Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

18 dias - Deserto Atacama (Chile) - Salar Uyuni (Bolivia) - Machu Picchu (Peru)


Posts Recomendados

  • Membros

RELATO DE VIAGEM

Deserto do Atacama (Chile) – Salar de Uyuni (Bolivia) – Machu Picchu (Peru)

17 dias – dez09/jan10

 

Pessoal, queria ter postado nosso relato aqui antes, mas foi muita correria desde a viagem. Morei em duas cidades diferentes nos últimos 5 meses. Queria completar mais o relato, mas não da mais para adiar ... tenho que divulgar logo algumas informações que podem ser úteis. Possivelmente, acrescentarei mais preços posteriormente. A viagem foi maravilhosa! Lugares incríveis! As fotos.. como aquelas de fundo de tela que vem no computador! Espero que ajude um pouco! Abs.

 

Inicio da viagem: partimos de BH dia 21/12/09

Voltamos de lima: 07/01/10

 

BH – Guarulhos -Santiago do Chile – San Pedro de Atacama – Uyuni – La Paz – Cusco – Arequipa – Lima – Guarulhos – BH

 

CHILE – SAN PEDRO

 

21/12/09

 

Transporte de Calama para San pedro do atacama, onde chegamos 01:30 da madrugada, (por ter esperado o ultimo voo do aeroporto + problema com a van) (uma moça oferece transporte em Van num balcão na sala de desembarque. Não havia outra opção nesse dia), albergue reservado. Já havia feito orçamento em alguns, mas parecia estar tranqüilo para data, daí deixei para ver na hora, onde fosse melhor. Hospedagem San Pedro de Atacama. Se for para ficar mofando no aeroporto a noite como ficamos, talvez seja melhor hospedar-se em calama e ir para san pedro no dia seguinte. Chegando em San Pedro, o motorista da van nos indicou um hostal, sem quartos ou banheiros compartilhados. Pegamos um quarto duplo com banheiro, sem café da manha, conforme já havíamos planejado. Conseguimos um desconto de 22.000 para 19.000, para aquela noite. No dia seguinte pesquisamos outros lugares e verificamos que, naquelas condições, o Albergue Santa Cruz de Atacama(dono Ricardo), onde já estávamos, estava com preço ótimo. Daí fechamos todos os dias seguintes pelo mesmo preço. O Hostal tem cozinha com geladeira, banho quente, cobertores + edredom. . Na verdade usava so um lençol a noite, pois o quarto ficava numa temperatura boa.

Poucos quartos(cinco eu acho), ambiente muito tranqüilo e não havia interação entre os hospedes

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100724234308.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Hostal Santa Cruz de Atacama – Dono Ricardo – Rua Toconao. [ ].[/picturethis]

 

20100724235422.jpg

 

 

 

 

DIA 22/12

Claro, acordamos tarde, fomos a pesquisa de outras Hospedagens e a procura dos PASSEIOS. Encontramos bons preços de passeios no albergue Hostelling Iternational, com a Andréa e, fechando vários passeios, ela ainda dava desconto de 10%, com a agência Grado Diez . Claro, verificamos os preços na agência, e para surpresa, com o desconto da Andréa, ficou mais barato que na própria agência. Para a maioria dos passeios e útil ou necessário agencia, devido a distancias. Mas também há opção de alugar carro, ir de bicicleta ou a cavalo. Gostamos muito dessa agência. Além de os guias serem bakanas, eles têm a melhor comida nos passeios que tem alimentação incluída e um carro para transporte exclusivo, muito bom! É tipo um microônibus construído num caminhão, com vidros enormes. Alem disso, em algumas partes do passeio, ficamos sentados em cima do teto, o que é muito bom para apreciar as paisagens.

 

 

 

20100725000619.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Ja tinha feito a tabela num documento do word. Transformei em imagem, mas ficou ruim demais... vou repetir aqui as informacoes da tabela... vai ficar meio baguncado, mas acho que vai dar para decifrar....

 

 

 

PRODUTO VALOR OBS

Passagem avião TAM

Ida bh – santiago chile

Volta – lima BH 1500 reais Comprando com atecedencia sai por 1100. Uma das passagens foi milhas.

Passagem avião

Santiago- Calama SKYAILINES

320 reais Não da para comprar no site com cartão credito estrangeiro. Comprada por email. Parece que dar para comprar por telefone

Van aeroporto calama – san pedro 10.000 O valor normal e 9.000. o nosso foi esse porque já era tarde.

Sanduíche aeroporto santiago 4.500 No restaurante. Caro

Coca Cola 600ml 800 maquina

Sandu de queijo presunto + suco – aeroporto santiago 990 Bom e barato. No kiosque de revistas no térreo. Único lugar mais barato no aeroporto de santiago

Taxa de saque pelo banco local com visa travel money 2.500 Ainda tem a taxa da empresa brasileira 2,5 dolares

1 Diaria – quarto duplo – hostal cruz de atacama 19.000 Quarto duplo, banheiro, água quente, cozinha. O preço e 22.000

Salada boa no restaurante Inti sol 3.900 Muito bom esse restaurante. Muitas opções de saladas e bons sanduíches e massas

 

VISAO GERAL – os preços por la são mais altos mesmo. Nada super barato. É um lugar que da para fazer passeio de família, inclusive com crianças maiores ou adolescentes. Achava que seria um lugar com menos infra-estrutura. Tem pousadas e hotéis bem sofisticados, assim como restaurantes. Internet super rápida! Usava na lan que fica numa esquina da praça principal. O cara e gente boa e fala um bocado de português. Artesanato aqui praticamente não presta: são todos do peru/bolívia, mais feios e três vezes mais caros.

 

Ah, comprei em san pedro um pacotinho de folha de coca que usei sempre em situações de mais esforço. Não consegui perceber o beneficio, mas me dei bem sempre, exceto por uma breve nausea na estrada a caminho da migração boliviana para iniciar o passeio do salar de uyuni. E bom pegar um chiclete para mascar com as folhas, daí incomoda menos aquele monte de pedaços soltos pela boca.

