Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Montevidéu e Punta del Este - dez/15-jan/16 - 9 dias - com fotos e preços


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Olá, somos de Campinas e eu e meu marido compramos as passagens no susto numa promoção da Azul assim que começaram a operar para Punta del Este.

 

Período:

27/12/15 a 04/01/16

 

Transporte:

Avião = Campinas – Punta Del este

Ônibus = Punta del Este – Montevideo e Montevideo – Punta

Avião = Punta - Campinas

• Hospedagem:

Quase desistimos de viajar quando começamos a ver os valores dos hotéis. Um absurdo que não ia rolar. Até hostel estava com preço de hotel de luxo. Tbm pudera né, ano novo na Mônaco da américa do sul =/ kkkk

Quando estava sem esperanças descobrimos o Airbnb através dos mochileiros. Uauuu salvou nossa viagem e nosso bolsinho.

O Airbnb é um site que reúne pessoas que querem alugar suas casas ou apenas quartos para viajantes. Cobram valores bem legais e ainda te permite uma experiência com os nativos. Foi nossa 1° experiência e deu td certo: recomendamos!!

 

Montevideo (MTV): ficamos no apartamento das Sofias (https://www.airbnb.com.br/rooms/5050047). Fica no lindo bairro de Pocitos, há 2 quadras do ponto de ônibus, há umas 8 quadras da praia. Localização maravilhosa. Alugamos um quarto do apartamento. As Sofias são mto gente boa, solícitas, nos ajudou em td que precisamos, nos deixou mto a vontade e ainda deixou 2 bicicletas a nossa disposição.

 

Punta del Este: ficamos na casa da Ana Maria (não encontrei o link), bairro de Pinares, um lugar lindo e casa mto bem decorada, parecia que estávamos num lugar temático, mt legal. Ficamos em 1 dos quartos da casa (ela aluga os demais quartos tbm). No valor da diária Ana Maria servia café da manhã. A casa dela é um pouco distante do centro então precisa de carro ou ônibus, porém ônibus são raros e inconstantes, portanto conversamos com Ana Maria e ela nos levava e buscava pra onde queríamos ir e pagamos a ela no final (cobrou 1200 pesos).

Só tem um problema: ela não recebe os valores das diárias pelo site airbnb (pq o site fica com uma porcentagem). Ela só expõe a casa e combina com vc os dias e valores. O pagamento vc faz qdo chega na casa. Deu mto medo fazer isso pq sem o respaldo do site não tínhamos nenhuma garantia, mas como não tínhamos outra alternativa aceitamos. Deu td certo graças a Deus kkkkk. Conversávamos com ela pelo face.

 

 

Roteiro :

 

27/12 - domingo

-Chegamos pelo aeroporto de Punta.

-Cambio no aeroporto péssimo: 1 real = 6,54 pesos. 1 dólar=25,16 pesos. Mas cambiamos um pouquinho por causa de ônibus/ táxis.

-Pegamos ônibus para MTV na rodovia em frente ao aeroporto (o ponto de ônibus é uma ‘casinha’ branca). Vc vai dando sinal pros ônibus que passam, o que tiver lugar para. 212 pesos. 2h até terminal Tres Cruces (MTV).

-Tres Cruces para casa Sofias (bairro Pocitos) = táxi 120 pesos/ +- 15 min.

-Descemos a rua e caminhamos pela rambla do mar del plata. Bem bonito.

DSCN6244.JPG.2cb2f21aceaa8ee9a6ab34db2d815c41.JPG

 

28/12 – segunda

-Fomos para o centro. Ônibus=28 pesos, +- 20 min.

-Câmbio em frente Praça Independência (na mesma calçada que vende bilhete pro ônibus turístico): 1 real=7,70 pesos. Foi o melhor câmbio que achamos e não estava compensando trocar dólar.

-Free Walking Tour: tour a pé e de graça com guia em espanhol e inglês. As guias ficam na praça independência com camiseta vermelha. Se não me engano começa às 11h. Não precisa agendar, é só chegar (tem pg no face deles para mais informações, estão tbm no Trip advisor). Começa na praça independência e termina no Mercado. É de graça mas no final eles sugerem uma propina (gorjeta) voluntária. Vale a pena e é divertido.

- Empanada do mercado é delícia e a mais barata: 44 pesos. A de doce de leite é mara!

