Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Vitor Fagundes

MORRO DE SÂO PAULO - BA, de 24 a 27 de março de 2016

Posts Recomendados

Fala mochileiros! Passando por aqui pra fazer um breve relato da minha última viagem: 03 noites em Morro de São Paulo durante o feriado da Semana Santa:

 

1. Preparativos

A viagem para Morro foi em família: fomos eu, minha namorada, minha irmã, meu sobrinho e duas amigas. A nossa programação era sair no final da tarde da quinta-feira (dia 24/mar), assim que o pessoal saísse do trabalho. Como eu estava livre desde cedo coube a mim preparar o carro (abastecer e calibrar os pneus) e fazer uma feira pra gente economizar com alimentação lá em Morro.

 

DICA 1: Saque dinheiro antes de chegar em Morro. Lá há pouquíssimos caixas eletrônicos e é muito comum que o dinheiro acabe durante feriados e finais de semana prolongados, quando a ilha está lotada.

 

2. De Salvador para Morro de São Paulo de carro

Há diversas maneiras de se realizar o transfer de Salvador para Morro de São Paulo. Mas as mais práticas exigem planejamento para compra antecipada de tickets, especialmente em feriados. Como não havíamos nos planejado bem, fizemos a opção de ir de carro de Salvador até Valença via BR. É uma viagem um tanto longa, mas esse é o preço da falta de planejamento.

 

Saímos de Salvador em torno das 16h e chegamos em Valença por volta das 20h. Chegamos ao terminal para verificarmos o horário das próximas lanchas para Morro de São Paulo. Oficialmente, o terminal já deveria estar fechado (entre as 17h e 18h). Mas em vésperas de feriado, quando o movimento é maior, há sempre alguns marinheiros (como são chamados os profissionais que pilotam as lanchas) disponíveis para fazer o transfer, certo? Errado! ::essa::

 

Ficamos duas horas esperando um marinheiro aparecer, além de um número mínimo de pessoas pra pagar o transfer de lancha. Mas a maior SACANAGEM ainda estava por vir: os marinheiros cobram preços arbitrários e as vezes exorbitantes pelo transfer noturno ::ahhhh::! O preço normal da lancha rápida é R$ 22,00 por pessoa, R$ 25,00 em fds e feriados . Nesse dia, acabamos pagando R$ 40! Pelo menos conseguimos, depois de muita negociação, um preço razoável pela diária de estacionamento do carro: R$ 20,00 por dia (por dia mesmo, não é por noite como hotel).

 

DICA 2: Durante a nossa estadia em Morro ficamos sabendo que o ponto de acesso a ilha mais utilizado hoje em dia é o Atracadouro. O Atracadouro fica, no sentido Nazaré das Farinhas - Valença, antes de Valença, na entrada de Guaibim. Lá há estacionamento para carros, e maior disponibilidade de lanchas, por preços mais acessíveis do que Valença (porque esse é um ponto do continente bem próximo de Morro). Ou seja, vacilamos em ter ido pra Valença, até porque o Atracadouro é mais perto de Salvador! Não cometa esse erro: se você for de carro, estacione no Atracadouro e não em Valença!

 

Depois de 30 min de lancha, chegamos até Morro de São Paulo (saindo do Atracadouro são uns 10 min, apenas :shock: ). A viagem é legal, acho que não balança tanto ao ponto de fazer alguém enjoar. Fazer o trecho à noite tb deu um toque diferenciado ::otemo::.

 

3. Primeiro dia (noite) em Morro

Chegando em Morro todos os visitantes têm de pagar uma taxa de R$ 15,00. Como chegamos na ilha bem tarde, cerca de 22h30min, o guichê que cobra essa taxa já estava fechado: economizamos esse trocado e o transfer acabou saindo num preço normal ::hahaha::! Isso nem sempre acontece... Em alguns feriados, devido o grande movimento, o guichê que cobra a taxa fica aberto até mais tarde...

