Ir para conteúdo
romuloff

Relato +fotos +mapa: 10 dias - Santiago Chile (+Valparaíso e Viña del Mar) e Mendoza Argentina

Posts Recomendados

*CONTROLE DE VERSÕES DO TÓPICO:

08/10/2015 23:00 - versão 1 - sem imagens e sem link

09/10/2015 18:00 - versão 2 - com links

09/10/2015 22:00 - versão 3 - com fotos e vídeos

 

Mais uma vez aproveitando uma mega-promoção imperdível [link] para Santiago do Chile, e desta vez ainda saindo da cidade que moro (Uberlândia-MG): R$ 206,00 sem as taxas e R$ 409,00 com as taxas !

Outra coisa que mais uma vez aconteceu foi pegar um período de festas tradicionais, desta vez sem ter planejado, mas foram as denominadas "Fiestas Pátrias", feriado nacional no Chile dias 18/09 e 19/09.

Até o dia 20 estive com uma amiga e após este dia, sozinho.

 

Resumo do roteiro realizado:

17/09 QUI: início viagem

18/09 SEX: Santiago

19/09 SAB: Valparaíso / Viña del Mar

20/09 DOM: Valparaíso / Santiago

21/09 SEG: Santiago

22/09 TER: Los Andes / Puente del Inca

23/09 QUA: Puente del Inca / Mendoza

24/09 QUI: Mendoza

25/09 SEX: Mendoza a Santiago

26/09 SAB: Santiago

27/09 DOM: Santiago

28/09 SEG: retorno ao Brasil

 

Mapa com a maioria das citações de locais deste relato:

https://www.google.com/maps/d/edit?mid=zP_8-xeBtQFQ.kM-BsuNIbfuY&usp=sharing

 

 

Observações pré-relato:

Infelizmente planejei pouco algumas coisas nesta viagem para tentar deixá-la mais aberta, mas acabei me arrependendo muito pois não consegui fazer alguns roteiros por não ter achado forma econômica que se eu tivesse me planejado dariam para ter sido realizados: Farellones (região Valle Nevado) e Cajon del Maipo.

 

Pra não confundir, algumas palavrinhas que se repetem:

Cerro = Morro

 

Dicas gerais:

Moeda: na cotação de quando fui, a forma mais fácil de fazer a conversão da moeda, era dividir o valor por 100 (subir a vírgula 2 casas decimais) e depois dividir o valor por 2. O resultado era um pouco menos (aprox. 20%) do que realmente era o valor em real, mas já dava uma ideia sem fazer conta difícil. Sem acrescentar os 20% q é a conta mais difícil (valor acima dividido por 5) já dá pra ter uma ideia boa, é só saber que é um pouco mais que aquele resultado.

Isto é, para 2.000 pesos chilenos:

1) dividir por 100 = 20

2) dividir por 2 = 10

3) +20% = 10 + (10/5) = 12

Outro mais "difícil": 7.000 pesos chilenos:

1) dividir por 100 = 70

2) dividir por 2 = 35

3) +20% = 35 + (35/5) = 42

 

Alguns links que me ajudaram a planejar a viagem e obter informações:

-drive

 

__________________________________________________

Dia 1 - QUI 17/09/2015 : inicio viagem

Local: Udi -> SP -> Santiago

Atividades: viagem

Acomodação: avião

----------------------------------------------------------------------

 

Nada a declarar, somente início da viagem, saindo de Uberlândia, rumo a Santiago com escala em Guarulhos.

Uberlândia > SP-Guarulhos

17/09 16:20 > 17/09 17:25

 

SP-Guarulhos > Santiago

17/09 20:50 > 18/09 01:10

 

 

__________________________________________________

Dia 2 - SEX 18/09/2015 : tour Santiago e Fiestas Patrias

Local: Santiago (feriado)

Atividades: chegada de madruga, passeio/tour, festa no parque O'Higgins

Acomodação: casa de amigo - região Providencia

----------------------------------------------------------------------

 

Peguei meu mochilão na esteira do aeroporto por volta de 01:40, e como não havia reservado transfer (na volta fiz, recomendo fazer na ida também), fui de táxi, no total de $ 16.000 pesos chilenos (=~R$90,00), mas em 2 pessoas.

 

Cheguei por volta de 03:00 da manhã na casa de um amigo (Pablo), e quando pensei que iria incomodar a chegada esta hora, toquei a campainha, esperei alguns minutos e quando ele apareceu descobri que ele não estava dormindo, mas sim já festejando as "Fiestas Pátrias" com outros amigos do Chile e bebendo pisco e ouvindo um som maneiro. Lá eles costumam tomar o pisco misturado com coca ou com outro refrigerante tipo sprite. Mesmo depois de uma viagem semi-cansativa não teve como negar se juntar à celebração. Devemos ter ficado até por volta de 04:30 reunidos e depois fui tomar banho e dormir.

 

22070620381_e58748dac7_b.jpg[foto]

 

Iniciando-se o dia propriamente dito, fomos andando para o "Museo Bellas Artes" de onde sai um tour da empresa Tour4Tips. Eles tem 2 tours em Santiago, o da manhã às 10:00 passa por áreas que eles dizem ser mais o dia-a-dia do povo de lá [link]. O da tarde às 15:00 passa pelos pontos mais turístico e históricos [link]. Ambos saem do mesmo local: Museo Bellas Artes, e é fácil identificar pois os guias ficam com uma roupa de Wally ("Onde está o Wally").

 

Não sei se é porque era feriado e alguns dos locais do tour estavam fechados, mas este tour da manhã me decepcionou um pouco, e depois vi no panfleto que realmente deveríamos ter passado em mais lugares. Um local que está no roteiro e não fomos foi o Mercado "La Vega" que mais tarde descreverei, mas gostaria de ter conhecido antes, além de ter ouvido comentários sobre no tour, o que não aconteceu.

 

Enfim, o tour começou e fomos indo rumo ao Mercado central / mercado de peixes, com algumas paradas para outras explicações no caminho.

 

22048521632_537b65b5d8_b.jpg[foto mercado central galpões com peixe]

22034877106_0f0494d4a3_b.jpg[foto mercado central, região restaurantes, tem no piso de cima também]

 

Depois de um bom rolê pelo mercado central fomos de metrô para o cemitério público (Cementerio General).

OBS: o valor do metrô em Santiago funciona por hora, mas não me lembro de ter pego o metrô nenhuma vez fora da hora normal, mas enfim, segue foto pra referência:

22060876315_6287d57536_b.jpg[foto 2015-09-26-17h23m42]

 

Creio que o tour se extendeu muito neste local, que acabou que ficou enjoativo, apesar de algumas coisas interessantes a serem vistas lá e histórias que foram contadas.

21873889019_73642e5bb0_b.jpg[foto]

 

Pelo menos após o cemitério, encerramos o passeio em um restaurante-bar chamado Quita Peñas na esquina da entrada do cemitério e do metrô, onde nos foi apresentada a bebida "Terremoto". É uma bebida onde vai vinho branco, fernet, rum (ron), conhaque, groselha (granadina) e por cima sorvete de abacaxi.

