Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Realizamos no período de 19 a 28 de julho de 2015, o circuito completo do Vale europeu em Santa Catarina. Foram 10 dias contemplando e vivienciando lugares, pessoas maravilhosas.

Destaco alguns locais incriveis: Pomerode, blumemau, fazenda campo do zinco e sua maravilhosa cachoeira, lindos mirantes, estradas encantadoras, pessoas hospitaleiras e cordiais. Nāo tivemos nenhum incidente.

 

Começamos antes do circuito, fazendo o caminho entre blumenau e pomerode a pé, e no final fizemos do mesmo modo a rota enxaimel em Pomerode, por isso o roteiro foi concluido em 10 dias.

 

Brevemente relato completo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi claudia,

Estou muito atarefado e juntando as anotações da vigem......pois foram 4 trechos.

vale europeu, volta Florianópolis, de bombinhas até caioba no Paraná, e a subida da serra da graciosa.....tudo a pé.

 

Em breve começo postar os 4 relatos.

Ainda tah faltandos o relato estrada real(paraty x Diamantina) a pé.

Caminho dos anjos ao contrário

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esse é o site oficial do caminho. Como dá pra verificar, disponibilizaram poucas informações, principalmente sobre hospedagem, condições das estradas..........Como adoramos o desconhecido fomos conferir na base do boca a boca, muito melhor pois iríamos conhecer e conversar com muitas pessoas diferentes pelo caminho.

Uma coisa que facilita aos caminhantes é que o trecho e todo sinalizado com setas BRANCAS. As setas VERMELHAS são para os ciclitas(trechos divergentes em alguns lugares).

http://www.circuitovaleeuropeu.com.br/

 

Dia 18 de julho de 2015

saída de Florianópolis e chegada a Blumenau-SC

 

Após terminarmos a volta da ilha de Florianópolis a pé, resolvemos, depois de muita procura, obter informações sobre o caminho do vale europeu.

O problema era que não conseguimos nenhum relato na internet sobre alguém que tivesse feito a pé, somente de bike.

Resolvemos sair de Florianópolis com pouca informação e, aproveitando a festa italiana que estava acontecendo em Blumenau, pegamos um ônibus (R$38,11 cada passagem)na estação rodoviária, próxima ao centro da cidade e ao terminal urbano.

Depois de +- 3 horas chegamos à rodoviária de Blumenau, atravessamos uma avenida e pegamos coletivo(R$3,30 cada), até ao centro da cidade.

No centro, em frente ao Banco do Brasil, conseguimos hotel bem simples com preço salgado. Hotel pousada XV , camas boas, tv, wifi, ventilador, aquecedor, banheiro compartilhado, ótimo café da manhã, preço R$120,00 casal com café manhã. Muito gentilmente cederam varal para secarmos nossas roupas.

Andamos pelo centro da cidade, a tarde fomos até parque onde estava realizando a festitalia, não conseguimos entrar, pois fecharam as 16 horas e só reabriram às 19 horas.

Decidimos que no outro dia iríamos a pé para Pomerode, e lá começaríamos o caminho do vale europeu. Dorminos bem cedo.

 

Algumas fotos:

Centro da cidade de blumenau

DSC00876_zpstp2dl28f.jpg

Parque exposição Blumenau

DSC00877_zps1ro66fqc.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

1° dia. - 19.07.2015 - DOMINGO

 

Saída de Blumenau e Chegada a Pomerode-SC

+- 28 quilômetros em aprox 6 horas

 

Caminhamos um bom trecho dentro de cidade, pegamos pequeno trecho de uma BR, até trevo para Pomerode. Todo o trecho é em asfalto com acostamento.

como estava acontecendo uma festa em Pomerode, o movimento na estrada estava muito grande. Tudo praticamente reto, lindas casas e chacaras no caminho.

