Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

victor machado

Salkantay trek COMPLETO! sem guia :p

Posts Recomendados

Show ein cara?! Coragem pra fazer tudo isso e além do mais, fazer sozinho!!

 

Essa vista da montanha mais alta do Waynapicchu, com sol ficou fenomenal. Vc se lembra mais ou menos que hora vc subiu? Leio relatos que a se subir muito cedo pega tudo nublado né?

 

Abs!!

 

Fala fabiofreitas, vlw pelo apoio :P

cara, fui no primeiro horário que tem, comecei a subir pro volta das 7hrs e cheguei no topo lá pelas 8hrs e esse hr já n estava nublado. O lance é torcer pro clima esta bonito kkkk.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns Victor!!!

 

Esse foi o melhor relato que eu já li sobre trekking em Salkantay até agora!! Sensacinal! Vou usar todas as suas dicas, e pretendo fazer do mesmo jeito :D

Quando foi a sua viagem?

Obs: As fotos também estão sensacionais, e me motivaram pra ir mais ainda!!!

 

Brigadão sofia.coe !! :D:D

Pow, irado!! Fico feliz em saber que meu relato ta ajudando pessoas. Apoio muito!!! Qualquer dúvida pode manda que terei o prazer em te ajudar. O lugar é muito lindo, nao tem como as fotos ficarem feias ::otemo:: kkk.. Você não vai se arrepender! Comecei a trilha no dia 26/01 e subi em Machu Picchu dia 31/01.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Orra Victor! Que show cara!

Me tira umas dúvidas, qual é a da carretera a qual seguiu para não ficar seguindo o grupo?

Vocês voltaram a encontrar grupos em outros momento?

Os guias não ficavam encarando, por estarem fazendo sozinho ou algo do tipo?

Você levou algum equipamento ou é remota a possibilidade de se perder?

Só mais uma, hahah, você foi em qual mês?

 

Obrigado pela atenção, e parabéns por esse role!

 

Vlw, paulocgl!!

Vamos lá para as respostas kkkkkk..

pow, não sei dizer o nome, porém, a van que eu estava parou no meio da carreteira e daí o grupo guiado seguiu subindo pela trilha e nos apenas continuamos seguindo a carreteira que a van estava, n tem erro! voltamos a encontrar o grupo sim! os encontramos no acampamento em Soraypampa. Com relação aos guias, de boa!Alguns n curtem, mas existe até uma solidarização por sermos "hermanos sul americanos", no brasil isso é muito pior ( Chapada da Diamantina, por exemplo). Se localizar é super de boa ! fui com um mapinha que peguei em uma agencia de viagem, parecido com uma foto que tem no relato. A trilha é bem demarcada e tem muita gente fazendo os 2 primeiros dias além de quase sempre passar por vilarejos os quais pode pedir informação de boa! Acho difícil se perder. E por último kkkkk... fui no mês de janeiro! Porém, quando estive no brasil, li muitos relatos os quais diziam que n era uma boa ir no começo do ano (verão) por causa das chuvas, talvez tenha dado sorte, pq quase n choveu enquanto estive lá.

é isso ai kkk.. Se tiver mais dúvidas é so mandar!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito bom o seu relato, Victor!

Pode dizer quais equipamentos levou e quanto gastou ao todo nesses 5 dias?

 

Obrigado Jéssika, :D

Bem, para os 2 primeiros dias gastei: 75 soles (van, camping 1º dia,ducha e janta).

no 3º e 4º dia gastei mais pq comemorei meu aniversario kkkk porém os custos básicos: 30 soles (pelos 2 dias de diária) e com relação a comida, tem varias opções (inclusive pf a 10 soles).

no 5º dia gastei mais 10 soles com a van de sant. tereza até a entrada de llactapata, uns 15 soles em um almoço reforçado que fiz ao chegar na hidroelétrica e 33 soles na diária de águas calientes(100 dividido pra 3)

 