Recomendo provarem esta bebida neste local pois foi o melhor que achei em toda Santiago! Nos outros locais é comum ter só o vinho branco, o sorvete por cima e somente alguns dos outros ingredientes, por exemplo sem rum.

Este foi o primeiro terremoto forte que senti no Chile hehehhe sério, neste restaurante foi o mais forte que tomei, mas é magnífico o drink!

 

22070630701_eb6b6fb3dd_b.jpg[foto bebida terremoto]

 

Após o tour que finalizou por volta de 13:10, fomos almoçar no restaurante do Tio Willy, no mercado central, pois o guia do tour nos falou que indicando que fizemos o tour, ganhávamos algumas cortesias: foi uma dose de pisco sour e outra coisa que me esqueci.

Pedimos um "Curanto" que é um prato que vem várias carnes misturadas, prato típico lá no Chile, vem carne de porco, de vaca, frango, peixe e mariscos. Estava bom e bem servido, mas eu recomendaria outro prato somente com peixe, pois a carne de frango estava quase crua, e imagino ser o normal de ser servido lá.

 

22034604116_7b83e183a8_b.jpg[foto cardápio 1]

21437950494_4c092cb806_b.jpg[foto cardápio 2]

 

 

Depois do restaurante, a intenção era emendar o tour da tarde, das 15:00, mas paguei a conta já era essa hora, mas mesmo assim tentei ir pro museu bellas artes. No fim acabou que não consegui mesmo, mas fui pra plaza de armas pra conhecer, e depois voltei novamente a pé pra casa pra arrumar pro evento das Fiestas Patrias que já estava rolando no Parque O'Higgins desde mais cedo. Este evento fiquei sabendo pelo couchsurfing [link] e acabei pegando contatos de vários participantes antes que nos ajudaram com algumas coisas e nos encontraram lá tb, mesmo sem 3g deu-se um jeito.

Fomos para o parque por volta de 17:30, desta vez de metrô, descendo na estação Rondizonni, que segundo informações era mais perto da portaria da festa e realmente era do lado (a estação anterior chama Parque O'Higgins e se não fosse essa informação com certeza eu teria descido mais longe).

A festa foi muito interessante, com as barraquinhas que lá eles chamam de "Fondas" e uma dança tradicional que eles chamam de "cueca". Sim, cueca hahaha antes de ir eu não estava entendendo nada pois tinha gente falando "lá no parque vai ser legal porque vai ter muito cueca". kkkkkkkkkkk

Resultado da festa: me animei tomando terremoto, uns 6, com um único shot de tequila nesse meio ... mas no parque eu até que estava bem, mas depois fomos pra uma balada e saindo do parque já não me recordo muito dos fatos hahahaha fomos de metrô e a balada era no bairro Providência, ao menos perto de onde eu estava ficando. Lá na verdade parece ser a melhor parte da cidade pra se sair a noite, é muito animado! O nome da balada eu nem lembro, mas entrava de graça e me falaram q as coisas lá dentro eram caras. Mas não sei muito bem como paguei os 2 whisky que me lembro de ter tomado lá dentro, pois havia saido pro parque com 20.000 pesos chilenos, aprox. R$115, e comi e bebi no parque, além da entrada pro parque (se me recordo 3.000 =~R$17). Tudo bem, é muita grana pra um mochileiro que preza economia gastar em uma tarde/noite, mas pra mim valeu porque me diverti muito e quando isso acontece não preciso festar nenhum outro dia da viagem. hehehe

 

 

__________________________________________________

Dia 3 - SAB 19/09/2015 : ida a Valparaíso / Viña del Mar

Local: Santiago -> Valparaíso / Viña del Mar

Atividades:

Acomodação: Hostel Planeta Lindo - $8.000

----------------------------------------------------------------------

 

Depois da farra da noite anterior não teve como acordar muito cedo, mas parti pra Valparaíso por volta de 12:30, deixei a mochila grande na casa em Santiago e levei só a menor. Infelizmente não anotei o valor da passagem, mas edito aqui caso eu lembrar. Pra ir pra Valparaíso (tb conhecido como Valpo) vá até a estação de metrô Pajaritos e o terminal de ônibus tem o mesmo nome. A companhia foi a TurBus, parece q era mais barata q a outra q tinha fila maior e o ônibus é tranquilo, confortável. Mais uma vez cheguei atrasado pro tour, que começa lá às 15:00 e pra mim era o único horário, então chegando lá na estação de ônibus por volta de 14:50, corri pegar uma condução para a Plaza Sotomayor de onde se inicia o tour. Mas cheguei lá já eram umas 15:15, e novamente tentei achar o pessoal pelas redondezas, mas sem sucesso. Desisti de procurar somente depois de ver no mapinha que tinha a informação do tour, que o mesmo também acontecia às 10:00 da manhã.

Então depois de subir várias escadas (região El Peral) pra subir os morros lá (Cerro) fui pro hostel (Planeta Lindo, que fica no Cerro Alegre) fazer checkin chegando lá às 16:00, deixei a mochilinha no hostel e parti pra conhecer Viña del Mar, já que o tour em Valparaíso ficou pro outro dia. Neste dia já deu pra sentir o encanto de Valparaíso, pro lugar que você olha você vê um grafite, um mais interessante que o outro. Fascinante!

21439748793_dde5e59b05_b.jpg[foto grafite valparaiso]

 

Fui pra Viña pegando uma condução simples, na rua perto da plaza sotomayor. Estava escrito Viña e entrei, não foi caro, afinal é muito perto, mas longe pra ir a pé.

Lá fomos primeiro conhecer a região central pra depois ir descendo pra região da praia. Comecei numa pracinha que no fundo tem uma igreja, caminhando depois até o Parque Quinta Vergara, de acesso gratuito, vale dar um rolê por lá. Se tiver mais tempo em Viña recomendo o Jardim Botânico que fica mais longe, vi muitas opiniões boas sobre lá.

Depois do parque fui pro relógio de flores, só pra "carimbar o selo" de turista hehehe

Após parada rápida só pra foto no relógio, segui pra praia pra então conhecer pela primeira vez o oceano pacífico, mas apesar de ser louco por água não rolou banho não hahaha outra coisa que não rolou foi o por do sol, pois estava nublado =/

22034802896_0d84ecae59_b.jpg[foto praia]

 

Segui então pela orla até o castelo Wulff, que estava fechado (acho q fecha as 17:00) mas como o melhor de castelo é o lado de fora mesmo deu pra tirar umas fotos legais, tá valendo pra um castelo que não é lá tanto assim hahaha

22048527542_a909fa89d5_b.jpg[foto castelo]

 

Para voltar pra Valparaíso escolhemos outra condução pra variar um pouco, o trêm/metrô. Esperava que fosse mais rápido, mas valeu a experiência. Peguei na estação "Miramar" e desci na estação final: "Puerto" (o porto que fica perto da plaza sotomayor).

