Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
MariaEmilia

Si no tiene parô (paralisação/bloqueio/greve), no es Bolívia - Julho/2017

Posts Recomendados

Si no tiene parô (paralisação/bloqueio/greve), no es Bolívia.

ferias_das_ferias.jpg.d216e0ff4c0bcac92a31f015795b09d1.jpg

 

Participantes da viagem : Maria Emília e Jailson César.

Período : 11 à 25 julho 2017.

Percurso : Campo Grande > Corumbá > Puerto Quijarro > Santa Cruz de la Sierra > La Paz > Copacabana > Isla del Sol e retorno pelo mesmo caminho.

Transporte : Ônibus, trem, van, barco.

Dinheiro : Real e poucos dólares.

Valor : R$ 4.000,00 (para duas pessoas)


Depois de + de 2 anos longe, era hora de retornar à terras bolivianas. Como agora moramos em Campo Grande (MS) a viagem foi via Corumbá.


O melhor horário de saída de Campo Grande é às 23h59m, para chegar em Corumbá às 6h, a empresa Andorinha é única que faz esse trajeto (por isso a e$ploração). Em Corumbá, saindo da Rodoviária, ande seis quadras (caminhada tranquila em rua plana) até o Terminal Rodoviário Urbano, de onde saem ônibus para a Fronteira.


Desde Campo Grande, estava viajando no mesmo ônibus, um casal de mochileiros do interior de São Paulo (esqueci de anotar os nomes, perdão).


Chegando na fronteira, a imigração brasileira e boliviana ainda estarão fechadas, mais já terá fila, aguarde até 8 horas quando abrir, para dar saída do Brasil e entrada na Bolívia (além da fila imensa, ainda tem a concorrência de caminhoneiros que tem “direito” de furar a fila) Depois de cruzar a ponte que divide Brasil/Bolívia terá vários cambistas, sentados em banquinhas, na porta das lojas, faça uma pesquisa para saber qual oferece mais vantagem, agora em julho/2017 a variação estava entre 2,00 e 2,03 bolivianos para real. Importante : Se for cambiar, faça nesses locais, na Estação Ferroviária (na compra do bilhete aceita reais, em julho/2017 o câmbio era 1 x 2) e no Shopping China não tem câmbio.

 

598de44b1ad29_fronteira(2).jpg.9c8a7f5c11504d75361f3433e0c97264.jpg

598de44af2522_fronteira(1).jpg.44f1111a365ea875b29125305e6866e1.jpg

 

Procuramos um táxi para seguir até a Estação Ferroviária, não pague + que 10 bol. ou 5 reais pelo percurso, alguns querem cobrar até 30 bol. quando veem que é “turista”. Pagamos 10 bol. para duas pessoas.


Na estação compramos passagens no trem Expresso Oriental para as 13h, pelo valor de 100 bol., embora na placa na entrada da estação o preço seja de 70 bol. Aqui quero fazer um comentário, esse trem para mim foi o “trem da morte” por uma simples razão, pagamos 100 bol. por uma passagem que vale 70 bol. e todos os brasileiros que estavam no trem foram colocados no vagão 1, logo atrás da locomotiva, esse é um vagão com poltronas “comuns” e uma única televisão. O vagão estava praticamente vazio, além de nós e do casal de mochileiros do interior de SP, também um casal de Santos, que tinha deixado o carro em Corumbá e seguiria de trem e ônibus até Cuzco e MP, uma senhora com o filho de 12 anos, que ia passar férias em Santa Cruz de la Sierra, dois amigos do sul e mais algumas poucas pessoas. Bom, o trem saiu no horário estipulado e lá pelas tantas resolvi ir até o vagão-restaurante que é o último, nesse “passeio” descobrir que os vagões 2 e 3 são super, hiperconfortáveis, com várias telas de led, além de cortinas em todas as janelas e poltronas mais largas e mais reclináveis e aire condicionado e quem tava ocupando, tinha pago “apenas” 70 bol. e sabe quem estava viajando nesses vagões ? ? ? à grande maioria, “cambas”, que raiva, mais serve como experiência para próximas viagens e para futuros viajantes. Apesar desse “contratempo” a viagem foi tranquila, com várias paradas e chegamos em Santa Cruz de la Sierra às 6h30m. Em tempo : o trem saiu no horário estipulado.

