Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Pergunta

Amigos e amigas, olá! Ficarei 12 dias no Uruguai e algumas dúvidas me passam pela cabeça: acabei fazendo um seguro viagem, será mesmo necessário? Em relação ao dinheiro, como devo proceder? Ficar andando por aí cheio de cédulas me deixa preocupado demais, fora que usar cartão fora do país tem aquelas taxa absurdas. E vocês recomendam comprar chip para o celular? Creio que o wifi dos hostels deve me suprir, mas gostaria de ouvir uma voz mais experiente. Obrigado desde já!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

6 respostass a esta questão

Posts Recomendados

  • 0
26 minutos atrás, Breno Maia disse:

acabei fazendo um seguro viagem, será mesmo necessário?

A gente sempre espera que nada aconteça, mas imagine a seguinte cena: você está andando distraído tirando fotos lá na Plaza Independência ou na Rambla numa das praias, e vem um ciclista em alta velocidade que não consegue desviar de você, e lhe derruba, você cai e quebra o braço, ou então você come algo estragado, tem uma intoxicação alimentar e tem que procurar um médico...

Aqui no Brasil você tem plano de saúde, e se não tiver, tem o SUS para lhe atender, mas no Uruguai não tem nada disto, e você tem que pagar tudo particular. E você tem ideia de quanto que custa qualquer atendimento médico pagando particular? Custa uma fortuna!

Ou seja, seguro saúde é uma coisa que a gente faz para não usar, igual seguro do carro. Se você nunca precisou acionar o seguro, você fica pensando, será que é mesmo necessário? Mas se precisar acionar, você dá graças a Deus por ter feito o seguro.

41 minutos atrás, Breno Maia disse:

Em relação ao dinheiro, como devo proceder? Ficar andando por aí cheio de cédulas me deixa preocupado demais, fora que usar cartão fora do país tem aquelas taxa absurdas.

Isto ai não tem jeito não, ou você anda com o bolso cheio de cédulas, correndo o risco de ser assaltado ou furtado, ou concentra as despesas no cartão, que tem taxas maiores.

Então é uma coisa que você vai ter que decidir, se corre o risco ou não.  A maioria das pessoas faz meio-a-meio, metade em dinheiro e o resto em cartão.

No Uruguai você tem desconto ao pagar restaurantes e alugar carro com cartão de crédito internacional, pela o desconto do IVA no momento de pagar, o desconto é maior que as taxas do cartão.

44 minutos atrás, Breno Maia disse:

E vocês recomendam comprar chip para o celular? Creio que o wifi dos hostels deve me suprir, mas gostaria de ouvir uma voz mais experiente.

Isto ai vai de cada pessoa, tem pessoas que não vivem sem internet, tem que estar online toda hora, algumas pessoas tem familiares que ficam ficam paranoicos se você não mandar um "sinal de vida" a cada 60 minutos, ou se não puderem falar com você a qualquer momento...

Pessoalmente eu normalmente já quase nem uso celular e internet no celular, então eu me viro bem só com o WIFI e o celular brasileiro para emergências, mas se vai precisar de chip internacional, isto é com você...

 

  • Obrigad@! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0

@Breno Maia assim como ja foi citado acima, o seguro é algo que vc agradecerá por ter caso preciso aciona-lo. Você ficará poucos dias entao o seguro nao ficará caro.

Sobra a grana, nao tem como fugir do IOF e demais taxas caso prefira fazer uso do cartao. Mas independente de sua escolha, tenha mais de uma opçao (Se optar por cartao, por segurança tenha mais um, seja de sua conta no banco ou um pre-pago), se optar por levar a grana em especie, tenha um cartao disponivel tambem, tudo isso para sempre ter um plano B para caso de perder, for roubado, um cartao falhar, etc..

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

@poiuy muitíssimo obrigado!!! Realmente então foi bom eu ter feito o seguro, vai que né. 

Eu não conhecia essa possibilidade de desconto com uso da "tarjeta", dei uma olhada e fica bem mais em conta mesmo dependendo. 

Abraços e brigadão, cara!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Quanto a internet, estar offline hoje em dia é tão grave quanto nao ter um seguro saúde por exemplo. Ja salvei de varias situaçoes por estar conectado. Portanto ítem obrigatório na minha opiniao estar online em viagem.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0

Só tem que cuidar para não você não passar mais tempo olhando para o celular do que apreciando o local.

