Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Peru – Bolívia – Chile (jan 2016). Fotos incríveis, e informações atualizadas


Posts Recomendados


  • Respostas 32
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • 1 mês depois...
  • Membros

Oi Pessoal!!!! ::hahaha::

Primeiramente, Mil desculpaaasss pelo sumiço!Sério mesmo perdão!!!!

Não foi proposital.. Fiz uma burrada tão gigantesca (e prefiro não comentar muito pra não queimar meu filme) kkk. Mas acreditei que meu relato havia sido deletado. Fiquei tão mal, que nem tive coragem de entrar mais nesse forum, ahahah

Só fui descobrir que meu relato estava ativo, qdo recebi uma mensagem essa semana no face de alguem que havia lido meu relato. ahahaha. Cheguei aqui, e para minha surpresa, vi que estava não só ativo, mas com vários mochileiros elogiando-o e claro, me cobrando continuação. ahahah

Pra retribuir, já fiz o meu segundo capitulo do relato, está quentinho para os senhores. Espero que gostem.

Mais uma vez , me desculpem pelo vacilo! ::putz::

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Capítulo 2 - Mendigando no Aeroporto + Conhecendo Cusco

 

 

O voo de GRU para o aeroporto de Lima, foi bem tranquilo. Saiu as 20:30 da noite e chegamos as 22:30 hora local. (São 5 horas de viagem e estávamos à 3 horas de atraso devido o fuso horário). Passamos tranquilamente pela Alfandega. O fiscal carimbou nosso passaporte e nos devolveu um papel de controle de entrada (Gente, sério, não percam esse papel de jeito nenhum, vocês terão que devolver à alfandega quando saírem do país). Nos próximos relatos vocês irão descobrir um BO gigantesco que aconteceu com o Lucas, mochileiro que acabei encontrando na viagem por acaso e que também iniciou um ótimo relato aqui no site. (chile-bolivia-e-peru-27-dias-de-aventura-por-us-1800-dolares-jan-2016-t127474.html)

 

Já no saguão fomos informados de que deveríamos pegar nossa bagagem, sair da área de embarque e realizar um novo checking, dessa vez como voo doméstico, para Cusco. Nossas mochilas foram as últimas a serem entregues, levamos um susto. Como mochilão é tratado como bagagem frágil, eles acabam sendo os últimos a serem embarcados e entregues. (Portanto não se preocupem se demorarem um pouco para devolverem a sua mala, é normal demorar).

 

Como chegamos as 22:30h , e nosso voo só sairia as 5 da manhã, nossa ideia seria fazer o checking o mais rápido possível, entrar no saguão de embarque e acampar lá. Deitar nas poltronas do saguão e tentar dar uma bela dormida. Pois não queríamos chegar tão cansados em Cusco.

 

Pois bem, não deu certo, ahahah. Essas viagens são sensacionais, vc mal aperta o botão start, e já começam os primeiros perrengues. Fizemos o checkin o mais rápido possível, mas para nossa surpresa, a moça do checking nos informou que não poderíamos acessar o saguão de espera antes das 2 horas da manhã. =0. Os portões de acesso e o saguão ao longo da noite é destinado somente para voos internacionais. Os registro e controle de passageiros dos voos nacionais iriam iniciar somente a partir das 2 da manha. =/

 

Ou seja, teríamos que ficar ali, no meio do saguão comum do aeroporto, e esperar por mais três horas até poder encontrar uma poltrona e descansar. Só havia balcões de check-in, restaurantes e só. Nenhum lugar confortável para deitar. =/. Eu e meu primo então decidimos fazer uma horinha no restaurante, bebemos uma água, fomos ver alguns peruanos se despedirem dos familiares na porta do portão de embarque internacional (gente é impressionante como eles realmente levam a família inteira para se despedir. kkk) e ficamos ali, sem saber o que fazer. Esperando o tempo passar.. Passamos então por um corredor que carinhosamente apelidamos de cantinho dos mendigos... assim como nós, tinham várias pessoas aguardando o acesso aos embarques nacionais. Sem banco ou lugar confortável para aguardar, as pessoas simplesmente deitavam no chão. =O Que que eu e meu primo decidimos fazer? Se juntar a eles claro!