Chutaria um total de: 153 soles (hospedagens, van e ducha) + 140soles(snacks, comidas e outros..) para os 5 dias

 

Com relação a equipamento, levei uma barraca mormai pra duas pessoas ( nada demais kkk..) e um saco de dormir (tb nada de super-pluma kkk) e minha carguei. Levei um GPS também mas um dia antes, à noite, percebi que, apesar de ter o tracklog de salkantay no GPS, não tinha o mapa da região ::putz::::lol4:: kkkkkkkkkkk.... enfim, usei só o mapinha da agencia de turismo e foi super de boa se orientar lá.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Mto bom, tbm pretendo fazer igual, eu não vou gastar minha grana com guia, pq minha viagem vai ser bem longa qse 2 meses, e não vou me dar ao luxo dessas ''mordomias''.

Em relação a segurança, é tranquilo acampar la? Irei sozinho fazer esses trekkings, se por acaso encontrar alguém que queira ir no caminho melhor ainda, unica preocupação é a segurança msm...

abs

 

Pow, cara! Tava nesse esquema aí.

Estava em um mochilão de um pouco mais de um mês e como você falou, tb não podia me dar o luxo dessas "mordomias". Com relação a segurança, é muito de boa! você paga 10 soles e fica em um camping estruturado, abrigado e tal... Pra navegar é tranquilo também! as trilhas são bem demarcadas e vc sempre está passando por vilarejos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito bom o relato cara..

Pretendo fazer da mesma forma, assim como você, penso que fazer as trilhas a pé nos tornam mais fortes (Espiritualmente, mentalmente e fisicamente)..

 

Você poderia dizer mais ou menos quanto gastou?

 

Abraço!

 

show de bola seu relato! ::otemo::

 

pow, vanderoots!

Realmente apoio fazer o trekking de salkantay, foi algo sensacional pra mim!!

Posso sim, mais em cima respondi pra Jessika Costa. Em resumo chutei uns 153 soles (hospedagens, van e ducha) + 140 soles (snacks, comidas e outros..) para os 5 dias, da uma olhada lá, no comentário dela detalhei um pouco melhor .

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em relação a mochila, não teria como deixar elas em algum lugar e levar só a mochila de ataque? Ou vc precisou usar td o q estava na mochila maior msm?

 

Pow, dá sim! o problema é onde levar as roupas,barraca, saco de dormir.... O que fiz foi o seguinte, tinha uma capa pra cargueira, tipo uma bolsa, e ali colocamos todo o peso desnecessário que levávamos durante a trip, fechamos com um cadeado e deixamos no hostel que nos hospedamos em cusco (isso é uma prática comum de alguns Hotels , guardar as bagagens por até 7 dias mais ou menos ).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

falaÊ.

Pow bacana teu relato aqui. Estou planilhando pra fazer meu mochilao 2017 - Bolivia - Peru - Chile, e essa trilha + MP será o auge...

Estou vendo preços dos passeios guiados e depois desse teu relato tô pensando seriamente em fazê-lo e economizar uma BOA grana.

Apesar de já ter lido todo o relato e as dúvidas das pessoas, sempre queremos que a resposta seja pra gente, assim fica mais "confiável" kkkk

fácil

Então posso fazer o seguinte?!

- Chegar em Cusco, pegar um Hostel, e deixar o que não for necessário lá, guardado.

- Pegar uma van que me deixe em Challacancha, certo? É fácil encontrar alguém que te deixe aí para fazer uma trilha, mesmo eles sabendo que não será guiado e, logo, não irão "lucrar" com isso?

- Desembarcando em Challacancha, a trilha é fácil de seguir? É bem demarcada?

- Chegando nos campings é de boa acampar e comer por lá? Achei que fosse restrito aos que fechassem pacote..... E acampa diferente do local onde os "guiados" estão, tipo "ao relento"? Porque vi em algumas fotos que algumas barracas ficam em áreas cobertas.