 

Chegando em Valparaíso a noite, fomos procurar um local pra comer pois estava o dia inteiro sem comer quase nada. Como eu havia ouvido falar que os 'cerros' lá tem muitos bares e eram animados a noite, fui direto pra lá, dessa vez de elevador, o Ascensor Concepcion, que fica bem escondido e demorei bons minutos procurando a entrada que é minúscula e se não olhar a placa lá no alto não se enxerga que é ali. A foto abaixo é de outro dia mais cedo, pra referência.

21873790439_3fce3a4311_b.jpg[foto entrada Ascensor Cerro Concepcion]

 

No Cerro (Concepcion) não encontrei uma noite tão agitada quanto eu estava esperando, mas acabamos numa das melhores escolhas da viagem: o bar/restaurante "Color Cafe". Pois ao passar por lá estava tocando uma banda sensacional, no fim peguei até o nome da vocalista: Florencia Tommasini. Também filmei o final do show, segue abaixo.

Lá também provei as cervejas porteñas, muito boas: Del Puerto e Mestiza. Pra comer, uma panqueca de queijo com + algo e um sanduba de atum.

Saimos de lá já eram 22:30 e fui pro hostel dormir.

21438189114_d537e7f2f3_b.jpg[foto fachada Color Cafe]

 

[link pro video] não está funcionando colocar direto com o play aqui

 

 

__________________________________________________

Dia 4 - DOM 20/09/2015 : retorno a Santiago

Local: Valparaíso -> Santiago

Atividades: tour em Valparaíso, Cerro San Cristóbal

Acomodação: casa de amigo - região Providencia

----------------------------------------------------------------------

 

Desta vez acordando na hora pra não ter perigo de perder o tour, e também já fui com a mochilinha e checkout realizado no hostel, que detalhe, não tem café da manhã.

 

Cheguei na plaza sotomayor (sim, de novo essa praça kkk) às 09:50, e já avistei as blusas do wally.

Dessa vez o tour foi excelente, passamos por vários pontos interessantes, com boas explicações e espanhol tranquilo de entender. Abaixo a foto do mapa de Valparaíso e em abaixo em destaque o roteiro do tour. O mapa eu peguei no fim do tour em Santiago, é um lado Santiago e outro Valparaíso. Mais abaixo disponibilizo o outro lado.

 

[foto mapa lado valparaiso ]

[foto mapa valparaiso - foco tour]

 

Ponto forte do tour foi quando paramos na casa de um Sr. que vendia empanadas e alfajores 'artesanais'. O alfajor vc ganha um de brinde no começo. A empanada era de queijo e salmão, uma delícia!

22034847876_89b466a374_b.jpg

 

Não deu pra terminar o tour efetivamente, pois o ônibus de volta pra Santiago já estava comprado pras 13:15, e o tour se encerraria bem próximo disso, então sai por volta de 12:45 do tour, perto da - adivinha - plaza sotomayor. O que sei que perdi foi a apresentação de outra bebida chilena: a la chicha. Logo o ônibus pra rodoviária passou e ainda sobrou tempo na rodoviária.

 

Chegando em Santiago, novamente pelo terminal Pajaritos, voltei pra casa e logo saimos com o Pablo pra subir o Monte San Cristóbal a pé, por volta de 16:00. A subida convencional é bem longuinha, 5km e pouco até o cume (cumbre).

22070649471_f010df4442_b.jpg[foto da visão das montanhas antes de chegar ao cume]

 

Um pouco mais abaixo do cume tomamos a famosa e temida bebida "Mote Con Huesillos". Ela é temida pois dependendo do ângulo q vc olha parece um cérebro ou um feto naqueles liquidos de laboratório sabe, mas é uma delícia. No fundo vai trigo e no meio vai pêssego. Alguns servem o pêssego com o caroço, mas esse era sem e fica bem mole, excelente e saboroso! Dizem também ser revigorante e realmente dá pra sentir uma diferença, além de também matar muito a fome.

21439759413_5b80f08e4c_b.jpg[foto mote com huesillos]

 

A descida foi bem mais rápida, pois pegamos um atalho (que fica fechado por motivo de segurança a partir das 18:00) e apesar de já ter passado desse horário deste horário decidimos correr o risco, pois estávamos em 3, e vimos alguns ainda subindo pelo atalho. Mais uma obs., o ascensor (elevador) fecha às 19:00 em ponto.

Depois do cerro fomos fazer compras pra janta, hamburger, e depois da janta fui dormir. No mercado vi da bebida "inca kola" q eu queria muito ter comprado mas só achei embalagem grande retornável (que precisa ter uma pra trocar) e acabei ficando na vontade de relembrar um pouquinho do Peru.

 

 

__________________________________________________

Dia 5 - SEG 21/09/2015 : bike

Local: Santiago

Atividades: compras acessórios bike e pedal Cerro san Cristobal

Acomodação: casa de amigo - região Providencia

----------------------------------------------------------------------

 

Primeiro uma história bem longa de planos que não deram certo que devo contar para relato. Pra este dia, estava planejado uma viagem para Mendoza de carro alugado com alguns amigos do couchsurfing do dia da festa no parque. A intenção de ir de carro, é porque o ônibus pra Mendoza, não para em nenhum dos atrativos entre Santiago e Mendoza, que é a parte mais legal (puente del inca, aconcagua, etc). Indo de carro poderíamos conhecer tudo por alí sem pagar por um tour caro em Mendoza. Eu estava meio que organizando tudo, e no domingo 20/09, já eramos 4 no carro o que era a meta de pessoas para que a viagem ficasse um bom custo/benefício. Passei o evento pro dia 22/09 então. MAS nesta segunda 21/09 fui logo pela manhã fechar os detalhes na agência de locação de carro, e ali vi que os planos eram impossíveis. PARA ALUGAR UM CARRO PARA CRUZAR OS PAÍSES, é preciso fazer a reserva do carro pelo menos 4 dias antes, para que eles solicitem algum tipo de permissão para o veículo, e esta permissão é cara (159.900 pesos =~ R$ 900), e além desta ainda teria que deixar uma garantia de mais de 1milhão de pesos! esse não precisa nem de conversão pra ver q é caro né! Enfim, voltei correndo pra casa que estava próxima e avisei ao pessoal que estava em um grupo do whatsapp já formado, sobre as informações e consequentemente cancelamento da viagem de carro. Pra referência, segue aqui está o [link] do evento no couchsurfing que criei.

Iniciamos planos então de mudar a viagem para Cajon del Maipo, pois assim não teria os custos extras, e pra conhecer Cajon del Maipo é bom estar com um veículo pois os lugares legais são muito longes um dos outros, sem contar que o lugar que eu mais queria conhecer é impossível chegar de transporte público e disseram ser difícil carona por lá (o lugar é o lago "Embalse del Yeso"). Detalhe que com a mudança, um dos que estavam no grupo pra Mendoza saiu pois já tinha planos com outras pessoas pra Cajon, mas uma menina do Chile chamou uma amiga pro grupo, a qual até carro tinha, então continuamos em 4, mas agora com possibilidade de nem precisar alugar carro. Os hostels lá dos que eu pesquisei, só tem um a preço acessível e mesmo assim caro, é o Chikiyan Hostal [link], mas não havia mais vaga e como estaríamos indo em 4 pessoas verifiquei uma boa e bem mais barata oportunidade pelo airbnb [link], e é pra alugar a cabana inteira! dá pra divertir hein! Enfim, pra não desmembrar essa história gigante, no fim do dia as meninas do Chile deram pra trás de ir de dia de semana (terça 22/09), e então nada deu certo.