-De tarde fomos no Estádio Centenário (perto da casa Sofia, fomo a pé). Estádio da primeira copa do mundo. 150 pesos para conhecer o estádio e Museu. Não tem visita guiada e não achei o museu mto autoexplicativo, boiei bastante rsrsrs, mas quem entende mais de futebol se diverte. De qualquer forma foi legal pq tem bastante coisa referenciando a 1º Copa e o Brasil.

-Na volta fomos na padaria La Passiva (tem várias pela cidade) e comemos o famoso Chivito: combo com fritas, refri e sobremesa=310 pesos (não é mto grande).

 

DSCN6270.JPG.51e2d556ea22c2b6a740612ab8007af9.JPG

 

DSCN6363.JPG.ac79dc97683f516b276519408a28a2f1.JPG

 

 

29/12 - terça-feira

-fomos para o centro.

-Museu Pedagógico: grátis. Faço Pedagogia então pra mim foi especialmente interessante. Mostra o sistema de ensino a 125 anos atrás no Uruguai, com castigos e tal. É mto legal msm pra quem não é da área. No final vc pode sentar numa das carteiras da época e escrever com caneta tinteiro. Vale a pena.

-Fonte dos cadeados: levamos cadeado mas tem uma banca ao lado que vende.

-Teatro Solis: tour guiado 20 pesos. Tem em espanhol e inglês. Dura uns 40 min e tem 2 atores que fazem aparições no percurso. Bem legal.

-Restaurante Los Leños na rua San Jose, paralela da 18 de julho. Ambiente mto agradável, uma delícia: Assado+salada+couvert+sobremesa+café=517 pesos (deu pra 2 comer de boa).

-Museu Andes 1972: lemos o livro “Um milagre nos andes”, relato impressionante do acidente e desde então queríamos mto conhecer esse museu. Vale mto a pena, é impressionante ver as partes do avião, roupas, objetos, filme etc. Mto interessante. Não lembro o valor.

-Palácio Salvo (em frente praça independência): visita guiada 200 pesos. História interessante, história de fantasma e vista lindíssima. Vale a pena.

-Na volta passando pelo centro passamos por casas de venda de cannabis para cultivo.

-Fomos para Tres Cruces comprar passagem pra Punta = 259 pesos (esse valor era até a parada 35 pra casa da Ana Maria, se não seria um pouco mais caro até a rodoviária de Punta).

 

DSCN6455.JPG.9658905c8d0576aa6b0698bbdc1d182f.JPG

 

DSCN6474.JPG.846a6b8472d9a71ad88a0a82731bb279.JPG

 

DSCN6606.JPG.cfb6ce5b858e37f94613a74694a15224.JPG

 

DSCN6667.JPG.2aae934f7edfe696484be574bdd2114a.JPG

 

DSCN6748.JPG.67ddd625e0cde953bd5654dbdab84c89.JPG

 

 

30/12 - quarta-feira

- Castillo Pitamiglio: 125 pesos. Visita guiada no castelo (a arquitetura externa se destaca mto por estar entre prédios modernos), não pode tirar fotos dentro. Mtos símbolos maçônicos e mto mistério envolvido, mto legal. Tem um ponto da casa que qdo vc fala sua voz volta, é o ponto em que tem cruzamento entre linhas energéticas do planeta, mto interessante, vale mto a visita. Pesquise no site pois são apenas 1 ou 2 visitas por semana que tem no castelo.

-Voltamos andando pela rambla e fomos no Chivito Lo de Pepe, mto bom, mais gostoso que no La Passiva, 235 pesos.

-Letreiro Montevideo, fica na rambla.

 

DSCN6844.JPG.0bca848895054ba9b445200ee2eb6c3e.JPG

 

DSCN6927.JPG.e3fc28eed8e86745ea3f96b793f57d63.JPG

 

 

 

31/12 – quinta-feira

-descobrimos uma feira em Pocitos, próximo ao mercado Disco. Na feira vendia até papel higiênico rsrs, tinha carrinhos de venda de presunto e queijos, pão de forma. Diferente das feiras daqui.

-andamos pelo bairro Pocitos e realmente é lindo e charmoso.

-Fomos para rodoviária para ir para Punta.

-Ana Maria (casa que ficamos em Punta) combinou de nos encontrar na parada 35 de Punta. Como sua casa é afastada do centro foi melhor assim.

