Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

casal100

Ciudad Perdida - Colômbia em Julho de 2010

Posts Recomendados

Estarei relatando minha experiência no trekking até a ciudad perdida, lugar localizado próximo a cidade de Santa Marta - Colômbia.

Compartilhar este post


Link para o post

Obs.: O relato completo de toda a viagem está: america do sul de carro inverno carro/mochila em RELATOS DE VIAGENS.

 

11º DIA - 09/07/2010

SAÍDA DE CARTAGENA E TRASLADO ATÉ SANTA MARTA - MAIOR FURADA!!!

A recepcionista do hotel disse que havia um serviço porta-a-porta de Cartagena até Santa Marta em vans, achávamos que ganharíamos tempo(queria chegar a santa marta e já fazer a reserva para o outro dia p/ trekking a cidade perdida), ledo engano, a van nos pegou no hotel atrasada, além do mais em barranquila "entregaram" as outras pessoas nas suas casas, ficamos por último, até ai tudo bem, não é que essa van não ia para Santa Marta, pararam num escritório no centro de barranquila, tivemos que descer para aguardar outra.....pqp, com a demora "rodei a baiana", disse se não aparecesse outra van iria até a polícia.....como num passe de mágica, outra van apareceu.......mas foi a mesma penitência....tivemos que pegar várias pessoas na cidade......pqp......seguimos viagem, o mesmo esquema, deixaram algumas pessoas nas portas de casa, e nós e mais alguns por último.

Chegamos a Rodadero as 19 horas(saimos as 11 horas pqp), as agências fechadas, num centro de compras somente uma aberta, sabiámos que o preço variava de cop450.000 a cop550.000, mas essa agência cobrava cop600.000, negociamos por cop570.000(muito caro, pois essa agência é tercerizada, prefiram contratar o serviço em Santa Marta, há 2 empresas credenciadas e mais 2 numa cidade próxima), mas não tinhámos escolha, fechavamos ou perderiamos um dia.

Fomos atrás de hotel, muitas opções e barato, deixamos as coisas, o proprietário nos indicou uma churrascaria de um senhor brasileiro(ex-jogador do Flamengo do Rio na decáda de 50 - Reinaldo da silva), conversamos muito, e comemos muita carne(picanha e filet)+mandioca cozida, muito bem preparado por ele.

Então fica a dica: ESSE SERVIÇO DE VAN E CONFORTÁVEL, MAS DEMORA MUITOOOOOOOOOO.

 

Transporte:

Van de santa marta x barranquila x santa marta: cop50.000 por pessoa

 

HOSPEDAGEM: Hotel el delfin, rodadero, santa marta, novo e limpo, quartos bons, banheiro privativo, ar condicionado, tv a cabo, preço: cop90.000.

 

BARRANQUILA: Cidade a beira mar do caribe, sua periferia dá até medo, muita sujeira, favelas....os bairros da classe média é tudo diferente, muito limpo, moderno, me surpreendeu positivamente.

 

 

12º DIA - 10/07/2010

SAÍDA DE SANTA MARTA - INÍCIO DO TREKKING A CIUDAD PERDIDA.

 

PREPARAÇÃO: Neste trekking não há necessidade de levar equipamentos, comidas....., pois vamos pernoitar em alojamentos(ora em redes, ora em camas rústicas), leve o básico:

ROUPAS: 2 calças, q reverte p/bermuda; 3 camisetas; 1 bluza de frio fina; bota; sandália, tênis; 3 pares meias; boné; capa p/chuva(importantássimo), capa p/ mochila; remédios; máquina foto; em alguns lugares dá para recarregar baterias; REPELENTE(ITEM INDISPENSÁVEL, TEM MUITO MOSQUITO LÁ..).

 

Obs.:

1)-quando for fechar o pacote, ratifique se tem seguro contra acidentes pessoais, isso é importante...... Se houver algum acidente o exército é acionado e dão suporte;

2)-procure fechar o pacote diretamente com a agência que executa o serivço todo, vc pagará uns cop100.000 a menos por pessoa; Os pacotes(comida, alojamento, guias.....) são iguais, por isso é importante pechinchar qdo for contratar.