Com isso, me planejei para ir para Mendoza de carona no próximo dia, terça 22/09.

 

Tendo perdido a manhã com esses planos acima que não deram certo, pra tarde fui fazer algo que não é muito comum eu fazer em viagens: compras. Mas de algo específico, acessórios para bike, pois eu tenho uma empresa de cicloturismo, e no Brasil havia usando a mochila de hidratação de um amigo emprestada já a um tempo, então eu estava louco atrás de uma, pois eu já havia ouvido mais de uma pessoa falar que peças e acessórios de bike lá são muito baratas! O Pablo me deu uma ajuda e também me indicou um local onde eu encontraria isso mais facilmente, pois meu plano inicial era ir para um tal de Sports Mall [link local] que fica bem longe e não se chega lá somente de metrô. Só pra referência, outros locais que eu iria pra procurar isso, próximos a este shopping é a loja SportXpert [link local]. A rua/quarteirão que o Pablo me indicou, é a Avenida San Diego, o quarteirão acho q é entre a rua Coiapó e Coquimbo [link local]. Pra ir lá desce no metrô Universidad de Chile e pega 'descendo', sentido contrário do maior calçadão de pedestres, lá chamado de Paseo. Antes de chegar lá, fui pela Rua Arturo Plat, e logo no primeiro quarteirão, fiz uma parada no "Lucky Panda" pra comer um tipo de rolinho primavera mas de frango ("Arrollado de pollo"), era gigante, gostoso e barato (850 pesos). Realmente tem muitas lojas de bike lá e mesmo tendo rodado por todas elas procurando boas alternativas da mochila de hidratação, acabei comprando na primeira loja que eu pesquisei, a loja da TREK na esquina, afinal o preço da mochila com as características que eu queria (não queria daquelas fininhas que não tem como colocar mais nada) já com o refil d´agua, estava por 21.000 =~R$ 110 ... ótimo preço pois aqui no Brasil uma fininha q não cabe nada é algo perto de R$ 150,00, e inclusive lá nas outras lojas era comum ver só o preço da mochila (pior) por 18.000 e ainda tinha que comprar o refil por mais aprox. 10.000. Comprei feliz da vida e no instante deste relato já a utilizei e totalmente aprovada! [link-foto]

 

Ao voltar rumo ao metrô, acabei percebendo que esta região é ótima pra quem está querendo comer (+lanche) barato. Fui atraído por uma fachada que dizia "2por1" (2x1 a la plancha, rua san diego 654). Comi 2 completos (o cachorro quente deles), um italiano e um outro q esqueci o nome + café grande por 1500 pesos. Só que esta hora descobri algo que no Chile não é comum ter café coado mesmo nas lanchonetes como acontece aqui no Brasil, e recebi um sachê de Nescafé, depois a moça vem com a água quente. hehehehhe amantes de café preparem-se pra pirar no Chile.

21872939690_e64d241426_b.jpg[foto dos "completos" e do café]

 

Cheguei em casa por volta de 16:50 e ainda recebi um convite do Pablo pra um pedal, que não sou bobo de recusar. Fomos subir o cerro san cristobal novamente, mas por um caminho totalmente diferente do realizado a pé. Primeiro fomos por baixo em direção ao belo parque Bicentenário.

21873003108_39539fcf2d_b.jpg[foto Parque Bicentenário]

 

Depois rodeando a cidade lá pelo fim dela, começamos a entrar no parque do cerro san cristobal (Parque Metropolitano). No cerro tem várias trilhinhas pra mountain bike muito desafiadoras, com uma combinação de trilhas dá pra fazer um circuito com ótima altimetria para treinos, mas não era a intenção, só brincamos nestes morros um pouquinho e seguimos para o anfiteatro que fica em cima do cerro (diferente do 'cumbre' da estátua), com uma bela vista da cordilheira.

21439576283_e653fa3e5f_b.jpg[foto anfiteatro]

 

Pra sair do cerro também foi sensacional, pois pegamos uma baixada com curvas bem fechadas, mas que dava pra pegar uma velocidade animal, muito divertido!

 

Depois disso, comi uma sopa de feijão, e, cama. Afinal o próximo dia seria imprevisível pois eu iria para Mendoza de forma econômica (a passagem direta é bem cara).

 

 

 

__________________________________________________

Dia 6 - TER 22/09/2015 : rumo a Mendoza de carona

Local: Santiago -> Los Andes -> Puente Del Inca

Atividades: viagem pra Los Andes, carona até Puente del Inca

Acomodação: hospedaje puente del inca

----------------------------------------------------------------------

 

O Pablo e as Chilenas que furaram Cajon del Maipo me deram uma ajuda neste sentido, e me recomendaram ir pra Los Andes de ônibus pq a passagem é barata, e de lá tentar a carona, então foi assim que fiz.

21873109318_03474edde1_b.jpg[foto "partiu mochilar"]

 

Peguei o ônibus pra Los Andes já meio tarde, por volta de 13:00 pois passei a manhã inteira ajustando o roteiro do que eu deveria fazer e criando planos B,C,D,etc. hehehe A estação dessa vez foi diferente da de Valpo, foi o "Terminal de Buses Alameda", metrô "Universidad de Santiago". A passagem foi realmente barata, algo perto de 1.500 pesos.

Chegando na estação de ônibus de Los Andes, obtive algumas informações para confirmar onde seria melhor eu obter carona pra ir pra Mendoza e era realmente aonde eu já havia planejado, perto do denominado "Puerto Terrestre" onde vários caminhões fazem parada. A caminhada era longa, mais de 5km com o mochilão nas costas e a mochilinha na frente, mas nada demais, afinal este é um relato de mochileiro, certo =) Acabei decidindo não ir especificamente neste Puerto Terrestre e fiquei em um ponto exato onde todos que passassem estariam indo rumo a Mendoza. [link-local-street-view] Cheguei neste local já eram umas 17:00, em várias tentativas nenhum caminhão parou pra mim "haciendo dedo" (carona lá).

21438305164_172ff550b5_b.jpg[foto haciendo dedo]

 

Um pouco antes de anoitecer, perto das 18:30, vi vários caminhões parando em fila na lanchonete que tem ali perto, peguei as mochilas correndo e fui lá pois conversando com o caminhão parado é mais fácil né, e não deu outra, conversei com o primeiro lá dentro da lanchonete mesmo e consegui a carona! Foi realmente muita sorte, pois mais 30 minutos que eu esperasse lá ia começar a anoitecer e eu provavelmente iria ter q voltar pra Los Andes andando e tentar a carona ou me render a ir de ônibus só no outro dia (pelo menos de los andes fica um pouco mais barato a passagem).