Sem muitos problemas chegamos ao portal de Pomerode na hora do almoço, resolvemos voltar ao parque de exposições para ver como era a festa....... Não ficamos, pois era um festival gastronômico dos restaurantes da cidade e nao tinha nenhuma mesa vazia, e os preços lá em cima.

retornamos ao centro, vimos hotéis(tudo caro) batemos em duas casas de pessoas que alugam quartos e eles não abriram as portas, caramba, será que ficaram com medo de nós(dois velhos, mas mochileiros...heheh). Aproveitamos e almoçamos numa padaria chique (R$45 o quilo, com comida típica alemã, marreco recheado, joelho porco.....) abaixo do portal, Resolvemos voltar ao portal, por sorte encontramos 3 caminhantes que estavam chegando de timbo(na verdade esse caminho começa em Indaial, nós que iríamos comnueçar e terminar em Pomerode). Eles nos informaram que passaram na porta de um hostel. Como assim! Passamos por lá 3 vezes e não vimos ele.......continuamos uns 150 metros e "achamos o HOSTEL" VIVA...

Hostel Stettin 047 9631-1313 e 3387-0404, novíssimo, camas ótimas, banheiro compartilhado limpissimo, tv na sala, wifi bom, sem café, otima alternativa, pois os preços de hotéis estavam o olho da cara na cidade. Proprietária super-atenciosa, preço R$120 casal sem café. RECOMENDO. Me senti em casa.

 

Pomerode: cidade média, com boa estrutura turística, lindas casas alemãs, bons restaurantes, alguns bancos. Cidade praticamente de alemães, fomos muito bem recebidos na cidade.

 

ALGUMAS FOTOS.

Saída de Blumenau, ponte coberta:

DSC00878_zpsbcblj7hk.jpg

Chegada ao Portal de Pomerode-SC

DSC00881_zpsiqfjieyq.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

2º Dia - 20.07.2015 - Segunda-feira

 

Saída de Pomerode, chegada a Rio dos Cedros

+-18 quilometros em aprox. 03:15 hrs

 

Comemos um rápido café da manhã, o hostel não disponibiliza(estão providenciando). Logo cedo rumamos para a saída da cidade, pegamos a estrada asfaltada que liga Pomerode a Timbó.

Poucas subidas/descidas leves, na maior parte estrada plana com acostamento. Outro dia com o tempo nublado.

Ficar atento, pois tem que virar à direita e pegar outra estrada asfaltada, poucas placas sinalizadoras no caminho.

Lindo visual das casas e chácaras estilo alemã, sobressaindo o enxaimel, com seus tijolos aparentes e bem conservados.

Chegamos bem cedo ao centro da cidade, seguindo orientações dos moradores e, sabendo que no outro dia o trecho começaria praticamente em frente a uma pousada, optamos em virar a esquerda na praça matriz e uns 1.000 metros terminamos esse pequeno e lindo trecho na referida hospedaria.

retornamos ao centro para almoçar, defrente a igreja matriz um ótimo self-service a R$13,00 por pessoa podendo comer a vontade.

 

Hospedagem: Pousada Mi casa (047) 3386-1909, quartos limpos, camas boas, tv aberta, wifi não funciona, tem restaurante embaixo(mas não gostei), ar condicionado, prefira quartos nos fundo, pois faz muito barulho nos de frente ao posto de gasolina. Preço: R$100,00 o casal com café da manhã bem simples.

 

Rio dos Cedros: Pequena cidade, com algumas hospedagem, restaurantes, bancos....supermercados....

 

Algumas fotos:

Saída de Pomerode-SC

DSC00885_zpsutozfxus.jpg

Lindas chácaras com casas enxaimel

DSC00888_zpsjt4gssj9.jpg

Chegada a Rio dos Cedros

DSC00890_zpsjj9qp4ak.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

3º Dia 21/07/2015 - Terça-feira

 

Saída de Rio dos Cedros e chegada a Benedito Novo-SC

+- 24 quilometros em aprox. 04:50 hrs

 

Antes do nascer do dia, tomamos café bem fraco, seguimos por uma estrada de terra bem sinalizada reta, depois pegamos uma subida fortíssima de uns 4 kms.

Aqui tem que ficar atendo: à direita tem um mata-burro, com algumas placas, mas nenhuma indicando o caminho para Benedito Novo, mas tem que virar ali.

