Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

u2aninha

BOGOTÁ-SAN ANDRES-PROVIDENCIA - MAIO 2016

Posts Recomendados

Antes da viagem:

Compramos a passagem rio-bogotá-san andrés e san andres-rio com bastante antecedência na Avianca por R$ 1377,74 divididos em 6x.

Daí pesquisamos a hospedagem pelo booking e pelo airbnb.

Decidimos então conhecer a ilha de providência e como lemos relato que a ida de barco é horrível, optamos por ir de avião. Na internet tem relatos de duas companhias aéreas seabra e satena, mas só conseguimos informação da satena. No site deles tem preço e horários, porém quando você tenta comprar o site dá erro. Ficamos muitos dias tentando e nada. Daí Juliana escreveu para eles no chat online e mandaram um link para pagamento R$ 581,81 ida e volta.

Três dias antes de viajar eu passei a tomar diamox para não ter problema de altitude. Minha amiga não tomou e ficou bem, já minha irmã teve um pouco de dor de cabeça.

DIA 14 – Bogotá

Chegamos no final da tarde lá. Tem que lembrar que são 2h a mais que o horário de Brasília. O cambio no aeroporto é muito ruim, a sorte é que Juliana tinha pesos colombianos que comprou de uma amiga. No aeroporto galeão no rio é possível comprar alguma coisa no banco safra, mas eu te recomendo sacar no caixa automático em Bogotá ou trocar o suficiente para o taxi na casa de cambio do aeroporto de lá.

 

DICA: SEMPRE que chegar a um aeroporto procure a informação ao turista e pegue um mapinha de graça. Claro que dependendo do país, o mapa vai ter custo como na Europa. Mas o de Bogotá era de graça.

DICA: Esta serve para todo taxi em Bogotá: Pague ao taxista de forma a não ter troco ou ter o mínimo possível. É muito comum o taxista te dar o troco em notas falsas.

 

Pegamos o taxi que até a calendária custou 25.000 pesos. Estava frio, como era esperado em Bogotá.

Chegamos no apartamento do Rolo que alugamos pelo airbnb:. Duas suítes, sala, cozinha e uma área de serviço. Sem janelas, mas naquele frio não faz falta. Eu sou super alérgica e passei muito bem, porque não tem janela mas tem claridade. O chuveiro era elétrico e como estou acostumada com banho quente a gás, esquentei água e tomei banho de baldinho..rs.

Daí saímos para jantar a pé mesmo e como eu já conhecia de Cartagena, paramos no Crepe and waffles na Av. Jimenez. No caminho passamos por poucas casas de cambio aberta e a melhor estava com cotação de 1 real=730 pesos.

Você vai se apaixonar pelo crepe and waffles, eu pedi limonada de coco (5800 pesos) que é uma delícia e um crepe de pollo (frango) com cogumelos (14900 pesos). De sobremesa dividimos o mini waffles coffe Karamel (6900) que eu não vou descrever para não ouvir “para”, prefiro colocar a foto.

Na saída ainda pegamos o mercado aberto que fica pertinho na av. Jimenez mesmo. Gastamos 15 mil pesos com pão, água etc.

As meninas cansadas não toparam conhecer a casa Andrés carne de res que fica em Chia. Eu já tinha feito a reserva no Brasil.

 

DICA Essa dica não é minha, mas de uma amiga de confiança: Se você quer curtir a noite, não deixe de ir ao Andres Carne de Res de CHIA. O melhor dia para ir lá é sábado e tem que reservar. Na reserva pelo site tem que dizer o horário de chegada. Pelo que ficamos sabendo a casa fecha às 3h. Só tem transporte público para chegar, parece que só funciona até ás 23h. e você vai querer ficar até o final. Então isso implica em gasto com taxi ou uber. Como a balada fica distante dos bairros centrais, você gasta mais de uma hora se transportando para chegar, daí fica bem carinho. Pelo que assuntei, ida e volta de taxi daria 240 mil pesos, pelo uber coisa de 180 a 200 mil pesos.