-Deixamos as coisas e já fomos para o centro: é lindo, mto bem organizado, estruturado. Bicicletas grátis, pra quem tem cartão itaú pode usar por 3h e pra outros cartões por 1h.

-Voltamos de ônibus até um ponto, daí descobrimos que não tinha mais ônibus para ir pra Ana Maria por ser dia 31 e tivemos que pegar táxi. Foi bem cansativo e daí decidimos combinar os traslados com Ana Maria.

-Não tínhamos planos pro dia 31 então Ana nos convidou para participar da ceia com sua família na casa msm. Foi mto legal a troca cultural com a família dela. Teve a tradicional Parrillada Uruguaia: delícia!!! Experimentamos tbm a morsilla (linguiça com sangue de porco...diferente rs).

 

01/01 - sexta-feira

-Fomos para La Barra: passamos pela ponte ondulada de carro, mto legal! Descemos e tiramos fotos pela ponte.

-Dali dá pra ir a pé (1km +-) até o Museu do Mar, 160 pesos. Museu com mta coisa (até demais eu achei, dava pra fazer vários museus pq misturam animais com peças antigas etc), mas msm assim é interessante, esqueletos enormes de baleias, vale a visita.

-Voltamos de ônibus até o terminal de Punta.

-Em frente o terminal tem o famoso monumento La Mano, uma luta pra conseguir tirar foto, desista de querer sair sozinho...desconhecidos farão parte kkk

-Andamos pela rambla até a igreja Carmelitas, o bairro q essa igreja está é uma fofura, vale a pena ficar sentada num banquinho da praça admirando.

-Em frente a igreja tem o Farol, mas não é possível entrar =/... fotos só de fora msm.

-Fomos para o Porto: paisagens lindas dali, pôr do sol magnífico. Aliás achei que o sol de Punta brilha mais do q eu estou acostumada a ver!

 

DSCN7106.JPG.83267e6c440db985e7d98bda4efc0ba9.JPG

 

DSCN7077.JPG.687e85f19606e11a8bd0cc6186173b64.JPG

 

DSCN7248.JPG.96d59dbe48627cc85b6b3d76e1e8a6fb.JPG

 

DSCN7012.JPG.209730eb4a353261f5f8a6cd247f85db.JPG

 

 

02/01 – sábado

-andamos pela rambla de Pinares (bairro da Ana), apreciamos o mar e ficamos no barzinho da Parada 31 (neste lugar não cobram taxa de serviço nem o couvert).

-Casa Pueblo: fica num lugar bem alto e lindo, com vista para Punta. O lado de fora é fascinante. É um museu bem pequeno com obras de Carlos Paes Vilaró, é bem bonito, mas esperávamos mais. A maior parte da construção faz parte do hotel que não podemos ter acesso. O pôr do sol visto de lá é lindo pq tem música ambiente q dá o clima mas é mto concorrido. Acabamos terminando de ver o pôr do sol do lado de fora pq não tinha mais espaço dentro. 220 pesos.

 

DSCN7373.JPG.df6f942ffff31e9a519cb16ad7670738.JPG

 

DSCN7490.JPG.0b268c95204bdd0893c44038e517a8a4.JPG

 

DSCN7489.JPG.0776685976d0479f8228250c5ed09a8c.JPG

 

 

03/01 – domingo

-Fomos para o Porto de novo pq queria ver os leões marinhos: lá vende peixes e eles jogam as carcaças no mar. Coisa mais linda vê-los tão de pertinho e enormes. Se quiser pode comprar peixes para jogar pra eles tbm.

-Andamos na avenida Gorlero: lojas, praça com alguma atração cultural etc. É a avenida principal de Punta.

-Fomos no Casino Conrad, só 'dar uma olhadinha' kkkk. Não pode tirar foto dentro do cassino.

 

DSCN7889.JPG.8fec14a9a2f0137d86f175cfc1f3017d.JPG

 

 

04/01 - segunda-feira

-na ida para o aeroporto Ana nos levou no mirante de Punta Balena: vista linda!!!!!!!

-retorno para Campinas.

 

DSCN7981.JPG.584aac9eb7e39e0815fa6b2d45ac52c4.JPG

 

 

DICAS:

-fizemos nosso roteiro com o Google My Maps. VC vai incluindo os lugares que vc quer ir e te ajuda na locomoção, o que é perto do que etc.