 

598de44b2e25b_estao_ferroviaria(1).jpg.25b038638b7811411e6d07eb8c72738e.jpg

598de44b45d31_estao_ferroviaria(2).jpg.0544a4bd3e229bed8e0b6177e27c38e0.jpg

598de44b56cac_estao_ferroviaria(4).jpg.87f6af799e5bf315b3ed4fb747637583.jpg

 


Ainda em Puerto Quijarro depois de comprar as passagens, caminhamos até o Shopping China, que fica na mesma avenida, cerca de 500 metros adiante. Tudo muito caro, mas lá tem um restaurante que vende uma isca de jacaré que é uma delícia, a porção supergenerosa custa R$ 30,00, depois de almoçar e comprar outra porção para viagem voltamos para a estação, pois já era quase hora do embarque. Jailson, voltou no centro de mototáxi (5 bol. a corrida) para cambiar mais reais e aproveitou para comprar dois chips bolivianos da Tigo (10 bol. cada) que tem cobertura nacional e funciona até nas estradas “longe da civilização”

 

isca_jacare.jpg.5276ef97c5ff7b397566a1bd8c64497a.jpg

 

Chegamos em Santa Cruz de la Sierra na quarta-feira, as 6h30m, era dia de jogo Palmeiras x Corinthians e resolvemos ficar na cidade para assistir (na Pizzaria Net Pizza de nossa amiga Cristiane, brasileira que mora lá a muitos anos). Não tivemos sorte com nenhuma partida da Copa Sulamericana, na terça-feira (11/07), enquanto estamos no trem, jogou em Santa Cruz de la Sierra, Oriente Petrolero x Atlético Tucumán, no quarta-feira (12/07), dia do jogo do verdão, jogou em La Paz, Bolívar x Universidad de Quito e na quinta-feira (13/07) em Potosí, Nacional Potosí x Estudiantes.

Decepção total com o verdão, perdendo para os gambás, mas vamos em frete, nada nos abala (aqui é poooooorco)


Em Santa Cruz, fomos até a plaza 24 de Septiembre, em frente ao Banco de la Nación Argentina, fazer câmbio, lá ficam vários senhores, aqui cuidado, o valor do câmbio é bom, mais esses senhores são todos “malas”, eles fazem uma aglomeração, para distrair sua atenção na hora de contar o $$$$$$, troquei R$ 1.000,00 (mil reais) por 2,03 bolivianos, o que daria 2.030,00 bolivianos, o senhor me passou o valor, o primeiro lote de mil bolivianos, com as notas todas abertas, o segundo lote, com as notas dobradas e mais 30 bol. contei e estava certo, saímos de lá e entramos na sorveteria Picolo, meu esposo que é desconfiado, mandou eu contar outra vez o dinheiro, nota por nota, e “pimba” estava faltando 300 bolivianos. Voltamos lá e meu esposo já foi para cima do “mala” falando que tava faltando dinheiro, ele “sabia” desse “detalhe" e foi logo devolvendo os 300 bol. Então, muito cuidado na hora da contagem das notas, conte nota por nota.


Na quinta-feira cedo, seguimos rumo a Cochabamba pela Empresa Entre Rios, como sempre, o horário nunca é cumprindo, depois de rodar até quase a saída da cidade, o ônibus para e o motorista e o auxiliar tentam consertar a porta, conserto esse que não dá certo e o ônibus faz toda a viagem “sem porta”. Essa parada para conserto foi de quase uma hora, então começamos a ouvir ruídos de helicópteros voando baixo e pensei que era Evo Morales vistoriando as obras da double via de Montero, pois no dia anterior tinha acontecido uma inauguração de um trecho da via. Depois começou a “pipocar” as notícias de um assalto em uma joalheria no centro da cidade, com a participação de brasileiros do pcc, no qual morreram 5 pessoas.

 

onibus_semporta.jpg.f2fe87b18139daabb3e08ad16460f3c4.jpg

 

Chegamos em Cochabamba por volta das 18 horas e como sempre acontece nesse horário, devido a grande quantidade de ônibus, o “nosso” não conseguiu entra no Terminal e tivemos que descer na rua de acesso e caminhar até o Terminal. Compramos passagem para La Paz, no horário das 21h30. Flota Bolívar, ônibus panorâmico de três fileiras.


Saímos para procurar um local para jantar e achamos uma loja de departamento com uma praça de alimentação no 3º andar, tinha pouca coisa aberta, mas, mesmo assim, comemos um pollo assado delicioso (será que foi a fome), na volta, compramos uma manta, pois o frio “prometia” e voltamos para o Terminal. Viagem tranquila, com chegada em La Paz por volta 6h30m.


La Paz tava gelada, na entrada do Terminal tinham duas moças oferecendo hospedagem em um hostel próximo por 130 bol. recusamos, pois ficaríamos longe do “fervo” Fomos de táxis até a calle Sarganaga, minha opção era pelo Hostel Fuentes, mas nesse horário tava “fechado”, Jailson foi até o Hotel Sagarnaga, não tinha vaga e a habitaccion matrimonial com baño privado era 290 bol. Subimos a Sagarnaga rumo a Illampu e entramos no Muzungu B & B (já ficamos hospedados lá), 140 bol. por uma habitaccion matrimonial, com baño privado e desayuno (perfeito) e já pudemos subir para o quarto (114 no primeiro andar).


