Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Colaboradores

No primeiro feriado de novembro/2017 estava buscando um destino tranquilo para viajar com um bebê de 1 ano e acabei escolhendo Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Éramos um grupo de 2 casais e 1 bebê e optamos por alugar uma casa pelo airbnb que estava com o valor bem em conta. Saiu em torno de R$170 por adulto, de quinta a domingo (02 a 05/11). A casa tinha piscina, churrasqueira, todos os utensílios necessários, wi-fi, enfim, era bem confortável, fomos muito bem atendidos pelos anfitriões e adoramos. O valor ainda saiu um pouco mais alto porque tínhamos alugado para 5 adultos, mas um acabou desistindo de ir.

Link da casa no airbnb

A ideia foi curtir a piscina da casa e fazer um churrasco no primeiro dia, fazer uns dois dias de passeio de escuna e no último dia conhecer alguma praia. Mas acabamos fazendo apenas um passeio de escuna, porque a previsão do tempo era de chuva para o último dia. Vou deixar o relato mais detalhado aí embaixo.

02/11/2017 (quinta)

Ida ao mercado no caminho

Chegada em Angra por volta de 13h

Piscina e churrasco durante o dia
AND_0610.thumb.JPG.be4c22c025ae3ab3bcad4ed49975c81d.JPGIMG_3586.thumb.JPG.0c45f2f5e7885cfdf08bc50464789f4b.JPG

À noite passeamos no Centro de Angra, mas a maioria das lojinhas estavam fechadas, então fomos logo para a rua dos barzinhos, caso não saiba onde é só perguntar para algum taxista, dá para ir andando. É na R. Cel. Carvalho.

centro.thumb.jpg.f7bccd88ffc52b8bbc145edc8f6e5ef2.jpgnoite.thumb.jpg.df71a41762bbac46bec39f0753ad3c90.jpg

Tem muitas opções e lota bastante a noite por lá, ficamos num barzinho que não lembro o nome, próximo ao Sam Restaurante Árabe que tem um shawarma sanduíche muito bom e barato. Comemos esse sanduíche e bebemos e pedimos uns petiscos no barzinho ao lado que estava com um grupo ao vivo de samba/pagode.

03/11/2017 (sexta)

Nesse dia reservamos o passeio de escuna com o Lagilles (24 97402-6963 - zap). O horário de saída agendado foi 11h30 no cais Sta. Luzia. No início do cantato o valor cobrado foi R$70, mas falando que éramos um grupo de 4 pessoas caiu para R$60 e já no último contato fizeram por R$50 cada adulto. Então o segredo é negociar para pagar mais barato. Durante o passeio vimos que essa escuna foi uma ótima opção, pois não estava lotada como as outras, fizemos o passeio bem confortável. O lado ruim é que eles não autorizam a caixa térmica, apenas bolsas térmicas pequenas. Levamos cervejas, vodka, sucos, água e lanches, mas ainda compramos cervejas e churrasquinho na escuna, os preços não estavam tão altos como geralmente é nesses passeios. Então se não tiver como levar a bolsa, leve pelo menos o lanche, porque para comer não tem muitas opções.

AND_0065.thumb.JPG.d3c3cdd71412d873350569508a7104ad.JPG

AND_0096.thumb.JPG.3b8faeb15b357c3d9d77b540bf463e6e.JPG

A escuna saiu do cais por volta de 12h e voltamos umas 18h. O roteiro incluía 2 paradas para mergulho e 2 desembarques.

A primeira parada foi próximo a Ilha de Cataguases. Que é linda e um dos cartões postais de Angra.

AND_0076.thumb.JPG.201349e5d1fa9a96815268c84632d38f.JPG

A segunda parada foi na Lagoa Azul, onde dá para ver muitos peixes e onde a equipe da escuna oferece fotos aquáticas, se não me engano a R$35, 15 fotos. Meus primos combinaram com fotógrafo de fazer as 15 fotos em família por esse valor, mas eles cobram por pessoa. Então caso tenha interesse, negocie se estiver acompanhado. Nesse local eles alugam snorkel também, acho que a R$25. Como eu tenho, sempre levo o meu, mas acabei nem usando. A água é bem clarinha e você vê os peixes sem nem precisar mergulhar. Leve uns pedacinhos de pão e vai tirar ótimas fotos e se divertir.