-mercado é mais caro que no Brasil.

-ficamos com medo de comida em Punta ser absurdamente mais caro que em MTV mas o preço estava praticamente igual. Inclusive mercado.

-os tours em espanhol são na verdade em portunhol. Como eles estão mto acostumados com brasileiros o português deles é bem bom.

-Em Punta é legal estar de carro pois conhece mto mais lugares, inclusive nas cidades vizinhas. Mas os principais pontos dá pra conhecer td a pé.

-Em Punta o vento é super gelado.

-Em MTV os táxis tem tabelas dos valores. Vc olha o n° q deu no taxímetro e confere qto deu.

 

DSCN6978.JPG.c2a194fa9ad8f3e797fa6fc89d7fd944.JPG

 

Já tínhamos conhecido Colônia de Sacramento em outra viagem e agora com MTV e Punta tivemos uma experiência melhor ainda com os uruguaios. País lindo, arborizado e preservado. Pessoas mto simpáticas, prestativas, educadas e estudadas. Temos ótimas lembranças pra guardar desse país. Recomendamos mto.

Link para o post
  • 2 semanas depois...

  • 2 semanas depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por rayanaduarte26
      Difícil eu escolher o meu destino ou meu roteiro eu sempre digo que o que me move é viajar barato, primeiro porque não nasci rica muito menos ganhei na loteria e também porque não tenho dinheiro a disposição mas ao contrário meu dinheirinho suado é pouco e limitado. Rica só de Deus na minha vida e saúde hahaha.
      Tem vários métodos para se buscar um destino barato eu falarei sobre a minha estratégia pessoal não que seja boa ou ruim é questão de sucesso comigo deu muito certo.
      Faço as minhas buscas de voô no MÊS ou ÉPOCA( isso é importante) que eu acho provável que eu consiga ir nos sites: Google Flights e SkyScanner. Tendo base nos voos saindo de São Paulo (o mais próximo para mim) vejo onde está mais barato ir assim listo as minhas opções de destinos.
      Até 8 horas de viagem (ônibus ou carro) acho que vale a pena consultar os sites: Bla Cla Car e Busca Onibus. O primeiro uso desde 2017 é um aplicativo de carona, onde os motoristas colocam o destino que estão indo e oferecem carona por um valor bem mais baixo que ônibus. Como seguro morreu de velho sempre verifico as recomendações de pessoas que já pegaram carona com o motorista, verifico o perfil e caso sinta qualquer suspeita eu nem solicito a carona vejo as outras opções. Graças a Deus sempre usei esse aplicativo (com todos os cuidados) e deu muito certo consegui economizar muito. Busca onibus é site de comparativos de preços de dezenas empresas de ônibus.
      Acima de 8 horas de viagem é extremamente cansativo já fui para Floripa de busão, Buenos Aires entre outros destinos saindo de São Paulo e não sei se repito a dose... CONTINUA NO BLOG...
      https://soviajo.travel.blog/2019/11/13/viajar-barato-dicas/
    • Por Mari D'Angelo
      A experiência de conhecer o Uruguay foi especialmente interessante, pois exceto uma pisadinha no Paraguay e na Argentina em uma viagem à Foz do Iguaçu, quando ainda era criança, nunca tinha viajado para outro país da América do Sul.
       
      Chegamos em um sábado de manhã no pequeno e moderno aeroporto de Carrasco. No começo foi engraçado pedir informações pois não falo espanhol (e pra ser sincera, não é uma língua que me agrada muito) e a técnica do “portunhol” soa ridícula demais! Enfim, com o tempo passamos a usar o português mesmo, que eles conseguem entender se falamos devagar, as poucas palavras que sabemos em espanhol e as vezes até alguma coisa em inglês para ajudar.
       
      É bem simples chegar ao centro, não acho que seja necessário taxi ou van, a não ser que você tenha muitas malas ou prefira algo mais confortável. Bem em frente à saída do aeroporto tem um ponto onde passam vários ônibus com os nomes dos destinos finais, no nosso caso pegamos o “Montevideo” mesmo, caso não vá para o centro é só se informar por lá. O valor é 45 pesos uruguaios (R$4,50) e demora menos de 1h. Ah, caso o motorista não abra a porta quando você der o sinal, grite “Puerta!”, funciona como o “Vai descer!” que usamos aqui em São Paulo rs.
       