Nesses dias em La Paz, quebrei alguns paradigmas, como não visitar o Mirador Killi Killi e Laikakota, não ir até a Mallasa e não tomar Pil (o Danone boliviano).

 

598de44bc1802_Bolvia_2017(23).jpg.2794f2d066f694d5bd8d4872d0c21852.jpg

598de44bb8b23_Bolvia_2017(21).jpg.5306ce86b5cd8c3d27603c4c35f1c317.jpg

 

Estávamos de férias das férias, sem planos e pressa.


Andamos de teleférico, linea amarilla e verde até Irpavi e caminhamos até o MegaCenter. Aliás foi no Factory do Megacenter, que dia 19.07 assistimos ao jogo Palmeiras x Flamengo, jogão de bola, empate de 2 x 2, gritamos tanto que chamamos a atenção de outros clientes. Esse bar e grill é cheio de televisores e telões onde só transmite esportes, é só chegar e pedir para a gerente sintonizar no seu preferido. Aqui quero agradecer a Mariana, proprietária do restaurante de comida brasileira, Paladar, liguei lá para saber se abria no período da noite e transmitia jogos do Brasileirão, então ela informou esse local. Não conheci nem a Mariana nem o restaurante, fica para a próxima.

 

linea_amarilla.jpg.363b360621b9b9e5e77486979dc736db.jpg

lineaverde.jpg.fa6747141861eb7a3daa617692a4ed28.jpg

 

No MegaCenter, na parte externa, além do Factory, tem o The Dubliner (pub irlandês) e está em construção a Hard Rock Café – La Paz (a original, pois a pirata fica próximo do Muzungu e cliente desse tem entrada free)

 

598de44c682fb_estao_irpavi.jpg.32e38504e2262ac7e8915366464fb995.jpg

598de44c41d1d_megacenter_irpavi(2).jpg.fbfb3d9a3475eac169237daaa9373e6d.jpg

598de44c195f0_megacenter_irpavi(1).jpg.4ec5366488ab48872878f6c012c1ff23.jpg

 

Também andamos na linea roja e azul do teleférico até El Alto, aqui vai uma dica, se tiver oportunidade, procure andar nessa linha no domingo, do alto, a imensa feira ao ar livre, em que se transformam as ruas, é uma loucura. Alias, o teleférico está com uma promoção, para os meses de julho e agosto, utilizando a tarjeta, pode ser feita a integração de duas linhas pelo valor de 4 bol. enquanto a viagem avulsa custa 3 bol. O valor da tarjeta é 15 bol. Comprei uma, já fica para as próximas viagens.

 

598de44ca3b11_linea_roja(1).jpg.c66f9b509809ad24380a59cafcde40ab.jpg

598de44cace81_linea_roja(2).jpg.7fc1f0b31febddea779103e13cb44606.jpg

598de44cc2366_linea_roja(3).jpg.b0e5c5c3d9abfe4872cd3cd7ffdd6b45.jpg

598de44ddd40f_linea_roja(4).jpg.262cf3f959c35fe8ea14fed372894467.jpg

598de44c727f3_linea_azul(1).jpg.0186885fd9e1471431335064eb292c71.jpg

598de44c898d4_linea_azul(2).jpg.22a24be71d4590a3820cc61afc2ca7bb.jpg

598de44df26f7_linea_azul(4).jpg.3cec26cf6dc1c69c09082986883406c1.jpg

598de44e11ca4_linea_azul(5).jpg.a4cc9eed6117fddb0f578212036f0be0.jpg

598de44e3b77b_linea_azul(7).jpg.08e472559c84ce36b564bb6262dd22bc.jpg

598de44e24e03_linea_azul(6).jpg.53698b2a47fb89b93596c7b970f7fa09.jpg

598de44e4fe1c_linea_azul(8).jpg.79d24103e0a9b425410298de07d11563.jpg

598de44e62e9c_linea_azul(10).jpg.a0600240f9bfb19214a47935d56e86a6.jpg

598de44e76d9a_linea_azul(13).jpg.a5d09f248d70a0eb16e605ae7d0c1b18.jpg

 

O domingo dia 16.07 foi de comemoração por toda a cidade, em alusão aos 208 anos da Revolução de Julio. Festa desde o sábado pelas ruas, com o fechamento para os carros da Ave Mariscal Santa Cruz. Às 00 do domingo, teve uma queima de fogos de artifícios na plaza Mayor de San Francisco. Durante todo o dia várias apresentações de Entradas Folclóricas.

