Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Milão 2015 em dois dias - A linda capital da Lombardia!


Posts Recomendados

  • Membros

Milão, a linda capital da Lombardia!

 

Bem, nossa viagem à Itália começou por Milão, pois fomos de milhas da TAM e a Tam só voa direto para Milão saindo do aeroporto de Guarulhos. Chegamos em Milão, no aeroporto de Malpensa, dia 17, no dia 19 fomos para Veneza de trem. Nossa viagem ainda contemplou Florença mais bate-e-volta pela Toscana, Roma e Pompeia. Todos os detalhes da viagem estão em vários posts no meu blog http://europaemdetalhes.blogspot.com.br/2015/05/milao-2015.html

 

Ao chegar no aeroporto, lá estava Vanessa da Scuderia Moro Milano http://www.scuderiamoromilano.com nos esperando, conforme combinado. Ela e o marido são super agradáveis, estão em Milão há 10 anos e possuem uma empresa que fazem tour, transfer e os tradicionais passeios de Ferrari. vamos combinar que chegar em um país pela primeira vez e ter um brasileiro lhe esperando, onde você não tem domínio da língua, onde o aeroporto é gigante e longe do centro, é tudo de bom!!!

 

Bem ficamos hospedados no Hotel Palladio, 8, Porta Romana, 20135 Milano – Itália . Gostei do Hotel, mas tem que andar uns 20 minutos para chegar ao Duomo, mas há opção de pegar o bonde 24 (tram) ou metrô, mas preferimos ir a pé para ver a vida na Itália longe dos points turísticos. A relação custo benefício é boa. Pagamos 90 euros a diária.

 

Considerando que chegamos no Hotel às 15h do horário local, tomamos banho e fomos bater perna!

 

É claro que a primeira visita foi no Duomo (Grátis) que é lindo demais! Parece maior e mais bonito que em qualquer foto que eu já tenha visto! No seu interior, não deixe de notar uma Meridiana (no chão, perto das portas), os vitrais que contam a história de santos e o evangelho, a famosa estátua de São Bartolomeu dissecado no fundo da nave direita e a cripta de São Carlos embaixo do altar. A catedral possui 135 agulhas e 3.200 estátuas em sua fachada. E no topo da torre mais alta, está a Madonnina: uma estátua da Virgem protetora da cidade, toda banhada a ouro. Nas suas portas de bronze, baixos-relevos contam a vida da Virgem e a história da própria cidade. Internamente pode-se ver o símbolo da família Visconti – uma serpente engolindo um homem – no belo rendilhado das janelas. Não deixe de ver o tesouro, sob o altar, contém trabalhos medievais em ouro e prata, resquícios do batistério do século IV.

 

Ah! Pertinho da Catedral também tem uma gelateria maravilhosa, chamada Cioccolati Italiani

 

Depois entramos na Galeria Vittorio Emanuelle (Grátis), onde fiz a simpatia do saco do boi para trazer sorte! É conhecida com il salotto di Milano (Sala de Visitas de Milão). A galeria tem forma de cruz, com um centro octogonal adornado com mosaicos que representam os quatro continentes. A característica mais marcante desta construção é o telhado de vidro, coroado por um domo central. O telhado foi a primeira estrutura na Itália a usar metal e vidro como parte da estrutura e não apenas como decoração. A Galeria é belíssima! Estava acontecendo uma exposição chamada caleidoscópio com fotos da restauração da Galeria e fotos tiradas pelas pessoas após ela pronta, adorei!

 

Bem na Praça fica o Museu Novecentos, onde há a coleção municipal de arte contemporânea.

 

Logo a seguir atravessando a Galeria há muitas lojas lindas e restaurantes, andando uns 100 ou 200 metros chega-se a Praça Scalla, onde fica o Teatro Scalla. O Teatro possui uma fachada neoclássica, mas dizem que o seu interior é onde está todo o esplendor, infelizmente não assistimos nenhuma apresentação porque não dava tempo.

 

Como estávamos com fome, pois o fuso horário dá uma confusão enorme em nosso organismo, estamos com 5 horas a mais! Bem, decidimos ir até o bairro de Brera: o antigo bairro dos artistas e da casas de prostituição até os anos 50, hoje é um dos metros quadrados mais caros da cidades com seus bares, restaurantes, lojas e galerias com esculturas, tapetes e muitas arte. Em Via Fiori Chiari, você pode decidir parar para o almoço com um panino (sanduíche) ou uma salada no histórico Bar Brera ou nos restaurantes da rua, como o milanesíssimo Nabuco ou, um pouco mais para frente na rua, o mais moderno Fiori Chiari Plates. É sempre em Brera, que ficam também os Ristorante Al Pozzo (bom e baratíssimo) e o modernoso Pisacco.

 

Pinacoteca de Brera: Nada melhor depois ao almoço e da descansada, que retornar a descoberta de Milão com obras de Caravaggio, Mantegna, Raffaello, Bellini, Hayez e outros grandes nomes, no maior museu da cidade. Realmente vale investir um pouco do seu dia para conhecer essa maravilha.