3)-Em época de chuva somente pacote para 5 ou 6 dias, pois os rios ficam cheios e perigoso, nos outros períodos, segundo o nosso guia, há pacote de 3 dias. O melhor pacote é o de 5 dias(prá quem não tá bem fisicamente);

4)-água é abundante em todo o trecho(neste período, na seca complica), os guias levam pastilhas para purificar;

5)-Procure chegar mais cedo aos alojamentos, pois poderá escolher as melhores camas/redes, e os banheiros estarão ainda limpos;

6)-Leve o mínimo de bagagem, a comida(café da manhã, almoço, lanche e jantar) é farta e boa, os guias tem medicamentos para primeiros socorros;

7)-Quando for fotografar os índios, suas casas, procure pedir autorização deles;

8)-Fique sempre atento a cobras, muitas são extremamentes venenosas, os militares tem soros em caso de picada, não desespere, mas procure socorro imediatamente;

9)-Os rios quando cheios são perigosos, muitas pedras, correnteza forte....., sempre obedeça os guias, nunca atravesse só;

10)-Não há nenhum sinal de traficantes, milícias e FARC, o exército está muito presente, em todo o trecho;

11)-Em algumas partes, o caminho é dentro de floresta densa, com piso extremamente escorregadio com muito lodo nas pedras;

12)-O trecho final(chegada a cidade perdida) é através de escadaria(uns 1.200 degraus), a subida é forte mas tranquila, procure redobrar a atenção na descida, muito escorregadio;

13)-Procure respeitar os guias, são pessoas simples e sempre dispostar a lhe ajudar. Não costumo indicar guias, mas esse que nos acompanhou merece:

agência: Turcol(www.buritaca2000.com), perto praça central de Santa Marta, solicite o guia JAVIER. VC SERÁ MUITO BEM ATENDIDO!

 

 

 

 

Deixamos as mochilas pesadas na agência de viagem em rodadero, o dono nos levou até a agência(TURCOL-www.buritaca2000.com) em santa marta de taxi, (o transporte até o início da trilha é feito por um 4 x 4, gastamos +-2 horas). Nosso grupo foi constituido por 3 ingleses, 1 alemã e nós 2 + 1 guia e 1 cozinheiro.

O traslado(agência x início da trilha-restaurante) foi tranquilo, não choveu. Chegamos num restaurante, comemos um lanche reforçado fornecido pela agência.

 

Começamos a trilha, tudo muito tranquilo, algumas subidas/descidas fracas, mais a frente começou uma subida bem ingreme com muito barro e desníveis, como tinha comido muita carne no dia anterior, aliado ao cansaço, sofri muito, o guia, muito gentil, me auxiliou. Após essa grande subida, paramos num ponto para comer melância, fornecido pela agência. Mais um trecho tranquilo, aí começou uma grande descida, não sei o motivo, mas sofro mais nas descidas do que nas subidas, muito barro, desniveis, caimos algumas vezes, a chuva começou com maior intensidade, atravessamos um pequeno riacho. Chegamos ao primeiro alojamento quase escurecendo, somente banho frio, o tempo começou a esfriar, a chuva cessou, o cozinheiro começou a fazer o rango, muito bom por sinal(arroz, frango com batatas e legumes, salada, barra de cereal de sobremessa). Jantamos a luz de velas, batemos um papo com o pessoal e rede, isso mesmo, não há camas, o alojamento é bem rústico(galpão onde são instaladas as redes, varias...).

 

ALOJAMENTO nº 1) - Fica na margem de um rio, são dois galpões onde instalam as redes com mosquiteiro, uma cozinha rústica com fogão a lenha, uma mesa grande de jantar, banheiro simples, banho frio. Na outra margem há um bar, com mesa de sinuca, venda de bebidas e alguns petiscos. Perto tem piscina natural. Ao lado muitas flores, lindas por sinal.

 

AVALIAÇÃO DO TRECHO: A trilha é bem demarcarda, algumas partes no meio da tensa floresta tropical, por isso muita umidade e chuva. neste trecho há pequeno rio para atravessar. Um subida bem forte, algumas partes leves, e uma descida forte. Mas nada preocupante, pessoas de todas as idades fazem esse trekking. Indo devagar gastamos em torno de 3 horas(do restaurante ao primeiro alojamento). Grau de dificuldade: médio.

 

ALGUMAS FOTOS:

4 x 4 - traslado Santa Marta x Início da trilha

DSC00854.jpg

Alojamento nº 1 - somente redes.