- Do 1o acampamento até o 2o então se segue a trilha que os "guiados" vão? (então rola seguir daí em diante? ...rs..rs..rs)

- Depois tem que se pegar uma van até a Hidrelétrica e fazer a caminhada até Águas Calientes novamente certo?

E de lá, ir para a tão esperada Macchu Picchu.

E para voltar para Cusco, é fácil encontrar vagas nas Vans?

 

Bom, acho que isso tira todas as minhas dúvidas.....eu disse, eu acho? kkk e desculpa..kk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Achei o relato que precisava!! Pretendo fazer Salkantay em outubro, mas dói pensar no custo para contratar guia. Ainda tenho algumas dúvidas:

- É necessário pagar alguma taxa para entrada no Parque Salkantay ou em qualquer outro local da rota?

- Conseguiu água facilmente durante a trilha?

- Encontro pelo menos um vilarejo por dia onde possam oferecer uma refeição?

 

Muito obrigada!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por evelynlaitz
      Minha vinda a Cusco foi mais precisamente para visitar Machu Picchu. Três dias de passeios em Cusco me proporcionou um monte de fotos e muito conhecimento dos tão desconhecidos Incas, Visitei Maras y Moray com suas lindas salinas. Pisaq e Ollaytaitambo com suas misteriosas ruínas. Para visitar esse lugares você deve comprar o boleto turístico (parcial 60 soles) total 130s e contratar uma agência que te leve lá. O boleto também pode ser comprado na hora no ingresso da atração já que o parcial é válido somente para dois dias compensa comprar no ingresso da atração. O total e válido para 10 dias. Bem depois de uma prévia do que seria Macchu Picchu era hora de partir para fazer a trilha salkantay. Acordei as 3:30, já havia agendado o táxi para as 4:00 para me levar até o ponto da van que sai para Mollepata. Essa van não tem horário para sair, fechou lotação sai. Saímos as 6:00 da manhã, chegamos em Mollepata as 8:30 e fui direto tomar um café que fica ali na praça mesmo. O senhor do café disse que seria necessário pegar um táxi para começar a trilha e eu insisti que queria ir caminhando, queria saber onde estava meu marido e o porquê de eu estar só. Fui pedir informações para o policial da cidade e disse que era para eu esperar o seu companheiro que eles então me levariam até o começo da trilha, eu aceitei a ajuda. Logo seu colega de trabalho chega e me levam até Marcocasa, que seria onde o taxista iria me levar. Os policiais dão lição de moral o caminho todo dizendo que uma mulher sozinha não deveria ficar andando por aí sozinha e que eu deveria estar em casa cuidando dos filhos, nessa altura eu já havia inventado que era casada e que as férias de meu suposto marido não dava certo com a minha. Comecei a trilha e logo alcancei um casal com seu guia que iriam a frente. Parei um pouco, não queria alcançar eles pois assim poderia segui los. Já logo um pouco mais a frente ultrapassei eles, pois estavam bem devagar.

