Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Posts Recomendados

Boa noite, estou indo a Europa passar 45 dias em janeiro , desses 45 ficarei 18 em Londres e o resto vou fazer um tour por la onde vou voltar por Roma. Em Londres vou estar na casa da minha irmã por parte de pai menor de idade, ela mora com a mãe e o padrasto ( cidadão europeu e todos devidamente legalizados), eles virão ao Brasil em agosto onde me entregarão a carta convite. Nesse período que vou estarei recém formada, exatamente dois dias!! (a viagem é meu presente de formatura). Minhas dúvidas são:

. A carta convite deve ser OBRIGATORIAMENTE me enviada por email ou posso levar a carta ORIGINAL?

. Como estarei recém formada quais documentos devo levar para a imigração não achar que estou desempregada e estou indo morar la?

. Como vou ficar na casa de parentes a imigração costuma " pegar leve" na quantia que levo em espécie? estou pensando em levar de 200 a 300 libras no máximo (aceito sugestões).

. Não sei falar NADA em Inglês, pretendo realmente me virar la fora por mimica, boa vontade e MILAGRE eu sei, menos em Londres onde vou contar com a ajuda dos parentes, mas na hora da entrevista com a imigração eu posso pedir um Tradutor? Isso pode causar uma má impressão ou é normal? (ESTOU APAVORADA COM ESSA MALDITA IMIGRAÇÃO)

. Referente aos dias que estarei viajando para os outros Países ( Italia, Holanda, Alemanha e França) tirando albergue e transporte devo levar mais ou menos quantos Euros? não vou esbanjar mas também não quero passar fome kkkkkk

Desde já, obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A carta convite deve ser OBRIGATORIAMENTE me enviada por email ou posso levar a carta ORIGINAL?

 

Leva as duas e mostra apenas uma, se for solicitado a copia você mostra.

 

 

. Como estarei recém formada quais documentos devo levar para a imigração não achar que estou desempregada e estou indo morar la?

 

Quem você é:

 

passaporte válido por no mínimo 6 meses (embora não seja uma exigência oficial, parece ser a prática aceitável)

caso você precise comprovar uma afirmação, por exemplo, de que é casado/a com um cidadão europeu, certidão de casamento/união civil/divórcio/óbito do cônjuge, etc.

Sua profissão ou ocupação atual:

 

Caso seja empregado, você poderá levar uma carta da empresa em papel timbrado, detalhando seu cargo, salário e tempo de empresa e confirmando que você está de férias. Outros documentos: contracheque, formulário de imposto de renda, carteira de trabalho.

Caso seja estudante, você poderá levar uma declaração da escola ou faculdade em papel timbrado comprovando que você está devidamente matriculado e que está de férias.

Caso seja empresário, você poderá levar o contrato social ou registro da empresa confirmando que você é sócio e a data de início do negócio.

Condição financeira:

 

Para comprovar sua condição financeira, os documentos incluem:

 

extratos bancários, carta do banco declarando o saldo, contracheques, formulários de imposto de renda

Os agentes da imigração podem também perguntar quanto você tem em dinheiro (em espécie e/ou travellers cheques), quantos cartões de crédito, pré-pagos, etc. Eles poderão pedir para ver o dinheiro (e até contar!) e os cartões/travellers cheques, por isso não é uma boa ideia mentir. Aliás, mentir é a pior ideia em qualquer circunstância, pois eles são muito bem treinados para detectar mentiras.

 

Por mais que muita gente insista em saber, não há em nenhum lugar do website oficial do governo britânico, qualquer indicação de uma quantia de dinheiro por dia que deve ser apresentada. Este valor é mesmo uma questão de bom senso.

 

Detalhes da viagem e acomodação:

 

confirmação de reserva de hotel (a cópia enviada por e-mail é suficiente), ou carta do morador do local onde você se hospederá afirmando que você poderá se hospedar lá e

confirmação da passagem aérea de volta ou de continuação para fora do Reino Unido (e-mail ou cópia da passagem)

Planos de viagem no Reino Unido:

 

qualquer ingresso para atrações, museus, teatros, comprovante de reservas de tours ou excursões que você tenha feito diretamente ou através de uma agência.

 

Para ter as infirmações direto da fonte, acesse: https://www.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/423699/2015_04_20_Visitor_Supporting_Documents_Guide_-_Final__2__-_CLEAN.pdf

 

Nada de mostrar documentos sem a imigração pedir. Tem gente que empolga e quando o oficial pede algum documento a pessoa acha que se mostrar outros ajuda a fortalecer, mas pode ter efeito negativo e gerar perguntas que você não teria antes ou até mesmo levar o oficial a pedir algum documento que você não tem. Para resumir, mostre apenas o que for pedido.