AND_0184.thumb.JPG.651fb5051a0a7b2c6cbdda37bc550038.JPGAND_0166.thumb.JPG.7a5cd865f18cfde01a9c02001d1f5189.JPGAND_0254.thumb.JPG.c5372047510321dd6dbbc74f0b844d37.JPG

O primeiro desembarque foi na Praia de Japariz que é a parada para almoço, tem várias opções de restaurante e na escuna você pode reservar com antecedência com o restaurante que eles fazem parceria. Não vi o preço, mas é em torno de R$25 também. Preferimos sentar em um restaurante, pedir lula e peixe fritos e continuar bebendo nossas comidas. Para o bebê levamos comida pronta que estava congelada e pedimos para esquentar no restaurante que ficamos.  

AND_0291.thumb.JPG.1e0690d2f17cf585d842331d9c42543f.JPGjapariz.thumb.jpg.490a516b87b044153b218bffbcab578c.jpg

O último desembarque foi na Freguesia de Santana, onde tem uma igreja que foi construída 1843. O local foi um importante centro comercial e agrícola do séc. XVII. Outra atração do local é um coqueiro altíssimo que tem próximo à igreja.

AND_0339.thumb.JPG.3ab31267be49ddfe1d9bda7c897acd88.JPG
AND_0302.thumb.JPG.1a48579b588c71b538a775c919051bed.JPG

Depois retornamos ao cais aproveitando o pôr do sol.

AND_0393.thumb.JPG.080f33ea240bda2b9b830f8134311819.JPG

À noite fomos a um rodízio de comida japonesa no Miyagi Sushi, que gostamos bastante. No dinheiro estava saindo a R$79 por pessoa.

japa.thumb.jpg.25f58f08582bd7d52d378ed61bfc409d.jpg
 

04/11/2017 (sábado)

Neste dia fomos à Praia do Café, que fica em um condomínio particular. Para chegar você não pode entrar com o carro, tem que se identificar na portaria e seguir um caminho de cerca de 1km. O trajeto não é difícil, tem uma escadaria e passa por dentro da água em um pequeno trecho, mas só molha até a panturrilha. Não tem quiosques ou restaurantes no local, por isso leve seus lanches e bebidas. Havia poucas pessoas na praia, tinha algumas sombras das árvores, a água é bem tranquila. Bom lugar se você quer sossego, relaxar e levar crianças.

AND_0413.thumb.JPG.11eff628c7a6871451a8fc18257fb437.JPG

AND_0450.thumb.JPG.45037fd0f00a06cd24f6fa033b442f86.JPG

AND_0481.thumb.JPG.a9bb3b393378dc188ef571889a68d696.JPG

AND_0493.thumb.JPG.920a2a38face5dce831030a3dc7a771a.JPG

Dia 05/11/2017 (domingo)

O dia amanheceu bem nublado. Fomos conhecer a Praia da Biscaia, que fica no corredor turístico da Ponta Leste, um pouco mais distante do Centro. No trajeto tem várias outras praias que aparentavam ser bem legais de passar o dia, umas com mais,
outras com menos movimento. Como o tempo não estava muito bom fomos direto para a Biscaia. A praia estava quase deserta, tinha um quiosque aberto, onde compramos iscas de peixe não tão bem servidas a R$35. Levamos nossas bebidas, brincamos de frescobol e ainda vimos uma tartarugas aquáticas passeando pelo local. A praia é bem bonita e com águas tranquilas.

AND_0639.thumb.JPG.65569f5da27b8de0e472a176cbec4a3e.JPG

AND_0640.thumb.JPG.642f03f5d908d854713d164f2162e74f.JPG
 

Enfim, achei o roteiro ótimo para quem quer descansar e sair da rotina com um criança pequena. Espero que sirva para alguém. Abraços!

Para quem se interessar, tenho outros relatos de viagem no instagram @viajagora e na página do facebook Sobre Lugares e Destinos. Por aqui também tenho esses relatos:

 

 

 

 

AND_0076.JPG

Link para o post
  • 1 mês depois...