Nas viagens a gente vê cada coisa bizarra, o cara chega lá em Paris, na Torre Eiffel, dá uma olha rápida na torre, saca o celular do bolso, tira uma selfie e enfia a cara no celular e passa o resto do tempo com a cara enfiada no celular...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Sem duvida, primeiramente a viagem. Mas digo em questão de necessidade mesmo. Uber, Waze, Maximizar o roteiro de viagem e até mesmo serviços emergenciais como comunicação com guias e até mesmo traduzindo idiomas totalmente desconhecidos. Isso pode custar bastante da sua viagem em termos de tempo e aborrecimentos. Estar online é muito diferente de estar acessando o celular o dia todo. Abs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder esta pergunta...

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Fora da Zona de Conforto
      Muitos brasileiros que moram no exterior costumam mandar dinheiro para o Brasil mensalmente. Seja porque têm família que ainda mora no país ou porque possui alguma conta, poupança ou algum rendimento. A verdade é que, independente do motivo, é sempre importante conhecer as modalidades de remessa internacional, como funcionam, suas taxas e prazos de entrega do dinheiro. Afinal isso pode variar muito de empresa para empresa e sem uma boa pesquisa você pode acabar perdendo muito dinheiro com essas taxas.  
      A forma mais barata de mandar dinheiro para o Brasil do exterior vai depender muito das suas necessidades e da quantidade enviada. Mas, para ajudar você a escolher a melhor opção, separamos as 4 melhores empresas online que fazem esse tipo de remessa estrangeira pela internet. Fizemos também uma tabela comparativa para mostrar o que há de melhor em cada uma delas. Dá uma olhada! 
      Continue lendo: Mandar Dinheiro Online do Exterior para o Brasil: a Forma Mais Barata

       

    • Por Paulo Neves
      Fala pessoal!
      Vou passar meu relato de viagem que fiz faz pouco tempo para Valizas e Cabo Polônio, no departamento de Rocha no Uruguai. Lugares sensacionais e foi bem dentro de minha expectativa do que estava procurando.
      Atualmente vivo em Pelotas, no Rio Grande do Sul então a ida pode ter sido facilitada desde aqui.
      O caminho que tomei foi o seguinte:
      1 - Ônibus de Pelotas até o Chui (Brasil)
      2 - Ônibus de  Chuy (Uruguai) até  Castillos
      3 - Ônibus de  Castillos até Valizas.
      Há uma companhia de ônibus que vai até Montevidéu desde Pelotas, mas não compensa esse trajeto já que essa passagem é muito cara (uns R$ 250,00 só a ida). Apesar de tantas baldeações e com um pouco de tempo, compensa fazer o trajeto como eu fiz.
      Para quem está em Montevidéu ou Punta del Este existem opções de ônibus até Castillos ou Valizas e até mesmo alguns que vão direto para o Parque Nacional de Cabo Polonio.
      Então vou detalhar como foi minha ida. Peguei um ônibus da empresa Embaixador de Pelotas até Chui (R$ 77,00) que demorou cerca de 4 horas. Como era noite, dormi uma noite no lado brasileiro do Chui para no outro dia pela manhã trocar dinheiro e seguir viagem. Me hospedei no hotel Turis Firper que é legal e serviram um café da manhã bom. Não se assustem com as ruas do Chui pela noite, pois são muito mal iluminadas, mas tudo tranquilo (pelo menos foi o que percebi hehe). Recomendo fazer a troca de dinheiro na fronteira, para quem passar por esse caminho, ou em Montevidéu (estive lá no ano passado). Trocar $ no Brasil (em Pelotas ou Porto Alegre) é muito ruim, pois a cotação estava péssima. Na fronteira comprei pesos uruguaios por quase o mesmo valor da cotação do dia (R$1,00 -> UY$ 9,00 dia 06/03/2020). Para quem não conhece, não há praticamente nenhuma diferença entre o Chui Brasil e o Chuy Uruguai, com exceção da língua hehehe. Há apenas uma avenida que marca a divisão entre os países. Em ambos os lados, o real é aceito, mas é sempre bom perguntar a cotação. Após fazer o câmbio (esqueci o nome da casa de câmbio, mas ela fica em uma esquina bem movimentada no lado uruguaio e está quase sempre cheia) tinha que ir para a rodoviária do Chuy que deve se distanciar cerca de 1,5 km (20 a 25 min de caminhada). A rodoviária do Chui Brasil é bem precária, enquanto que a do Chuy Uruguai é bem nova, já que foi inaugurada recentemente. Desde lá, é possível encontrar ônibus para várias partes do Uruguai em diversos horários.

      Não havia nenhum ônibus direto do Chuy até Valizas, tive que pegar um ônibus até Castillos e depois até meu destino, mas tudo muito tranquilo.
      A empresa que escolhi foi a Rutas del Sol (https://www.rutasdelsol.com.uy/es/), mas há outras disponíveis, como nas imagens que anexei com horários. A passagem custou cerca de 170 pesos (em torno de R$20,00. Os veículos eram muito bons e com ar condicionado e Wi-Fi. A viagem foi curta, cerca de 1:30 passando por algumas cidadezinhas uruguaias, inclusive Punta del Diablo (a qual já fui também e mega recomendo a visita).