DSC00864.jpg

Alojamento nº 1 - Flores

DSC00860.jpg

Riacho próximo ao alojamento nº 1

DSC00879.jpg

Compartilhar este post


Link para o post

13º DIA - 11/07/2010

2º DIA TREKKING CIUDAD PERDIDA - -+ 4 horas de caminhada.

Tomamos café da manhã(café, leite c/chocolate, frutas e pão), saimos bem cedo, choveu bastante durante a maior parte do tempo, atravessamos alguns riachos, com água na cintura, muito tranquilo, neste dia o trecho intercalou subidas/descidas, retas....sempre parando para comer frutas fornecidas pelos guias. Conhecemos e fotografamos alguns índios dentro das ocas(não esqueça de perguntar se autorizam a foto). Chegamos ao 2º alojamento(esse mais ou menos o mesmo esquema do outro, só que tem camas beliches e redes), chegamos por volta das 13 horas, almoçamos sopa de legumes(muito boa). Pelo rádio ouvimos o jogo final da copa do mundo(Espanha 1 x 0 Holanda). Nossas roupas/botas ficaram molhadas, deixamos secar neste alojamento, na volta pegaremos. Serviram o jantar(arróz, carne cozida com batata, lentilha, salada(tomate/cebola/alface) e bolacha recheada de sobremessa.

 

Alojamento nº 2) - Este fica um pouco mais longe do rio, mas em cima de um grande barranco, aqui tem camas beliches, alguns colchões são mais novos, outros velhos, os travesseiros são velhos e sujos, todos beliches têm tela mosquiteira, os banheiros são iguais(banho frio, e privada simples), cozinha com fogão à lenha. São dois galpões, um com camas beliches e outro com redes.

 

AVALIAÇÃO DO TRECHO: Trecho mais fácil do que do dia anterior. O grande problema da época de chuvas é a formação de barro, nas descidas ingremes os tombos são constantes. O circuito é misto com subidas/descidas longas, com parte mais reta. Grau de dificuldade: fácil.

 

algumas fotos

DSC00882.jpg

Alojamento 2

DSC00886.jpg

Trilha

DSC01041.jpg

DSC01049.jpg

DSC01067.jpg

Compartilhar este post


Link para o post

Marco:

 

Muito bom relato, excelentes dicas. Penso em ir para Cartagena proximo ano e daí fazer a Ciudad Perdida.

 

Precisa de guia (podemos ir independentes)?

 

Estou aguardando o final do relato!

 

Abs, peter

Compartilhar este post


Link para o post

Peter

 

Somente pessoas autorizadas e acompanhadas por GUIA DE AGÊNCIA credenciada pode ingressar no Parque(essa informação me foi dada pelo nosso guia).

Segundo ele, cada guia de agência tem 4 autorizações por mês, e o controle é feito pelos índios(terra deles). O controle é rigoroso.

Quaisquer outras informações estou por aqui.

 

Mais um pouco do relato:

 

14º DIA - 12/07/2010

3º DIA TREKKING CIUDAD PERDIDA - +- 4 horas.

Tomamos café da manhã(misto quente, café, chocolate quente e frutas) bem cedo, tivemos um pouco de sol, não pegamos chuva, o tempo estava nublado, o rio neste dia estava mais cheio(atravessamos o mesmo rio 3 vezes), tivemos a ajuda de cordas para atravessá-lo, os guias sempre por perto para lhe auxiliar. Neste dia caminhamos muito dentro de um bonito bosque, com várias pequenas cachoeiras e lindas borboletas, pássaros cantando..... muito legal!!!

Paramos num quiosque que vende refri, bolacha...administrado pelos índios.

O final a trilha é feita às margens do rio atravéz das pedras. O grupo resolveu tomar banho nas inúmeras piscinas naturais, perto do alojamento. Almoçamos Arróz, batata frita, salada(tomate, alface e cebola) e linguiça + bolacha recheada. No jantar foi servido sopa de legumes. No final de noite arrumaram uma pipoca frita da hora.

 

Alojamento nº 3)- Mesmo esquema do anterior(galpão com camas e outro com redes), cozinha simples com fogão a lenha, ducha fria com pouca água, banheiro simples.

