e todos os tipos de condições em um único dia.
      O que eu levei na minha mochila Forclaz Trek 900 50L + 10L:
      1x Calça modular - Tecido de secagem rápida e que não propagada corte 1x Fleece (0 a 7 ºC) - Uso um com zíper pra ser prático e ajudar a regular a temperatura corporal 1x Jaqueta impermeável (2000 mm) corta vento - Conhecida também como anorak, acabou passando a água em uma das tempestades em TdP 1x Calça segunda pele técnica - Usei a viagem toda, até por baixo dá bermuda 2x Blusas segunda pele - Uma técnica pra caminhada e uma mais quente pra dormir 1x Calça impermeável (2000 mm) - Precisei usar em vários momentos 3x Camisetas curtas Dry Fit - Acabei usando só duas 4x Cuecas de Microfibra  - Secagem muito rápida, foi excelente 2x Meias técnicas de trekking - Nunca tinha usado e fez muita diferença, deveria ter levado pelo menos 4 1x Meia térmica - Usei apenas pra dormir e foi muito bom para deixar as outras respirando 1x Bota de trekking impermeável - Confesso que a minha segurou a água mas a palmilha e solado eram fracos, sugiro comprar uma palmilha boa 1x Havaianas - Usei pra tomar banho, no avião e nas cidades (BRASIIIIIL) 1x Bermuda de banho - Usei bastante nos hostel, todos lugares tem calefação então sugiro levar algo curto pra dormir 1x Luva de fleece para trekking - Usei poucas vezes, somente quando chovia nos lugares mais frios de TdP 1x Protetor de orelha de fleece - Baita acessório, ajuda até pra dormir quando ainda tem luz 1x Cachecol - Acabei usando só pra dormir em virtude do meu saco de dormir ser patético 1x Touca de lã - Usei uma vez, protetor de orelha já resolve 1x Toalha de Microfibra - É item obrigatório, já uso há anos 1x Mochila de ataque 30L - Usei muito pra fazer compras, lá não tem sacola plástica 1x Bastão de trekking - Recomendo dois, a grande maioria das pessoas utilizava um par 1x Shoulder Bag - Ideal pra levar documentos e dinheiro, já tinha costume de usar nos acampamentos em Floripa, pra não deixar nada na barraca dando sopa 1x Barraca de trekking - Uso a Quechua Quick Hiker 2, tenho um vídeo falando sobre ela 1x Saco de dormir para 15 ºC - Não morri mas não passei bem haha sugiro um para 0 ºC 1x Isolante térmico - Uso um egg crate Nature Hike, é importante que o isolante seja bom, foi o que me salvou 1x Kit cozinha - Não pode levar o gás no avião 1x Lanterna de cabeça - Quase não usei porque escurece tarde (22:00) e amanhece cedo (05:00) 1x Kit Primeiro Socorros - Aconselho a levar medicamentos específicos, como antibióticos dose única, antitérmico, anti-histamínico, relaxante muscular 1x Silver Tape - Não usei, mas aconselho levar porque dá pra usar até pra tapar rasgos em roupas. 1x GoPro Hero 7 Black + Bateria extra + Carregador Duplo externo + Micro SD Card extra - Sou fã de GoPro, acho muito útil num lugar como esse que chove toda hora 1x Power Bank 20.000 mAh - Usei muito, apesar de ter entrada USB nos ônibus e tomada em alguns campings
      RESERVAS EM TORRES DEL PAINE
      http://www.conaf.cl/parques/parque-nacional-torres-del-paine/ (camping gratuito)
      https://www.verticepatagonia.cl/home (lado esquerdo do W)
      https://www.fantasticosur.com/en (lado direito do W)
      PASSAGENS DE ÔNIBUS
      https://www.bussur.com/
      https://www.recorrido.cl/ 
      http://www.busesfernandez.com/ 
       
      Espero que a leitura tenha sido útil, logo menos continuo o relato.
      Abraço a todos,
      Gerhard Jahn.
       
    • Por Daniela Alvares
      Em setembro de 2018, fizemos uma viagem ao Chile e Peru.
      Roteiro - 24 dias
      São Paulo > Santiago > Valparaíso > San Pedro do Atacama > Tacna > Arequipa > Cusco > Ollantaytambo > Aguas Calientes > Machu Picchu > Cusco > Lima.
       
