Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

[FEV 2016] JALAPÃO 3 DIAS + PALMAS 3 DIAS (Parte 01)


Michele SP

Posts Recomendados

  • Membros

Meus queridos, só posso dizer uma coisa: visitem o Jalapão!

 

Tava doida para ir, mas vi que não compensava ir sozinha porque era tudo muito caro. Tive a grandissima sorte de conhecer aqui no Mochileiros a Paloma, Alex e Michele de Cuiabá que também estavam a procura do quarto elemento para fechar o quarteto - e encontraram: eeeeuu! kkkkkk Fomos agorinha, agorinha: de 17 a 24 de fevereiro de 2016.

 

E como o Mochileiros me ajudou a viabilizar minha viagem, nada mais justo do que compartilhar as dicas que encontrei! :-)

 

Grana cuuuuurta, por isso, contratamos um roteiro mega otimizado de 3 dias no Jalapão (com guia) e 3 dias livres em Palmas (por pura falta de grana mesmo). Ter um guia foi fundamental para otimizar nosso passeio, não tínhamos tempo para desperdiçar ou ousar ficarmos perdidos. Fora que as ruas de terra, outras de areia sambam pra caramba e a quantidade de horas dentro do carro no nosso roteiro foi bem intensa , fica puxado para quem for dirigir. Vi alguns relatos de pessoas que foram por conta, achei bemmm ousado embora não impossível. Nosso guia foi o Andrei (fala-se ân-drei) da Cerrado Rupestre, agência que tem parceria com a Novaventura. Parece que estão finalizando o site deles, assim que criarem eu compartilho.

 

Nosso roteiro ficou assim:

 

Dia 1. Chegada em Palmas. Dormir na cidade.

 

Dia 2. Canyons, deserto vermelho e contemplação na cachoeira da velha. Dormimos em Mateiros na Pousada do Cardoso.

 

Dia 3. Subir a serra do Espírito Santo para ver o nascer do Sol, nadar na Cachoeira da Formiga e entrar no Fervedouro do Ceiça e no Fervedouro da Bela Vista. Nesta noite dormimos em São Félix, numa casa-base da própria agência (a princípio voltaríamos para a Pousada do Cardoso, mas o guia gente finíssima nos cedeu este espaço que nos fez ganhar tempo na viagem e economizar uma graninha).

 

Dia 4. Descemos o Rio do Sono (que depois ganha outro nome, mas esqueci) num rafting de 3 hoooras - que mesmo eu sem preparo físico consegui fazer! Me senti a Chuck Norris do Cerrado kkkkkk depois, almoço toooop five do Universo com o senhor Hélio (eleito como um dos melhores almoços do Jalapão pela Quatro Rodas). Na sequência, cachoeira das Araras e depois bora para Palmas.

 

Dia 5. Dia livre em Palmas.

 

Dia 6. Praia do Prata e Praia Graciosa em Palmas (achei engraçado chamarem de "praia" rs... ) - fomos de taxi, porque é beem distante, no meio do nada.

 

Dia 7. Cachoeira da Roncadeira e Cachoeira Escorrega Macaco em Taquaruçu - fomos de bus para Taquaruçu: 1 bus até taquaralto, outro até taquaruçu, depois pegamos um terceiro por uns 10 minutos só para não ter que subir 1h de ladeira até as cachoeiras (este último ônibus não é indispensável, mas com um sol de 35 graus na cabeça, é realmente algo a considerar rs). Ainda assim, suuuper tranquilo de chegar, acho que levamos 2h sem transito para ir e cerca de 1 hora / 1h30 para voltar, porque paramos no meio do caminho na famosa feira da 304 - tem às sextas e terças-feiras, a partir das 16 horas (Comprei 4kg de paçoca de carne de sol que é a coisa mais maravilhosa do mundo... paçoca na minha terra é doce, mas lá é tipo uma farofa, parece comida de vaqueiro. Comam a paçoca apimentada! Tem uma marca chamada o Rei da Paçoca, me pareceu a mais famosa, forma até fila para comprar). Taquaruçu normalmente é incluída no roteiro de 4 dias, mas optamos por seguir sozinhos, para baratear nossa viagem. Não fizemos todos os atrativos que tem lá, porém, deu para sentir o gostinho.

