Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Que demais! Meu marido e eu estamos querendo ir até machu picchu, saindo de porto alegre. Será que Julho/2019 é bom? E não faço idéia de quando tempo precisaríamos.

Demais o seu roteiro!

Abraço!

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em 12/03/2019 em 14:59, May Araujo disse:

Que demais! Meu marido e eu estamos querendo ir até machu picchu, saindo de porto alegre. Será que Julho/2019 é bom? E não faço idéia de quando tempo precisaríamos.

Demais o seu roteiro!

Abraço!

Obrigado @May Araujo Julho é alta temporada, mas é uma época boa, não chove tanto quanto dez a março. Entre 20-25 dias dá para fazer a viagem, passando pelo atacama, lago titicaca e machu picchu.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 16/02/2016 em 08:05, hlirajunior disse:

Dia 05 - 29/12 - Tilcara[AR] a San Pedro de Atacama[CH] - 436km

dia05_zpspi5nizol

 

Quinto dia seguido de estrada, já estávamos nos acostumando com a rotina de tirar e colocar as malas e demais coisas todo dia no carro. O dia amanheceu sem nuvens no céu e antes de sairmos de Tilcara paramos no posto na entrada da cidade para abastecer, é o último posto grande antes do posto YPF no Paso de Jama (Há dois outros locais para abastecer, um em Susques e outro no restaurante Pastos Chicos próximo a Susques). Aproveitamos para comprar mais sanduiches e água mineral, pois as garrafinhas no Chile são bem mais caras.

 

Voltamos alguns quilômetros pela Ruta 9 até o cruzamento com a Ruta RN52 que vai para o Chile. Passamos por Purmamarca, mas não paramos para tirar fotos, a estrada vai acompanhando um rio com várias montanhas coloridas ao lado até chegar na Puerta de Lipán, onde começam as primeiras curvas em U. Em alguns trechos não há asfalto devido a obras, mas é tranquilo passar. Na parte final da subida mais intensa há alguns mirantes legais para fotos, principalmente na última curva em U. Depois disso a subida se torna mais suave até chegar na Abra de Lipán, a 4172m de altitude. No local há alguns vendedores de artesanato e um marco com a altitude do local.

 

Após esse ponto, inicia-se a descida em direção as Salinas Grandes, que olhando a frente parece apenas um ponto branco no horizonte. A descida desse outro lado também é bem bonita, há uma sequência de curvas mais suaves e no final uma grande reta. No trecho inicial das salinas, removeram o asfalto para manutenção da rodovia, há um bom pedaço em estrada de rípio. Há alguns locais para estacionar o carro e venda de artesanato, além de banheiros químicos. Infelizmente dessa vez a entrada para o salar estava fechada e não conseguimos entrar de carro naquela imensidão branca. Apenas descemos a pé e tiramos algumas fotos, mas devido a claridade e calor não ficamos muito tempo. É bom ir preparado com óculos escuro e protetor solar, pois apesar da altitude e temperatura mais amena, o sol reflete no sal e pode queimar a pele e danificar a visão.

 

Continuamos viagem até o restaurante Pastos Chicos, logo após Suques, onde paramos para descansar. Haviam outros carros brasileiros no local. Nesse local há um restaurante, hotel e posto de combustível. Como estávamos com ¾ do tanque não paramos para abastecer. Depois disso seguimos viagem até a fronteira no Paso de Jama, o caminho é tranquilo e há grandes retas. A estrada passa pelo Salar de Olaroz e Salar de Jama. Paramos no posto YPF para abastecer, no local só havia a gasolina (nafta) Infinia, de maior octanagem e maior preço consequentemente. Dali seguimos até a aduana conjunta entre os dois países, mas que é super demorada.

