Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Pessoal, acabo de chegar de Bariloche e me hospedei no Tango Inn Downtown: recomendo! Eu e meu marido ficamos num quarto para casal com uma vista maravilhosa para o Lago Nahuel Huapi (http://tangoinnhostels.com/content/view/30/133/lang,br/). O quarto é ótimo, tem TV, banheiro com banheira e secador de cabelos (foi bem útil no frio que pegamos ::Cold:: ). A internet é rápida, o pessoal que trabalha lá é muito legal e tem um brasileiro, o Eduardo, que trabalha com excursões e aluguel de carros. O café-da-manhã é ótimo, preparam ovos mexidos e panquecas na hora. Pagamos 160 pesos (até o dia 06/10). Outra dica é alugar um carro e fazer o Caminho dos Sete Lagos por conta própria, vale muito a pena! Antes de chegar em San Martin de Los Andes vale a pena pegar o caminho para o Lago Meliquina, belíssimo! Na volta para Bariloche vá por Villa Traful, onde passará por um mirante incrível e pelo Valle Encantado, imperdível! Nós não voltamos no mesmo dia, mas dormimos 3 noites em San Martin e fizemos dois passeios: no primeiro dia fomos para as praias de Yuco e para Hua Hum; no segundo dia fomos para o Parque Nacional Lanin e vimos o imponente Vulcão Lanin (esse passeio vale a pena!). Duas noites em San Martin seriam o suficiente, pois o Cerro Chapelco estava fechado, mas valeu o passeio para o Lanin.

 

É isso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Belabela

A melhor época para pegar neve lá é julho e agosto, porém se der sorte em setembro ou outubro ainda tem neve e é bem mais barato.

Neste período de alta temporada sempre tem vôos diretos fretados saindo do Brasil, principalmente de São Paulo, e o aeroporto é perto da cidade.

Eu fui de carro, no finzinho de julho, e aluguei apartamento para ficar, meio sem querer, pois cheguei de noite, sem reservas e todos os hotéis e albergues estavam lotados, no final saiu mais barato e foi ótimo.

20091017222846.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fernando,

 

Vale muita a pena, passeio romântico e barato, neva de Junho a Setembro, porem com alguns detalhes...

 

Nestas datas sempre neva nas montanhas, agora tem a neva de graça e paga!!! vou explicar

 

Paga - Quando somente neva nas montanhas para ter acesso a neve... você precisa subir a montanha de Teleférico custo em media de 100 pesos por pessoa.

Grátis - Quando neva no pé da montanha, todos brincam e ninguem paga nada... (tem gente que vai a Bariloche e fica sem esta opção porque não neva do pé da montanha)

 

Sugiro que vá em meados de julho e agosto, os preços das passagens no Brasil são melhores.

 

Fotos pé da montanha com neve e sem neve.

 

20091204144407.jpg

 

20091204145240.jpg

 

Abraço,

 

Claudinei

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Buenos dias muchachos y muchachas! rss

 

Estou eu aqui abusando da Santa paciencia mochileira, vocês me ajudaram muito na questão de santiago, e preciso de uma pequena cooperação, para não dizer enorme, para o meu mini-guia. Pesquisei muito, mas mesmo assim preciso do aval de vcs profissionais

 

Antes de todas viajens minhas eu sempre faço um Guia de bolso.

 

Mas preciso saber o seguinte sobre bariloche:

 

1- das atrações abaixo, quais seria possivel fazer no mesmo dia? Pq pode acontecer que a visita é curta, porem, uma pode ficar longe da outra. Qual seria as atrações que poderiam ser visitadas juntas?

2- A duração da visita estimada esta suficiente?

3- qual seriam as atrações principais, e quais devo visitar se sobrar tempo e dinheiro?[/b]

 

Bariloche:

 

City Tour a pé

Duração: 3 horas

percorrerer as graciosas ruas da cidade de Bariloche visitando seus principais atrativos como o Centro Cívico, Catedral e o Museu.

 

 

Cerro López y Colonia Suiza

Duração: Meio Dia

Operação: De Outubro à Maio

Partindo de Bariloche através da Av. Bustillo, seguir a oeste para desviarmos pela rota do Circuito Chico até a base de Cerro López, e continuar caminho até Colonia Suiza, colônia de imigrantes suiço-franceses, importante a anos pela qualidade de colheitas de trigo. Atualmente, seus decendentes, são reconhecidos pela produção de conservas, doces, licores caseiros de frutas, e pela preparação do Tradicional curanto, comida araucana elaborada com diferentes carnes e verduras cosidas entre pedras quentes, colocadas em uma fosana terra. À partir deste povoado se sobe até Cerro López com sua neve permanente e sua vista panorâmica inigualável. neste refúgio se pode fazer várias e interessantes caminhadas, como por exemplo ao Pico Turista, o pico principal de López e la Hoya.

 

Circuito Chico e Cerro Campanário:

Localiação: Localizado ao sul do lago Nahuel Huapi, especialmente a partir dos mirantes naturais da Bahía López ou Punto Panorâmico.

Duração: Meio dia

Trata-se de um passeio pela região com paradas em pontos turísticos para apreciar a paisagem, geralmente com vista panorâmica. Algumas dessas paradas são: Praia Bonita (de onde pode-se alcançar a Ilha Huemul), Cerro Campanário, a lagoa O Trevo, as penínsulas San Pedro e Llao Llao, a Ilha Vitória, os Cerros Otto, López, Goye, Catedral, Bariloche entre outros.

 

Complexo Turístico Teleférico Cerro Otto:

Localização: Km 5 da AV. dos Pioneiros

Duração: Meio Dia

A 5km do centro de Bariloche, encontra - se o complexo Teleférico Cerro Otto. Situado no meio de um parque de 25km², tem gôndolas fechadas que levam os turistas para apreciar a bonita paisagem do local. No topo, está localizada a única confeitaria giratória da América do Sul, que faz um giro de 360º a cada 20 minutos para que os turistas possam apreciar toda a paisagem enquanto saboreiam uma sobremesa. Entre outras atrações, podemos também citar uma discoteca, um pequeno museu, pista de trenós, escalada e Mountain Bike.

Para mais informações, visite http://www.telefericobariloche.com.ar

 

 

Cerro Catedral:

Localização: O Cerro Catedral é uma montanha situada a 19 quilômetros San Carlos de Bariloche dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, na Argentina.

Duração: Meio dia

No Cerro Catedral, encontra - se a estação de esqui mais importante do Hemisfério Sul. Na sua base, há uma infra-estrutura dedicada à prestação de vários serviços, é também ideal para prática de esportes de inverno. As diferentes pistas de esqui e de snowboard chegam a satisfazer até profissionais, não deixando de lado, é claro, os iniciantes e praticantes casuais do esporte.