Como já estava anoitecendo, decidi descer da carona já no local que eu mais queria conhecer, a puente del inca (planejando não conhecer a noite, mas me hospedar lá em um hostel q eu já sabia que existia). Pois se eu fosse até Mendoza, de qualquer forma teria q pagar um tour ou pegar outro transporte pra lá. No caminho até lá foi um passeio, com meu novo amigo motorista, o Diego, Argentino! gente boníssima e muito prudente na direção. Digo isso pois passamos pela estrada "Los Caracoles" ao anoitecer (magnífico!) e tinham caminhões fazendo manobras perigosas de ultrapassagem (já não bastasse o perigo da estrada), mas Diego sempre tranquilo na sua linha. Depois do Los Caracoles, atravessamos o túnel Cristo Redentor, que é a divisa entre Chile e Argentina, e logo após é necessário fazer uma parada no controle/alfândega Chilena.

21438115554_3880e76ffa_b.jpg[foto eu e Diego]

 

Enfim cheguei no vilarejo da puente del inca e na hospedaje (a maiorzinha q fica logo na estrada), negociei por 150 pesos argentinos (=~ R$60) com "café da manhã", pra uma região sem ninguém e sendo a única opção não tinha o que pensar. Ah, apesar de bem simples, não era quarto compartilhado, era um quarto somente com uma cama, mas na moral, é bem zoado, é só pra quem não tem frescura mesmo. Deixei finalmente o mochilão no quarto e fui pra sala onde tinha um pessoal pra trocar uma ideia, mas fiquei bem pouco, só tomei um chá quente e fui dormir pois queria acordar bem cedo ("agendei" o café com o cara q me perguntou que horario que eu queria, pras 07:30).

21872824578_b73069d6fa_b.jpg[foto quarto hospedaje puente del inca]

21438117324_57bbd7a0fc_b.jpg[foto chá antes de dormir]

 

 

__________________________________________________

Dia 7 - QUA 23/09/2015 : atrativos nos andes e ida a Mendoza

Local: Puente del Inca -> Mendoza

Atividades: puente del inca, parque provincial aconcagua

Acomodação: Banana Hostel

----------------------------------------------------------------------

 

Como planejado acordei bem cedo, às 07:00, e já deixei tudo arrumado pra ir embora depois de visitar a puente del inca e aconcagua. Cheguei no local do café às 07:20 mas estava deserto e silencioso. Com certeza esse café não teria ninguem pro café às 07:30. No final esperei mais 10 minutos lá e quando comprovei que não teria ninguem me atendendo lá, fui pra fora pra ver o nascer do sol da puente del inca que era do lado. Céus! Que frio! Estava mais frio do que de noite, muito mais! Não dava pra ficar sem luva por mais de 1 minuto, mas pelo menos foi um momento de paz ver o sol mudando a paisagem e eu sozinho lá na puente del inca. Não é permitido caminhar sobre a ponte, por perigo de desmoronamento, isso pros humanos, pois tinham uns cachorros do hotel que me seguiram, e eles "podem" hehehe

21439833113_cea2e101e2_b.jpg[foto amanhecendo o dia fora do hostel, frio pra cachorro] =)

 

A paisagem em volta da ponte também é magnífica, com uma ferrovia desativada e o cenário repleto de neve pra tudo quanto é lado. Fiquei ali imaginando a dificuldade que deveria ser quando esta linha de trem funcionava, pois no inverno neva pra todo lado lá. Mas agora todos os túneis de trem q tem na linha estão destruídos pelo acúmulo de neve e prováveis avalanches.

21873114558_4845b46d18_b.jpg[foto linha férrea perto da puente del inca]

 

Acabei voltando pro hotel por volta de 08:20, e acabei descobrindo alguns itens de café jogados em uma mesa, tinha café em pó (suave, argh) e bolachas tipo cream cracker e umas manteigas. Tava passando de bom e comecei eu mesmo a preparar meu café, e liguei também um aparelho que esquentava água. Já eram umas 8:30 começaram a chegar o pessoal da hospedagem, vi um inclusive indo lá ligar o aparelho que eu já havia ligado hahaha Nessa hora eles me ofereceram também a fazer algumas torradas, que não recusei, afinal o dia seria longo e iniciaria com uma caminhada ascendente até o parque do aconcagua. No fim acabou compensando ter combinado a hospedagem com café (fiz ele fazer o mesmo preço inicial q havia me falado sem café hehe pois com café ele tinha dito 200), pois depois que sai rumo ao aconcagua reparei que a vila estava ainda acordando e realmente eu não teria onde comer.

 

Sai as 09:30 de novo pra puente del inca mas já pronto pra ir pro parque provincial aconcagua. Agora já não estava o mesmo frio de antes do sol, já bem melhor, podendo ficar sem luva tranquilo.

22048405022_270c03d61e_b.jpg[foto puente del inca]

 

Da ponte até o parque aconcagua são 2,5km pela rodovia. Fui caminhando tranquilo, cheguei lá em uns 20 minutos. Ao chegar fui informado que as trilhas legais do parque que dão uma visão mais próxima da montanha estavam fechadas devido à neve e perigo de desabamentos, e também porque com neve não se vê o lago da trilha. Esta trilha chama-se "Laguna Horcones". Acho que no meio de outubro já se pode fazê-la. De qualquer forma tem uma mini-trilha pelo menos pra se avistar o Monte Aconcagua ao fundo, que não é o que eu queria mas já tá valendo, afinal é a 2ª maior montanha do mundo, e mais alto da América e de todo o hemisfério sul.

22060910535_920746b63b_b.jpg[foto monte aconcagua ao fundo, no meio]

 

Fiquei lá bem rapidinho até as 11:00 pois o pessoal da hospedagem havia me avisado que o transporte (eles falam coletivo) de lá até Mendoza passa às 12:00 e depois somente às 17:00 acho. Mais 2,5km pra chegar de novo na hospedagem, dessa vez mais rápido pq era descida.

Cheguei na hospedagem, foi o tempo de pegar minha mochila, trocar uns pesos chilenos na vila por pesos argentinos, e ir pro local onde o ônibus para logo em frente à hospedagem, ao meio dia. De lá até Mendoza foram 72 pesos =~ R$30.

AVISO IMPORTANTÍSSIMO: fazendo da forma que fiz de carona e parando na ponte inca, você deve informar pro transporte pra Mendoza que quer parar no "Centro de Control Aduanero AFIP, Uspallata" para fazer os procedimentos de transição de país Chile/Argentina! (fica um pouco antes de entrar na cidadezinha de Uspallata).

 

22048547552_9b69eefeca_b.jpg[foto paisagens rumo a Mendoza]

22060832915_ebfcf408ed_b.jpg[foto paisagens rumo a Mendoza]

 

Cheguei no terminal de Mendoza já eram umas 16 e tanto. Já deixei comprada a passagem de volta pra Santiago pro outro dia, às 22:30, pois os planos era chegar em Santiago cedo e partir pra Cajon del Maipo com a galera, planos de antes de eu sair de Santiago e desde que saí de lá até aqui eu estava sem acesso à internet para saber novidades (no fim eles já haviam mais uma vez furado, mas mantive os planos de voltar esse horário). A passagem saindo de Mendoza, se não estou enganado, é um pouco mais barata que a Santiago-Mendoza, saiu por 340 pesos com o lanche =~R$ 130, na empresa TurBus.

