Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Arquivado

Este Post foi arquivado e está fechado para novas respostas.

joycepsantos83

29/10 a 08/11 Fortaleza Jericoacoara Lençóis Maranhenses (Rota das emoções)

Posts Recomendados

 

Desembarco dia 29/10 em Fortaleza aluguei um carro abaixo deixarei descriminado os meus trajetos caso tenha interesse em carona em algum deles só chamar!

Dia 29/10 - Fortaleza para Jijoca de Jericoacoara 

Dia 01/11 - Jericoacoara para Barreirinhas MA (Lençóis Maranhenses)

Dia 05/11 - Barreirinhas para Parnaíba PI

Dia 07/11 - Barreirinhas para Barra Grande

Dia 08/11 - Barra Grande PI para Fortaleza (Posso Passar em Jijoca)

  •  

Compartilhar este post


Link para o post

Em 23/10/2018 em 09:16, joycepsantos83 disse:

 

Desembarco dia 29/10 em Fortaleza aluguei um carro abaixo deixarei descriminado os meus trajetos caso tenha interesse em carona em algum deles só chamar!

Dia 29/10 - Fortaleza para Jijoca de Jericoacoara 

Dia 01/11 - Jericoacoara para Barreirinhas MA (Lençóis Maranhenses)

Dia 05/11 - Barreirinhas para Parnaíba PI

Dia 07/11 - Barreirinhas para Barra Grande

Dia 08/11 - Barra Grande PI para Fortaleza (Posso Passar em Jijoca)

  •  

Opa, estou indo mês que vem. Vou de moto de Belém até Recife pela Rota das Emoções, se puder mande as Dicas de hospedagem, refeições e passeios em Santo Amaro, Tutóia, Camocim, Tatajuba, Jeri e outros.

Obrigado!

Compartilhar este post


Link para o post
  • Conteúdo Similar

    • Por Bruno GNR
      Fala galera beleza?
      Gostaria de compartilhar com vocês a viagem que fiz ano passado saindo do interior de SP, da cidade de Limeira, com destino final em Jericoacoara no CE, passando pelos Lençóis Maranhenses.
      Como eu li aqui no fórum muita coisa que me ajudou e também muitos usuários solícitos que sempre foram muito prestativos, queria deixar aqui minha contribuição.
      Quem quiser conferir todas as fotos: https://maladaminhamae.blogspot.com/
      Valeu.
      Depois de maravilhosa e inesquecível viagem por parte da América do Sul, resolvemos partir para uma nova road trip, dessa vez a ideia era chegar até o Ceará, mais precisamente em Jericoacoara, porém, antes passando pelos Lençóis Maranhenses.
      O planejamento foi feito novamente pensando numa trip de baixo custo, no entanto, não passando nenhuma "necessidade", não abrindo mão de lugares que tivessem ar-condicionado e estacionamento.
      Nossa viagem foi feita no seguinte roteiro:

      28/06 - Saída de Limeira (SP)
      29/06 - Brasília (DF)
      30/06 - Palmas (TO)
      01/07 - Grajaú (MA)
      02/07 - Santa Rita (MA)
      03/07 - Santo Amaro do Maranhão (MA)
      04/07 - Santo Amaro do Maranhão (MA)
      05/07 - Santo Amaro do Maranhão (MA)
      06/07 - Jijoca de Jericoacoara (CE)
      07/07 - Jericoacoara (CE)
      08/07 - Jericoacoara (CE)
      09/07 - Jericoacoara (CE)
      10/07 - Teresina (PI)
      11/07 - Bom Jesus (PI)
      12/07 - Barreiras (BA)
      13/07 - Brasília (DF)
      14/07 - Limeira (SP)
       