 

 

Minhas impressões:

 

Primeiro de tudo: Ooooooo terra quente da moléstia kkkkkkkkkkkkkk Rapaz, eu que sou de SP quase morri de calor. Os cuiabanos aparentemente estavam mais adaptados rs. 35 graus a pino e com sensação térmica de um forno ligado em 200 graus rs

 

Passado o desabafo sobre o calor rs.... Olha, eu já fui para alguns lugar de natureza linda, como Noronha, Chapada Diamantina/ Guimarães, Bonito.. Mas os benditos fervedouros do Jalapão não são apenas lindos.. a sensação quando se entra é tão diferente, eu ao menos nunca tinha entrado e não tinha a menor ideia do que ia acontecer pisando lá.

 

Entrei em dois, o Fervedouro do Ceiça e o Fervedouro Bela Vista.. no primeiro você vai entrando, o chão é firme, depois começa a ceder em trancos (no começo, isso dá uma gastuuuura menino kkkkk) e quando cede por completo, você fica em pé, sem afundar, sem ter que bater perna e com a areia revirando no fundo... ficava tentando forçar para afundar, mas a água não deixa, você fica tipo um João-Bobo, tipo uma mola (eu ficava brincando comigo mesma neste sobe desce, repetindo mentalmente: póin... póin kkkkk)... Parece que eu tava nadando numa massa de bolo, sabe quando você coloca o açuçar e fica uma pasta meio granular, pedregosinha? kkkkkkk Fora que é lindo, eles plantaram bananeiras em volta para proteger as margens.. a água é azul e transparente, linda, linda, linda!

 

Fiquei igual criança eufórica, falando sem parar, boba alegre, parecia que estava num ofurô natural, dá uma sensação de que você é rico kkkkkkk

 

O fervedouro da Bela Vista é bem maior e branco... tem muita árvore de buriti em volta e quando os frutos caem na agua soltam um óleo, com isso a textura da areia e da água são muito diferentes... na parte firme da areia forma uma película, para mim parecia que estava pisando numa lona... e na parte que cede, fica leitoso, parecia que tava nadando num balde de tinta branca. É inevitável: você entra e fica narrando como a sensação lhe parece, mas faltam palavras porque é novo, mas ainda assim você fica falando kkkkkk é igual criança! rs o Lugar é imeeenso e maravilhoso! Fizemos uma competição de corrida dentro da água sem usar as mãos ahuahuahua perdi na melhor de 3! rs

 

Jalapão não cabe em foto minha gente, tem que experimentar, sentir na pele! Fora que acho que gastei nesta viagem toda sorte que 2016 havia reservado para mim... em todos os atrativos só tinha a gente, quando muito uma meia dúzia de gatos pingados e olhe lá!

 

Sobre os outros atrativos do primeiro dia:

 

Os canyons estão in-fes-ta-dos de duendes kkkkkkkkkkkk brincadeiras a parte: o lugar não é tão grande, mas o que chama mais a atenção é que você anda na superfície completamente seca e no canyon, que fica bem abaixo do paredão, escorre uma água que vem não sei da onde ... muito bonito e de fácil acesso, descemos um pequeno lance de pedras apenas. Pena que tem gente sem noção que precisa pixar o lugar e deixar "sua marca".. espero que com essa moda de selfie a vontade de aparecer seja canalizada para um meio digital rs.

 

A cachoeira da Velha é apenas para contemplação, não pode (melhor: não dá para) nadar, mas vale a visita. Muito exuberante e dá para chegar bem perto da queda.

 

Já as dunas são lindiiiiiiissimas! É bacana que você vê a serra ao fundo se desfazendo e é dela que vem a areia vermelha que forma a duna. Como nosso guia disse, é um "deserto com água", porque tem vários corregos em volta. No por do sol os contrastes do verde das plantas, do vermelho da areia e do azul do céu ficam ainda mais bonitos - e rendem fotos maravilhosas #ficadica.

 

Como fizemos o roteiro compacto de 3 dias, confesso que o primeiro foi beem cansativo porque ficamos muuuitas horas no carro, só no sacolejo. Mas os demais me fizeram até esquecer desta correria!

 

Posto as dicas dos demais passeios e informações sobre contatos e valores na sequência.