      Começamos nossa jornada no Chile, em Santiago, Valparaíso e San Pedro do Atacama, cujos relatos seguem abaixo:
       
       
      No ônibus das 20:30, deixamos San Pedro do Atacama em direção a Arica, cidade chilena fronteira com o Peru. Seriam 8 horas de viagem, que à noite tínhamos esperança de sequer vermos passar. Com o coração apertado de deixar aquele lugar que tinha acordado tanto dentro de nós, nos despedimos do céu mais estrelado do mundo prometendo, para o Universo e uma para a outra, que voltaríamos logo, em breve, a tempo de não esquecermos toda a emoção que sentimos, nem de deixarmos a brutal rotina do acordar-trabalhar-dormir nos transformar em marionetes que fazem o uso da palavra "sabático" para justificar o tempo em que resolveram ser felizes. Logo nós, que tínhamos acabado de enxergar o não tamanho do mundo.
      Chegamos em Arica ainda escuro. Claudio (amigo que fizemos no Atacama, junto com seu fiel cão Lucky, artista plástico de Valparaíso que, cansado do mesmo todo-dia da vida e do consumo sentimental das relações obrigatórias, encontrou em San Pedro um porto. Breve e temporário.) tinha nos dito que, ao chegarmos, deveríamos atravessar a rua para a outra rodoviária, a internacional, onde poderíamos pegar um ônibus para o Peru. Foi uma ótima dica, ou teríamos ficado perdidas na escuridão da falta de informação e sinalização.
      Ao chegarmos na rodoviária internacional, que mais parecia o ponto final de uma linha de ônibus bem acabada em uma cidade quase fora do mapa, uma mulher sentada numa mesa nos informou que o ônibus para Tacna só sairia a partir das 8:30 da manhã. Eram 4:30 da madrugada. A outra opção, como ela sugeriu, era atravessar a fronteira com um dos muitos motoristas de carro que faziam ofertas de assentos pelo mesmo valor dos ônibus. Não, só se fôssemos loucas de aceitar. Assistimos demais "Presos no Estrangeiro" para arriscarmos uma prisão por tráfico de drogas com um estranho que diria que era tudo nosso, das gringas. Nunca. Resolvemos dar uma volta na rodoviária para despistar a mulher que nos alucinava com essa ideia, quando ouvimos sem muita certeza, o motorista de um ônibus gritar "Tacnabus, Tacnabus" e corremos para confirmar a informação. O ônibus ia para a Bolívia, mas primeiro pararia no Peru, em Tacna, para onde estávamos indo. Com o dinheiro guardado na calcinha, entramos no ônibus e seguimos para o nosso próximo destino.
      Na fronteira: sai do ônibus, carimba passaporte de entrada no Peru, passa as mochilas no raio X, tira o vinho da mochila, mostra que é vinho, guarda a garrafa, volta as mochilas para o bagageiro, sobe no ônibus. E em 40 minutos, chegávamos em Tacna.
      *ATENÇÃO! Ao desembarcar no aeroporto em Santiago do Chile, na entrada no país, além do passaporte carimbado, também entregam um papelzinho, aparentemente sem nenhum valor e sem nenhuma explicação. GUARDE-O DENTRO DO PASSAPORTE! Na travessia da fronteira, esse papel é exigido.
       
      TACNA
      Não esperávamos encontrar em Tacna a cidade charmosa e acolhedora que descobrimos. De habitantes tacanhamente tímidos, que nos olhavam surpresos e alegres ao perguntarmos seus nomes, essa cidadela conquistou nossos corações, receosos de não conseguirem mais se apaixonar depois de conhecer o Atacama. Mas Tacna é leve, florida, descompromissada, como que se viesse só para provar que é possível amar depois de amar. 
      O sotaque, de tanta timidez, torna o espanhol mais difícil aos ouvidos. Os bancos das praças possuem tetos de flores para fazer sombra. Na Plaza de Armas - nome de todas as praças principais de todas as cidades do Peru - há fotógrafos velhinhos andando sob o sol, sorrindo e sugerindo um retrato para a posteridade, como um pedaço de tempo congelado entre as flores coloridas, as palmeiras altíssimas, a fonte imponente, o arco marcante da cidade e, sempre, a igreja. 
      As lojas são todas setorizadas, de forma que os supostos concorrentes são colegas vizinhos, e você jamais vai conseguir tirar uma xerox se estiver próximo dos açougues ou dos consultórios ortodônticos, uma pequena obsessão tacniana. Por toda a rua principal, há galerias como camelódromos, com cabines de câmbio, tabacaria, lojas de joça e manicures enfileiradas em carteiras escolares oferecendo seus serviços. 
      Em Tacna você vira a esquina e se depara com uma padaria a céu aberto no meio da rua! Carrinhos de pães perfumam o entardecer e nos transportam para uma imaginada infância peruana. Foi ali que também comemos o melhor hambúrguer de cordeiro da nossa vida. No "Cara Negra", uma sanduicheria especializada em cordeiro, que eles criam lá mesmo no sítio atrás do bar. É descolado e tem drinks deliciosos. Faz valer a visita na cidade.
      Por todos os lugares que passamos, sempre procuramos pelo Mercado Central, que é onde encontra-se a essência do local. O Mercado Central de Tacna é imperdível. Tem de tudo. Especiarias, ervas, carnes, queijos, farinhas, biscoitos, frutas, verduras, doces, produtos de limpeza e muitas, muitas casas de sucos. Na "Juguería Sra Rosita", uma simpática senhora de sorriso frouxo e vontade de conversar, tomamos maravilhosos sucos de melão e de morango, muitíssimo bem servidos, de ficar na memória. Conhecemos também Miguel, dono de uma barraca de remédios de plantas medicinais, que sabia a erva ideal para absolutamente todo tipo de enfermidade.
      Ao caminharmos de volta para o hotel, bem encantadas com a surpresa de Tacna, uma vendedora nos parou para oferecer azeite. Ao agradecermos e sorrirmos, ela trocou a oferta para um branqueador dental. Talvez por marketing, ou pela já citada fixação por dentes perfeitos dos habitantes da li. Tomara. 
      Por fim, antes de partirmos, passamos por uma casa roxa, um centro de, como dizia a placa, "Magia y Diversión". Sem isso, qual seria mesmo o sentido de tudo? Com a delicadeza dessa mensagem tão sutil e necessária, seguimos nossa viagem em direção a Arequipa.
       







