Ir para conteúdo

BOLÍVIA, CHILE, ARGENTINA E PARAGUAI - 15 dias - Agosto/17


Posts Recomendados

  • Membros
Em 18/10/2017 em 21:25, oliveira.alex disse:

Em agosto de 2017, tirei férias do trabalho e decidi embarcar para o meu primeiro mochilão pela América do Sul.

Procurei encaixar um roteiro barato e que durasse em torno de 15 dias, e, após longas pesquisas, defini uma rota e me joguei sozinho! :D

Muitas pesquisas fiz aqui, no Mochileiros, e me ajudaram muito!

Vou compartilhar minha experiência e quem sabe ajudar quem pretende fazer o mesmo.

15 dias (12/08 a 27/08)

Gasto aproximado = R$ 2.300,00 (Incluindo passagens aéreas)

Levei:
- Dólar e Real (em espécie)
- Cartão de Credito (não usei)
- Cartão Débito (Precisei sacar na Argentina)

Países: Bolívia, Chile, Argentina e Paraguai.

Cidades:
São Paulo - Campo Grande – Corumbá – Puerto Quijarro – Santa Cruz de La Sierra – Sucre – Uyuni – San Pedro de Atacama - Salta - San Salvador de Jujuy - Purmamarca -- Tilcara – Corrientes – Posadas – Encarnacion – Ciudad Del Este – Foz do Iguaçu – São Paulo.

12/08 – SP X CAMPO GRANDE

Embarquei num sábado a noite de avião rumo a Campo Grande, e já comecei bem: o voo atrasou 2 horas ainda em Guarulhos :(, com isso, perdi o último ônibus do sábado que ia de Campo Grande até Corumbá. Tive que esperar o próximo ônibus que só sairia as 07:00 do domingo.

VOO – SP X CAMPO GRANDE = R$ 170,00 
ÔNIBUS - CAMPO GRANDE X CORUMBA = R$ 120,00

13/08 – CAMPO GRANDE X CORUMBÁ

Embarquei as 07:00 e por volta das 12:30 cheguei em Corumbá. Ainda na rodoviária, um taxista me cobrou 40,00 até o lado boliviano. Achei o preço alto, então decidi ir caminhando até o terminal de ônibus municipal, 1 km mais ou menos, lá peguei um ônibus para a fronteira por menos de R$ 4,00.

No ônibus já haviam muitos bolivianos. Pensei: “PQP! Aonde eu fui me meter! ” kkkkkkkk

Cheguei na fronteira, ainda no Brasil, carimbei meu passaporte, e caminhei uns 5 minutos até chegar em Puerto Quijarro no lado boliviano.

Lá na aduana preenchi uma ficha com os dados pessoais, carimbaram meu passaporte e estava oficialmente dentro da Bolívia. Uhuuuu

Logo que sai do posto policial, peguei um taxi por R$ 10,00 (CHORADO kkkk) e fui até a “Estación de Tren” para embarcar no trem da morte com destino a SANTA CRUZ DE LA SIERRA.

Dicas:

1- Pechinche TUDO! Desde água até a passagem de ônibus.

2- Troque TODOS os Reais na fronteira. Nossa moeda vai desvalorizando à medida que saímos da fronteira. 

3- TREM DA MORTE é cansativo, lento e não tem nada de mais, a não ser que você queira dormir muito, comprar galinhas, frutas, sucos, espetinhos duvidosos...prefira fazer o trajeto de ônibus é mais rápido e mais barato.

TAXI FRONTEIRA = 20 Bolivianos (R$ 10,00)

TREM DA MORTE = 70 Bolivianos (R$ 35,00) 

14/08 – SANTA CRUZ DE LA SIERRA X SUCRE

A viagem no trem da morte durou umas 17 hrs, em paisagens comuns, com pessoas entrando e saindo do trem e vendendo de tudo, até galinha kkkkkk

Cheguei em Santa Cruz de la Sierra de manhã, umas 06:00 hrs e a ideia era conhecer a cidade e pegar um ônibus até Sucre. Sem condições! Estava garoando, Santa Cruz é muito grande, muito confusa e o trajeto de ônibus de 500 km até Sucre ia durar umas 14 hs. Eu estava exausto!

Fui de taxi até o aeroporto Viru Viru e comprei a passagem p/ Sucre na hora. Umas das melhores escolhas que fiz na vida!

TAXI P/ AEROPORTO = 30 Bolivianos (R$ 15,00)
VOO P/ SUCRE = 240 Bolivianos (R$ 120,00)

Sucre é conhecida como Cidade Branca, fica a 2800 mts de altitude. Muito bonita, limpa, organizada e com uma arquitetura colonial que lembra as cidades históricas de MG. Vale a pena conhecer! Fiquei 2 dias por lá.