 

VALE DA MORTE E DA LUA. O passeio em qualquer agencia é sempre no final da tarde. Sai tipo 15:30h. Então da para programar algum outro passeio para manhã também. Passamos pelo vale da morte primeiro. Não tenho certeza, mas acho que só na nossa agencia e que chegamos por cima, apreciamos a paisagem, depois descemos pela areia, (correndo! Muito louco) para onde estava nosso transporte nos esperando, com uma cortesia surpresa. Pela parte baixa que chegam as pessoas nos passeios a cavalo, bicicleta e para os skibunda e um outro que fica em pe. Depois disso, pegamos estrada para o Vale da Lua. La foi muito bakana ficar assentado no teto do caminhão. Eles vão bem devagar, e claro. Em seguida, subimos numas montanhas para apreciar o por do sol. Retornamos por volta de 20:00h. La escurece por volta de 20:40h(verão)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725114715.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Vale da lua - Deserto do Atacama – Chile – natal 2009 [ ][/picturethis]

 

 

VALE DA MORTE DE BICICLETA – são apenas 4 km de distancia. Já haveio feito o passeio para la, mas num dia livre pegamos uma bicicleta. Muito bakana! Depois de visitar as ruínas de pukara de kitor, pertinho da cidade, nada de especial (não há passeios de agencias para la), a tarde, ainda havia um tempinho e resolvi ir para o vale da morte. Minha irmã e dois colegas de passeio pela agencia foram ver a tal piscina, também pertinho da cidade(3km). Disseram que essa piscina não tem nada de especial e nem pagaram para entrar. Fui sozinho para o vale da morte. Na estrada, asfaltada, havia uma subida, reta. O vento estava contra, foi foda a subida. Andava alguns metros e parava, quase morrendo de cansaço...jejeje Depois sai da rodovia e peguei a estradinha de terra, tipo uma erosão no meios dos montes de terra seca. Não demora muito e chega-se ao vale da morte. Já quase na chegada, há alguns pequenos trechos onde há mais areia, mas difícil para passar pedalando. O negocio e pegar uma velocidade e entrar direto, sem mexer muito o guidão(quem tem a manha com bike, deve saber de truque melhor). Como já estava quase anoitecendo, não havia quase mais ninguém lah. Estava sem relógio..jejejej e já começando a esfriar. Sairia vivo de lah? Fiquei pouco tempo e voltei logo. Não foi que encontrei uns chilenos que estavam indo para lah, já começando a escurecer... Bebendo cerveja, fumando maconha. Vai saber como como e que horas retornaram. Se tiver tempo, acho bakana esse passeio de bike se tiver tempo e mesmo se já tiver ido por agencia. A estrada para o vale da lua e tranks de pedalar, maior parte plana, mas a distancia e maior: 16km. Deve ser foda apenas se ficar para ver o por do sol...depois voltar no escuro e com a temperatura caindo. Mas nada que não possa ser bem organizado para quem tiver interesse, saber quanto tempo gasta, etc. O vale da lua pertence a uma comunidade indígena e há uma taxa de preservação.

Também deu para dar uma volta pela cidade, ter uma noção de como eh, fora as ruazinhas turísticas do centrinho.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725114900.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Estrada para Vale da Morte (de bicicleta) – após deixar o asfalto. Há um trecho de uns 300 m bem arenoso, já na cheganda, sendo mais difícil para seguir em frente... [ ][/picturethis]

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

GEISERS EL TATIO – E necessário sair as quatro da manha, para poder estar la em cima (alt. maior que 4000 ) as 06:00h. Esse horário e quando há maior atividade dos geisers. Eu achei que ia ter água jorrando para cima, mas não chega a tanto, mesmo porque se assim o fosse, não seria possível andar no meio deles. Os guias indicam onde e mais seguro pisar. Depois seguimos para a piscina de água quente. Frio, para caramba, mas e tranqüilo de entrar. Depois , mais uma vez o diferencial da agencia que escolhemos, Grado 10. Um super café da manha, nas mesas bakaninhas e tals. A galera toda interagindo. Depois continuamos a viagem de volta. Passamos por um povoado antigo, onde residem apenas 6 pessoas, na verdade, atualmente. Umas quinze casinhas e uma igreja. Churrasco de llama e alguma coisa mais. Depois passamos por um pequeno vale onde há cactos enormes. O guia fez um mistério sobre um lugar onde iríamos chegar. Era uma cachoeirazinha, pequena. Acho que para ele a cachoeira era o maximo! Para mim, brasileiro, não tinha graça nenhuma..jjejeje voltei para apreciar os cactos. Por volta de 12:30 já estávamos de volta. Dica: leve algum lanche, porque ate a hora do café da manha rola uma fome...

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725115454.jpg 375.518672199 500 Legenda da Foto]Geisers El tatio [ ][/picturethis]

LAGUNAS ALTIPLANICAS – são 100 km de distancia. Mas vale a pena! Um visual daqueles de fundo de tela de pc! Uma lagoa azul e vulcões no fundo. Um deles, pode ser visto do lado boliviano e acho que desde o vale da morte também. Olho paras as fotos e não acredito que estivemos ali. Dura o dia todo. Outra vez foi bakana estar com a agencia Grado 10. Apreciamos a paisagem de cima do teto do caminhão-bus. O almoço também, bem mais bakana, com mesas que eles levam etc. Esperaram outros grupos irem embora e ficou so nosso grupo no almoço naquele local inacreditável. Também e um lugar alto(mais de 4000m) então, rolava uma jaqueta de frio. Mas o sol também ajudava. Passamos pelo parque dos flamingos. Havia meia dúzia deles a vários metros de distancia. Interessante, mas sem graça se comparado com as oportunidades diversas de observa-los no passeio pelo salar de uyuni. Passamos também num pequeno povoado, de origem indígena. Pudemos comprar uns pêssegos pequeneninhos, muito bons e tirar fotos com llamas no quintal da Senhora. Tinha também um mercadinho. Há também um outro povoado, a caminho, onde da para comprar alguma fruta na vendinha e visitamos uma igrejinha.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725115639.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Lagunas altiplanicas - Deserto do Atacama – Chile – natal 2009 [ ][/picturethis]

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725115909.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Lagunas altiplanicas - Deserto do Atacama – Chile – natal 2009 [ ][/picturethis]

 

NATAL EM SAN PEDRO DE ATACAMA –Compramos um vinho e fizemos uma massa simples no hostal. Havia uns jantares bakaninhas em alguns restaurantes e pousadas (a partir de 30.000). Depois fomos para uma festa ilegal.

