Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Vivi Mar

Estrada Real - Postando dicas e informações atualizadas Julho/2015

Posts Recomendados

Pessoal,

Como em toda cicloviagem procuro dicas nos foruns e grupos, no retorno sempre procuro retribuir, com informações atualizadas, e dicas pra quem se interessar.

ps: Devido a falta de tempo fiz somente um resuminho do dia a dia, fotos, e apenas um texto para forum e grupos face. Abraços.

 

fotos e post no face:

 

Oh! Minas Gerais Quem te conhece Não esquece jamais Oh! Minas Gerais.

Como dizem por ai: Tartarugas conhecem as estradas melhor do que os coelhos. E foi em velocidade de tartaruga manca que tivemos a honra de pedalar pela Estrada Real. Pouco mais de 400km de Diamantina a Ouro Preto. Curtindo cada cantinho, cada pedacinho, cada cidade, cada riozinho, cada prosa com moradores, cada acampamento. E ainda assim faltou tempo para desfrutar de tantas riquezas.

Optamos por acampar durante o percurso. Demos preferencia pelos pequenos vilarejos e povoados menores. Levamos barraca, isolante, saco de dormir, panela, fogareiro, comida, no bagageiro das bikes. Nada de roteiros engessados. Tudo bem flexível. Pra onde o vento soprar...

 

Não vou descrever aqui a quilometragem de cidade por cidade, pois no site

http://www.estradareal.tur.br/caminho-diamantes tem todo o percurso, mapas,

altimetria, planilhas, tudo detalhado para quem tem interesse em conhecer a ER e planejar o seu roteiro.

 

Apenas um breve resumo dos custos da viagem, acampamentos, e alguns comentários:

*Custo total de hospedagem nos 8 dias de cicloviagem: R$ 15,00. Somente em Ouro Preto que

pagamos camping, nos demais dias contamos com a receptividade dos moradores. Acampamos em

praças, escolas, associação, prefeitura, prainhas, rios, topo de montanha, e por ai vai.

*Media de custo/dia com alimentacao: 18/dia. (incluindo cafe da manha, almoco e jantar)

*Resumo de falhas tecnicas, rs: 1 gancheira da bicicleta quebrada, problemas no cambio, 3 pneus furados, 1 tombo no mata burro na vertical, 3 tombos na descida escorregadia de Tapera.

*Para embarcar bike em SP a empresa Gontijo exigiu o pagamento de R$30,00 por bicicleta, indiferente do peso/cubagem. Alegando que não era bagagem pessoal. Tambem exigiu embalagem em caixa de papelao. No retorno a empresa Util nos atendeu bem, e não tivemos problema algum para embarcar com a bicicleta.

*Gastos com primeiros socorros: R$15,00 sabonete Escabin para carrapatos. Contei 77 picadas de micuim. Aff. Todos pegaram 1 ou 2 carrapatos, somente eu que devo ter pisado no foco que peguei 77, rs

 

Sexta) Saída de Diamantina as 14:00. Atraso devido a gancheira quebrada da bike do Andre. Acampamos gratuitamente no vilarejo de Vau com autorização da Valquiria que conhecemos lá na hora.

Ela é presidente da associação e tem um abrigo para romeiros, com direito a banho quente. Tudo 0800. Jantamos no bar do seu Luiz. Caldinhos 2,00, feijão tropeiro por 4,00.

 

Sábado) de Vau a 3 Barras, passando por SGPedras, Milho Verde. Por R$8,00 compramos nossa comida do dia, doce de leite, ovos, bananas, linguicinha caseira, etc. Acampamos no 'pé de jatobá', perto de uma falesia com permissão do proprietário Sr Sebastião que o Seu Marciliano que conhecemos no bar nos indicou.

Banho de rio, acampamento ao lado do riozinho. No jantar preparamos um risoto de camarão seco com creme de leite e queijo e tomamos um vinho.

 

Domingo) de 3 Barras a Itapanhoacanga, aprox 56km. A cidade estava em festa. Chegando na cidade conhecemos o Sr Laerte que nos ofertou a Associação para acamparmos. Mais um dia com a sorte ao nosso lado. Acampamos num local abrigado do frio, com ducha quente, e todo estruturado. Como se ainda não bastasse, quando estávamos começando a preparar o nosso jantar, o Laerte apareceu e disse que o Rei da Festa nos convocou para o jantar. Todo ano eles escolhem o Rei e a Rainha da festa, e assim dão sequencia a tradição desta linda festa de N Sra Rosário. Comemos um mexidão todos juntos, e nos divertimos com os causos da cidade.