Conheci a Plaza 25 de Mayo, Catedral Metropolitana, La Casa de La Libertad, Mirador La Recoleta, Parque Simon Bolívar e o Centro Histórico. 

HOSTEL – DIÁRIA C/ CAFÉ DA MANHA = 70 Bolivianos (R$ 35,00)

15/08 – SUCRE X UYUNI

Pela manhã aproveitei para trocar meus Dólares em Sucre, foi a melhor cotação que encontrei até então, depois, fui até a rodoviária para comprar minha passagem para Potosi.

Conversando com alguns brasileiros que conheci na rodoviária, descobri que ir para Potosí era desnecessário. Segundo eles: "Potosí não tinha nada de mais". Bom acreditei neles, até porque eles acabavam de vir de lá, então comprei a passagem direto para Uyuni, que sairia só a noite.

Dicas:

1- A única empresa que faz o trajeto Sucre x Uyuni é a 6 de Octubre, as outras vão primeiro para Potosi e de lá tem que comprar outra passagem para Uyuni.

2- Beba muita água, isso facilita a adaptação na altitude.

3- Na Bolívia todos os banheiros são pagos, então não beba tanta água assim kkkkkkkk

4- Blusas, toucas, luvas etc é mais barato comprar em Sucre do que em Uyuni.

5- Portunhol nem sempre é suficiente para comunicar-se com os nativos, algumas palavras são um pouco diferentes, principalmente as comidas. Peça que repitam devagar que vai kkkkkk

6- Para quem viaja sozinho o inglês é importante. Vá nem que for com o básico, me ajudou muito!

ONIBUS – SUCRE X UYUNI = 70 Bolivianos (R$ 35,00)

16/08 - UYUNI

Cheguei em Uyuni por volta das 05:00 da matina, certamente esse foi o dia que eu mais passei frio em toda a minha vida! Não sei qual a temperatura estava, mas certamente estava abaixo de 0. Estava com muitas blusas, calças, toucas e luvas, mesmo assim passei frio. Sem contar a altitude que castiga! Tive que abusar da coca (folhas e chá apenas kkkkkk)

Quando desci do Ônibus, uma senhora me abordou me oferecendo um lugar aquecido com café da manhã. Não pensei duas vezes e fui atrás dela. Era uma lanchonete com calefação, WiFi e um monte de gringo na mesma situação que eu, com muito frio! Esperei lá até amanhecer e as 7:30 fui para rua para fechar meu pacote para o Salar.

Os preços do tour de 3 dias variam de 700 a 800 bolivianos. Além disso, tem que pagar a parte:

30 bolivianos para Isla do Pescado, 10 para banho quente no hostel, 150 para entrar no Parque Nacional, 50 para alugar saco de dormir (opcional) e mais 50 de transfer para o Atacama.

Isso tudo, daria em torno de 1.000 bolivianos e no momento eu tinha apenas 850. 

Negociei muito, pedi desconto, disse que era brasileiro e.....nada! tentei em umas 6 agências diferentes e nenhuma queria abaixar o preço.

As agências geralmente começam os tours entre 10 e 11 da manhã, às 10:45 hs eu ainda não havia fechado com ninguém.

Até que entrei em uma agência (não lembro o nome), peguei 580 bolivianos do bolso e falei para a proprietária: isso é tudo que tenho! 

A mesma senhora que me ofereceu por 800 a algumas horas atrás, aceitou os 580 kkkkkk mano que stress!

Ela ainda me incluiu num grupo de 5 amigos italianos que viajavam juntos. 3 eram mulheres 9_9

TOUR SALAR DE UYUNI

Apesar do frio intenso (inverno), cada momento foi especial e por mais que eu descreva aqui tudo o que aconteceu, seria impossível passar a vocês a sensação de estar lá. Foram quase 3 dias de experiências incríveis em todos os sentidos. Antes de ir, li muitos relatos de pessoas que passaram perrengues e tal, mas eu, particularmente, não tenho do que reclamar. Tudo vai da sorte, é claro. 

16/08 
Cemitério dos Trens, Deserto de Sal (único dia), fotos com perspectivas, monumento Dakar, Isla do pescado, noite no hostel (frio suportável).

17/08 
Lagunas, lagunas, lagunas, flamingos, vulcões, lagunas, árbol de piedra, lagunas, muitas lagunas, gelo, noite no hostel (frio insuportável e altitude acima dos 4.000 mts).

18/08
Logo de manhã fomos ao geisers (segundo nosso guia a temperatura estava -15°C), depois tomei banho de piscina natural aquecida pelos vulcões algo assim kkkkkkkk (revigorou) e fomos para a laguna verde (que estava branca de gelo) já na fronteira com o Chile. Me despedi dos amigos italianos, que voltariam para Uyuni e embarquei sozinho em uma van para San Pedro de Atacama.