       
       
      - Onde ficamos:
      Ficamos no Nice Inn Tacna, no centro da cidade, com atendimento muito cordial. As pessoas são super simpáticas, o quarto era confortável, chuveiro quente e café da manhã bem simples. 
      Nice Inn Tacna - Av Hipólito Unanue 147, Tacna 23001, Peru / Telefone: +51 52 280152 / booking.com/hotel/pe/nice-inn-tacna.es.html - Onde comemos:
      Cara Negra - Cnel. Bustios 298 / Telefone: +51 952 657 540 / @caranegraoficialtacna / facebook.com/caranegraranchosanantonio/ - Onde fomos:
      Mercado Central de Tacna - Calle Francisco Cornejo Cuadra 809, Tacna 23003, Peru Plaza de Armas - Paseo Cívico de Tacna, Tacna 23001, Peru  
       Seguimos para Arequipa, Cuzco, Ollantaytambo, Aguas Calientes, Machu Picchu e Lima, que detalharemos em post separados. 
      https://www.instagram.com/trip_se_/
    • Por Adriana Araújo1502435418
      Salve galerinha do bem ! 
      Satisfação em compartilhar com vcs minha viagem de final de ano no Chile. Eu como uma boa geógrafa e louca por viagens tinha obrigação de ir conhecer o deserto, que afinal tá do lado da nossa casa por assim dizer 🤓.
      Eu passei Natal e Réveillon por lá, vou fazer um resumo dos assuntos relevantes mas se alguém quiser alguma informação só me contatar.
      Bom, eu planejei tudo em 4 meses, comecei com as passagens, hospedagens e pacotes dos passeios. Fechei tudo no Brasil. Embarquei 23/12/19 e fui direto pro Atacama ''c/ escala em Santiago pq n tem vôo direto p lá." Vc tem que chegar a Calama e de lá pegar um transporte para San Pedro " cidade base para quem vai ao deserto". 
      Eu fechei o transfer pelo decolar e deu tudo certo, a propósito fechei os passeios de Atacama com eles tbm. 
      A cidade de San Pedro é bem movimentada e fornece o básico para os viajantes, eu notei muita coisa de indústria brasileira lá nos mercadinhos, os preços em Atacama é BEM salgadinho, principalmente alimentação, as coisas ficam um pouco mais amenas fora de alta temporada, mas segundo o pessoal de lá não é muito diferente. Mas vale estar por lá...
      Existem restaurantes para todos os gostos!! Confesso que não sou apaixonada pela culinária chilena, mas uma coisa que eu ameiss foi o pão de lá... E o chopp, p/ os apreciadores não deixem de experimentar 😋

      Agora falemos então do magnífico deserto 😍
      São diversos passeios que vc pode fazer por lá, o bom do deserto é que a beleza de lá se encontra com todas as estações e tem atrações diversificadas. Eu vou citar os passeios mais marcantes p mim, mas se pretende ir, pesquise os que vc deseja conhecer de acordo com tempo e dinheiro que vc terá. 
      Sem dúvida o que eu mais gostei foi... 
      Ternas de Puritama 
      Olha a vista desse lugar e lá embaixo tem as piscinas termais. É muito interessante porque o sol tá rachando, aí vc pensa que vai tá muito quente p entrar em água com temperatura de 28-30 ° e aí que se encanta... Porque lá embaixo a temperatura cai e fica perfeito.