 

Depois voltamos para o Hotel. Pela manhã pegamos o bonde (tram) nº 9 bem pertinho do Hotel direto para a Plaza do Duomo porque eu tinha que ver aquela obra exuberante de novo! Aproveitei para dar uma olhadinha na Zara, mas não comprei nada porque preferi deixar para comprar em Roma, ao final da viagem. Para comprar o bilhete , basta ir a qualquer banca de jornal e pedir um biglietto urbano, custa 1,50 e só serve para uma viagem ou compra o outro bilhete para o dia inteiro que que custa em torno de 4 euros. Quando você o insere na máquina dentro do tram ele recebe um número no verso. No blog tem muitas fotos, inclusive do bilhete do tram e a máquina que você precisa validar o bilhete, se um fiscal aparecer e pedir o bilhete, se não tiver validado, receberá uma multa em torno de 50 euros!

 

Bem, da Plaza do Duomo fomos à pé até o Castello Sforzesco que se transformou ao longo dos tempos em residência ducal na metade do século 15 e viu seus anos de fama como uma das cortes mais refinadas do Renascimento durante o período que Leonardo da Vinci viveu e trabalhou por alí, afrescando uma das salas.

 

Hoje, o castelo abriga vários museus municipais de grande importância. Vale a pena entrar pelo menos no Museu de Arte Antiga e contemplar a sala afrescada por Leonardo e a Pietà Rondanini di Michelangelo, que fica no final do percurso. Infelizmente os Museus estavam fechados. Então, passeamos pelo Castelo e fomos em direção ao maior parque da cidade, o Parque Sempione, antigo bosque de caça da família ducal nos tempos áureos do castelo. O parque fica exatamente atrás do Castelo.

 

De lá tomamos a direção do bairro Navigli e paramos na Igreja Santa Maria Delle Grazie para ver o Cenáculo (A última Ceia pintada por Da Vinci), mas o refeitório onde fica a enorme pintura estava fechado (quase todos os Museus fecham as segundas).

 

Bem, fomos caminhando até chegar ao bairro Navigli: outro bairro popular da cidade, com suas casas de balaustras debruçadas em pátios internos e que hoje concentra inúmeros bares e restaurantes onde locais se refugiam depois do expediente para o famoso ritual do aperitivo. O dia foi longo e cansativo, mas antes de se despedir de Milão, escolhemos um dos bares e relaxamos com um Spritz (um clássico milanês) e uma pizza!

 

Obs: Aqui vai um detalhe, a pizza na Itália é do tamanho de uma prato raso grande, como se fosse uma pizza média aqui do Brasil. Apenas uma única vez em Florença eu comi uma inteira, em todas as outras vezes dividi com o meu marido. Mas, o italiano come uma pizza inteira!

 

Depois, foi só pegar o bonde nº 9 e voltar para o Hotel.

 

Para quem gosta de comprar coisas de grife, vale visitar o Quadrilátero da Moda. ou Quadrilátero de Ouro:

 

Formado pela Via Montenapoleone, Via Della Spiga, Via Sant’Andrea e Via Borgospessos, é nesse quadrilátero que encontram-se todas as grifes italianas e de outras partes do mundo. Roupas, jóias, sapatos, peças de design e muitos objetos de decoração. É a região mais famosa de Milão para compras de grifes.

 

Outlet em Milão

 

10 Corso Como Outlet:

A loja mais hypada de Milão também tem um outlet próprio itinerante, pertinho da loja principal, onde ela venda peças de grife de outras coleções a preços mais em conta. Veja no site se o outlet estará funcionando na época que você estará lá. website: http://www.10corsocomo.com

Via Tazzoli, 3 20154, Milão

 

Il Salvagente:

Esse “outlet” é na verdade uma mega loja que vende itens de grifes como Armani, Blumarine, Brunello Cucinello, Burberry, Celine, Diane Von Furstenberg, Dolce & Gabanna, Pucci, Fendi, Gucci, Isabel Marant, Missoni, Moncler, Paul Smith, Prada, Ralph Lauren, Stella McCartney, Valentino. E fica na cidade de Milão. website: http://www.salvagentemilano.it

 

Matia’s Outlet:

Loja com conceito de outlet urbano, dentro da cidade de Milão, no charmoso bairro de Brera, com uma seleção de grifes famosas. É um queridinho dos locais.

Piazza Mirabello 4, Milão, Itália

.

Espero que tenham gostado! Há no face um album com todas as fotos tiradas em Milão (mais de 200). Aproveitem e curtam nossa página do face feita com carinho para todos que querem conhecer nossas experiências de viagem, escrevemos o que pensamos, nosso blog e o face não possui fins lucrativos, https://www.facebook.com/EuropaemDetalhes?ref=ts&fref=ts

 

Arrivederci!!!

Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...