 

Na estrada há uma cancela, onde um guarda verifica a placa do carro e a quantidade de passageiros, fornecendo um papel que deverá receber um carimbo a cada etapa do trâmite e na saída deverá ser entregue a outro guarda que libera outra cancela. Só de ver a quantidade de carimbos que deverão constar no papel e a quantidade de carros e ônibus parados já deu para perceber que não iria ser rápido. O primeiro trâmite é a migração, onde é dada a saída da Argentina. No guichê ao lado é feita a saida do carro na argentina. O próximo guichê é onde é feita a entrada de cada pessoa no Chile e depois a aduana do veículo, onde a pessoa digita todas as informações do veículo no sistema. É meio demorado e ao final é entregue um papel declarando a importação temporária do veículo no país. (ps: A ordem dos guichês pode mudar, mas é basicamente essa)

 

Depois disso ainda tem que passar no guichê do Senasa, preenchendo um papel onde deve ser declarado o que está sendo levado ou não pelos passageiros. Por último um fiscal irá ao carro verificar se está tudo ok ( as vezes é necessário passar as bagagens no raio-x) para ele dar o carimbo final no papel que deverá ser apresentado na cancela ao guarda para finalmente estar livre.

 

Nessa brincadeira toda, perdemos quase 2 horas, que naquela altitude parecem uma eternidade. Andamos alguns quilômetros e chegamos na placa que indica a divisa dos dois países. Depois disso começa a parte mais alta da travessia, sempre acima de 4000m, há belas paisagens com lagunas com um azul espetacular e alguns vulcões ao fundo. Em um determinado ponto é possível visualizar os monges de la pacana ao lado direito da estrada, antes de iniciar a subida para o ponto mais alto da travessia, onde alcançamos 4830m de altitude. Nesse trecho foi necessário subir em primeira marcha por cerca de um quilômetro, o carro pesado e a altitude deixaram o motor sem força.

 

Depois o carro voltou ao normal e logo começamos a avistar o vulcão juriques em frente e a laguna blanca na bolivia do lado direito. Ao poucos ao lado do Juriques surge o vulcão Licancabur imponente e inicia-se a descida até San Pedro de Atacama. É uma descida alucinante, começa perto dos 4800m de altitude e vai até 2400m em San Pedro em pouco mais de 40km. Nesse trecho resolvemos descer em 3º marcha usando o freio motor para reduzir a velocidade, em alguns pedaços cheguei a descer em 2º marcha utilizando assim bem pouco o freio do carro. No meio da descida tinha um ônibus quebrado e os passageiros sem noção do perigo ficavam no meio da estrada. Paramos para algumas fotos durante a descida até chegar em SPA.

 

Chegando na cidade, fomos a procura do hotel e mais uma vez chegamos na rua certa, mas demoramos um pouco para encontrá-lo, pois não possuia placa com o nome, somente encontramos após olhar todas as casas da rua pela numeração. O hotel fica um pouco afastado do centrinho da cidade, em torno de 15-20 min caminhando, mas foi o mais em conta que encontramos para o periodo do reveillon. Descansamos um pouco e a noite fomos comer uma pizza.

 

Hotel Portal del Sol

- Acomodações simples, ambiente familiar.

- Fica um pouco longe do centrinho de San Pedro, mas tem garagem e café da manhã.

- US$ 65.00 o quarto de casal

 

Gastos com combustível: AR$ 360,00 - 22,29 litros para completar o tanque no posto YPF no paso de jama

Pedágio: Não há pedágio nesse trajeto

 

Video com o trajeto de Tilcara a San Pedro de Atacama pelo Paso de Jama

Boa tarde.....

Primeiramente parabéns pelo relato dia a dia, isso é muito valioso para que nunca fez esse tipo de aventura, uma viagem tão longa.....

Estarei indo para o Atacama em 12/2020 e seu relato está sendo muito proveitoso para definir o trajeto.

Nesse trajeto de Tilcara até San pedro vcs sairam que hrs e chegaram em qual horario em SPA?

Grato e um grande abç

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
16 horas atrás, Alcione José Cercal disse:

Boa tarde.....

Primeiramente parabéns pelo relato dia a dia, isso é muito valioso para que nunca fez esse tipo de aventura, uma viagem tão longa.....