O Cerro Catedral está atualmente com um plano de modernização para melhorar ainda mais a qualidade de seus serviços e atingir a meta de 15 mil visitantes por dia.

 

 

Cerro Tronador:

Localização: Fronteira entre Argentina e Chile

Duração: 9 horas

O Cerro Tronador é o ponto mais alto da região com 3554 metros. A excurssão até lá começa em Bariloche, de lá, toma-se a rota 258 em direção ao Sul. No caminho, pode ser visto o Cerro Catedral de uma nova perspectiva. 25Km a frente inicia-se o camino ao Tronador, durante o qual podemos ver belas paisagens e bosques. Seguindo pela costa sul do lago Mascardi até o Rio Manso, chega à Pampa Linda através do Valle de Los Vuriloches. Logo após o almoço, é alcançado o Glacial Manso que está no Ventisquero Negro, um dos pontos mais atrativos da viagem.

 

 

Ilha Victoria e Bosque de Arraynes:

Duração: Existem duas opções para este passeio: meio período, saindo as 12:30 horas da cidade, e as 14:00 horas do porto, retornando ao porto às 18:30 horas. E também o mesmo passeio com duração de dia inteiro, saindo às 09:00 horas da cidade e às 10:30 horas do porto, retornando às 17:00 horas ao porto e às 18:00 horas ao centro da cidade.

Partindo do Porto San, navegando pelo Lago Nahuel Huapi chega-se a Porto Anchorena na Ilha Victoria. Há uma escursão a pé pelo exviveiro de coníferas e também a subida em cadeirinha do Morro Bella Vista. Depois se embarca novamente para ir até a Península de Quetrihue, para visitar o Bosque de Arrayanes numa viagem de aproximadamente 50 minutos.

 

Piedras Blancas:

Localização: Complexo turístico a 10 minutos do centro da cidade.

Duração: Passeio de meio dia, de manhã ou à tarde

Um passeio ideal para aventureiros ou pessoas que apenas querem se divertir. Recomendado para toda a família. Saindo da cidade pela Avenida de Los Pioneros, desviando no acesso do caminho a Cerro Otto, percorrendo um total de 9 Km para chegar ao Complexo de Inverno Piedras Blancas, situado a 1200 m acima do nível do mar. Situado na ladeira ao norte do Cerro Otto, Piedras Blancas é o primeiro centro de ski da região, fundado pelo conhecido andinista Otto Meiling. Suas pistas permitem a prática de esportes de inverno, com 6 hectares especiais para a prática de ski alpino e 15 Km de pistas destinadas aos que querem aprender a prática do ski nórdico. Aqui, após os treinos de ski, passeios pelo bosque em snow mobil, o jet ski, parece impossível resistir a degustação d

e uma deliciosa torta caseira, um chocolate ou um vinho quente.

 

Cerro Bayo e Villa Angostura:

Duração : Dia inteiro

A Villa La Angostura é uma pequena cidade situada a 70 km de Bariloche, onde pode ser encontrados vários restaurantes e lojas de diversos tipos.

Já no Cerro Bayo, se encontra outra estação de esqui. Também podemos desfrutar da paisagem espetacular, sendo possível avistar o vilarejo, o lago Nahuel Huapi e a Cordilheira dos Andes.

 

 

Puerto Blest / Lago Frias / Cascada Los Cántaros

Duração: Dia Inteiro

Partindo de Puerto Pañuelo - seguindo para o Km 25 da Av. Exequiel Bustillo- e a 1h de navegação pelo Lago Nahuel Huapi , se pode observar as ilhas Centinela y Gemelas, onde em seu contorno vem a ser a parte mais profunda do lago; a Playa de las Aranãs e a Cascada Blanca. Logo se sobe até puerto Cantaros na Bahia Blest, e uma trilha que contorna a Cascada, leva à três mirantes que antecedem o Lago dos Cantaros.

Este passeio trata-se da travessia dos lagos do lado Argentino. A excursão começa em Puerto Pañuelo. O barco sai navegando pelas águas do Lago Nahuel Huapi, e ao entrar no Braço Blest observa-se a Ilha Centinela, onde estão sepultados os restos mortais do Perito Francisco Pascasio Moreno, um dos homens mais transcendentes de toda a História Argentina e, particularmente, da Patagônia já que o Parque Nacional Nahuel Huapi é fruto direto de uma doação realizada por ele ao Estado Nacional. De Puerto Blest percorre-se um trecho de aproximadamente 1 km de ônibus ou a pé e fazer a travessia do Lago Frias. Na volta, também é possível visitar a Cascata Los Cântaros de duas formas: 2 horas de caminhada por trilhas com árvores centenárias e beirando o lago ou aguardar no porto onde é possível almoçar e continuar por catamarã até o Puerto Cántaros, em um ambiente de plena Selva Valdiviana, realizando-se uma subida por uma escada íngreme até o Lago Los Cántaros, cujo deságue alimenta a Cascata Los Cántaros. Alguns mirantes na escada permitem contemplar a beleza da quedas d´àgua que deslizam sobre as pedras. Regresso. Duração: dia inteiro.

 

Siete Lagos até Villa La Angostura

Duração : Dia inteiro

 

O passeio começa no alojamento dos passageiros, contorna o Lago Laçar por uns 4 km e entra nas antigas florestas de Roble, Ciprés, Lenga e Raulí. Logo cruza os primeiros lugares pertencentes à Comunidade Mapuche, e faz-se uma parada para desfrutar do incrível mirante de Pil-Pil. Mais adiante aparece uma sucessão de colinas do imponente cordão de Chapelco, com seus 2.200 metros de altura. O próximo lago é o Machonico, onde o passeio se detém em desfrutar de um maravilhoso mirante. Logo depois da passagem que leva ao Lago Hermoso, saimos do Parque Nacional Lanín para entrar no Parque Nacional Nahuel Huapi. Imediatamente pode-se observar a Cascata Vulligñanco com sua queda de mais de 20 metros e logo depois de uma parada continuamos o percurso entre os Lagos Villarino e Falkner. Na continuação se chega a uma densa floresta de Coihues e “Cañas” Colihues, onde se descobre o Lago Escondido com sua incrível cor verde esmeralda. Logo continuamos contornando o Lago Correntoso onde se faz uma parada para conhecer os moradores da Comunidade Mapuche de Quintupurai.

O passeio continua através do acesso ao Lago Espejo Chico e Ruça Malen. Onde a pouco quilômetros se pode observar o acesso à fronteira do Chile (Paso Puyehue). Dez quilômetros depois chegamos à Villa Angostura onde visita-se o comércio, El mesidor (histórica e belíssima casa diplomática) e a Bahia Manzano.

 

Trem a Vapor

Localização: O posto de informação e vendas do Trem Histórico de Vapor, e também o ponto de partida da excursão está na Estação de Trem de São Carlos de Bariloche.