 

FESTAS ILEGAIS – há alguns anos, são proibidas festas comerciais após 00:00h(acho que é essa a regra por lah....). Então a diversão oficial da noite, e sair para jantar: só. Mas há as chamadas festas “ilegais”. O curioso e que e quase impossível conseguir informações sobre as tais festas. Você pergunta e a galera fica fingindo que não sabe de nada. Com muito custo falam se acham que vai rolar ou não a festa naquele dia. Os nativos sabem onde será, mas não dão essa informação. De qualquer forma a informação que se consegue eh: esteja as 01:15 na esquina de caracoles com a rua X(esqueci o nome – vc vai ver alguém la de bobeira). As ruas todas vazias e ficam algumas pessoas aglomeradas ali. De repente passa algum carro. Daí vc vai se aproximando, para ver se e o tal transporte clandestino e acabam indo direto sem parar. Pode ser que numa esquina ali na frente para um outro e pega uma galerinha. Enfim, o treco e uma surpresa! Daí e claro, e necessário ter atenção com quem vai pegar o transporte... se tem muitas outras pessoas indo, ver se o cara estava bêbado e tals... Onde vai ser a festa? So vai saber se chegar lah! Jejeje. Nesse dia, fomos parar na casa em construção de uma mulher. Ela disse estar arrecadando dinheiro para terminar a tal casa, onde vai morar com os filhos. Velas no chão, na pequena trilha ate chegar no terreiro dela. Devia ter levado lanterna. Chegando la, havia umas 100 pessoas, uma fogueira. Ela cobrava 1000 pesos de entrada. Havia dj, bar improvisado, mas tinha varias pessoas que levaram a própria bebida. A galera ate em cima dos montes de areia da construção. Massa. Um clima misturado de lual com rave(assim que escreve?). Uma atividade bem excepcional de natal para nos, onde a prioridade era fazer os passeios durante o dia, que nos deixavam mortos de cansaço. Vai saber o que rola se a policia der uma batida por lah. Alias, os policiais de la são bem rigorosos e chegam a ser intolerantes. Deram blitz (assim que escreve?) na noite de natal, bem do lado da rua turística, caracoles. Também foram grosseiros com grupo de turistas que esperavam, no meio da rua, pela van da agencia (num lugar sem movimento de automóveis e sem calçadas).

 

CAMBIO –

Levei a dica de fazer o cambio de bolivianos na própria agencia do passeio. Mas descobrir um lugar melhor. Descobri o nome da rua agora: Toconao. E uma lojinha bem pequena, quase ao lado de uma lavanderia, na mesma rua da cordillera, mas não na loja que vende pacotes de passeio, mas onde fazem cambio. Quase ao lado de uma lavanderia (eles tem duas lojas). Quase ao lado de uma lavanderia. ALUGUEL DE BIKE E nessa lavanderia Marissol também onde locamos as bicicletas.

 

 

PASSEIOS VALOR OBS

Vale da lua + vale da morte 9.000 Sai 16:00 h

Geisers el tatio 19.500 Sai as 04:00h. tem café da manha por volta de 10:30. Apenas de manha

Lagunas altiplanicas 32.00 O dia todo. Inclui apenas almoço que sai mais tarde também.

Passeio de cavalo de 2 h 15.000 Não fiz. So pesquisei. Esse ia para vale da morte, salar e pelo oásis, acho

Transporte festa ilegal 1000 Local de onde saem? Por ali, na rua caracoles

 

 

PRODUTO VALOR OBS

Aluguel de bike – 4 horas 3000 Diária 6.000

Quarto de frango assado + mini porção de batatas 1000 Perto da praça. Restaurante local

Água 5 l 1400

Salada boa 2900 Restaurante inti sol –

Menu do dia – almoço, janta 3000 Restaurante do lado do albergue hostelling international

Pacotinho folha de coca 500

 

SALAR DE UYUNI

 

A principio iria para o salar, meu principal destino na viagem, partindo da bolívia mesmo, visto que Deserto do Atacama não estava nos planos iniciais. Mas, com planos mudados, fomos em busca da AGENCIA cordillera em San Pedro do Atacama, sobre a qual havia apenas boas referencias. Nosso passeio foi sem volta, pois continuaremos pela bolívia. Encontramos previamente, algumas reclamações contra a Colquers, mas também, pessoas que elogiavam muito. Conclui que a vantagem definitiva deles e ter motoristas responsáveis, como a atendente fez propaganda(pagamos melhor os motoristas, por isso nosso preço e mais alto). Fora isso, o resto vai de sorte. A comida foi bem ruizinha. Um dos almoços foi arroz, com uma cenourinha ralada bem pouca, tomate picado e duas latas de atum para 7 pessoas! (se soubesse, teria levado mais alguma, algum salaminho ou salsicha...)O ar condicionado do carro era uma merda e ficar com a janela aberta, dava uma poeira. Abria uma greta, escondido do motorista. O ultimo banco do 4x4 tambem era uma porcaria de desconforto: era como assentar num toco de madeira. Bom, defeitos nada insuportáveis, mas nos causou surpresa, pelo fato de a agencia ser ate uns 30 dolares mais caro que as demais. Embora tivessem avisado um milhão de vezes, não levamos cds. Resultado: escutamos o mesmo cd os quatro dias “las manos arriba, hey, hey, las manos arribas hey hey hey. Los hombres, las mujeres. ”(Grupo peruano “purpura”). Nessa agencia as todas taxas estavam incluídas(entrada no parque, migração)

 