Após esse mata-burro pegamos uma descida fortíssima... chegamos a cidade, num posto tomamos um cafe espresso(R$4,75 um roubo!!!!), andamos mais uns 2 kms de asfalto.

Ficar atento as setas brancas, num pequeno trevo, tem que virar a direita, pegando outra estrada de terra com subida leve....

Seguindo as setas, chegamos numa ponte pencil, atravessamos, chegamos na rodovia, viramos a esquerda e a pousada fica a uns 100 metros.

Neste dia pegamos tempo frio, encoberto e com chuva fina.

 

Hospedagem: Pousada e restaurante Texas Grill, beira da estrada e do rio, ar condicionado, tv, wifi, camas de alvenaria com colchão vencido. Tem restaurante embaixo, self-service a R$15,90 por pessoa, come-se a vontade(comida boa com sobremessa), com lindo visual do rio. Preço hospedagem: R$120,00 o casal com ótimo café da manhã. Pessoal super-atencioso.

 

Benedito Novo: Pequena cidade, só vi essa pousada/restaurante, tem supermercado, não vi banco(deve ter no centro) essa pousada fica na saída da cidade.

 

Algumas fotos:

Saída cedo de Rio dos Cedros

DSC00891_zpsjwt4pwue.jpg

Mata-burro a direita da estrada principal, tem que virar aqui...

DSC00893_zpsrhdekl7o.jpg

Lindo visual de montanha

DSC00894_zpssvzjem51.jpg

Ponte sobre rio...chegada a pousada

DSC00900_zpshvx7r0pi.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

4º dia - 22/07/2015 - Quarta-feira

 

Saída de Benedito Novo e chegada a Doutor Pedrinho-SC

+- 26,50 kms em aprox. 05:15 hrs

 

Tomamos um excelente café da manhã, saimos bem cedo.

Tivemos que retornar uns 500 metros(saimos do hotel, atravessamos o rio pela ponte pencil, viramos à direita na estrada de terra) até um pequeno trevo, e seguir à esquerda.

Para nossa sorte o tempo estava nublado e frio, mas logo a seguir começou uma chuva fina que nos acompanhou quase todo o percurso.

Numa pequena chácara plantações de uva. No trecho grandes plantações de eucalipto e na chegada da cidade, muita de arroz.

No início subida fortíssima logo a seguir descida .... grande parte do trecho é em reta. No meio do percurso subida fortíssima, no final descida fortíssima com belíssima cachoeira na chegada da cidade com lindo visual de montanha.

Na chegada da cidade pegamos uns 2 kms de asfalto novo.

 

Hospedagem: Hotel dona Hilda (047) 3388-0103, próxima a prefeitura e padarai, camas ótimas, banheiro privado, limpíssimo, wifi rápida, tv, Dona Hilda nos ofereceu café da manhã antes do previsto, quebrando, assim um galhão. Preço: R$120,00 o casal com excepcional café da manhã.

Dona Hilda tem restaurante embaixo do hotel: preço: R$18,00 por pessoa a vontade. Ótima comida.

 

Doutor Pedrinho: cidade bem pequena, tem somente duas pousada( uma bem cara), vi somente um banco, tem restaurante, supermercado, farmácias.....

 

Algumas fotos:

Subindoooo

DSC00902_zpsj9nwdh6i.jpg

Ponte sobre rio, logo a seguir grandes plantações de arróz

DSC00904_zpsiwpb3fqv.jpg

Viemos láaaaa de baixo...

DSC00906_zpsllbjptw8.jpg

Descendoooooo...

DSC00908_zps4m6b7rea.jpg

Asfalto na chegada de Doutor Pedrinho

DSC00910_zpsavuvbqe2.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

5º dia - 23/07/2015 - Quinta-feira

 

Saída de Doutor Pedrinho e chegada a Fazendo campo do Zinco-SC

+-32,50 kms em aprox. 07:50 horas

 

SOBRE HOSPEDAGEM NESTA PERNADA:

No dia anterior entramos em contato com a proprietária da fazenda(nosso próximo destino), para verificar disponibilidade de pernoite..depois de várias ligações, conseguimos reservar para o dia.