Duração: Dia inteiro

O trem histórico de vapor o convida a uma viagem a través do tempo, a bordo de um trem do ano 1912, que funciona novamente, mantendo suas caraterísticas originais. Partimos pela manhã, numa excursão de día enteiro, desde a Estação de São Carlos de Bariloche, e após de percorrer 40 kilómetros e quase 100 anos de história vamos chegar à estação Perito Moreno-Os Juncos.

 

Turista Primeira Reservado

$ 90.00 || $ 65.00 * $ 135.00 || $ 100.00 * $ 220.00 || $ 140.00 *

 

 

Refugio Neumeyer e Vale do Chalhuaco

Localização :18 km . de cidade de Bariloche em uma direção oriental sul o abrigo de Clube é Andino Dr. Juan Neumeyer, em Nahuel Huapi Nacional Reserva onde você pode fazer oito passeios interessantes pelo vale de Challhuaco acessível para a família inteira.

Duração: 1/2 dia ou dia inteiro

Fazer estas excursões você tem que ir por conta própria para o abrigo, ou então contrata o serviço de um guia na cidade em quaisquer das agências de turismo. No caso de você contrata um guia, ele chamará em você no momento designado em um 4x4 veículo. Durante a viagem você verá as montanhas ao redor da cidade: monta o Otto, Catedral, Ventana, Ñireco e Carbono, enquanto o guia lhe fala sobre as atividades diferentes que você pode fazer na área de abrigo. A palavra" Challhuaco" é um termo de Mapuche que significa" águas de pesca boas." O 4 x 4 veículo vira em uma estrada de pó e dirige 12 km . para onde começos de aventura. No abrigo eles estarão esperando por você com um café da manhã grande antes da primeira excursão. O abrigo tem uma capacidade por 45 pessoas. Está aquecido com madeira de fogo e tem uma cozinha equipado para servir visitas, homens e os banheiros de mulheres, água quente, mesa de jogos, instrumentos musicais e uma biblioteca atraente. Em verão, aparte de botânica passeios interpretativos, você pode fazer montanha andando de bicicleta, escalando e transportando com balsa, enquanto pelo inverno, você enlata practise, nordic ou esqui através dos campos e snowboard, no caminho errado. Você também pode ir em um passeio de raquete ou pode usar um trenó. Depois do café da manhã, você pode escolher um dos oito passeios no vale, cada um sinalizou em uma cor diferente. No abrigo você será dado alguns folhetos para uma interpretação melhor da área, ou você pode ir com o guia que pode dar informação mais específica. Rastros marcados com cores diferentes incluem:

 

Valle del Challhuaco - visão panorâmica (ego-guiou rastro amarelo) .20 atas.

Valle los de de Perdidos - (interpretação de botânica rastro azul). 1 hora.

Laguna Verde - Mirador Pedregoso (visão panorâmica - vermelho). 1 hora.

Del de Mirador Ñirihuau - Ventana (rastro de flora andino - marcado em laranja). 1h 30 atas.

Cerro Challhuaco - (vermelho e amarelo). 2 hs 30 atas.

Da laguna Juntar Bridges"(pink). 4 horas.

Arroyo Tristeza Park a Estação de Guarda-florestal (laranja e marfim branco) ideal para bicicletas.

Arroyo Botella (marfim branco).

 

Monte Challhuaco está acima do nível do mar 1.900 metros . Tem um ecossistema de Andes Alto típico, enquanto em Valle los de de Perdidos você pode ver todas as espécies típico do Andes, estepe e ecossistemas de floresta.

 

 

 

 

Ainda preciso de melhores informações sobre:

- Excursão pelo Lago Mascardi -

- El Bolson e Lago Puelo (300 Km, passeio dia inteiro) Hielo azul?

-Canopy bariloche - Vale a pena?

 

DICAS: E estas dicas estão boas?

• Não deixe de visitar a Rua Bartolomé Mitre, pois lá se encontra o comércio principal da cidade.

• Não se esqueça que grande parte do comércio fecha as 14h00min e só reabre as 15:00 devido a hora da Siesta.

• Se prepare para andar bastante. As paisagens de Bariloche são quase infinitas e garantem horas de passeios. Aproveite e leve bateria extra e bom cartão de memória para sua câmera (ou filme se for o caso).

• Se não estiver afim de parar apenas nos pontos que os guias te levam nos passeios prontos, alugue um carro e faça o seu próprio passeio para poder parar onde você quiser.

• Se você é fã de esportes, não se esqueça de levar equipamentos para esqui ou snowboarding. Ou os dois! Você decide.

• Se você nunca praticou esqui, mas tem vontade de tentar, não se esqueça de pagar algumas aulas antes de se aventurar. Você pode se machucar caso tente aprender sozinho.

• Enquanto estiver em Bariloche, experimente as delícias que a cidade oferece. Tem os tostados que são sanduíches tostados, geralmente de presunto e queijo e são uma delícia. Temos também os Cubanitos, rolinhos de waffer recheados de doce de leite, com as pontas de chocolate, como um charuto. Se você gosta de lanches, existem as "hamburguesas", uma versão mais torrada dos hambúrgueres que conhecemos. Existem vários tipos com o Vacuno (de vaca) ou o de Ciervo (cervo).

• Se estiver chovendo e você não puder aproveitar a natureza, visite os museus. Também são muito interessantes.

• Sempre faça reservas nos restaurantes, pois estão quase sempre lotados.

• Leve os remédios que estiver acostumado. Lembre-se de que na Argentina, os remédios são diferentes. Se for visitar durante o inverno, não se esqueça de levar remédios para gripe, resfriado, febre, dores de garganta e etc.

• Quando for ao Cerro Catedral, visite a Gruta de Nossa Senhora das Neves no caminho. Você não vai se arrepender.

 

 

 

 

E esses preços estariam corretos? (peguei em uma postagem aqui no forum)

 

Foto com São Bernardo-$ 20,00

Circ. Chico e ponto panorâmico (Excursão)– Das 9hs ás 12 hs-$ 41,00

Cerro Campanario – subida teleférico-$ 25,00

Piedras Blancas (Excursão)– 6 subidas de teleferico, aluguel do skibunda e translados c/ ingresso e aluguel de trenós - 9hs ás 13hs-$ 140,00

Refúgio Neumeyer (Excursão)- transp. Land Rover, caminhada, eskibunda café da manhã e almoço- 9hs ás 19:30hs-$ 270,00

Refúgio Neumeyer (Excursão)- transp. Land Rover, caminhada, eskibunda e lanche- 15hs ás 19:30hs-$ 150,00

Refúgio Neumeyer (Excursão)- transp. Land Rover, esqui nórdico e lanche- 13hs ás 18hs-$ 200,00

Cerro Otto - 3 descidas no skibunda e subida "Funicular de la cumbre"-$ 25,00

Cerro Tronador (Excursão)- Percurso total 215km - cerro com alt. 3554m com ingresso parque-$ 114,00

