Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Vou fazer um mochilão em maio e gostaria de saber se alguém que já fez esse tipo de viagem deixou para comprar as passagens de um país para o outro só no destino, optei pelos transportes internos de avião pois o tempo é curto em cada país, então queria saber se da para arriscar comprar a passagem direto no aeroporto ou se é melhor já comprar antes?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@joycerangel07 Primeiramente pra embarcar aqui no brasil para e Europa vc obrigatoriamente terá que mostrar uma passagem de volta ou ao menos uma passagem pra fora do espaço de schengen (pelo que vi os países que vc pretende visitar fazem parte do tratado) dentro do periodo do visto de turista. Sem essa passagem vc nem embarca.

Estando lá na Europa os seus deslocamentos internos podem ser marcados/comprados quando vc bem desejar, o único detalhe é que vc beeeem provavelmente vai pagar mais caro (por estar em cima da hora) e ainda corre o risco de nao ter disponibilidade de vaga (dependendo do local).

Mesmo quem está viajando sem data pra voltar e sem pressa normalmente faz um roteiro já prevendo quando irá se deslocar de um canto pra outro exatamente pra tentar comprar os trechos pagando menos e evitar que nao consiga embarcar. Sugiro entao vc já se programar e tentar comprar seus bilhetes antecipadamente para evitar qualquer tipo de transtorno e/ou gastos extras.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Meu irmão vem pra Europa em Janeiro, ele me mandou o dinheiro e comprei as passagens locais para ele, gastei o seguinte:

Comprei em outubro uma passagem de avião de Lisboa para Dublin para voar dia 08/01 por 35 Euros, se eu fosse comprar a mesma passagem hoje, uma semana antes, ela está custando 112 euros.

Na mesma data comprei uma outra passagem de Dublin para Sevilha para o dia 14/01, na época paguei 39 Euros, se for comprar a mesma passagem hoje, 10 dias antes, ela está custando 189 Euros.

Também comprei em novembro uma passagem de trem de Sevilha para Madrid  para viajar no dia 19/01 por 29 Euros, hoje a mesma passagem está custando 42 Euros.

E para finalizar a viagem, comprei em outubro uma passagem de avião de Madrid para Porto para viajar no dia 23/01 por 18 Euros, esta está custando os mesmos 18 Euros hoje.

No meu caso, comprando antecipadamente eu gastei um total de 121 Euros (R$ 600) em passagens de avião e trem, já incluindo bagagem despachada. 

Se eu fosse comprar as mesmas passagens hoje pela internet, uma semana antes, eu gastaria 361 Euros (R$ 1.800) sem bagagem despachada, ou seja, gastaria 3 vezes mais do que eu gastei comprando antecipado.

 

Mas tem outros complicadores, as companhias aéreas não fazem nenhuma questão de vender passagens lá no aeroporto na última hora, pois isto só atrasa e atrapalha o planejamento do voo, então elas costumam cobrar uma taxa extra para compras realizadas lá no aeroporto. 

Esta taxa extra todas cobram sobre vendas lá no aeroporto, e a taxa varia de 20 a 50 Euros dependendo da companhia.

E se não bastasse isto, nas low-cost você tem que fazer check-in pela internet e imprimir o seu cartão de embarque antes de ir para o aeroporto, pois se deixar para fazer o check-in lá no aeroporto, as empresas cobram uma taxa adicional de 50 Euros. E sendo brasileiro, você não pode usar o aplicativo para fazer o check-in, tem que faze-lo pela internet e dar um jeito de imprimir o cartão de embarque lá no hostel 1 ou 2 dias antes do voo.

E para terminar, se a sua mala/mochila não couber no limite de 10 Kg, e você precisar despachar a mala/mochila no porão do avião, comprando bagagem despachada antecipadamente custa 20 Euros, lá no aeroporto custa 50 Euros.

 

Então se eu fosse comprar no dia lá no aeroporto os mesmos voos que eu comprei antecipadamente pela internet, na verdade, depois de incluir todas as taxas, eu gastaria 700 Euros (R$ 3.400) ao invés dos 121 Euros (R$ 600) que eu gastei comprando as passagens em outubro.

 

Ou seja, você até pode ter sorte em achar uma ou outra passagem barata lá na hora, mas não dá pra contar com a sorte sempre e em todos os trechos. Você pode ter sorte em alguns trechos, mas o risco de lhe custar muuuuuito mais é bem grande.

Comprar as passagens lá na hora, ou 1 ou 2 dias antes, só dá certo se você for ficar dentro do mesmo país ou no máximo para um país vizinho onde você possa usar ônibus.  E mesmo assim as passagens de ônibus costumam praticamente dobrar de preço lá na hora, mas não tem aquele monte de taxas e não chegam a custar mais de 100 Euros como uma passagem de avião.