Saímos de San Pedro de van, passamos pela migração do chile (devolvemos o papel que deram na entrada), fomos ate o barracão onde é a migração da bolívia(altitude de mais de 4.000m). Antes de chegar na migração da bolívia, no trajeto, tive náusea forte. MAL ALTITUDE. Acho que foi um pouco pela mudança da altitude, mas também pq comi como um louco na van, estava no ultimo banco, lugar do veiculo onde balançamos mais e ainda dei uma cochilada. Despertei rodando...Tomei logo metoclopramida, fui para janela pegar um ar(gelado) e ficar longe da galera para não vomitar em ninguém. Passou a náusea. Chegamos. Fizemos a migração, pegamos outro papelzinho que temos que entregar na saída do pais. Ali a receptividade já e outra. Vc já percebe a grande simpatia dos bolivianos. Ali também recebemos o ticket individual de entrada no parque nacional. Este ticket também deve ser entregue ao sair da área do parque, no segundo dia do passeio. O motorista avisou, mas acabei me distraindo e colocando-o numa mochila que foi em cima do 4X4. Estava muito fácil de pegar, mas o motorista não o quis faze-lo. Daí tive que pagar(30b) novamente pela entrada do parque, na saída. Ah, claro, a agencia tem 4X4 mais novinhos e confortáveis, reservados para os tours de grupo privado, onde levam umas 4 pessoas soh.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725121314.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Escritório de migração na fronteira da Bolívia – Fronteira com Chile [ ][/picturethis]

 

Vou relatar algumas coisas do passeio, sem seguir cronologia e sem citar todo o que vimos e tal...

 

A primeira noite nada de frio insuportável como já havia lido diversas vezes (ou ultima noite para quem faz o passeio inverso). Altitude (perto de 4.500m). Creio que a infraestrutura há uns anos atrás era pior ou então seja exclusividade da nossa agencia. Ficamos perto da laguna colorada, num abrigo novinho. O corredor e todo fechado, janelas fechadas e há umas telhas transparentes, que ajudam a criar um ambiente estufa , ajudando inclusive para a noite. Ficamos os seis turistas do 4X4 no mesmo quarto. Camas boas, com cobertores suficientes. Não tem chuveiro para banho. Para carregar baterias, tem que pagar por unidade (5b). Nosso alojamento ficava isolado dos demais, vários reunidos, há uns 200 m de distancia. Eles têm algumas coisas básicas para vender nesse alojamento, inclusive vinho. Havíamos levado o nosso.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725120156.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Quarto alojamento da primeira noite(a partir de san pedro) – Ficam todos os seis no mesmo quarto. O motorista fica em outro. [ ][/picturethis]

 

Nossos compaheiros de viagem no salar de uyuni: éramos somente eu e minha irmã. As outro quatro pessoas conhecemos na hora de partir. Era um casal francês com um filho adulto e um espanhol fotografo profissional. O filho interagia apenas com seus livros. Também era porque num falava nada de espanhol. Puxava alguma coisa em inglês, mas num rendia não. Galera tranqüila. Nada de excepcional, mas também nada que tenha tornado a viagem chata. Mas no final da estava meio cansado da alternatividade excessiva e forçada do casal francês (com um pouco daquela coisa de gringo de país de 1 mundo que esquece serem responsáveis por muita merda que existe em paises pobres e são metidos a soluções alternativas para a vida as custas da exploração). O fotografo espanhol pegando no meu pé (implicado porque eu tirava mais fotos que ele...foram milhões mesmo..jejejeje)

 

Na segunda noite, ficamos num hotel de sal, novinho, no povoado de san juan. Não e o ex-hotel que fica sobre o sal, no deserto sal, próximo a cidade de uyuni que agora e um mini museu , venda de artesanatos e ponto de parada. A janta ali foi ótima! Única refeição que foi boa mesmo. Tinha uma batata dore e um bife bom (vai saber da origem dessa carne..jejeje)

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725120324.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Hotel de sal – segunda noite (passeio a partir de san pedro). Não e o antigo hotel de sal que fica dentro do salar. Este foi proibido há algum tempo e agora e um museu/ponto de parada. [ ][/picturethis]

Bom, as paisagens nesses quatro dias, são mesmo incríveis! De 30 em 30 min, alguma vista inacreditável ! Há um hotel de pedra, num deserto de que esqueci o nome. La costumam ficar pessoas de tours privados. Parece que tem infra-estrutura de hotel mesmo, com diária em torno de 100 dolares, segundo o motorista.

 

Alem do vinho, que valeu a pena, e bom levar outras comidas para os intervalos. Eles fornecem so café da manha, almoço e janta. Chocolates, biscoitos, frutas. Água, cada um leva a sua.

 

ARTESANATO – no final do passeio, logo após o a parte de deserto de sal, antes de pegar a estrada que leva para a cidade de uyuni, foi o local do ultimo almoço. Tivemos uns 20 min para ver umas cinco lojas de artesanato. Bom, os preços la são baixos mesmo! Alguns iguais na cidade de la paz. Na cidade de uyuni e tudo caro! Ate quatro vezes mais!

 

Chegamos a cidade do uyuni por volta de 14:00. Nesse ultimo dia foi meio foda, pq foi a parte que mais esperava, o salar , e foi super corrido. Isso, porque o espanhol faria a viagem de volta para san pedro do atacama, então tínhamos que chegar a tempo de ele fazer parte da viagem de volta naquele dia mesmo(trajeto por fora – parece que essa terceira noite ele passaria no primeiro alojamento em que ficamos e continuar no dia seguinte) Fui procurar um hotel para tentar pagar meia diária, conforme havia lido numa dica. Não consegui, mas o preço melhor era no hotel avenida(esse nome mesmo?) quase ao lado do escritório da agencia. Logo virando a esquina tem uma pracinha, bonitinha, lojas de artesanato e restaurantes mais turísticos. Fora isso, a cidade e bem feia mesmo, como varias outras da bolívia. Lixo muito em excesso. Infra-estrutura muito ruim mesmo. Procuramos uma lavanderia, mas não ficaria pronto a tempo.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725120447.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Praça principal da cidade de Uyuni – por aqui que estão quase todos os restaurantes [ ][/picturethis]