Ilha Vitória e Bosque de Arrayanes (Excursão)- com ingresso parque-$ 144,00

Ilha Vitória e Bosque de Arrayanes (Por conta própria)- com ingresso parque -$ 50,00

Villa la Angostura, Cerro Bayo e Bosque de Arrayanes (Excursão)- com ingresso parque-$ 192,00

**Villa la Angostura, Cerro Bayo (Por conta própria)- Aluguel 4X4 pra 6 pessoas + combustível - valor total para dividir-$ 375,00

El Bolson-$ 94,00

Museo del chocolate-$ 15,00

Museo Paleontológico Lunes a Sábados 16:00 a 19:00 hs-Resto fósiles de dinosaurios, huesos, garras y réplicas-$ 2,00

Museo Geológico y Paleontológico "Rosendo Pascual" – Villa Los Coihues - Lago Gutiérrez-$ 5,00

9:00 a 12:30 y de 15:00 a 19:30 hsColección de invertebrados más importante de la Patagonia, aves patagónicas, huesos de dinosaurios y colección de cristales

Alimentação em restaurantes com vinho - (valor médio por pessoa)-$ 50,00

Neviska - patinação no gelo e uma empanada de carne, maravilhosa....-$ 25,00

Chocolates "Del Turista" - valor por kg-$ 70,00

Chocolates "Fenoglio" - valor por kg-$ 90,00

Chocolates "Mamuschka" - valor por kg-$ 90,00

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Completando as informações do Leo:

Há excursões para Puerto Blest/Puerto Alegre/Puerto Frias que voltam à Bariloche no fim do dia, sem seguir o caminho para o Chile (a próxima parada seria Peulla, já em território chileno). A navegação pelo braço Blest é bem interessante e o Lago Frias tem uma cor verde muito bonita. Além disso, lá é possível avistar condores.

Fiz o Cruce de Lagos e acho que não vale o preço, sendo muito melhor fazer o passeio acima em Bariloche e, no lado chileno, a navegação pelo Lago Todos los Santos até Peulla. O trecho entre Peulla e Puerto Frias é apenas uma estrada de terra, que sobe até uns 1000m e depois desce no meio da mata. Tem algumas vistas bonitas, mas nada imperdível.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu Pavan e LeoCaetano, quando eu crescer quero ser igual vcs...rss

 

Então deixa eu ver se entendi o que vcs me passaram:

 

Ficaria mais ou menos assim?

 

1 dia

Cerro López y Colonia Suiza

Circuito Chico e Cerro Campanário

Complexo Turístico Teleférico Cerro Otto:

 

2 dia

Cerro Tronador:

 

3dia

Cerro Bayo / Villa Angostura / Siete Lagos

4 dia

Refugio Neumeyer e Vale do Chalhuaco

5 dia

Cerro Catedral:

Ilha Victoria e Bosque de Arraynes:

 

 

 

 

Opcional:

 

Piedras Blancas:

 

Deixei para proxima viajem:

 

Cruce dos lagos (Puerto Blest / Lago Frias / Cascada Los Cántaros )

Trem a Vapor

 

De bariloche quero ir para santiago mas pretendo quebrar a viajem ou em Pucon, ou em Chillan e de la pegar o trem até Santiago. (vale a pena?)

 

Mas para ir de bariloche até o chile aproveitando o caminho e já fazendo algum passeio, qual a melhor opção?

 

E Pavan não entendi direito o lance desse passeio Puerto Blest/Puerto Alegre/Puerto Frias, tem como eu sair de bariloche e já ficar pelo Chile?

 

Obrigado a todos,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ooooi!!

Estamos indo a bariloche em julho e vimos preços de tranfer entre aeroportos: GGviajes 65 dolares para 5 pessoas. Tempo: 50 min. trânsito normal.

Alguém sabe me dizer se é interessante fazer reserva de roupas na Taos antes de viajar? Segunda semana de julho corremos o risco de não achar roupa disponível para alugar?

Agradeço dicas!!

Até!!!

bom dia again...como vou com criancas escolhi a taos quality que no tamanho deles nao devem ter muito entao reservei com 30%sinal no cartao.escolhi para eles enteritos( macacao) que dizem serem melhores para esquibunda pois a neve nao sobe pelas costas...novos preços de excursões pela lstravel:

CHICO O CATEDRAL $ 57 CHICO Y CATEDRAL $ 114 TRF SKI CERRO CATEDRAL $ 57 VILLA LA ANGOSTURA /CERRO BAYO $ 130 TRONADOR $ 130 EL BOLSON $ 130 SAN MARTIN DE LOS ANDES POR SIETE LAGOS $ 197 ISLA VICTORIA (ESPACIO) (Sin TRF) $ 170

MENORES de 4 a 11 años y jub Arg $ 85 TRASLADO PUERTO $ 39 VIP $ 80 ISLA VICTORIA (TURISUR) (Sin TRF) $ 155 MENORES de 4 a 12 años $ 78.00

TRASLADO PUERTO $ 39 Puerto Blest Sin Frias (TURISUR) (Sin TRF) $ 155 MENORES de 4 a 12 años y jub Arg $ 78.00 TRASLADO PUERTO $ 39 TELEFERICO OTTO MAYORES $ 70 MENORES de 6 a 12 años $ 40 MAYORES de 65 años $ 50 Trineos (pase con 4 ascensos en funicular) $ 35

SKI NORDICO Pase + Equipo + Instructor $ 255 Cuatriciclos 02 pax (Sin Trf Incl.) $ 245 Raquetas (No Comisionable) (Sin Trf Incl.) $ 80 Trineo tirado por moto de nieve (No comisionable) (Sin Trf Incl.) $ 70 Traslado a Ski Nordico $ 57

PIEDRAS BLANCAS PUBLICA Aerosilla + Trineos 6 bajadas $ 150 Aerosilla + Trineos 6 bajadas / Menores de 12 años $ 100 Ingreso sin trineo $ 50

Ingreso sin trineo / Menores de 12 años $ 40 Traslado Piedras Blancas $ 57

ROCA NEGRA 4 X 4 - CERRO LOPEZ PUBLICA Caminata (raquetas) y Almuerzo $ 400 Atardecer & Fondue $ 400

CANOPY ( CERRO LOPEZ) PUBLICA Canopy $ 170 Canopy con traslado $ 200 Desde Cate o Arelauquen al traslado sumar $ 30

em brevre se souber dou mais noticias

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Há uma constante preocupação dos mochileiros que viajam para Bariloche no inverno a respeito da neve. Lógico que a expectativa de ver neve, esquiar etc é sempre grande, afinal quem vai pra lá no inverno quer isso mesmo: NEVE!!! (comigo aconteceu o mesmo...rs). Não adiantaria muito enumerar todas as belezas de Bariloche, que é uma cidade magnífica até no verão: a paisagem é surpreendente, a vista dos cerros, os lagos, os passeios pela região....tem muito a ser visto e apreciado. A realidade é que todas as previsões meteorológicas são baseadas nas ocorrencias de anos anteriores...ou seja...do final de junho até julho, "costumam" ocorrer as maiores precipitações (nevascas) que "comumente" vão até meados de agosto. Final de agosto e setembro ainda "costuma" haver neve acumulada nos cerros, apesar do tempo estar mais aberto. Mas tudo isso pode sempre mudar! Já houveram anos em que a neve chegou no final de maio....que julho praticamente não nevou...etc etc. O fato é que as "previsões" infelizmente não são garantia de nada. Até mesmo fenômenos como o El Nino e La Nina influem sobre o tempo...que pode se tornar mais seco (alguns meteorologistas dizem que é o que está ocorrendo este ano....será?) e diminuir as precipitações.