      Escolhemos ficar no Hotel California (claro que eu cantei mentalmente a música cada vez que li o nome em algum lugar! Rs), achei o custo benefício bastante bom! A localização é ótima, paralela à principal avenida e apenas alguns minutos da Cidade Velha (onde tinham algumas opções menos caras mas pelos comentários no Booking.com não é uma região muito segura à noite.).
       
      Sábado a tarde e domingo quase tudo fecha na cidade (inclusive casas de câmbio e locadoras de carro), então caminhamos pela avenida 18 de Julio até o Teatro Solís, que fica aberto. A primeira parada foi na Fuente de los Candados, a tradição é a mesma de alguns lugares da Europa, como a Pont des Arts em Paris, onde casais colocam cadeados com seus nomes para que o amor seja eterno.
       
      A arquitetura da capital Uruguaia me chamou muito a atenção, a mistura de estilos arquitetônicos do moderno com o antigo é muito interessante, vale parar alguns minutos diante de alguns prédios só para observar todos os detalhes. Inclusive um dos melhores lugares para notar esse contraste é chegando na Plaza Independencia, onde se encontra o Palácio Salvo, um dos prédios mais lindos de Montevideo, que funciona tanto para escritórios quanto para fins residenciais. Essa praça, que tem como monumento central uma homenagem ao general José Artigas, divide a área central e a Cidade Velha. Na entrada da área mais antiga da capital está a Puerta de la Ciudadela, único resquício de uma antiga fortaleza que protegia a cidade. É bastante interessante pela história, mas não me empolgou muito como ponto turístico.
       

       
      Continuando o caminho, agora já dentro da Cidade Velha, seguimos pela rua Sarandi, onde ficam algumas banquinhas de artesanato, lojas, cafés e restaurantes. A Plaza Constitución, que abriga uma feira de antiguidades, é a mais antiga da cidade. Logo em frente está a Catedral Metropolitana de Montevideo. Na rua da catedral há um lugar chamado Café Brasilero, havia lido em alguns lugares como algo imperdível mas quando cheguei lá não me empolguei em entrar, não sei se seria diferente de qualquer outro café.
       
      Finalmente chegamos ao nosso destino, o Teatro Solís. Às 16h há uma visita guiada por 50 pesos (R$5,00), três jovens funcionários super simpáticos nos apresentaram, em português, aos pontos mais importantes do local. Com certeza a sala principal de espetáculos é a parte mais incrível, inclusive suas cadeiras são feitas com uma tecnologia brasileira que se auto-destrói em caso de incêndio para que o fogo não se espalhe. Os guias contam a história do teatro e curiosidades como essa numa visita que dura aproximadamente 1 hora.
       

       
      A Cidade Velha também é um pólo interessante de arte de rua, eu como apaixonada por grafites, não resisti e tive que registrar alguns.
       
      Como em outubro o sol se põe lá pelas 20h, aproveitamos para caminhar mais um pouco pela Cidade Velha. Entramos para conhecer o famoso Mercado del Puerto (onde estava passando um Palmeiras x Corinthians na TV!), a estrutura é semelhante ao Mercadão de São Paulo, porém dentro (e ao redor) funcionam diversos restaurantes, mas achei bastante caro. Aliás, comer e beber em Montevideo não é exatamente uma pechincha. Acabamos parando para uma cerveja em um simpático café + loja de design chamado Sinestesia, que fica pelos arredores do mercado.
       
      Descemos então para a Rambla (avenida que beira o Rio da Prata) e encontramos um lugarzinho para admirar o fantástico pôr-do-sol entre os uruguaios com suas cuias de chimarrão (todos eles vivem tomando seu chimarrão, em qualquer lugar, à qualquer hora).
       

       
      Como a viagem foi para comemorar o aniversário do namor(i)do, fomos procurar um lugar legal para jantar, pegamos a dica da Avenida Dr. L. A. de Herrera, no bairro de Buceo e fomos de ônibus até lá (uma curiosidade sobre os ônibus, geralmente eles deixam tocando música ou notícias, é como se o motorista tivesse no carro dele, aumentando e diminuindo o som de acordo com seu gosto, chega a ser engraçado! Rs). Bom, essa rua tem diversas opções que parecem bem legais, escolhemos o Barba Roja, uma mistura de bar e restaurante. A dica aqui é, peça um prato para 2, sério, o tamanho deles é realmente absurdo, dá até dó pois não conseguimos comer nem metade.
       