    • Por eog1978
      Cheguei no aeroporto JJD as 03:30 da manha de domingo para segunda e o aeroporto fica deserto minutos apos o desembarque deste unico voo da madrugada. Fui ao banheiro trocar de roupa pois o calor está sempre presente e tambem por que notei que nao havia chance de eu ir para meu destino que nao era a vila de jericoacoara... Ja estive em Jeri 3x e em Parnaiba somente 1x e apostei no Piaui novamente... Fiquei sentado aguardando amanhecer e um  rapaz que trabalha no aeroporto (acho que na lanchonete) me ofereceu uma "carona" ao custo de 30,00 para 13,5km ate Jijoca, coisa que os taxistas queriam de 80,00 a 100,00 !!!
      No posto 24h de Jijoca (o unico da cidade rsrs) aguardei amanhecer e com sorte havia uma canja, alem de paes, bolos etc etc porem de comida eram duas opcoes.
      As 7h quando abriu o posto de atendimento da Fretcar eu que era o primeiro ja tinha que enfrentar uma fila pois fica desnecessario explicar rs quando foi minha vez a resposta era de que o onibus de Jijoca para Camocim partiria as 11:45 ! La fui eu na av seguir de van ate camocim por 17,00 2h de viagem. Chegando em Camocim descobri que o onibus que vai para Parnaiba sairia as 15h e ainda eram 09:30..... 11:40 partiu um microonibus ao custo de 26,00 com tempo de viagem 2:30.
      Em Parnaiba fiquei em hostel que tem um ano de funcionamento e estrutura bem simples ao custo de 38,00 reais a diaria pelo booking (conversei com outras pessoas hospedadas la e estavam pagando 25,00 sem o tal cafe (que era pao frances margarina e cafe c leite)
      Para se locomover utilizei de microonibus que os locais chamam de van ao custo de R$ 2,40 que me deixava perto da ponte (ponto banco bradesco) que dava acesso a Praia Pedra do Sal e Porto dos Tatus de onde parte o passeio de barco pelo Delta do Parnaiba com lencois piauienses por 70,00 podendo ser pago com cartao de credito na agencia que fica abaixo da ponte ainda do lado da cidade creio que seja possivel pelo fone +5586994648589 Humberto.
      Conheci varios locais etc porem o melhor para almoco e jantar era o Flavao (fica de esquina na av principal que os locais chamam de pistao) com 12,00 incluso a bebida voce come muito bem!
      Na volta eu utilizei o transporte da Yvone Tur +558633231541 (nao sei se tem telefone celular, tenho somente este fixo) sai de Parnaiba passa por varios municipios parando em jijoca para almoço (faça sua refeiçao aqui pois no aeroporto JJD so ha uma lanchonete rs) e seguindo para Fortaleza passando pela entrada do aeroporto de Jeri (caminhei menos de 350 metros) o trajeto Parnaiba ate o acesso aeroporto Jeri custou 40,00 !
      Os onibus desta empresa sao confortaveis porem pontualidade não é o forte deles! Cheguei na garagem da empresa que fica atras da rodoviaria faltando 5 minuto para as 6:00 por que me foi dito que haveria onibus das 06:00 e das 07:00 entretanto saiu somente o das 07:00 com quae 50min de atraso kkkkk
      A estadia na Praia Pedra do Sal é muito caro se comparado a Parnaiba (pedem 100,00 a diaria com cafe da manha -- cafe com pao e vento) recomendo ir pela manha e voltar no onibus das 19h pois ficar la nao compensa. (depende pois eu fiquei uma noite para dormir escutando as ondas)
      Creio que valha a pena passar uma ou duas noites em Ilha Grande (de onde sai passeios ao Delta) pois é possivel percorrer as dunas que tem acesso muito facil mesmo que va no bate e volta de onibus R$ 3,00 a partir de 01/02/2020 (antes era 2,50)
      Pra mim o maximo do passeio é os lencois piauienses e certamente ficaria hospedado em Ilha Grande cujos locais se oferecem para nos guiar pelas dunas (serviço pago porem creio que 20 a 40 reais no maximo - combinar ANTES)
      Este foi um breve resumo de 01 semana e minha 2a vez nos cofins do Piaui :.)))
       