Para ilustrar como o cenário em Bariloche pode mudar rapidamente...seguem as fotos que tirei com 2 dias de diferença....as duas são da base do Teleférico Cerro Otto....uma no dia 22/06/10 e outra no dia 24/06/10 quando nevou na cidade:

 

20100729110634.JPG

 

20100729110728.JPG

 

A foto abaixo é do Cerro Catedral...tirada no dia 24/06/10:

 

20100729111235.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como a preguiça é grande hehehe segue o relato atrasado;

 

A viagem foi de 12/07 a 22/07 acompanhado pela minha amada namorada Priscila e o amigão Marco, o NOSlife aqui do mochileiros. Embarcamos em 12/07 as 18:00 pela Qatar Airways (R$ 580 ida e volta pela Decolar.com), digo sem medo que é a melhor companhia aérea, o embarque é bem antecipado, a refeição é nota 10, o avião é grande e novo, a tela com o GPS mostrando aonde exatamente o avião está 100% do tempo é tranquilizador para os menos corajosos hehehehe. chegamos por volta das 21:00 em Buenos Aires.

 

Depois de preencher aqueles papéis chatos na imigração (se tiver passaporte leve, assim você preenche só 1 via, tanto na ida como na volta), trocamos o dinheiro no banco de La Nacion Argetina, vale muito a pena, $1 = R$ 0,47, em toda a viagem não achamos cotação melhor e como fica no aeroporto, na volta é só trocar denovo.

 

Após o cambio, pegamos um taxi até o San Telmo ($118) e ficamos num Hostel ($160 private triplo) até o dia 13/07 para as 14:00 para pegar o onibus até Bariloche ($390 ida e volta, versão Cama pela Via Bariloche), pegamos um taxi até a rodoviária ($21). Como estavamos adiantados tomamos um lanche na rodoviária ($75 para os 3, comemos uma pizza sabor "cheiro" de queijo e 3 gaseosas), como não sabiamos que a Via Baroliche capricha tanto nas refeições, levamos tambem 1 Coca-Cuela (palavra inventada durante a viagem) de 2250ml ($9) + 1 pcte de batata Lays ($5) + 3 alfajores ($6 no camelo). Já no ônibus tambem novo e muuuuuito confortavel (pra se ter uma idéia são só 3 cadeiras por fileira de tão largas). Lá pelas 17:00 teve o lanche da tarde (2 empanadas + café ou chá), a noite o jantar (frango com macarrão e mini-salada com vinho ou gaseosa), as 22:30 pra fechar a noite, taça de champanhe ou dose de Whisky (pra derrubar mesmo huahuaua). E o ônibus praticamente não para, há algumas paradas que não dão nem 5 minutos (acredito que seja para a troca do motorista).

 

No dia seguinte ... por volta das 11:00 chegamos em Bariloche, taxi até o Pudu Hostel ($800 (casal em private) e $300 (dormitório) por 6 dias, tem q reversar com a maior antecedencia possivel, lá e como em todos os hostels a tarifa varia muito de $45 (em 05/2010) para $60 lá na hora por exemplo). O hostel é bem aquecido sempre tem uma recepcionista (1 delas já morou 1 ano aqui no Brasil, então entende tudo o que você falar, te passa dicas e etc), a cozinha é completa, banheiros com água quente, chuveiros bem quentes (até demais) e o cabideiro elétrico (para secar as toalhas funciona que é uma maravilha), tem um bar na parte de baixo (com breja e etc), sala de TV e 1 computador com acesso a internet. Vale muito a pena, reserve, é um hostel relativamente pequeno então não tem muitas vagas. Bem localizado, fica a 5 min do centro de Bariloche.

 

No mesmo dia, no centro de Bariloche rodamos umas 2 horas pesquisando um bom lugar para alugar roupa de neve, não lembro o nome ao certo, mas no centro aonde tiver pessoas da Rock Travel (uma excursão que usa uma roupa laranja e preta ridicula) aluga a roupa completa (botas, luvas, jaqueta e calças) 5 dias por $100 pesos por pessoa no cartão de crédito (famosa tarjeta, sempre pergunte antes se aceita).

 

Jantamos no Santana uma hamburguesa bem caprichada com batata frita e gaseosa ($30 para cada pessoa) e passamos no Supermercado (aquele que fica ao lado da Blockbuster) para comprar o essencial para a semana no total foi $125 para os 3. Demos umas voltas e fomos para o hostel dormir.

 

No dia seguinte, as 10:30 (vá mais cedo desde o primeiro dia) estavamos no ponto para pegar o ônibus circular para Cerro Catredal, são $12 ($6 ida e $6 volta) passa de hora em hora, então qto mais cedo melhor. Chegando lá alugamos o equipamentos de Snowboard e Ski no mesmo lugar ($60 por dia). E levamos os famosos tombos...

 

Indicado pelo Marco e arranjado pela recepcionista do Pudu Hostel, tem um passeio noturno a um Refugio ($300 por pessoa, no valor está incluiso o transporte ida e volta de carro até o hostel, menos as bebidas), a aventura começa pq o motorista era muio doido e pé pesado (numa Land Rover no transito argentino) te leva pro meio do mato, é bem distante e a paisagem começa a mudar, mais arvores, montanhas e NEVE! depois de um tempo, continua-se o passeio a pé, são 20 minutos de caminhada na neve nada mto puxado, até que surge a supresa (quem quiser, vá lá descobrir hehehe) vale mta pena, depois há um belo jantar, sopa de abóbora (não é mto boa), lomo com batatas assadas e brownie de chocolate com calda de chocolate e framboesas de sobremesa, antes de voltar, skibunda ilumidada pelas Land Rovers, detalhe que a pista é uma bela descida tem uma curva que rendeu boas risadas. hehehhe.