IMPORTANTE!

Tem que pagar mais 15 Bolivianos para sair da Bolívia. o.O

18/08 – SAN PEDRO DE ATACAMA

Cheguei no Chile por volta das 13:00 e fui procurar lugar para ficar. Na aduana me ofereceram hospedagem a 7.000 pesos (R$ 35,00), achei bom o preço. Fechei 2 diárias.

Dicas:

1- San Pedro de Atacama é uma cidade pequena e com excelente estrutura, porém tudo é caro. Vá preparado!

2- Grande parte dos passeios incluem lagunas, desertos, geisers e vulcões, quase tudo já visto no tour de 3 dias no Salar de Uyuni.

3- Todo comércio fica na rua Caracoles e arredores, procure se hospedar perto de lá.

4- Para consumir bebida alcoólica tem que comprar também algo para comer. O único lugar que se consegue beber sem comer, chama-se: ChelaCabur. (Fui muito!)

O primeiro dia em SPA aproveitei para descansar e conhecer a cidade. Os brasileiros estão por toda parte. Incrível kkkkkk

Aproveitei também para reservar o passeio no Valle de La Luna para o dia seguinte.

PASSEIO VALLE DE LA LUNA – 8.000 pesos (R$ 40,00)

HOSTEL 2 DIÁRIAS = 14.000 pesos (R$ 70,00)

19/09 -  BIKE TOUR + VALLE DE LA LUNA

Acordei cedo, e logo me enturmei com os espanhóis que conheci no hostel. Resolvemos alugar bicicletas e fazer um tour pelo Atacama até Catarpe, passando por Pukará de Quitor e Garganta Del Diablo. Pouco mais de 1 hora pedalando. Foi incrível!

São paisagens indescritíveis, dignas de papel de parede do Windows. Pelo caminho cruza-se com rios, cânions, ruínas. É um passeio barato e surpreendente. Garganta Del Diablo é demais!

ALUGUEL DA BIKE = 3.000 pesos (R$ 15,00) por 5 horas. 

Já no final da tarde, fui para o passeio do Valle de La Luna e Valle de la Muerte, destinos tradicionais do Atacama. A fila para tirar foto na pedra do Coyote estava gigante, desisti! O pôr do sol do Atacama é uma das coisas mais sensacionais que eu já vi.

20/09 – SPA X SALTA

Achei que ficar mais dias no Atacama ia me custar muito $$$ e já estava satisfeito com o que tinha visto, então fui para a rodoviária e comprei passagem pra Salta.

Era um domingo e o ônibus saia as 08:30, comprei a passagem às 8:00. Caso não fosse no domingo, teria que esperar o próximo ônibus que só sairia na quarta-feira. PQP que sorte! Kkkkkkkk

ONIBUS – S.P.A x SALTA = 20.000 pesos (R$ 100,00)

Foram quase 10 hrs no ônibus, confortável e com vista para a cordilheira, não desgrudava da janela. Muitas curvas e precipícios também. Cheguei em Salta umas 19:00 e fui procurar um hostel. Encontrei um perto da Plaza 9 de Julio com diária a 150,00 pesos argentinos.

HOSTEL 2 DIÁRIAS = 300 Pesos Arg. (R$ 60,00)

21/08 - SALTA

Tirei o dia todo para conhecer a cidade. 

Salta é uma cidade agradável, fica ao norte da Argentina, e lembra muito Buenos Aires, só que menor.

Muitas praças, Igrejas, muitas cores, arquitetura clássica, museus, feiras e povo animado. A tarde fui ao teleférico San Bernardo, que te leva a um mirante com vista panorâmica da cidade.

TELEFERICO = 120,00 Pesos Arg. (R$ 24,00)

22/08 – QUEBRADA DE HUMAHUACA

A melhor maneira de conhecer a região é de carro ou tour por agências, as estradas são boas e as cidades ficam próximas umas das outras, de ônibus fica um pouco mais complicado. Acordei cedo e fui de ônibus até a Quebrada de Humahuaca (Purmamarca e Tilcara) passando por S. Salvador de Jujuy. Foi sensacional, conheci o Cerro de Los Siete Colores em Purmamarca e Pucará de Tilcara. Tudo na correria e com medo de ficar sem ônibus pra voltar. Cheguei de volta em Salta pouco depois das 20:00.

ONIBUS - SALTA X S. S. JUJUY X PURMAMARCA X TILCARA X S. S. JUJUY X SALTA = 450 pesos Arg.(R$ 90,00)

23/08 – SALTA

A ideia era conhecer a região de Cafayate (200 km de Salta), achei que de ônibus ia ser puxado, tinha que voltar as 18:00 para embarcar para Corrientes. Decidi ficar em Salta e curtir mais a cidade.