      No segundo dia fizemos um bate e volta em Punta del Este, mas isso será assunto para outro texto. Era domingo de eleições por lá também e foi muito interessante ver o comportamento deles em relação a isso. Desde que chegamos no aeroporto, vimos pelo caminho bandeiras, propagandas, muros pintados, manifestações (pacíficas), enfim, a cidade respirava campanha política. Quando voltamos ao hotel, passando pela 18 de Julio, ficamos impressionados com a festa! Já haviam saído as parciais e o sucessor de Mujica (o atual presidente, que na minha opinião é um exemplo a ser seguido) ganharia. A impressão que dava é que eles realmente estavam felizes e satisfeitos com sua escolha, que tinham confiança no partido que apoiavam, e não eram apenas os mais velhos, crianças e muitos adolescentes e jovens comemoravam efusivamente, o clima era leve, de alegria e paz. Olhando tudo aquilo fiquei com inveja (no bom sentido), eu gostaria muito de poder apoiar um partido que me representasse desta maneira.
       

       
      No fim da noite, caímos sem querer no Facal, um café-restaurante em frente à fonte dos cadeados que diz ser o mais antigo da cidade. Recomendo muito comer as empanadas de lá, são deliciosas! Além delas, outra iguaria típica do país é o Chivitos, que não passa de um sanduíche com diversos recheios para escolher, como não como carne, não posso dizer se é algo que vale a pena ou não.
       
      No dia seguinte começamos pelo Mirador de la intendencia, um mirante 360º que fica no último andar do prédio da prefeitura e é de graça, basta retirar a entrada no centro de informações turísticas que fica bem em frente.
       
      De lá seguimos para o Parque Rodó, bastante agradável e bem cuidado. Nossa ideia era continuar a pé pelas Ramblas até a Playa Pocitos, mas o calor estava insuportável e foi realmente impossível completar o trajeto, acabamos conhecendo apenas a Playa Ramirez e passando em frente ao Memorial del Holocausto.
       

       
      Não dá pra ir embora sem trazer na mala vinhos e alfajores né? Então pegamos a indicação do Ta-ta, um mercado barato onde encontramos bons vinhos por uma média de R$15,00 e uma infinidade de opções de alfajores e doces de leite, ficamos com os da marca Lapataia, indicação de uma brasileira (e são mesmo muito bons!).
       
      Esse é o tipo de viagem diferente que é possível fazer em um fim de semana, fique de olho nas promoções de passagens aéreas e vá aproveitar toda a simpatia do Uruguay.
       
      Texto original e mais fotos aqui: http://www.queroirla.com.br/uma-escapadinha-para-montevideo/
    • Por Mari D'Angelo
      Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/bate-volta-em-punta-del-este/
       
      Durante nossa viagem à Montevidéu, resolvemos fazer um bate-volta para Punta del Este, afinal, é quase obrigatório já que é tão pertinho e fácil de chegar. A maioria das pessoas vai atrás das praias, cassinos (que são liberados por lá) e badalação. Eu confesso que a parte da cidade que mais me chamou atenção foi justamente a que era o oposto disso. Não foi um lugar que me encantou, mas tem lá seu charme!
       
      Saímos no domingo cedo e pegamos um ônibus até o aeroporto para buscar o carro alugado na Budget. A estrada é bem tranquila e o caminho é basicamente uma reta só, o trajeto dura aproximadamente 1h30. Ah, uma dica importante, logo que chegamos no hotel em Montevidéu, um funcionário já nos alertou sobre a lei seca, disse que haveriam muitos comandos na estrada e que lá não há tolerância, qualquer sinal de álcool (e até maconha) no bafômetro é problema e para jamais propormos “dar um jeitinho”, pelo jeito lá as coisas funcionam um pouco diferentes daqui… Bom, o fato é que tinham mesmo muitas blitz, então se for beber, vá de ônibus!
       
      O primeiro lugar que paramos foi uma mega furada! Um conjunto de esculturas de sereias sobre as pedras na beira do mar na Plazoleta Gran Bretania. Com todo respeito ao artista, aquilo é horrível! Fala a verdade, dá medo, não dá??? Mas o interessante desse lugar é que ele fica bem na pontinha da península, onde ocorre o encontro do Rio da Prata com o mar.
       