 

Em Bariloche, teve tambem visistas nas lojas de chocolates (recomendamos a Hapanui $11 combo chocolate quente + alfajor, Tante Frida $100 pelo baú de Chocolate, quase 1 kg de cholocate de várias formas, rama, alfajor, aquele composto, recheado e coberto com amendoas e o Rei do Chocolate os chocos em rama são mto bons) foi basicamente isso até o dia 19/07, o dia da volta para Buenos Aires. (por min tinha ficado lá até o último dia)

 

Na tarde de 19/07, pegamos o taxi do Hostel até a rodoviária ($18 não sei pq a ida foi mais cara) e Via Bariloche de volta a Buenos Aires, chegamos no dia 20/07 as 10:00, ficamos no Kaixo hostel ($150 por dia, quarto triplo), esse hostel tem alguns detalhes (o banheiro do quarto private é compartilhado, não conta com cestas de lixo, o papel vai na descarga mesmo, a cozinha é um pouco bagunçada). Pedimos comida chinesa ($25 por pessoa) por telefone (a recepção tem vários panfletos e liga pra você), não sabiamos que vinha taaaaaanta comida então durou 2 dias hehehehe.

 

Dia 21/07 fomos ao zoológico de Lujan, esse passeio é muito bom pena que é desgastante chegar nele, mas vale a pena. São $40 de transporte ($20 ida e $20 volta, no intitulado ônibus "rápido", levou só 2 horas, vá sentado pq demora.) até as proximidades, pois os turistas são deixados na rodovia ou próximo de um viaduto e andam a pé 5 minutos no máximo, a entrada custa $40 e da direito a 1 volta de dromedário hehehee. Lá tem vários animais (a maioria são os patos e gansos soltos), aves, leões, pumas e o famosos tigres (famosos pq vc entra na jaula dele e passa a mão no bicho). O lugar em si é mto interessante, mas mal conservado e sem a infra-estrutura de uma atração turistica. Continua valendo a pena, pq você acaba esquecendo das 2 horas pra voltar...

 

Dia 22/07, saimos para comprar algumas coisas (chocolate, jogos, roupas e etc) e comemos uma parilla de despedida, no El Gaucho ($68 pela picanha, bata-frita e gaseosa) e fomos para o aeroporto, lá as 11:00 embarcamos de volta.

 

Vamos voltar (espero que em 2011) com certeza, por vários motivos básicos:

 

- Melhorar os skills de Ski, que é um esporte incrivel, mas requer mais tempo de prática heuhehe

- Fazer o passeio de snowmobil

- Conhecer mais pistas de ski.

- Visitar Ushuaia, pelas fotos e relatos é bom, mas faltou tempo, equipamento e o mais importante planejamento

 

Abs!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia, felipes2young,

Dê uma lida nos depoimentos anteriores deste tópico que vc encontrará dicas valiosas para sua viagem. Contudo, é aconselhável que vc escolha os hotéis ou albergues que pretende se hospedar com antecedência. No meu caso, costumo fazer isso com 6 meses de antecedência....depende do tempo que vc dispõe.

Estou com férias marcadas para Argentina. Vou fazer 4 noites em Buenos Aires e 6 noites em Bariloche, agora, em agosto de 2010.

Veja alguns preços:

Taxa de Embarque BSB-BA e BA-BSB por casal, pela TAM: R$ 429,06; (vou utilizar milhagens da TAm)

Passagens aéreas + taxas de embarque BA-Bari e Bari-BA, indo por Aerolin Arg e voltando por Lan: R$ 1.691,29 o casal;

Em relação aos albergues ou hotéis, tudo depende do que vc pretende gastar...veja os depoimentos das pessoas que já se hospedaram e tire suas dúvidas...

Existe um site oficial de bariloche: http://www.bariloche.org/ onde vc encontra todas as informações sobre a melhor época para neve, consequentemente, para esqui, etc.. Lembrando que isso pode variar de ano para ano. O certo é vc fazer o acompanhamento perto da época em que for viajar e com previsão de 10 dias para frente (weather channel ou neste site: http://www.bariloche.org/paginas/2007/03/50/camaras_en_vivo/ ).

Divirta-se, pois a preparação da viagem costuma ser bem agradável.

 

SEGUE ABAIXO UM RESUMO DE ALGUNS PREÇOS QUE CONSEGUI COM PASSAGENS AÉREAS E HOSPEDAGEM E ALGUNS PREÇOS RETIRADOS DO SITE DOS MOCHILEIROS:

 

Despesas/Custos Valores em R$ OU $

Tax Emb-TAM Ida/Volta BSB-BA R$ 429,06

Passagens Aéreas BA-Bari e Bari-BA R$ 807,16 +R$ 884,00 = R$ 1.691,16

Hotel San Remo Bari 6 noites $ 1.500,00 (- 260,00) = 1.240,00 ou R$ 620,00

Táxi Ezeiza-Centro U$ 30,00 ÷ 2 = 15,00 ou R$ 30,00

Subida Cerro Catedral casal $ 245,00 ou R$ 122,50

Aula + equip 1 pessoa $ 130,00 ou R$ 65,00

Ônibus para o Cerro Catedral $ 6,00 ou R$ 3,00

Passes para todos os teleféricos C Catedral $ 225,00 ou R$ 112,50 p pessoa

Subida Cerro Campanário casal $ 60,00 ou R$ 30,00

Subida Cerro Otto casal $ 140,00 ou R$ 70,00

Traslado gratuito para Cerro Otto 0,0

Piedras Blancas 6 subidas teleférico $ 150,00 ou R$ 75,00 p pessoa

Transporte para Piedras Blancas LS Travel $ 50,00 ou R$ 25,00 p pessoa

Táxi para Piedras Blancas $ 60,00 ou R$ 30,00 ÷ 2

Cerro Tronador entrada $ 40,00 ou R$ 20,00 p pessoa

Cerro Campanário LS Travel $ 150,00 ou R$ 75,00 p pessoa

 

$ PESO ARGENTINO U$ DÓLAR AMERICANO

 

QQ DÚVIDA, ESTAMOS À DISPOSIÇÃO!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Marcelo Manente
      Em breve iniciarei o relato da aventura que está acontecendo neste momento.
      Estou hoje em Chile Chico, Chile. Seguindo para a Carretera Austral.
      Muitos perrengues, problemas da viatura, mas lugares maravilhosos para compensar tudo isso.
      Vou tentar fazer um relato com os custos de quase tudo que eu lembrar.

