Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Romeu Bart

Trekking 8 dias - CHAPADA DIAMANTINA agosto 2016 ( Relatos, Gastos e Roteiro ) Vale do Patí e Vale do Capão

Posts Recomendados

Trekking 8 dias Vale do Patí e Vale do Capão - CHAPADA DIAMANTINA - AGOSTO 2016

 

VÍDEO DO TREKKING COMPLETO: ( CLIQUEM EM HD )

 

Informações úteis sobre gastos, e sobre economizar no seu trekking ( coisa q eu não consegui fazer por falta de informação )

 

Período da viagem toda 01/08/16 á 15/08/16

Período do Trekking 06/08/16 á 13/08/16

 

Saída de: São Paulo/SP á Salvador/BA

 

Gasto total da viagem: R$ 2.800,00

Gasto total somente do Trekking: R$1.600,00 ( Gasto do guia, com alimentação inclusa os 8 dias e hospedagem )

 

Roteiro da viagem:

 

Saída de: São Paulo x Salvador ( vôo de 2 horas )

Salvador x Lençóis ( ônibus 7 horas )

Estadia em Lençóis de 02/08 á 05/08 ( para pesquisa de guias e agencias )

Trekking de 06/08 á 13/08 saindo de Lençóis para Guiné e iniciando o trekking por lá.

Final do trekking no vale do Capão dia 13/08

Dia 14/08 sai do Capão destino Palmeiras para pegar o ônibus para Salvador

Dia 15/08 vôo Salvador x São Paulo

 

Roteiro do trekking:

 

Dia 1 - saindo de Guiné até a Igrejinha ( Vale do Patí )

Dia 2 - saindo da Igrejinha para Morro do Castelo ( Vale do Patí )

Dia 3 - saindo da Igrejinha para Cachoeirão ( Vale do Patí )

Dia 4 - saindo da Igrejinho para Vale do Capão ( seguindo pelo Gerais do Vieira )

Dia 5 - saindo do Vale do Capão para Cachoeira da Fumaça

Dia 6 - saindo da toca do macaco e seguindo para cachoeira do Palmital e finaliza em Lençóis

Dia 7 - saindo de Lençóis para a caverna do Lapão ( travessia de 1km no subterrâneo )

Dia 8 - saindo do Vale do Capão para subir o Morrão, finaliza no Vale do Capão.

 

Valores separados:

 

Passagens aéreas : R$ 410,00 ( ida e volta ) pela GOL

Ônibus de Salvador x Lençóis: R$ 75,00

Van do vale do Capão para Palmeiras: 15,00

Hospedagem em Lençóis: 35,00 diária ( 4 diárias )

Hospedagem no Capão: 25,00 diária ( 2 diárias )

Alimentação fóra do trekking: 235,00

Passeio de 1 dia: 200,00 ( fóra do trekking, passeio contratado em Lençóis com agencia para Grutas, pratinha e Pai Inacio )

Trekking de 8 dias : R$ 1.600,00 ( valor do guia, incluso alimentação e hospedagem nos 8 dias )

 

RELATOS:

 

