Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Raisa Rodarte

Lençóis Maranhenses, mais uma maravilha nacional!

Posts Recomendados

Olá mochileiros!

Depois de um bom tempo sem postar nada aqui, eis que retorno para dividir com vocês a viagem sensacional que eu e duas amigas fizemos há uns dias atrás para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, que fica no estado do Maranhão e se estende por uma área de 155 mil hectares repleta de dunas de areia branca e fina e milhares de lagoas de águas cristalinas e doce. É um cenário espetacular, como eu nunca havia visto antes!

Nossa viagem aconteceu em junho de 2017. Os meses de junho, julho, agosto e setembro são considerados os melhores para a visitação, uma vez que o período de chuvas (responsável pelo enchimento das lagoas) concentra-se de dezembro a maio. Nos anos em que o período chuvoso é farto, a alta temporada costuma prolongar até outubro.

Partimos do aeroporto de Guarulhos em um vôo da Latam direto para São Luís, que totalizou 3h e 30min. Conseguimos uma tarifa com preço excelente (média de R$ 420 ida e volta, com as taxas inclusas), o que nos permitiu investir um pouco mais nos passeios.

O Parque não fica perto de São Luís. Dependendo de por onde você resolva iniciar a viagem, a distância pode chegar a 270 km. Há duas principais portas-de-entrada, as cidades de Barreirinhas e Santo Amaro do Maranhão, além da Vila de Atins. Barreirinhas é a mais conhecida e a mais bem estruturada para o turismo. Já Atins tem uma cara mais rústica e aventureira (mas podem ficar tranquilos, pois a história de que lá não tem energia elétrica, internet, sinal de telefone é balela!). Por outro lado, a vila realmente não dispõe de caixas eletrônicos e ruas asfaltadas e somente poucos locais aceitam cartão como forma de pagamento (o que também acontece em Santo Amaro). Leve dinheiro para tudo e, se possível, trocado. Santo Amaro é um meio-termo entre as duas.

Dia 01

Optamos iniciar nosso roteiro por Santo Amaro. A rota para lá é divida em duas partes. A primeira vai até o vilarejo de Sangue e pode ser feita de ônibus, táxi, carro normal ou van. Já a segunda (de Sangue à Santo Amaro) só com carro 4x4, pois todo o percurso é feito em estrada de areia fofa. Ou seja, não perca tempo e dinheiro alugando carro para visitar os Lençóis, o veículo não é apropriado.

Escolhemos ir de van (trajeto completo saiu por 60 reais). O serviço pode ser agendado com 1 ou 2 dias de antecedência e ele te busca no hotel, aeroporto, onde estiver. Saímos às 3hrs da manhã e chegamos em Sto Amaro por volta das 7h. Todo o serviço de transfer foi realizado com o Denílson tur (98) 98808-9190.

Ao chegar à Pousada (Bellas Águas) procuramos nos informar sobre a melhor maneira de deixar a cidade e seguir viagem em direção à Barreirinhas. Li em vários sites que o deslocamento entre algumas cidades era um pouco complicado, então o melhor a fazer era buscar maneiras de sair, logo na chegada. Isso foi uma dica valiosa, pois no domingo não tem transfer saindo de Sto Amaro no período da manhã (exceto transporte privativo). Como nosso roteiro estava bem apertado, não podíamos perder tempo. A solução foi reservar um “táxi” privativo para domingo, às 5hrs (valor total = R$ 400). Cabiam cinco pessoas, portanto com mais duas cada uma pagaria R$ 80 reais. Apenas R$ 10 a mais se comparado aos transportes tradicionais e tempo de 1h e meia, apenas.

Nosso primeiro passeio foi pras Lagoas América 1 e 2. Saímos às 9hrs e retornamos para o almoço. Almoçamos no Restaurante do Gordo, lugar muito simples, mas com comida boa, barata e porção generosa. Serviu a nós três e ainda sobrou para o jantar.

Á tarde, fomos para a Lagoa das Andorinhas (60 reais), com retorno previsto para as 19hrs. Nesse trajeto passamos por várias lagoas, entre elas a Lagoa das Gaivotas (famosíssima). Assistimos o pôr do sol do alto e foi lindo. Era semana de lua cheia e no caminho de volta ela resolveu dar o ar da graça.

598de376b3e0c_prdosol-stoamaro.jpg.92d9b79644dc937a58e7e18f580a08af.jpg

lua.jpg.912f8cb1a3d1eb2cd4e6002d46d1a3d4.jpg

Na volta, antes de retornar à Pousada, os guias fazem uma paradinha estratégica na Praça central para um sorvete. O sorvete é artesanal e bem gostoso, com opções de frutas da região, como: bacuri, buriti, açaí juçara (não é o do palmito juçara!), cupuaçu, tapioca. Nesse local onde eles param, o sorvete é realmente muito bom, mas é caro e o atendimento é péssimo!! Não tome sorvete lá! Vá na Dona Marinilde (em frente ao restaurante Sol de Santo Amaro), sorvete delicioso, fabricação artesanal e preço excelente (picolés = 1 real, sorvete de massa = 2,50 a bola). Sério, não dá para comparar!