Ah, se for COMER em restaurantes, não chegue com muita fome, porque o serviço e muito muito péssimo. O tempo de espera era no mínimo de 1 hora. Fomos passando por restaurantes diversos. Em um deles, esperamos assentados por 20 min e sequer deu tempo para o garçom nos atender. Pediu que esperássemos: fomos embora. Por fim ficamos no XXXX, como já estava quase no fim do expediente

 

Nos programamos para chegar na cidade de uyuni num dia que havia trem com destino a oruro, saindo a noite/madrugada. Optamos como alternativa mais eficaz, pois havia relatos de estradas ruins, atolamentos e ônibus estragados, nesse período das chuvas. Alguém ainda havia dito que a única diferença da classe executiva era haver um lanche. Bom, quando fomos comprar já não havia classe executiva, que haviam acabado pela manhã. Eles não vendem para agencias, apenas emissão pessoal, com documento da pessoa. Compramos na classe comum, sem imaginar o que nos esperava. De madrugada 01:45h, fomos para a estação. E possível despachar bagagens que vão num outro vagão, para maior(?) tranqüilidade. Daí as pessoas começaram a entrar num vagão parado, após atravessar o trilho. O vagão foi resgatado pelo comboio que chegou depois. O vagão estava todo escuro, a lanterna nos salvou. Daí, descobrimos que os bancos são naquele modelo de um de frente para o outro. Imaginamos que seriamos um para cada passageiro, mas daí vimos que era um deles para dois! Tamanho meio inadequado e as pernas quase em cima da pessoa da frente. Corri na bilheteria para tentar comprar os outros dois da frente, mas um já estava vendido. Comprei o quarto assento então, para ir pelo menos apenas três pessoas ali. O banco e com encosto de 90 graus e os famosos odores diversos.. Obviamente, quase não dormi, apesar do cansaço monstruoso. Falaram que aquele dia estava um pouco mais cheio por causa das festividades de fim de ano. Ah, existem também bancos de três assentos, um de frente para o outro. Então fica a dica: se for pegar trem comum, se quiser um pouco mais de conforto, compre os três assentos de um banco, pq daí da para cochilar mais tranqüilo e se possível, do banco da frente ou então dos quatro, em que ficam de 2 em 2, um de frente para o outro.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725120732.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Esse banco onde ha duas pessoas e para tres. De frente para ele, ha um banco com dois lugares.[ ][/picturethis]

 

Antes da chegada, passamos por povoados diversos, casas muito feias, destruídas, parecia cenário de guerra. Já chegando na cidade, uma sujeira terrível. Desembarcamos em ORURO. Tomamos um táxi para a rodoviária, para entrar paga uma taxa peq. Há varias opções de bus e fomos com a empresa que nos indicaram. Infelizmente não estou me lembrando do nome(acho que era um verbo). A Salinha dessa empresa, acho que a penultima da esq para direita, de frente para as salinhas, que ficam em frente a plataforma de embarque. O bus era mais novo e ia direto para la paz. Na viagem, um casal no banco ao lado enrolado num cobertor de homem aranha ouvindo musica alto no celular. (sta paciência...)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

LA PAZ

Tomamos um táxi para o hostal Copacabana. Combinamos o preço antes. O transito la... infernal, quem acelerar primeiro ou buzinar mais forte e que tem preferência!

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725121751.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Trânsito de La Paz – quem busina mais alto ? uhauhauahuhauah. La nao se usa a seta, mas, sim, a buzina [ ][/picturethis]

O hostal era mais ou menos o que haviam dito. Este hostal fica bem localizado, bem no centro. Café da manha, pão com geléia. Ficaríamos num quarto horrível, apesar da reserva, mas por sorte mudamos para um quarto bom. Para esse fiz reserva antecipada. Demoraram uns dois dias para responder minha solicitação

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725122005.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Quarto hostal Copacabana –bom...Duas camas + banheiroÇ 150 bolivianos [ ][/picturethis]

Tem um café ótimo quase na esquina diagonal(na mesma avenida do Hostel). Chama-se Sabores Típicos Don Gus, mas não esta escrito na frente. E uma porta so, pequena. Costuma ter uma estufa de salgado na calçada. Ao lado das lojas de material de camping. Comemos um prato churrasco argentino, preço mais caprichado, mas era muuuito bom. Acho que estava quase melhor que carne argentina mesmo! La também aprendemos como servem o café: vem um concentrado/extrato de café, frio, que vc mistura com a água quente. Logo do lado desse café, há duas lojas que vendem equipamentos de viagem, mochilas, sacos de dormir etc. Mochilas grandes nem tinham preço tão especial assim

 

E andamos por ali no centro! Visitamos o que havia ali por perto. Compramos bastante artesanato(a bagagem dobrou..uhauhauahu) O tal mercado das bruxas era bem carinho, a maioria das vendedoras com receptividade de bruxa e as opções nem eram la as melhores. Bom para comprar era na rua Sarganagara (algo parecido com isso). Em frente a catedral, barracas com flores e as belíssimas rosas bolivianas vendidas aqui por 8 reais cada! Passamos na rua dos eletrônicos, mas os preços do shopping “oi” daqui de bh, estão melhores.

 

E para não esquecer como o transito de lá e um caos, o motorista do táxi para o aeroporto nos deixou lembranças. Ele, na faixa da esquerda, e outro carro na da direita. Como eles não usam setas ou retrovisor, para passar mais rápido por esse veiculo, ele começava a apertar a buzina 100 metros antes ate passar pelo outro carro. Era 06:30 da manha com transito vazio: hilário!