 

Hospedagem airbnb no Spacious 2 room flat Candelaria – 4 noites R$ 625,00

Taxi aeroporto candelária – 25000 pesos

Jantar crepe &waffles – 24100 pesos/pessoa

Mercado -15000 pesos

https://www.airbnb.com.br/rooms/6262230

http://crepesywaffles.com.co/pos/detail/las-aguas

Avenida Jimenez No. 4-55 - Sótano |Teléfono 57 + 1 6767600 Ex 729

Horarios Lunes a Jueves 11:45 a.m. a 8:30 p.m., Viernes y Sábados 11:45 a.m. a 9:00 p.m., Domingos y Festivos 11:45 a.m. a 5:00 p.m

 

Dia 15 – Bogotá - Usaquen

Saimos de manhã caminhando e o frio assusta. Tomamos café em loja das lanchonetes da rede GMA. Eu comi um caputino (5200) e um croissant (3900).

Fomos ao museu do ouro que no domingo estava grátis. A gente se deu bem, porque achamos que teríamos que pagar. Lá tem muita coisa para ver. Não deixe de ir. É imperdível.

Dica: Se você nada em dinheiro, ainda sim recomendo que não compre nada na lojinha do museu, porque você vai encontrar muito mais barato e igual, eu disse igual, em outras lojas.

Saímos do museu e caminhamos em direção à catedral e paramos para comer em outra rede de fast food. Não faz cara feia naum, a gente tava com pressa. No presto eu comi combo super pollo (frango) a 16500 pesos.

Daí pegamos o transmilênio na Av. Jimenez para Usaquen, outro bairro. Para ir e voltar de Usaquen custa 4000 pesos por pessoa. Paramos bem na frente da feira de artesanato que só acontece aos domingos. Olha quando você entrar no transmilênio você tem que perguntar o ônibus que você pega, porque eu não anotei o número dele. Dentro do ônibus você precisa pedir para alguém avisar quando estiver perto da feira, só como referência eu saltei na K7-Cl 117 (carrera 7 com calle 117).

A noite resolvemos conhecer o Andrés carne de Res de Bogotá mesmo, porque o de Chia era longe e caro para ir. A hora que chegamos lá, umas 22h, já era fim de festa. A bebida cara (10 mil pesos uma cerveja). Tomamos um drinque que alguém tinha recomendado na internet e detestei. A decoração é interessante, o atendimento é horrível e enfim...deveria ter ficado em casa dormindo. Fomos e voltamos de uber. Eu esqueci de anotar mas se fosse taxi daria 30 mil pesos.

 

Café da manhã – 9100 pesos/pessoa

Almoço – 16500 pesos/pessoa

Ônibus usaquen -4000 pesos/pessoa

Taxi candelária – shopping retiro (ida e volta) -30000 pesos

Bebida +10% no andres carne de res – 26000 pesos/pessoa

Noite: http://www.andrescarnederes.com/andres-carne-de-res

Transporte: http://www.transmilenio.gov.co/es/articulos/uso-de-la-guia-general-de-servicios

 

Dia 16 – Bogotá- Mont serrat

Tomamos café da manhã na confeitaria que fica na mesma rua do apartamento do Rolo. Eu não anotei de novo, mas deve ter sido no máximo 12 mil. Muito bom.

 

CAMBIO: Conseguimos fazer cambio a 740 pesos/real e 2850 pesos/dollar.

 

Fomos então até o centro informação turística que fica na Praça Bolivar, a mesma que tem o capitólio. Lá agendamos para fazer o tour gratuito a pé nas ruas do centro. Só tem dois horários 10h e 14h. Fomos então a Casa Botero. Eu amei. Não lembro quanto custou a entrada. Comemos um salgado para não perder o tour que terminou às 16h.

Daí pegamos um taxi para nos deixar no funicular para mont serrat, custou 4800 pesos. Minha irmã se confundiu e deu 50 mil pesos. Nós alertamos para o erro e o taxista devolveu a nota, oporem já tinha trocado por uma falsa. Golpista veloz!

No funicular você paga 18 mil pesos por pessoa. A vista ao final da tarde é bem bonita. Na volta não precisa pagar.

Decidimos ao anoitecer que iríamos a um shopping e nos indicaram o El retiro porque não teria trânsito. Antes de ir eu perguntei até que horas estava aberto e me responderam até 22h. Chegamos lá 19:45h e as lojas fechavam as 20h. De fato o prédio fica aberto até 22h!

O taxi de Montserrat ao shopping custou 15000 e do shopping até o apartamento 12000. Deu tempo de jantar no crepe and waffles do shopping. Desta vez escolhi um pão com recheio de pollo ao curry. Gastei com bebida 27 mil pesos.