    • Por cassizanon
      Fala Galera, finalmente to tomando coragem pra fazer minha primeira viagem sozinho. Sempre fiquei dependendo de ter alguém pra viajar comigo mas datas, orçamentos e disposição nunca bateram, e nunca consegui viajar. ACHO QUE AGORA VAI, tenho um certo receio de estar por conta própria, mas acho que faz parte da experiência.
      Sempre quis viajar pra Argentina e há anos tenho pesquisado e feito vááários roteiros que nunca se concretizaram. 
      Agora, pesquisando preços de passagens, achei valores que achei incrivelmente baixos e antes de reservar, queria confirmar com vocês se meu (pouco) planejamento até agora está nos conformes e se os valores realmente valem a pena.
      Bem, moro em Florinópolis/SC, mas achei as seguinte passagens:
      Porto Alegre para Buenos Aires
      FLYBONDI
      Ida: 14/04 (19:25 - 20:10)
      Volta: 30/04 (17:05 - 18:40)
      Total: R$426,91
      A Flybondi não tem bagagem incluída, porém eles mencionam isto: A piece of hand luggage of up to 6kg is included. If you are flying to or from Brasil, 10kg are included for hand and cabin luggaged combined.
      Então eu teria 10kg para levar na cabine. Vocês acham que é possivel passar 16 dias (no possível frio de Bariloche) com 10kg de bagagem só? Eu teria que pagar 110 reais por trecho pra levar mala de 20kg.
       
      Buenos Aires para Bariloche
      AEROLINEAS ARGENTINAS
       
      Ida: 17/04 (13:00)
      Volta: 29/04 (15:25)
      Total: R$316,43*
      *Aqui que pega, esse voo não inclui nenhuma bagagem, apenas "mochila que caiba embaixo do assento", não achei peso nem nada, porém para poder levar bagagem adicional, que também não sei ao certo o peso, pelo site da Cia, seria cerca de R$50 por trecho, então o total poderia ficar em R$ 416 +-. O que acham?
       
      HOSPEDAGEM:
       
      No Booking.com, encontrei o Hostel HOPA-Home Patagonia Hostel & Bar, a 1,1km do centro (no site deles diz 700m).
      12 dias - R$371 + R$78 de ISS (Quarto compartilhado com 8 camas)
       
      Alguém já se hospedou neste hostel? Parece ser bom e bem completo, porém queria opiniões da galera daqui. O preço está ok também?
       
      O QUE FAZER:
      Bem, aqui eu teria que com tempo reler meus guias, comprar guias novos (o que tenho é de 2013), e meus roteiros antigos, porém tenho uma boa noção do que quero conhecer, até locais mais distantes, como El Bosón, Ventisquero Negro, Rota dos 7 Lagos, etc.
      O problema é que dessa vez meu planejamento vai ser sem carro, e estou 100% desatualizado em como tá a situação lá pra usar Uber, 99, Bla bla car, etc, qualquer tecnologia que facilite transporte. Ou se ainda devo me focar em tours, passeios contratados pra conhecer certos lugares, tipo fazer o circuito chico, grande, rota dos 7 lagos, e idas pra lugares mais longe. E até mesmo transporte dentro da cidade. Vocês poderiam me dar um help nisso? Eu queria muito conhecer alguém lá e fazer esses passeios juntos.
       
      Mas enfim, para conhecer bem Bariloche e região, vocês acham que 11, 12 dias dá com tranquilidade? Não sei que tipo de viajante sou, mas sei que quero apreciar muito o lugar.
      E também, coloquei uns 3 dias para Buenos Aires, acho que vai ser meio corrido, mas como meu foco é Bariloche mesmo, acham que é suave deixar esse tempo pra capital?
       
       
      Eu queria muito incluir Mendoza e o Aconcágua nessa viagem, mas acho que encareceria muito, mas fazia parte do meu roteiro dos sonhos, mas acho que fica pra uma próxima.
      Desculpem o post longo, mas tentei organizar o máximo possível!
      Valeu galera!
       
    • Por Robson Black
      Boa tarde
      Estou pensando em fazer uma viagem a Argentina na maior parte do Roteiro de Bike:
      - Saída dia 21/01/20 Florianópolis x Resistência de ônibus de linha levando a bike e outros equipamentos:
      - Dia 22/01 Resistência x Bariloche de avião ou ônibus 
      -Dia 23/01 7 lagos de bike
      Retorno igual, gostaria de ajuda:
      -  Qual melhor roteiro para este viagem?
      - O que devo levar de roupa para o clima da época?
      - Há perigo neste roteiro?
      - Está valendo apena ir a argentina de bike?
      Deixo meu e-mail e agradeço quem quiser me ajudar:
      [email protected]
    • Por Alan karleno
      Fala Mochileiros..
      Procuro dicas para aperfeiçoar o meu roteiro e a quantidade de dias que se faz interessante para cada local. Planejo o roteiro entrando pela Argentina (buenos Aires), saindo pelo Chile (Santiago), em junho de 2020. Tenho 25 dias disponíveis. 
      Vôo. Teresina & buenos Aires (buenos Aires 3 dias).
      Vôo. Buenos Aires & Bariloche (Bariloche  + Villa la angostura 5 dias). 
      Vôo. Bariloche & Buenos Aires e Buenos Aires Ushuaia. (Dia para viagem). 
      Vôo. Ushuaia & El Calafate (4 dias El Calafate).
      Ônibus. El Calafate & Puerto Natales (5 dias Puerto Natales + Parque torres del paine). 
      Ônibus. Puerto Natales & Puta Arena (2 dias Puta Arena).
      Vôo. Punta arenas & Santiago ( 4 dias Santiago) + VALLE NEVADO ou FARELLONES.
      Vôo. Santiago & Teresina. 
      1 dias para emprevisto.
      Quero aproveitar ao máximo o tempo em viagem.
      Desde já agradeço pela atenção.
      Bora Mochila..
       
       
       
       
       
       
       
    • Por Vinícius Zanata
      Olá!
      Mais um post de dicas rápidas. Como já adotei em outros tópicos, não vou postar fotos pq:
      1.  já existem mtas fotos dos passeios e paisagens de bariloche em blogs e relatos
      2.  as fotos diminuem a sensação de estar indo pela primeira vez a um local especial.
      A ideia é passar dicas práticas que tive com a viagem, e que podem auxiliar os próximos viajantes do destino.
       