 

No aeroporto de La Paz(que fica na cidade vizinha El alto que por acaso e praticamente do mesmo tamanho ou maior que la paz e mais importante politicamente – lendo o livro el precio del fuego – Lembrando que a capital política da Bolívia e Sucre e não, La Paz), surpresa: taxa de embarque de 25 dolares que não havia sido incluída no preço já pago. Voamos pela aerosur.(compramos pela internet, tranks)

 

Em CUSCO, fomos buscados no aeroporto pela dona do hostal onde ficamos hospedados. Escolhemos esse lugar, pois eram onde uns amigos de Fortaleza ficariam, tinha um preço razoável (15 dolares por pessoa, nos dias do reveillon) e é muito bem localizado. Mas acho que havia lugares mais baratos.

 

Vou contar um pouco sobre os passeios.

 

Nesse mesmo dia, nem almoçamos e já caímos no CITY TOUR. Interessante! Visitamos igreja, ruínas. Compramos o boleto turístico na primeira parada do tour. Nesse primeiro dia descobrimos o tamanho gigante do milho peruano! Na ultima parada, estávamos a 3.800 m de altitude, escurecendo e o frio pegando!

 

Era noite de reveillon. Fomos para a praça de armas! Muito bom! Muita gente bonita. So era meio tenso as bombas e foguetes que explodem em qualquer lugar a qualquer hora: não queria voltar com cicatrizes para casa. Antes jantamos por ali. Comemos as doze uvas, usamos amarelo. O espumante peruano que tomei, era bom. Muito massa! Havia algumas festas fechadas em alguns bares. Estava morto e por volta das três fui para o hostal dormir.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725122212.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Reveillon na plaza de armas em Cusco – Volta na praça e os perigosos fogos de artifício explodindo no meio da galera... [ ][/picturethis]

Fiquei surpreso com a arquitetura colonial ali: parece que investiram muito mais do que os portugueses aqui no Brasil. Ouro Preto ficou meio sem graça... Estou curioso para saber se cusco foi muito mais rica do que Ouro Preto. Acho que socialmente tinham necessidade de tentar competir com a arquitetura Inca. Ah, quando cheguei la, não imaginava que a cidade atualmente possui mais de 600.000 habitantes! Bom, e mesmo uma delicia estar por ali, vários restaurantes, bares, gente bonita, mas um inferno de turistas...No mercado popular de lah, sentamos num copo sujo e arriscamos comer. Com a mesma mão que recebe dinheiro a senhora faz o PF. Ela achando super estranho, dois turistas comendo lah. Passamos sem diarréia. Nesse mercado tem algumas tendas de artesanato com algumas coisas. Tanta comida diferente e boa no Peru, frutas diferentes... baum demais!! Cada refeição, uma experiência otima!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725161506.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Não imaginava que a arquitetura colonial de la fosse tão rica [ ].[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725162409.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]A cidade tem em torno de 600.000 habitantes... [ ].[/picturethis]

Transporte – táxi do terminal terra bus:3 soles se for pelo lado de fora ou 4 se for entrar la(eles pagam 1 sole para entrar). Usei para ir la comprar passagem de ônibus. Ah, fique atento com passagens de ônibus por agencia de turismo: eles te mostram única opção, com poucos detalhes e vc não tem como comparar. Va ao terminal. Ah existem dois terminais, o terminal de bus e o terraporto. Não sei bem qual a diferença entre eles, acho que o terminal de bus e para viagens mais locais. Para saber em qual deles ir, informe seu destino para quem for perguntar.

 

No dia 01, dormimos bem e ficamos por ali mesmo na cidade. No dia 02 iniciamos o trajeto rumo a machu picchu. Acho que o esquema que fizemos e o melhor. Partimos de manhã para o tour do VALE SAGRADO que dura o dia todo, chegamos em Ollantaytambo.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725161722.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Passeio pelo vale sagrado. Primeira parada. Esqueci o nome dessa cidade [ ][/picturethis]

O almoço foi muito bom! E bem carinho, se comparado com os menus de almoço ou janta de Cusco, mas valeu a pena(10 dolares. Coca garrafa: 5 soles). Bebi a minha água mesmo. Diversas comidas típicas, incluindo carne de llama, buffet livre, sobremesas (tentam regular, colocando alguém para servir os doces, mas comi 3 vezes mesmo assim) e ainda tinha uma musica andina ao vivo. As agencias fazem reserva antecipada do restaurante. Mas se quiser economizar, pode não reservar o restaurante e na hora, ficar em algum outro que tem por lah, com preços comuns, mas a comida tb e simples. Mas para esses melhores, somente com reserva antecipada, segundo os guias.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725161914.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Muito bom o almoço aqui! Há varias opções de comida típica! Havia uma batata desidratada, em cubos com algum queijo... que saudade da comida do Peru! [ ].[/picturethis]

O passeio continua depois de Ollantaytambo. Ainda passam em Chinchero(acho que e assim que escreve), onde há dizem que e o melhor lugar para comprar artesanato(mas vale a pena saber em quais dias eles tem a feira, pois nos demais há somente lojas). Mas abrimos mão dessa parte. Em Ollanta fomos numa lan house, comemos e tomamos um cha quente num café bakana , quase chegando na estação de trem: fica quase sobre um riacho, com bastante vidro. Massa o visual.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725162037.jpg 375.518672199 500 Legenda da Foto]Lá de cima das ruínas de Ollantaytambo – ruínas de um armazém na montanha da foto. [ ].[/picturethis]

Pegamos o trem(comprei no site da empresa http://www.perurail.com) para AGUAS CALIENTES as 19:00(???). Quando chegamos la, a cidade estava sem luz! Mais uma vez a lanterna nos salvou! O pessoal da hospedaria onde ficamos estava lah. Consegui encontra-los depois de me anunciar diversas vezes, no meio da escuridão...jejeje. Ficamos nesse lugar por sugestão e reserva da dona do hostal de Cusco. Outros lugares, procurados na hora são mais baratos, mas acabamos fazendo essa reserva. Sorte nossa, porque no meio daquela escuridão, teria sido mais estressante ainda. Depois de chegar no hostal, o adolescente da recepção sumiu! E não tínhamos informação para nada, onde comer, não dava para pedir para ele nos acordar, etc... saímos, comemos no escuro, fiz compra de biscoitos, chips com preços superfaturados, voltamos e o adolescente não havia reaparecido. Bati em algumas portas e pedi que nos acordassem de madrugada, alem de ter deixado um bilhete na recepção.