Portanto quando for fazer esse trecho, sugiro fazer reserva antecipadamente, pois essa pousada fica longe de tudo, e não tem estrutura diária para receber caminhantes(só operam via reserva antecipada), não adianta ir sem reserva, podem chegar lá e a fazenda fechada(proprietários moram na cidade de Benedito Novo)..... e o pior, não tem nada perto, a cidade próxima deve ter uns 10 kms.

 

Acordamos bem cedo, pois o trecho tinha mais de 30 kms. Dona Hilda, gentilmente, fez o café da manhã mais cedo para nós, uma delícia.

Voltamos pela estrada de asfalto do dia anterior, depois pegamos estrada de terra, com algumas subidas/descidas fortes e algumas leves...... trecho com lindo visual de montanha, grande parte do percurso segue um rio com lindas fazendas.

Siga as placas da POUSADA CAMPO DO ZINCO, assim que chegar a uma porteira(da fazenda), começa uma íngreme subida, no topo mirante para uma linda e imponente cachoeira.

Da porteira da fazenda até a pousada são aproximadamente 4 kms.

Pegamos um pouco de chuva fina e nevoeiro.

 

Hospedagem: Pousada Campo do Zinco, fazenda com linda cachoeira e grande reserva de mata atlântica, acomodações boas, camas boas, banheiro COMPARTILHADO (apesar do preço), aquecedor, piscina, tv na sala, não tem wifi, não pega celular. Preço: R$300,00 o casal com café da manhã, chá da tarde e jantar(razoável).

Apesar de ser uma fazenda distante, meia-pensão, esperava mais dessa pousada, apesar da logística complicada deles.

Mas devo agradecer aos proprietário por aceitar nossa reserva com um dia de antecedência.

OBS.: Os proprietários residem em Benedito Novo, próximo a Pousada/restaurante Texas Grill, se não tiver efetuado a reserva da pousada com antecedência, vá até a casa deles para verificar a disponibilidade de aceitar hospedá-los. NAO VÁ SEM RESERVA!

Tentem entrar em contato atravez deste telefone: (047) 3385-0160... eles têm facebook.

 

Algumas fotos:

Grandes plantações de arroz

DSC00912_zps3b1irmtg.jpg

Subida forte....

DSC00916_zpsls8th0kh.jpg

Rio em grande parte do trecho

DSC00918_zpskdfgcgxv.jpg

Como é bom conhecer os moradores locais(esse senhor tem uns 80 anos, trabalha com carpintaria até hoje)