 

Café da manhã completo -12000/pessoa

Salgado no Juan valdez – 4500

Taxi candelaria – Montserrat -4000

Taxi Montserrat – shopping retiro -15000

Taxi shopping retiro – candelaria -12000

Jantar no crepe &waffles – 27000/pessoa

Casa de Cambio – Av Jimenez 5-81

 

Dia 17 – Bogotá/Zipaquirá/Bogotá

Comemos no apartamento mesmo as coisinhas que compramos no mercado.

Pegamos o transmilênio na estação museu do oro, daí descemos na estação Jimenez e lá pegamos o trasnmilênio para o portal norte (custou 4 mil ida e volta). Os números que você pode pegar são B73, B74 ou B1. Desce no ponto final e desce a rampa ao final do corredor, depois sobe uma escada e sai na roleta a sua direita. Lá você vai pegar um micrônibus, que lá se chama buseta. Está escrito zipa no ponto. A ida custa 4800, mesmo preço para voltar. O cobrador é igual de van, vai passando para pegar dinheiro e para em cada ponto ao longo do caminho gritando “zipa”. Prefira sentar perto da janela, porque foi enchendo ao longo do caminho. Um verdadeiro cata osso. Peça ao cobrador para te avisar quando chegar a zipa.

Chegando em zipa, não pegue o taxi como muitos sites recomendam, ande até a rodoviária e lá pegue o trenzinho turístico que sobre até a catedral. Além de ser mais agradável, sai mais barato, porque você compra o ingresso como se fosse colombiano e indo de taxi você paga o preço de turista, que é mais caro. Infelizmente pegamos o taxi que custou 4500 e lá em cima pagamos 50.000 por pessoa (o bilhete era o mias básico, excluindo a mina subterrânea, o paredão de escalada e outra coisa que não lembro). A mina estava fechada e durante o tour pela catedral você acaba vendo uma explicação sobre a mineração). A visita a catedral é guiada em espanhol ou inglês. Lá embaixo tem um filminho 3D que é bonitinho e as crianças também gostam. Tem lojinhas. Do lado de fora da cidade nós não vimos lojinhas de artesanato. Mami ficou sem imã de geladeira. No banheiro eles cobram 200 pesos na máquina de papel higiênico. O problema é que é em moeda e a moeda tem que ser das antigas. Melhor ter lencinho de papel na bolsa.

Descemos da catedral de trenzinho (4500). O trenzinho passa pelo centro de Zipa, mas como estava chovendo, decidimos almoçar perto da rodoviária e voltar. O almoço foi o momento perrengue da viagem.

Entramos em um restaurante de frango (pollo). Juliana se deu bem porque pediu uma canja. Eu e Luísa pedimos um prato que veio pescoço de frango recheado. O aspecto era bizarro, não tive coragem de experimentar. O resto do frango estava muito ruim, assim como o arroz. Então comi apenas uma mandioca e ainda paguei 18 mil pesos.

Nós levamos o dia inteiro, saímos às 8h da candelária e chegamos 19:40h, porque tem trânsito na volta.

A noite jantamos no restaurante Jimenez um combo com sopinha, salada, sanduiche e suco. Paguei 16 mil.

 

Transporte candelária –portal norte (ida e volta) -4000 pesos/pessoa

Buseta Portal norte-zipa (ida e volta) – 8000 pesos/pessoa

Taxi zipa –catedral – 4500 pesos

Trenzinho catedral – rodoviária zipa – 4500 pesos/ pessoa

Almoço -18000 pesos/pessoa

Jantar no Jimenez – 16000 pesos/pessoa

Av. Jimenez esquina com Cr.5

 

DIA 18 – Bogotá/ San Andres

Pela manhã tomamos café em uma padaria francesa também na rua do apartamento, Calle 13C. Custou 8500 e estava maravilhoso.

Daí fomos a umas lojinhas de lembranças a caminho do museu do ouro, porque as que ficam na direção oposta, em direção ao capitólio só abriam as 9:30h. Não esqueça de pechinchar sempre.

Depois passamos na cafeteria Juan Valdez para comprar café. O café é uma das especialidades da Colombia e essa cafeteria vende vários tipos de pó, grão e balinhas para presentear. A cafeteria Juan Valdez fica bem pertinho da Casa Botero.