 

As minhas amigas foram pra o hostel delas; eu, minha namorada e meu sobrinho fomos para o flat que havíamos alugado, bem na Primeira Praia. O flat tinha uma pequena sala com cozinha e uma suíte. Era pequeno, mas bem legal se você pretende passar mais tempo explorando a ilha do que no local da hospedagem. A limpeza, ar condicionado e wifi eram excelentes! Havia ainda uma cozinha com todos utensílios básicos, inclusive duas bocas de fogão, microondas, sanduicheira e geladeira. O ponto negativo é que o banheiro fica na suíte, ou seja, quem dorme na sala tem de passar pelo quarto pra chegar no banheiro. Como estávamos em família, isso não foi exatamente um problema. Quem tiver interesse, pode buscar por "Flats Morro de São Paulo" no booking.com.

 

Chegando no flat só deixamos as malas e saímos pra comer (apenas um beiju de tapioca, na vila) e depois fomos até a Segunda Praia, a única praia de Morro que tem vida noturna. Mas como o feriado apenas tinha começado, tudo ainda estava muito vazio... Não demoramos por lá. Logo voltamos para o flat para descansar e aproveitar bem o dia seguinte!

 

4. Segundo dia em Morro

Não acordamos tão cedo quanto planejávamos... depois de uma viagem cansativa no dia anterior a cama virou nosso habitat natural ::lol4::! Preparamos um café da manhã no próprio flat e saímos ainda preguiçosos, quase às 11h, rumo a Segunda Praia. A preguiça foi substituída por excitação logo que avistamos a praia lindíssima! Por causa da maré baixa, as águas estavam bem tranquilas e transparentes, formando piscinas naturais bem quentinhas! Resolvemos ficar por ali mesmo, na primeira barraca que encontramos. Bebemos alguma coisa, tomamos um banho de mar, apreciamos aquela paisagem deslumbrante e partimos para o Banana Boat, na Primeira Praia.

 

Pra quem não sabe, Banana Boat é uma boia em formato de banana mesmo que comporta, sei lá, umas 8 pessoas sentadas como num touro mecânico (sim, se vc não se segurar e se equilibrar vc vai cair!!!). A boia (ou bote) é puxado por uma lancha, que faz um percursos de uns 15 min entre a Primeira e Terceira praias. Diversão garantida por R$ 40,00 por pessoa (choramos bastante, aí saiu por R$ 30,00 por pessoa). Todo mundo que participa tem de estar usando um colete salva-vidas, então mesmo quem não sabe nadar pode brincar também numa boa! As quedas são inevitáveis e bastante divertidas!

 

Depois do Banana Boat fomos explorar um pouco mais a ilha e chegamos ao final da Segunda Praia, onde há uma formação com vegetação típica de manguezais, além de coqueiros com troncos tortuosos e tal. O local estava bem movimentado com a galera tirando fotos... Logo que chegamos fomos recebidos por um figura ::dãã2::ãã2::'> oferecendo "flores naturales" (???). Vc sabe que é isso? Eu tb não sabia... mas recusei. Pouco depois, quando estava mais afastado da minha namorada e sobrinho, o figura apareceu novamente me pedindo um cigarro. Logo em seguida foi dando a real: "negão, temos maconha da boa, viu? Se quiser comprar...". Não vou mentir que fiquei surpreso com a naturalidade da coisa, em plena luz do dia. Mas disfarcei bem: "rpz, só tem erva? erva eu num quero não". "Pow, tem pó tb, quer?!" ::hahaha::::hahaha::::hahaha:: Num me aguentei de rir! Recusei, agradeci, e nos picamos dali!

 

Cabe esclerecer aqui que o ambiente não me pareceu nenhum pouco hostil... Nem nesse local, em particular, nem nenhum lugar na ilha.