 

13055352_10209472608760139_5567125718092431449_n.jpg.da6bac6f8cc235631ab2bbe8e6f6a571.jpg

 

Bora colocar as coisas no chão, ajeitar a mochila e tentar tirar um cochilinho até autorizar a gente a entrar.

Passamos umas duas horas lá. Confesso que já estava tão cansado, que arrisquei dar até umas cochiladas

Deu duas horas, fomos correndo para o acesso aos portões de embarque, aeroporto quase vazio, tiazinha da faxina limpando chão, staff sendo trocado... Fomos os primeiros a chegar, tiazinha reclamou que ainda estava fechado, mas de tanto chorarmos, eles cederam e deixaram a gente entrar. Passamos pelo raio x, apresentamos passaporte, fomos direto para nosso portão. Sala de espera vazia, cheia de bancos livres. Sucesso!!! Não pensei duas vezes, coloquei meu celular para carregar e despertar umas 4:20, deitei, me cobri com a jaqueta, usei uma máscara de olho que peguei no avião e... Capotei!!! Rsrs

 

Fui acordado minutos antes do despertador pelo meu primo, realmente, me surpreendi com o fato de ter conseguido tirar um cochilo gostoso. (Meu primo tb dormiu). Antes de nos preparamos para o embarque, passamos no guichê da PeruRail para retirarmos nossos ingressos (para quem não sabe, Perurail é a empresa que faz o transporte de trem de Poroy até Aguas Calientes). Nós compramos os ingressos com antecedência, (bem carinho, na verdade se não me engano esse é um dos trechos de trem mais caros do mundo. Pagamos um total de USD168,00 ida e volta ::hahaha:: ). Você pode retirar os tickets no aeroporto, eles dão essa opção. Como não queríamos perder tempo, pegamos lá mesmo.

 

Um detalhe adverso que aconteceu com a gente, e confesso que me deixou um pouco preocupado… É importante saber que de Dezembro a Abril, é época de chuvas na região do Vale Sagrado. Costuma chover bastante, e algumas pessoas sugerem evitar viajar nesse período devido as más condições climáticas (ouvi relatos de que a vezes os parques arqueológicos chegam até a fechar) O trecho de trem para qual compramos ia de Poroy, (cidade mais próxima de Cuzco) até Aguas Calientes (povoado mais próxima de Machu Picchu). Entretanto, para eles se planejarem para a época de chuvas, a empresa decidiu que os trens não iriam partir mais de Poroy, mas sim de Pachar, um vilarejo a mais de 50 km de Cusco. (Por que os trens não fariam mais esse trecho? Não me perguntem... como iriamos fazer para chegar em Pachar? Se vira!!! ::dãã2::ãã2::'> ::tchann:: Ahahah. ... Não mentira, se fosse isso, a Peru Rail iria enfrentar a irá dos milhares de viajantes aos quais ela transporta. A empresa então ofereceu um translado de ônibus que iria de Poroy até Pachar, e de lá faríamos a transferência para o trem. No início fiquei chateado, preocupado com o tempo e com o trecho de trem que iriamos perder. Estava me sentindo lesado. Poxa, a passagem já é cara, cortar 50 km da nossa rota seria um tanto qto sacanagem. Sempre ouvi dizer que o trecho de trem para ir a Machu Picchu era lindo, e vai saber quais tipos de paisagens eu iria perder por conta dessa operação atípica da Peru Rail... Mass não necessariamente isso foi ruim, pelo contrário, no meu próximo relato lhes explico o que aconteceu e como fizemos para chegar até Aguas Calientes.

 

Bem, pegamos os tickets para o translado de ônibus, dos trens, e fomos embarcar para Cusco.

O avião estava vazio, para nossa surpresa, eu e o Ale conseguimos pegar 1 fileira de 3 bancos cada. Sucesso! Deitei nas poltronas e tirei mais um cochilinho antes de chegar ao nosso destino. Só acordei no finzinho da viagem (o voo dura cerca de 40 min) a tempo de presenciar umas dessas lindas paisagens da cordilheira peruana.

 

1001982_10208555751919291_4171402859791361924_n.jpg.679d3d2751f2c421e270325e3339d8ab.jpg

 

Chegamos em Cusco umas 7 da manhã, o tempo estava um pouco nublado, e um sol tímido queria aparecer (minha maior preocupação, mais uma vez, pelo menos nesses 4 dias de Peru, era com o tempo. Imagina chegar lá em Machu Picchu e eu não conseguir nem enxergar um polegar de distância?).