Daí seguimos de taxi para o aeroporto. 17 mil pesos. O taxista mesmo vendo que a gente tava atrasada nos deixou no terminal 1, mesmo eu tendo repetido várias vezes que era terminal 2. Conclusão: perdemos o voo. Porque o terminal 2 fica antes do 1, tanto o ônibus gratuito do aeroporto, quanto um taxi, tem que fazer um retorno que custou 10 mil e foi em vão.

O voo para san andres é ponte aérea e dura 2:00h. Pagamos 85 mil para remarcar. No aeroporto você compra a tarjeta de turismo, obrigatória para entrar na ilha. Custa 52.800 pesos, independente do numero de dias. ATENÇÃO: Guarde os papeizinhos muito bem, porque você vai precisar deles e se não tiver tem que pagar de novo.

Na remarcação do voo, duas de nós pegaram o voo das 15h e uma ficou no voo das 19h. As duas que chegaram as 17h na Ilha, foram ao mercado Supertodos comprar água e etc a 13.350 pesos e andaram a pé um pouquinho.

O taxi aeroporto até a pousada San Martin custou 14 mi pesos. É tabelado não há taxímetro. A pousada fica bem no centro, dá ir a uma praia e sair para almoço e jantar a pé. A pousada também tem quarto compartilhado. A gerente é maravilhosa, ficamos apaixonadas por Alcira. Os pacotes que a pousada vende têm o mesmo preço que comprando direto.

Com o grupo completo fomos jantar no 80’s. Eu paguei 34 mil pesos, mas porque tomei um alcoolzinho.

 

Café da manhã – 8500 pesos/pessoa

Taxi candelária – aeroporto Bogotá- 17000 pesos

Taxa turística san andres – 52.800 pesos /pessoa

Taxi aeroporto san andres/pousada centro san andres – 14000 pesos

Jantar no 80’s com drink – 34000 pesos/pessoa

Esse restaurante fica no terreno do hotel Sunrise, na carrera 1 com calle 4b. A decoração é toda com brinquedos dos anos 80. As musicas também desta década.

 

Pousada/albergue San martin Av. providencia 2A-89, torices

[email protected]

Tel 317.680.8617

 

Dia 19 – San Andres

Pela manhã fomos comprar uma sapatilha, porque no relato da internet estava escrito que as praias têm pedras/corais e pode cortar o pé. Tem sapatilha para todo preço, mas eu comprei por 15000 pesos. Muita gente tava usando croc nas ruas.

 

DICA: Você só precisará de sapatilha no passeio de barco. Para praia do centro eu não vi necessidade. A máscara e o snorkel conseguimos compra por 18 mil, embora a média de preço seja 30 mil.

 

Fomos à praia do centro e lá conhecemos dois brasileiros que nos deram dicas. O passeio de barco para Johnny Cay estava fechado por conta das condições do mar, então ele nos aconselhou a fazer assim que abrir, para não perder a oportunidade de conhecer, porque pode fechar vários dias seguidos.

O almoço com sopinha de entrada, prato principal com arroz, peixe e fruta pão e suco custou 16 mil pesos.

Capítulo a parte para a fruta pão: Lá eles cortam bem fina e fritam e fica uma delícia, substituindo bem a batata frita.

Depois do almoço ficamos olhando as lojas de produtos importador, la Riviera, attenza, perfumes, maquiagem, óculos, bolsa, tudo que vc aprecia no Duty Free. É para pirar o cabeção. Tem também muitas drogarias. As bebidas lá são baratas. A vodka absolut de 750 ml 35mil pesos, a batata Pringles menos de 10 mil. Só tenha cuidado com as falsificações, por isso recomendo a attenza, la Riviera e a JR, porque são lojas que existem em outros países como duty free do panamá. Outro cuidado é a validade do que você tá comprando.

Desistimos de ir ao noche blanca que é uma festa em um barco com todos vestidos de branco, bebida e comida liberada. Assim aproveitaríamos melhor a manhã seguinte e economizaríamos.

Então fomos ao CocoLoco a boate que toca bastante Regaton e um pouquinho de salsa. A entrada é paga 20.000 pesos.

 

CÂMBIO: em san andres é bem pior que o de Bogotá o dólar estava 2823 pesos. No dia seguinte estava 2820. Disseram na internet que eles não aceitam real, então não tinha reais para trocar, pois havia trocado tudo em Bogotá. Fizemos um saque no cartão de débito banco do Brasil e incluindo a taxa de serviço, sacamos 600 mil pesos e pagamos 788,83 reais. Ficou melhor sacar.