 

AVALIAÇÃO DO TRECHO: No início uma subida forte(1 hora de subida), depois alterna subidas e descidas leves, tem que atravessar o mesmo rio 3 vezes, no final a trilha é feita na beira do rio, em pedras de todos os tamanhos, requer muito cuidado, principalmente quando o rio estiver muito cheio. Grau de dificuldade: fácil.

 

Algumas fotos:

Trilha

DSC00899.jpg

 

DSC00895.jpg

 

DSC00906.jpg

 

DSC00907.jpg

 

DSC00927.jpg

 

DSC00935.jpg

 

DSC00923.jpg

 

DSC00920.jpg

 

Alojamento nº 3:

DSC01029.jpg

 

DSC01031.jpg

 

 

 

 

15º DIA - 13/07/2010

4º DIA TREKKING CIUDAD PERDIDA

sAÍDA ALOJAMENTO 3, VISITA A CIUDAD PERDIDA E CHEGADA AO ALOJAMENTO 2.

 

Acordamos bem cedo(5:30hrs), tomamos café(empanada queijo/carne, frutas, chocolate, muito bom). Hoje finalmente conheceremos a ciudad perdida.... Choveu muito à noite, os guias de manhã foram verificar o nível do rio, por precaução resolveram reativar uma antiga trilha, para não atravessarmos o rio 4 vezes, questão de segurança.

Essa trilha(alojamento 3 x rio) não estava bem demarcada, o piso muito escorregadio, muitas pedras com lodo, atravessamos o rio, nesta parte ele é mais largo e com pouca correnteza. Começamos a subir os degraus(uns 1.200), sempre parando para descansar. Vencida a primeira parte, deparamos com o primeiro platô, pequeno, mais acima outros maiores, bem acima fica o maior de todos, onde o exercito tem um grande destacamento. O guia sempre dava as explicações sobre tudo..... Um helicóptero desceu em cima do platô, descarregou equipamento e militares, e levantou voo a seguir.....

A ciudad perdida é pequena em comparação a macchupicchu, mas devemos considerar que ainda tem muita coisa a ser escavado.

Depois de conhecer tudo por lá, começamos a descer aqueles degraus, muito difíci, como estávamos num período de chuva, cada momento um caia..

Atravessamos o rio novamente, como nossas botas estavam molhadas, nem retiramos para atravessar. Chegamos ao alojamento 3, preparamos nossas mochilas, almoçamos(arróz, salada(a mesma), feijão e carne frita), e seguimos viagem.

Neste dia choveu muito, o rio começou a subir rapidamente, tivemos que acelerar o passo, senão a última travessia seria perigosíssima, no final deu tudo certo.

Outro problema, chegando ao alojamento 2 já quase no final do dia, por um problema logístico, vários grupos tiveram que dormir ali(umas 80 pessoas, o normal é 50)..... alguns improvisaram redes, barracas. Aqui a teoria de chegar mais cedo aos alojamentos funcionou, fomos os primeiros a chegar do nosso grupo, pegamos duas camas, os outros tiveram que dormir improvissados.

Cedi minha cama para uma alemã do nosso grupo, e dormi com minha parceira. Os outros tiveram que se contentar com redes quase ao ar livre.

Nossas roupas molhadas que deixamos neste alojamento não secaram.

Jantamos uma sopa de legumes com carne muito boa, barra de ceral.

Nosso pacote era para 6 dias, mas resolvemos neste dia a encurtar em um dia, então no outro dia fizemos 2 trechos, mas foi até tranquilo.

 

ALOJAMENTO: dormimos no alojamento nº 2 já descrito acima.

 

AVALIAÇÃO DO TRECHO:

1º) alojamento 3 x ciudad perdida: Como estava chovendo muito, nossos guias resolveram reativar uma trilha, na seca tem que atravessar o mesmo rio 4 vezes. No início é feita pela margem do rio no meio de pedras, após uma encosta com alguns pequenos abismos, mas sem grandes problemas, atravessa o rio, nesta parte ele é bem largo com pouca correnteza, começa então os degraus, uns 1.200, prá subir tudo tranquilo, mas a descida requer muito cuidado(tempo chuvoso) muito escorregadio. tempo aprox. 1:30hrs.