Dia 02

Levantamos cedo, tomamos o desjejum e saímos para um passeio de dia todo, o circuito Lagoa das Gaivotas e Betânia (80 reais), com almoço em um restaurante próximo à Lagoa da Betânia, no qual o prato famoso é a galinha-caipira. Na saída do hotel já faça o pedido para o guia, ele quem comunica o restaurante, aí você chega e o prato está semi-pronto.

598de376adbcb_voagaivotaaa2.jpg.d3c67aa5339f0d003c072d37ac803abd.jpg

Visitamos lagoas lindíssimas no circuito todo, mas a que mais chamou a atenção foi a Lagoa Sem Nome, descoberta recentemente e, por isso ainda não havia sido batizada. O Júnior (guia) nos levou em lugares paradisíacos, de tirar o fôlego e sempre nos deixava muito à vontade para o banho. Não ficava no nosso encalço sabe, cronometrando o tempo no relógio... Uma maravilha!

lag_sem_nome.jpg.43268362985abf5050de899bb28aaa1c.jpg

Paramos para o almoço e no período da tarde, mais lagoas. Ficamos mais de 2 horas na Lagoa Betânia. Lugar de águas mais agitadas, fazia até ondinhas. No fim da tarde, mais um pôr do sol, dessa vez na Lagoa das Gaivotas... Mais sorvete (Dona Marinilde, não se esqueça!), banho e jantar. Queríamos comer algo típico da região e resolvemos conhecer o restaurante Sol de Santo Amaro, que aceita cartão de crédito!!! Lá pedimos uma refeição mais tradicional e dois caldos de ovos (bem comum por lá).

Dia 03

Saímos de Santo Amaro às 5:30 da madrugada e chegamos em Barreirinhas às 7:10, há tempo de fazer o sobrevôo nos Lençóis Maranhenses. Inicialmente, pensamos em fazer esse passeio ao entardecer, mas seria difícil encaixar no nosso roteiro. Então, o fizemos no amanhecer mesmo e foi sensacional! Rolou até um arco-íris na volta. Você pode optar pelo Circuito completo ou pelo mais “simples”. O primeiro sobrevoa o Rio Preguiças, os vilarejos de Mandacaru (com o Farol) e Caburé, o delta do rio Preguiças, passando pelo Canto de Atins e por Atins, retornando por cima dos Grandes Lençóis; já a segunda opção sobrevoa os Grandes Lençóis por mais tempo, adentrando mais na região do Parque. Independente do circuito que escolher, serão 30 minutos de muita beleza! Vai por mim, vale muito a pena! Sobrevoamos com a Voar, com o piloto Antônio. Como estávamos em três, ele fez o passeio por 270 reais cada (originalmente custa R$ 300). Às 9:00 ele nos deixou de volta no hotel, onde pegamos a caminhonete para um dos circuitos mais famosos de Barreirinhas, o da Lagoa Azul (50 reais).

598de376ba9b0_sobrevo.jpg.892adad4ccba69da39880cdf5562c495.jpg

Ah, esqueci de falar sobre o hotel de Barreirinhas, o Hotel Rio Preguiças. Ele não é nenhuma Brastemp, mas o custo X benefício compensa.

Para o Circuito da Lagoa Azul e o da Lagoa Bonita (que fizemos à tarde), tem que atravessar o rio Preguiças de balsa, que é relativamente rápido se não houver uma fila de caminhonetes aguardando. O valor da balsa já está incluso no total pago pelo passeio tá. O demorado mesmo é o trajeto de carro até as lagoas, pouco mais de 1 hora “sacolejando” sem parar. Se você tiver algum probleminha de coluna peça para ir dentro do carro e não na carroceria adaptada, pois no interior do veículo balança menos. Chegamos de carro até o marco do ICMBio, a partir dele seguimos a pé (pouca coisa). Visitamos três lagoas: Lagoa Esmeralda, Lagoa Azul e Lagoa da Paz. Todas muito bonitas! Única crítica ao passeio... O tempo para aproveitar cada uma das lagoas é curto demais :( Demora-se 1 h para chegar, 1 h para voltar e o início do passeio é às 8:30, com retorno para o almoço.

À tarde fomos para o Circuito da Lagoa Bonita. O trajeto de carro também é longo (~50 min) e sacode mais que o anterior. Esse passeio durou pouco mais, pois incluía o pôr-do-sol visto do alto das dunas. E põe alto nisso, na chegada ao parque tem uma subida beeeem íngreme, de uns 30 a 40 metros. Mas não entrem em pânico, há uma corda lateral que auxilia a subida do pessoal. Mas acredite tudo valerá à pena! A paisagem com a qual você se depara assim que termina de subir a ladeira é impressionante!!!! :)

lag.bonita.jpg.8f62f8f6b060fb6b686a195d0a6603ff.jpg

Lá nadamos na Lagoa do Maçarico, na Lagoa Bonita (cuja água é quentinha, quentinha) e na Lagoa do Clone, que recebeu esse nome, pois algumas cenas da novela “O Clone” foram gravadas lá.

À noite, jantamos no restaurante A Canoa, que fica na orla da cidade (indicação de um dos guias de lá). Ótimo restaurante, ambiente agradável. Aprovado! Independente do seu paladar, em Barreirinhas você provavelmente não terá dificuldade em encontrar um restaurante que seja do seu gosto (já nas outras localidades, as opções não são muito diversas).