       
       
    • Por Leandro Z
      Apesar de haver bons relatos no site, espero contribuir com o meu.
      Há 4 ônibus diários entre São Luís e Barreirinhas pela viação CISNE BRANCO, R$51, demora 5h (não procurei vans saindo do aeroporto direto pra Barreirinhas, mas existem). Dizem que é melhor fazer a travessia no sentido Barreirinhas - Santo Amaro, por causa da posição do sol e do vento. A estrada São Luís-Santo Amaro é relativamente nova, está boa e é mais perto que SLZ - Barreirinhas. Além disso, as lagoas de Santo Amaro são mais bonitas. ATENÇÃO com a volta de Santo Amaro para São Luís, acho que não tem ônibus (se tiver, são raros) e dependemos do guia em achar uma van que ia pra lá. Geralmente, o último dia termina 12:30h e o transporte até São Luís demora 4h30min. Grande parte da travessia é em areia firme e fria, então é melhor andar descalço ou com meia. Também tem inevitáveis passagens por lagoas menores, onde se molha, pelo menos, as pernas. Elas são boas para se refrescar (o tempo inteiro eu andei molhado ou úmido de propósito). Melhor época: junho e julho, alguns dizem agosto e até setembro, mas nestes muitas lagoas já estão secas. Preços: como junho e julho são os melhores meses, só diária do guia custa até R$250; hospedagem (café da manhã incluído), em redário, sai por R$35; jantar: R$30 a R$35; água de 2l: R$8. Converse com o guia para ver o que está incluído no preço dele (passeio pelo rio Preguiça, hospedagens e refeições, etc). Cansar vai, mas com certeza vale a pena. Acredito que uns treinos de caminhada de 8km sejam suficientes para preparação. Esta é a travessia mais tradicional do parque, mas tem outras de 6 até 10 dias! Levar: poucas roupas (inclusive com proteção UV), meias, chapéu (nessa época, não precisa levar nada para frio, nem tênis), chinelo, protetor solar, água (pode ser comprada em cada parada),  snacks (frutas desidratadas, amendoim e castanhas), dinheiro em espécie, lanterna (não é essencial, não precisa na caminhada, mas ajuda nas hospedagens), coisas de higiene pessoal (sabonete, escova, pasta, repelente). É recomendável levar aquelas baterias portáteis, power bank, mas dá pra usar a eletricidade em algumas hospedagens. Dia 28/jun - 1º dia: Pegamos um barco em Barreirinhas para fazer o passeio pelo rio Preguiça (R$80) por volta das 10h, o guia já nos acompanhava. O passeio é tranquilo, para em Mandacaru, onde tem um farol, também para em Caburé onde tem dunas e uma lagoa. Termina em Atins, banhamos em uma praia. Depois, final de tarde, caminhamos até Canto de Atins, cerca de 3,5h em ritmo tranquilo, sem paradas para banhos, o GPS marcou 12km de caminhada durante o dia todo (pareceu bem menos). Em Canto de Atins, tem dois restaurantes/pousada: do seu Antônio e da dona Luzia. A dona Luzia foi pioneira e é mais famosa, mas o guia disse que a fama subiu-lhe a cabeça, ficamos no seu Antônio. O camarão na chapa é o prato chefe de ambos, não é barato (com refri e água, saiu R$50 cada um o jantar), mas realmente estava muito gostoso. Dormimos em rede (R$35), local coberto com palha, com luz, mas sem paredes, até às 2:30h da manhã.
       
      Dia 29/jun - 2º dia: Prometia ser o mais pesado, cerca de 17km até Baixa Grande (o quarto dia que foi o mais cansativo). Começamos a travessia por volta das 3:15h, depois de um bom café da manhã, caminhamos sob a lua cheia iluminando tudo e temperatura amena. Andamos pela praia um bom tempo, cerca de 4h (com direito a cochilada no caminho) até chegar às dunas. Valeu a pena? Sempre, no entanto, tem gente que faz este trajeto de carro e isto economiza umas boas horas. Nas dunas, subida, descida, banho em algumas lagoas. Terminamos em Baixa Grande às 12:10h. Cansei muito! O GPS marcou, durante todo o dia, uns 27km. Eu digo "durante todo o dia", porque ainda caminhávamos pelos arredores do local da hospedagem para conhecer lagoas, rios, ver o pôr-do-sol. Baixa grande é um vilarejo no meio do deserto, mas com construção de alvenaria e vegetação por perto. Almoçamos galinha caipira por R$35 (preço padrão e não é você que escolhe o que comer). Descansamos e, à tarde, fomos para uma lagoa e ver o pôr-do-sol. Dormimos, como sempre, em rede (R$35 preço padrão), sem iluminação, mas coberto com palha e "paredes". O dia seguinte seria mais tranquilo.
       