Iae galera, vamos lá. Antes de fazer essa viagem, pesquisei aqui no mochileiros.com e em outros sites, buscando informações uteis de como fazer um trekking econômico e sem gastar muito ( não consegui fazer isso, pois as informações sempre eram antigas de pelo menos 2 anos anteriores, ou seja, os valores mudam, tudo sobe de valor. Ou em alguns relatos as informações sobre valores são limitadas, dificilmente encontramos relatos que falam valores totais e separados, coisa q realmente é muito útil para quem quer fazer a mesma trip e não tem noção de quanto irá gastar ). Então, por falta desses valores totais, resolvi juntar uma grana e ir na cara e na coragem e pesquisar lá. A cidade principal de entrada na Chapada é Lençóis ( cometi um grave erro em iniciar tudo por lá, pois em Lençóis tudo é focado no turismo "gringo" e tudo é muito caro, desde agencias de turismo á guias avulsos). Cheguei dia 02/08 e fiz 4 dias de pesquisas em Lençóis, indo em agencias, indo na associação de guias da cidade e até encontrar um guia avulso que não faz parte nem de agencia e nem da associação ( Zé de Maninha, um nativo de 40 anos e já é guia a pelo menos uns 20 anos ), dei sorte de encontrar um grupo de franceses que tbm queriam economizar e fechamos com esse guia. Inicialmente o grupo era de 6 pessoas, e de 250,00 conseguimos negociar para 200,00 a diária por pessoa ( se vc esta achando caro, faça o trekking de 8 dias e depois vc verá que valerá a pena ter gasto isso, pois vc não se preocupará com nada, o guia fará todas as alimentações para o grupo e as hospedagens nas casas de nativos já estão inclusas ). Chegamos ao valor de 200,00 por pessoa a muito custo, pois o valor normal cobrado nas agencias em Lençóis é de 350,00 por pessoa a diária... e na associação o valor chega á 300,00 a diária por pessoa ... já no nosso caso, como era guia avulso conseguimos negociar após um dia inteiro de conversa, pois devido ao grupo ter 6 pessoas o guia resolveu sair do valor inicial de 250,00 por pessoa para 200,00 por pessoa ( dessa forma ficou agradável para todos, e com a ressalva de que não poderíamos falar sobre isso com ninguém rsrsrsrsrs, pois todos os guias tem uma tabela fixa a seguir ) Ou seja, entendendo os valores: Agencias 350,00 a diária por pessoa / Associação 300,00 a diária por pessoa / Guia avulso nativo 250,00 a diária por pessoa ( choramos muito e fechamos a 200,00 pq o grupo era grande ) .

 

Por que optei por guia?

 

Porque me senti mais seguro, afinal eu não conhecia nada na chapada e há muitos relatos de pessoas que fazem as trilhas sem guia e se perdem e passam por muitos problemas. Há um desaparecido desde dezembro 2015, um gringo espanhol q fez o trekking vale do pati sozinho, ainda está desaparecido, com cartazes com a foto dele colados em postes nas cidadezinhas das redondezas. Durante o trekking encontrei poucos aventureiros solitários fazendo as trilhas sozinhos, alguns já conheciam bem o local, pois já era a segunda ou terceira vez que faziam... ja outro que encontrei sozinho, era sua primeira vez lá, estava sozinho com o auxilio de um aplicativo de trilhas, porém ele já é bem experiente em trilhas, estava bem equipado, com vestimentas corretas, nesse caso ele estava seguro de sí. No meu caso, eu não estava seguro de mim rsrsrs para arriscar fazer um trekking de 8 dias sozinho em trilhas q não conhecia ( apesar de estar bem equipado e com vestimentas corretas )

 

Sobre guias:

 

Dependendo do seu bolso, vc pode optar em fechar direto com uma agência, valores mais caros, porém vc não terá trabalho para ficar pexinxando valores ou caçando guias mais baratos. Ou pode ir direto na associação em Lençóis que tbm tem seu preço fixo. Porém, se vc não esta com tanta grana assim, o ideal é sair pesquisando, existe muitos guias avulsos pela cidade, oferecendo passeios curtos, basta perguntar se fazem o trekking do vale do pati e do vale do capão, lembrando que, quanto maior for grupo mais fácil de negociar os valores. O guia avulso mais barato que encontrei foi de 140,00 a diária por pessoa, mas não senti confiança, pois o mesmo estava com um bafo de cachaça terrível rsrsrsrsr ... após 4 dias de pesquisas, encontrei o guia Zé de Maninha que já estava com um grupo de franceses e inicialmente eramos em 6 pessoas e negociamos um bom valor por pessoa. fechamos com ele. Existe muitos guias avulsos em Lençóis, muito cuidado, alguns são novatos e não tem nem noção de nada, estão alí somente pela grana, afinal 250,00 por pessoa a diária é uma baita grana. Cuidado!!! Abaixo vou indicar uma excelente guia.