Dia 04

Nosso próximo destino? Atins. Por esse motivo reservamos o dia para fazer o passeio de barco pelo rio Preguiças. O passeio é de ida e volta, mas como na ida ele chega bem próximo a Atins, pedimos ao piloteiro para nos deixar por lá. Como agendamos o passeio pelo hotel, eles nos cobraram 20 reais a mais para nos levar até o “porto” de Atins (total = 70 reais). Li em alguns posts que as pessoas conseguiram ir até Atins sem pagar nada a mais por isso. O que elas fizeram foi ir até a orla e contratar o passeio direto com os barqueiros que ficam ancorados lá. O que eu aprendi nessa viagem é: Negocie, mas sempre negocie na fonte!

Saímos às 8hrs do hotel e seguimos para o barco. O primeiro ponto de parada foi Vassouras, famoso pelos macacos-prego. Os animais são extremamente acostumados com a presença humana e não se intimidam com nada. Pelo contrário, eles podem até pular na sua cabeça ou puxar sua bolsa (sério, eu presenciei isso). Portanto, não dêem bobeira, não abram pacotes de biscoito na frente deles, eles pegam tudo!!! Se quiserem dar comida a eles, levem apenas frutas (banana, maçã...). Saindo de lá, fomos até Mandacaru, para ver o Farol. A subida é free e o visual é bem legal.

Fiquem atentos em Mandacaru! Logo na saída de lá, um guia se aproximou e nos perguntou se iríamos para Atins e o que faríamos lá. Falamos da Revoada dos Guarás e o cara se ofereceu para nos guiar. Recusamos. Aí ele começou a fazer uma pressão psicológica ferrenha! Disse, inclusive, que lá em Atins o preço era mais alto e que com ele teríamos desconto. Resumo da obra: Não fechamos nada com ele. Sempre desconfiem de abordagens muito invasivas! Mais tarde descobrimos que isso tem acontecido com frequência. Pessoas de outras regiões tentam conseguir turistas para passeios que não exigem guias credenciados pelo ICMBio (a Revoada dos Guarás é um desses passeios). Estes caras assediam os turistas, pressionando-os de uma forma abusiva, principalmente os estrangeiros. Isso acaba reduzindo a oferta de turistas para os guias nativos de Atins. Dica: você consegue resolver tudo a respeito dos seus passeios em Atins, em Atins.

Próxima parada: Caburé. Paramos lá para o almoço. Mais uma vez, quase caímos no conto das agências de turismo. Eles fecham acordos com certos restaurantes, então te levam para comer nos locais onde vão ganhar algo em troca. Mas descobrimos um restaurante bom, barato e de gente muito boa por lá, o Restaurante do Celso, que fica bem em frente ao mar (não ao rio). Vale muito a pena! O Seu Celso é muito simpático e a comida é uma delícia. O preço é excelente! Custa pelo menos a metade dos outros lugares.

598de376cb85d_SeuCelso.jpg.4000ea63f36a55d8c05a02079888840a.jpg

Pós-almoço, seguimos para Atins. A pousada de lá foi nos buscar no “porto” assim que chegamos. Pousadinha pequena, bem simples, com Wi-Fi (incrível!!) e mto bem localizada. Assim que chegamos, combinamos os passeios para mais tarde (Revoada dos Guarás e Plânctos Bioluminescentes), para o dia seguinte, a saída de Atins para Barreirinhas e fomos tomar um banho de mar. Atins é a única das três cidades pelas quais passamos que tem litoral. Ás 16hrs, fomos para o local combinado aguardar a revoada dos Guarás. Os guarás são aves lindíssimas de coloração vermelho-sangue (adultos) e cinza-escuro (jovens). Ao cair da noite, eles deslocam-se dos manguezais para seus dormitórios sobrevoando as dunas onde estávamos. É impressionante! E custou 30 reais.

598de376c07d0_guuuuuars.jpg.50954e4a5622bbaaa83ec8aaedaa5c29.jpg

Ficamos, então, na expectativa do show bioluminescente dos plânctons. Não era uma boa semana para ver o fenômeno, pois era lua cheia. Mas, mesmo assim, às 19h fomos à praia. Procuramos um local escuro e começamos a andar chutando a água e não demorou muito até vermos as primeiras “faíscas”. À medida que a gente movimentava a água e as ondas quebravam foi possível observar um brilho amarelado na superfície, que se dissipava seguindo os movimentos da água. Pra gente, já estava lindo, até que o Sr. João (dono da Pousada) nos disse que o mais legal era NADAR com os plânctons. Ah, não demorou 1 segundo eu já tinha pulado na água e estava (pela primeira vez na vida) nadando no mar à noite e com plânctons bioluminescentes. No primeiro mergulho eu pirei!!! É surreal! Uma sensação que precisa ser vivida! Só para dar uma noção do que se parece: É como se você enrolasse piscas-piscas nos braços e pernas e fosse nadar no mar à noite. É MARAVILHOSO!

Dia 05

No dia seguinte, visitamos as Lagoas da Capivara e das Sete Mulheres no período da manhã (70 reais). No almoço resolvemos provar o famosíssimo prato de camarão grelhado do restaurante do Seu Antônio. Na verdade tem dois restaurantes muito conhecidos por esse prato, o do Seu Antônio e da Dona Luzia. Estávamos em dúvida a respeito de em qual dos dois ir, e resolvemos ir ao do Seu Antônio. O prato de camarão é lindo (são 20 camarões enormes que vem inteiros e abertos), ele vem acompanhado de arroz, farofa, feijão e salada. Mas o atendimento não foi legal, principalmente quando chegou uma família de estrangeiros e toda a atenção foi para eles.