      Dia 30/jun - 3º: Este terceiro dia foi tranquilo, acordamos por volta das 4:30h para sairmos às 5h, após café da manhã simples (tapioca e ovo). Caminhamos devagar, parando bastante em lagoas e terminamos antes do meio-dia em Queimada dos Britos, o GPS indicou 15km. Eu comecei a usar meia, pois vi que estava começando a formar bolha no meu pé. Almoço (R$35) era peixe (estava salgado), teve salada (artigo raro) e até sobremesa. Lagoas, pôr-do-sol, jantar e dormir cedo, porque não tem muito que fazer a noite.
       
      Dia 1º/jul - 4º: De novo, acordamos umas 2:15h, tomamos café e saímos para caminhar às 3h e alguma coisa. Só terminamos à 12:30h, exaustos, em Santo Amaro. Foi o dia mais longo e mais cansativo, cerca de 28km. Neste dia, mais uma vez, é possível pegar um transporte em Vassouras, economizando assim, uns 10km. Pergunta se pegamos? Não. Faltando uns 8km (talvez 6km), o guia novamente perguntou se queríamos pedir um carro e pagar R$50 cada um. Pegamos o carro? Claro que não, só faltavam 8km! kkk. As lagoas perto de Santo Amaro são bem mais bonitas que as de Barreirinhas e, acredito eu, o turismo em Santo Amaro irá aumentar com a boa estrada até são Luís (só falta transporte).
       

