Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

maizanara

Torres del Paine, novas regras em 2017! Circuito W, 5 dias, 1 relato.

Posts Recomendados


Obrigado pelo relato!

Uma dúvida, é mais comum começar o trekking pelo Gray que pela base das torres?

Pode me ajudar com vantagens/desvantagens de começar por algum um dos lados?

Abraço!

  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Oi 

2 hours ago, vinisilvaoliveira said:

Obrigado pelo relato!

Uma dúvida, é mais comum começar o trekking pelo Gray que pela base das torres?

Pode me ajudar com vantagens/desvantagens de começar por algum um dos lados?

Abraço!

oi Vini!! Tudo bem?

Antigamente quando não era necessário reservar com antecedência, esta escolha era muito influenciada pelo clima: caso vc chegasse lá e o tempo estivesse bom, era melhor correr para as Torres para garantir ver elas. Já se o tempo estivesse ruim, vc poderia fazer o chamado de W invertido, iniciando pelo Grey, ganhando assim alguns dias para o tempo abrir até vc chegar nas Torres (que é o auge do Circuito W). Hoje em dia como há necessidade de planejar, eu fortemente sugiro iniciar pelo Grey pois assim você caminha em direção à montanha Los Cuernos (que me encantou tanto quanto ou mais que as Torres), ou seja, Los Cuernos estará sempre na sua frente (e não nas suas costas, um desperdício rsrsr). Também tem um trecho chatinho que é descida para quem faz o W invertido e subida para quem faz o tradicional.

A desvantagem é o tempo que se perde com transporte: além dos ônibus vc tem que pegar um catamarã para atravessar o Lago Pehoe, e nisso você perde bastante tempo sim... Então para quem está na correria, é melhor pensar nisso. Nós fizemos em 5 dias e 4 noites, então foi bem de boa e super recomendo fazer assim e não na correria...

Está é a visão que vc terá caminhando sentido ao Los Cuernos, não dá para perder, dá?

No meu blog coloquei várias info super úteis como preço, roteiro e tudo mais www.calangosviajantes.com.br e mais fotos :) 

Bons ventos

DSC_8922.jpg

  • Gostei! 1
  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Muito bom seu relato! estou indo em janeiro.. queria tirar uma duvida.. vc deixou sua mochila em alguns pontos? se sim, apenas onde ia acampar? eu vou fazer o percurso contrario ao seu... como vou ficar no refugio chileno no primeiro dia.. pensei em deixar a mochila la e subir p/ ver as torres... no terceiro dia vou ficar no camping frances.. pensei em deixar a mochila la e subir o vale, ja que dormirei no frances... e no quarto dia eu vou ao grey e pensei em deixar a mochila no paine, porem nao vou acampar la.. sera que permitem?

Compartilhar este post


Link para o post
15 hours ago, vinisilvaoliveira said:

Obrigado pelo relato!

Uma dúvida, é mais comum começar o trekking pelo Gray que pela base das torres?

Pode me ajudar com vantagens/desvantagens de começar por algum um dos lados?

Abraço!

Muita logica os argumentos da Maisa.. no meu caso vou fazer o contrario ao dela (o tradicional), pois nao quero perder a chance de ir ver as torres.. caso no primeiro dia esteja encoberto... eu penso em voltar p/ fazer so esse trecho (bate e volta apos o fim do circuito)... pelos meus calculos o unico dia que ficará bem corrido será o ultimo ja que decidi dormir no frances... e nao no paine como a maioria... mas acho que ate 18h eu consiga chegar para pegar o ferry que parte as 18h30... e quase 22h30 devo chegar em P. Natales... :)

Compartilhar este post


Link para o post

15 hours ago, maizanara said:

Oi 

oi Vini!! Tudo bem?

Antigamente quando não era necessário reservar com antecedência, esta escolha era muito influenciada pelo clima: caso vc chegasse lá e o tempo estivesse bom, era melhor correr para as Torres para garantir ver elas. Já se o tempo estivesse ruim, vc poderia fazer o chamado de W invertido, iniciando pelo Grey, ganhando assim alguns dias para o tempo abrir até vc chegar nas Torres (que é o auge do Circuito W). Hoje em dia como há necessidade de planejar, eu fortemente sugiro iniciar pelo Grey pois assim você caminha em direção à montanha Los Cuernos (que me encantou tanto quanto ou mais que as Torres), ou seja, Los Cuernos estará sempre na sua frente (e não nas suas costas, um desperdício rsrsr). Também tem um trecho chatinho que é descida para quem faz o W invertido e subida para quem faz o tradicional.