 

Pegamos nossas mochilas, e logo de cara já apareceu um tiozinho, ainda dentro do aeroporto, querendo nos oferecer serviços turísticos. Já sabia que isso poderia acontecer, e que esses serviços prestados geralmente são mais caros do que os que você encontra na cidade. De qualquer forma, resolvi escutar ele e tirar algumas duvidas sobre nosso trajeto no Peru. Nada do que ele falou foi novidade para mim (viu como é bom acompanhar os relatos?), mas serviu para dar uma passada no roteiro, conferir se os trajetos estavam ok e ouvir alguma opinião de um morador local. Não aceitamos fechar nenhum passeio com ele, mas decidimos fechar um taxi até o Hostel.

 

No aeroporto não presenciei nenhum serviço de taxi, vc já tem que sair na rua e pedir por um. A média de preço é de 20 soles o trajeto até o centro, onde fica a maioria dos hostéis. Ele nos ofereceu por 25. 5 soles mais caro do que costumam cobrar, mas como estava eu e meu primo e dividiríamos esse valor, achei legal aceitar logo de cara e não perder tempo tentando caçar taxi na rua.

Pagamos esse dinheiro com os únicos 25 soles que tínhamos trazido do Brasil (uma amiga minha havia me emprestado esse dinheiro) então evitei fazer o câmbio no aeroporto (que costumar ser mais caro).

O taxi nos deixou no Milhouse, um Hostel muito bom, e famosinho que tem lá em Cusco.

A gente já o conhecia, pq ambos eu e meu primo ficamos hospedados em uma filial do Milhouse em Buenos Aires, como gostamos de lá, achei que poderíamos repetir a dose.

 

O Hostel fica bem próximo da Praza de Armas, a principal região da cidade. Dá pra ir a pé.

http://milhousehostel.com/pt/cusco-welcome.html

 

O Milhouse foi o único hostel que havíamos pago com antecedência. A diária de um quarto, para duas pessoas com banheiro próprio era de 41,90 USD (usd 20,95 para cada). Pegamos duas diárias. Uma antes de ir pra Machu Picchu e uma na volta de Aguas Calientes. Total então, saiu 41,90 Usd para cada. Como já estava pago, não precisamos nos preocupar com o dinheiro. (Fechei com a Milhouse em meados de outubro). Chegamos no hostel por volta das 8 da manhã. Geralmente o staff informa que o check in só é permitido a partir das 13horas.

Dei umas choradas para eles, falei que estávamos cansados, passamos a noite toda mendigando no aeroporto e que queríamos a consideração deles , fazendo uma exceção para a gente e liberando o quarto o quanto antes.

Eles nos prometeram então liberar o quarto umas 10 horas. Disseram que tinham que limpar e tal. Tudo bem. Deitamos em um dos pufes do salão principal e ficamos aguardando...

Tirei mais um cochilo...

 

Essas duas horinhas que esperamos não foram necessariamente perdidas, pois começou a chover; =/. Por sorte, o tempo resolveu abrir por volta das 10 horas. =)

O quarto e o banheiro do Milhouse são limpos, e o mais importante, foi o único, ao longo de toda a viagem que ofereceu toalha de banho para gente. Chuveiro quentinho e toalha confortável. Aparentemente começamos bem!

Deixamos as malas no hostel, nos trocamos e fomos fazer nosso primeiro tour pela cidade.

 

Desde o início, cheguei em Cusco acreditando que esse seria um dia perdido. Primeiro pq estaríamos cansados da noitada mal dormida e outra, pq o passeio para conhecer o Vale Sagrado começa a partir das 8 da manhã. Já não haveria mais tempo para isso.

 

Nossa ideia seria então passear pela cidade, visitar a Praça das Armas, ver as lojinhas locais, trocar dólar, almoçar e de tarde sei lá, talvez poder tirar um cochilo e dormir decentemente.

Tiramos algumas fotos na Plaza de Armas. Trocamos dinheiro em umas das casas de câmbio que tem próximo à Praça. (Melhor cotação que encontramos foi 1USd: 3,40 soles)

Resolvemos então dar uma passada em umas das várias lojinhas que tem na praça para darmos uma olhada em alguns souvenirs.