 

Cometi o erro de não ter comprado o ticket para machu picchu desde Cusco, pensei que seria tranqüilo de comprar em águas calientes quando chegássemos a noite ou então pela manha antes de subir.Isso me impediu de conseguir subir a Huayna Picchu. No entanto, a bilheteria la embaixo na cidade(fica ao lado da igreja, no salão da paróquia), so abre as seis da manha, quando já deveria estar na fila lá em cima, em machu picchu. Teria que ter saído as 04:00h, a pé (gasta-se entre uma hora e meia e duas para chegar lah) para conseguir ser dos primeiros da fila lá em cima (são apenas 400 senhas para wana picchu para horários diferentes, você escolhe).

 

Enfim, conseguimos subir num dos primeiros micro ônibus(a bilheteria e quase de frente ao ponto de onde saem. Fica embaixo da passarela sobre o riacho que já estava se enchendo para as confusões que aconteceram em jan 10, a qual e uma das saídas da estação para o centrinho). Na fila, ainda por volta de 05:30h havia chuva. Apesar do suspense pela chuva, quando entramos em machu picchu ela parou. Havia muita neblina, mas de repente o sol estava nascendo. Havia muito poucas pessoas la, 06:00h e foi um festival de belos visuais! Incrível, incrível! Aos poucos o sol foi entrando e a neblina diminuindo. Wana pichu só se tornou visível lá de baixo por volta de 10 da manha. Por volta de onze o tempo começou a fechar de novo. Bom, quem chegou naquele trem que vem direto de cusco, não pegou tempo bom. Parece que isso se repetia todos os dias.. o tempo se abria mais cedo e perto de meio dia já estava fechado de novo. Acho que vale a pena chegar la bem cedo, na época da chuva para ter liberdade de estar la durante todo o dia e aproveitar o melhor momento que houver. Tínhamos uma capa de chuva boazinha, que levamos daqui. La havia umas horríveis para vender baratinho. Levamos bastante água e comida na mochila. Preferimos a principio percorrer tudo livremente e íamos aproveitando os lugares onde não havia ninguém ainda. Muito bakana. Fomos em todos os cantinhos, exceto wana picchu. Deixamos para pagar por um guia(acompanhar guia e um saco!) mais tarde, após percorrer tudo livremente, com poucas pessoas. Acabou que filamos umas info de guias alheios e mais tarde ficamos com preguiça de pagar o guia. Também erramos o horário de sair, com nosso relógio maluco, quando poderíamos ter ficado umas três horas a mais por la. O trem de volta era o das 18 e pouco. Passamos antes na pousada para pegar alguns pertences e deu tempo de almoçar antes de partir para Ollantaytambo de volta.

 

Em Ollanta, assim que o trem chega, há varias vans esperando para levar para Cusco. Nos ofereceram uma a 10s por pessoa, daí apareceu um micro ônibus a 5S por pessoa. Mudamos! Mas tinha que aguardar a encher. Ajudei o motorista nessa tarefa e, em uma hora, chegamos em Cusco.

 

O próximo destino era Arequipa. Mas pelo horário de chegada em Cusco não era mais possível pegar bus para lah. O ultimo era 20:30h. Partimos então no bus a noite, do dia seguinte.

 

Sobre o BUS. Existem umas dez empresas diferentes que fazem o mesmo trajeto e com valores que chegam a ser ate três vezes mais caro! Fomos de uma em uma, ver o que o bus oferecia, horários, fotos das poltronas etc... Escolhemos uma com ótimo custo beneficio, era semi cama(apoio para as pernas) e incluia lanche. Muito curioso a formalidade com que eles tratam o serviço de ônibus, como se fosse de avião. Na verdade, serviço melhor que o nosso. Tinha snack e café da manha, filmes. Tivemos o azar do ar condicionado não funcionar bem. Daí depois de tanto encher o saco da moçabus, abri a janela do teto, escondido(ela deve estar achando ate hj que o ar condicionado funcionou...). Alem disso o volume da tv esta bem alto afff, ela abaixou, mas depois aumentou de novo a pedidos....ainda bem a sessão cinema teve uma hora para acabar.

 

Em arequipa não tínhamos feito reserva. Na verdade tudo de la foi decido e feito no susto, a partir de cusco. Tinha intenção de passar por la, mas não tinha qq informação previa. Escolhi o hostal a partir de única indicação. Ficamos no XXXX, de certa forma bem localizado, a uns 5 ou 6 quarteirões da plaza de armas. O café da manha era a parte. Como vem pão com geléia, preferimos comer na rua.

 

TRANSPORTE - Na plaza de armas há diversas agencias de turismo. Há uma empresa que tem passagens baratas para lima, peruvianairlines. Mas acho que não e possível comprar direto com eles na internet. Tinha achado trecho de arequipa-lima por 59 dolares(acho que são 1000 km), la em cusco, mas demorei para comprar e lá em arequipa já estava uns 85 dolares. E para dia 06/01 a noite. O ideal teria seria ir no dia 07/01 de manha para não ter que sair do aeroporto de lima. Alem disso teríamos que estressar com as malas, que já tinham se duplicado pelas compras de artesanatos. Táxi por ali no centro(rolou uma chuva) custa 2 ou 3 soles. Nativos vão a rodoviária por 3 soles, mas da para pagar 4 soles. Mais que isso, de jeito nenhum. Vão te oferecer de primeira 5 ou 6 soles

 

 

Fizemos o city tour naquele ônibus. Reservamos no hostal mesmo, mas e possível direto com a agencia la na plaza de armas. Fomos com a empresa do bus vermelho, mas parece que a empresa do bus verde(também vendem na plaza de armas) e mais barata e o ônibus mais confortavel. Deu para conhecer um pouco da cidade, mas na verdade, nada de especial nesse passeio. Comemos o queijo gelado: muito bom(tipo um frozen/sorvete de queijo). Deu para ver um pouco de bairros mais periféricos, alguns bairros com agriculturas, com terraços de plantações pré-inca. Um almoço bakaninha. Tinha o famoso porquinho da índia, mas não comemos. Ele vem aberto como um peixe e com a cabeça, assado. Lembra um leitão assado. Não saímos a noite.