A desvantagem é o tempo que se perde com transporte: além dos ônibus vc tem que pegar um catamarã para atravessar o Lago Pehoe, e nisso você perde bastante tempo sim... Então para quem está na correria, é melhor pensar nisso. Nós fizemos em 5 dias e 4 noites, então foi bem de boa e super recomendo fazer assim e não na correria...

Está é a visão que vc terá caminhando sentido ao Los Cuernos, não dá para perder, dá?

No meu blog coloquei várias info super úteis como preço, roteiro e tudo mais www.calangosviajantes.com.br e mais fotos :) 

Bons ventos

DSC_8922.jpg

Obrigado!! as fotos ficaram lindas!

Estou pensando em fazer este roteiro, oque vc acha? Pode dar sua opinião? 5 dias e 4 noites

1 - Catamarán Paine Grande  até Refugio Grey - Dormimos no Refugio Grey

2 - Refugio Grey até Paine Grande - Dormimos no Paine Grande

3 - Paine Grande até Camping Frances - Visitanos mirador britânico - Dormimos no Frances

4 - Vamos até Camping Torres - Dormimos la

5 - Visitamos a base e depois vamos embora

Obrigado! pelas infos no seu site

Compartilhar este post


Link para o post
1 minute ago, vinisilvaoliveira said:

Obrigado!! as fotos ficaram lindas!

Estou pensando em fazer este roteiro, oque vc acha? Pode dar sua opinião? 5 dias e 4 noites

1 - Catamarán Paine Grande  até Refugio Grey - Dormimos no Refugio Grey

2 - Refugio Grey até Paine Grande - Dormimos no Paine Grande

3 - Paine Grande até Camping Frances - Visitanos mirador britânico - Dormimos no Frances

4 - Vamos até Camping Torres - Dormimos la

5 - Visitamos a base e depois vamos embora

Obrigado! pelas infos no seu site

Obrigada :) Fico feliz por ter ajudado 

Um pergunta antes de eu te falar minha opinião: as reservas já estão feitas ou é flexível? Quando será a viagem?

Compartilhar este post


Link para o post
2 hours ago, maizanara said:

Obrigada :) Fico feliz por ter ajudado 

Um pergunta antes de eu te falar minha opinião: as reservas já estão feitas ou é flexível? Quando será a viagem?

Claro! Ainda nao fiz as reservas... mas estou de olho nos campings que sao mais baratinhos hehe (por volta de 10.000). Estamos querendi começar 16 de outubro

Compartilhar este post


Link para o post

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por PedrãodoBrasil
      Expedição Extreme e Serra Fina
       
       
       
       
       
       
      Serra Fina 4 dias    16 a 19 Maio 2019
      Saida de Vitória no dia 15 de Maio e nos Hospedamos no
      Harpia Hostel Pousada Hotel,
      Do Amigo Alessandro (35) 98894-0533  (Hostel e Transfer)
       R. Ângelo Dalessandro - Centro, Passa Quatro – MG
       
      Participantes
      Idealizador da Trip
      https://www.facebook.com/pedraodobrasil  
      27 99805 8885
      Participantes
       
      https://www.facebook.com/bruno.languer.9
      https://www.facebook.com/patrick.martinscastelo
      https://www.facebook.com/rosa.natura.rosa
       
       
       
      1°dia
      16/05/2019
      Início 9 hs
      Fim 16 hs

      -Toca do Lobo, Quartizito e campi amarelo
      -Local do Camping : Capim Amarelo (Acampamento 1)
      *Entre toca do lobo e capim amarelo tem o último ponto de agua do dia a direita no quartizito.
      -Capim Amarelo. 2491mt de altitude.
      Muita subida, escalaminhada, muitas cordas.
      Enfim se vc é nutela não vá .
       
      2°dia
      17/05/2019
      Inicio 08 hs,
      termino 17 hs
      -Capim amarelo
      -Maracanã
      -Cachoeira vermelha
      -Base da pedra da mina (Acampamento 2)
      *Ultimo Ponto de agua do dia na base da Pedra da Mina.
      Chegamos neste ponto estava um bento muito forte e chovendo muito e estava muito frio, resolvemos acampar neste local (Base da Pedra da Mina). Isto por volta das 17:00 hs.
      Os ventos, tempestades e raios se intensificaram.
      Ficamos na barraca por 20:00 hs, pois durante o dia ficou feia a coisa.
      Saímos por volta das 14:00 hs do outro dia, devido tempestades e raios.
       