 

Sapatilha – 15000 a 18000

Mascara +snorkel – 18000 a 30000

Almoço -16000

Entrada Cocoloco- 20000

Cambio: Bancolombia só dólar: 1 dolar=2823 pesos

Dia 20 – san andres

Alugamos uma mulete, um carrinho par duas pessoas e ficamos as três bem compactadas para dar a volta na Ilha. Custo 100 mil com tanque cheio e sem necessidade de abastecer na entrega do carro. Pega pela manhã e devolve ao final da tarde. Não exigem apresentação da carteira de motorista, basta o passaporte. Não deixe nada no carro quando parar e nem use a caçamba, porque uma moto pode catar seus pertences e sair correndo. Assim me explicaram. Fundamental é óculos de sol, porque o carrinho não tem vidro.

Na pousada San Martin, a Alcira havia nos dado um mapinha da Ilha e explicado onde era legal parar.

Depois de parar bastante ao longo da estrada para fotografar, estacionamos no West View, onde você paga 4 mil por pessoa para entrar, recebe um inaceitável punhado de pão de forma para alimentar os peixinhos. O lugar estava lotado. Tem que alugar um locker para deixar as coisas de valor. A atendente diz que a proprina é voluntária, kkk..quer dizer que é obrigatória, mas você decide o valor.

Tem um tobogã e um trampolim. Não tem areia, você desce uma escada nas pedras e cai direto na água. Não é perigoso. Eles alugam sapatilha, snorkel e colete salva-vidas, porque não da para ficar em pé na água. O colete custa 5 mil e eu não aluguei, as sapatilhas eu usei, mas sinceramente poderia passar sem elas e o snorkel e mascara devem ser levados mas com aquela zueira quase não vi peixe. É lá que o povo mergulha de escafandro e tira foto com uma estatua de netuno no fundo do mar.

Depois pegamos o carro e paramos para olhar o la piscinita, como já era hora do almoço e perdemos tempo no West point, decidimos não entrar na piscinita. Lá você também teria que pagar 4 mil, mas parecia mais sossegado, também não tem areia e a diferença é que você não pode entrar nem com comida nem com bebida.

Não pare no hojo soprador, porque tem um monte de ambulante que vai querer te vender um drink para você estacionar e vai querer tirar foto sua e blábláblá...pare no restaurante ponta sur e ande até o hojo soprador, que nada mais é que um buraco nas pedras, exatamente no piso, onde você se posiciona ao lado e quando vem a onda, ela sobe fazendo pressão, leia-se muito vento e água do mar em você.

No restaurante ponta sur, não deixe de ir ao terraço fotografar. Nós pedimos um peixe maior de 48 mil, uma porção de arroz e uma de batata frita e mais 4 refrigerantes e deu 77.500 com 10% de taxa de serviço. Não achei a comida em quantidade boa para três. Enquanto você espera o almoço pode ficar de bobeira na piscina artificial, porque lá o mar é agitado, então não tem escada para descer das pedras com no piscinita.

A ultima parada para banho foi na praia São Luis, puro sossego com faixa estreita de areia e banco de corais no meio do mar. Pode largar as crianças porque é rasa.

Terminando a tarde, subimos como Alcira nos indicou na Torre da Igreja batista, onde pagamos 3 mi pesos/cada para entrar. A igreja foi a primeira da América do Sul e a subida da torre é desconfortável, então se tem problema de locomoção ou vertigem, eu não aconselho. Lá em cima só tem espaço para três pessoas no máximo e não tem segurança para criança. A vista é bem bonita, porque dá para ver a Ilha toda.

Aluguel mullete (para 2 pessoas ou 3 bem magrinhas) – 100 mil pesos

Martinez rent a Car – fica na carrera 1 um pouquinho depois do 80’s (sentido la regata) na calçada oposta ao restaurante.

 

West view entrada – 4000 pesos/pessoa (lembra que tem que pagar o locker. Nós demos 4000)

Torre da igreja batista -3000 pesos/pessoa

Almoço no punta sur – 25850/pessoa

 

Dia 21 – San Andres/Providencia

Como o voo é econômico existe um limite de peso da sua bagagem. Deixamos nossas coisas na pousada San martin e levamos roupa suficiente para os dias em providencia. Tivemos que chegar ao aeroporto de san Andres com bastante antecedência, porque se você demorar, podem vender seu lugar e só existem dois voos por dia.