 

598de44e9dac5_lapaz_festa(2).jpg.aab0080e621423f981bea878f3a00507.jpg

598de44eb4aa4_lapaz_festa(5).jpg.0f0403769c5214e68b6778b541a4679c.jpg

598de44ede010_lapaz_festa(9).jpg.728fffbb8b1a1839207c379fc46f8a09.jpg

598de44ef3790_lapaz_festa(13).jpg.d4d888b7b4e463721fcc4d84514e29db.jpg

598de44f1465e_lapaz_festa(15).jpg.24ff5e38e002ef60995e2890d259b2d8.jpg

598de45628904_lapaz_festa(16).jpg.bc4414e3f17d86795930d74cdd28942b.jpg

 

Tínhamos planejado ir até El Alto, assistir ao Cholitas Wrestlig (70 bol. comprado diretamente com as lutadoras entre as 13 e 16 horas na plaza de San Francisco de onde saí o ônibus, também pode ir independente, pela linea roja do teleférico), mas desistimos.


Depois de vários dias em La Paz, na segunda-feira era hora de partir para Copacabana, arrumamos a mochila pequena para levar e guardamos as maiores no guarda-volume do hostel. Seguimos para a região do cemitério, por volta das 7h30m, chegando lá já tinha um ônibus pronto para partir. Viagem maravilhosa, chegamos em Copacabana por volta das 11h30m. Já compramos a passagem de barco para a Isla del Sol, com saída às 13h30m.

 

598de44f53c36_tiquina(2).jpg.2d605fdd0839bdaa465810eab11d4bf3.jpg

598de44f6efdd_tiquina(3).jpg.fdd23e18f38e01775a51ac7204173c26.jpg

 

Fomos procurar onde almoçar, pois já estava com “água na boca” por um trucha, as melhores, na minha opinião, são as vendidas nas barracas em frente a orla. Realmente não decepcionou, depois do almoço fomos comprar água e Jailson comprou um pack de Cusqueña para levar para a Isla.

 

598de44f88edf_copacabana(6).jpg.f818ec0fa4ac0328b64631f1c71af0dc.jpg

598de44fa4119_copacabana(7).jpg.2577d1670964600060748b9a0f6ac5e6.jpg

598de44fbcb10_copacabana(8).jpg.122b25221926cbaa3fc0fce223956156.jpg

598de44fd8264_copacabana(9).jpg.b1ec8ba290e552dcc7ee087f5394237e.jpg

598de44ff1550_copacabana(10).jpg.5bee882432b1d9f67f4f0f570a38aa92.jpg

598de4501651a_copacabana(11).jpg.c824bfbaa58b2141490651144c55f57f.jpg

 


A travessia Copa x Isla nesse horário é melhor, devido não ter tantos barcos fazendo o percurso, então não tem tanta “marola”. A travessia está levando somente para a parte Sul (Yumani), devido uma briga com o povo do centro (Challa), quem quer ir para o lado Norte (Challapampa), alguns poucos barcos, no período da manhã levam do lado Sul para o Norte e também para a Isla de la Luna.


 

598de45134e2d_isladelsol(2).jpg.0965965aaf8d558007855de0b57fa24a.jpg

breja_isla.jpg.677ae211ba3e54a240bbdccb1334a91c.jpg

 


Na chegada, pagamento de 10 bol. para a comunidade. Sempre tem comunitários oferecendo hospedagem, somos abordados por um senhor que ofereceu estadia em cabaña, com baño privado e água caliente (o chuveiro que é elétrico não dá conta de aquecer a água gelada), por 40 bol. por pessoa, é para o lado esquerdo de quem chega, subindo e subindo. Aceitamos e fomos olhar, gostamos e acertamos com a esposa. Pagamos + 15 bol. pelo desayuno. Guardamos as coisas e sentamos no pátio para tomar umas Cusqueñas e apreciar a paisagem do lago Titicaca e que paisagem. Depois saímos para fazer uma caminhada, fizemos uma trilha alternativa, que acho que é usada pelos pastores, subimos, subimos e subimos, mas a vista compensa. Já na parte “comercial” Jailson comprou uma blusa de alpaca e eu uma polaina, de uma menina que já visitou São Paulo e no próximo ano vai morar lá com a irmã e o cunhado para estudar, ela até conhece o Palmeiras. No final do passeio sentamos no terraço de uma pousada para tomar uma breja. A noite já caia e o frio aumentava. Voltamos para a cabana e fomos testar o chuveiro, tomamos um banho de “gato” rápido, pois a água estava geladíssima. Descansamos um pouco e por volta das 20 horas saímos para comer algo, procuramos e procuramos, quase tudo fechado, depois achamos um restaurante aberto, quase ao lado de nossa cabana, isso depois de ter descido e subido os caminhos. A Isla à noite é uma calmaria, silêncio e semi-escuridão, além do frio cortante. Onde estávamos o sinal da internet da Tigo era fraco, mas na praia e no topo, o sinal era “potente”, depois da janta, sem nada para fazer, era hora de dormir.