Estarei indo para o Atacama em 12/2020 e seu relato está sendo muito proveitoso para definir o trajeto.

Nesse trajeto de Tilcara até San pedro vcs sairam que hrs e chegaram em qual horario em SPA?

Grato e um grande abç

 

Obrigado @Alcione José Cercal - Saimos de Tilcara em torno das 9hs da manha e chegamos em San Pedro de Atacama perto das 17hs. Fizemos muitas paradas durante o trajeto e tb pegamos a aduana cheia no Paso de Jama. Qualquer duvida e so perguntar. Abraco.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu vi todo o seu post, porém não achei a planilha de custos, vc teria ela para baixar ?

 

Obg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 14/06/2020 em 14:59, berdam disse:

Eu vi todo o seu post, porém não achei a planilha de custos, vc teria ela para baixar ?

 

Obg

Olá @berdam, infelizmente não tenho mais a planilha de custos. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por MAQ1981
      Ola pessoal,

      Tenho 20 dias férias (sem chance de negociação) em Agosto/2020 e planejo viajar de carro (com esposa e filha de 18 meses) até Praia Grande-SC / Cambará do Sul-RS e depois Foz do Iguaçu.
      Sim. Só viajaremos se a questão do COVID19 tenha de fato amenizado. O que não parece ser o caso.
      Mas vou seguir com o planejamento e decidir na véspera...

      O trecho entre São Paulo e Floripa eu conheço bem.
      Planejo fazer uma parada de 1 noite em Curitiba e 3 noites em Florianópolis e então seguir para  Praia Grande-SC / Cambará do Sul-RS.

      A ideia é não fazer trechos muito longos de carro (> ~5hs) para não deixar minha filha muito irritada e cansada.

      Porém, o trecho entre Praia Grande-SC / Cambará do Sul-RS até Foz do Iguaçu está um quebra cabeça.

      A ideia a principio era sair de Praia Grande-SC / Cambará do Sul-RS e seguir até Chapecó e passar 1 noite para então seguir viagem.
      Porém os trechos de Praia Grande-SC / Cambará do Sul-RS até Chapecó e então Foz do Iguaçu são bem longos (~8hs)
      Tenho simulado diversas opções de caminho, cogitando 2 paradas antes de Foz do Iguaçu, mas as cidades mais promissoras ficam aproximadamente ~6hs.

      Alguém conhece essa região e poderia sugerir uma roteiro entre Praia Grande-SC / Cambará do Sul-RS até  Foz do Iguaçu?

      Obrigado. Grande Abraço!
      Marcelo
    • Por filiperocha
      Fala galera!
       
      Eu acabei de chegar do lugar mais incrível do mundo, mais conhecido como San Pedro de Atacama e, como aprendei muita coisa aqui, nada mais justo que repassar pra vocês toda a viagem num relato cheio de informações atualizadas. Estive lá de 14 até 20 de outubro de 2016.
       
      As fotos (muitas) não postadas aqui estão no meu instagram: @ofiliperocha
      Então, vamos lá! Acho que dividindo por tópicos fica mais organizado:
       
      Passagens aéreas
       
      Primeiramente, devo alertar que você NÃO DEVE COMPRAR o trecho Brasil - Calama antes de pesquisar bem outras alternativas. Óbvio que tem seus benefícios, como a obrigatoriedade de a cia área te alocar em outro voo caso perca a conexão por atraso no primeiro voo e etc, mas nem sempre compensa. No meu caso, o trecho Rio - Calama pela LATAM sairia cerca de 600 reais mais caro do que comprar os trechos separados.
       
      Comprei as passagens em agosto e o trecho Rio-Santiago e Santiago - Rio saíram por mil reais em voos diretos!
       
      Sobre o trecho Santiago - Calama, comparei os preços e decidi comprar no site chileno da SKY AIRLINES
       
      ATUALIZAÇÃO IMPORTANTE 1: Em todos os lugares que pesquisei, havia lido que para comprar as passagens no site da sky seria preciso enviar um e-mail mandando dados, uma burocracia só..Informo que comigo não foi preciso nada disso.
       