  • 1 mês depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Cyndell Floresta
      Boa tarde, Mochileiros

      Existe algum grupo para organizar trilhas na região sudeste? Gosto muito das trilhas/travessias no litoral de São Paulo e o litoral sul do Rio (Paraty/Angra), e tenho interesse em ficar por dentro das novidades e conseguir compahia para viajar.

      Desde já obrigada,
      Cyndell
    • Por Caio Vinicius Aleixo
      Pra chegar em Ilha grande
      Fomos de Jundiaí pra SP (Rodoviaria do Tiete) 16,00
       Depois de SP para Angra 112,00 (sem taxa de conveniência pq comprei na rodoviária)
      Da rodoviária pegamos uber (7,00) pro cais. (da pra ir andando, uns 20 min)
      No cais compramos a travessia de barco rápido (90,00 ida e volta ou 50 cada trecho se comprar separado). Tem a opção de balsa que é 17 reais por trecho mas os horários são mais limitados (Angra-Ilha as 15h e Ilha angra as 10:30 se não me engano). O barco rápido faz o trajeto em 30 min mais ou menos, a balsa faz em mais ou menos 1h. Na volta acho que não compensa (se bater os horários) pegar o barco rápido, pqe ele fez uma parada em outra praia pra depois ir pra Angra, então deu o msm tempo da balsa. Se comprar o Barco rápido antecipado vc precisa deixar agendado o trecho de volta mas da pra re-agendar facilmente com o número do bilhete ligando no numero descrito tb no bilhete.
       
      Hospedagem
      Ficamos no Hostel Beach House, café da manhã ok, tinha café, leite, um suco que acho que é natural (diluído), pão, presunto e queijo (teve um dia que não teve), melancia e bolo.
      Os quartos são limpos, tem onde trancar a mala, fiquei num quarto pra 9 com um banheiro dentro do quarto (no final ficamos só em 3 pessoas no quarto pqe era baixa temporada na ilha). Custo é de 30,00 reais em dias da semana e 35,00 em fds. Hostel fica bem localizado, perto de mercado, farmácia, restaurantes (se bem que a vila é pequena nada é mt longe). Embaixo do hostel tem uma agencia de turismo
      http://bit.ly/Hostel_Beach_House

       
      Passeios
      Dia 1 - Lopes Mendes
      Fomos andando e voltamos de barco (20,00 barco rápido 15,00 barco mais lento)
      Tem a opção de ir e voltar de barco ou ir e voltar de trilha.
      A trilha é cansativa pqe sobe mt, e é relativamente longa (umas 2h30). A trilha é de mata fechada e tem 1 mirante basicamente (logo depois que terminar de subir tem uma parte de barro a direita, é ali que tem que subir). A trilha é longa então é bom ir de tênis.
       
      Dia 2 - Abraãozinho (lado norte da ilha)
      Fomos andando até a praia do abraãzinho (passa por varias praias até la, que são mais bonitas que a abraãozinho inclusive). Essa caminhada é de boa, vai beirando as praias.
       
      Dia 3 -  Passeio Praias paradisíacas 80,00
      Melhor Passeio na minha opinião, é um passeio que passa em várias ilhas de Angra (botinas cataguases, praia do dentista, lagoa azul (acho que é isso e tem mais uma que não lembro). Passeio é bom para snorkel, o passeio inclui snorkel, agua e macarrão (boia). as praias e ilhas são mto bonitas msm. o passeio foi feito de lancha com capacidade para umas 12 pessoas. (o passeio foi mt animado pqe tinha um carioca engraçadíssimo e uma galera animada na frente. Na frente o barco bate mais se o mar estiver agitado e o visual é melhor. Atrás molha mais caso o mar esteja agitado. Faz frio na volta desse passeio)
       