 

06/01/10

 

No dia seguinte, o funcionário do hostal simplesmente não nos acordou no horário solicitado. Estávamos sem despertador. Resultado, perdemos quase toda a manha. Daí não visitamos as igrejas por ali no centro. Fomos para o convento de Sta Catalina. Temática religiosa, mas muito interessante o lugar. Ele fica no centro da cidade, numa área enorme. Parte dele virou museu. Daí o visitante vai andando la dentro, que e uma mini cidade: cada freira tinha uma pequena casinha. Daí e possível saber um pouco de curiosidades a respeito da vida enclausurada das religiosas como também um pouco de historia da cidade e da arquitetura. Muito bonito! Pagamos uma guia que passou por tudo com um pouco de pressa, mas ajudou um bocado nas curiosidades do lugar. Ah, não posso esquecer do café que tem la dentro! Nuh, muito bom mesmo. Comida ótima! As tortas doces, que são feitas pelas irmãs enclausuradas, perfeitas! O brownie, a batata recheada. Não era super baratos, mas coisa de primeira, vale a pena.

 

Fomos embora para Lima de bus, na mesma empresa em que viemos de Cusco. Bus com a mesma infraestrutura: apoio para as pernas que chamam de semi cama. Usam esse conceito de semi-cama para tipos de poltronas diferentes(em alguns, elas reclinam mais que as outras). Nesse viagem, tinha jantar e o café da manha. Saímos as 16:00 Boa a comidinha. Serviço de bordo modelo avião...jejejeje. Saímos as 16:00h da tarde para chegar em Lima pela manhã. Dessa vez o ar condicionado funcionou bem e o som da tv não estava tão alto. O bus pega uma estrada a beira mar bem na hora do por do sol que e maravilhoso.

 

De manha chegamos em Lima. Surpresa: o ônibus não chegou numa rodoviária. Era tipo um garagem pequena, da própria empresa. Não tenho idéia de que bairro era...Havia uns dois táxi parados. Fui logo para um deles. Negociei o preço para o aeroporto. Já havia ouvido algo em torno de 40 S. Mas também que pode ser por menos. Dizem que o aeroporto e longe. Mas não e nada.. uns 25 min. Provavelmente no taximentro seria menos. Combinamos com ele um tour pela cidade, antes de ir para o aeroporto. Ele combinou 10 dolares por hora e esse tempo foi suficiente. Fomos pelo bairro nobre, orla, bairro com restaurantes, depois no centro, na parte histórica. Fiquei impressionado com os edifícios antigos e coloniais! Muito ricos! As ruas estavam ainda vazias. Paramos numa padaria copo sujo, compramos alguma coisa para comer e fomos para o aeroporto.

 

No aeroporto de lima, outra surpresa: não estava incluído no preço da passagem a taxa de aeroporto que era de 30 dolares por pessoa. Já na hora de embora, mais esse gasto. Daí retornamos no vôo diário lima-guarulhos de 11:55, pela TAM.

 

 

GERAL

 

MOEDA – levamos dólares em espécie, 500 cada um e também o Visa travel money que foi usado mais para fazer saques. Alem da taxa de 2,50 dolares por saque para corretora financeira que faz o cartão aqui, ainda pagávamos para o banco do qual fazíamos o saque: 2.500 pesos chilenos ou 7,5 soles

 

ROTEIRO – hoje eu faria diferente: teria chegado pela bolívia, descido para o salar de uyuni, depois para atacama, de onde subiria de bus para o peru/arequipa, de onde iria para cusco, de onde tomaria um avião para lima(tem um vôo de manha , mas o horário bem em cima para pegar o vôo da tam de 11:55). Queria muito ter ido no lago titicaca

 

MAL DE ALTITUDE – sempre usei folhas de cocas profiláticas. Usei também diurético, indicado aqui no site, dois dias antes de subir para salar de uyuni e também já tive uma certa aclimatação ali no atacama que e um pouco mais alto, mas tb por passeios que fizemos ali, onde fomos por duas vezes a mais de 4.000m de altitude.

 

ONIBUS PERU – existem diversas empresas para o mesmo destino. São muitas mesmo e com preços de ate 300% de diferença. Assim, ate os nativos não sabem dar informação direito. O negocio e ir no terminal e passar de balcão em balcão.

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20100725162409.jpg 500 374.223602484 Legenda da Foto]Escreva seu texto aqui. Apague este texto mas tome cuidado para não deletar as chaves [ ]. Onde está escrito Legenda da Foto, coloque o Nome da Foto e se quiser ver como fica antes de escrever seu texto clique no botão Prever[/picturethis]

 

Pronto! ate que enfim consegui colocar o relato aqui! Faltou algum edicao final... mas foi o maximo que deu para eu organizar... pode ser que posteriormente consiga acrescentar algo e acrescentar alguns precos... Se alguem quiser, posso enviar o relato em arquivo de pdf tambem...

Espero que ajude! Obrigado a todos que participam desse forum contribuindo com informacoes uteis e mais isentas de interesses economicos!

Acho que o design grafico do site e bem ruim e foi custoso para conseguir postar tudo, colocando fotos... por isso foi enviando em partes, para nao perder mais o trabalho, como aconteceu diversas vezes...

Abs!

Abs!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Olá a todos,

 

Estou com passagem marcada para estes lugares que vc's comentaram. Porém devido ao conflito em Potosí estou preocupado se conseguiremos passar pela cidade(de preferência não parando em Potosí). Será que alguem sabe de alguma alternativa para chegar a Uyuni sem passar por Potosí saindo de Sucri? E ainda, subir para La Paz depois sem passar por Potosí ou Oruro. Estou com um pouco de pressa pois minha viajem está próxima.

A quem respoder antecipo agradecimento.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...