       
       
      3°dia
      18/05/2019
      Inicio 14:00 h
      Término 18:00 h
      Saímos da base da Pedra da Mina ainda com chuva e ventos fortes, atingimos o topo da Pedra da Mina com seus 2797 Metros de altitude.
       
      Os ventos lá em cima eram muito fortes, além do frio.
      Descemos e atingimos o vale d Rhuá.
      Encontramos uns caras que passaram um perrengue durante a noite.
      Seguimos pelo vale sempre a direita do rio.
      Passar pelo vale do Rhuá e uma coisa única, um belo vale com capins amarelos bem alto e muita lama.
      No final do vale foque sempre o V no final do vale.
      Pegamos agua para o dia seguinte, é importante pegar no mínimo 6 litros de água, pois até o ponto de água seguinte.
      Saímos do vale e dormimos num camping acima. Agora sim fomos agraciados por um por do sol maravilhoso. (Acampamento 3)
       
       
       
      4º dia
      19/05/2019
      Inicio 08:00hs
      Término 18:30 hs.
      Saída do Camping acima do vale do Rhuá e seguimos em frente, hoje porem deu um nascer do sol lindo, indicando que o dia ia ser aberto, pois os dias anteriores não foram de um bom tempo.
      Passamos Pelo Mirante do Vale das Cruzes, Pelo cume do Cupim de Boi, Pico dos três estados 2656 mt altitude, Ombro dos 3 estados, Cume Bandeirante, Alto Dos Ivos, entroncamento com a garganta do Registro, Ponto de água antes do Sitio do Pierre, Sitio do Pierre e Asfalto, onde o resgate nos aguardava.
      Volta ao Hostel, dormimos e fomos embora na segunda feira, finalizando assim a trip, que foi umas das mais HARD que já fiz.
      A Serra Fina para Mim é considerada uma das mais difíceis e pesadas do Brasil.
       
      Use sempre Protetor Labial.
       

      Dicas
      Mesmo fazendo a travessia no final da temporada de montanha, bambus e Capim Elefante são uma constante. Luvas e blusa de manga longa é boa pedida.
      O desespero em saber que a travessia oferece pouca água, não deve ser considerado algo extremo, lembre-se que o corpo necessita de liquidos, não somente água. Eu particularmente, levei sucos prontos, e água de coco e só abasteci a garrafa de água mesmo no terceiro dia. Os dois primeiros só bebia nos pontos de água. Mas isso claro, vai de pessoa para pessoa.
      Quando fizer paradas próximo ao Capim Elefante, a presença dos ratinhos deve ser considerada e não deixe a mochila aberta de forma alguma. Nos cumes, nada de comida fora da barraca e se possivel, longe dos cantos para evitar o cheiro.
      Protetor solar e chapeú que cubra o rosto e pescoço é ótimo, pois o bambuzal deixa muito matinho caindo pelas costas. Bandanas também são muito uteis, principalmente nos cumes para não ficar com o nariz vermelho pelo frio.
       
       
       
       































    • Por Humbertodown
      Olá pessoal, resolvi criar esse post desde já com intuito de obter muitas informações que possa agregar e me ajudar a começar a me preparar para a primeira travessia de 32 km da Petro - Terê, eu já fiz Pedra do Sino 3 vezes, mas nunca a travessia, estou ansioso, querendo levar o mínimo de peso, mas sabemos sempre que isso é quase impossível, então irei montar a lista dos equipos que provavelmente irei levar já com algumas imagens. Quem quiser deixar dicas eu agradeço. A data da minha travessia será nos dias 06, 07 e 08 de Julho de 2019, alguns amigos que iram comigo farão a travessia em 2 dias (Sábado e Domingo) eu e uma amiga ficaremos até na segunda feira. Ficaremos no Bivaque do Abrigo Açu e no Bivaque do Abrigo 4 (Pedra do Sino) onde já dormi duas vezes no Bivaque e uma no Camping. Ainda preciso comprar uma bota de trilha porque a minha da The North Face esta com o solado gasto, mas acredito que ainda vá dar tempo porque temos alguns meses pela frente, e preciso também de uma calça resistente pra trilha. 
      Vamos a lista de Equipos que já tenho e pretendo levar na mochila e no corpo
      Mochila Trilhas e Rumos 68 litros. 
      Camisetas de Mangas e sem mangas The North Face, Nike, Adidas, Puma todas respiráveis 
      Jaqueta de Plumas de Ganso MacPac Modelo Equinox Alpine Series
      Casaco de Fleece The North Face 
      Saco de dormir Western Mountaineering modelo Versalite -12ºC
      Isolante Térmico EVA Quechua 
      Tripe para máquina fotográfica ou celular e Bastão de Selfie 
      Bastão de Trilha Quechua 
      Lanterna Led de Cabeça 
      Calça Forclaz da Decathlon que vira bermuda
      Bota Quechua da Decatlhon
       