       Pedi informações para alguns dos que moravam ali e sempre diziam que estava no caminho certo. Parei num rio para comer um pouco e me refrescar, logo o grupo que havia deixado para trás me passavam novamente, troquei umas poucas palavras com o guia e continuei ali. Logo mais adiante parei num paiol com sombra e bancos e o grupo estava se aprontando para o almoço. Perguntaram se eu tinha prato para compartilhar algo para comer mas meu prato tava quase que inacessível e deixei passar, o chuvisco persistia em ficar mas a minha esperança era que ele fosse embora. O guia me indicou o caminho mais tranquilo para ir e assim me livrar de andar na estrada. Logo adiante chego em Soraypampa, um lugar paradisíaco, sem dúvida o mais lindo da travessia. Se tivesse tempo aberto era ali que teria vista da Montanha Salkantay. É fácil avistar as propriedades com a estrutura para acampamento, cheguei em um e de imediato me deixaram ficar sem cobrar nenhuma taxa por isso. Já eram às 17, preparei algo para comer e logo já fui dormir pois noutro dia a trilha seria mais puxada. Acordei às 5:30 com barulho de chuva o que era bem desanimador para aquele dia, iria caminhar cerca de 10 horas e chuva não era a companhia mais desejada. Há opção de continuar o trajeto alugando um cavalo para você ou despachando suas coisas, para quem não anda de cavalo é bem cansativo fazer um trajeto desse. Desarmei acampamento e às 7 já estava pronta para sair e a chuva deu uma trégua. Segui o caminho observando algumas pessoas que iam à cavalo, outras me ultrapassaram, eu era a única que carregava todo o peso, todos os outros tinham contratados empresas ou pelo menos cavalos para levar suas coisas. A visibilidade era pouca e a Monte Salkantay passou despercebido, escondido entre nuvens. A medida que a subida ia aumentando meu ritmo diminuía, mas estava indo bem até chegar a 4.200 metros, nessa altura comecei a ter tontura, cansaço e movimentos muito lentos, tive que me espertar e coordenar melhor os movimento porque a vontade de dormir era quase incontrolável. Finalmente alcanço o Passo, o ponto mais alto da caminhada, neblina e frio predominavam o momento, mal consegui tirar uma fota e logo já vinha a tão desejada descida. Desci bem rapidinho, mas essa também não terminava mais, cheguei no ponto do almoço às 14:00 horas, parei num ponto que parecia realmente uma parada para o almoço, já estava bem atrasada, não havia nenhum resquício de gente naquele momento, esquentei o que sobrara da janta e continuei caminhando cheguei em Chaullay às 17 e decidi caminhar até o próximo vilarejo: Colcapampa. Acampei por lá, comprei uma cerveja da dona do camping que não quis cobrar pelo camping e noutro dia um guia que também estava dormindo lá me deu dicas para chegar até La Playa. Como era época de chuvas a trilha estava fechada então teríamos que compartilhar a estrada com carros, vans, patolas e desmoronamento. Em apenas 40 minutos de caminhada havia um desmoronamento que bloqueava a estrada toda e graças a aptidão da patola a estrada estava limpa e pronta para uso em 30 minutos. Seguia a descida contemplando a paisagem com o céu se abrindo, bem empolgada para chegar em La playa. Lá era a parada para o almoço então tinha que esperar todos os grupos almoçar para seguir de van sentido hidroelétrica, a priori meu plano era seguir o caminho a pé, mas como a trilha que cortava caminho estava em condições precárias e sem visibilidade e iria caminhar provavelmente noite adentro para chegar em Águas Calientes naquele dia, na verdade precisaria de mais um dia para chegar lá caminhando,  mas no próximo já teria que estar em Machu Picchu pois as minhas entradas ja estavam compradas. O guia que havia dado as dicas para mim de manhã me chamou para almoçar, como eu estava com preguiça de esquentar minha comida aceitei o agrado para a minha infelicidade a comida começou a fazer mal uns 40 minutos após ingerida. Quase na hora da van sair tive que correr com urgência ao banheiro, detalhe que a minha mochila com o papel já estavam lá em cima da van, Não deu tempo de pensar tive que correr no banheiro, o negócio foi sinistro. E durante a viagem toda minha barriga fazia ruídos e remexido. A estrada que seguia só dava espaço para um carro passar o que fazia com que cada vez que encontraássemos um outro carro alguém teria que manobrar, cuidando para não cair precipício abaixo. Finalmente chegamos ao ponto final: a Hidroelétrica, é lá também a parada se você vem de van de Cuzco. São três horas de trilha pelos trilhos até águas calientes, é uma caminhada bem agradável, não dá para sentir a elevação e além da mata tem o rio te acompanhando. Há alguns restaurantes pelo caminho. Quando cheguei em Águas Calientes um alegre rapaz veio ao meu encontro a oferecer pouso, era exatamente o preço que pretendia pagar e iria ter um quarto com banheiro privativo o que me salvou durante a noite de rainha. Meu plano era acordar às 4:30 para subir as escadas que te leva a MP, mas as 3:00 da manhã já havia passado mais tempo no banheiro do que na cama, então resolvi tomar um antibiótico que sempre me acompanha para esses fins, acordei às 6:00 me sentindo a fraqueza em pessoa, então decidi pagar o bus para subir até a portaria de MP. Lá na portaria fiquei no aguardo na formação de um grupo para compartilhar um guia, tem guias tanto em inglês ou em espanhol. Havia três americanos no meu grupo, o tour guiado foi excelente, tinha entrada para a Montana às 10:00 mas minha condição física não era a melhor, é possível sair do parque e voltar depois depois e foi o que eu resolvi fazer, havia uma quiosque escondido que vendia comida para os guias, o meu guia me levou lá, acabei ficando umas duas horas descansando nos bancos e tomei 1 litro de Gatorade. Após isso melhorei consideravelmente e voltei visitar parque e tirar todas as fotos que o dia permitia. Fiquei até às 17:00 no parque e finalmente desci as escadas. A noite sai dar uma passeada e procurar algo para comece, há várias opções charmosas em Águas Calientes. No outro dia acordei cedo bem melhor e me arranquei a descer os trilhos para chegar a hidroelétrica. Cheguei lá às 10:45 e os turistas ainda não haviam começado a descer. Peguei a van que iria para Santa Teresa e de lá foi um sufoco sair, o motorista passava de casa em casa pegando as pessoas ou esperando por elas. Perdi o dia todo para chegar em Cusco pois às 2:30 ainda estava em Santa Maria esperando lotação e a viagem seria de 4 à 5 horas.
       