 

598de45142fc1_isladelsol_trilha(1).jpg.023e84e6853a2a7670e85e1aab3bb22a.jpg

598de4515248b_isladelsol_trilha(2).jpg.ec86959aac844312e75d5c973e565c7d.jpg

598de4515f843_isladelsol_trilha(3).jpg.88fd6f67d1f23681ce351a0d8b1fb723.jpg

598de45164efe_isladelsol_trilha(4).jpg.54ed52ff7985666c4c0036d4f63b7054.jpg

598de45169932_isladelsol_trilha(5).jpg.af4135a63059a0380ceaa630158b13fc.jpg

598de451756da_isladelsol_trilha(6).jpg.80a5d0e246ca148edbe167b03d6701ab.jpg

598de4517aa61_isladelsol_trilha(7).jpg.dc0efa53f6d8d4980aa8ecc59b7519c3.jpg

598de451889fe_isladelsol_trilha(8).jpg.b04b520b46105afad57714f961bdce9d.jpg

598de45196d64_isladelsol_trilha(9).jpg.05f399435ad9405776d8c8dafd9b5845.jpg

598de451a3306_isladelsol_trilha(10).jpg.16a0be293e229fc014542e826e83eb5a.jpg

598de451afff9_isladelsol_trilha(11).jpg.7b874055eb69b7f6d8486008d55573a5.jpg

598de451bcac2_isladelsol_trilha(12).jpg.d431875cff503ed2884daeb244303987.jpg

598de451c8851_isladelsol_trilha(13).jpg.279ef892ab75da7591cee71d6be19ced.jpg

598de451d410d_isladelsol_trilha(14).jpg.058bbea671e5dff40024e4b52a31199f.jpg

598de451dbf74_isladelsol_trilha(15).jpg.3c42a381fd41abe733349d398f9b8d7a.jpg

598de451e7093_isladelsol_trilha(16).jpg.c0997913718ce45f226de86e7d8c03f9.jpg

598de45218110_isladelsol_trilha(17).jpg.3836b7403709f834935f95131f036fd3.jpg

598de452241a6_isladelsol_trilha(18).jpg.affb3ac75bd56f623adc09db09d9f696.jpg

598de45310a34_isladelsol(24).jpg.058b14380ccb298b616b0c6cb811794f.jpg

 

Na manhã seguinte, depois do desayuno, resolvemos voltar para Copacabana e descemos ao porto para esperar os barcos. A passagem de volta é mais cara que a vinda, porque os barcos são da comunidade, que só levam os passageiros até Copacabana e voltam vazios.

 

598de450e62e7_isladelsol(37).jpg.9317549694c2160e8aea92cee3b5aacc.jpg

598de4510dbbc_isladelsol(41).jpg.eb9d465217ea73ad02c2c7ec252d1a37.jpg

598de451267ff_isladelsol(42).jpg.4e73ac79a7d6024a3ed67146f464d424.jpg

598de4531c350_isladelsol(39).jpg.9fc28d32ea8f624a26c579be28547323.jpg

598de4537e046_isladelsol(40).jpg.0517db049b7ea131f0af1c965a9d8548.jpg

598de4539e228_isladelsol(43).jpg.b6c0d22314fb58c93f05ec0a9fd20ea1.jpg

 

Entre San Pedro de Tiquina e San Pablo de Tiquina a travessia custa 2 bol.


Em Copacabana resolvemos almoçar em um restaurante “chick” também na orla, comemos trucha outra vez acompanhada de cusqueña.

 

598de45035880_copacabana(1).jpg.5e0d08633b477784be21f79d395de9ba.jpg

598de4506cf29_copacabana(2).jpg.d3e053855eb5295ca52dd7676ce3a6fc.jpg

598de4508bcd3_copacabana(3).jpg.070ed913f79a6c02508fb71066f7d566.jpg

598de4509d3fb_copacabana(4).jpg.45b2975bdd438eb00a065cec0a6ef31a.jpg

598de450b9a0e_copacabana(5).jpg.c04d66454c5296221f8d691486fc74d5.jpg

 

Era hora de retornar à La Paz, Jailson comprou dois packs de cusqueña para trazer ao Brasil e eu aproveitei para comprar Inka Cola. A passagem de ônibus, Copa x La Paz também é mais cara que a vinda, 25 bol. Saímos de Copacabana às 14h30m e as 17m estávamos chegando em El Alto e “aquele” trânsito, então resolvemos descer na Estação Wana Javira (Ex-Tranca Río Seco), a primeira ou última de El Alto e utilizar o teleférico até a Estação Central, a primeira ou última da linea roja, de lá descemos a pé até o Muzungu. Desta vez ficamos hospedados no 2º piso, habitaccion 217, vista maravilhosa para o Illimani, que nessa época do ano se tem uma visão maravilhosa de toda a cidade.