      Dia 4 - Cachoeira da feiticeira e tentativa de praia da feiticeira (lado sul da ilha)
      A trilha passa pela praia preta, antigo hospital (hospital p pessoas com lepra se não me engano, parece um presídio, mas não confunda com o antigo presídio que existia em 2 rios)
      a trilha não é tãão fácil mas é mais tranquilo que a trilha pra lopes mendes. No meio do caminho tem um lugar que a sinalização é estranha, acabamos pegando o caminho errado e não saímos na praia da feiticeira, saímos em uma praia do lado. Voltamos de barco (20,00) 
       
      Dia 5 - Passeio meia volta 100,00
      Passeio para em algumas praias mas os principais são Lagoa verde e lagoa azul, tem também a praia do amor (que fica de frente p onde gravaram alguma coisa do filme crepúsculo) gostei bastante do passeio mas preferi o “praias paradisíacas”. Passeio é bom para snorkel, o passeio inclui snorkel, água e macarrão (bóia) assim como o “praias paradisíacas”
       
      DICAS: 
      Leve tenis, muita coisa é feita de trilha e tênis vai tornar muito mais confortável as caminhadas
      Para os passeios de barco, de preferencia para os dias de sol, deixa o passeio/praias mt mais bonitos e a prática de snorkel ainda melhor.
      Lagoa azul e lagoa verde tem muita vida marinha, não deixe de praticar snorkel.
      Se sentir mt frio, leve blusa p os passeios de barco qnd estiver nublado (na volta pega mt vento)
      Existem diversos passeios, alguns feitos de escuna, que são mais baratos mas perde-se mt tempo navegando e passa em menos lugares. 
      O Hostel “Aquário” (http://bit.ly/2ueaRPF) da uma festa td noite, é de graça e só paga o que consumir.
      Alimentação vc acha de td, comi pf por 23 reais e moqueca (no restaurante lua e mar) que ficou 90,00 por pessoa (a comida é deliciosa e o ambiente bem massa, pegamos um prato que teoricamente é pra 2 e comemos em 3. Estávamos famintos e deu de boa)
      Comer no “Coruja” é um lugar que vende uma empanada SENSACIONAL, 8,00 e tem opções vegetarianas. lá tb tem promoção de 3 caipirinhas por 25 reais (varios restaurantes do lado tb tem)
      La tem mto estrangeiro, fui em setembro e tinha mt frances e argentino.
      Me disseram que em alta temporada os preços sobem MUITO, tanto passeios qnt restaurantes, hostel TUDO.
      O clima da ilha é meio Roots, não tem carro, é mt bom pra relaxar e fazer amizade. Achei a galera mt gente boa no geral.
       
      Contatos 
      Hostel beach house: http://bit.ly/Hostel_Beach_House
      Nativos turismo (onde fechei os passeios, fica logo em baixo do beach house)                                      24 99997 6382
       
      Quem quiser ver fotos ou tirar duvidas, me chama no instagram @caioviniciusaleixo (lá eu fico mais atento as mensagens)
       
    • Por isaribeiro
      Olá Mochileiros!
      Hoje vim relatar um pouco sobre minha viagem para Ilha Grande, que fica na cidade de Angra dos Reis, no Rio! Angra pra mim sempre foi sinônimo de luxo e riqueza e depois de trabalhar o ano todo, decidi separar um pouco mais de dinheiro e conhecer essa ilha. Como essa viagem aconteceu em agosto e minha memória não está tão fresca para preços exatos, vou tentar ao máximo resumir a experiência e dar dicas de como economizar e aproveitar esse paraíso.

                     
      RESUMÃO
      A ILHA – impressões, como chegar, onde ficar, onde comer, o que fazer e passeios.
       • Impressões e como chegar
      Bem, como o nome diz, Ilha Grande é uma ilha e nela só se chega por barco. Há diversas opções, mas decidimos contratar um serviço de transfer ida e volta que nos pegaria no Aeroporto do Galeão e nos deixaria em nosso hotel no Rio na volta. O valor do serviço incluindo transfer terrestre e marítimo com lancha rápida ida e volta custou R$210 reais por pessoa, com a empresa Transfer Ilha Grande que recomendo demais, o serviço foi muito bem prestado.
      Opções mais baratas para chegar na Ilha vindo do Rio é pegar carona/um ônibus na rodoviária até a cidade de Conceição de Jacareí e de lá comprar o ticket de barca para Abraão por 35,00.
      Em ilha grande existem 3 cidades para hospedagem: Abraão, Palmas, Araçatiba e Aventureiro (sendo que esse ultimo só se chega de barco saindo de Angra dos reis). Nossa escolha foi Abraão por ser a maior e principal. Logo no desembarque já sabíamos que a viagem valeria a pena, o lugar é paradisíaco. Não tenho palavras para descrever a beleza do lugar, uma vila simples, pequena, onde o comércio fecha de 13:00 – 17:00, rodeado por uma mata atlântica viva. O dress code é chinelo ou pé no chão, mas não esqueça de incluir um casaco e tênis na sua mochila.
       