      O segundo eu destaco...
      Laguna Cejar
      Esse passeio é ideal para ser feito no verão porque a água é bem gelada. Com 40% a mais de sal do que a água do mar, seu corpo não afunda, porém não se recomenda molhar o rosto e tão pouco mergulhar e vc sai coberta de sal.

      E por fim vou destacar...
      Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas
      O lugar e lindo, lindo, o vento, o ar pela altitude, tive que mascar folha de coca p não sentir o ar  rarefeito. Vimos muitas Lhamas por lá foi bem legal, e apropósito a noite acabei indo comer carne de Lhama super tradicional por lá.
      Enfim o deserto é um lugar surpreendente de muitas aventuras e diferentes paisagens, se viagens pra curtir a natureza é teu forte então vc tem que fazer Atacama um dia!
      Agora vamos para  o posto de tudo isso hahaha... Santiago 
      Minha viagem aconteceu quando os protestos no Chile em 2019 já estavam controlados então foi sussa viajar por lá.
      É sabido que estamos falando sobre a capital neoliberal da América do Sul então... Empreendedorismo e modernismo e o foco de lá.
      Cidade agitada com muita comida e balada pra quem gosta. No verão Santiago perde sua maior atração que é o Valle Nevado, porém ele ainda oferece passeios. 
      Tire um dia pra dar um rolê no centro "tipo 25 de Março aqui em Sampa". Vale a pena pra fazer comprar e trazer presentes inclusive o Pisco "bebida típica" de lá rsrs. Vá ao Cerro de Santa Lucía e Mercado Municipal, eu fiz isso tudo no msm dia e o bom que dá pra ir a pé, e confesso que foi o dia mais agradável que eu tive, no final da tarde tomamos chopp e comemos no Mercado ao som de música típica e do zunzunzun de muitas conversas! 

      Depois de ficar ligeramente alegre e rindo a toa 🙈 pegamos Uber que por sinal até o momento não é legalizado mas funciona muito bem por lá, e fomos pro hotel. Falando nisso, o setor hoteleiro de Santiago é muito bom e o melhor é que, se vc procurar bem pode achar preços incríveis. Eu fiquei nesse hotel Maravilhento rs, por um preço ótimo.
      Para finalizar vou resumir os passeios clássico de
      Valparaíso e Viña del Mar
      Cidades costaneiras, na minha modesta opinião... Pura propaganda, não há nada a se perder em visitar, Valparaíso é uma favela antiga, que as imagens falem por si.
      Em Viña del Mar, tem o famoso relógio de flores, restaurantes de frutos do mar em abundância, mas para mim o que valeu foi passear pela orla e por o pé nas águas do pacífico Sul que é gelada demais, isso me fez valorizar nosso litoral top ❤️ e tivemos a sorte de ver leões marinhos  a 1mt. de distância.
      Bom enfim termino por aqui, esse foi meu primeiro relato, e peguei a  minha viagem mais recente, da um trabalho danado escrever sobre isso, então aproveitei o tempo de quarentena pra fazer isso. Esperamos o fim da pandemia para voltarmos a fazer nossas viagens com segurança pelo mundo! 
      Abraços e boa sorte 🙏 
       
    • Por Daniela Alvares
      O horizonte chileno, com suas montanhas nevadas em todo o redor que fazem da cidade um vale, é tão balsâmico quanto o mar. É um cenário um tanto inacreditável, ver-se numa metrópole enquanto os olhos alcançam picos cobertos de neve em meio ao sol.
      Fizemos essa viagem em setembro de 2018. Começamos em Santiago, visitamos Valparaíso e seguimos para o San Pedro do Atacama (farei os posts das cidades separadamente).
      Ficamos 3 dias na capital e foi suficiente. Nos hospedamos em Providência, bairro cheio de bares e restaurantes, com uma vida noturna bem ativa e de fácil acesso para todo lugar. Ali também fica o shopping Pátio Bellavista, um shopping aberto, pequeno e charmosinho.