 

Sobre em qual cidade é melhor para iniciar seu trekking:

 

A cidade maior e principal entrada na chapada é Lençóis ( mas não recomendo pois é muito cara ), Lençóis é bem estruturada com uma pequena rodoviária, no centrinho tem 2 mercadinhos, 2 farmácias, 1 agencia do banco do Brasil e 1 Lotérica e muitos restaurantes, 1 loja grande de roupas de trekking e vários utensílios, 1 agencia dos correios, 1 batalhão da PM, muitas agências de turismo e varios hostels e pousadas de valores q variam de 40,00 a diária há 400,00, além de ter super-megas hotéis de luxo de alto padrão. O que mais complica nessa cidade é o valor fixo tabelado dos guias para fazer trekking . Existem outras cidadezinhas menores, mais baratas, porém, menos estruturadas, que tbm fazem parte da chapada e são focadas no turismo, como: Andaraí, Guiné, Mucugê, Igatú e Vila do Capão ( todas elas tem agencias de turismo, hostels, pousadinhas, guias avulsos ) ... de todas essas conheci apenas a vila do Capão que faz parte do vale do Capão, é uma pequena vila, não existe bancos, apenas 1 mercadinho, varias pousadas e hostels e campings. Tem algumas pequenas agencias de turismo lá com valores fixos de diárias para trekking á 250,00 por pessoa , porém há guias avulsos tbm que de primeira lhe oferecem o mesmo valor de diária para trekking, porém se vc estiver com um um grupo razoável, esse valor pode cair bem... uma vez já estando na vila do Capão fica muito mais fácil de se iniciar a trilha para o vale do Patí por lá, sem a necessidade do guia ter q alugar um carro... o custo de um aluguel de um carro para fazer transporte até o inicio de alguma trilha sai muito caro. Por isso aconselho quem quiser economizar em guia, melhor é ir direto para a vila do capão e já vá com dinheiro sacado, pois lá não existe nenhum tipo de caixa eletrônico. Como chegar na vila do Capão indo direto de Salvador? Pegando o ônibus na rodoviária de Salvador com destino a Lençóis, na hora da compra da passagem, ao invés de vc informar q irá descer em Lençóis, vc avisa que vai descer uma cidade depois q é a cidade de Palmeiras, terá um acréscimo de uns 10,00 na passagem por isso... Descendo em Palmeiras já terá carros ou Van q vão para a vila do Capão á espera dos passageiros do ônibus, eles já abordam os turistas informando que tem carro ou van para o Capão, o valor é fixo e custa 15,00 por pessoa, e pronto, basta pegar esse carro ou van e descer no Capão. Lá é só procurar hostel ou camping que vc encontrará com facilidade. Tenho boas indicações do Capão: Hostel do Marivaldo ou Mariva ( Hostel trekking Bahia ) valores de diária a 30,00 por pessoa ... ou a pousada Sempre Viva com quartinhos separados com banheiro individuais, custo de 35,00 por pessoa e no mesmo lugar tem camping que custa 15,00 por pessoa. No Capão indico a guia Luana 75 992897498 Instagram @luanaharf ... excelente guia, conhece todas as trilhas do vale do patí e do vale do capão, seu valor médio é 250,00 a diária por pessoa, mas caso esteja com grupo grande pode ser negociável. vale muito a pena, pessoa de energia muito boa, 100% conectada com a natureza, centrada, educada e muito bem informada.

 

Sobre o aplicativo de trilhas:

 

existem vários aplicativos de trilhas, algumas pessoas já fazem uso, mas existe um pequeno problema nisso: o parque nacional da chapada diamantina é uma reserva florestal, e de tempos em tempos, algumas trilhas são fechadas para que possam se reestruturar de forma natural, pois devido ao grande fluxo de trilheiros, vegetações vão sendo degradadas e é preciso reestruturar isso. E com o aplicativo as vezes lhe mostrará uma trilha e na hora vc irá perceber que a trilha não existe mais, pelo simples fato dela estar em processo de reestruturação, a vegetação cresceu e cobriu a trilha. Nesse caso é muito fácil se perder. O próprio cara q estava sozinho com aplicativo, havia se perdido numas trilhas da cachoeira da fumaça por baixo, devido a vegetação já ter coberto toda a trilha. Sem contar q após o grande incêndio que teve na chapada no ano de 2015, muitas trilhas foram perdidas e muitas áreas estão em processo de reestruturação ambiental, com restrições de acesso. Nesse caso, melhor mesmo é fechar o trekking com um guia experiente, pois o mesmo tem o conhecimento e sabe por onde ir sem afetar as áreas protegidas. E com guia tudo é muito mais seguro.