      Ali pertinho fica a parte mais fofa da cidade, a que mais gostei! Pra começar, as casas não tem números, e sim nomes. Elas são enormes e lindas, mas sem ostentação. Os atrativos desse simpático e aconchegante “bairrinho” são o farol e a Parroquia Nuestra Señora de la Candelaria, uma graça de igrejinha em homenagem à padroeira da cidade.
       
      Seguimos para o porto pois a ideia era pegar um barco até a Isla de Lobos para ver leões marinhos, mas chegamos um pouco tarde e os barcos só saiam até 12h se não me engano. Queria taaanto fazer esse passeio, fiquei decepcionada, se quiser ir, lembre-se de chegar cedo! Ah, e verificar a época também, não é sempre que os animais aparecem na ilha. Pelo menos chegamos a ver alguns deles ali mesmo, perto das bancas de peixes esperando pra ganhar as sobras (e rola uma briga pra ver quem vai ficar com elas!).
       
      Paramos para almoçar no El Pobre Marino, o ambiente do restaurante é bem kisth, mas até que combina com o clima de Punta rs. Meu prato estava meio sem graça, pedi panquecas de espinafre, mas o Dan pediu carne e gostou. O valor era Ok então saímos satisfeitos.
       
      O próximo ponto foi o cartão postal de Punta, o Monumento ao afogado, ou popularmente conhecido como Los dedos. A escultura é do artista chileno Mario Irarrázabal e fica na primeira parada da Playa Brava (as praias são todas divididas assim, P1, P2, P3…). Apesar de clichê, achei bem interessante e lógico que quis fazer umas fotos ali também, mas é preciso paciência pra conseguir clicar os dedinhos sem ninguém na frente!
       
      Um pouco mais afastado do centro fica a Puente Leonel Vieira, seu diferencial é ser ondulada, dando um friozinho na barriga de quem passa de carro por lá, mas também nada de tão interessante, não sei se vale a visita.
       
      Antes de ir embora ainda passamos pelo bairro de Beverly Hills, dominado por enormes mansões com lindos jardins, mas sinceramente, prefiro mil vezes a parte mais simples da cidade, que falei aqui no começo do post!
       
      Na volta para Montevidéu paramos para ver o pôr-do-sol na Casapueblo, em Punta Ballena, um dos mais incríveis que já vi!
    • Por TainaraFerrugem
      Olá [email protected] de viagem,

      Fiquei 7 dias em Montevidéu, o que posso dizer sobre essa viagem? Surpreendente.

      De fato é lindo e caro rsrs

      Fiquei hospedada no Circus Hostel&Hotel Montevidéu, custo (em média de R$350) e localização muito boa.

      Mas não costumam trocar os lençóis, se você esquecer a toalha e precisar de uma lá, você consegue alugar uma toalha de rosto por US$2.

      Fui para um evento que era em um Hotel em frente a praça da independência, então era bem pertinho do Hostel, pontos turísticos e alimentação barata.

      Dei muita sorte de chegar no final de semana em comemoração ao Dia do Patrimônio, que a maioria dos museus estavam abertos no final de semana e melhor ainda 0800, nessa hora tenha foco e escolha muito bem o que deseja visitar, pq os Uruguaios costumam ir e as filas ficam enormes.

      A maioria das publicações que eu li, não indicavam local de refeições bons e baratos. Esse é o fator que mais me motivou a fazer o relato.

      Na maioria dos restaurantes você vai encontrar refeições individuais em uma média de 400 pesos para cima (acima de 40 reais) e no café você consegue gastar um pouco menos.

      Mas como todo brasileiro que não desiste nunca nas caminhadas da vida encontrei um café muito charmoso “Rincón Café” é uma portinha, mas com bom atendimento, tortas maravilhosas e um bom café, oferece um desayuno por 145 pesos (com café, suco, pedaço de torta e tipo um pão de queijo ou cookie), se não tiver um desses na hora, ele faz sanduiche ou qualquer coisa para complementar seu desayuno que mais parece um almoço. Ele tbm oferece almoço, mas não tive a oportunidade de provar, mas pelo cardápio parecia ser bom e com preço melhor ainda.