No aeroporto além da malinha que é despachada, você também é pesada com seus pertences de mão. Não se esqueça que terá que apresentar o papel de turista que você usou para entrar em san andres. Eles vão destacar uma folha e deixar com você uma outra folhinha amarela que você terá que mostrar na volta de providencia.

O avião é um bimotor, então se tiver medo de voar, não tenha dúvida...vá de barco! São só trinta minutos, mas chacoalha bastante e tem cheiro de combustível. Fique atento à fila na porta do embarque, porque não existe cadeira marcada no avião. É por ordem de chegada. A vista de providencia do alto é linda. Eu sentei do lado do piloto e achei bonita.

O aeroporto de providencia é mais bonitinho que o de san andres. Na chegada tem uma funcionária municipal que tira suas dúvidas e dá um mapinha. Ela nos aconselhou a tomar um taxa para san felipe, onde fica a pousada ocean view que reservamos pelo booking. O taxi custou 25mil.

O quarto era uma gracinha e fomos caminhando até o mercado comprar um galãozinho de água a 7500 pesos. É uma subida boa. Lá compramos água e etc e alugamos um carrinho com o Richard que fica ao lado do mercadinho na localidade de águas doces. Alugamos de 19h até as 8h do dia seguinte por 90 mil.

Daí fomos jantar lá em águas doces mesmo, no caribbean café. Nós comemos um fantástico ceviche de peixe leão que lá é uma praga. Então não fique com pena de comê-lo. Pedimos dois peixes com gengibre e uma porção extra de batata, um suco, um refrigerante e uma cerveja. Tudo igual a 120 mil pesos, totalmente bem pagos. Inacreditável que pagamos só 40 mil por pessoa e a comida era deliciosa. Tivemos a sorte de ouvir uma cantora ao vivo, sem pagar nada a mais. A gorjeta é livre.

De carrinho partimos as 23h para o bar do Roland que fica na beira da praia na praia de manzanilla. Não tem como ir a pé, porque é bem longe de águas doces, mas se tiver só, pode pedir um moto taxi. Tem em todo canto. Na verdade, a maioria lá se locomove de moto e dai, leva o turista por 4 mil ou 5 mil.

Ele cobrou 10 mil por pessoa para entrar, mas dos locais não cobra nada, só dos turistas, o que é justo porque tem um show ao vivo. Todos sabem onde fica o bar do Roland. Roland é uma pessoa maravilhosa. O ambiente é ótimo, simples com bancos de madeira e árvores em volta, uma fogueira que deve ser para espantar mosquito. Bom...a cerveja custa 4 mil pesos e os drinquetes 15 mil/cada. Eu pedi uma piña colada, mas achei muito doce e com pouco run. Não sei dizer se tem algo par comer. Acho que quando não tem show a entrada é grátis.

 

Taxi san andres centro –aeroporto – 14000 pesos

Lanchinho no aeroporto -8000 pesos/pessoa

Taxi aeroporto providencia – pousada em san felipe – 25000 pesos

Mercado – 7500 pesos

Aluguel de mule (para até 4 pessoas) de 19h até 8h – 90 mil pesos

Richard 315.216.1524

 

Hospedagem Ocean View booking

Jantar Carribean Café – 40.000 pesos/pessoa

Bar Roland entrada – 10000 pesos/pessoa

Dia 22 – Providência

Pela manhã seguimos de carro até o escritório de Felipe Diving em águas dulces, na beira da praia. Eu nunca tinha mergulhado e nem pretendia estrear, mas as meninas já tinham mergulhado uma vez e decidiram repetir. Felipe falou para eu assistir as instruções e se ficasse com medo poderia desistir e não pagar nada. Beleza. Fiz o mini curso, depois de preencher questionário e assinar papelada como se fosse mergulhar. Depois fomos para praia no rasinho para treinar. O Pit, meu instrutor, foi fundamental porque com suas piadas, ele conseguiu me acalmar. Depois o grupo foi para o barco. Medão, mas Felipe me segurou na minha mão o tempo todo e eu fui a última a sair da água. O grupo foi cercado por tubarões, e como eles são bem alimentados, não me pergunte a espécie...olha ai na foto, ok? ..., eles ignoraram a gente. Tudo lindo. As fotos foram parar no meu pen drive por 30 mil. Custou 170 mil por pessoa e achei que valeu cada centavo. Eu não achei a água gelada como aqui no rio, então não usei a roupa de neoprene, mas ela está incluída no pacote assim como todo o equipamento, exceto as fotos, que paga a parte. Se não tiver pen drive, custa 40 mil. Acho que vou voltar a mergulhar. Foi uma experiência fantástica.