 

Sobre o cuidado com a natureza:

 

existe aquela velha frase "leve seu lixo de volta com vc" , e essa frase é levada ao pé da letra mesmo pelos frequentadores da chapada diamantina, os próprios guias tem total conscientização disso e sempre alertam para não deixarmos nada durante o caminho, caso durante a trilha for encontrado algum lixo ou objeto o próprio guia recolhe para jogar no lixo na próxima cidade ( aliás, lixo quase não se vê nas trilhas da chapada, todos estão de parabéns pela conscientização e que continuem preservando aquele paraíso )

 

Sobre fazer suas necessidades "xixi e coco":

 

Assunto muito importante a ser tratado, durante as trilhas é inevitável não fazer "xixi ou coco" afinal, as vezes, dependendo da urgência, não conseguimos segurar. Então a melhor dica é fazer fóra das trilhas, numa moita qualquer, para não ter cheiros desagradáveis... já o seu "coco" é aconselhável cavar um pequeno buraco na terra fóra da trilha e depositar lá suas fezes junto com o papel higiênico, após o término, cubra com a terra. O papel higiênico se degrada muito rápido e não afetará gravemente a natureza.

 

Sobre o grande incêndio que devastou boa parte da chapada em 2015:

 

Segundo informações dos guias, o motivo do grande incêndio foi de uma turista carioca que fez "coco" e ao invés de enterrar o papel higiênico junto com as suas fezes, ela decidiu queimar o papel, com isso o fogo pegou na baixa vegetação seca da região e com a ajuda do vento se espalhou por boa parte da chapada e durou cerca de 32 dias de devastação. varias espécies animais morreram, a degradação ambiental ainda é visível nas áreas afetadas. E durante muito meses a população local ficou sem seu ganha pão, q é focado no turismo. Então é realmente importante não fazer nenhum tipo de fogo, nem fogueiras, sem jogar bitucas de cigarro, nem ter a brilhante ideia de colocar fogo em papel higiênico usado. ( VAMOS TER CONSCIÊNCIA )

 

Vale a pena fazer o trekking Vale do Patí?

 

Com certeza! rsrsr... se vc for uma pessoa que gosta da natureza, curte essa conexão, gosta de admirar paisagens, montanhas, vales, cachoeiras, bixos e aprecia o silencio e paz da natureza, então o trekking do Vale do Patí é ideal pra vc. Sempre houvi falar que o Vale do Patí era a trilha mais bonita do Brasil, e realmente é. Vale muito apena para quem curte trekking. Mas se vc não é adepto a longas caminhadas, oriento a não fazer, pq vale do Pati exige um bom esforço físico.

 

O que levar num trekking desse e como se preparar?

 

Foram 8 dia de trekking, caminhando durante 7h ou 8h por dia com a mochila cargueira contendo 10kg nas costas e a noite apenas descanso ( dormir ) para o dia seguinte fazer tudo dinovo. Então leve apenas o necessário levar... esqueça shampoos e condicionadores, perfumes e coisas q não serão uteis. Sobre se preparar fisicamente para um trekking longo desses, é fundamental. Eu já estou acostumado a trilhas e longas caminhadas, mas nunca havia feito um trekking de 8 dias seguidos, eu sofrí um pouquinho rsrsrs. Mas mesmo com todo o cansaço, joelho doendo e pés; Viver tudo aquilo valeu muito a pena. Conexão com a natureza, respeito mútuo, e as experiencias trocadas com outros pessoas. Não tem preço!