       

       
      Cerro San Cristóbal
      Santiago pede a ida a um lugar alto para entender a cidade-vale. Das duas opções que a cidade oferece, uma é algo super urbanóide, chamado Sky Costanera, uma espécie de Empire State chileno, o prédio mais alto da América Latina. A outra é um teleférico em meio a natureza que leva até o Cerro San Cristóbal. É claro que escolhemos a que o homem portou-se de maneira um pouco menos troglodita com o mundo.
      O Cerro San Cristóbal, lá no topo da cidade, poderia ter menos pessoas, mas a vista vale o passeio. Nos impressionou ver uma camada de névoa ao longe e saber que é poluição. É triste e sem nexo ver o homem construir locais e acessos a pontos altos numa tentativa de apreciar o horizonte e seguir produzindo carros e ônibus e fábricas para tornar todo esse trabalho vão.
      Subimos de teleférico e descemos de funicular. Há a opção de subir e descer a pé, para quem curte uma escalada.
      Endereço: Pio Nono, 450 - Bellavista
      Site: http://www.parquemet.cl
      Horário de funcionamento
      Funicular: de segunda a terça, das 14h30 às 19h30; quarta a sexta das 12h30 às 19h30; sábado e domingo, das 10h30 às 19h30.
      Teleférico: de segunda a terça, das 14h30 às 19h30; quarta a sexta, das 12h30 às 19h30; sábado e domingo das 10h30 às 19h30.

       

       
      Lastarria
      Lastarria é o bairro charmoso da cidade. Ruazinhas pequenas, cafés, restaurantes, o Centro Cultural Gabriela Mistral - primeira poeta chilena a receber um Prêmio Nobel e alguém de quem os chilenos sentem imenso orgulho. Vale uma visita para ver o que está rolando na programação ou para tomar um café e um solzinho no pátio interno. 
      Ali perto também tem sorvetes maravilhosos. A paleta de pistache é de outro mundo. Você encontra no Empório La Rosa, que fica nas esquina da Calle Merced com o Parque Forestal, outro lugar imperdível para caminhar, brisar ou fazer um picnic. 
      Emporio La Rosa - Calle Merced, 291

       

       
      La Chascona
      La Chascona é o xodó de Santiago, e não poderia não ser. A casa que Pablo Neruda construiu para encontrar-se com Matilde, por um período sua amante e depois sua mulher até a morte, é toda pensada para ser parte da natureza que a rodeia, fazendo do lugar uma espécie de ninho de amor.
      Chascona significa descabelada, e era assim que ele chamava sua Matilde. A casa é quase um clichê do romantismo poético, com as iniciais M e P espalhadas nas janelas de ferro de todos os cômodos. O amor chega a ser palpável ali.
      Colecionadores de arte e grandes amantes dos encontros, Pablo e Matilde moldaram uma casa que permitia a delicadeza de receber diferentes amigos em ambientes distintos, e em todos eles, muitas referências ao mar. 
      A casa foi brutalmente invadida e inundada no golpe militar que levou Pinochet ao poder e Salvador Allende ao suicídio - o que acelerou a morte de Neruda, que sofria de um câncer há anos e, ao saber da cruel invasão, foi para o hospital e morreu dias depois, de tristeza e desgosto.
      Matilde, que foi uma mulher forte e importante e figura essencial nas causas de direitos humanos, lutando com Neruda contra a ditadura chilena, fez questão de velar o marido ali, no meio daquele vandalismo descomunal. Transformou as 3 casas de Neruda em uma fundação, abrindo-as ao público e levando o poeta para perto das pessoas.
      Os dois estão enterrados juntos numa delas, Isla Negra, de frente para o mar.
      Endereço
      Fernando Márquez de la Plata 0192, Barrio Bellavista, Providencia, Santiago.
      Fone: +56-2-2777 87 41 / +56-2-2737 87 12
      Site: [email protected]
      Horário de Funcionamento
      • Março a dezembro: terça a domingo de 10:00 a 18:00 hrs.
      • Janeiro e fevereiro: terça a domingo de 10:00 a 19:00 hrs.
      • Segunda - fechado.
      Valores
      • Entrada geral: $7.000 (Siete mil pesos) por pessoa.
      • Entrada preferencial: $2.500 para estudantes e chilenos maiores de 60 anos.
      *Os estudantes estrangeiros devem apresentar a Credencial Estudantil Internacional
       

       

       

       

       

       

       
       
      O que não recomendamos:
      - A ida ao mercado municipal para comer o famoso King Crab é uma furada. O lugar é super turístico, meio sujo e a iguaria é fortunosa, quase 500 reais o prato. 
      - Sky Costanera, o prédio mais alto da América do Sul. Uma torre imensa e espelhada, plantada no meio da cidade, totalmente comercial e com a vista de toda a metrópole. Não subimos. Nosso estilo de viagem não é tão urbano assim. 
      ***
       
       
      https://www.instagram.com/trip_se_/
       
       
       
       
×
×
  • Criar Novo...