      • Onde ficar
      Sobre as hospedagens em Abrãao... Precisa ser levado em consideração que a Ilha é um lugar bem simples, originalmente era uma vila de pescadores e tudo precisa chegar de barco. É uma logística meio complicada que também influencia na inflação dos preços. Estivemos na Ilha em agosto, baixa temporada para o Brasil, mas férias na Europa e consequentemente os valores não estavam tão baratos, pois a Ilha lota de Europeus nesse mês, fomos descobrir isso por lá. Estávamos em casal, não queríamos ficar em camping, nem quarto compartilhado, o ideal era uma pousada com cama confortável e chuveiro quente. As diárias variam muito, escolhemos a pousada Horizonte dos Borbas pelo custo benefício e ótima localização. Foram 6 diárias e o valor total ficou em R$ 877,50 com café da manhã incluso. Recomendo esse lugar, foi um bom achado. Opção mais barata para Ilha Grande é camping e hostel. Recomendo bastante o Che Lagarto. DICA MOCHILEIRA: acampar em Ilha Grande é um prato cheio. Caso decida por essa opção, não deixe de acampar em Parnaioca ou Aventureiro.  
       
      • Onde comer
      Comer em Ilha Grande é absurdamente caro. Não tem meio termo, ou você cozinha no hostel/camping ou gasta, no mínimo, 40 reais em um prato. Até no mercado as coisas são muito caras, e olha que sou de Brasília onde preços altos normalmente não assustam, o que me deixou meio indignada. Uma água de 5 litros custa 10,00. Se você for ficar hospedado em pousada/hotel, recomendo separar pelo menos 100 reais por dia para alimentação entre almoço e janta, contando que sua hospedagem tem café da manhã. Sim, não é exagero.
      O preço é caro, mas a comida é boa. Recomendo os seguintes lugares:
      - Café do Mar Bar e Restaurante
      - Lonier Garoupas
      - Pizzaria Fornilha
      - Ateliê Cafeteria
      - Creperia Tropicana
       
      • Passeios e o que fazer
      A Ilha é dividida entre trilhas que levam até algumas praias e passeios que você faz apenas com barco. As trilhas são perfeitamente demarcadas, não sendo necessário guia apenas disposição. Contratamos todos os passeios com a empresa LIG – Lanchas Ilha Grande. Os passeios saem diariamente de Abraão, não compramos nada com antecedência, porém alguns passeios são determinados pela maré, então recomendo ir atrás dos passeios logo na chegada para garantir. Fizemos os seguintes passeios em nossa estadia por lá:
      - Ilhas Paradisíacas (R$ 90,00)
      - Volta a Ilha (R$110,00)
      - Meia Volta (R$80,00)
      - Lopes Mendes (independente)
      - Trilha até praia de Abraãozinho (independente)
       
      Vou detalhar cada passeio a seguir:
       