Depois fomos conhecer a Lagoa Tropical (uma das mais famosas de Atins) e a Lagoa da Água Azul, sem sombra de dúvidas, a mais linda de todas em Atins. Água limpíssima, morninha, areia branca e tão fina. Perfeita! Como tudo que é bom chega ao fim, retornamos à cidade ao cair do sol.

598de3782b0dd_lagoaguaazul.jpg.d6812f6508bb770ac1aa390c040d1cba.jpg

À noite, fomos ao Bar.Co, um barzinho na beira do mar no qual o balcão é realmente um barco. Os proprietários são estrangeiros (franceses eu acho), como muitos em Atins. O resultado disso é que em vários lugares você encontra placas, cartazes, cardápios escritos em três ou quatro idiomas (português, inglês, espanhol e francês). Algo que só vimos em Atins. Nas outras duas cidades (Barreirinhas e Santo Amaro), só português e inglês.

Dia 06

Infelizmente, nossos dias nos Lençóis Maranhenses estavam chegando ao fim. Retornamos a Barreirinhas de Toyota 4x4, mas também dá pra fazer o trajeto de barco. Independente do tipo de transporte, o valor é 25 reais. A diferença é o tempo e o conforto (de barco é mais rápido e sacode bem menos). De Toyota a viagem durou 2h. Chegamos a São Luís pouco antes das 9hrs, há tempo de pegar uma van que estava de saída para São Luís. O motorista nos cobrou 50 reais e se comprometeu a nos deixar no hotel (Paulinho tur = (98) 99199-7897 ou (98) 98149-5474). A viagem foi tranquila e, antes de 13 horas estávamos Green Smart Hotel, localizado numa região estratégica de São Luís. Há várias linhas de ônibus nas redondezas, bancos, restaurantes. Além de ser um ponto fácil para pegar Uber. É, em São Luís tem Uber.

À tarde fomos a Raposas conhecer a famosa renda de bilro, confeccionada artesanalmente pelas rendeiras. Andamos por uma rua conhecida como ‘Corredor das Rendeiras’ assistindo as rendeiras trabalharem ao vivo. A renda de bilro com a linha grossa é mais popular, bem mais fácil de encontrar e os preços são mais em conta. Já os trabalhos com a renda fina (belíssimos!!!) estão ficando cada vez mais escassos, pois o preço é bem alto, uma vez que o trabalho que dá para confeccioná-las também é bem maior. Disseram-nos para levar dinheiro, pois lá não aceitava cartão. Logo, deixamos o cartão no hotel. Mais um engano, pois várias lojas passavam cartão sim. A Dona Cléia, inclusive, faz um esquema super legal! Nos casos em que as clientes gostam das peças, mas não tem mais dinheiro vivo para acertar as compras na loja, a Dona Cléia (que reside em São Luís) leva todas as peças escolhidas pelas clientes até o local combinado (hotel, pousada) e a máquina de cartão, para que a compra seja finalizada, sem cobrar nada a mais por isso! Depois das compras, retornamos a São Luís de ônibus circular. A impressão que tivemos foi positiva. O ônibus estava impecável, as cadeiras acolchoadas e havia ar condicionado. Considerando o tempo e a distância do trajeto (~30 km), o valor da tarifa foi bom (R$ 3,10).

À noite, fomos à famosa Festa Junina de São Luís do Maranhão, dançar ao som do Bumba meu Boi e comer comidas típicas. Eu recomendo a visita ao Maranhão no mês de junho, a Festa de São João, São Pedro e Santo Antônio, celebrada durante todo o mês junino é de uma riqueza cultural tremenda. Os shows do Bumba meu Boi são muito legais, é uma explosão de cores! As apresentações são um espetáculo e a plateia vai à loucura quando os bois aparecem. Sobre a comida, tentamos provar de tudo um pouco, pena que o espaço no estômago não foi suficiente. Provamos sururu, arroz de cuxá, vatapá, mugunzá... Sabores diferentes, mas nada muito espetacular! Senti uma falta de tempero nos pratos maranhenses. Eles não “carregavam a mão” em nenhum tipo de tempero. Até mesmo os pratos com coentro eram suaves, de modo que dava para comer tranquilamente (e olha que eu detesto coentro!).

598de37834627_SoJoo.jpg.388a5d0c12ec7fce690c998736eb39b9.jpg

Dia 07

O vôo de volta saiu de SLZ às 5:50 da madrugada. As meninas compraram outro vôo, portanto ficaram mais tempo na cidade. Pedi um Uber até o aeroporto, que acabou saindo barato (40 reais), já que eu o dividi com outro hóspede. Conversa vai, conversa vem, descobri que ele estava no mesmo vôo que eu e seu destino final também era o mesmo que o meu, Piracicaba. No fim das contas consegui uma carona 0800 pra casa... :wink:

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post

Muito legal o relato, Raisa! Lugares lindos!

Vc sabe dizer como foram as chuvas por lá? As lagoas estavam bem cheias?

Abs!

  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Você foi literalmente em TUDO Raisa, excelente relato! Sou de São Luís e a cada vez que vou até lá, tento conhecer algo novo. Só falta eu conhecer Atins.