 

O que levei foi:

 

1 mochila cargueira de 60 litros da Quechua

1 mochila de ataque de 8 litros da Quechua

1 peça de roupa para fazer as trilhas durante o dia ( a mesma para todos os dias, só q todo final de tarde, eu lavava essa roupa e de manhã já estava seca, tecido correto para caminhada e trilha, secagem rápida e absorvição de suor )

1 peça de roupa para dormir ( calça leg específica dry-fit, bermuda dágua, camiseta manga longa dry-fit, e uma camiseta manga curta dry-fit .. esse tipo de tecido é muito bom pois mantém a temperatura do corpo, absorve suor e vc não sente frio, para a chapada q no mês de agosto chega a registrar 12º a noite dentro do vale do patí , passei muito bem somente com essas roupas... peças leves e que não fazem volumes e de secagem rápida )

1 bota para trilha

1 chinelo havaianas para tomar banho ou descançar os pés a noite

1 bolsinha necessaire, pequena, apenas pra guardar pasta de dente, escova de dente,sabonete, remédios, desodorante e pomadas

1 capada de chuva fina, e leve

3 pares de meia dry-fit

4 cuecas dry-fit

1 oculos de sol

1 bastão para trilha ( isso foi fundamental para mim, algumas pessoas não usam )

1 garrafa de alumínio 1 litro de água

Comprimidos de purificação de água Clorin 1

1 toalha de banho

1 protetor solar

1 repelente

1 lanterna pequena de led com pilhas extras ( recomendo aquelas para fixar na cabeça, assim vc fica com as mãos livres )

 

Outros itens somente no meu caso ( câmera fotográfica e GoPro com baterias extras ) e ( 500g de frutas secas, desidratadas e castanhas, para aquele lanchinho fóra de hora )

 

Acredite, somente esses itens lotou minha mochila e chegou a 10kg... e 10kg em 8 horas de caminhada diárias, vc sentirá com certeza rsrsrs

 

Por que é importante a vestimenta correta?

 

Existe roupas e tecidos específicos para cada atividade física. Algumas pessoas podem achar frescura ter que comprar alguma peça de roupa especifica para trekking. Eu não achei frescura, para mim foi muito útil. Mêses antes, fui comprando aos poucos essas peças de roupas, claro que pesquisando antes, lendo em fóruns na internet e até mesmo na própria loja. Aqui em São Paulo tem a loja Decathlon, especializada em todo tipo de esportes, inclusive trekking... lá comprei quase tudo que levei: Mochila cargueira Quechua 60litros, muito boa com suporte para as costas e lombar, não senti nenhum incomodo nas costas durante todo o trekking. Roupas dry-fit para caminhada e trilhas, calça balyhoo ( aquela que tem zipper na altura do joelho e vira bermuda, muito boa, tecido de secagem rápida ) Investi bem em tecido dry-fit, por absorver o suor e mantém a temperatura do corpo, seja no calor ou no frio razoável, peguei noite de 12º no vale do pati e não passei frio, não levei nenhum agasalho pesado, somente a calça leg adidas dry-fit para caminhada e corrida, a camiseta manga longa adidas dry-fit para caminhada e corrida, e uma camiseta manga curta tbm dry-fit da adidas ( todas para o calor e para usar no sol, com proteção UV50, devido as longas caminhadas no sol e a absorvição de suor, mesmo sendo para calor, elas protegeram bem no friozinho da noite. Caso vc for fazer algum trekking para regiões muito frias, existe outros tipos de roupas dry-fit específicas para o frio) ... Claro q essa loja é muito cara, mas vale a pena o investimento, afinal o que vale é o conforto e leveza na hora de carregar tudo dentro da mochila. E algumas dessas peças dry-fit estou fazendo uso na academia, ou seja, acabei não só comprando peças de roupa para uso somente do trekking, esta servindo para meus treinos diários de musculação e croosfit. Mas se vc é daqueles trilheiros que não se importam com essas "frescuras", somente aconselho a não ir de calça jeans, nem de bermuda jeans e nem de tênis que não seja apropriado para longas caminhadas... recomendo uma boa e velha bota de trilha, pois depois de tando andar, a bota correta segura bem e amortece corretamente o peso do seu corpo e da mochila.