Quando estávamos no barco encontramos uma senhora de Aquidauana (MS) que estava viajando com a filha e um amigo e tiveram problemas na Imigração brasileira, pois a menina era menor de idade e estava sem a autorização do pai. Na realidade encontramos esse trio em vários locais da viagem, inclusive em Campo Grande, na chegada, haja coincidência.


Na quarta-feira, fomos até o Terminal de Buses comprar passagens para Santa Cruz de la Sierra para a quinta-feira, compramos na TransCopacabana, bus-cama panorâmico de 3 fileiras, com saída às 14h30m e previsão de chegada em Santa Cruz às 8h do outro dia.


Agora vem o “porém” na quinta-feira quando chegamos no Terminal, estava uma “calmaria”, então descobrimos que estava tendo um parô (bloqueio) da via em Colomi (depois de Cochabamba), realizado pelos plantadores de coca, que exigiam liberação para plantar coca dentro de um parque nacional, o que foi negado pelo presidente Evo Morales, estão não estava saindo ônibus para Santa Cruz, somente para Oruro, Potosi e algumas poucas empresas para Cochabamba, devolveram nosso dinheiro, então achamos passagem na El Dorado, ônibus panorâmico, semi-cama, 3 fileiras, para as 14 horas, compramos as passagens a aguardamos a partida. Na TransCopacabana a próxima saída para Cochabamba seria somente às 19h. Saímos às 14h30m, quando chegamos em El Alto, uma parada de + de 40 minutos. A double via La Paz x Oruro (para nós até Caracolo) está perfeita. Viagem sem contratempos, chegamos em Cochabamba às 22h. Como sempre o ônibus não conseguiu entra no pátio do terminal, então tivemos que descer na rua de acesso e fazer uma longa caminhada até a parte interna do terminal.

 

598de453b48c3_terminalemdiadeparo(1).jpg.97a30709e2a52e926bbcb5db3ac7460b.jpg

598de453cce3b_terminalemdiadeparo(2).jpg.8b95173dd4bbc45724d48aed76e6b5d3.jpg

 

No "caos" que é o Terminal, muitas empresas vendendo passagens para Santa Cruz de la Sierra, afirmando que o parô tinha sido suspenso. Bom, fazer o que, arriscamos, compramos as passagens, na Flota Carrasco, ônibus semi-cama, com saída às 23 horas. Partimos de Cochabamba com algum atraso (afinal aqui é Bolívia), ônibus lotado, depois de algum tempo dormimos e acordamos por volta das 2 horas já parados, tínhamos chegado no “bendito” parô em Colomi, que depois descobri, fica distante somente 52 km de Cochabamba. Ficamos parados até por volta de 6 horas, quando a estrada foi liberada, mas estava um caos, pois é descida e com trânsito pesado indo e vindo, então sem espaço para ultrapassagens. Gastamos cerca de 22 horas nesse trajeto de 480 km, tendo chegado em Santa Cruz de la Sierra por volta das 20h30m. Nossa sorte foi que em La Paz, tínhamos comprado muitas bolachas, batata frita e castanhas, além de água e sucos. Entre Santa Cruz e Cochabamba ou vice-versa, tem um paradero de ônibus, quando chegamos lá por volta das 14 horas, não tinha praticamente nada para comer, devido à quantidade de ônibus parados, pois com o parô, todos foram liberados no mesmo horário. O que encontramos foi um pollo “meio crú” que tinha acabado de ir para o carvão, quase nos agarramos a ele e comemos assim mesmo, para a nossa fome, estava “uma delícia”.


Nossos planos era parar em Vila Tunari, pois na ida, como foi durante o dia, pudemos vê como é bonito o lugar, muita água, corredeiras, mais depois de tantas horas dentro do ônibus, resolvemos seguir direto. Vila Tunari, fica no final da descida da serra, entre Cochabamba e Santa Cruz.


Em Santa Cruz, procuramos um hotel em frente ao Terminal Bimodal, ficamos no Hotel Ébano, habitaccion matrimonial, c/ baño privado, tv cable e desayuno, por 160 bol. Era hora de tomar um banho, depois de praticamente 24 dentro de um ônibus. Depois, apesar do cansaço, seguimos até o Ventura Mall, para "almojantar" e tomar umas paceñas.