      Em Castillos, que é uma pequena cidade próxima a Valizas, não há rodoviária propriamente dita e sim os postos de cada empresa que oferece serviço passando pela cidade. Logo que cheguei, procurei algo para comer em pouco tempo, já que tinha 35 min até a partida para Valizas. Fui a um restaurante que se chama "A mi gente" que fica na Rua Lavalleja e pedi um chivito (clássico sanduíche uruguaio, que parece com os nossos mesmo) que era o mais rápido. Ao lado desse restaurante, há uma padaria bem boa e com coisas baratas. Dei mandaca de não ter ido até a padaria, mas o chivito valeu também.

       
      Bom, peguei o ônibus para Valizas (UY$72,00) e em 40 min estava lá. Valizas é muito pequena, não possui asfalto e quase nenhuma iluminação pública. PERFEITO para o que eu queria... A cidade ou vila, não sei o que seria, tem o auge de movimento nos meses de dezembro a fevereiro. Como fui após o carnaval, muitas coisas já estavam fechadas e não iam funcionar diariamente, devido à baixa temporada. De fato, a cidade não estava muito cheia e sim, muito tranquila. Chegando lá fui procurar onde ficar. Havia feito uma pesquisa rápida no Booking antes de chegar e o mais barato era um local chamado Casa Ibiporã, mas resolvi andar pela cidade. Realmente não havia nada mais em conta (R$140,00 por noite sem café a manhã). Cheguei a ir até o Hostel Valizas mas eles trabalhavam das 09:00 até as 12:00 e depois das 17:00 até 21:00, mas toquei a campanhia mesmo assim e o cara que atendeu disse que não iria receber ninguém mais...Ok!!! Segui meu caminho. Achei a Casa Ibiporã e quem recebeu foi o Emiliano, um gaúcho muito legal. Havia dois quartos disponíveis, ambos com cama de casal. Eu estava com minha amiga e dormimos no mesmo quarto (R$70,00 para cada por noite). O lugar é super aconchegante e confortável. Adorei ficar lá e recomendo...




      Passei o dia na praia e passeando...
      Dica: prefira fazer comprar nos mercados da rua principal. As coisas não são tão caras (comida no Uruguai costuma ser bem caro), aceitam cartão e fica bem mais barato do que comer em restaurante. Para aquela noite, comprei algumas coisa para cozinhar no hotel.
      No outro dia, minha amiga e eu fomos até Cabo Polonio que fica  a uns 8 a 12 km de Valizas a depender do caminho. Há duas maneiras de ir: caminhando desde Valizas ou de ônibus/carro até a entrada principal do parque e depois pegar um dos veículos próprios do parque que levam os turistas até a vila de Cabo Polonio. Resolvemos ir caminhando pela manhã e voltar de ônibus à tarde. 
      Caminhando pela orla é mais fácil pois não é preciso subir as dunas, porém é mais longe, em torno de 12 km. Fomos pelo caminho que Emiliano indicou, pelas dunas tendo sempre o oceano como referência para não se perder. Com as paradas para fotos, gastei 2 horas de caminhada. Eu adoro esse tipo de passeio; minha amiga não era muito acostumada, mas gostou também. A paisagem é linda e vale a pena a experiência.


      Passamos o dia em Cabo Polonio (ninguém nos cobrou nada para entrar por essa rota de entrada) que é um charme e dá muita vontade de ficar mais tempo e dormir por lá... Contudo, Cabo é um pouco mais caro que Valizas. Recomendo levar bastante água e alguma comida pra não precisar gastar muito por lá. Cartão de crédito é aceito, mas economizar pode ser melhor.