 

 

Como vou ficar na casa de parentes a imigração costuma " pegar leve" na quantia que levo em espécie? estou pensando em levar de 200 a 300 libras no máximo (aceito sugestões).

 

Não sei

 

 

Não sei falar NADA em Inglês, pretendo realmente me virar la fora por mimica, boa vontade e MILAGRE eu sei, menos em Londres onde vou contar com a ajuda dos parentes, mas na hora da entrevista com a imigração eu posso pedir um Tradutor? Isso pode causar uma má impressão ou é normal? (ESTOU APAVORADA COM ESSA MALDITA IMIGRAÇÃO)

 

O Reino Unido NÃO é signatário do Tratado de Schengen, um acordo assinado por 30 países da Europa que determina, entre outros, a livre circulação de pessoas entre os países membros. Sendo assim, quando você sair do Reino Unido para a Italia, Holanda, Alemanha e França vai precisar passar pela imigração novamente quando voltar caso for voltar. E quando chegar em cada país que vai visitar, novamente vai precisar passar pela imigração, ou seja trate de perder o medo da imigração, pois vai passar por várias. É normal pedir tradutor!

 

. Referente aos dias que estarei viajando para os outros Países ( Italia, Holanda, Alemanha e França) tirando albergue e transporte devo levar mais ou menos quantos Euros? não vou esbanjar mas também não quero passar fome kkkkkk

 

Não sei

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como eu disse estarei recém formada ( exatamente dois dias) faço Odonto, não tenho nenhuma renda, sou sustentada pelos meus pais, devo levar o extrato bancário dos meus pais? Tem que estar traduzidos?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Desempregado, recém formado, viajando sem muito dinheiro, carta-convite, com parentes morando no Reino Unido, sempre vai chamar muita atenção na imigração, então é bom ir bem preparado para dar um monte de explicações.

 

Mas como você não tem muito o que levar que comprove a sua intenção de voltar ao Brasil(emprego, faculdade, etc), eu daria ênfase em já chegar lá em Londres com as passagens de Londres para Paris e demais deslocamentos já compradas e marcadas, já ter reservas de hospedagem em Paris e nas demais cidades que pretende visitar, seguro-saúde, e principalmente ter passagens de volta ao Brasil já marcadas...

 

Se você tiver como conseguir a carta-convite original é bem melhor, pois afinal de contas uma cópia enviada pela internet é muito fácil de conseguir. A carta convite tem que ser em Inglês e conter todos os dados do seu anfitrião, alem de cópias dos documentos dele.

 

Você pode levar os extratos dos seus pais, mas só mostre se lhe perguntarem. Os extratos não precisam ser traduzidos, leve o extrato emitido pelo caixa automático, ele dá um pouco mais de credibilidade do que uma folha qualquer impressa pelo computador.

 

Quanto ao orçamento, isto depende unicamente do que você escolher, se vai pegar um quarto coletivo de hostel com mais 12 ou 15 pessoas, um mais privatico com 4 pessoas, se vai pegar um quarto privativo, se vai ir no restaurante e pedir um prato de 10 euros ou um de 30 Euros... Mas num orçamento econômico, sem passar aperto e nem ficar em locais muito ruins, eu estimaria uma média de 60 Euros por dia para gastos com hospedagem em quarto coletivo, alimentação, metrô, entradas e passeios.

 

Agora é só fazer a conta para 28 dias e o Euro valendo R$ 3.75, Este valor é sem contar os deslocamentos entre as cidades.

 

Você consegue se virar com mímica, mas ao menos um pouco de inglês sempre vai lhe ajudar bastante... Uma sugestão, como você tem 6 meses para a viagem, por que você não se matricula num curso de inglês até lá? Não vai conseguir ficar fluente, mas vai lhe ajudar bastante com o básico do dia-a-dia...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Mas como você não tem muito o que levar que comprove a sua intenção de voltar ao Brasil(emprego, faculdade, etc), eu daria ênfase em já chegar lá em Londres com as passagens de Londres para Paris e demais deslocamentos já compradas e marcadas, já ter reservas de hospedagem em Paris e nas demais cidades que pretende visitar, seguro-saúde, e principalmente ter passagens de volta ao Brasil já marcadas...