2º)alojamento 3 x alojamento 2: já descrito no outro dia. 3 horas +-

 

Algumas fotos:

Trilha entre alojamento 3 x rio:

DSC00942.jpg

 

DSC01010.jpg

 

DSC01020.jpg

 

 

 

Trilha entre rio x ciudad perdida(1.200 degraus):

DSC01007.jpg

 

DSC00950.jpg

 

ciudad perdida:

DSC00987.jpg

 

DSC00984.jpg

 

DSC00995.jpg

 

Nesta pedra contém o mapa da ciudad perdida:

DSC00962.jpg

Compartilhar este post


Link para o post

14/07/2010

5º E ÚLTIMO DIA TREKKING CIUDAD PERDIDA

SAÍDA ALOJAMENTO 2 CHEGADA A RODADERO - SANTA MARTA:

 

Reforçamos o café da manhã(misto quente, chocolate quente, café, bolacha, frutas), o dia prometia, fizemos dois trechos(+- 6 horas), fomos os primeiros a sair, pois o tempo estava sinalizando mais chuva, o rio poderia subir mais. Nossos guias ficaram com o resto do pessoal, a trilha é bem demarcada, não tivemos problema para chegar ao final da trilha, somente o barro que dificultou um pouco, nestes dias chouveu muito. Mas foi até tranquilo(6 horas).

Almoçamos no restaurante do início da trilha(pago pela agência), esperamos o resto do pessoal e partimos na 4x4 da agência. No caminho(parte terra) choveu muito, tivemos que ajudar uma 4 x 4 que atolou.

Chegamos a Santa marta às 17 horas, conhecemos o pequeno centro da cidade, pegamos um taxi até rodadero(cop8.000), retiramos nossa mochila na agência de viagem e fomos atrás de hotel, a cidade não estava lotada, ficamos num hotel na rua principal. Numa praça, comemos pizza em pedaço, assada na hora por uma senhora num carrinho, estava ótima e barata.

 

HOSPEDAGEM: Hotel Betoma, rodadero, ar, água quente, sem café da manhã, limpo, sacada com vista para o mar, limpo, e confortável. preço: cop90.000

 

ALGUMAS FOTOS:

DSC01038.jpg

 

DSC01084.jpg

 

DSC01092.jpg

 

DSC01071.jpg

 

DSC01074.jpg

Compartilhar este post


Link para o post

Te deixo aqui uma pergunta: porque você não se hospedou em Taganga e pegou um jipe de lá para ir para a Serra Nevada? Até porque em Taganga (distrito de Santa Marta), as hospedagens são mais baratas, apesar de serem mais modestas, embora eu veja que isso está mudando...mas eu penso cá com meus botões que sairia mais em conta... ou não? :?: Ou você queria mesmo ficar em El Rodadero?

Compartilhar este post


Link para o post

Te deixo aqui uma pergunta: porque você não se hospedou em Taganga e pegou um jipe de lá para ir para a Serra Nevada? Até porque em Taganga (distrito de Santa Marta), as hospedagens são mais baratas, apesar de serem mais modestas, embora eu veja que isso está mudando...mas eu penso cá com meus botões que sairia mais em conta... ou não? :?: Ou você queria mesmo ficar em El Rodadero?

 

Ana,

Concordo contigo, mas o problema é que segui a orientação da recepção do hotel em cartagena e fui de van......foram exaustivas 7 horas de viagem(cheguei as 19 horas), como a van passou primeiro em Rodadero, desci ali mesmo para tentar acertar o trekking a ciudad perdida para o outro dia.

Se fosse para taganga ou santa marta corria o risco de não conseguir o passeio para o outro dia.

Compartilhar este post


Link para o post

Excelente relato..

 

ja anotei todas as dicas rsrs muito obrigado...

 

 

Bruno,

 

Se for fazer o trekking à cidade perdida, procure ver o preço dessa agência, e, principalmente, se esse guia ainda trabalha lá.

O cara é super gente fina, educado, sabe tudo do caminho, te orienta, levou até a minha mochila num trecho íngreme.....vai a dica:

 

13)-Procure respeitar os guias, são pessoas simples e sempre dispostar a lhe ajudar. Não costumo indicar guias, mas esse que nos acompanhou merece:

agência: Turcol(www.buritaca2000.com), perto praça central de Santa Marta, solicite o guia JAVIER. VC SERÁ MUITO BEM ATENDIDO!

 

Se for fazer com ele, mande um abraço a ele......