       teria valido muito a pena se eu tivesse voltado de trem para Cusco, pois a viagem de volta foi terrível, era muita mas muita curva, eu que dificilmente passo mal em estrada fiquei mal a viagem toda ou ido para Cusco de trem após a visita à Ollaitaytcambo indo direto a Águas Calientes e fazer a trilha na volta, assim poderia até ficar mais tempo esperando o tempo abrir.
      .




    • Por zfernand
      Caraca....num sei se é um tópico repetido...mas ta valendo...
      to com uma pergunta meio dificil de responder:
       
      vale a pena ir pela Trilha de Salkantay...???? será q vou perder mta coisa indo por ela???
       
      ou a salkantay tem algum ponto positivo em relação a trilha inca q não seja o preço...??
       
      valeu
    • Por landi
      Pessoal
       
      Alguém já fez essa trilha? É tão boa quanto a tradicional?
    • Por Lucas magedanz
      Olá caros mochileiros, gostaria de contribuir com algumas informações atualizadas sobre esta incrível jornada de 5 dias.
       
      Realizei esta trilha na 1ª semana de Março, quando ainda estamos na estação chuvosa do Peru, porém para quem gosta de trilhas e não se incomoda em pegar alguns momentos de chuva, vale muito a pena. Também, os 2 primeiros dias são os mais difíceis, em que se caminha por até 8h alcançando as maiores altitudes, então um pouco de preparo físico é interessante (mas para quem já é atleta de triathlon, corrida de aventura, ou outros esportes que lhe expõem continuamente por várias horas, estas trilhas não serão problema).
       
      Cheguei em Cusco 3 dias antes do início da trilha, e foi um ótimo período para aproveitar as atrações da cidade (plaza de armas, mercado público, museu inca, comidas típicas) e você já vai se ambientando na altitude de 3600m da cidade.
       
      Atentando aos vários relatos, decidi fechar o pacote da trilha em Cusco. Fiz o contrato com a agência SALKANTAY, que fica ao lado da Plaza de Armas, por um preço de US$220,00, o que inclui van até o início da trilha (que inicia e Mollepata), 4 cafés da manhã, 4 almoços, 4 lanches no final do dia antes do jantar, 4 jantares, sleeping bag, colchonete, barraca, ingresso à Machu Picchu, trem e bus de retorno à Cusco e noite em Hostel na quarta noite em Águas Calientes. O que não está incluso é o café da manhã do primeiro dia (7 soles) e a janta do 5º dia (10 - 20 soles). Fora estes gastos, há a opção de fazer um zipline (tirolesa) na manhã do 4º dia por 90 soles que recomendo bastante. Ao todo gastei 200 soles durante a trilha, 90 com o zip line, e restante com alimentos, mas as agências recomendam levar em torno de 350 soles.
       