 

Adriano, tenho uma dúvida um pouco parecida. Vou comprar uma passagem APENAS de ida para Inglaterra, pretendo ficar umas 2 semanas e para comprovar que não quero ficar na Inglaterra vou comprar uma passagem para Irlanda para ver uns cursos de inglês. Você acha que o oficial da imigração da Inglaterra vai me barrar por não term uma passagem de volta para o Brasil? Realmente não sei quanto tempo vou ficar na Irlanda procurando curso de inglês. Você pode me ajudar?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sim eles vão implicar com você, tenho quase certeza de que a imigração vai lhe mandar de volta ao Brasil direto do aeroporto de Londres, não deixando nem você entrar no Reino Unido.

 

A Irlanda e Reino Unido fazem parte de um espaço comum de circulação, ou seja, você não passa pela imigração para se deslocar entre Reino Unido e Irlanda, você só vai passar por uma imigração na entrada, independente de qual país, Irlanda ou Reino unido, você entrar.

 

Resumindo, você precisa ter uma passagem comprada e marcada para fora do Reino Unido ou Irlanda para ser aceito. De preferência uma passagem de volta para o Brasil, ter uma passagem só de ida e outra para Paris por exemplo, sem passagem de volta ao brasil ou para fora da Europa costuma dar problema, pois o agente de imigração geralmente entende que você pretende ficar lá indefinidamente, o que é proibido.

 

Então não tem jeito, você tem que definir desde já quanto tempo vai ficar estudando na Irlanda e já comprar a passagem de volta. Se for menos de 2 meses não precisa obrigatoriamente estar matriculado na escola, você pode escolher a escola lá, mas se você pretende ficar mais de 3 meses, até o limite de 6 meses, seria muito interessante já ter uma matricula em alguma escola, pois com certeza o agente de imigração vai querer saber o que você vai fazer todo este tempo lá, e seria muito interessante você conseguir comprovar as suas intenções.

 

Se eventualmente você resolver ficar mais ou menos tempo do que o planejado inicialmente, desde que dentro do limite de 6 meses entre UK e Irlanda, você sempre pode remarcar a passagem de volta para uma nova data. Você vai pagar a taxa de remarcação e a diferença de preço, mas mesmo assim vai ser muuuuito mais barato do que comprar só ida e depois comprar só a volta, uma vez que trechos só de ida costumam ser muito mais caros do que ida e volta.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
De preferência uma passagem de volta para o Brasil, ter uma passagem só de ida e outra para Paris por exemplo, sem passagem de volta ao brasil ou para fora da Europa costuma dar problema, pois o agente de imigração geralmente entende que você pretende ficar lá indefinidamente, o que é proibido.

 

Como que os mochileiros POBRES fazem quando vão sair do Brasil para andar pelo mundo sem data de volta? Precisam comprar passagem de ida e volta toda vez que entrar em um novo país?

 

Por exemplo: Vou sair do Brasil e ir para Portugal ( com passagem de ida e volta), depois vou para a Inglaterra de trem, depois vou para a Irlanda, depois Finlândia. Quando sair da Finlândia vou ter que voltar para Portugal para pegar o avião ou consigo remarcar o voo para sair da Finlândia?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A regra de imigração na Europa em resumo é esta:

 

- Inglaterra e Irlanda fazem parte de uma zona de livre circulação, onde você só passa na imigração no primeiro país que entrar, para circular entre os dois você não passa na imigração. Ao passar na imigração, o agente vai querer ver a sua passagem de saída da Europa comprada e com data marcada para garantir que você vai embora e não vai ficar lá. Caso esteja tudo certo ele vai conceder o seu visto de 6 meses de permanência na Irlanda e Reino Unido.

 

- Portugal, Espanha, França, Alemanha, Finlandia, Italia Holanda, etc fazem parte do espaço Schengen, que é outro espaço de circulação livre, ou seja, você só vai passar na imigração no primeiro país por onde você vai entrar, depois entre os países membros não tem imigração. Ao entrar o espaço Schengen, você também tem que apresentar uma passagem comprada e marcada para fora da Europa, e o agente decide lá na hora se lhe concede o visto de permanência de 90 dias ou se manda você de volta ao Brasil deportado.