 

hardrock.jpg.73e3db9573c0a2ff22359817f3d8685b.jpg

 

Ficamos em Santa Cruz até o domingo pela manhã, quando partimos para Puerto Quijarro, pela empresa Pantanal, ônibus leiro, panorâmico, 3 fileiras. Estrada com pavimentação ótima (muito melhor que muita estrada brasileira), chegamos em Puerto Quijarro por volta das 20 horas.


Como a imigraccion já está fechada nesse horário, ficamos em um hotel próximo, habitaccion matrimonial, c/ baño privado, aire condicionado e TV cable. Na segunda-feira, fomos até o Shopping China, outra vez, comer isca de jacaré. Jailson comprou uma caixa de pacenã, no centro. Depois seguimos até a fronteira, para dar saída na Bolívia e entrada no Brasil (fila rápida nas duas fronteiras) e seguimos de táxi até a rodoviária de Corumbá, era cerca de 14 horas e só tinha passagem para as 7 horas do dia seguinte, compramos e fomos procurar um hotel.


Na saída da rodoviária, para o lado direito, tem um hotel, que pela aparência é muito bom, mas está em reforma e com poucos quartos disponíveis, que estavam ocupados, seguimos para o lado esquerdo e encontramos o Hotel Corumbá, um “muquifo” de R$ 70,00, c/ ar, banheiro privado (que fedia mijo) e tv local, então fica a dica, só fique hospedado aí, se for muito, mais muito necessário, Jailson falou para o proprietário, que ia chamar a vigilância sanitária.


No outro dia cedo, seguimos para a rodoviária de onde saímos no horário, chegando em Miranda, tivemos a notícia de um bloqueio na rodovia, depois de Anastácio, por parte do MST e que se a pista não fosse liberada o ônibus ficaria na cidade, graças a Deus a PRF liberou a via e a viagem seguiu normal até Campo Grande, onde chegamos por volta das 13 horas.


Era hora de retornar ao "batente" pois só fã do lema "Trabalhar, trabalhar, trabalhar, viajar, viajar, viajar"

IMG_20170711_104447899.jpg.339935e8a9b1a819c53331ad3bc8dd3b.jpg

598de44e8a9c5_lapaz_festa(10).jpg.9917776817a05b3b5e9f1ac3e8a3259e.jpg

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Transporte :

 

Campo Grande x Corumbá x Campo Grande = Viação Andorinha = vários horários = R$ 119, 03

Ônibus urbano em Corumbá = R$3,55

Puerto Quijarro x Santa Cruz de la Sierra = Trem Expresso Oriental (terça, quinta e domingo) = 13h = 100 bol.

Táxi = fronteira até Estação Ferroviária = 10 bol.

Mototáxis = fronteira até Estação Ferroviária = 5 bol.

Santa Cruz de la Sierra x Cochabamba = Flota Entre Rios = 7h = 40 bol.

Ônibus urbano em Santa Cruz de la Sierra = 2 bol.

Cochabamba x La Paz = Flota Bolívar = 21h30m = 90 bol.

Ônibus urbano em La Paz = entre 2 e 2,60 bol.

Teleférico = passe avulso = 3 bol. Na tarjeta = 2 bol.

La Paz x Copacabana = Sindicato Trans Tour 2 de Febrero (região do Cemitério) = vários horários entre as 5h30m e 18h30m = 20 bol.

Copacabana x Isla del Sol (parte Sul) = 8h30m > 10h e 13h30m > 15h = 30 bol. (ida e volta no mesmo dia)

Copacabana x Isla del Sol (parte Sul) = 8h30m > 10h e 13h30m > 15h = 20 bol. (somente ida)

Isla del Sol = Sul para Norte = pela manhã, em alguns barcos que chegam de Copacabana = 10 bol.

Isla del Sol (parte Sul) x Isla de la Luna = pela manhã, em alguns barcos que chegam de Copacabana = 20 bol.

Isla del Sol x Copacabana (parte Sul) = 10h30 > 12h ; 15h > 16h30m e 16h > 17h30m = 25 bol. (barco comunitário)

Copacabana x La Paz = Sindicato Trans Tour 2 de Febrero (plaza Sucre) = vários horários entre as 8h e 16h = 25 bol.

La Paz x Cochabamba = El Dorado = 14h = 30 bol.

Cochabamba x Santa Cruz de la Sierra = Flota Carrasco = 23h = 90 bol.

Santa Cruz de la Sierra x Puerto Quijarro = Cooperativa Pantanal = 11h e 20h = 80 bol.

Táxi = Terminal de Buses até próximo da fronteira = 10 bol.