Eu não havia reservado hostel pois não sabia quando chegaria ou se chegaria hehe mas eu tinha já tinha uma lista e fui 1,5km andando pro Lagares Hostel, mas chegando lá estava lotado =/ Pedi pelo menos pra usar o wifi e achei legal o Banana Hostel, mas eram mais 2km, fazer o que, fui né. Mas pelo menos peguei uma cerveja pra ir tomando no caminho, já que diferentemente do Chile, lá pode tomar na rua (segundo o recepcionista do Lagares me informou). Uma tal cerveja artesanal Puliwen, optei pela Pale Ale, resultado: horrível! Não sei se a garrafa estava suja ou o q aconteceu, mas a cerveja estava absurdamente toda virando bolha.

Enfim cheguei no Banana Hostel, às 17:40, negociei uma diária por 110 pesos =~ R$44, preço que eu havia visto no hostelworld, mas queriam me cobrar outro preço no balcão. O hostel é muito bom e tem um ambiente externo gigantesco e um astral muito massa, os funcionários são super gente boa e é difícil distinguir quem é funcionário e quem é viajante, eu por exemplo confundi uma australiana q trabalha lá, achei q ela era viajante (era as 2 coisas hahaha).

21439783353_c5b95e7b5b_b.jpg[foto ambiente externo banana hostel]

 

Fui direto pro quarto pq novamente eu estava cansado e precisando de um belo banho pra recuperar um pouco. Depois desci até o ambiente de refeição onde o pessoal estava reunido conversando e bebendo Fernet, mas eu pedi uma cervejinha gelada. Neste dia estava programado ter pizza+vinho a vontade por 100 pesos, mas já ia ficando tarde depois das 21:00 e nada, então decidi sair pra procurar onde comer pois eu não havia comido mais nada depois do café na hospedagem, estava 'brocado' de fome. Acabei parando em um lugar pra se comer a vontade, pois naquele dia eu me daria o direito de comer tudo que havia passado fome a viagem inteira hahaha Foi no Onda Libre - a vontade, lá eles falam "Tenedor Libre", então se ver estas palavras juntas anime-se hehehe somente "Tenedor" acho que é como eles chamam o nosso self-service. Este restaurante fica na av. las heras, é relativamente perto do hostel. Definitivamente tirei a barriga da miséria, ah e tem churrasco também, e finalmente provei o churrasco argentino, pois quando fui pra buenos aires perdi essa parte pq fui casado com uma vegetariana, e eu não fiz questão das parrilladas hehehe tem umas carnes diferentes, mas a costela é q estava deliciosa. O self-service também é variadíssimo, e até a sobremesa é inclusa. Valor: 130 pesos =~ R$ 50. Sim, bem caro considerando que na minha cidade uma boa churrascaria é ~33 a noite, mas fazer o que, nessa viagem me surpreendeu muito os altos preços de comida,bebida,entre outros em Santiago e Mendoza, única exceção foi hospedagem q eram preços normais q eu já esperava (q só usei em Mendoza).

21872568880_dd6d9253c2_b.jpg[foto tirando a barriga da miséria]

21439707083_136b8dcdb5_b.jpg[foto das carnes]

 

Voltei pro hostel de barriga cheia quase sem conseguir andar e não aguentei nem ver como era a noite em Mendoza, fui dormir.

 

 

 

__________________________________________________

Dia 8 - QUI 24/09/2015 : programas em Mendoza

Local: Mendoza

Atividades: pedal em Mendoza e pra vinícula 'bodega benegas'

Acomodação: Banana Hostel

----------------------------------------------------------------------

 

Acordei tomei café da manhã no hostel, bem gostoso e eles são super gente boa, tu pede algo pra mina ela faz se tiver os ingredientes disponíveis. Pedi só umas torradas, pq o resto q tinha na mesa já estava mais que suficiente.

21872571850_8713b52907_b.jpg[foto café da manhã no hostel]

 

O resto da manhã fiquei no computador traçando a rota do pedal que planejei fazer no dia, tentando inserir alguma vinícola no roteiro. Tracei uma rota até a vinícola 'Bodega Benegas' e a 'Tierras Altas' (que acabei não visitando por falta de tempo). Lá mexendo nos papéis, também percebi que eu havia comprado a passagem errada pois era pra ser pra este dia 24/09 22:30, eu no cansaço de ontem acabei comprando pra 25/09 22:30, então adicionei a rodoviária no roteiro de bike. Ah, a bike peguei no hostel mesmo, uma "fixed" (somente uma marcha), q pra quem tá acostumado com mountain bike foi um belo desafio e treino, e o freio ainda era no pedal, mais uma novidade, mas adoro novas experiências e foi tranquilo.

Enfim, saí pro pedal já era por volta de 11:30. O primeiro destino era a rodoviária pra trocar a passagem, mas chegando lá, uma surpresa, não pude trocar pro dia pois a passagem (fronteira) pra Santiago estava fechada, devido à neve! Não passaria nada das 11:00 daquele dia até o início do outro dia (com sorte). Assim não pude comprar pras 22:30, então comprei pro primeiro horário do outro dia, às 8:30, na empresa parceira da TurBus q me esqueci o nome.

22048421482_8fbed37257_b.jpg[foto do email recebido pela TurBus informando que a fronteira estaria fechada]

 

Fui de volta pro hostel então pra reservar minha vaga, pois obrigatoriamente teria q ficar mais uma noite em Mendoza, e pode ser q eu voltasse tarde do rolê de bike.

Do hostel fui então pedalar pra vinícola Bodega Benegas, e conheci uma Mendoza interessante, também com seus grafites, e ruas extremamente bem arborizadas. Me agradou bastante. Mas de qualquer maneira não vejo muito o que fazer nesta cidade por mais de um dia, pois o atrativo principal são as vinícolas, e pra mim é quase tudo a mesma coisa e não é o tipo de programa que me atrai.

22034653626_ba999eddf1_b.jpg[foto grafites em Mendoza]

21439711813_aacfd3cf3d_b.jpg[foto pedalando pelas ruas arborizadas de Mendoza]

 

Cheguei na vinícola às 15:50. Na porta encontrei um grupo de brasileiros q estavam entrando, e entrei junto.

22060918175_713e7a1978_b.jpg[foto chegando na bodega benegas, com a bike 'fixed']

Na recepção descobri que havia necessidade de reserva para fazer o passeio lá (lógico), eu não tinha, mas com um empurrãozinho dos brasileiros, a direção deixou, também com reconhecimento de eu ter pedalado até lá, 21km em uma bike bem humilde. O tour é bem legal, e os vinhos excelentes, no final provamos 4. O tour terminou já eram mais de 17:00 e vi que não seria possível ir até a outra vinícola que eu havia planejado ir (ainda mais sem reserva na outra também).