      Bastou entrar no site chileno da companhia (para isso entre no site da companhia: http://www.skyairline.cl/verChange.aspx e selecione o país como CHILE e o idioma espanhol. Caso não apareça a opção, entre no site da empresa, no canto esquerdo superior da tela clique no país que aparece, que a tela pra você mudar de país vai aparecer). Escolhidos os trechos, basta inserir o numero de um cartão internacional que a compra será feita na hora, sem e-mails e demais burocracias. Como documento coloquei meu passaporte. Interessante é que no e-mail eles não aceitaram um endereço brasileiro (.br), porém o hotmail fornece e-mail apenas ".com", o qual utilizamos sem maiores dificuldades.
       
      O trecho Santiago - Calama ida e volta saiu por 55 dólares já com as taxas ! 300 reais mais barato do que comprando no site chileno da Latam.
       
      ATUALIZAÇÃO IMPORTANTE 2: Os principais sites avaliadores de cias aéreas estão desatualizados quando falam da SKY. A companhia se tornou uma low cost e não possui serviço de bordo, apenas venda de alimentos e bebidas. Como o voo dura só 2 horas, não foi nada que me atrapalhasse.
       
      No que diz respeito à qualidade do serviço, os aviões são ótimos! 
       
      Parti do Rio às 6:40 do dia 14/10 e cheguei em Santiago pouco antes das 11:30. Meu voo para Calama partia apenas às 15:25. Achei importante deixar essa folga de tempo para passar pela imigração e se caso nosso voo tivesse atraso.
       
      Nesse meio tempo, aproveitei para:
       
      comprar um chip de internet no chile: No terceiro andar do aeroporto de Santiago, saindo do elevador basta ir na direção esquerda até uma loja chamada FOTOKINKA. Lá, adquiri um chip pré-pago da Movistar que vinha com 150mb de internet e 2.000 pesos de crédito. Ainda na loja, a moça me orientou a discar um número e gastar esse saldo em mais 200mb de internet. Por fim, pagamos 9 mil pesos pelo chip e ficamos com 350mb de internet móvel para a viagem toda. Essa quantidade eu diria que foi razoável (acabou no último dia, no aeroporto de Santiago). Comntrolei o uso do 3G (não deixei ligado o tempo todo). Vale dizer que a cobertura da Movistar é ótima em San Pedro e em quase todos os passeios.
       
      Chegada a hora, embarquei rumo a Calama, num voo onde o visual é alucinante, parece que não vai ter aeroporto pra pousar e você se dá conta de que está no meio do NADA.
       
      Vista na viagem para Calama:
       

       
       
      Transfer do aeroporto El Loa (Calama) até San Pedro
       
      Chegando em Calama após 2h de voo, você se depara com o modesto e bonito aeroporto de El Loa. Bagagens retiradas, é chegada a hora de ir pra San Pedro do Atacama, cidade base para conhecer o deserto! Para tanto, será necessário contratar um serviço de transfer ou ir de ônibus. Pela comodidade, fiquei com a primeira opção.
       
      Muito se fala na Licancabur, mas é bom deixar claro que ela não é a única empresa que faz o serviço. No primeiro andar do aeroporto de Calama, há diversos stands de empresas que fazem esse transporte, mas atenção: Na volta, chegamos a Calama perto das 7h e estavam todas fechadas, então se você vai chegar cedo, é bom reservar antes.
       
      Reservei meu transfer diretamente com o Hostel (assunto para o próximo tópico) e quando cheguei já estavam  esperando no desembarque com uma placa. Seguimos viagem numa confortável minivan da Hyundai com ar condicionado e bancos de couro até a porta do Hostel. Digo isso não por ser fútil, mas por custo benefício mesmo: A Licancabur te cobra 20 mil pesos, te leva de ônibus e, pelo que sei, te deixa no centro de SPA cheio de malas. Esse transfer que peguei te leva de carro, com no máximo mais umas 6 pessoas e te deixa na porta do hostel pelos mesmos 20 mil pesos por pessoa (ida e volta), já com horário marcado pra te pegarem na volta. Prometo que vou procurar o recibo que tem o nome da empresa e posto aqui.
       