      Ao longo das semanas eu irei postando o que for lembrando e o que a turma recomendar, grato por algum comentário nesse tópico, abraços em todos. 
      No vídeo a seguir esta alguns dos equipamentos pela qual estarei levando para minha travessia.. Jaqueta MACPAC e o saco de dormir WM.
       
       
       
       


       

       



    • Por fore
      Introdução
      Planejei uma viagem de carro saindo de São Paulo, capital, com destino ao Ushuaia, saindo do Brasil por Foz do Iguaçu, porém, para evitar a Ruta 14 com medo dos policiais corruptos, entraria no Brasil novamente em São Borja/RS para chegar em Uruguaiana/RS e assim descer até Gualeguaychu pelo Uruguai. Em seguida seguir para o lado oeste e descer a Ruta 40, entrar em Torres del Paine no Chile e continuar descendo até o Ushuaia.

      Na bagagem: barraca Quechua Arpenaz 4.1 Fresh & Black, duas cadeiras de praia, um fogareiro Nautika ceramik, uma mesa portátil, colchão inflável de casal, um saco de dormir, um cobertor, tapete em EVA (aqueles de montar) e manta térmica para forrar o chão da barraca. Além de utensílios de cozinha, um cooler, grelha para churrasco e uma caixa de mantimentos básicos como macarrão, miojo e alguns temperos.
      A barraca é grande, espaçosa e bem simples de montar (são apenas 3 varetas assim como qualquer outra). No quarto cabe o colchão de casal e sobra espaço para mais um de solteiro, como não era o caso, era usado para guardar as mochilas.
      O fogareiro acho que foi a melhor aquisição que fiz. Achei muito bom e a lata de gás durou por uns 3 dias com a gente. Fomos com 12 latas pra lá, porque eu não sabia o quanto rendia. Sobrou bastante e de qualquer forma, a gente encontrava facilmente em supermercados por lá.
      Fomos em 2 pessoas, com um Peugeot 208 1.5, suspensão esportiva (mais baixa que a original), rodas aro 17 com pneus 215/45 e insulfilm g20 em todo o carro, inclusive parabrisa. (Só mencionei isso pelo fato de ainda haver dúvidas quanto ao tipo de carro que consegue fazer esse tipo de viagem).
      Comprei o chip da EasySIM4U para conseguir sinal de internet no celular (somente dentro das cidades tinha sinal).
      O caminho todo me guiei pelo Google Maps, meu carro tem a central multimídia com Android, então bastava eu compartilhar a internet do celular e tudo certo (pelo menos quando tinha sinal).
      Para procurar hotéis usei o Booking.com (consegui pegar bons descontos com o Genius) e para campings usei o iOverlander. Apesar de ajudar muito, o iOverlander é um pouco desatualizado, infelizmente a colaboração não é tanta no aplicativo. Existem muitas outras opções de campings no caminho que a gente acaba encontrando só depois de ter dado entrada em algum.
      No total foram 14.730km em 28 dias de estrada, sem nenhum perrengue ou problemas maiores.
      Obs:
      - O tempo de viagem relatado é o total do tempo do momento em que saímos de um hotel/camping até chegarmos no próximo destino. Contando as paradas na estrada.
      - Os gastos coloquei na moeda local, pois fica mais fácil caso alguém precise consultar em outro momento para ter uma noção melhor de custos.
      - A viagem inteira abasteci com gasolina/nafta super.
      Se quiserem me acompanhar no instagram: @fore.jpg
    • Por Da Silva Junior
      Ferrotrekking de Viana x Marechal Floriano com os amigos.
      dia 29 de Janeiro fiz um Ferrotrekking de Viana a Marechal Floriano passando por Domingos Martins, e contemplamos dois Tuneis e oito Pontilhões. show demais a galera curtiu e muito.
      Abaixo partida as oito da manhã da Pracinha de Viana. 