      Nosso grupo tinha 11 pessoas, que fecharam por agências diversas, o que comprova que as agências conversam entre si para fechar grupos maiores. Em nosso grupo, os valores do pacote variaram entre US$215,00 e US$250,00 para o mesmo tratamento, e todos fecharam diretamente em cusco cerca de 2-5 dias antes do início da trilha.
       
      O passeio se desenvolveu sem grandes problemas, realmente tudo que me foi falado pela agência realmente ocorreu. Nosso guia Edwin, porém me forneceu o email dele, e é possível fechar o pacote diretamente com ele por um preço mais em conta (o email dele é [email protected]). Nossa trilha, por ter um grupo formado basicamente por estrangeiros, teve o inglês como língua principal de comunicação.
       
      De roupas, para esta época mais fria, tentei levar o mínimo possível: uma calça de treking, uma calça de suplex, 2 camisas de manga comprida, 1 camisa manga curta, 1 suéter térmico, 1 blusão de lã, 1 jaqueta corta-vento e 1 poncho para chuva, e só, sendo que apenas tinha uma pequena mochila nas costas que não pesava mais do que 4kg, e nem precisei deixar nenhuma mochila com os cavalos. Para mim acabou sendo a quantidade ideal de roupa, usei tudo, e não cheguei a passar frio, mesmo no salkantay em que pegamos temperatura de 0ºC.
       
      O 4º e 5º dias de trilha você passará por floresta subtropical, quente e úmida, então apenas precisará de uma jaqueta corta vento para se sentir confortável. Já a capa de chuva deve estar sempre disponível nesta época do ano.
       
      Bom, o resto da trilha deixo para vocês conferirem ao vivo, mas posso dizer que será uma experiência fascinante, principalmente se você não se importa em atravessar alguns perengues de vez em quando, afinal tudo é história depois.
       
      Abraços e boas trilhas.
    • Por LeoPera
      Pessoal,
       
      Primeiramente gostaria de agradecer a todos os que compartilham suas experiências aqui nesse fórum. As informações que eu consegui aqui foram muito úteis no primeiro trekking que fiz com a minha namorada: a Trilha Salkantay.
       
      Esse é o meu primeiro post e vou dar algumas dicas para os que também gostariam de fazer esse percurso. Não entrarei nos detalhes nem farei um relato diário da trilha, pois aqui já tem vários posts sobre isso, porém irei dar algumas dicas e informações atualizadas.
       
      Acabo de voltar do Peru e eu e minha namorada fizemos a trilha entre os dias 8 e 11 de Outubro, optamos pelos 5 dias (4 de trilha e 1 em MP). Seguem as dicas que eu gostaria de passar adiante, apenas lembrem de que essas dicas de maneira alguma estão certas ou erradas, são apenas as minhas impressões e o que eu faria diferente em outras oportunidades:
       