      Depois de 4 dias na cidade encontramos um almoço muito bom e barato o restaurante da Tia Maria (intimidade de quem ia com uma galera de 10 pessoas) que chama “Coristanco - Casa de Comida” fica na rua Ituzaingó, próximo a praça Matriz/ Constituição, ela é muito simpática e adora brasileiros.

      Para jantar, foi um probleminha, como fiquei bem no centro da cidade velha, a maioria dos locais fecham até as 19 horas, então nesse horário ainda não estava com fome, na maior parte dos dias, jantei poucas vezes. Mas em uma das vezes após a chegada do passeio em Punta, jantamos no Bar Sarandi, preço muito bom e boa comida, ele fica na esquina entre a rua Washington com rua Colón.

      Minha preferência de bebidas é a cerveja artesanal visitei apenas dois bares o “Ciudadela Bar de Cervezas” na rua Ciudadela e um barzinho na rua Bartilomé Mitre (não é o El Pony Pisador – meus amigos foram e não indicam jamais). Meus amigos foram em uma que chama “Baika Birras Uruguayas” na rua da Piedras.


       
      Graças ao destino fomos parados na praça por uma moça chamada Melissa que nos ofereceu pacotes de turismo. De fato galera não encontramos melhor preço, melhor guia e melhor agência (Master Turismo). Para Punta pagamos R$ 160, tbm oferecem outros pacotes. Nosso guia foi o Sérgio (@bemvindobrasileiro) é um baiano, muito gente boa e paciente, vale muito a pena seguir o instagram dele e tbm se tiver a oportunidade de fazer um passeio com ele.

      Agora para as comprinhas nada como fortalecer o empreendimento de nossos amigos brasileiros no Uruguai, Ana é uma das proprietárias, nos atendeu com honestidade, carinho, respeito e simpatia, a loja se chama “Gaúchos – Uruguay” localizada na rua Pérez Castellaño, nas proximidades do Mercado do Porto.


       
      Acho que é isso, qualquer dúvida só perguntar.

      Abraço

    • Por Carlos FD
      E aí companheiros e companheiras mochileiros, tudo em cima?

      Depois de mais de 08 anos cadastrado nesse fórum, lendo e aprendendo com um monte de relato, finalmente chegou a hora de dar minha contribuição por aqui. Depois de planejar várias vezes uma eurotrip (achei, inclusive, um post meu de 2013 já com esse planejamento aqui), a mais recente agora no início de 2019 em que cheguei a comprar as passagens mas acabou não rolando por burrice minha, finalmente essa viagem vai sair.
      Na terça feira que vem (24/09) eu pego a pista rumo à Barcelona. Pretendo fazer um relato de viagem em tempo real, como o nome do tópico sugere. Eu acho que não teria paciência pra fazer tudo de uma vez no pós viagem e também não quero aperto de mente de ter que me preocupar de lembrar de tudo. Então pretendo escrever o que de relevante aconteceu no dia, conforme a viagem for progredindo.

      Não sou fã de textão nem de coisas muito elaboradas, tampouco fotos perfeitas, então não esperem padrão de qualidade blogueirinhos e blogueirinhas rycos e phynos. Minha principal preocupação vai ser com a parte financeira. Cada centavo gasto será colocado aqui.

      Feitas as apresentações, vamos falar um pouco do roteiro que, já adianto, não é fixo.

      A entrada e a saída será por Barcelona. Comprei ida (24/09) e volta (05/11) saindo de Salvador por R$ 1.866 com taxas (AirEuropa). O seguro da viagem (42 dias) ficou por R$ 386,00 pela TravelAce. De BSN vou para Munique pela Vueling (R$ 212.76, cartão de crédito direto no site da companhia) já que a Ryanair tá com uma política de bagagem que não atende ao que eu quero. Assim que chegar em Munique, sigo para Nuremberg, que será minha hospedagem durante a Oktoberfest.

      A ideia pós oktober é fazer Praga-Berlim-Amsterdam-Antuérpia-Bruxelas-Londres. No entanto, ainda estou em dúvida sobre os locais da Bélgica. Vou deixar pra decidir na hora e com a ajuda de quem estiver acompanhando. Em Londres, tenho basicamente 8 noites. Mais pra frente pedirei ajuda sobre o que fazer, pra onde ir.

      No próximo post eu vou trazer alguns custos que integram a pré-viagem.

×
×
  • Criar Novo...