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Essa prática não é recomendável em nenhuma situação...como bem explicado acima o preço sobe absurdamente...

Usa o Skyscanner pra procurar as passagens internas. Outra opção era ter comprado uma passagem de saída do Brasil com Stopover na primeira cidade que iria ficar (dependendo de qual cidade e de qual cia aérea), aí você teria pelo menos um dos trechos adquiridos sem custo extra. A maioria das cias eruopeias, tais como TAP, KLM, ALITALIA, SWISS, etc fazem isso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E para complementar, o hotel que eu paguei 25  euros por noite em Lisboa em novembro, hoje está custando 35 euros por noite.

O hotel em Dublin que eu paguei 50 euros por noite, hoje está por 70 euros nas mesmas datas.

Em Sevilha eu paguei 30 Euros por noite, hoje o mesmo local está por 40 Euros.

Em madrid paguei 35 Euros por noite, hoje está por 45 euros

E em Porto, paguei 25 euros por noite, hoje o mesmo local está por 30 Euros.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, joycerangel07 disse:

optei pelos transportes internos de avião pois o tempo é curto em cada país

Muitas vezes você gasta mais tempo viajando de avião do que de ônibus ou trem.  Um voo de 1:30, que sai as 10:00 e chega as 11:30 no destino, não quer dizer que você gastara apenas 1:30 de uma cidade para outra. O cálculo é o seguinte:

Viajando de avião você perde o dia inteiro se vacilar! Os aeroportos são longes do centro das cidades, geralmente em torno de 01 hora de deslocamento. Considere que os aeroportos são enormes e cheios, portanto você tem que estar lá com 02 horas de antecedência no minimo. Considere que o horário previsto de chegada de destino, é o horário de aterrizagem do avião... se não houver atraso no voo, terá que considerar o tempo de taxiamento do avião, procedimento de desembarque, deslocamento até a sala de bagagem, tempo de espera para recolhimento das bagagens, saída do aeroporto e um novo deslocamento até o centro da cidade!

Basta calcular o tempo total desde a saída da sua hospedagem até a chegada na nova hospedagem, para ver se realmente o avião é mais rápido.

Um ônibus ou trem geralmente você pega em uma estação no centro da cidade, não mais que 30 min distante da sua hospedagem e precisa chegar nesta estação no máximo com 15 minutos de antecedência. Ao chegar no seu destino, você chega no centro da cidade e vai gastar em torno de 30 min para chegar no sua nova hospedagem. Não passa por controle de segurança, despacho de malas, recolha de malas... etc. etc. e etc....

Outro detalhe, o mais lógico é montar um roteiro com cidades próximas. Exemplo: Paris - Bruxelas - Amsterdam - Londres, roteirinho enxuto para 20 dias onde não vai sofrer com deslocamentos cansativos! Agora compare: Você chega em Lisboa e voa para Berlin, de Berlin voa para Londres, de Londres para Barcelona... Quanto tempo e dinheiro vai gastar com todos esses voos? Fora o desgaste físico fora da sua cultura, fazendo um esforço mental para captar informações em outro idioma, rotina alimentar alterada, noites mal dormidas... 

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sites obrigatórios:

https://www.ryanair.com/pt/pt/: é vôo low cost. Tente montar seu roteiro pra comprar as passagens com antecedência! Jamais deixe pra comprar no aeroporto!
Cheguei a pagar 10 euros ida e volta de Frankfurt pra roma (comprei com mais de 1 mês de antecedência).
MUITA ATENÇÃO: os aeroportos de vôos low cost são na maioria esmagadora das vezes beeem longe do seu destino. Pesquise bem o endereço antes de ir. Exemplo: o aero dos vôos de Frankfurt fica na verdade em Frankfurt Hahn (125km de Frankfurt am Main). Ou seja, vc vai gastar tempo e dinheiro com o transfer do aero da Ryanair até o centro da cidade que vc deseja ir. Sem contar que tem vôos bem baratos mas com horários péssimos, que te obrigam a dormir no aero.

https://www.goeuro.com/: ele pesquisa o que é mais barato entre trem, ônibus e avião. Facilita muito a vida! Às vezes ir por terra gasta menos tempo e menos dinheiro do que ir de avião, pq ambos sempre param no centro (ou bem perto do centro) do seu destino. Cheguei a pagar 1 euro em passagens comprando com antecedência também. A empresa de ônibus Flixbus é ótima, usei muuuuito, e funciona pela Europa toda. Vira e mexe tem promoção só pra quem é usuário do app.