    • Por nnaomi
      Fiz um apanhado de dicas e descrições das trilhas de Ilha Grande. Em 2008, percorri as trilhas que partem da Vila de Abraão, onde fiquei hospedada. Em 2015, voltei à ilha e percorri as trilhas que partem de Araçatiba e Bananal, ficando hospedadas nessas duas localidades. Todas as trilhas foram feitas no esquema bate e volta no mesmo dia.
      Há 16 trilhas mapeadas pela TurisANGRA com diferentes graus de dificuldade, mas geralmente dispensam o uso de equipamentos mais específicos e cada trilha tem duração de caminhada inferior a 1 dia. A maioria das trilhas está demarcada e passa por limpeza e manutenção, mas o mesmo não ocorre com a sinalização que é antiga e está apagada/avariada ou ausente em vários trechos. Algumas trilhas possuem bifurcações e/ou não estão demarcadas pela falta de uso, dificultando o seu percorrimento. Também há outras trilhas, não mapeadas pela TurisANGRA, que são usadas pelos moradores. Caso queira percorrer uma delas, informe-se nas vilas se as trilhas estão abertas e demarcadas.
      É bastante comum o Roteiro Volta da Ilha que faz o contorno completo da ilha, emendando uma trilha na outra e pernoitando em pousadas ou campings. Salienta-se que é necessário pegar um barco de Aventureiro a Parnaioca, pois é proibido entrar na Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul que é fiscalizada pelo INEA. Porém há relatos de quem passou por esse trecho.
      Basicamente, a área da ilha está inserida em três Unidades de Conservação (UC) administradas pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA) que regulamenta as normas de visitação a essas UC.
      O Parque Estadual da Ilha Grande (PEIG) integra a Área de Proteção Ambiental de Tamoios e foi reconhecida pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.
      Sede: Av. Nacib Monteiro de Queiroz, s/n, Vila do Abraão, 3361-5540. Administrativo: seg-sex de 8-17h. Visitação: ter-dom de 8-17h
      Fonte: site do INEA
      A Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul é uma UC de Proteção Integral com sede na Vila do Aventureiro e são permitidas apenas visitas de cunho educacional e para a realização de pesquisas científicas, mediante prévia autorização.
      Fonte: site do INEA
      A Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro (RDS) é uma UC de Uso Sustentável. Fazia parte da Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul, que é uma UC de Proteção Integral, mas foi desmembrada e recategorizada. A nova classificação da área foi feita para conciliar a preservação dos ecossistemas locais com a cultura caiçara, valorizando os modos de vida tradicionais, assim como as práticas em bases sustentáveis desenvolvidas pela população tradicional beneficiária da unidade, incluindo a pesca de caráter artesanal, sob controle e gestão compartilhados entre o INEA e moradores da RDS do Aventureiro.
      Dicas:
      • Para as trilhas, é recomendado o acompanhamento de um guia ou alguém que conheça bem a região
      • Antes de iniciar uma trilha pegue informações no Centro de Informações Turísticas e/ou com algum morador que conheça o local e que, de preferência, tenha passado pela trilha recentemente. Condições da trilha podem mudar de um dia para outro
      • Há algumas dicas para fazer as trilhas no site http://ilhagrande.org/trilhas-da-ilha-grande
      • Informe-se previamente sobre as condições da trilha. Na maioria dos trechos, as trilhas não são caminhadas à beira da praia, e sim seguem dentro de mata fechada cortando morros, por isso costuma ter subidas e descidas, algumas bastante acentuadas. Outra consideração importante é que, embora as trilhas estejam, geralmente, limpas e bem demarcadas, a sinalização está deteriorada em vários pontos, onde sobrou apenas a placa, mas os dizeres estão apagados. Também há bifurcações não sinalizadas, embora sejam mais comuns nas proximidades das vilas
      • Consultando as anotações que peguei na internet e seguindo a intuição, procurei transitar pela trilha principal, a mais aberta e mais limpa, evitando os caminhos que pareciam levar às residências. Algumas bifurcações (do tipo Y de ponta cabeça) passam despercebidas na ida e nos confundem na volta, mas com um pouco de bom senso, sentido de orientação e ajuda dos moradores, que são muito prestativos, descobrimos o caminho certo. No meio da trilha a orientação geral é seguir a trilha mais aberta e acompanhar os postes de fiação de energia elétrica, pois estes vão dar sempre em algum local povoado
      • O inverno é uma ótima época para caminhar, pois a probabilidade de chuva é menor e as temperaturas são mais amenas, mas pode ser frio para entrar na água que fica bem gelada nessa época
      • Não faça trilha descalço, nem de chinelo; um calçado apropriado é essencial, pois não é caminhada na areia da praia na maioria dos trechos. Algumas partes da trilha têm inclinação acentuada e terreno acidentado com raízes, pedras e/ou terra batida, que devem ser escorregadias na época de chuva. Acredito que depois de uma chuva, deve demorar para secar, pois há várias partes de mata fechada, onde não bate sol.
      • Comece a trilha cedo, para ter tempo de folga para um imprevisto. Nesse ponto, ajuda quando a pousada começa a servir o café da manhã cedo. Em julho, lá pelas 5h já está escuro nas trilhas, pois a maior parte segue dentro de mata fechada. Complica por causa das raízes, pedras e obstáculos do meio do caminho. É bom se programar para voltar antes disso, mas de qualquer forma previna-se com uma lanterna