      Vista da Igreja da Conceição Centro de Viana Sede. 


      Chegamos no Pontilhão do Bairro Santo Agostinho. 

      olha a turma começo de trilha

      entrando no Pontilhão.

      Sentido Domingos Martins Zona Rural de Viana. 



      pausa de 20 minutos Lucas Lima cansou rápido olha que tiamos andado apenas 6 km 

      Vale das Águias, de onde você observa muito elas. 





      Olha a Paisagem Show 














      Depois dessa Curva chegaríamos a Bica de água Mineral a verdadeira água direto da pedra. 




      Eliane e Sr Sergio curtindo a caminhada

      Olha a Bica Aí 

      Bica da Linha

      Pivetta encheu o copo kkkk 



      Saindo do Segundo Pontilhão nesse lado estávamos em Domingos Martins

      olha a altura da criança.

      Pivetta Atravessando o Segundo Pontilhão sobre o Rio Jucu Braço Sul 

      Bora 


      Juliano show e Pivetta lá atras 






      1 KM para chegar no terceiro Pontilhão 



      Vista do Terceiro Pontilhão 


      Terceiro Pontilhão sobre o Rio Jucu braço sul 800 mts para o primeiro Túnel 


      Terceiro Pontilhão no trecho 






      tmjsss quarto pontilhão do Túnel de Pedra dos Ventos chegando 

      Túnel de Pedra dos Ventos com o quarto Pontihão. 

      Aquela foto na entrada do Túnel 





      Dentro do Túnel


      Juliano o cara 





      Saindo do Primeiro Túnel

      Bambuzal de Pedra dos Ventos 



      Escola de Pedra dos Ventos 

      Chegada na antiga parada Ferroviária de Pedra dos Ventos. 

      Olha lá atras da Eliane antiga plataforma de embarque de Pedra dos Ventos em Domingos Martins. 



      AQUELA FOTO E VAMOS QUE ESTÁVAMOS CHEGANDO NO MEIO DO TRECHO

      Ponte do Jucu. 

      Estação Ferroviária do Jucu só Ruínas. 

      Olha o que sobrou apenas a plataforma e a fundação. 

      meio do caminho completados partiu rumo a Germânia. 





      Pausa de uma hora na Estação do Jucu. 


      a Turma.
       

      Segundo Túnel entrada dele. 
       



      depois do Túnel 650 mts quinto pontilhão do Trecho. depois dessa curva aí. 


      Olha ele aí quinto Pontilhão sobre o Rio Jucu Braço Sul. 



      Farra. 

      Pausa para aquela foto. 

       

      Começa da atravessia 

      Formações.




      Chegada na Estação de Germânia Vale da Estação Domingos Martins.  

      Cansados nada bora partiu mais 6km em uma hora. 

      Estação DE Germânia ainda bem conservada. 

      Pontilhão  lado Marechal quase chegando. 








      Chegada em Marechal Floriano. 

      os Guerreiros que chegaram o resto não quis tirar foto tavão mortos. kkkkk

      Show demais ter feito isso nosso amigo Pivetta completou os 31 km conseguimos traze lo para essa aventura foi demais. deixo meu numero para vocês puderem me mandar msg seja no zap ou me ligar já fiz de Argolas até vargem alta e pretendo fazer até a divisa.
      interessados me chame. 27 996973825 aguardo abraço a todos. 



    • Por rafacarvalho33
      Antes de começar o relato, gostaria de salientar que ocorre uma discussão a respeito dessa trilha,  se ela deve ser feita ou não e vou tentar explicar o porque desse debate. 

      A trilha de fato é ilegal, ela fica dentro de uma propriedade privada (a empresa MRS Logística) e a Sub prefeitura de Paranapiacaba não reconhece a trilha como oficial, além desses dois importantes fatores, não é anormal que ocorram a fiscalização para pegar os infratores na entrada da trilha, podendo gerar uma multa (que varia dos R$300 a R$500) e ate detenção por invasão a propriedade privada.