Depois do mergulho fomos almoçar e como era domingo só tinha um restaurante aberto em águas doces, o rosas del mar, ou algo assim, que fica dentro de um hotel. O prato com suco custou 32 mil pesos.

Alugamos novamente a mule com Richard, desta vez por 100 mil, pois ainda não tinha escurecido. Fomos atravessar a ponte para Isla catalina no centro. A ponte é para pedestres. Na ilha dá para subir uma escada e ver a imagem de uma santa e os canhões históricos. Descendo pela mesma escada é possível nada em uma praia bem pequena.

Depois da visita a Ilha catalina, demos a volta na ilha para apreciar a paisagem no final da tarde. Decidimos dormir em vez de ir visitar o bar do Roland de novo.

Mini curso + mergulho -170 mil pesos/pessoa

Fotos no CD 40000 ou no pen drive 30000 pesos

Felipe Diving – águas doces

 

Almoço -32000 pesos/pessoa

Aluguel mule Richard -100 mil pesos

Dia 23 – Providência

Fomos ao centro da Ilha e sacamos dinheiro no banco, depois devolvemos o carrinho e fomos ao passeio de barco para Cayo Cangrejo (caranguejo). Pega-se o barco pela manhã, as 9h na praia de águas doces e cada pessoa para 40 mil, independente do numero de pessoas no barco, o que facilita a vida de quem viaja só.

O barco passa por debaixo da ponte que vai para Isla Catalina, por sorte quando o guia perguntou, todos disseram eu preferiam ir direto a cayo cangrejo, em vez de parar perto da ponte. Na entrada de cayo cangrejo é obrigatório o pagamento da taxa que não está incluída no passeio e custa 16 mil por pessoa.

Andar por lá é muito bonito. As cores da água do mar vão ficar na minha memória para sempre. Não esqueça de levar a máscara e o snorkel, porque mergulhando lá, nós vimos uma pequena tartaruga marinho e muitos peixes. Outros turistas disseram que viram arraias. È proibido jogar pão para os peixes, o que me deixou aliviada.

Na volta de cayo cangrejo, o barco para no restaurante na beira da praia, chamado divino nicho. Ele pode te deixar lá para aproveitar o resto do dia ou te esperar almoçar e retornar a águas doces. Nós preferimos ficar, porque depois do almoço, dormimos na rede e aproveitamos a praia.

O almoço no Divino nicho é muito bem servido e barato. Deu 32 mil para cada uma com suco. A comida é ótima. Pedimos um peixe é claro.

Para voltar para San Felipe, pedimos um moto taxi que deu 4 mil para cada. E daí já combinamos o transporte da noite.

Fomos jantar no melhor restaurante da Ilha o Deep Blue.Para comer lá, tem que reservar. A dona da pousada fez isso para gente pela manhã.

Comemos muito, mas muito bem no Deep Blue. A comida é bem servida e deliciosa. Tomei uma limonada de coco com run, teve uma entrada e um prato com peixe, lagosta e camarão empanados e com molhos maravilhosos. Pode pagar no cartão de credito, mas tem que pagar até 22h, porque você paga na recepção do hotel e não no restaurante e a recepcionista só fica até 22h.

Nossos mototaxistas chegaram e fomos ao bar do Roland. Não tem como enjoar do bar do Roland. Mesmo sendo uma segunda estava vazio, mas com música boa.

 

Passeio de barco águas doces – cayo cangrejo – 56000 pesos/pessoa

Almoço restaurante Divino Ninho -32000 pesos/pessoa

Mototaxi -4000 pesos/pessoa

 

Dia 24 – Providencia/San andres

Muita tristeza de deixar providencia. As pessoas lá são incríveis. Muito honestas e de bem com a vida. Quero voltar a esse lugar. Pela manhã voltamos no Felipe para pegar o pen drive e ficamos na praia lá mesmo. Depois almoçamos no Caribbean Café e só mudamos o peixe do prato principal. Entrada de ceviche de peixe leão e peixe leão com manteiga de gengibre...uauuu.

Saindo da pousada, pegamos o taxi por 25 mil até o aeroporto e voltamos para San Andres com uma marmitinha do Deep blue a tiracolo.