 

Chegando lá, escutamos um som familiar... um casal de brasileiros, fazendo compras e pechinchando os preços de umas lhamas folheadas a ouro. Eram a Bruna e o Tiago. Os primeiros, dos vários brasileiros que encontraríamos e faríamos amizade ao longo da viagem.

 

Lá na loja mesmo, perguntamos se eles estavam em Cusco fazia tempo, e se poderiam nos dar algumas dicas. Para nossa surpresa, eles-nos disseram que tinham acabado de chegar, e estavam prestes a conhecer a cidade. Perguntei o que eles iriam fazer de bom e eles nos informaram que tinham acabado de comprar o City Tour para fazer no período de tarde. Eles nos convidaram, e meu primo ficou empolgado com a ideia. Fomos convencidos pela simpatia do casal, e compramos o City Tour com a mesma agencia que eles haviam comprado (A agencia se chama Soncco Tours, e fica no segundo andar de uma das várias lojas que tem na Avenida Sol, uma das principais da cidade)

 

Muitos já explicaram, mas vale a pena ressaltar:

Em Cusco, você tem a opção de comprar o Boleto Turístico. É um boleto que o governo peruano fornece e lhe dá acesso a conhecer os vários sítios arqueológicos e museus que tem ao longo do vale Sagrado.

Você pode comprar o boleto completo, com validade de 10 dias ao preço de 130 soles (ou o ingresso parcial, que vale apenas para um dia e que custa 70 soles.

Os passeios mais conhecidos que você faz com o Boleto Turístico são o City tour, o passeio do Valle Sagrado dos Incas e as ruínas de Moray. Se você quiser fazer apenas um desses passeios, você pode comprar o boleto parcial. Se for fazer dois ou mais, deve comprar o boleto completo

Minha ideia a princípio, seria fazer apenas o Vale Sagrado no meu quarto dia de viagem, (após voltarmos de Aguas Calientes), portanto compraríamos o boleto parcial. Por conta dessa decisão de última hora, acabamos comprando o boleto integral.

 

O City Tour começaria por volta das 14 horas, o guia iria nos encontrar em frente à loja e nos levaríamos para o passeio. Teríamos tempo então de almoçarmos, comprarmos uma agua, e nos preparamos para o passeio.

Vale lembrar que, além de comprar o boleto, vc tem que contratar o serviço de guia e transporte, é aí que as agencias entram na jogada. Eu achava que pagar apenas pelo boleto era o suficiente (que inocência é a minha)

Na Socco Tours o passeio saiu por 15 soles cada (é o preço da região).

 

Nos demos ao luxo de almoçar em um restaurante próximo à praça. Pedimos uma pizza individual e um Inka kola cada. A conta deu uns 22 soles.

Pra quem nunca tomou InKa Kola, a Bruna tem uma perfeita descrição do gosto da bebida: "Parece um kit anti ressaca que eu faço, misture Eno, Epocler e Engov que o gosto é o mesmo" ::lol4::

 

As 14 horas nos encontramos com o grupo que iria participar da City Tour, a Bruna e o Tiago já estavam lá.

 

Gente, o City Tour funciona da seguinte maneira: A ideia é conhecer os museus, igrejas e sítios arqueológicos que estão ao redor de Cusco. O passeio começa às 14 e terminas a 18;30.

O primeiro trecho é a pé e faz visita ao Sítio de Qorikancha, (templo do Sol Inca), que fica a poucos metros de distância da Praça das Armas. Nele, você paga uma taxa de 10 soles para entrar. Após o templo do Sol, o percurso é feito de ônibus e faz visita aos sítios arqueológicos de Sacsayhuaman, Quenqo, Pucapucara e Tambomchay.

Não vou explicar em detalhes como funciona a dinâmica desses passeios e seus fundamento históricos, caso contrário acabaria com a graça e a surpresa de vocês.

 

O que posso adiantar, é que basicamente vocês irão escutar várias histórias de que o povo inca era rico, cheio de ouro, prata, alimento, mulher... Vieram os espanhóis (malditos espanhóis) e levaram tudo. ::quilpish::::putz::

Os incas também gostavam muito de sacrifícios, se eles estavam felizes, sacrificavam alguém, chateados, sacrificavam alguém, se fazia sol, sacrificava alguém, se fazia chuva...bom vocês já sabem. rsr Por isso ao longo do passeio e de todo o Vale Sagrado, você irá encontrar vários templos religiosos e salas voltadas a sacrifícios e oferendas.