 

 

Beijos, Michele

Link para o post

  • 4 semanas depois...
  • Membros
Meus queridos, só posso dizer uma coisa: visitem o Jalapão!

 

Tava doida para ir, mas vi que não compensava ir sozinha porque era tudo muito caro. Tive a grandissima sorte de conhecer aqui no Mochileiros a Paloma, Alex e Michele de Cuiabá que também estavam a procura do quarto elemento para fechar o quarteto - e encontraram: eeeeuu! kkkkkk Fomos agorinha, agorinha: de 17 a 24 de fevereiro de 2016.

 

E como o Mochileiros me ajudou a viabilizar minha viagem, nada mais justo do que compartilhar as dicas que encontrei! :-)

 

Grana cuuuuurta, por isso, contratamos um roteiro mega otimizado de 3 dias no Jalapão (com guia) e 3 dias livres em Palmas (por pura falta de grana mesmo). Ter um guia foi fundamental para otimizar nosso passeio, não tínhamos tempo para desperdiçar ou ousar ficarmos perdidos. Fora que as ruas de terra, outras de areia sambam pra caramba e a quantidade de horas dentro do carro no nosso roteiro foi bem intensa , fica puxado para quem for dirigir. Vi alguns relatos de pessoas que foram por conta, achei bemmm ousado embora não impossível. Nosso guia foi o Andrei (fala-se ân-drei) da Cerrado Rupestre, agência que tem parceria com a Novaventura. Parece que estão finalizando o site deles, assim que criarem eu compartilho.

 

Nosso roteiro ficou assim:

 

Dia 1. Chegada em Palmas. Dormir na cidade.

 

Dia 2. Canyons, deserto vermelho e contemplação na cachoeira da velha. Dormimos em Mateiros na Pousada do Cardoso.

 

Dia 3. Subir a serra do Espírito Santo para ver o nascer do Sol, nadar na Cachoeira da Formiga e entrar no Fervedouro do Ceiça e no Fervedouro da Bela Vista. Nesta noite dormimos em São Félix, numa casa-base da própria agência (a princípio voltaríamos para a Pousada do Cardoso, mas o guia gente finíssima nos cedeu este espaço que nos fez ganhar tempo na viagem e economizar uma graninha).

 

Dia 4. Descemos o Rio do Sono (que depois ganha outro nome, mas esqueci) num rafting de 3 hoooras - que mesmo eu sem preparo físico consegui fazer! Me senti a Chuck Norris do Cerrado kkkkkk depois, almoço toooop five do Universo com o senhor Hélio (eleito como um dos melhores almoços do Jalapão pela Quatro Rodas). Na sequência, cachoeira das Araras e depois bora para Palmas.

 

Dia 5. Dia livre em Palmas.

 

Dia 6. Praia do Prata e Praia Graciosa em Palmas (achei engraçado chamarem de "praia" rs... ) - fomos de taxi, porque é beem distante, no meio do nada.

 

Dia 7. Cachoeira da Roncadeira e Cachoeira Escorrega Macaco em Taquaruçu - fomos de bus para Taquaruçu: 1 bus até taquaralto, outro até taquaruçu, depois pegamos um terceiro por uns 10 minutos só para não ter que subir 1h de ladeira até as cachoeiras (este último ônibus não é indispensável, mas com um sol de 35 graus na cabeça, é realmente algo a considerar rs). Ainda assim, suuuper tranquilo de chegar, acho que levamos 2h sem transito para ir e cerca de 1 hora / 1h30 para voltar, porque paramos no meio do caminho na famosa feira da 304 - tem às sextas e terças-feiras, a partir das 16 horas (Comprei 4kg de paçoca de carne de sol que é a coisa mais maravilhosa do mundo... paçoca na minha terra é doce, mas lá é tipo uma farofa, parece comida de vaqueiro. Comam a paçoca apimentada! Tem uma marca chamada o Rei da Paçoca, me pareceu a mais famosa, forma até fila para comprar). Taquaruçu normalmente é incluída no roteiro de 4 dias, mas optamos por seguir sozinhos, para baratear nossa viagem. Não fizemos todos os atrativos que tem lá, porém, deu para sentir o gostinho.