Compartilhar este post


Link para o post

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por thiago.martini
      Amigos Mochileiros,
      Como o único relato que tem sobre o trekking a Ciudad Perdida é de 2010 (muito bom por sinal e me ajudou bastante) resolvi escrever sobre a experiência que eu e minha esposa tivemos em outubro deste ano neste trekking incrível.
      No meu instagram (@thiagomrp) tem uma postagem para cada dia da trilha, com várias fotos do percurso. Quem quiser, é só dar uma conferida.
       
      PREPARAÇÃO
      Foi bem difícil achar boas informações sobre o trekking em sites brasileiros. Só um relato aqui no Mochileiros.com e poucas informações recentes. Acabei assistindo alguns vídeos feitos por viajantes gringos, buscando informações em sites colombianos e conversando com o hostel que iria nos hospedar em Santa Marta.
      Pelo que tinha pesquisado, sabia que a caminhada seria um pouco difícil, então resolvemos intensificar um pouco os treinos (fazemos treino funcional pelo menos 3 vezes por semana).
      Fiquei em dúvida sobre comprar antecipadamente ou fechar na hora. Conversei com o pessoal do hostel por e-mail (Masaya Santa Marta – recomendo muito a estadia lá) e me orientaram que sempre tinham saídas e que a diferença seria o pagamento com ou sem taxas do cartão. Em resumo, pagando lá haveria uma taxa de 3% do cartão de crédito (que de fato não ocorreu, mais adiante explico).
      Então como preparação apenas reservei o hostel em Santa Marta (Masaya) para dois dias antes do trekking e um dia depois. Assim poderíamos deixar nossos mochilões lá mesmo.
       
      COMPRA DO TOUR (dia 07/10/2019)
      Compramos o tour no próprio hostel, pelo mesmo preço que costuma ser o padrão das empresas de Santa Marta, COP 1.100.000,00. Na época que estivemos lá a melhor cotação que achamos foi 1 real para 780 COP’s. Com essa cotação nosso trekking ficou por +- R$ 1.400,00 cada um. Não tivemos a tal taxa extra, porque o atendente nos enviou um link (tipo paypal) e pagamos diretamente no site.
      Aproveitamos para pegar informações com o atendente, Francisco, que tinha sido tradutor nessa trilha por diversas vezes. Segundo ele não seria TÃO difícil. Ledo engano nosso kkkkk.
       
      DIA 1 (09/10/2019)
      Entre 8h30 e 9h00 passariam nos recolher para o tour. Às 8h30 já estávamos na recepção. Vi um rapaz com roupa de agência e perguntei se estava nos esperando. Ele disse que não. Apenas outras duas pessoas. Até aí, ok então.
      Esperei mais uns 15 minutos e nada da nossa agência. Fui falar com o rapaz sentado e perguntei se o nosso tour não era com ele também. Me perguntou qual era a nossa agência. Aqui descuido meu, não tinha perguntado ao Francisco qual era a agência. Mostrei para ela o comprovante de pagamento, ele fez uma ligação e confirmou que a gente também tinha que ir com ele. Uffaaaa, que sorte que fui abordá-lo.
      Entramos num 4x4 e recolhemos algumas pessoas pelo trajeto. Fomos até a agência antes de sair. Depois de um rápido briefing pegamos a estrada.
      Nosso grupo tinha 9 pessoas (5 colombianos, 2 ingleses, 1 alemão, 1 norte-americana e nós 2 de brasileiros). 
      Foram cerca de 1h30 de estrada de asfalto, com um motorista dirigindo loucamente kkkk.
      Por volta das 11h00 estávamos na entrada do Parque Nacional de Sierra Nevada. Lá pausa rápida para banheiro, colocar nossas pulseira de autorização para entrar no parque e mais 45 minutos de estrada de chão, com várias subidas e descidas irregulares e travessias de rio. Foi bem emocionante kkkk.
      Perto das 12h00 chegamos ao restaurante onde almoçamos e depois iniciamos nossa caminhada. Prato feito com arroz, feijão, salada, coxa com sobrecoxa e, é claro, patacones (que delícia kkk). Os pratos de comida são muito grandes. Eu não consegui comer tudo.
      Por volta das 13h15 saímos para iniciar nossa caminhada.
      O primeiro dia é basicamente uma longa caminhada estrada acima, com algumas barraquinhas no meio do caminho vendendo água, refri, cerveja, cacau, suco de laranja etc.
      Esse dia totalizou 12,2 kms com solzão na cabeça.
      Chamou atenção nesse dia a quantidade de aranhas e suas teias nas árvores.
      Chegamos no acampamento por volta da 16h45. Todos os acampamentos são ao lado de rio. Nesse primeiro tinha uma piscina natural que o povo pulava do alto de uma pedra. Eu sou meio cagão para água, mas tomei coragem e pulei, minha esposa também. Foi uma baita adrenalina. Tem o vídeo no meu instagram (@thiagomrp).
      Depois de um mergulho revigorante nas águas frias do rio, fomos tomar banho para jantar e dormir.
      Dica: muita atenção nos acampamentos com aranhas, escorpiões e cobras. O nosso guia nos alertou. Nós optamos por pendurar as botas no alto (o que depois foi seguido pelos colegas) e SEMPRE deixar as mochilas fechadas, para evitar entrada de bichos. Também revisamos as camas antes de deitar.
      Jantar estava muito farto e gostoso. Depois um brefing sobre o próximo dia e conversas sobre a história da trilha, da região, do povo Tayrona etc. Tudo muito interessante.
      Às 20h00 já estamos deitados e às 21h00 apagaram as luzes.
       