 

Bem no finzinho do passeio, o tempo fechou, e começou a chover. Fomos obrigados a comprar uma capa de chuva por 5 soles e andar pelas ruinas de Tambomachay parecendo Teletubbies.

 

Abaixo algumas fotos do nosso dia.

 

IMG_1606.jpg.d7918d81c7f611138018284e27e62153.jpg

IMG_1608.jpg.2620a9e5f73ccb864ee851612014a203.jpg

598dd6ae92288_IMG_1635R.jpg.9618d1c875bbea966887c2a454635291.jpg

IMG_1632.jpg.78d4ace3a17e33d3c3ab831258c01424.jpg

598dd6b045014_IMG_1625R.jpg.dda7b0a9df2ade9d0f98c73841c49685.jpg

IMG_1640.jpg.bca6b4bdb0107bbbec079b8ddf0b5cfb.jpg

IMG_1636.jpg.c6c43916cce7e45c15e24b91e8663028.jpg

598dd6b150dd5_IMG_1653R.jpg.570c352ce65ad1ce18fa9620d7a0d668.jpg

IMG_1659.jpg.63f00c1195adf92742185811005f92ed.jpg

12523130_10208577941827763_2532267676689128206_n.jpg.c5f5178f3a83dfbb00af78dd0eb9f11f.jpg

 

, Brincadeiras à parte, de maneira geral, até que acabei gostando do passeio. Estava com baixas expectativas, o city tour serviu para nos dar um gostinho do quanto a cultura inca é rica, cheia de história e curiosidades. Aquilo era apenas um aperitivo do que nos esperava pelos próximos dias.

 

Conhecemos melhor a Bruna e o Tiago (descobrimos que eles são divertidíssimos e que iriam para Aguas Calientes no mesmo dia que a gente)

 

Já anoitecendo em Cusco, a chuva a resolveu pegar de vez. Eu e o Ale decidimos voltar para o Hostel, tomei um belo de um banho, lavei minhas meias, cuecas, sequei elas no secador.(boa ter trazido o secador =) ) ::hãã2::

 

Antes de terminar o dia, resolvi já deixar comprado a passagem de Ônibus que nos levaria para Copacabana e os ingressos para o vale Sagrado de Los incas. Dentro do Hostel há uma agencia de viagem. Decidimos fechar com eles as passagens e o passeio

O passeio do Valle sagrado saiu por 30 soles cada.

 

O guia nos vendeu ingresso para companhia de Ônibus Tour Peru, eu queria ir pela Cruz del Sur (muito elogiada aqui nos mochileiros), mas a Cruz del Sur não atravessa fronteira, ela vai somente até Puno. Como não iriamos ficar em Puno, compramos a passagem Cuzco –Copacana direto. Para esse trecho, somente a Tour Peru fazia o trajeto internacional. Passagem saiu por 35 soles cada

 

Por fim, retiramos com a agencia nossos ingressos para Machu Picchu + Huayanapicchu.

Tentei de várias formas comprar o ingresso pela internet, no site oficial do governo Peruano. Mas o site só estava vendendo ingressos até final de 2015. Todo dia eu ligava para lá e eles me informavam que abririam a venda para ingressos no dia seguinte. Pois bem, esperei até dia 15 de dezembro e nada! Sabendo da urgência em comprar os ingressos e do número limitado para chegar a Huyunapicchu, não pensei duas vezes. Liguei no Milhouse, pedi ajuda para eles e eles nos falaram que a agência deles poderiam comprar os ingressos para nós. O valor cobrado foi 65 dólares. Pagaríamos em dinheiro, qdo chegássemos no hostel.

 

Sinceramente falando, acho que compensou, não sei o que aconteceu com o site, ou com as vendas para aquele período, mas fiquei sabendo que até meados do fim do ano, não estava sendo possível comprar via online. Mesmo comprando via internet, considerando IOF e a taxa de conversão, o preço seria bem similar ao que iriamos pagar pela agencia. Pelo menos já cheguei em Cusco, sossegado, sabendo que meus ingressos e quase tudo que planejava para os próximos 4 dias de viagem já estavam garantidos.