 

Sérgio. Voltei de lá ontem, as lagoas ainda estão cheias sim, pois está chovendo casualmente na região dos lençois (Inclusive, choveu no último domingo).

A lagoa azul está me cobrindo (tenho 1.85cm), então ainda dá pra aproveitar bem. Acredito que vá ficar assim até o começo de setembro =D

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Você foi literalmente em TUDO Raisa, excelente relato! Sou de São Luís e a cada vez que vou até lá, tento conhecer algo novo. Só falta eu conhecer Atins.
 
Sérgio. Voltei de lá ontem, as lagoas ainda estão cheias sim, pois está chovendo casualmente na região dos lençois (Inclusive, choveu no último domingo).
A lagoa azul está me cobrindo (tenho 1.85cm), então ainda dá pra aproveitar bem. Acredito que vá ficar assim até o começo de setembro =D

Legal, Kassio! Muito bom saber! Estou planejando a travessia para final de setembro e estou torcendo p ainda haver lagoas cheias no caminho. Valeu mesmo!

Compartilhar este post


Link para o post
Em 7/31/2017 em 21:33, Sergio M disse:

Muito legal o relato, Raisa! Lugares lindos!

Vc sabe dizer como foram as chuvas por lá? As lagoas estavam bem cheias?

Abs!

Sergio, que bom que gostou. Espero que seja útil.

As lagoas estavam lindas, muito cheias. Esse ano as chuvas foram generosas por lá. 

Compartilhar este post


Link para o post
Em 8/1/2017 em 09:19, Kássio Sousa disse:

Você foi literalmente em TUDO Raisa, excelente relato! Sou de São Luís e a cada vez que vou até lá, tento conhecer algo novo. Só falta eu conhecer Atins.

 

Sérgio. Voltei de lá ontem, as lagoas ainda estão cheias sim, pois está chovendo casualmente na região dos lençois (Inclusive, choveu no último domingo).

A lagoa azul está me cobrindo (tenho 1.85cm), então ainda dá pra aproveitar bem. Acredito que vá ficar assim até o começo de setembro =D

Que bom saber Kassio. Tenho amigos que ficaram tão empolgados com o lugar e tudo o que eu disse sobre lá e São Luís, que animaram passar férias lá em setembro. Eles vão amar saber sobre as chuvas e o nível das lagoas. Muito obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post

Olá Raísa! Estou indo num período não muito legal (final de março), mesmo assim, irei me arriscar. Gostaria de saber com quem vc fechou os pacotes em Santo Amaro, pois irei fazer uma rota semelhante e gostei dos valores...

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Helier, bom dia!
Tudo bem?
Sigo o Instagram do parque e de algumas agências de turismo da região e pelas postagens que tenho visto as lagoas já estão bem bonitas. Ótima notícia não?!

Sobre os pacotes, fechei tudo lá, nas pousadas onde fiquei. Várias realizam esse serviço. Eu gostei muito dos guias de Santo Amaro, eles não tinham pressa. Ficavam conosco o tempo necessário para que aproveitássemos cada lagoa, cada paisagem. Já em Barreirinhas, os guias são mais apressadinhos, pois o fluxo de visitantes é maior. Quando o passeio envolve um circuito de lagoas, o tempo máximo para nado e apreciação em cada lagoa foi de 30 minutos. 

Se tiver restado alguma dúvida, pode perguntar.
Boa viagem!!

 

Bjs

Compartilhar este post


Link para o post

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Bete Pandini
      TREKKING LIGHT PELOS LENÇÓIS - PERNOITE EM QUEIMADA DOS BRITOS.
       
      Queridos amigos mochileiros, vim compartilhar minha viagem pela Rota das Emoções, embora tenham muitos relatos aqui sobre o assunto, porque acredito que talvez alguns irão gostar da ideia de fazer como fizemos: sair do tradicional, com pouca grana, muita disposição e pouco tempo disponível.
      Saída do aeroporto Navegantes dia 28/08 - 13:30h - Chegamos 10:30h em São Luís (MA) alugamos um FIat Mobi  para devolver em Fortaleza em 04/09. Utilizei o link da reserva da Latam e consegui desconto da taxa de devolução em outra loja gratuita.
      Fizemos no balcão o seguro de vidros e pneus. Foi um valor de R$12,90 por dia, mas salvou a viagem: A estrada está péssima entre Camocim e Fortaleza. Leva 3h para fazer apenas 57km.  Na verdade, trata-se de uma rodovia de buracos com algum asfalto ao longo da via.
      Na devolução em Fortaleza foi verificado uma roda amassada, uma picada de pedra no parabrisa e arranhões na calota. Que o seguro cobriu.
      Partimos para o Hotel Santos Dumont SLZ - 0,9km do aeroporto - diária casal sem café - 103,19- Suíte dupla com ar. Limpo e confortável.
      5h da manhã partimos rumo à Santo Amaro. Aqui vem o pulo do gato: Não fizemos o tradicional... depois de ler o relato do:
      Seguindos as informações e o contato que Mario disponibilizou resolvemos fazer um meio trekking. Saímos de Santo Amaro com o Sr. Zeca e o Fábio (moradores de Queimada dos Britos) que vou falar mais adiante, de quadriciclo e seguimos até onde é permitido o trajeto de carro, na Lagoa das Emendadas e depois seguimos com o Fábio a pé pelo Parque rumo a Queimada dos Britos e casa do Sr. Zeca e da Dona Evanira.
       