      DIA 2 (10/10/2019)
      Despertadores tocaram as 5h00 para nos arrumarmos, tomarmos café e saímos às 6h00. Acontece que no grupo tinha uma criança (11 anos) que só levantou às 6h00 e daí que foi tomar café. Ficamos bem impacientes, inclusive o guia. Aqui falha dos pais que não acordaram a criança antes e apressaram ela. Acabamos saindo 6h30.
      O segundo dia já era sabido com sendo o pior, e realmente foi. Foram 21,2 kms com muitas subidas e muita lama pelo caminho. Lugares bem escorregadios para caminhar. Nos levamos nossos próprios bastões, quem não tinha estava improvisando com tronco de árvore.
      Às 9h00 chegamos no lugar onde almoçamos. Fizemos uma parada mais longa com direito a visitar uma cachoeira próxima. Valeu muito a pena.
      Às 10h30 já estávamos almoçando e 11h00 voltamos a caminhar.
      A segunda parte do dia foi beeeeemmm difícil. Muita subida e lama.
      Por volta das 14h00 começou a chover, então complicou um pouco mais. Era subida sem fim, com chuva e fome. Por sorte chegamos numa vendinha e lá tinha frutas para nós. Foi revigorante.
      Aliás, em várias vendinhas as agências providenciam frutas para o pessoal, normalmente melancia, laranja ou abacaxi (muito doce por sinal).
      Chegamos no acampamento às 16h10, bem cansados. É o último acampamento antes da Ciudad Perdida, então todas as agências ficam no mesmo lugar. É o que tem a estrutura mais precária, mas mesmo assim foi ok.
      Jantamos, conversamos e antes das 20h00 já estávamos deitados. Às 21h00 apagaram as luzes.
       
      DIA 3 (11/10/2019)
      Novamente levantamos às 5h00, café da manhã e as 6h30 saímos. Aqui o atraso foi proposital. Como 10 minutos após o acampamento tem a travessia de um rio, o guia preferiu atrasarmos um pouco para não ter que ficar esperando na margem do rio os demais grupos atravessarem.
      Que travessia hein!
      Deve ser uns 20 metros de uma margem a outra, com pedras e correnteza forte. Duas cordas ajudam, aliás, todo mundo se ajuda porque a correnteza é muito forte mesmo.
      Depois de recolocar as botas, mais uns 10 minutos caminhando e chegamos no início das escadas que levam a Ciudad Perdida. Mais de 1200 degraus pela frente. Muita atenção, pois os degraus são curtos e bem úmidos.
      Às 7h10 já estávamos na entrada da Ciudad Perdida. Passaportes (dados pelo próprio parque com a história do lugar) foram distribuídos e carimbados.
      Nos acomodamos num lugar para ouvir o guia contar sobre a história da Ciudad Perdida e seu povo. Depois de um tempo saímos para desbravar o lugar.
      Você vai encontrar vários militares do exercício pelos caminhos da Ciudad Perdida. Eles estão ali para marcar a presença do Estado e oferecer segurança. Foram todos amigáveis e até tiraram fotos com a bandeira do Brasil (eu sempre viajo com uma).
      Na saída da Ciudad Perdida nosso guia passou na oca do líder espiritual, Mamo, porém ele não estava. Apenas sua esposa que vendeu algumas pulseirinhas feitas por ela para o grupo.
      Por volta das 10h00 já estávamos descendo de volta ao acampamento em que passamos a noite. Almoçamos por lá e depois voltamos até o acampamento em que almoçamos no segundo dia.
      Nesse dia foram quase 22km caminhados. Foi puxado, mas nem tanto.
      A noite jantamos e antes de dormir tivemos a oportunidade de ouvir histórias de um índio de uma tribo descendente dos Tayronas. Ele mostrou instrumentos de trabalho, o poporo (instrumento usado apenas pelos homens para consumir a folha de coca) e outros utensílios. Foi uma conversa legal. Ele falava mais ou menos o espanhol e era auxiliado pelo nosso guia. Uma experiência bem bacana.
       