      Considerações gerais
      Fui com minha esposa, ficamos por 9 dias na cidade, no mês de agosto (inverno). Sim, é bem um número de diárias bem acima da média para Bariloche. Mas assim como qualquer passeio para a Patagônia, é sempre bom considerar que o tempo na região é bastante ruim no inverno, com grande chance de tempo nublado ou chuvoso e ir com dias contados pode te privar de conhecer a cidade da forma que gostaria.
      Por isso, inclusive, é interessante não marcar ou pagar qualquer passeio ou atividade com antecedência. No nosso caso, fui sem agendar nada e fui fazendo os roteiros de acordo com o clima. Claro que nem assim as coisas saem perfeitas, mas ajuda bastante a aproveitar melhor alguns passeios que ficam bem mais interessantes em dias bonitos.
      Nós fomos para Argentina dois dias antes de o Macri figurar bem mal nas prévias eleitorais do país, o que fez o peso argentino despencar diante do dólar. Isso normalmente seria um bom sinal para nós, que íamos levar dólar, mas não é tão automático assim. Apesar de estar com a moeda bem desvalorizada, o dólar alto tem aumentado a inflação no país, o que acaba compensando o câmbio favorável. Fiquei um pouco ansioso, mas os preços estavam dentro do esperado, ainda não havia tido repasse.
      Por falar em câmbio, sim, é possível viver só com reais por lá. Mas é preciso ficar atento às cotações dos estabelecimentos pra não levar prejuízo. As cotações variam até 30% entre os estabelecimentos! Na chegada ao aeroporto, o remise (táxi com valor fechado por viagem) nos cobrou 550 pesos ou 55 reais para ir até nossa hospedagem no centro. Ou seja, fez a taxa real - peso em 1 pra 10, quando a cotação oficial  do Banco de la Nácion (BNA) estava 1 - 13. Paguei pq não tive como fazer câmbio antes, já que nosso vôo só teve escala em SP. 
      Para quem vai levar dólar e não tem escala em Buenos Aires, o melhor lugar para cambiar em Bariloche é o BNA do centro, mas, como um banco de varejo, está sempre cheio e com filas. Por isso acabei fazendo câmbio na Western Union. A cotação tava praticamente igual ao do BNA. 
      O lugar para ficar é sempre mto subjetivo e do perfil de cada um. O centro é ótimo para quem quer comodidade e transporte fácil. Fiquei num airbnb na Avenida San Martin, que é uma ótima localização, próximo ao centro cívico. Quem quer ficar mais afastado pode procurar os hotéis da Av. Bustillo, geralmente mais modernos e caros. Como nós usamos muito transporte público e remises, era mais vantajoso ficar pelo Centro.
      Dia 1 - Chegada ao apartamento e janta
      No aeroporto existem diversas formas de transporte para chegar ao centro: remise, táxi, van e ônibus público.
      Pegamos um remise, que era mais rápido. Pagamos R$ 55 , como disse, mas vale 550 pesos. Do lado de fora vi a van compartilhada e alguns táxis. O ponto do ônibus não vi, mas ele esta previsto no site da empresa de ônibus da cidade, chamada MiBus. No site da empresa tem as rotas e os horários. Salvei os principais números no evernote e foi bastante útil. É bom ter contato de remises tb.
      Chegamos ao airbnb, deixamos as malas e fomos para almoçar num restaurante próximo chamado Rock Chicken. Lugar simples, com comida barata e quantidade razoável. Também aceitava reais, mas em cotação ruim.
      Dia 2 - Cerro Campanário, Puerto Panuelo e Chao Chao
      No outro dia pela manhã fez um belo dia de sol, e então aproveitamos para fazer os passeios de vista aberta. Pela previsão do tempo, os demais dias seriam nublados, então era a oportunidade de fazer esse passeio. Passamos antes no centro de informações turísticas para pegar mapas e informações e fomos fazer uma parte do passeio conhecido como Circuito Chico. 
      Existem muitas formas de fazer o circuito chico, que é o passeio mais tradicional de Bariloche. É um passeio de diversas paradas, e a maioria das pessoas faz com agência. Eu particularmente tenho problemas em fazer aquele turismo meio gado, com o guia ditando o tempo das paradas e todo mundo entrando e descendo da van ao mesmo tempo. Por outro lado, sem carro alugado não é muito fácil fazer o circuito, pois as paradas ficam distantes e o transporte público não cobre todo o circuito. Então eu resolvi fazer o que dava pra fazer de ônibus e o que não dava fazer com remise. A parte mais tranquila de fazer é Cerro Campanário, Puerto Panuelo e Chao Chao, pois a linha 20 passa bastante (contei menos de 20 min) e passa exatamente por esses trechos. A maioria das linhas passam pelo Centro, na Avenida Perito Moreno, em frente ao antigo supermercado Uno.
      Paramos primeiro no Cerro Campanário, que é um ponto lindo de fotos. Subimos por teleférico (para os mais aventureiros, há uma trilha à esquerda da entrada que leva até o topo), que custava 400 pesos por adulto. Lá de cima é bem bonito e precisa ser visto em dia de céu limpo para ficar mais legal. Uma das coisas que vc descobre em pouco tempo é que aquele cenário da cidade e as árvores todas cobertas de branco da neve é bem raro. A maior parte da neve só ocorre no topo das montanhas mesmo. A neve em pó para chegar na cidade, só com uma grande nevasca, coisa que acontece poucos dias do inverno. Mas mesmo assim a paisagem é deslumbrante.
      Voltamos ao ponto de ônibus e continuamos o passeio rumo ao puerto panuelo. Chegamos lá juntos com centenas de estudantes e descobrimos um mistério que já tinha nos chamado a atenção: a quantidade de estudantes com casacos iguais carregando sacolas plásticas pelo centro da cidade. Trata-se do turismo para egressados, como eles chamam. Bariloche é o destino de formandos secundaristas da classe média argentina. Existem algumas empresas que levam, todos os anos, milhares de estudantes para lá. Eu achava que só rolava em julho, mas eles estavam aos montes mesmo em agosto. Estavam indo fazer um passeio de barco.
      Passamos na lanchonete do porto e almoçamos por lá mesmo. Depois fomos visitar o hotel Chao Chao. É necessário subir uma ladeirinha pra chegar lá. Achei que era mais tranquilo adentrar o local, mas os funcionários não permitem transitar por mtos lugares, nem tirar foto. Antes do hotel, ainda na estrada, tem uma capela histórica, mas acabei não indo lá. De lá tentei um remise para fazer a volta, mas tive problemas para conseguir ligar para um e acabamos voltando para o centro de ônibus mesmo.
      Nesse dia fizemos algumas compras no La anónima (supermercado) e comemos em casa mesmo.
      Dia 3 - Centro cívico, museus e catedral Nuestra Señora Nahuel Huapi.
      Dia bem frio e nublado. Aproveitamos para fazer passeios mais tranquilos. Acordamos um pouco tarde, fomos fazer um passeio no centro cívico e no museu da patagônia. Ele é bem simplesinho, mas com bastante documento histórico da cidade e uma sala com animais da fauna e descrição da flora regional. Vale a pena para quem gosta de história. Depois passeamos pela orla, fomos andando até a catedral nuestra señora e a plaza catedral. Por ali almoçamos antes de ir ao museu paleontólogo, que abria a partir das 15h. Ninguém dá nada por ele, pois é bem pequeno e escondido, mas tem uma ossada completa de um ictiosauro. Visita feita, voltamos e passamos na confentaria da chocolateria Mamuschka. Os doces lá são incríveis. Provamos vários doces, um a cada dia, até o fim da viagem rs.
       
      Continua...Se tiverem dúvidas que possa esclarecer, podem deixar a pergunta.
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       


×
×
  • Criar Novo...