 

Fomos jantar, estávamos tão cansados, que acabamos ficando na lanchonete do Hostel mesmo, pedimos um lanche e bebemos uma Cusquena cada. (Deu aprox. Uns 20 soles)

O ambiente é bem legal, tem um barzinho, restaurante e garçons bem animados. Ficamos um pouquinho lá. Quando eu já estava meio alegre, meu primo resolve curtir aquele momento, primos bêbados, e resolve me fazer uma confissão... Ele estava pegando a minha melhor amiga, ao qual já fui apaixonado por vários anos, mas que acabei entrando na friendzone. =/ ::dãã2::ãã2::'> ::grr:::shock:::hahaha:: O fdp decidiu me contar só naquela hora né? Bacana né? Não poderia nem tretar com ele, pois teríamos mais 15 dias de viagem juntos pela frente, ahahah Pois bem, isso não vem mais ao caso, esse momento casos de família não vai ser do interesse de vocês, e caso haja alguma curiosidade, estou tentando superar isso até hoje. Ahahaha; ::dãã2::ãã2::'> ::grr::

 

Depois dessa, decidimos dormir, dia cansativo não? Assim como foi esse relato... Ufa! Por hoje é só. Espero que tenham aguentado ler isso tudo até o final. No próximo lhes conto como foi a nossa aventura para chegarmos hasta Aguas Calientes. =)

 

 

Principais gastos do 1º dia:

60 soles – almoço / jantar/ agua e cerveja/bolachas

15 soles – parte do taxi

13 soles- touca

5 soles – capa de chuva

10 soles- ingresso templo del sol

130 soles – boleto turístico

15 soles – city tour

35 soles – transporte Cusco – Copacabana

Total: 283 soles= USD 83,23

 

Reservado:

USD 41,90 – 2 diárias de hostel – quarto duplo com banheiro privado

USD 65 dólares – Ingresso Macchu Picchu + Uyunapicchu

USD Ingresso Peru Raí – Poroy – Machu Pichu – Vistadome UD 89,00

Ingresso Peru Rail – Macchu Picchu – Poroy – Tem expedition – USD 79,00

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Opa! Tudo bom cara! muito bacana seu relato, estou acompanhando...

::otemo::

Me diz uma coisa, você tem os valores atualizados dos passeios e as agências? ::sos::

Vou fazer Bolivia-Chile-Peru em julho e estou montando como vou fazer com o Real tão desvalorizado. ::ahhhh::

 

Abraços

 

Oi Ramon,

Cara, fiz uma planilhinha com os custos em excel pelos passeios que eu passei.

Se ajudar, posso encaminhar por e-mail, manda no particular q eu envio.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Faaala Mouramleo! Fico felizão quando vejo a galera do fórum retornando da viagem e postando relato. Já vi que esse seu será no capricho. Aproveita o pique e posta o máximo que der, senão vai ficar enrolado igual a mim uheuheuhe. Abraço! ::otemo::

 

Valeu Rodrigo!!!

Achei que minha postagem não havia sido publica, agora que sei q tá vivo ainda, vou voltar com tudo.Espero que sejam tão esclarecedores quanto foi o seu! ::otemo:: Valeu!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Opa, mais um acompanhando!! Vou dia 1/5 e volto dia 24/5.

Dicas preciosas já anotadas aqui nos meus registros rss!!

 

Esse lance de não ter toalha no hostel é atipico? Aquela toalhinha de microfibra pra secar do banho é meio ruim kkkkk, eu tenho e ainda sim prefiro as tradicionais.

 

Agora são 3 tópicos pra acompanhar, o seu, o do Rodrigo e o da Barbara...

Faça como o Rodrigo falou, já q esta no pique, cêlera esse relato ai e poe muitas fotos (q pelo visto deve estar com um bom Acervo ai kkkkk).

 

Abs!!

 

 

Fala fabio!

Me desculpa pela demora. Sua viagem já tá chegando, queria ter ajudado mais.. desculpa. Aproveite bastante!!!

Quanto a toalha, se ainda ajuda.. Não, o mais normal é os hostels não oferecerem toalha ::putz:: Unico Hostel que fiquei e que ofereceu toalha confortável, foi o Milhouse, em Cusco, que citei agora no meu ultimo relato... O resto, tudo usando o de Microfibra mesmo. =/

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...