      Por outro lado, a trilha se dá ate Cubatão, passando pela Serra do Mar, com paisagens exuberantes, com fauna e flora muito rica e diversificada, além das cachoeiras pelo caminho, há também toda a importância histórica e cultural do trajeto, juntando esses fatores com o fato de Paranapiacaba estar próximo a cidade de São Paulo, é comum que dezenas de pessoas durante os finais de semana se arrisquem e realizem a travessia, ou pelo menos, parte dela. 
       
       Paranapiacaba recebe centenas de turistas nos finais de semana. 


      Por muitos anos, me recusei a fazer essa trilha, porque além de ela ser ilegal, ela também é perigosa, mas esse ano conheci duas pessoas que já fizeram esse trajeto mais de 05 vezes cada um, sendo conhecedores do local de olhos fechados, assim me senti mais seguro.

      Antes de mais nada, na minha opinião, acredito que a melhor solução para esse assunto seria a empresa cobrar uma taxa de entrada, e com esse dinheiro, aplicar na manutenção da trilha, deixando ela mais segura para os amantes de aventura, assim, todos ganhariam, a empresa, nós e Paranapiacaba, que assim, poderia receber mais turistas. 

      O fato de proibir por proibir sabendo que existem pessoas que ate acampam no local, da a sensação que as autoridades junto com a empresa tem preguiça de lidar com a situação, pois ao mesmo tempo o acessos a trilha e a saída dele são fáceis de identificar, se de fato quisessem proibir, não seria difícil fazer isso, ao meu ver parece que eles apenas buscam fugir da responsabilidade caso alguma coisa aconteça.


       
       Vagão de trem abandonado logo no começo da trilha
       
       
      Bom, dito tudo isso, vamos falar um pouco mais sobre a Trilha Funicular, a travessia até Cubatão tem 15 km, passando por 16 pontes e 13 túneis, as pontes estão a 50/60 metros de altura do chão, a trilha muitas vezes passa por mata fechada, tendo muitos espinhos, aranhas e até cobras, por isso é recomendável usar camisa manga longa e calça larga, e caso veja uma cobra pelo caminho, só precisa ter calma e deixar ela seguir seu trajeto em paz, recomendo o uso de lanterna para ajudar a atravessar os túneis. 
       
      A trilha é plana e tranquila de se fazer, não requer muito esforço físico, agora as partes que atravessam a ponte, essas não são tão simples, primeiro porque sempre dá aquele medo, então é comum muitas pessoas travarem na hora e não conseguirem, segundo, as pontes estão bem danificadas, já que elas foram construídas e postas em operação no ano de 1867 e foi desativada entre 1970 a 1980, então a conservação da ponte esta comprometida, a parte de madeira esta podre e em alguns locais, o ferro que da a sustentação, esta bem gasto. 
       
       A situação das pontes não são das melhores. 


      No caminho, atravessamos por 05 pontes na ida, a primeira foi a mais cansativa, por ter todos esses problemas que citei acima, mas conforme você vai fazendo, você vai pegando confiança e segurança, na quarta e quinta ponte já fazia em pé, sem precisar me apoiar em nenhum lugar. 

      A nossa volta, passamos por duas pontes e cortamos caminho para chegar ao novo sistema funicular, dando a oportunidade de ter a visão das pontes de longe.


       
       

      Além das pontes e trilhas, no caminho tem estruturas diversas, como as Casas das Máquinas, esses lugares geralmente são para as pessoas que querem acampar a noite, fazer alguma comida ou dar aquela descansada. 

      Começamos a trilha as 09:00h da manhã e voltamos a cidade as 15:30h da tarde, já que estava ameaçando chover, nosso trajeto foi até a segunda casa das máquinas, que fica depois da quinta ponte, lá tem um ótimo lugar para tirar fotos e apreciar a Serra do Mar, chegando a ver Cubatão ao fundo, muitos vão até a terceira ponte, onde tem a primeira casa das máquinas e um ótimo lugar para tirar fotos também, os mais corajosos vão ate Cubatão. 

       
       Dando aquela pausa na segunda casa das máquinas.


       
      A imponente Serra do Mar ao fundo 
       

      Recomendo que caso você tenha interesse em realizar a travessia ou parte dela, que busque algum guia local ou pessoas que já fizeram e que possam ter ajudar durante a trilha, é de extrema importância ter um apoio, se eu fizesse ela sozinho, sem ter ao meu lado duas pessoas experientes, a situação seria muito mais complicada do que foi. 


      Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga.


      **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] ****


      Follow me


×
×
  • Criar Novo...