      • Leve água e lanche, mesmo que tenha fontes de água e comércio no destino, pois as fontes podem estar secas ou contaminadas e o comércio pode estar fechado ou desabastecido
      • Para não ficar repetitivo, registro aqui uma informação mais "técnica" da trilha. Descrições mais detalhadas do percurso encontram-se nos respectivos relatos
      • Lado direito ou lado esquerdo da praia? A indicação dada, considera que você está olhando o mar
      • Mapas, fotos e informações detalhadas de algumas trilhas: br.ilhagrande.com
      • Mapas e algumas informações da trilha: ilhagrande.com.br
      ****************************************
      Nanci Naomi
      http://nancinaomi.000webhostapp.com/
      Trilhas:
      Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté
      Relatos:
      15 dias em SC: - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha
      Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas
      3 dias em Monte Verde - dez/2014
      21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro
      11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo
      21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi
      21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú
      8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est
      25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina
      Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010
      Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009
      Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009
      19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal
      10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008
      De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008
      Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007
      Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes
      9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
    • Por nnaomi
      Período: 14 a 23/07/2008 e 06 a 15/07/2015
      Cidades: Ilha Grande
      Ilha Grande, o paraíso dos turistas estrangeiros. Nunca vi tanto turista estrangeiro junto! O local é bem rústico, simples, sem carros e considero como principais atrações, as trilhas e passeios de barco. Bom para quem gosta de caminhar (muito!) e não tem enjôo de mar, mas a recompensa são praias lindas, de água muito clara, cercadas por mata. Acredito que não seja um destino bom para quem tem crianças pequenas, devido às características do local, como o acesso difícil às principais belezas da ilha. Também não é indicado para quem espera luxo, conforto e não vive sem as facilidades de uma cidade grande.
      Confira abaixo as dicas e o relato de viagem. Fiquei hospedada na Vila do Abraão, que é a maior vila da ilha e com mais infra-estrutura. Na segunda viagem para a ilha, dividi a estadia entre Araçatiba e Bananal.
      Obs.: "Outras opções" referem-se às indicações que recebi de colegas, mas que não experimentei por não ter tido tempo ou por ter tomado conhecimento delas tarde demais. ATENÇÃO: não possuo nenhum vínculo com pousada, hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. Alguns dos pontos turísticos, bem como alguns estabelecimentos, não foram visitados por mim e as informações foram pesquisadas em guias. Portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade, se os dados são atualizados e/ou verossímeis.
      O texto na cor preta se refere ao primeiro relato de 2008 e o texto na cor verde, às informações atualizadas ou ao novo relato de 2015.
      A cidade
      É uma das inúmeras ilhas de Angra dos Reis, a qual possui, em sua totalidade, cerca de 148mil habitantes (dados IBGE 2007) e área de 800 Km². Faz limite com as cidades de Bananal (SP), Cunha (SP), Mangaratiba, Paraty, Rio Claro e São José do Barreiro (SP). Apresenta clima tropical úmido com temperatura média de 27ºC.
      ****************************************
      Nanci Naomi
      http://nancinaomi.000webhostapp.com/
      Trilhas:
      Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté
      Relatos:
      15 dias em SC: - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha
      Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas
      3 dias em Monte Verde - dez/2014
      21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro
      11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo
      21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi
      21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú
      8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est
      25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina
      Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010
      Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009
      Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009
      19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal
      10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008
      De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008
      Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007
      Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes
      9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul
×
×
  • Criar Novo...