      RUMO AO PARAÍSO ESCONDIDO DOS LENÇÓIS MARANHENSES
       
      Chegar em Santo Amaro é tranquilo pelo asfalto foi só seguir o Waze, mas o asfalto está em obras e tem muitos animais na pista é bom ter cuidado. O Waze nos deixou em frente ao Estacionamento Municipal de Santo Amaro - gratuito e muito bem vigiado.

      De lá pegamos uma jardineira para atravessar o rio - 50,00 o casal. A travessia pelo rio já é é uma aventura. Esta foto é da volta que não tinha jardineira então pegamos um trator.  Pernoitamos em Santo AMaro e acordamos às 3h, encontramos nosso guia e seguimos pela área permitida até as Emendadas e de lá um quadriciclo levou nossas coisas, nós levamos apenas uma mochila pequena com água, protetor, toalhas e meias.
      DICAS: Use chapéu que seja possível amarrar no pescoço, meias, roupas compridas com proteção UV, mochila com capa para atravessar os rios. Chinelos, tênis e toalhas só atrapalham. 

      Primeira lagoa que visitamos
      Chegamos na casa do Sr. Zeca e da D. Evanira. Um amor de casal que nos recebeu muito bem, com almoço pronto. Galinha caipira (criada no quintal deles), arroz, macarrão, salada, macaxeira, feijão e cabrito ensopado. Sobremesa: caju, melancia, banana e tangerina. Suco de caju que mais parecia sorvete.

      Depois deitamos na rede, curtindo uma paisagem surreal. Paz e tranquilidade enquanto esperávamos o calor baixar e seguir para a Lagoa do quintal do Sr. Zeca que não tem nome, mas apelidamos de Esplendorosa.
      No caminho....
      Ficamos até o entardecer, subimos a duna mais alta para ver o por do sol, foi quando avistamos um casal que vinha de Baixa Grande sentido Santo Amaro, uma holandesa e o seu guia. Ela tirou essa foto maravilhosa enquanto estávamos na duna no pôr-do-sol.
      Uma Lagoa entre tantas que visitamos

      Lagoa dos fundos da casa do Sr. Zeca
      À noite D.Evanira nos esperava com um peixinho e um café preparado na hora. Depois uma boa conversa sobre cultura e costumes da região, cachaça com cobra para curar picada de cobra... e outras histórias regadas na cervejinha gelada. ELe tem placa solar onde é possível carregar os celulares (só para fotos não tem nada de sinal). Ele nos contou que seu bisavô materno foi quem descobriu a região numa viagem de caixeiro viajante, se encantou e ali fez sua morada.

      Hospedagem do Sr. Zeca

      Cachaça de Cobra coral - Remédio para eles.
      Assim passamos 3 dias e 2 maravilhosas noites, vendo o céu estrelado como nunca tinha visto antes. Após um curso de como dormir em rede, dormimos feito anjos... acordavámos e íamos para as lagoas ali próximas, víamos o sol se por e íamos para casa de lanterna (20min).Por dois dias tivemos os Lençóis só para nós. Uma vida fácil de se acostumar...
       

       
      Me arrependi de não ficar mais um dia e ir até à Praia de Atins. Lá Sr. Zeca tem um barraca onde pesca e prepara o peixe e é possível até dormir. Fica a sugestão de 3 dias para a região.
      Oque você deve fazer se quiser ficar ali na Hospedagem do Sr. Zeca
      QUEIMADA DOS BRITOS - Zeca e Evanira
      (98) 99810-9494 - Zeca
      (98) 98604-0016 - D. Evanira
      (98) 99217 - 8945 - Jonas (filho do Zeca)

      Donos dos Paraíso Perdido

      Sr. Zeca, D. Evanira, Michelle (holandesa) Sérgio, o guia.
      Telefone de antena então um sempre estará desligado. Vá tentando até conseguir... Melhor horário por volta das 19h.
      Nós pagamos:
      R$40,00 (rede com café da manhã)
      *Redes limpas e cheirando a sabão em pó. Não passamos nem frio, nem calor. Banho de chuveiro com banheiro masc e fem super limpos.
      R$30,00 jantar por pessoa
      R$ 40,00 almoço por pessoa
      Transporte:  A negociar (ele pode buscar em Barreirinhas de 4x4 só para dormir, sem fazer a travessia. Coloque sua intenção e ele dará um jeito de buscar você. ) De 4x4, a pé, de Quadriciclo, de jumento, do jeito que for, mas não deixe de conhecer os verdadeiros Lençóis Maranhenses. Simples, rústico, mágico e maravilhoso.
       
      Saímos de lá e fomos para as Lagoas de Barreirinhas  (consideradas postais: Lagoa Bonita e Lagoa Azul) e as achamos sem graça depois de ter ficado em Queimada dos Britos.
      Fizemos o caminho inverso aproveitando cada minuto. Atravessamos o Rio de Trator pegamos nosso carro e seguimos para Barreirinhas.
       