 

Isso já eram umas 15h... Retornamos ao flat pra um banho e fomos direto ver o pôr do sol na Toca do Morcego. A Toca do Morcego é um bar/boate que fica num ponto alto de Morro de São Paulo. O local é bastante disputado, então chegue cedo pra pegar uma mesa legal. A entrada "pra ver o pôr do sol" custou R$ 20,00 por pessoa. Lá pedimos alguma comida pra dividir (ainda nem havíamos almoçado) e biritamos um bocadinho. Vale muitíssimo a pena ver o pôr do sol de lá... Depois que o sol se põe, no entanto, aí lá fica meio sem graça... Pelo menos nesse dia a atração era uma cantora de MPB :| . Lá pra meia noite é que começam as festas bem legais... Aí vc tem de pagar a mais pelo ingresso. Não ficamos pra ver pq queríamos aproveitar o dia seguinte.

 

Saímos da Toca lá pras 20h e fomos encontrar a minha irmã, que estava chegando de Salvador. Ela também ficou hospedada com a gnt no flat. Nós quatro encontramos minhas outras duas amigas que estavam no hostel e fomos reservar um passeio pra o dia seguinte. Entre as várias opções disponíveis, escolhemos fazer o passeio de lancha em torno da ilha, passando também por Boipeba e Cairu. O preço normal era R$ 100 por pessoa. Mas com a choradeira saiu por R$ 70,00 por pessoa ::otemo::.

 

5. Terceiro dia em Morro

O guia chegou 45min atrasado lá na pousada :evil: . Eu já estava doido ligando pra agência (BioTur) achando que ele nem vinha mais... De lá fomos andado com as outras pessoas que fariam o passeio com a gnt até a Terceira Praia. De lá pegamos uma lancha, às 10h30min. O meu grupo, que só tinha gnt ousada, foi logo ocupando a parte da frente da lancha :oops: e pedindo pra o marinheiro/guia um passeio com emoção ::hahaha::.

 

A nossa primeira parada seria nas piscinas naturais de Garapuá, mas, aconselhados pelo nosso guia, resolvemos partir direto pras piscinas naturais de Moreré, onde poderíamos passar mais tempo. A região de Moreré é mais bonita, além de que, partindo na frente, poderíamos aproveitar Moreré ainda sem tantos turistas... Ficamos por lá cerca de 1h30min. Mas apenas nos primeiros 30 min que houve sol :cry: . De qualquer maneira foi bem legal! Deu pra ver que a região é muito bonita: águas cristalinas e peixes coloridos (nem tanto por causa da chuva)!

 

Depois partimos para a praia de Cueira, na ilha de Boipeba. A praia é paradisíaca, cercada por um belíssimo coqueiral. A galera estava doida pra parar lá no quiosque de seu Guido, nessa praia, onde é servida uma "maravilhosa" lagosta. "Maravilhosa" entre aspas pq eu não comi. Sou alérgico :cry::evil:. A galera lá ficou se deliciando e peguei um baba (uma pelada, pra quem não é da Bahia) com a galera do guia com quem faríamos uma trilha dentro de Boipeba depois da parada pra merenda.

 

Seguimos pra praia da Boca da Barra por essa trilha, com duração de uns 30 min. A trilha é bem tranquila e é legal fazer pra conhecer um pouco da ilha de Boipeba. Fiquei achando que seria bom ficar ao menos uma noite por lá numa próxima oportunidade... Na Boca da Barra, fizemos outra parada, pra almoçar de verdade (lá saí mais barato do que almoçar na Cueira). Aí fui com tudo numa moqueca de peixe, que nem tava nota 10. Mas a fome que eu tava era tempero bom o suficiente ::lol4::!!!

 

Lá pras 15h30min, já bem atrasados, seguimos de lancha pelo Rio do Inferno rumo a Canavieira. Lá fizemos uma parada num bar flutuante que servia uma deliciosa ostra fresca (além de lambreta!). Apesar de já termos passado por águas bem límpidas, a galera estava animando em banho até na água escura do rio. Sente só.