 

Segunda) De Itapanhoacanga a pouco depois de Conceição Mato Dentro, aprox 60km. Na saída da cidade subimos o temido morro para Tapera. Se não tirar o fôlego porque é ingreme, vai tirar o fôlego por tamanha beleza. Um trecho lindíssimo da ER, povoados super agradáveis. Fomos muito bem recebidos em todos os vilarejos pelo caminho. Conceição Mato Dentro é cidade grande. Um morador nos indicou um local para acamparmos saindo da cidade. Acampamos num riozinho a uns 10 km mais pra frente, no sentido da nossa rota. No jantar preparamos Arroz, Shitake e Fungui seco com shoyo, e frango desfiado.

 

Terça) de Riozinho Conceição até topo de morro em Itambé. Ao sair do acampamento notamos que o rio que o morador indicou era outro 2km mais pra frente, e bemmm maior. Em Morro do Pilar abastecemos nosso estoque de comidas, e conhecemos o dono da lanchonete, que disse que tem um lindo riozinho com prainha no seu terreno, a 15km adiante. E lá fizemos nossa pausa para um banho de rio. Tem 1 rio 5km depois da cidade, e outro 10km após.

Ótimo local para acampar, mas não ficamos pois ainda era cedo. Sentido Itambé acampamos no topo de um morro, que tinha um climão meio de montanha.

Captamos agua para cozinhar de uma caixa d´agua azul lá no topo, em cima das pedras. Creio que sirva para agua do gado. Este acampamento foi ótimo. O céu estava estrelado, preparamos uma farofa de linguiça caseira, com ovos, queijo mineiro, arroz, etc.

 

Quarta) Topo morro Itambe até Bom Jesus, aprox 55km. Em Itambé tem muitas cachoeiras. Fizemos uma parada para almoço em Ipoema. Aqui em Ipoema um cachorro passou a seguir a bicicleta. Sem nem ligar pra gente, simplesmente passou a correr ao lado das bicicletas. Tentamos expulsar mas ele nem ligou.

Tocamos para Bom Jesus, onde coincidentemente encontramos outros ciclistas que tínhamos encontrado dias antes. Acampamos na Usina conforme

dica dos moradores, e o Fernando que é guia na cidade nos deu todas as dicas. Valeu Fernando !!! E lá na Usina fizemos nosso churrasco de despedida da Meire e Bruno, que iriam partir no dia seguinte devido a compromissos

familiares.

 

Quinta) Bom Jesus x Santa Barbara. A altimetria começa a se tornar nossa amiga. Pedalamos por quilometros por trechos mais planos com dia nublado. A cidade Barão de Cocais é bem grande, não é muito acolhedora por ser bem grande, rs.

PS: O cachorro passou o dia todo seguindo as bicicletas. Tentamos expulsar mas ele nem ligava. O plano era seguir para Catas Altas, mas demoramos e logo escureceu. A cidade de Santa Barbara era grande, e seria dificil um local adequado para acampar. PS: No final do dia o cachorro se tornou nosso ídolo depois de correr por 66km no ritmo das bicicletas, com a lingua pra fora, sem pedir nada em troca. E ele ainda corria com apenas 3 patas. Ganhou colo, comida, agua e todos os cuidados. Conversamos com um morador que nos indicou a Prefeitura. E logo estávamos nós montando nossas barracas dentro da Prefeitura da Cidade, e o prefeito veio pessoalmente nos buscar para tomar banho e um café em sua casa. Agradecimento especial ao Prefeito Leris, e seu vice, que nos acolheu e recebeu tão bem em sua cidade. Adoramos a prosa. A noite o cachorro desapareceu. Respiramos aliviados, pois ele não poderia continuar nos seguindo por mais tantos km.

 

Sexta) Prefeitura Santa Barbara x Bento Rodrigues (apos Sta Rita durao), aprox 55km no total. Ao acordar e desmontar acampamento, o cão estava lá. Abanando o rabo e pronto pra correr mais outros tantos km.

Mas hoje tinhamos trechos de pista, asfalto, e seria perigoso para o cão. Entre choros de despedida, achamos um morador que aceitou adotar a cadelinha maratonista. Teve que amarrar para ela não vir correndo atras de nós. Foi triste a despedida do cãozinho que correu por 66km quase na velocidade das bicicletas. Na descida a gente dava perdido nele, mas nas subidas ele nos alcançava, kkk.

No Bicame de Pedra conhecemos ciclistas de Santa Barbara que nos deram muitas dicas dos locais. Passamos por Catas Altas, visual lindo do Caraça. De um outro angulo estava dominado até a metade pelas mineradoras, aff. Lá batemos um rango por 8,70. Precisava de algo mais substancioso, rs.

5km adiante tem um povoado chamado Morro de Aguas Quentes. Fizemos uma breve parada em Sta Rita Durão, e 10km adiante encostamos em Bento Rodrigues. A proxima cidade seria Camargos bem pequena, e depois Mariana, que é enorme. Então optamos por acampar por ali. Moradores nos autorizaram a acampar na praça, em frente à igreja. Havia um banheiro externo que usamos, e agua potavel na praça.