 

Curiosidades da Chapada:

 

Dependendo do mês que vc for a chapada, vc se sentira em outro país, pois o numero de turistas gringos é surpreendente. No mês de agosto, ví muito franceses por lá, vários grupos, tinha até guia francês ... além dos franceses, tinha muitos holandeses, alemãs, belgas, Britânicos, Espanhóis, Irlandeses, Árabes.. ou seja, é um prato cheio para fazer novas amizades e conhecer um pouco da cultura de outros países. Na primeira noite do trekking, fizemos uma fogueira no local correto orientado pelos guias, e em volta da fogueira juntaram-se todos os grupos, umas 30 pessoas +ou- ... sendo que desses 30 turistas apenas Eu e meu amigo eram brasileiros rsrsrsrs

 

Outra curiosidade é sobre Ufologia. Existe muitos relatos de avistamentos de Ovinis na chapada e região. Mucugê é a cidade onde mais há avistamos. O Morrão é um ponto forte de avistamentos no vale do Capão. Existe muitas expedições de ufólogos do mundo inteiro para essa região, devido ao grande numeros de relatos. Infelizmente eu não ví nada rsrsrs... ( Há quem acredite e há quem não acredite... mas se existe E.T ou não, somente o mistério que ronda a chapada já vale a pena ). Sem contar no céu mega-estrelado nas noites sem nuvens do vale do Patí... vc vê claramente a via láctea inteira... é fantástico... quem gosta de ver estrelas e planetas, pode baixar o aplicativo Carta Celetes e viajar apontando o celular na direção do céu, o aplicativo mostra cada estrela com seu nome e cada planeta, vale a pena!

 

É isso galera, espero ter ajudado alguém com essas informações. Qualquer duvida é só perguntar que na medida do possível vou respondendo!!!

  • Gostei! 3
  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

quanto mais informação melhor, foi essa minha intenção... se existe informação repetida desconsidere as q não lhe cabe ...mesmo assim obrigado pela dica

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Matheus Giampaoli
      Estou cogitando fazer uma road trip pelo Brasil (de carro, talvez 4x4), por enquanto estou bem no inicio, ideia surgiu a poucos dias e comecei montar algumas coisas, qualquer ajuda, dica etc e bem vinda (ficar mais/menos dias, preço de hostel, hotel, camping, principais passeios e preços, praias, o que não/fazer em determinada cidade, etc..) (se alguém que fez algo parecido puder me mandar valores, roteiros, passeios dicas etc aceito tb)

      Roteiro que pensei 21 dias 

          1º Dia 7h00
          São Paulo(SP) -> Búzios(RJ)  (já conheço o RJ de cabo frio para baixo)
          11h de viagem - 700km
          2º Dia 
          Passeio por Búzios
          3º Dia (compensa ficar 2 dias por la ou um so e suficiente para conhecer o que dizer ser um dos lugares mais lindos do brasil?)
          Passeio por Búzios
          4º Dia 6h00
          Búzios(RJ) -> Vitória(ES)
          8h de viagem - 500km
          Passeio a tarde/noite por Vitoria
          5º Dia (um dia para conhecer o principal da cidade e suficiente?)
          Passeio por Vitória
          6º Dia 7h00
          Vitória(ES) -> Porto Seguro(BA)
          10h de viagem - 650km
          Passeio a noite por Porto Seguro/Trancoso(BA)
          7º Dia
          Passeio por Porto Seguro/Trancoso(BA)
          8º Dia   
          Passeio por Porto Seguro/Trancoso(BA)
          9º Dia 7:00
          Porto Seguro(BA) -> Salvador(BA)
          10h de viagem - 600km
          10º Dia
          Passeio por Salvador e arredores
          11º Dia
          Passeio por Salvador e arredores
          12º Dia (compensa ficar 3 dias por la ?)
          Passeio por Salvador e arredores
          13º Dia 7:00
          Salvador(BA) -> Chapada Diamantina(BA)
          6h de viagem - 450km
          Passeio durante a tarde Chapada Diamantina
          14º Dia
          Passeio Chapada Diamantina
          15º Dia (sei q a chapada e gigante e 10 dias nao sao suficientes para conhecer tudo, mas sera q em 2 dias dou conta de laguns lugares principais ou seria melhor pensar em mais dias ?)
          Passeio Chapada Diamantina
          16º Dia 6:00
          Chapada Diamantina(BA) -> Montes Claros(MG)
          13h de viagem -> 900km
          17º Dia
          Passeio Montes Claros
          18º Dia 7:00
          Montes Claros(MG) -> Ouro Preto(MG)
          7h de viagem - 550km
          19º Dia
          Passeio por Ouro Preto
          20º Dia 7:00
          Ouro Preto(MG) -> Belo Horizonte(MG)
          2h de viagem - 100km
          Passeio por Belo Horizonte
          21º Dia 7:00
          Belo Horizonte(MG) -> São Paulo (SP)
          8h de viagem - 600km 
       