 

A última parada foi em Cairu, sede administrativa do arquipélago do qual Morro de São Paulo e Boipeba fazem parte, descemos num pier privado. Pra acessar o município é necessário pagar uma taxa (R$ 3,00 por pessoa, salvo engano). O município é bem tranquilo, msmo num feriado as ruas são bem vazias e silenciosas. O ponto alto é a visita ao convento de Santo Antônio. Como estávamos com o tempo curto, acabamos nem visitando.

 

Retornamos então pra o pier de Morro de São Paulo, na primeira Praia. No caminho de volta ainda fomos agraciados com um lindo pôr do sol.

 

Voltamos para o flat pra tomar um banho e depois saímos para jantar. Como a moqueca do almoço não tinha sido das melhores, resolvi pedir outra. Ainda pior ::toma::. Dormimos cedo pra aproveitar a manhã seguinte, já que ao meio dia teríamos de fazer o check out.

 

6. Quarto e último dia em Morro

Nesse dia realmente acordamos cedo, tomamos café e lá pras 8h30min estávamos chegando na Quarta Praia, a melhor praia pra mergulhar com os peixinhos ::hahaha::! Ficamos horas por lá admirando aquelas águas transparentes e os peixes. Todo mundo de boca aberta com a beleza do lugar! Tiramos trocentas fotos!!!

 

DICA 3: Dê um jeito e providencie um conjunto óculos de mergulho e snorkel. Vc vai aproveitar muito mais essa atividade!!! Se você não tiver, vc pode alugar numa barraquinha logo no início da Terceira Praia. Cobram R$ 40,00 de aluguel pelo dia todo. Depois da choradeira saiu por R$ 35,00...

 

DICA 4: Leve pão pra dar aos peixes! Na verdade não se pode dar pão pra os peixes por questões ambientais, aí lá na Terceira Praia há gnt que troca esse pão por ração própria. Se vc não levar o pão, vc pode comprar a ração lá mesmo. Vale muito a pena também. Vai ser mais fácil interagir com os peixes tendo ração...

 

A gnt se empolgou por lá e saímos atrasados pra fazer o check out. Levei um mega esporro da dona do flat ::toma::. Mas no final deu tudo certo. Tomados banhos e de malas prontas, ainda fizemos uma parada pra almoçar. Adivinha o que eu pedi? Outra moqueca de peixe. Estava 100 %? Também não... Fiquei puto de raiva ::grr:: . Gastamos algum tempo comprando lembrancinhas e depois partimos de volta pra Salvador.

 

7. De Morro de São Paulo para Salvador

Lá pras 15h pegamos a lancha rápida de Morro pra Valença (R$ 25,00 por pessoa). Rapidinho pegamos o carro no estacionamento e iniciamos a viagem de volta pra Salvador, via BR. Volta de feriadão, então já sabe, né? A viagem durou 7h ::ahhhh::! De qualquer maneira, todo mundo achou que valeu a pena e não vemos a hora de poder voltar.

 

DICA 5: Sobre os gastos com transporte indo de carro: R$ 220 de gasolina (carro 1.6) mais R$ 80 de estacionamento divididos por 5 pessoas, R$ 60,00. Somando com o custo com as lanchas, R$ 40,00 na ida e R$ 25,00 na volta, o gasto total por pessoa com transporte foi de R$ 105,00. Se a gnt fosse pelo ferry boat sairia ainda mais barato...

 

Pra finalizar:

- Há algumas fotos de Morro no meu perfil do instagram :wink:;

- Caso tenham dúvidas, estou disponível pra ajudar com o que sei;

- Como esse é o meu primeiro relato, estou aberto a críticas e sugestões. Aguardo nos comentários!

 

Até a próxima!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, Vitor

Gostei do relato, estou indo pra MP e Salvador dia 15/05 com minha mãe e é bom ter algumas informações atualizadas antes de ir. Estou com medo de uma possível chuva, espero que São Pedro colabore.... kkkk

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom relato, Vitor! Estou indo a Morro em Julho, depois de mais de 10 anos... O relato me fez sentir já estando lá!

 

Um abraço!

 

Denison

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...