 

Sábado) Bento Rodrigues x Ouro Preto.

A saída foi tranquila. Fizemos uma pausa em Mariana para o almoço. R$10,00 coma a vontade perto da rodoviária.A partir dali foi somente asfalto, e uma serrinha tranquila para subir, porém, com muitos carros. A marcha pulando da bike, corrente escapando toda hora, e todos os problemas mecanicos que acontecem no final de qualquer cicloviagem, rs. Não curti este trecho. Talvez durante a semana tenha menos movimento de veículos. Chegamos as 13:30 em Ouro Preto.

Compramos nossa passagem de retorno para o dia seguinte pela manhã, pois no mesmo dia não tinha mais vaga. E acampamos na pousada São Francisco, em frente a Rodoviaria. R$15,00/pessoa.

 

Mais fotos no link: https://picasaweb.google.com/…/CicloviagemEstradaRealDiaman…

 

Um pouco mais sobre a Estrada Real:

“Em meados do século XVIII já eram muitos os caminhos que conduziam às

de Minas Gerais, mas também muitos eram os seus descaminhos. Para evitar estes descaminhos a Coroa Portuguesa determinou que o ouro e os diamantes deixassem as terras mineiras apenas por trilhas outorgadas pela realeza, que receberam o nome de Estrada Real. Inicialmente, o caminho ligava somente a cidade de Paraty às províncias auríferas do interior de Minas, a antiga Villa Rica, hoje Ouro Preto (Caminho Velho). No entanto, a Coroa Portuguesa percebeu a necessidade de um trajeto mais seguro e rápido ao porto do Rio de Janeiro, surgindo então o caminho novo.”

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vivi, muito bom o teu relato. Pensei seriamente em fazer esta viagem à pé, com mais dias, porém o ponto que pesava era não ter experiência com longas caminhadas. Após ler o teu texto, estou repensando em fazê-lo via bike mesmo.

Parabéns! E obrigado por compartilhar a experiência conosco [GRINNING FACE WITH SMILING EYES]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola Silva,

que bacana. Fico feliz por ter inspirado voce a retomar seus projetos engavetados, rs.

Caminhadas sao sempre legais, mas este trajeto é bem longo, e sempre com estradas, asfalto, estradas bem abertas, etc. Creio que o ideal para cumprir em pouco tempo seria bike mesmo, mas a pe tambem seria um bom desafio. Pensa com carinho... o importante é embarcar no sonho, rs.

Abracos e ate breve.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Vivi!

Amei seu relato. Ando procurando algo diferente. Já estou planejando minha viagem pelas cidades históricas de Minas (meu Estado). Entretanto, fiquei sabendo desse caminho de bike e pirei!!! Agora preciso fazer essa trip!

Hoje moro em São Paulo e terei que levar a bike de ônibus. Não pretendo acampar. Então preciso de algumas informações: Tem pousadas ou pensão para pernoitar em todas essas cidades? Pra viajar com a bike só tem como transportar em caixa de papelão? Ou posso usar aquela bolsa própria a Mala Bike? Estou de férias em Novembro. Você sabe como é o clima na região nessa época? Será que chove muito?

Bom, já te agradeço e curti muito o fato de você e seu grupo terem feito esse caminho sem pressa e apreciando as coisas boas de minas que são: os mineiros!!! Povo acolhedor e de uma cultura muito rica.

Abraços

Cris Correa

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Cris,

Caramba, passei um tempo sem entrar aqui no forum, e geralmente eu recebia um email quando alguém respondia um post meu.... Entao ou nao enviaram o email ou realmente passou despercebido.

 

Voce ja foi para a cicloviagem?

Tambem moro em sp, que lugar vc mora?

Quanto a pousadas, tem sim, em locais estratégicos, entao basta planejar os locais de pernoite que voce consegue pernoitar em pousadinhas sim.

Para transporte nos onibus, sem problemas... com papelao ou plastico bolha, da pra transportar sem problemas. Eu geralmente levo um lençol e cubro a bike, e nunca tive problemas.

Adorei sua mensagem.

Beijos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vivi bacana sua trilha ER eu sou de Barão de c. Resido em Goiás há 12 anos.. peço lhe desculpas pela pouca receptividade de meus conterrâneos. O prefeito de Santa Bárbara além de ser lindo eh mesmo generoso e educado. Q pena q não deram uma pausa no carcaça.. não sei se vc já conhece. lah eh lindo! Poderiam ter passado a noite e assistir os lobo guará comerem no recinto do hotel com os padres.. o Museu de dom Pedro 2 as cachoeiras... tudo lá eh lindo e a água ótima para banhar.. parabéns pelos relatos estou amando ler todos eles.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...