 

 

Minhas impressões:

 

Primeiro de tudo: Ooooooo terra quente da moléstia kkkkkkkkkkkkkk Rapaz, eu que sou de SP quase morri de calor. Os cuiabanos aparentemente estavam mais adaptados rs. 35 graus a pino e com sensação térmica de um forno ligado em 200 graus rs

 

Passado o desabafo sobre o calor rs.... Olha, eu já fui para alguns lugar de natureza linda, como Noronha, Chapada Diamantina/ Guimarães, Bonito.. Mas os benditos fervedouros do Jalapão não são apenas lindos.. a sensação quando se entra é tão diferente, eu ao menos nunca tinha entrado e não tinha a menor ideia do que ia acontecer pisando lá.

 

Entrei em dois, o Fervedouro do Ceiça e o Fervedouro Bela Vista.. no primeiro você vai entrando, o chão é firme, depois começa a ceder em trancos (no começo, isso dá uma gastuuuura menino kkkkk) e quando cede por completo, você fica em pé, sem afundar, sem ter que bater perna e com a areia revirando no fundo... ficava tentando forçar para afundar, mas a água não deixa, você fica tipo um João-Bobo, tipo uma mola (eu ficava brincando comigo mesma neste sobe desce, repetindo mentalmente: póin... póin kkkkk)... Parece que eu tava nadando numa massa de bolo, sabe quando você coloca o açuçar e fica uma pasta meio granular, pedregosinha? kkkkkkk Fora que é lindo, eles plantaram bananeiras em volta para proteger as margens.. a água é azul e transparente, linda, linda, linda!

 

Fiquei igual criança eufórica, falando sem parar, boba alegre, parecia que estava num ofurô natural, dá uma sensação de que você é rico kkkkkkk

 

O fervedouro da Bela Vista é bem maior e branco... tem muita árvore de buriti em volta e quando os frutos caem na agua soltam um óleo, com isso a textura da areia e da água são muito diferentes... na parte firme da areia forma uma película, para mim parecia que estava pisando numa lona... e na parte que cede, fica leitoso, parecia que tava nadando num balde de tinta branca. É inevitável: você entra e fica narrando como a sensação lhe parece, mas faltam palavras porque é novo, mas ainda assim você fica falando kkkkkk é igual criança! rs o Lugar é imeeenso e maravilhoso! Fizemos uma competição de corrida dentro da água sem usar as mãos ahuahuahua perdi na melhor de 3! rs

 

Jalapão não cabe em foto minha gente, tem que experimentar, sentir na pele! Fora que acho que gastei nesta viagem toda sorte que 2016 havia reservado para mim... em todos os atrativos só tinha a gente, quando muito uma meia dúzia de gatos pingados e olhe lá!

 

Sobre os outros atrativos do primeiro dia:

 

Os canyons estão in-fes-ta-dos de duendes kkkkkkkkkkkk brincadeiras a parte: o lugar não é tão grande, mas o que chama mais a atenção é que você anda na superfície completamente seca e no canyon, que fica bem abaixo do paredão, escorre uma água que vem não sei da onde ... muito bonito e de fácil acesso, descemos um pequeno lance de pedras apenas. Pena que tem gente sem noção que precisa pixar o lugar e deixar "sua marca".. espero que com essa moda de selfie a vontade de aparecer seja canalizada para um meio digital rs.

 

A cachoeira da Velha é apenas para contemplação, não pode (melhor: não dá para) nadar, mas vale a visita. Muito exuberante e dá para chegar bem perto da queda.

 

Já as dunas são lindiiiiiiissimas! É bacana que você vê a serra ao fundo se desfazendo e é dela que vem a areia vermelha que forma a duna. Como nosso guia disse, é um "deserto com água", porque tem vários corregos em volta. No por do sol os contrastes do verde das plantas, do vermelho da areia e do azul do céu ficam ainda mais bonitos - e rendem fotos maravilhosas #ficadica.

 

Como fizemos o roteiro compacto de 3 dias, confesso que o primeiro foi beem cansativo porque ficamos muuuitas horas no carro, só no sacolejo. Mas os demais me fizeram até esquecer desta correria!

 

Posto as dicas dos demais passeios e informações sobre contatos e valores na sequência.

 

 

Beijos, Michele

 

Oi, Michele. Tudo bem?

Me tira uma dúvida, por favor. Com qual empresa você fez o rafting?

Link para o post
  • 5 semanas depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...