21873944149_9383d23192_b.jpg[foto provando os vinhos na bodega]

 

De lá voltei então direto pro hostel, parando em uma confeitaria algumas esquinas antes do hostel pra comprar uns doces (não muito comum pra mim) pra me alimentar, pois de novo estava somente com o café, e os doces acabaram matando minha fome pro resto do dia, e do q comprei ainda sobrou, e já que pessoal q estava na mesa do hostel não aceitou guardei pra complementar o café da manhã no bus do outro dia.

Depois de um banho, fiquei pelo hostel e acabei saindo com uma Romena gente boa que estava no meu quarto procurar algum barzinho só pra relaxar um pouco, afinal eu estava um pouco frustrado q não havia conseguido voltar pra Santiago e aquela noite eu queria conhecer um pouco da noite de Mendoza também. Fomos pra um bar chamado Hangar 52 na av. villanueva aristides (o point de bares da noite de Mendoza) e fica bemm pertinho do hostel. Este bar foi recomendação do recepcionista do hostel, porque havíamos planejado mesmo de ir em um tal "Bar Por Aca" que vi pelo tripadvisor e tinha ótimas opiniões/recomendações, mas ele nos informou que havia fechado. Não paga entrada e havíamos achado o preço das bebidas um pouco caro (apesar de ser só coisa boa), mas descobrimos que até as 21:00 era happy hour (isso era umas 20:58 hahaha). Ficamos na fila pra garantir logo pelo menos um pint. Pedi uma que não estou recordado, mas fora do tradicional, gostei muito. Ficamos lá um tempo bebendo devagar e curtindo o ambiente que era bem diversificado e animado. Era um dos bares q estava mais cheio de toda a rua.

Voltamos pro hostel e lá continuamos a noite de 'relaxamento' tomando vinho free da galera que já estava chapada lá na área de comer do hostel.

 

 

__________________________________________________

Dia 9 - SEX 25/09/2015 : de volta pra Santiago

Local: Mendoza -> Santiago

Atividades: viagem pra Santiago

Acomodação: casa de amiga - região Recoleta

----------------------------------------------------------------------

 

Em Mendoza fui pro terminal bem preocupado do ônibus não sair, mas acabou que deu tudo certo, mas a viagem foi longuíssima, com várias paradas de horas. Chegou em Santiago já era 19:00, e fui para outra casa lá, desta vez na região Recoleta, metrô Cerro Blanco, mas também do lado do Cerro San Cristobal e até mesmo da casa anterior.

22048499872_46ac16f3de_b.jpg[foto lanche servido no bus]

22061073145_1fc331c297_b.jpg[foto los caracoles]

 

__________________________________________________

Dia 10 - SAB 26/09/2015 : programas em Santiago

Local: Santiago

Atividades: tour em Santiago e show na plaza la paz

Acomodação: casa de amiga - região Recoleta

----------------------------------------------------------------------

 

A partir daqui, todos roteiros mais "difíceis" (difícil de ser fazer economizando) que eu gostaria de realizar deram errado: Cajon del Maipo, e até mesmo Valle Nevado.

Cajon del Maipo não deu certo pois como havia furado ir em grupo eu me planejei ir por conta própria neste dia a tarde e dormir lá, mas fazendo pesquisas pela manhã acabei encontrando um day tour que parece ser o mais barato e compensaria fazer com esta agência Manzur Expediciones [face] [whats +56 9 9335 7800], que inclusive parece q é um brasileiro. Acabei encontrando outro brasileiro que também leva pra Cajon del Maipo, mas deve ser bom pra quem puder fechar com mais gente pra ele levar, segue pra referência: Otávio Guia Brachileno [facebook] [whats +569 7997 3170] [fonte]. Daí mandei whatsapp pra esse Manzur Expediciones logo pela manhã falando que eu queria ir pra cajon del Maipo e que eu só tinha mais o próximo dia livre (DOM 27/09), ele me falou que seria possível mas que estava no transito e depois falaria comigo. Fiquei mais tranquilo e parei de fazer as pesquisas, mas no fim o cara não me respondeu mais até dia 1º de outubro quando eu já estava no Brasil =/

O pior é que esta pequena esperança de ir pra Cajon del Maipo no último dia me impossibilitaram de fazer outros programas q eu poderia ter feito neste último dia, como visitar a região de Farellones/Valle Nevado. Mas um pouco foi erro meu, pois de noite sem resposta sobre Cajon del Maipo eu já devia ter pesquisado sobre Valle Nevado, mas deixei pra ver no outro dia, e já era tarde demais, pois os transportes mais baratos pra lá saem às 08:00 da manhã (empresa Ski Total). Pior que ainda tinha esta informação até mesmo no mapa de Santiago que eu estava carregando quase desde o início da viagem. Outro motivo é que neste local eu só tinha wifi na recepção e não tinha no apartamento, então cooperou um pouco também.

 

Enfim, neste dia saí pra fazer o tour da parte histórica de Santiago que havia perdido o outro dia lá no começo da viagem, e depois de noite iria pra um show chamado "1000 guitarras para Victor Jara" onde a amiga que eu estava hospedado iria tocar com +de 1000 pessoas tocando violão juntas.

 

Segui a pé, pela região procurando algo pra comer bem e barato. Daí a recomendação era no Mercado "La Vega" (que lá anteriormente descrevi que o tour de manhã deveria ter passado aqui) ou no que fica do lado o Mercado Tirso de Molina. Se o mercado central é o mercado de peixes e dos restaurantes de cardápio mais sofisticadinhos, o La Vega é o de verduras, entre outros e os restaurantes que eu achei são meio que isolados, e não gostei de nenhum, então segui para o Tirso. Já na entrada do Tirso tinha opções melhores, mas pedindo um suco na parte debaixo é que eu obtive a informação que o melhor mesmo é na parte de cima! Subindo as escadas estão as melhores ofertas e pratos mais bem servidos de toda Santiago! e gostoso! Comi um peixe Reineta empanado, com arroz e batata frita. E ainda vinha entrada pãozinhos, sopa, salada! Tudo por apenas 2.500 pesos chilenos =~ R$ 14! Se estiver sozinho não se incomode de dividir uma mesa com pelo menos mais 3 pessoas, é super comum. O restaurante que eu comi fica logo bem a direita depois da escada, escolhi ele pois era o que estava mais cheio lá em cima. Ah, la em cima tem bastante variedade étnica de comida, tem do peru, argentina,brasileira, etc.

22060971565_0f6b00a159_b.jpg[foto almoço]

 

Desta vez terminei o almoço com tempo de folga pra chegar no museu bellas artes e pegar o tour das 15:00, e inclusive conhecer o museu antes. Este tour foi bem melhor que o tour da manhã, passamos pelos grafites do Inti na entrada do metro Bellas Artes, Plaza de Armas, Igreja, "Café com pernas" do centro (conto já já), Palacio La Moneda (maior parada), Bolsa de Comercio ("Wall Street" de lá), depois pegamos o Metrô Universidad de Chile rumo a Universidad Católica, pra irmos pro GAM (Centro Gabriel Mistral), onde encerrou-se o excelente tour.

