Ir para conteúdo

Caixa estanque para fotos subaquáticas - dicas e infos


Posts Recomendados

  • Respostas 92
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

Olá rafalobis,

 

Bom... eu pratico mergulho e também sou fotógrafo amador, mas ainda não tive a oportunidade de misturar essas duas paixões... (rs)

 

O meu pai tira algumas fotos com a Sea & Sea Motormarine II dele, e o que eu posso dizer é que:

 

1. O flash potente é fundamental, mas sempre disparado num ângulo inclinado de pelo menos 45 graus em relação ao plano do filme. Isso, para que as partículas suspensas não apareçam na foto e para que o assunto não fique "lavado".

 

2. Na água, tudo se parece 30% maior do que realmente é. Aquele peixão que você está vendo, na verdade não é tão grande assim. [:)]

 

3. Na água, tudo parece estar 25% mais próximo do que realmente está. Então aquele peixão que você está vendo, nem é tão grande assim, e nem está tão perto assim. [:D]

 

É só o que sei... [:(]

 

Abraços,

Jeffrey

www.pbase.com/digitaljeff

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 4 semanas depois...
  • Membros

Adoro Fotografia e mergulho a algum tempo. Naturalmente tentei unir as duas coisas, então comprei uma câmera bem básica para fotos-sub. A MX-5 da Sea & Sea.

Trata-se de um equipo bem simples, que suporta até 35m, ou seja aparentemente perfeita pra quem faz o mergulho autônomo recreacional.

Agora tem muitas coisas que influenciam a foto sub.

Aquelas que apreendi na marra:

 

"Backscatter" - ou suspenção. Geralmente a primeira grande frustração de quem começa, é descobrir que muitas vezes, aquela suspenção de areia aparentemente inócua durante o mergulho, tem um efeito desatroso quanto temos o reflexo do flash. A foto fica "qualhada" de pontos brancos, a própria areia refletindo o brilho do flash.

 

Azul, Azul, Azul... - A água filtra a luz, e em geral quanto mais fundo as cores parecem mais opacas, azuladas... o uso do flash corrige esse problema... ...ou deveria corrigir, no caso do meu limitado equipo, só em fotos bem próximas consigo trazer as cores que uma lanterna ou o flash revelam.

 

"Sportfinder" - A MX-5 é simples. Praticamente apenas um botão para o disparador, e o tal do Sportfinder para você mirar o motivo da tua foto.... ...mas agora, imagina você lá boiando ou controlando a tua flutuação e tentando "mirar" aquele Garoupa enorme, ou aquela tartaruga... ...quando você revela descobre que decepou várias cabeças e barbatanas... ...cada enquadramento...rsrs ...não tem jeito, tem que praticar...

 

Hoje, o que eu faria, até para poder treinar mais, é comprar uma dessas caixas-estanque para equipamentos digitais. Já vi alguns modelos incríveis para essas cameras SONY Cybershot, compactas. Dá pra acessar praticamente todas as funções. Não as utilizei, mas tenho a impressão que dá até para consultar o LCD durante o mergulho. Se der mesmo, fica mais fácil corrigir erros, acertar os enquadramentos...e melhorar substancialmente a tua técnica.

 

Dá uma olhada nesse site.

Esse cara fotografa a um bom tempo e tem muita dica técnica pra foto-sub, inclusive um curso montado pra isso.

www.explorerdive.com.br

 

Abraços,

 

Vinicius

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 mês depois...
  • Membros de Honra

Foto Subaquática (Bruno Guillon Ribeiro)

 

 