       
      Passeamos pela vila e resolvemos ir até a estação de ônibus para saber sobre o retorno a Valizas, isso era em torno de 15:00 já. Descobrimos que o último ônibus para Valizas tinha saído às 14:30 e não haveria mais algum naquele dia. A opção seria ir até a porta de entrada do parque com os veículos deles (acho que custa uns UY$200,00) e pedir carona na rodovia para Valizas ou ir até Castillos e voltar para Valizas, mas seria uma baita volta e gasto de $. Assim decidimos voltar da mesma maneira que voltamos, caminhando pela praia/dunas......
      Antes disso, fomos visitar o Farol e os leões marinhos. Apesar da placa dizer que a visita ao Farol começa às 15:00, naquele dia iria começar às 17:00 apenas. Então não pude subir dessa vez... Mas a vista é linda de qualquer forma.
      Por volta das 16:30 iniciamos o retorno a Valizas a pé. Foi mais cansativo pois já tínhamos passado o dia caminhando, mas mesmo assim foi muito legal e lindo também. Como nessa parte do mundo costuma escurecer mais tarde nessa época do ano comparado ao sudeste do Brasil, foi tudo tranquilo, já que chegamos por volta das 18:30 e ainda estava bem claro. Nesse trajeto mesclamos entre as dunas e a costa para chegar até o destino. Como havíamos economizado um baita $, nos demos de presente um jantar em um local bom em Valizas. Fomos até o restaurante Huma e foi muito gostoso mesmo. Foi carinho (R$ 75,00 para cada) mas comemos uma entrada compartilhada, dois pratos principais e dois sucos naturais. Delicioso!
      No outro dia, acordamos cedinho para apreciar o nascer do sol na praia, que ocorreu por voltas das 06:30, depois compramos nosso café da manhã num dos mercados da rua principal, fomos para a praia novamente e esperamos até nosso horário de volta. Na mini-rodoviária de Valizas há um pequeno quadro com horários de ônibus de Valizas para várias outras partes pela Rutas del Sol, incluindo Cabo Polonio.

       Fizemos todo o trajeto de retorno até Pelotas bem tranquilamente e com segurança. Em Castillos fui até a padaria que mencionei no início do relato para comprar o almoço (empanadas e torta) e foi bem mais em conta do que o chivito que comi na ida.
      Dicas: se for lua cheia, não deixe de ir até a praia admirar o luar; não deixe também de ver o nascer do sol na praia; em Cabo Polonio há um caixa eletrônico em que você pode usar seu cartão do banco brasileiro e sacar pesos uruguaios, caso necessite.
      Bom, é isso galera!
      Qualquer dúvida ou comentário, deixem mensagens abaixo que respondo com prazer!
      Abs
    • Por Schmiegelow
      #Uruguai
      Estou há um pouco mais de dois meses em uma viagem de moto pela América.
      Meu projeto chama O Mundo em Lanches pois quero conhecer culinárias locais simples para depois oferecer em lanches.
      Acabo de deixar o Uruguai passando por praticamente toda a costa leste até Montevideo, depois fui um pouco mais para o centro para ter uma ideia de como é o interior neste belo país.
      O litoral é incrível com muitas opções totalmente distintas: desde um vilarejo que só pode entrar de 4x4 e tem energia elétrica apenas por geradores - Cabo Polônio, até uma cidade cheia de grandes prédios com muito luxo - Punta Del Este.
      A capital #Montevideo é bem bonita e organizada, com muitas praias, praças, ruas de bares e baladas, restaurantes, tudo o que uma metrópole oferece. Gostei muito de ver os Uruguaios tomando praças e praias principalmente no final do dia. O verão é muito valorizado aqui.
      O cidadão Uruguaio é, em geral, muito educado e receptivo, sempre que precisei não mediram esforços para me ajudar e os amigos locais que fiz gostam muito de mostrar sua cultura.
      O interior achei parecido com o Brasil, cidades pequenas mas mais organizadas até em sua construção, uma praça principal, alguns bares, restaurantes e lojas. Em um bar que parei para tomar um refrigerante (aqui é muito difícil encontrar suco natural), os senhores que estavam lá já começaram a puxar assunto, bem Bar de interior mesmo.
      A culinária é centralizada na Parrilla (churrasco), além de cultural a carne é um dia produtos com melhor custo benefício por dia produção regional - nas estradas praticamente só vi este tipo de fazendas.
      Chivito (lanche com carne bem fininha, normalmente com ovo, salada, presunto e queijo), milanesa (muito popular, muito mesmo), empanadas e tartas (torta salgada) são os outros pratos regionais.
      Falo melhor sobre tudo no Instagram O Mundo em Lanches
      https://www.instagram.com/omundoemlanches/ 
      https://omundoemlanches.com.br/ 
      #mochileiros #viagemdemoto



















    • Por Thalles Medeiros
      Tô passando pra avisar que mês que vem "fevereiro" vou fazer uma trip épica rumo ao Uruguai bem "mão de vaca" pegando caronas, barraca e etc .. 
      Já te adianto que vai ser tri legal 
      Fico pilhado? Ta afim de ir? van bora!! 

    • Por Jv21Games
      Olá, quero passar pela fronteira uruguaia, de carro alugado, porem vou apenas de visita, vou entrar pelo chui e pretendo sair pela barra del chuy, dando uma parada no parque aquático. Sabe se vou precisar do seguro carta verde? De que documentos eu preciso? Alguém sabe responder? Grato, João.


×
×
  • Criar Novo...