Táxi no Brasil = fronteira até Estação Rodoviária de Corumbá = R$ 50,00

 

 

 

Hospedagem :

 

La Paz :

Muzungu B & B (calle Illampu esquina c/ Santa Cruz) = habitaccion matrimonial c/ baño privado e desayuno = 140 bol.

Bash Crash (calle Ingavi, próximo ave Montes) = habitaccion matrimonial c/ baño compartido = 130 bol.

Hotel Sagarnaga (calle Sagarnaga) = habitaccion matrimonial c/ baño privado = 290 bol.

Hotel Torino (calle Socabaya, próximo a plaza Murillo) = habitaccion matrimonial c/ baño privado = 140 bol.

 

Santa Cruz de la Sierra :

Residencial Bimodal (em frente ao Terminal Bimodal) = habitaccion matrimonial, c/ baño privado, tv cable e desayuno = 120 bol.

Hotel Ébano (em frente ao Terminal Bimodal) = habitaccion matrimonial, c/ baño privado, tv cable e desayuno, c/ elevador = 160 bol.

 

Puerto Quijarro :

Hotel Vini (próximo da fronteira) = habitaccion matrimonial, c/ baño privado e tv cable = 100 bol.

 

Corumbá :

Hotel Corumbá (próximo da Rodoviária) “muquifo” cheio de mofo e banheiro fedido a mijo = R$ 70,00

 

 

Câmbio :

 

Puerto Quijarro :

Próximo da Imigraccion e no centro comercial = entre 2,00 e 2,03

 

Santa Cruz de la Sierra :

Terminal Bimodal = entre 2,00 e 2,01

Feria La Ramada = 2,00

Plaza 24 de Septiembre = entre 2,00 e 2,03

 

La Paz :

Plaza Mayor de San Francisco = real = entre 1,85 e 1,90 / dolár = entre 6,85 e 6,95

 

Alimentação :

 

Santa Cruz de la Sierra :

Net Pizza = proprietária Cristiane = Ave Ana Barba, 307, ao lado do Cine BellaVista, em frente ao Estádio Tahuichi, telefone 591 77029838

Adoro o bife acebolado, acompanhado com arroz, ovo e tomate, que é servido no setor de alimentação (parte superior) do Terminal Bimodal, é simplesmente delicioso.

Sorvetes, café e lanches da Heladeria Picolo, vários endereços.

Praça de Alimentação do Ventura Mall = KFC, Pollos Copacabana, Factory, Hard Rock Café

Vários bares e restaurante da Ave Monseñr Rivero

 

La Paz :

El Paladar = proprietária Mariana = calle Ferrecio, B-28 telefone 591 2 2774337 San Miguel

Praça de Alimentação do Megacenter (Irpavi)

Cebichón (restaurante de comida peruana) = calle Murillo esquina com calle Tarija

Ângelo Colonial, nos altos do prédio onde fica o Museo de la Coca = calle Linares

Banais Café, no Hostal Naira = calle Sagarnaga

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Algumas considerações

 

* A fronteira Brasil/Bolívia em Mato Grosso, no Destacamento de Corixa com San Matias é "trash" muitas vezes somos revistados pelo GEFRON na ida (acho que para saber se estamos contrabandeando dinheiro para compra de drogas e armas) e SEMPRE na volta, quando toda a bagagem é "revirada" (o que poderia ser evitado com a presença de cães farejadores), ao contrario da fronteira de Mato Grosso do Sul, em Corumbá com Puerto Quijarro, que é "linght", com abordagem por amostragem (apesar da apreensão recorde de drogas em MS)

 

* A estrada entre Santa Cruz de la Sierra e Puerto Quijarro é toda asfaltada, ao contrario da estrada San Matias e Santa Cruz, onde 80% é estrada de ripio.

 

* Os ônibus que partem de Santa Cruz de la Sierra no horário da manhã são (+) baratos, porem (-) confortáveis, a partir da 15/16 horas saem os ônibus (+) confortáveis e (+) caros.

 

* A altitude "judia" do corpo, seu nariz fica em "frangalhos" (por isso acho que Joaquin Law, técnico da seleção alemã deveria marcar amistosas para La Paz, assim ele teria bastante "caca" para comer) :o:D

 

* Estar em La Paz, sem nada para fazer, é tudo de bom.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Maria, 

Adorei o relato, sua forma de escrever faz a gente ficar preso no texto.

As fotos são de encher os olhos. :o:o

Muito obrigado por compartilhar esse relato conosco.

Abraços ao casal, e sucesso na próxima trip. ;)

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Seja [email protected] ao Mochileiros.com

    Faça parte da maior comunidade de mochileiros e viajantes independentes do Brasil! O cadastro é fácil e rápido! 😉 

×