      BARREIRINHAS - CIRCUITO LAGOA BONITA.
      Seguimos viagem para Barreirinhas para curtir os restaurantes na beira rio. Ficamos na Pousada Parque dos Lençóis. (98) 98805-4811 Sany. ELes tem um espçao para trailers. Com sombra para o carro. Cavalo, papagaio e cachorro. Ótima! Limpa e aconchegante e bem localizada. Fizemos os passeios agendados com a Bella Turismo.

      Pousada Parque dos Lençóis
      Rio Preguiças - Travessia da Balsa.

      VIsta da Lagoa Bonita Barreirinhas
       

      Sobre Barreirinhas: As Lagoas já estão com a água morta (gíria do Sr. Zeca) ali mergulhar de olhos abertos arde, bem diferente das lagoas de Queimada onde a água é limpa e não arde. A visão de cima do parque vale a visita. Aprox 1 hora sacolejando na jardineira. Na saída da balsa é possível comer uma deliciosa Tapioca com café por R$ 5,00.
      A noite é só escolher um restaurante perto do rio e curtir a vista. Tem para todos os gostos e bolsos. Ficamos só uma noite.
       
      BARRA GRANDE - PIAUÍ
      Normalmente, as pessoas seguem para o Delta para os passeios pelo Delta do Parnaíba, mas eu optei por praia. Já fizemos Jalapão, Bonito, Mangues em Boipeba e Morro na Bahia e achei que seria mais do mesmo, mangue, pássaros, caranguejos e cavalos marinhos... Fomos para Barra Grande.
      A estrada de Barreirinhas até Barra Grande está razoável, foi recentemente recapeada e é possível trafegar facilmente de carro comum. No caminho paramos para visitar a usina Eólica e os pequenos Lençóis, mas o tempo era curto só tiramos algumas fotos, pois nada mais impressionava ali...
      Em Barra Grande ficamos hospedados no Guest Hostel Barra Grande nas tendas Pé na areia. Amei!!!!

      (86) 3369-8050 ou (86) 98134-5902 diretamente com eles o café é incluso na diária e ainda tem 10% desconto que pelo Booking. Fale com o Kennedy.
      Amei a praia. Os kites ficam colorindo o céu azul em uma praia semi deserta com águas limpas e mornas. De frente ao Hostel fica o melhor ponto da praia, barracas com espreguiçadeiras que servem na praia e wifi, paramos ali para informar a família que ainda estávamos vivos. 😁

      JERICOACOARA - CE - De carro 1.0 por dentro do Parque Nacional de Jericoacora
      Depois de 01 dia e meio em Barra Grande deixamos o lugar com gostinho de quero mais. Praia linda! De madrugada pegamos a estrada rumo a Jeri. Estrada péssima depois que saimos de Piauí. Vergonhosa a situação da BR. Deplorável! 3h para percorrer 57 km e ainda o governador tem coragem de colocar radares na rodovia. Caminhões desviando de crateras na contra-mão... Absurdo mesmo.
      Chegamos em Preá, o Waze leva até o centrinho de Preá. Lá fomos abordados por um guia que prometeu nos levar ao Parque com o Mobi. Com medo, mas arriscamos. Ele esvaziou os pneus - 15lb - abastacemos e partimos para o estacionamento na entrada da vila em Jeri.  Fomos pela areia com o Mobi, atolamos só uma vez e foi super divertido. Ele tirou fácil. No caminho tiramos foto na árvore da Preguiça completamente vazia. Já que os passeios de jardineira passam ali de manhã.

      Nosso guia Matheus - (88) 98871-0490


      Àrvore da Preguiça - Preá
      Marcamos o passeio para as 8h do dia seguinte. No contra-fluxo dos outros turistas que saem as 9h e vão para àrvore da Preguiça, depois lagoas do Paraíso e Azul. Paramos na Lagoa do AmÂncio que esta bem cristalina, mas nem entrei...Fomos direto para a Lagoa do Paraíso. Chegamos com ela vazia escolhemos o melhor sofá do Lounge e curtimos até as 11h da manhã quase vazia. Depois chegaram amontoados de jardineiras com centenas de turistas. Saímos e fomos para a Lagoa Azul que devido as chuvas está muito cheia e não mais tão azul, lá tem um parque aquático com piscinas e estrutura de parque aquático. Bem legal! R$ 5,00 a travessia de barco e entrada no parque. Comida bem acessível.
      WhatsApp: (88) 99752-1337
      WhatsApp: 088 98862-7842
      Instagram: @lagoaazuljeri
      Em Jeri, foi uma aventura dirigir pela areia, indo aonde queríamos e ficando o tempo que desejávamos sem aglomeros por apenas 120,00 do guia Matheus. Gastaríamos 60,00 por pessoa em Jardineiras ou 300,00 o bugue compartilhado. Assim fizemos o nosso horário e nosso roteiro. Super recomendo o Matheus. Não se arrisque a ir sem guia. Vimos Hillux e Duster atoladas, enquanto os carros comuns atravessam com guia e ainda paravam para ajudar a empurrar. Ali tem que ter a manha, como diz o Matheus, guia e nascido na região. Em hipótese alguma circule na vila de Jeri com carro, a multa é cruel e o carro do Detran circula pra cima e pra baixo em busca de desavizados. Para os passeios Lado Leste (Paraíso e Azul) e o Oeste (Mangue e TObogã) não tem problema nenhum ir de carro. A pedra furada é apenas a pé por cima do morro do Serrote ou pela praia na maré baixa. Baixe o aplicativo das marés para escolher os melhores horários e leve muita água para a subida da Pedra.
      Na Pedra Furada tem um jovem, Erivelton, que tira as melhores fotos de pedra furada em troca de comprar um dindin. Paguei o profissional  e fiquei na fila, mas as melhores fotos foram dele.
       