DSC00921_zpslhjhznhw.jpg

Entrada da fazenda campo do zinco

DSC00928_zpsc7nep4kn.jpg

Linda cachoeira

DSC00934_zpshkhjia7l.jpg

Chá da tarde

DSC00938_zpsbccsznvu.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por nnaomi
      Finalmente, depois de um longo e tenebroso inverno, mais um relato!
      Não é um dos locais mais turísticos, mas vamos lá!
      Vale Europeu DDD (47 - Nova Trento 48) 
      Período: 17 a 24/02/2018
      Cidades: Blumenau, Pomerode, Indaial, Ascurra, Rodeio, Timbó, Brusque, Nova Trento, Botuverá
      O Vale Europeu é caracterizado pela colonização europeia, principalmente alemã e italiana que se revela na arquitetura, gastronomia e manifestações histórico-culturais que são relatadas em museus e celebradas em festas típicas como a Oktoberfest. Além disso, a indústria têxtil movimenta o turismo de compras. O turismo religioso também é expressivo, destacando-se o Santuário Santa Paulina, dedicado à primeira santa brasileira, que é o segundo destino religioso mais visitado do país (o primeiro é Aparecida do Norte). Outro forte segmento é o ecoturismo pelos morros, vales, rios e cachoeiras que proporcionam a prática de trilhas, rapel, cascading, canyoning e voo livre. Sobressai-se também o ciclismo com o Circuito de Cicloturismo do Vale Europeu que tem 300 km de percurso e passa por nove municípios com início e fim em Timbó. O Circuito de Caminhante do Vale Europeu passa pelas mesmas 9 cidades com um roteiro de 220 km e início e fim em Indaial. Outro projeto é o Acolhida na Colônia com enfoque no agroturismo ecológico que oferece hospedagem, alimentação e atividades como pescaria e cavalgada, além da oferta de produtos artesanais.
      Confira abaixo as dicas e o relato de viagem. Ficamos hospedados no centro de Blumenau.
      Obs.: ATENÇÃO: Não possuo nenhum vínculo com hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. Alguns dos pontos turísticos, bem como alguns estabelecimentos, não foram visitados por mim e as informações foram obtidas de guias ou funcionários de CITs ou são provenientes de pesquisa. Portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade e/ou outras fontes idôneas e confiáveis, como sites oficiais do governo ou órgãos de ensino/pesquisa, se os dados são atualizados e/ou verossímeis. Verifique também as datas dos relatos; algumas informações permanecem válidas com o passar dos anos, porém outras são efêmeras. Esse site não se propõe a ser um guia turístico, trata-se apenas de um relato de viagem e um apanhado de observações, experiências vivenciadas e opiniões de cunho pessoal que não têm a pretensão de ser uma verdade absoluta, pois retratam apenas uma faceta ínfima do diversificado e amplo universo histórico e cultural que um destino de viagem proporciona. Vá, experimente, vivencie e encontre a sua verdade.
      Índice
      A cidade
      Como chegar
      Quando ir
      Onde ir em Blumenau
      Onde ir em Pomerode
      Onde ir em Indaial
      Onde ir em Ascurra
      Onde ir em Rodeio
      Onde ir em Timbó
      Onde ir em Brusque
      Onde ir em Nova Trento
      Onde ir em Botuverá
      Onde ficar
      Onde comer
      Dicas (Contatos úteis, Postos de Informações Turísticas, Fontes, Receptivos Turísticos e Dicas)
      Mapas
      Sugestão de roteiros
      Relato de viagem
      ****************************************
      Nanci Naomi
      http://nancinaomi.000webhostapp.com/
      Trilhas:
      Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté
      Relatos:
      15 dias em SC: - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha
      Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas
      3 dias em Monte Verde - dez/2014
      21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro
      11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo
      21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi
      21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú
      8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est
      25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina
      Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010
      Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009
      Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009
      19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal
      10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008
      De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008
      Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007
      Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes
      9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
    • Por casal100
      Resolvemos, dessa vez, fazer alguns roteiros distintos: beira-Mar, trilhas em montanhas e travessia.
      Começamos por Ubatuba, foram 10 dias de caminhada, por algumas das principais praias; depois pegamos nosso veículo e fomos fazer alguns roteiros em Extrema-MG e, por último,  a grata surpresa: TRAVESSIA DA SERRA DA CANASTRA-MG, que lugar maravilhoso: belas cachoeiras, trilhas fortes, flora e fauna exuberante, povo amigável, queijos deliciosos(alguns entre os melhores do mundo na sua categoria) sem contar a culinária mineira. Tudo de bom.
    • Por casal100
      Fizemos a maioria dos caminhos que passam pela Serra da Mantiqueira(Estrada Real, Caminho da Fé, Crer....), alguns mais de 1 vez.
      É quase unanimidade entre os caminhantes que, indiscutivelmente, a Serra da Mantiqueira têm as mais bonitas paisagens e, nós concordamos integralmente. São caminhos que proporcionam lindas fotos,  clima agradabilíssimo, povo acolhedor e simpático, ingredientes que definiram esse roteiro.
      Foram quase 50 dias e mais de 1.100 quilômetros de muitas alegrias, felicidade e paz,  poucas tristezas e decepções.
      Começamos e terminamos na MAGNÍFICA cidade de Campos do Jordão-SP, depois de rever vários lugares (passei alguns invernos nesta bela cidade, quando eu era "bacana"). A cidade se transformou,  criaram vários roteiros turísticos, belas e caras casas dos novos e velhos "bacanas", ótimos restaurantes, atrações mil,  pousadas e hotéis de todo tipo e preço, tem até o refúgio do peregrino, comércio bom, povo hospitaleiro, clima perfeito e, ainda por cima fomos no verão,  baixa temporada,  onde com facilidade encontramos boa hospedagem com preços menores que muitas hospedagem em cidades pequenas.