De volta a San Martin a Alcira nos deixou a vontade para esquentar nosso peixinho na cozinha da pousada. Só tivemos que comprar uma porção de arroz e frita pão no restaurante de esquina, onde aliás servem prato feito a 9 mil com suco.

 

Dia 25 - San Andres

Aproveitando que Johnny Cay abriu na véspera, finalmente fizemos o passeio que custou 30 mil pesos, incluindo o aquário e o imposto que você paga no porto mesmo. Demora bastante para entrar no barco e partir. É uma ilha lotada de gente, vazia deve ser bem bonita..rs. Como tem muita gente, você acaba tendo que alugar um locker a 7000 pesos. Andando um pouco se afastando da galera, dá para aproveitar o tal aquário e ver uns peixinhos. Lá no aquário você pode ir tocar uma arraia, que é o que chamam mantarrayas. Sinceramente dá pena delas, parecem bem estressadas com a situação.

Saindo do aquário o barco te deixa em outra ilha, essa maior, com praia, onde você pode almoçar, mergulhar, deitar no gramado atrás dos restaurantes, ou se afastar da galera e curtir o outro lado mais sossegado.

Decidimos comer um peixinho como petisto a 35000, então ficou bem barato para cada.

Voltamos ao final da tarde.

Jantamos no PF um frango. Uma delícia pagamos 9 mil pesos.

 

DIA 26 – San Andres

A gente esqueceu que era feriado e saímos tarde da pousada. Pegamos o ônibus para San Luis, o letreiro é verde e o ponto de ônibus é bem perto da pousada. Pedimos para ficar no hotel Decameron, onde pretendíamos passar o dia comendo e bebendo a vontade no day use que custa 40 mil pesos/pessoa, mas estava lotado.

Então ficamos na praia. Alugamos o locker por 5000 pesos e fomos caminhando até uma ilha. Quem tiver condições físicas, pode ir nadando até o navio naufragado. Nós ficamos no snorkel perto da ilhota. Bacana que lá tem um camarada que não deixa você pisar no fundo, tem que boiar para não destruir os corais. Pelo menos em algum lugar de san andres, alguém se atentou para a vida marinha!

Para almoçar andamos pela areia da praia do hotel decameron até o restaurante Grog, que tinha sido recomendado por alguém na internet. De fato tudo que pedimos nesse restaurante estava perfeito. Eu finalmente tomei o cocoloco, a bebida famosa. Que leva run, vodka, aguardente e tequila por 16000 pesos. Pedi um risoto de arroz de coco com camarão. Eles cobram 10% de gorjeta (propina). Gastei 31500 pesos e fiquei com vontade de voltar a comer lá.

Pegamos o ônibus de volta.

A noite uma pizza com suco a 15000 pesos/pessoa, mas não estava boa então não vou recomendar aqui.

 

DIA 27 – DIA DE VOLTAR PARA CASA.

Almoçamos no PF e pegamos um taxi a 15000 para o aeroporto.

Sempre que eu viajo, faço amigos. Desta vez não foi diferente em San Andres deixamos a Alcira e uma família de Medellin mega simpática. A gente acabou não pegando o contato do Bruno que nos deu muitas dicas.

Em Providência, nós conhecemos o Luis, o Clinton, Felipe, Pit e Cobra. Eles foram muito atenciosos com a gente.

Eu teria ficado mais dois dias em Bogotá, mais um dia em San Andrés e mais uma semana em Providencia, se eu pudesse.

20160514_190644.jpg.e762bd3e6a4abfeb8a9c041336ba31fd.jpg

20160515_133352.jpg.b8da6c5347a5cbb227e133581c3574a2.jpg

20160516_150210.jpg.bbececb4e306f930caaa56a7228361d7.jpg

20160516_192846.jpg.5c6b38e9b6c9e90dd66c8486bd5fda9a.jpg

20160517_121441.jpg.37a153b5fd5b3dfadc9629d3711455dd.jpg

20160519_123937.jpg.d5033c98c6c4948a7f1d29e892b63345.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Te cobraram algo na pousada de San Andres para ficarem com sua bagagem enquanto vcs foram pra Providencia? Amei o relato super detalhado! Usarei o máximo que puder na minha ida a Colômbia em 2020! 😊

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi. Obrigada. Não cobraram nada para guardar nossas coisas. Depois da viagem, posta aqui o relato pq vai ter informação mais atualizada. Bjins

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...