22060763315_4d5d800158_b.jpg[foto palacio la moneda]

Essa parada do "café com pernas" vale eu ressaltar e antecipar a história aqui porque é muito interessante (mais pros homens hehe). Pois houve uma época lá no Chile que no auge do comércio do café, fizeram espaços exclusivos para café, mesmo o Chile não tendo esta tradição. Resultado? nenhum estabelecimento estava indo bem. Até que, inventaram o "happy minute" onde prometiam um minuto das garçonetes de topless, caso chegassem em uma "determinada meta surpresa" para o dia. hahaha isso não tem mais, mas agora tem o café com piernas, pois segundo a guia disse, é comum entrar nestes café e ver mulheres atendendo de bikini. Não deu pra comprovar pois sábado e domingo fica fechado.

 

O tour encerrou-se já era quase 18:00. O show que eu ia a noite começava às 20:00, então decidi comer um sorvete na sorveteria indicada pela guia, a "Emporia de la Rosa", próxima ao Parque Florestal. Dizem ser uma das 25 melhores sorveterias do mundo, e tem até um cartaz dizendo isso na porta, mas na moral, não achei isso tudo não, mas não é ruim, é bom e tem alguns sabores diferentes, mas muitos dos que eu queria não tinham disponíveis, isso é chato lá, não adianta olhar o cardápio gigante que fica em cima do pessoal que está servindo, pois só na hora que você chega pra pedir (e a fila tava grande) é que você vê o que tem disponível.

 

Sai de lá e segui pro Cerro Santa Lucia, mas estava fechado (19:20), então segui pro metrô pra ir pro show, descendo na estação cementerios, que é a mais perto da plaza la paz. Ao descer na estação cementerios, já eram 20:00, hora que iria iniciar o show, mas eu não resisti a voltar no restaurante-bar Quita Peñas para provar a bebida "La Chicha" que eu havia perdido a apresentação no tour de Valparaíso. Essa nem sei o que tem, depois procuro e edito aqui. =D Só sei que preferi o terremoto.

21872594430_8499ec1273_b.jpg[foto bebida la chicha]

 

Cheguei no show eram 20:30, a praça estava lotadassa, mas consegui um ótimo lugar bem no meio do início das pessoas em pé (tinha uma parte com cadeiras). Assisti todo o show lá até por volta de 22:00 quando anunciaram que iriam iniciar a última música e corri pra tentar identificar onde que a minha amiga estava no meio dos 1000 violões ahahaa a parte que me ajudou foi pq ela havia me mandado sem pretensões, uma foto no whatsapp, de qdo estava no ensaio a tarde, então pela foto consegui distinguir q era do lado direito perto da bandeira azul, assim achei ela rapidinho.

De lá partimos pra casa com mais alguns amigos e depois de conversar um pouco fomos dormir.

22070967091_5d3ab976d1_b.jpg[foto no show '1000 guitarras para victor jara']

[vídeos - em breve]

 

 

__________________________________________________

Dia 11 - DOM 27/09/2015 : programas em Santiago

Local: Santiago

Atividades: casa pablo neruda, cerro santa lucia

Acomodação: casa de amiga - região Recoleta

----------------------------------------------------------------------

 

Conforme já descrito, neste dia pela manhã que fui descobrir que era difícil de subir pro Valle Nevado depois das 9:00. Então já estava conformado com tanta coisa não dando certo e fiquei novamente por Santiago mesmo. Fui conhecer o museu de pablo neruda e o cerro santa lucia.

 

O museu do Pablo Neruda é bem interessante, até que vale a visita, mas são 5.000 pesos chilenos. É interessante a história contada na sala do vídeo que mistura a história de Salvador Allender Vs Augusto Pinochet, portanto recomendo ir neste museu depois de fazer o tour da tarde, mas nem pra tanto também. OBS: Não é permitido tirar foto em nenhum local interno da casa, somente no jardim.

22048678292_69733ce0ea_b.jpg[foto recordação casa pablo neruda]

 

Segui para tentar conhecer uma lanchonete chamada Fuente Alemana também falada no tour, mas estava fechada no domingo. No caminho pro cerro santa lucia passei por uma cervejaria "Chinchinero Sanguchería & Cervecería", e vendo o cardápio pelo lado de fora, vi que tinham uma cerveja que minha amiga Viviana havia me recomendado, a Kunstman, que tem nome alemão, mas é chilena. Acabei pedindo o chopp, e realmente estava bonzinho, mas nada demais. Eu ainda não disse então vou dizer aqui, no Chile é proibido tomar bebida alcoólica na rua, inclusive se o estabelecimento contar com uma área externa (essa segunda parte fiquei sabendo aqui pois eu queria me sentar na parte externa e a garçonete falou que não pode beber ali)!

22060770605_e1dd41357c_b.jpg[foto cardápio de cervejas]

 

Por volta de 15:00 finalmente conheci o Cerro Santa Lucia, que realmente é bem menos imponente que o Cerro San Cristobal, mas o mirante que fica lá no topo dele é bem mais interessante, tendo-se uma real dimensão 360º do centrão de Santiago, vale a visita, diferente de muitas opiniões, afinal se chega lá bem mais rápido que no outro.

22048352002_04d0369509_b.jpg[foto panorama - previa antes do upload da 360 graus]

[link foto 360 graus]

 

Do cerro, eu iria direto pro museu bellas artes pois minha amiga me convidou pra assistir um espetáculo de dança que parecia interessante, mas não consegui ir direto pois pra variar eu estava sem comer nada, e fui lá na região do rolo primavera de frango, mas estava tudo fechado, acabei comendo sanduiche em um local que esqueci o nome ali perto do metrô Universidad de Chile. Acabei chegando no espetáculo uns 15 minutos atrasado e a porta estava fechada :S mas quando eu estava frente à porta, chegou uma sra. que conseguiu que abrissem pra ela, apesar do rapaz que abriu a porta estar muito bravo por alguem ter incomodado, se ela entrou eu entrei também. O espetáculo era bem psicodélico, digamos, uma dança das mais loucas que já vi. Foi uma experiência interessante.

Saimos de lá umas 18:00 e fomos comprar bebida pra ver o eclipse lunar do apartamento bebendo um vinho. Chegando no apartamento, depois de um banho e descanso, preparamos uns pães com alho e azeite, empanadas de camarão, e bebemos com vinho.

21438084404_a0f72744eb_b.jpg[foto da jantinha]

 

Antes de dormir, liguei no transfer Transvip pra marcar um transporte compartilhado para o aeroporto (mais barato) e a hora disponível considerando que meu embarque era 06:45, foi 03:20.

O telefone é (56 2) 26773000, se não der certo tem o Delfos também: (56 2) 2913 8800. Se vier do Brasil, agende por email: [email protected]

 

__________________________________________________

Dia 12 - SEG 28/09/2015 : volta pro Brasil

Local: Santiago -> SP -> Uberlândia

Atividades: viagem

Acomodação: N/A

----------------------------------------------------------------------

 

O transfer foi extremamente pontual, mas também fui o primeiro a entrar, depois ele passou pegou somente +2 e fomos pro aeroporto. Cheguei lá o guichê da gol não havia nem aberto.

 

Aqui também não há nada mais a declarar, fim de viagem.

Até a próxima Chile...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×