      Outra coisa que pesou em escolher fazer essa travessia é que a região se assemelha muito com um projeto que temos em mente, que é a travessia entre Punta Arenas x Arica no Chile,  então serviu como treinamento.
    • Por casal100
      ROTEIRO À PÉ:
       
      RIO GRANDE DO SUL:
      Portão
      Bom Princípio
      Carlos Barbosa
      Garibaldi
      Bento Gonçalves - Vale dos vinhedos
      Bento Gonçalves - Pinto Bandeira
      Bento Gonçalves - pela cidade
      Bento Gonçalves - caminho de Pedras
      Caxias do Sul - flores da Cunha
      Caxias do Sul - estrada dos imigrantes
      Nova Petropolis
      Gramado - Natal de Luz
      Canela - Cachoeira do Caracol
      Gramado - pela cidade (parques, centro)
      Santa Maria Herval
      Picada Café
      Ivoti
      Sapiranga
      Três Coroas
      São Francisco de Paula
      São Francisco de Paula  (parques, lagos e pela cidade)
      Tainhas
      Cambará do Sul
      Cambará do Sul - Canyon Itambezinho
      Cambará do sul - canyon Fortaleza
      Torres - praia
       
      SANTA CATARINA:
      Praia Grande - descida Serra do faxinal
      Balneário Gaivota - Praia
      Balneário arroio do Silva - Praia
      Balneário Rincão - Praia
      Balneário corrente - Praia
      Farol de Santa Marta - Praia
      Laguna - cidade histórica + Praia
      Orleans
      Guatá  (distrito de Lauro Muller) pé da serra do Rio do Rastro
      Bom Jardim da Serra
      ROTEIRO DE ÔNIBUS :
      São Joaquim
      Urubici
      Bom Retiro
      Lages
      Fraiburgo
      CONTINUAÇÃO À PÉ SANTA CATARINA:
      Videira
      Treze Tílias
      Água Doce
      Jaborá
      Concórdia
      Seara
      Chapecó
       
      PARANÁ (ÔNIBUS):
      Curitiba
      Paranagua
      Morretes
       
      QUILÔMETROS /DIAS: +- 1.300 kms em 53 dias
       
      PESSOAS:
      No planejamento da viagem nossa preocupação era de como seríamos recebidos nas pequenas cidades, visto que algumas delas não tinham vocação turística, e "mochileiros"poderiam ser "novidade". Mas, essa preocupação foi rapidamente deixada de lado.
      Fomos recebidos muito bem em todos os lugares (exceto dois episódios, que não afetou em nada nossa caminhada).
      Ficamos impressionados com a educação e o acolhimento da população do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, sempre solícitos às nossas demandas.
      Poxa, que saudade de tudo aquilo, em breve voltaremos.
       
      CIDADES:
      Praticamente todas as cidades desse roteiro tinham pousada ou hotel, somente o distrito de tainhas-SC não tem, somente restaurante (mas esse trecho tem serviço de ônibus intermunicipal).
       
      ESTRADAS:
      Optamos em fazer pelas estradas asfaltadas(alguns trechos fizemos em estrada de terra), pois não conseguimos informações sobre estradas secundárias nesta região.
       
      COBRAS:
      Nunca vimos tantas cobras como na serra Gaúcha, teve dia que vimos umas 5, quase minha esposa pisou numa em uma rodovia asfaltada.
      Elas ficam enroladas na pista de rolamento, é normal vê-las todas esmagadas por veículos, ficam parecendo um desenho no chão (pois vários veículos passam por cima).
       
      ANIMAIS SELVAGENS:
      Outra coisa que nos chamou atenção, vimos muitas espécies(raposa, cobras, tatu, macacos, roedores, porco espinho etc) passando lentamente perto de nós.
       