      DIA 4 (12/10/2019)
      Novamente acordamos as 5h00 e 6h30 já estávamos caminhando para terminar o nosso trekking. O objetivo era chegar para o almoço no local onde iniciamos nossa aventura. Lá onde o 4x4 nos deixou e voltaria nos pegar.
      Umas subidas bem fortes, com quase 1 hora de subida initerrupta. Foi bem puxado.
      Confesso que tenho dúvidas se foi o segundo ou último dia o mais difícil. Ambos foram muito puxados.
      Por volta das 10h00 paramos tomar um suco e comer um bolo no mesmo local do primeiro acampamento. Descansamos um pouco e logo partimos.
      Eu e minha esposa aceleramos o passo porque queríamos terminar antes do meio dia. Não porque tivéssemos pressa, mas só para ter um objetivo.
      Uma parte do grupo foi mais rápido conosco e o resto seguiu mais lento com o guia.
      Esse trecho final foi aquele na estrada com o sol na cabeça do primeiro dia. Dessa vez o sol estava até mais forte, por isso cada vez mais queríamos chegar antes.
      Exatamente 11h50 chegamos no restaurante. Fui um trecho bem cansativo, quase 22,5 km. Todos que chegavam já foram arrancado as botas e deitando pelo chão gelado, era a melhor coisa naquele calor kkkk.
      Cerca de 1 hora depois chegou o resto do grupo.
      Almoçamos e por volta da 14h00 já estávamos no 4x4 para retornarmos até Santa Marta.
       
      SALDO FINAL
      Talvez tenha sido o trekking mais difícil que já fiz na vida (já fiz Salkantay no Peru e vários outros no sul do Brasil).
      Foi puxado, subidas e sol fortes e uma umidade muito grande, suávamos muito.
      Faria tudo de volta? Sem sombra de dúvidas, SIM.
      Foi uma experiência muito legal, uma caminhada difícil e desafiadora, com um grupo nota 10, guia e tradutor muito gente boa e estrutura de acampamentos legal. Várias vezes nos pegávamos falando: “estamos no meio da selva colombiana!!!”. E realmente é isso. É uma selva bem fechada, úmida, com rios, cachoeiras, pedras e lama.
      Trekking a Ciudad Perdida marcado como FEITO e RECOMENDADO a todos mochileiros e trilheiros!
       
      Obs.: tentarei colocar algumas fotos nos próximos comentários. Quem quiser pode ver algumas no meu instagram @thiagomrp. 
       
    • Por casal100
      Esse relato é dividido em cinco partes:
      .da página 1 até a 7 refere-se a viagem realizada entre dez/2007 e fevereiro/2008 de carro;
      .a partir do final da página 7 refere-se a viagem que começa no final de dez/2008 até final de fevereiro/2009 de carro.
      .a partir da pag. 15 - viagem a Torres del paine, carretera austral ..........viagem realizada de dez/2009 a fevereiro/2010.
      .a partir da pag.19 - viagem ao Perú e Equador ....vigem realizada de dez/2010 a fevereiro/2011.
      .a partir da pag.23 - viagem venezuela, amazonas, caminho da fé.... realizada entre dez/11 a fev/12.


×
×
  • Criar Novo...