      O melhor: o motorista Rodolfo ainda deu uma paradinha pra tirarmos uma fotos antes mesmo de chegar na vila! (prepare-se para o vento, às 18h30 o vento começa a pegar)
       
      Cheguei no deserto!

       
      Paradinha para fotos logo na chegada:

       
      Hostel:
       
      Pra mim, foi uma das escolhas mais difíceis. Como era minha primeira viagem pra fora, passei meses pesquisando onde ficar. Por fim, acabei escolhendo o Hostel Mamatierra, número 1 de avaliações no TripAdvisor. Daria pra ficar num mais barato? Daria, mas não sei se compensaria, sinceramente.
       
      O hostel é sensacional ! A começar pela simpatia do cara que nos atendeu quando chegamos. Nos deu mapa de SPA, senha do Wifi, informações sobre a cidade e sobre os passeios. Os demais funcionários também são super simpáticos, em especial um boliviano que vem pro Rio ano que vem passar o carnaval!
       
      Dentre os pontos relevantes do Hostel estão:
       
      1) Café da manhã: Salada de frutas, sucos, chá de coca (e outros), pão, presunto, queijo, sucrilhos, leite, café, chocolate, iogurte..dentre outras coisas que não me lembro. É bem completo para um hostel, não tenho do que reclamar. E se em SPA você sai quase todo dia antes do horário do café, aí está: Você avisa eles no dia anterior e eles deixam um saquinho de lanche com o seu nome e quarto na cozinha pra você levar pro passeio! O lanchinho inclui pão, suco de caixinha, iogurte ou bote com pêssego e barra de cereal!
       
      2) Água quente: Pegamos um quarto com banheiro privado e não nos faltou água quente, todos os dias, toda hora que precisávamos.
       
      3) Bebedouro na cozinha: Nosso gasto com água em pelo deserto foi de 2 mil pesos em 2 garrafas de 1,5L quando chegamos. Isto porque o Hostel possui um bebedouro na cozinha onde você pode encher suas garrafas a hora que quiser, o que te faz economizar uma boa grana no deserto, tendo em vista o consumo intenso de água!
       
      4) Mercadinho do lado: com água, vinhos, lanches, congelados, legumes, frutas e conservados em geral. Do lado mesmo, não não dá nem três passos.
       
      5) Wi-fi: ponto negativo. Não pegava no quarto de jeito nenhum (talvez pq fiquei afastadoa da recepção). Na área comum pegava ok, nada demais o sinal. Poderia ser melhor, mas quem vai pra SPA não pode exigir uma "modernidade" dessas no meio do deserto e de fato não fará falta, o que não falta é coisa pra fazer.
       
      6) Paredes de Adobe: que isolam a temperatura (e o wifi também hehe). Não passei frio em momento algum. O quarto era quentinho demais, durante o dia fazia até calor dentro dele.
       
      Entrada do Hostel:

       
      Área comum:

       
      Cozinha:

       
       
      Ja já eu volto pra continuar contando!
    • Por Marcelo Manente
      Após a minha última aventura quando fui sozinho para a Carretera Austral no Chile eu fiquei sem viajar nas minhas férias seguinte. Sou professor e sempre tenho férias em dezembro/janeiro. Fiquei os 45 dias de férias triste e desanimado.
       
      Eu vendi a minha Ranger pois ela estava com um problema que poderia estragar o motor. Em seguida eu comprei a minha Toyota Hilux SW4 4Runner 2.7 a gasolina em outubro. Fiz a revisão inicial, troquei os pneus e isso tudo deu uns 5 mil.
      Não poderia viajar sozinho naquelas férias. Tentei de todo modo buscar companheiros para a viagem, porém não consegui.
       