      PRECONCEITO:
      Tivemos um fato lamentável num hotel fazenda.
      O gerente nos recebeu num descaso tremendo, nem respondia nossas perguntas, foi preciso a intervenção de uma funcionária para resolver a situação (quase mandei o cara a pqp), o infeliz está no lugar errado.
      O outro caso foi mais leve, mas fiquei puto.
      Tirando isso, foi muito tranquilo ser mochileiro naquela região, muito tranquilo mesmo.
       
      PREÇOS HOTÉIS:
      Variou de $25 a 95 por pessoa (mas a crise pegou todo mundo ), em alguns lugares priorizamos ficar em lugares melhores,
      Sempre pechinchamos os preços, na maioria dos casos conseguimos descontos, principalmente à vista.
      Não fizemos nenhuma reserva, foi muito tranquilo.
       
      PREÇOS REFEIÇÕES:
      variou de $10 a $35 por pessoa à vontade.
      Peso : de $20 a $44 o quilo.
      Obs.: em média coloque $22 por refeição sem bebidas.
       
      ABUSO CONTRA TURISTA:
      Só tivemos alguns casos de abuso, mas nada gritante:
      Você chega em duas pessoas e pede somente um cafezinho pequeno, o cara trás dois grandes (claro, mais caro) e na maior cara de pau diz que pedimos dois.
      Isso aconteceu nuns 5 lugares na serra gaúcha, lamentável!
      Obs.: para nos proteger disso, fazíamos assim: chegávamos nos caixas do estabelecimento e pagava antecipadamente, acabou o problema.
       
      CARONA: precisamos pegar carona em algumas oportunidades, e foi até tranquilo conseguir.
      .fomos ao canyon Itambezinho e no Fortaleza à pé, e voltamos de carona, foi tranquilo.
      .quando visitamos uma cachoeira em Cambará do sul, fomos à pé e voltamos de carona ( neste dia pegamos três, cada um nos levou num pequeno trecho).
      .dividimos o trecho entre Seara e Chapecó-SC em dois, como o ônibus demoraria muito, resolvemos ir de carona, demorou uns 40 minutos para aparecer.
       
      SEGURANÇA:
      Em momento algum tivemos problema, somente em Porto Alegre (visita ao mercado central que nos orientaram a ter cuidado), mas os moradores de PA estão preocupados.
      .na saída de Caxias do Sul, saída para estrada dos imigrantes tem um lugar que me pareceu inseguro, mas nada complicado.
       
      NEGOCIAÇÃO HOSPEDAGEM:
      Sempre negocie, em alguns casos conseguimos descontos de 10% abaixo dos sites de hospedagem. Principmente nesta crise, em alguns casos somente nós dois estavam hospedados no hotel.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 01 a 30 de janeiro de 2016 o CRER, foram mais de 800 quilômetros de caminhada.
       
      O circuito começa no morro da piedade a uns 15 kms de Caeté -MG e termina no santuário de Aparecida no estado de São Paulo.
       
      Esse circuito ainda está em fase de implantação, no escritório da igreja da piedade não disponibilizam nenhuma informação sobre o roteiro.
      Fornecem somente um pequeno mapa de uma parte do roteiro, não consta nele nenhuma informação sobre hospedagem, refeições, quilometragem.......
      Tem que seguir os marcos , que em alguns lugares foram destruídos dificultando sobremaneira o prosseguimento.
      Mais de 80% deste roteiro seguem o mesmo percurso da Estrada Real, no nosso caso ajudou bastante, pois em caso de dúvida seguíamos os da ER.
       
      Esse é uma demonstração de parte do CRER.

      Em algumas cidades tem essas placas informativa sobre o caminho CRER

      Essas placas informam as distâncias entre cidades..

      O morro da piedade é aquele morro no fundo da foto, é ali que oficialmente começa do caminho CRER

      Essa é a portaria que dá acesso a igreja da Piedade início oficial do CRER



×
×
  • Criar Novo...