       
       

      Caminho para a Lagoa do Paraíso


      Telefone do Matheus:
      (88) 98871-0490 - Guia.
       
      FORTALEZA- CE - PRAIA DO FUTURO.
      Passamos nossa última noite na Maravilhosa Vila de Jeri e seguimos para Fortaleza. Estrada péssima, mas já um pouco melhor que a de Camocim. Fomos até o Crocobeach, almoçar, tomar um banho de mar em Fortaleza e preparmos tudo para voltar para casa.

      Praia do Futuro - CE

      Barraca do Crocobeach - CE
      O crocobeach tem estrutua de resort. Almoço buffet por 79,00kg , combo de 3 cocos por 10,00. Chuveiros e mesas pelo consumo. Muitos ambientes para fotos. Ás 4h pegamos o carro e uma fila enorme para devolver o carro na Locadora. Assim terminou nossa viagem. Embarcamos para Santa Catarina com 39 graus em Fortaleza, descemos em Navegantes com 11 graus e chuva....Mas foi inesquecível. Espero que inspire outros viajantes e amantes da Natureza.
      Sobre custos:
      Hospedagem:
      SLZ Santos Dumond - 103,40 - 1 noite
      Sto Amaro - Queimada dos Britos com guia excluisvo e alimentação inclusa - R$ 1255,00 -3 dias e 2 noites
      Barreirinhas - Parque dos Lençóis - 144,00
      Barra Grande Guest House Hostel - 100,00 - S/ café com café 120,00 - 1 noite
      Jeri - Airbnb - Villa Mar - 169,00 diária - 2 noites
      Média de Jantar - 70,00 a 90,00 peixe ou camarão no abacaxi, peixe na brasa - Romã e Marisol em Jeri. Maoumé em Barra Grande e Bambu em Barreirinhas.
      Almoço PF 15,00 em Barra Grande e Jeri - Pizza com refri 29,00 - Crocobech 79,00 kg
      Tapioca com café - 5,00 em Barreirinhas
      Dindin 0 5,00 - picolé 7,00
      Coco gelado - 1,00 em Fortaleza - 3,00 em Barra Grande
      Passeios e transfer
      Trator - gorjeta 10,00
      Jardineira - 50,00
      Guia  exclusivo - 120,00 Jeri
      Lagoa Paraíso - 20,00 pessoa entrada no The Alchymist Beach Club
      Lagoa Azul - 5,00 por pessoa
      Circuito Lagoa Bonita - R$ 60,00 por pessoa - Bella Turismo
       
      Carro:  - 530,77
      Combust- Etanol - 275,00
      1,160 km rodados em 8 dias
      Total gasto aprox: R$ 3.200,00 para o casal - 8 dias
       
       
      "A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos."
      Fernando Pessoa SOARES, B. Livro do Desassossego. Vol.II. Lisboa: Ática. 1982. 387p.  
       
       
       
       
       
       

       

       



       

       
       




       


       
       




    • Por luafonseca
      Boa tarde, pessoal!!

      Alguém sabe me dizer qual calçado seria mais adequado para fazer a travessia dos lençóis maranhenses (4 dias de caminhada na areia, passando por lagoas)?
      Várias pessoas sugeriram as papetes, mas fiquei pensando se aqueles tênis híbridos (servem para água, areia e asfalto) não seriam melhores. Não vi ninguém indicando ou contraindicando...
      Obrigada!
    • Por rafa_con
      Então pessoal, já agradeço desde já se uma boa alma conseguir dar uma luz. 
      Estou ensaiando montar um roteiro de 15 dias que saia do Jalapão e vá até os Lençóis Maranhenses passando (ou não) pela Chapada das Mesas. Seria uma passagem de São Paulo > Palmas e volta São Luís > São Paulo. O obstáculo: não dirijo. 
      A vasta maioria dos roteiros que vejo aqui por essa região envolve locar um carro ao menos para ir de Palmas até Carolina. Gostaria de saber se é tão fim do mundo assim usar transporte público entre Palmas x Carolina e depois Carolina x São Luís. Alguém da região sabe dar informações atuais sobre isso? Por favor, tudo no preço mochileiro de ser, estou pulando fora de transfers VIP (mas também não estou na aventura de pedir carona). Na verdade acho que é mais ajuda pra ver se é possível concretizar esse roteiro sem carro sem perder tanto tempo. 
      Valeu! 
    • Por Bete Pandini
      Boa tarde, galera! Preciso de ajuda... Rota das Emoções saindo de São Luis (29/8) para Jeri (03/09) e meus dias não coincidem com a Rota Combo!! Precisaria de transfer no domingo e informações sobre ônibus são confusas. Pensei em alugar um carro e fazer o trajeto e pegando apenas passeios com Agência. Alguém sabe como estão as estradas? Alguém já fez? Obrigada!!
    • Por Daniela Alvarez
      Pessoal, alguém tem indicação de guia que faz a travessia a pé nos Lençóis Maranhenses?
      Muito obrigada.


×
×
  • Criar Novo...