      - Muitos já disseram aqui, mas não esqueçam, deixem para fechar o pacote da trilha em Cusco. Tem saídas para todos os dias. O melhor valor que eu vi para a trilha de 5 dias foi de U$180 (dólares)
      - Eu fechei com a Inka Peru Travel (a do Rimber) mas me arrependi. Muito desorganizada, informações erradas e se eu não brigasse iria ficar sem o transporte da volta de Ollantaytambo até Cusco, o qual já estava incluso no pacote, mas quando cheguei lá não tinha carro algum esperando
      - Caso queira ir de avião de LIma pra Cusco pesquise a empresa LC Peru. Consegui 2 passagens ida e volta por apenas 120 dólares (valor total das duas passagens)
      - Façam aclimatização em Cusco, pelo menos 2 dias. A altitude pega mesmo, recomendo 3 dias para que aproveitem a cidade e façam um passeio pelo Vale Sagrado
      - Precisa comprar equipamentos específicos? Essa é uma pergunta complicada. Eu e minha namorada compramos grande parte do equipamento pois nossa intenção é continuar nessa vida de aventura. Se você quer apenas fazer essa trilha, alugue em Cusco a maior parte (mochila, capas de chuva, etc). Invista apenas em uma bota boa
      - Reforçando o que eu disse acima. COMPRE UMA BOTA DE BOA QUALIDADE. Eu comprei uma Salomon GTX e minha namorada uma Timberland. Não me arrependo. Mesmo ao fim dos 5 dias meus pés estavam muito bem, não tem nada como andar durante 8 horas, chegar no acampamento e estar com os pés secos e sem dor nenhuma
      - Bastões....se você souber usá-los eles são muito úteis. Comprei um em Cusco por 20 soles.....me arrependi, quebrou assim que a trilha começou....sorte consegui comprar um bastão de madeira por 5 soles...foi perfeito. Então a dica é, a não ser que você pretenda fazer outros trekkings e queira investir em bastões bons, sugiro que você compre os de madeira logo na saída da trilha
      - O que levar de roupas? Outra pergunta complicada. Eu levei roupa demais. Se fizesse novamente levaria: 5 cuecas (1 para cada dia), 4 meias (3 sintéticas e 1 de algodão), uma calça para caminhada, 1 bermuda, bota, par de chinelos, 3 camisetas Dry Fit, segunda pele (para a primeira noite e 2º dia), casaco tipo fleece, jaqueta impermeável, chapéu e quem sabe luvas (dependendo da época do ano)
      - O que levar de comida? Também levamos demais, pense em 1-2 duas barras de cereais por dia e mais umas castanhas, é mais do que suficiente. Leve folhas de coca
      - Não se esqueçam de protetor solar e repelente!
      - Preciso ser praticante de atividades físicas para fazer essa caminhada? Depende. Tenho 32 anos, faço academia, estou no meu peso ideal e mesmo assim não foi fácil. O fim do primeiro dia e a primeira metade do segundo são bem cansativos, a altitude pega mesmo. Sugiro que você se prepare com pelo menos 3-4 meses de antecedência para aproveitar o melhor do passeio e não sofrer. Minha namorada é sedentária e no segunda dia fez a subida até o Paso Salkantay de cavalo
      - O terceiro e o quarto dia de trilha são bem curtos e fáceis. Uma sugestão é fazer a trilha em 3 dias, porém eu gostei de poder ver MP e outras ruínas enquanto estava nos trilhos de trem no 4º dia
      - Chegando em MP....você tem a possibilidade de subir até os portões a pé ou de ônibus...se você pretende subir WP mais tarde eu aconselho que você suba de ônibus, para se preservar. Eu não achei que fosse cansar, mas ao chegar aos portões eu estava morto
      - Volta de trem....CUIDADO.....muitas pessoas sugerem a volta pelo trem Vistadome....eu comprei e me arrependo demais. Primeiro porque é muito mais caro.....segundo porque ele sai de Aguas Calientes muito mais cedo que os outros trens (o último Vistadome é 15:38), o que encurta seu tempo em MP...e último, após 4 dias de caminhada, subir MP e WP, no fim do dia você está cansado e quando chega no trem você quer dormir e não ficar vendo as mesmas paisagens que viu nos dias anteriores...ou seja, para mim não valeu a pena
       
      Bom, é isso, pelo menos o que eu me lembro hehehe. Recomendo esse trekking para todos, as paisagens são demais e apenas nos motivaram mais a seguir nessa vida de trilhas!!! Fim de semana que vem estamos indo para o Pico Paraná, vamos subir o Itapiroca. Mês seguinte vamos para o Caratuva e até o fim do ano iremos acampar no PP!!!


×
×
  • Criar Novo...