Espero ter ajudado!

Abraços,

Marisa

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Mari D'Angelo
      No dia 14 de Julho, a França comemora o dia da queda da Bastilha, quando se iniciou a revolução francesa que deu fim a monarquia.
       
      A festa nacional francesa começa na verdade no dia 13 de julho, com o tradicional baile dos bombeiros em algumas das casernas de Paris, dizem ser algo bem animado e que geralmente rola até um strip-tease dos heróis nacionais rs, mas acabamos não indo conhecer.
       

       
      No dia 14 acordamos bem cedo (ou pelo menos era o que pensávamos) para assistir ao desfile militar, mas quando chegamos, a Champs-Élysées já estava completamente lotada! (Ao meu ver, mais de turistas que de franceses). Procuramos em vão um lugar onde pudéssemos enxergar alguma coisa mas depois de alguns minutos sem ver mais do que cabeças e máquinas fotográficas desistimos e sentamos num gramado para esperar a apresentação dos aviões (que era o que eu mais queria ver). Foi até interessante, primeiro passaram diversos tipos de aviões da força aérea, em seguida os helicópteros e os paraquedistas, e por fim algo como a “esquadrilha da fumaça” francesa, eu esperava várias acrobacias colorindo o céu de azul, vermelho e branco, mas passaram apenas uns poucos aviões soltando as três cores da bandeira em linha reta e nada mais. Saí um pouco decepcionada por não ter visto grande coisa, mas de qualquer forma, achei legal ter participado deste momento, da série “coisas pra fazer uma vez na vida”.
       

       
      Como estava tudo muito lotado, decidimos voltar a pé para casa, ainda acompanhamos um pouco a dispersão dos soldados e seguimos nosso caminho às margens do Sena. Depois de comer alguma coisa e recuperar o sono perdido, chegou a hora da segunda (e mais esperada) comemoração do dia, os fogos de artifício na Torre Eiffel.
       
      O início seria só a noite mas chegamos com muitas horas de antecedência, e mesmo assim, novamente, já estava lotado! Optamos por ficar no final do Champ de Mars, no tablado da instalação “Mur pour la paix” (um monumento em aço, madeira e vidro com a palavra “paz” escrita em diversos idiomas) era bem longe, mas achei que tivemos uma visão perfeita! A espera trouxe uma recompensa impagável, acompanhamos o sol se pondo lentamente ao lado da Torre, um daqueles momentos em que a gente agradece ao universo por fazer parte deste mundo.
       

       
      Quando já escurecia (no verão isso significa que já é mais de 22h), as luzes da Torre começaram a se acender e o hino nacional marcou o começo da apresentação. Os franceses cantavam “A Marselhesa” com verdadeira emoção, muitos chorando, foi um momento bastante emocionante até para nós que somos brasileiros.
       

       
      A queima de fogos foi incrível, um verdadeiro show com o tema “Liberté, Egalité, Fraternité”. A narração da história combinada com músicas francesas, música eletrônica, Nirvana e até Beatles e sincronizada com a iluminação na Torre ficou perfeita! E no fim uma grande surpresa, no ano em que a França, depois de muita discussão, finalmente aprovou o casamento entre pessoas do mesmo sexo (nossa, como ouvimos falar do Mariage pour tous!), a Torre ficou inteira colorida homenageando esse avanço!
       

       
      Na hora de ir embora, nem cogitamos o metrô, também não encontramos uma Velib (sistema de locação de bikes) disponível então fomos caminhando por uma boa parte até achar uma bicicleta para terminar o trajeto.
       
      Foi uma das coisas mais lindas que já vi, valeu cada segundo esperando e cada passo dado pra chegar até lá.
       
      Texto original, mais fotos e um vídeo da queima de fogos aqui: http://www.queroirla.com.br/um-14-de-julho-em-paris/
    • Por Mari D'Angelo
      Visitar Barcelona é, entre outras coisas, imergir profundamente no mundo colorido e orgânico de Gaudí. O arquiteto catalão nasceu em Reus e passou a maior parte de sua vida em Barcelona, onde deixou um grande legado de obras modernistas, sempre inspiradas em elementos encontrados na natureza. Suas técnicas normalmente fugiam do convencional para época, como por exemplo o uso da maquete invertida em que ele utilizava correntes e cordas com pesos nas pontas e através de um espelho via a imagem invertida. Além é claro, dos mosaicos coloridos feitos com fragmentos de cerâmica ou vidro, sua marca registrada.
       