24/08 – CORRIENTES - POSADAS - ENCARNACION

Embarquei num ônibus que saiu de Salta até Corrientes, foram 12 horas de viagem. Depois até Posadas, mais 4 horas. Nesse momento poderia seguir viagem para Puerto Iguazu (fronteira com o Brasil) ou seguir pelo Paraguai. Decidi me aventurar por terras paraguaias.

Encarnacion é uma cidade banhada pelo rio paraná (lembra muito praia) e faz fronteira com a Argentina. A cidade superou todas as minhas expectativas. Me hospedei em um hostel próximo a “orla”.

Muita gente bonita, muitos gringos, cerveja barata, muito calor (30°C a noite) e um pôr do sol sensacional! 

Próximo dali, estão as ruínas Jesuítas de Trinidad e Jesús de Tavarangue, vale muito a pena a visitar. No segundo dia, tirei a tarde para conhece-las. 

Dicas:

1- Encarnacion fica a uns 30 km das Ruinas Jesuitas, dá pra ir de ônibus ou taxi. Vale muito a pena conhecer!

2- Os paraguaios falam mais guarani do que espanhol, em alguns momentos, não se entende nada do que falam.

3- Tudo no Paraguai é barato: comida, bebida, ônibus, hospedagens.

ONIBUS – SALTA X CORRIENTES X POSADAS = 1.000 Pesos Arg. (R$ 200,00)

ONIBUS – POSADAS X ENCARNACION = 20 Pesos Arg. (R$ 4,00)

HOSTEL – 1 DIÁRIA = 65.000 Guaranis (R$ 36,00)

RUINAS JESUÍTAS = 25.000 Guaranis (R$ 14,00) 

25/08 ENCARNACION – CIUDAD DEL ESTE – FOZ DO IGUAÇU

Depois de conhecer as ruinas em Encarnacion peguei um ônibus até a Ciudad del Este. São umas 5 horas de ônibus caindo aos pedaços num calor infernal, com paradas a cada 10 minutos. Cheguei lá por por volta das 20:00. 

Ciudad del Este não tem muito o que fazer, a não ser compras. Muita bagunça, muito transito e muito lixo, até peguei ônibus errado. Procurei um coletivo para atravessar a fronteira e nada.

Tinha poucos Guaranis no bolso, então, resolvi atravessar a fronteira caminhando, queria chegar logo no Brasil.

Demorei 20 minutos para atravessar a ponte da amizade. Sozinho, com o mochilão nas costas, barba grande, cabelos despenteados e parecendo um mendigo, mas extremamente feliz por ter conseguido voltar salvo.

ONIBUS – ENCARNACION X CIUDAD DEL ESTE = 50.000 Guaranis (R$ 28,00)

25/08 - 26/08 - FOZ DO IGUAÇU

Cheguei em Foz do Iguaçu perto das 21:00 exausto, peguei um moto táxi na fronteira e fui até um hostel que ficava perto do terminal de ônibus. No terminal parte um ônibus que vai direto para as cataratas passando inclusive pelo aeroporto. Tudo que eu precisava!

No dia seguinte, acordei cedo e fui conhecer as Cataratas, fiquei lá a manhã toda, lugar incrível.

A tarde comi um prato feito com arroz, feijão, bife e batata frita, putz que saudade disso! kkkkkkkk e no fim da tarde embarquei de volta pra SP.

MOTOTAXI – FRONTEIRA X HOSTEL = R$ 15,00

DIÁRIA HOSTEL = R$ 35,00

INGRESSO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU = R$ 37,00

VOÔ – FOZ X SP = R$ 213,00

Bom, assim foram os meus 15 dias viajando sozinho pela América do Sul. Um pouco corrido, é verdade! mas consegui aproveitar cada momento dessa viagem. Já estou planejando a próxima! HAHAHA

Abraço a todos!

Instagram: @aleeexoliver

 

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
58 minutos atrás, Diogo Urbanski disse:

Ciudad del Este só compras e lixo??? Perdeu de conhecer o Salto Monday, Reserva Taty Poty, navegar no encontro do Rio Paraná com o Rio Paraguay, visita gratuita a Usina de Itaipu, entre muitas outras coisas...

Cara foi a impressão que tive nas poucas horas que fiquei por lá, talvez por ja estar cansado e no fim do mochilão. Paraguai é maravilhoso e tem muito lugar que pretendo conhecer ainda, inclusive esses que você citou. O que relatei é apenas minha opinião, vai de cada um. Abraço!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • 2 semanas depois...
  • 2 meses depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...