      Ainda bem que não consegui... Um mês depois das férias o motor da Toy queimou a junta do cabeçote como que por mágica. Em nenhum momento ele ferveu ou esquentou a ponto de acontecer isso. Arrumei o problema e lá se foram mais $$$$$.
       
      Em julho coloquei um anúncio no grupo de professores do Parana do facebook procurando companheiros para a viagem. Inicialmente várias pessoas se interessaram, mas uma apenas fechou que iria. Depois essa professora, a Beatriz Goes, conseguiu mais um amigo professor para ir junto, o Edmar Lucas, ambos de Ponta Grossa - PR.
       
      A coisa complicou pq em outubro a Toy deu problema de novo. Queimou a junta do cabeçote outra vez. Dai eu ga$$$tei muito mais que da primeira vez para ver se não acontecia novamente. Aproveitei e fiz a embreagem, mandei revisar e limpar o radiador etc. Até o final do ano eu praticamente zerei tudo o que pudesse dar problemas na Toyota.
       
      Em outubro coloquei um anuncio aqui no Mochileiros para achar mais um companheiro de viagem. Em novembro apareceu o santista Adriano Lizieiro e fechamos o grupo. E para melhorar mais ainda, O Glauber e a Érica com sua Chevrolet S-10 a gasolina se juntaram a nós para formarmos um grupo de duas viaturas na viagem. Muito mais seguro. Isso me ajudou muito quando tive um problema na Toy.
       
      Saímos no dia 28/12/2015. Segue o relato.
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Vai alugar um carro pela primeira vez? Está com medo de fazer algum procedimento errado? Tem dúvidas sobre como proceder durante o aluguel do veículo e no que prestar atenção? Confira essas dicas para não fazer nada errado na hora do aluguel de carro e até economizar! 
       

       
      Toda vez que você planeja uma viagem, uma das primeiras coisas a serem pensadas é como você vai se descolar. Ônibus, avião, trem, balsa… existem muitas opções que variam de preço, qualidade e conforto em diversos lugares do mundo, mas nenhuma delas possui a praticidade que alugar um carro possui. Até porque, no fim das contas, o carro é a única opção que que te dá completa liberdade para fazer seus próprios horários e de passar por lugares que outros tipos de transporte não passam.
      Por isso, há muito o que considerar quando você vai comparar o aluguel de um carro com comprar bilhetes de trem ou ônibus, principalmente se for a primeira vez que você aluga. 

      Continue lendo: 9 Dicas para Economizar no seu Primeiro Aluguel de Carro
    • Por Marcelo Manente
      Pessoal,
      Me chamo Marcelo e eu, junto com mais 3 amigos(as), Edmar, Renata e Isabel,  vamos de Curitiba a Machu Picchu seguindo pela Argentina, Chile, Bolívia e Peru.
      Serão 30 dias de viagem com o meu Renault Symbol 1.6 2013. Vamos partir no dia 26/12/2017 e devemos voltar dia 24/01/2018.
      Estou me preparando para a viagem desde junho com manutenções, melhorias e equipamentos extras.
      Também já paguei os seguros de saúde, carta verde e Soapex (Chile).
      Nesta etapa os custos foram estes:
      Seguro Carta Verde= R$ 60,00 para 30 dias (só Argentina) pela Seguros Proteges, de São Borja-RS.
      Seguro Soapex do Chile= R$ 34,00 para 12 dias pela internet.
      Seguro de saúde= R$ 252,00 para cada, pela Assist Card por intermédio do site SegurosPromo . com . br.
      Troca de óleo, filtro do óleo, filtro de combustível, filtro do ar condicionado e filtro de ar = R$ 205,00
      Então o custo inicial (fora a troca de peças na revisão) é de R$ 551,00
      A seguir vou detalhar o roteiro pretendido.
       
       


×
×
  • Criar Novo...