      A casa Batlló, patrimônio mundial da UNESCO, foi algo que me deixou perplexa, nem com toda pesquisa feita antes de ir pra lá imaginava que pudesse ser algo tão incrível! É caro, muito caro (21,50€) e talvez isso faça muita gente desistir, mas sinceramente recomendo guardar uns eurinhos a mais e ter essa experiência.
       
      PS. A casa é tão incrível que serviu de inspiração para os cenários do Castelo Rá-tim-bum!
       

       
      O edifício construído em 1877 fica no bairro modernista de Barcelona, no Passeo de Grácia, uma das avenidas mais famosas da cidade. Foi reformado por Gaudí entre 1904 e 1906 a pedido do proprietário, Don José Battló Casanovas. A princípio a ideia era demolir todo o prédio e recomeçar do zero, mas no fim acabou sendo “apenas” uma reforma. Há vários mistérios em relação aos simbolismos utilizados pelo arquiteto, a teoria mais famosa é de que o telhado, com suas escamas coloridas representa um dragão, que ao lado da cruz, homenageia São Jorge. Os balcões da fachada tem formatos que se assemelham à crânios, e por isso o conjunto ganhou o apelido de “casa dos ossos”.
       
      Fomos em uma chuvosa e fria noite de novembro e tivemos que encarar uma pequena fila (mas é possível comprar pela internet, o que não fizemos!). Ao entrar você recebe um áudio-guia que faz toda a diferença na visita, dê o play e viaje com as explicações e ambientações de cada cantinho da casa.
       
      A visita começa no térreo, onde já é possível perceber que Gaudí se inspirou totalmente nos elementos marítimos e nas características de diversos animais. Não há um elemento reto na casa, desde os objetos até as paredes cuja textura lembra escamas de peixe. O corrimão da escada de carvalho que leva ao andar nobre sugere a espinha dorsal de um grande animal. Os vasos são peças de Pujol I Bausis ceramista.
       

       
      As portas e janelas, todas com formatos orgânicos, são feitas de madeira e vidro, sendo a parte de cima ornamentada com vitrais coloridos que dão um efeito incrível. Gaudí se preocupou muito para que a casa recebesse bastante iluminação natural, para isso fez aberturas estratégicas em alguns locais e trabalhou as portas com vidros foscos, para que a luz passasse de um ambiente para outro sem perder a privacidade.
       
      No andar principal há uma curiosa lareira em cerâmica com formato de cogumelo que foi contruída onde antes era o escritório. José Battló pediu que ela tivesse bancos confortáveis para que a família desfrutasse do espaço em dias frios.
       

       
      O salão principal é uma das partes mais interessantes, o teto, todo retorcido, sugere o movimento da água e o lustre central simboliza uma água-viva. A enorme janela tem vista para a badalada avenida. Pensando na questão do arejamento, Gaudí criou um esquema simples e genial de abertura de ventosas localizadas abaixo das portas para entrada regulada do ar (quase que como um ar condicionado da época).
       

       
      No pátio externo há uma fonte e um colorido jardim de cerâmica, feito com as sobras da fachada. Mas como estava chovendo bastante, não conseguimos aproveitar muito as partes externas da casa.
       
      O pátio interno é todo coberto por azulejos em diferentes tonalidades de azul, com tons mais claros nos andares baixos, onde há menos entrada da luz e tons mais escuros nos andares altos, além disso as janelas também seguem esse conceito, sendo maiores nos andares inferiores e menores nos superiores. Neste local é possível perceber totalmente a inspiração de Gaudí nos ambientes marinhos, vidros irregulares dão a sensação de estar embaixo d’água.
       

       
      No último andar, chamado de águas furtadas, todas as paredes tem uma coloração verde água, os arcos parabólicos catenários que sustentam o terraço tem o formato de costelas e projeções representam o que funcionava nos locais. No fim, um vídeo bastante lúdico mostra todo o encanto da casa que acabamos de visitar.
       

       
      No terraço há um conjunto de chaminés decoradas com mosaicos de cerâmica e o suposto dragão.
       
      Além de todo o trabalho estético e arquitetônico, Gaudí também desenhou a fonte usada nos números das portas, projetou detalhes como as maçanetas (que eram feitas para encaixar anatomicamente na mão) e criou diversos móveis, como estas cadeiras expostas no fim da visita.
       

       
      Dicas úteis:
       
      Site oficial: http://www.casabatllo.es
       
      Valor: Adulto 21,50€ | Estudante 18,50€ | Crianças -7 anos não pagam (outros valores no site)
       
      Horário: Todos os dias, das 09:00 às 21:00 (Entrada até as 20:00)
       
      Relato original e mais fotos aqui: http://www.queroirla.com.br/por-dentro-da-surreal-casa-battlo-de-gaudi/


×
×
  • Criar Novo...