    • Por RafaMM
      Nossa aventura começou no início de junho. Estava grávida de 6 meses e minha filha estava completand 3 anos. Foi uma aventura incrível conhecer o Piauí. O período foi de seca, não pegamos nenhum dia de chuva. O interiorzão do Piauí e o litoral são incríveis, muito a ser explorado. A Serra da Capivara é uma beleza à parte, com bastante estrutura. Como estávamos de carro, compramos bastante artNos apaixonamos pelo estado!
      Mambaí (08 a 11/06) - saímos de Brasília cedo. Resolvemos ir por Mambaí e de quebra ficar uns dias lá. A nossa situação é a seguinte: somos um casal com uma filha de 3 anos e na época da viagem eu estava grávida. Uma aventura e tanto. Marcamos pelo booking.com o Mambaí Inn, que são alguns chalés. visitamos a Cachoeira do Funil, a Caverna Lapa das Dores, a Cachoeira do Alemão e a Cachoeira Paraíso do Cerrado, sendo que esta última foi a única que não precisava de guia. Para acessá-la, tem que ir até a cidade de Damianópolis, tem no maps. Lá os donos cobram e levam você até a cachoeira. As cachoeiras de Mambaí precisam de guia que você consegue na cidade. Essas que fomos são acessíveis para grávida (eu) e criança de 3 anos.
      Barreiras (11/06) - marcamos no Ventura hotel. Simples e ok, valeu a pena. Só dormimos para ir em direção ao Piauí, Na volta para Brasília dormimos lá também.
      Bom Jesus do Piauí (12/06) - marcamos no Hotel Brasão, o que foi um vacilo dormir lá. Em uma cidade do lado chamada Cristino Castro, dá para dormir em um lugar chamado Gurgueia Park Hotel, que tem piscina de água natural, além do fato de que se você tiver de 4x4, dá para fazer um passeio incrível, como os cânyons do Viana. Muito a ser explorado no Piauí!
      Coronel José Dias (Serra da Capivara) (13 a 15/06) - marcamos pelo airbnb uma casa incrível, com o visual lindo para o parque. Ficamos encantados com a Serra da Capivara. Visitamos o Museu da Natureza, construído por Niède Guidon, incrível. Marcamos um guia para um dia, que nos levou para o parque (pinturas rupestres) e para o pôr do sol no Vale das Andorinhas (que tmb tem pinturas rupestres). Pena que não vimos as andorinhas, pois elas não apareceram, mas quando elas aparecem dizem que é um espetáculo à parte.
      Teresina (15 a 17/06) - marcamos pelo booking.com um flat em um condomínio. Tomamos café em  um dia no mercado Mafoá e fizemos um passeio pelo encontro dos rios Poti e Parnaíba. À noite fomos na festa junina do shopping Rio Poti. 
      Pedro II (17 a 19/06) - ficamos em uma pousada muito legal chamada Pousada Rústica, bem rústica mesmo. Passeamos pela área central onde ficam várias lojas de opala. Aproveitamos e marcamos um passeio com uma guia, por dois dias, que nos levou para o morro do Gritador, uma mina de opala e algumas pinturas rupestres que estão bem danificadas (Torres). Também conhecemos um lugar incrível chamado Parque Nacional de Sete Cidades, que fica entre Piripiri e Piracuruca, com pinturas rupestres e formações rochosas incríeis. Além disso tem um banho de cachoeira no final.
      Barra Grande (20 a 24/06) - ficamos na pousada Eolos, bem gostosa. Fomos para Barrinhas, fizemos alguns passeios locais na região de mangue para ver cavalo marinho, fomos conhecer o maior cajueiro do mundo em Cajueiro da Praia. Em um dos dias passamos o dia em Coqueiro, no Aimberê Eco Resort. Conhecemos a praia de Carnaubinha. Fizemos um dia no Delta do Parnaíba.
      Atins, Lençóis Maranhenses (24 a 28/06) -  ficamos pelo Air BNB, foi bem legal. Saímos de Barra Grande para Barreirinhas, no Maranhão. Estrada no Maranhão está precária, mas tivemos a sorte de conhecer os Pequenos lençóis maranhenses. Lindo! A estrada que vem do Piauí passa bem no meio. Tem lugar para estacionar e tomar banho nas águas formadas entre as dunas. Chegando em Barreirinhas, deixamos nosso carro e pegamos um barco pelo rio Preguiças (tem que ficar de olho nos horários). Demais! Em Atins fizemos dois dias de passeio no parque. Vimos o por do sol maravilhoso no parque. Posso dizer que foi um dos lugares mais incríveis que conheci! Também fizemos o passeio dos guarás, mas vimos poucos. Foi bem legal.             
      Castelo do Piauí (28 a 30/06) - valia uns dias a mais. Tem um único hotel bem ruim, mas era o que tinha. Fizemos o passeio dos canyons do rio Poty, lindo! Tem o passeio na formação rochosa que dá nome à cidade e um outro passeio que só faz de 4x4, que dá para fazer um passeio pelo rio e ver artes em rupestres em relevo. Nesses últimos não fomos. Essa região vale mais tempo!!! Muito pouca explorada!
      Serra da Capivara (01 a 03/07) - passamos o aniversário do Dani por lá. Voltamos para lá porque gostamos muito. Nos hospedamos na fábrica de cerâmica e fizemos umas comprinhas. Fizemos alguns outros passeios e rumamos de volta para Brasília.
      Cristino Castro (03/07) - ficamos no hotel Gurguéia. Delícia com piscina de água natural. A região tem lugares interessantes na serra. Vale a pena conhecer melhor.
      Barreiras (04/07) - dormimos no mesmo hotel
      Posse (05/07) - dormimos em uma pousada bem gostosa e dia 06 estávamos em BSB
       
    • Por Aprazzivel
      E ai, galera?!
      Em outubro de 2019 visitei duas regiões do Maranhão: lençóis maranhenses e chapada das mesas!
      No inicio só tinha em mente lençóis pois n sabia até então que existia chapada das mesas, e que lugar maravilhoso. Indico para todos!!!
      Porém agora que o turismo esta chegando no local, então as pessoas não sabem lidar direito com os turistas, mas mesmo assim vale muito a pena, amei muito!
      vou deixar logo abaixo o link do meu blog onde conto como foi a viagem e algumas dicas caso alguém tenha interesse em conhecer.
      https://aprazzivel.com.br/lencois-maranhenses/
      https://aprazzivel.com.br/chapada-das-mesas/


×
×
  • Criar Novo...