      Qualquer ajuda e bem vinda galera, vou dar uma procurada pelos tópicos aqui também, se soubrem de algum me mandem o link pf
    • Por lucband
      Deu a louca na gente. Cansados da rotina, eu e a Marlene trocamos nossa casa por um apartamento pequeno, trocamos nosso conversível por um SUV, abandonamos a empresa para os funcionários administrarem e partimos para desbravar o Brasil, rumo a Fortaleza (CE), onde encontraríamos com nossos filhos e noras, que iriam de avião passear, quarenta dias após nossa partida. Sessenta e quatro dias de viagem de carro, mais de treze mil quilômetros percorridos e 205 horas dirigindo (quase nove dias no total), passando por nove estados e 85 lugares visitados, partindo de Chapecó (SC) e culminando em Jericoacoara (CE). Abaixo fotos de alguns dos melhores lugares que visitamos, alguns deles desconhecidos pela maioria.

      Morro do Campestre em Urubici, com esta interessante formação rochosa.
       

      Morro Santo Antonio, em Caraguatatuba, tem esta linda vista, do alto da rampa para saltos de asa delta.
       

      Paraty é muito linda, com seu casario histórico.
       

      Praia do Caixa d'aço em Trindade, próximo a Paraty, uma piscina natural acessada por uma trilha ou de barco, muito legal.
       

      Praia do Forno, em Arraial do Cabo, tem uma das mais belas vistas do país.
       

      Alto do Pico da Bandeira, em Pedra Menina (MG).
       

      Em Ilhéus ficamos em uma Pousada na beira da Praia dos Milionários, muito legal!
       
       

      Cachoeira da Fumaça, na Chapada Diamantina. Tirei esta foto enigmática na beira de uma pedra, sem proteção alguma, com 400 metros de queda livre até o chão. De tirar o folego!

      Cachoeira do Buracão, na Chapada Diamantina, o melhor dia da viagem, vale a pena!
       

      Visitamos a Cachoeira do Buracão por baixo e por cima.

      Lençóis, na Chapada Diamantina, tem muito charme à noite.

      Vista do alto do Morro do Pai Inácio, na Chapada Diamantina.
       

      Poço Azul, na Chapada Diamantina.
       

      Poço Encantado, na Chapada Diamantina.
       

      Em Fortaleza encontramos com nossos filhos e noras, que foram para lá de avião, e com nosso compadre que mora lá. Daí fizemos alguns passeios nas praias, como Canoa Quebrada, na foto.
       

      Pedra Furada, em Jericoacoara.

      A noite em Jeri é muito legal, gostamos muito da balada ao por do sol no Café Jeri.
       

      Falésias em Morro Branco (CE).
       

      Já na viagem de volta, passamos por João Pessoa, onde fizemos o passeio de barco até o Picãozinho.
       

      Em Maceió ficamos só descansando e procurando apartamento, pois pretendemos morar lá.
       

      Em Guarapari fizemos a trilha do Morro do Pescador, para a Praia do Ermitão, muito legal.
       

      Em Búzios fizemos um passeio de barco muito legal.
       

      Praia da Ferradurinha, em Búzios, uma das mais belas do Brasil.
       