Uma das características mais marcantes quando falamos de fotos subaquáticas é aquela enorme sensação de que já vimos àquela imagem algum dia em algum lugar. Provavelmente todos já se depararam com uma situação como essa. Fato que acontece com mais freqüência na fotografia subaquática do que em fotos "convencionais". Por que então isto acontece? A água por si só já impressiona e essa característica passa por cima de ítens importantes como, por exemplo, a composição e momento decisivo. Outra questão relevante é que, por se tratar de um meio conceitualmente ostil à maioria das pessoas, na água a foto passa a ser registro de momento e não forma de expressão. Isto, porém pode ser resolvido dando especial atenção a logística da foto e do local. Se você está preparado e com uma idéia pré-definida, fica muito mais fácil fazer uma imagem interessante. Obviamente que quando estamos falando de fotos de natureza é difícil precisar que condições e elementos encontraremos no local que será fotografado. Mas é inquestionável que vários fatores podem ser previstos com antecedência. Dificilmente será possível fazer uma foto aquática de um urso polar nadando na praia da Joaquina, em Santa Catarina, em contra partida, a chance de você conseguir fotografar boas ondas e sufistas é enorme, desde que a previsão do tempo seja verificada com antecedência. Comentando especificamente de foto subaquática, captada por fotógrafos dos mais diversos níveis de conhecimento, é impressionante a preocupação que os mesmos têm com o equipamento. Gasta-se muito mais tempo e dinheiro na busca de um equipamento com mais recursos técnicos, do que na busca de conhecimento e formação de um olhar fotográfico. Dificilmente qualquer pessoa que pegar uma câmera com todos os recursos disponíveis e um bom conhecimento de software de tratamento de imagens fará uma foto longe do aceitável. O equipamento garante uma foto tecnicamente boa, foco e iluminação, o que para muitos é suficiente. Mas e aquela foto surpreendente, onde o fotógrafo perdeu 40 minutos de mergulho esperando o melhor posicionamento do peixe mais "sem vergonha" que existia no ponto, simplesmente para fazer a imagem que ele planejou dentro das limitações que o equipamento dele tinha? Na fotografia convencional, para uma grande parte dos fotógrafos, o equipamento já deixou de ser o diferencial. Existe uma preocupação enorme com outros fatores e obviamente que para algumas imagens é fundamental o equipamento adequado. Mas esse só deve ser adquirido quando aquela imagem que você imaginou e sonhou não pôde ser feita devido a uma limitação do seu conjunto de lentes, por exemplo. E quando esse fato se repetir, aí é um sinal de que um novo investimento poderá ser feito. Mas ainda assim é preciso avaliar se aquele momento não poderia ser pensado e avaliado sob a ótica do seu conjunto. A cada dia surgem novos candidatos a fotógrafos que saem dos mais variados cursos extremamente preocupados com o equipamento que irão adquirir, esquecendo-se que o principal é o seu ponto de vista, a sua criatividade, o seu domínio sobre o equipamento. O equipamento não pode raciocinar pelo fotógrafo. Ao invéz de se preocupar com o melhor equipamento e em investir o máximo que pode em lentes e câmeras, preocupe-se em investir em você. Fotografe muito, mova ao extremo a sua criatividade. Construa o seu diferencial em cima do seu olhar e não em cima do seu bolso. Até a próxima.

 

*Bruno Guillon Ribeiro é graduado em Rádio e Televisão e está cursando pós-graduação em Fotografia. Mergulhador desde 1997, formou-se como Instrutor NAUI em 1999 e em 2003 pela PDIC. É Instrutor de Primeiros Socorros e RCP pela ASHI. É mergulhador em caverna pela NSS. E-mail - [email protected]

 

Valeu,

 

Rog.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 5 meses depois...
  • Membros

Olá a todos!

 

Alguém sabe onde posso comprar aqui em São Paulo aquela caixa para máquina Fotográfica para fazer mergulho? a caixa tem um nome, mas esqueci agora... estou indo para o Caribe e gostaria de tirar fotos nos mergulhos que eu fizer lá.

Ps.: Minha máquina é digital, Sony, não sei se é compatível com alguma dessas caixas.

 

Obrigado!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


×
×
  • Criar Novo...