 

No seu exemplo, ao chegar em Lisboa (Espaço Schengen), você apresenta a passagem de volta ao Brasil a partir de Helsinke (Finlândia) comprada e marcada. Ao chegar em Londres, você estará saindo do espaço Schegen e terá que passar na imigração, lá você apresenta a mesma passagem de volta ao Brasil a partir de Helsinke. Ao ir para a Irlanda, não terá imigração, pois você já terá passado nela em Londres. Mas ao ir para a Finlândia, você estará voltando ao Espaço Schengen e irá passar novamente pela imigração, onde você apresenta a mesma passagem de volta ao Brasil que apresentou antes.

 

Se a companhia aérea onde você comprou o voo operar na Finlândia, você consegue sim remarcar a passagem para voltar a partir de lá, basta entrar no site ou ligar na companhia e fazer a alteração.

 

Mas você não precisa comprar passagem de ida e volta pela mesma cidade, você pode comprar numa mesma compra a ida por uma cidade e a volta por outro, por exemplo chegada por Lisboa e volta pela Noruega...

 

Para isto usa-se a opção "Multiplos Destinos" ou algo similar que existe em todos os sites de companhias aéreas para comprar os dois trechos juntos. Geralmente custa o mesmo de chegar e voltar pela mesma cidade, e mesmo que seja um pouco mais caro, você compensa isto não desperdiçando uns 100 ou 200 euros em passagens de volta a cidade de chegada.

 

Resumindo, ao chegar lá na europa o que a imigração quer saber, é que você vai embora da Europa dentro do prazo e que tenha como comprovar isto, não importa para onde você vai depois, pode ser de volta ao Brasil, para a Ásia, Africa, etc, desde que seja para fora da Europa.

 

Alem disto, para estadias muito longas, geralmente a imigração quer saber o que você vai fazer lá por todo este tempo, se você chegar lá e falar que não sabe direito o que vai fazer, não vão deixar você entrar. O que o pessoal que quer rodar o mundo sem data de volta faz é já ter um roteiro meio planejado para os próximos 3 meses, com as principais passagens já compradas e já ter alguns passagens e reservas de hospedagem em locais que gostaria de visitar, assim não tem problemas com a imigração.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
- Inglaterra e Irlanda fazem parte de uma zona de livre circulação, onde você só passa na imigração no primeiro país que entrar, para circular entre os dois você não passa na imigração.

 

Qual Irlanda você diz. Norte ou Sul?

 

Mas você não precisa comprar passagem de ida e volta pela mesma cidade, você pode comprar numa mesma compra a ida por uma cidade e a volta por outro, por exemplo chegada por Lisboa e volta pela Noruega...

 

Eu apenas defini Portugal como país de partida, você tem dicas de qual outro país fora da UE e do Reino Unido fique barato a passagem de volta para o Brasil levando em conta os gastos com o trasporte até esse país?

 

 

Resumindo, ao chegar lá na europa o que a imigração quer saber, é que você vai embora da Europa dentro do prazo e que tenha como comprovar isto, não importa para onde você vai depois, pode ser de volta ao Brasil, para a Ásia, Africa, etc, desde que seja para fora da Europa.

 

Por exemplo: Vou entrar por Portugal, andar por alguns países da UE (sem planos), depois ir pro Reino unido e Irlanda, e no final sair pela Ucrânia( Esse país é um exemplo, queria saber se existe países baratos para voltar para o Brasil, é claro que levando em conta o trasporte até a Ucrânia por exemplo).

 

Alem disto, para estadias muito longas, geralmente a imigração quer saber o que você vai fazer lá por todo este tempo, se você chegar lá e falar que não sabe direito o que vai fazer, não vão deixar você entrar. O que o pessoal que quer rodar o mundo sem data de volta faz é já ter um roteiro meio planejado para os próximos 3 meses, com as principais passagens já compradas e já ter alguns passagens e reservas de hospedagem em locais que gostaria de visitar, assim não tem problemas com a imigração.

 

Pretendo visitar tudo que for de graça ou quase de graça, por isso não tenho planos definidos e nem ingressos para mostrar. Você consegue me dizer se existe ingressos baratos( quase de graça) de qualquer atração para comprar em Portugal e em outros países da Europa?

 

Estou pensando em pegar em agencias de viagens aqueles panfletos de atrações na Europa, será q o oficial de imigração aceita esses panfletos como roteiro?

 

Vi que alguns hotéis são tranquilos de cancelar a reserva sem pagar multa. Como não sei o que fazer, vou precisar cancelar minhas reservas quase sempre, é tranquilo fazer isso no mesmo dia do embarque ou é melhor esperar passar pela imigração?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×