      Virou o hodômetro do computador de bordo... 13.043,5 km percorridos...
      Quem quiser uma visão mais detalhada da viagem pode acessar o álbum que criei no Facebook, com fotos de todos os lugares visitados, com descrição em cada uma, no link a seguir.
      facebook.com/luciordbandeira/media_set?set=a.1298889086919382&type=3
       
       
       
    • Por Vanderoots
      Bom dia a todos!

      Vale do pati do melhor jeito baiano de ser, desacelerado.
      Se alguem estiver afim de colar na trip, manda um salve.

      Saída: 01/04/2019 (Andaraí)
      Chegada: ???? (vale do capão).
       
      só vamos! 
    • Por Diego Minatel
      Para mim é algo realmente complicado traduzir em palavras os momentos vividos nos dias da minha viagem. Viagem esta que não se traduz num simples mochilão ou turismo de longa duração. Foi o encontro de uma pessoa comum com seu sonho de andar por terras que tanto o inspiraram, terras mãe da esperança, terras de homens e mulheres feitos de histórias e de coração, corações gigantescos. O sentimento que fica depois de quase seis meses na estrada é o de gratidão, do agradecimento as infinitas pessoas que ajudaram esse pobre viajante das mil e uma maneiras possíveis, para vocês meu muito obrigado.

      Foto 1 - A companheira de viagem
      Tinha uma vida igual a tantas outras, era bem razoável por sinal, mas a vontade de caminhar e estar frente a frente com o novo me atormentava todos os dias. Queria conhecer com meus olhos as diferenças, os sotaques, as comidas, as belezas. Desejava não ter pressa, fazer tudo no seu tempo necessário, não estar preso a rotina dos dias e principalmente aprender. Sim, aprender, não com fórmulas prontas e nem sentado dentro de uma sala de aula. Queria aprender com experiências. Queria conhecer pessoas. De alguma forma queria fugir da minha vida cotidiana, não por ela ser ruim, mas pelo desejo de se conhecer e assim, quem sabe, voltar uma pessoa melhor. Quando esse sentimento passou a ser insuportável decidi que tinha que partir.
      Por um ano ajuntei algum dinheiro, queria ficar seis meses na estrada. A grana não era o suficiente, mas suficiente era a minha vontade. Dei um ponto final no trabalho. Abri o mapa e não tinha ideia por onde começar. Decidi não ter um roteiro, apesar de ter muitos lugares em que eu queria estar.
      Assim começa a minha história (poderia ser de qualquer um). O relato está dividido da seguinte forma:
      Parte 1: de Rio Claro ao Vale do Itajaí
      Parte 2: Cânions do Sul
      Parte 3: de Torres a Chuí
      Parte 4: Uruguai
      Parte 5: da região das Missões a Chapecó
      Parte 6: Chapada dos Veadeiros e Brasília
      Parte 7: Chapada dos Guimarães
      Parte 8: Rondônia
      Parte 9: Pelas terras de Chico Mendes, Acre
      Parte 10: Viajando pelo rio Madeira
      Parte 11: de Manaus a Roraima
      Parte 12: Monte Roraima y un poquito de Venezuela
      Parte 13: Viajando pelo rio Amazonas
      Parte 14: Ilha de Marajó e Belém
      Parte 15: São Luis, Lençóis Maranhenses e o delta do Parnaíba
      Parte 16: Serra da Capivara
      Parte 17: Sertão Nordestino
      Parte 18: Jampa, Olinda e São Miguel dos Milagres
      Parte 19: Piranhas, Cânion do Xingó e uma viagem de carro
      Parte 20: Pelourinho
      Parte 21: Chapada Diamantina
      Parte 22: Ouro Preto e São Thomé das Letras
      Parte 23: O retorno e os aprendizados
      O período da viagem é de 01/10/2015 a 20/03/2016. De resto não ficarei apegado nas datas exatas em que ocorreram os relatos que irão vir a seguir, tampouco preocupado em valorar tudo. Espero contribuir com a comunidade que tanto me ajudou e sanar algumas dúvidas dos novos/velhos mochileiros.


×
×
  • Criar Novo...