Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Posts Recomendados

Olá amigos tenho uma viagem de 10 dias programada para fevereiro de 2019 a Brasília e Goiás.

A princípio faria Brasília e Alto Paraíso de Goiás. 

Porém um amigo decidiu ir  junto  e ele não está acostumado com trilhas e por isso decidimos Pirenópolis. 

O que sugerem 05 dias em Brasília e 05 em Pirenópolis? No caso faremos todo nosso deslocamento de ônibus. 

É possível fazer muita coisa no DF além dos palácios ? Pirenópolis é uma boa opção ? 

Desde já os agradeço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dá pra fazer bastante coisa em Brasília. Para relaxar um pouco, você pode ir até o Pontão do Lago Sul, um dos lugares mais lindos da cidade e perfeito para passeios. O local conta com bares, restaurantes, parques e uma linda vista para o Lago Paranoá. Se estiver muito quente, uma ótima alternativa é se refrescar no Lago Paranoá. Outros passeios para relaxar podem ser feitos no Parque da Cidade Sarah Kubitschek, o maior parque urbano do mundo, ou no Água Mineral Parque Nacional, um dos mais famosos parques ecológicos da cidade. Tem ainda o Jardim Botânico ou quem sabe o belíssimo Parque Olhos d’ Água. Nos outros dias você pode escolher alguns dos diversos museus e centros de cultura da cidade.

Agora Pirenópolis vou ficar te devendo, haha.✌️

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@natan.cruz eu particularmente acho que ficar cinco dias em brasilia é muito tempo, mas de toda forma gosto é gosto. De antemão já ti aviso que lá tudo é longe, dificilmente vai ter alguma coisa que queira ir/fazer que ja vai estar perto de onde vc está. Veja certinho entao o que pretende conhecer por lá pra saber se será preciso ficar mais ou menos tempo.

Quanto à Pirenópolis é uma cidadezinha bacana, com ruas de pedra onde a única coisa pra se fazer dentro da cidade é andar por algumas ruas do centrinho, visitar alguma igreja e sentar em algum lugar pra tomar uma cerveja.

O forte de Piri são as cachoeiras, lá tem muitas, o único detalhe será como vc vai fazer pra chegar até elas. Por mais que tenha alguma mais próxima da cidade, de toda forma nao da pra ir à pé. E na grande maioria vc precisa andar vários km de carro pra chegar até elas. A melhor alternativa seria alugar um carro, ai vc poderia ir para qualquer lugar e ficar o tempo que desejasse. Ir de táxi penso que nao seja a melhor escolha pois uma corrida poderia sair salgada e teria a questao da volta, as vezes nao pega cel na regiao das cachoeiras. Ah! as cachoeiras ficam em propriedades privadas e sempre é preciso pagar alguma taxa pra entrar.

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nathan, concordo com o amigo acima! Gosto é gosto mas....por morar e conhecer Brasília eu acho que seria bakana vc passar mais tempo em Pirenópolis. Particularmente já fui lá também e acho uma cidade muito aconchegante e com muitas opções de cachoeiras e tal. Em Brasília é tudo longe, com dificuldade maior pra locomoção. E pra vc ficar no centro hospedagem tbm não é muito barata....Sou suspeita pq amo piri, então diria pra vc passar no máximo 2 dias em bsb e o restante em piri! Mas minha opinião beleza.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

5 dias em Brasilia é tempo demais, principalmente se estiverem sem carro. Mas tem o Parque Nacional (Agua Mineral) para ir durante a semana, fim de semana é lotado. Lá dá para chegar de Uber e transporte público, mas tem que descer numa rodovia... No eixo monumental tem as visitas cívicas (Itamaraty é minha favorita, mas é bom agendar antes), além da Torre de Tv (ótima vista), a catedral e o planetário (sessões gratuitas em vários horários). Se estiverem de carro, tem a Chapada Imperial, que é uma cachoeira bacana, que costuma abrir só aos finais de semana e tem que reservar antes. A 80 km tem Itiquira em Formosa, que também rola se estiverem de carro. Hospedagem costuma ser caro...

Pirenopolis  é fofa, muitos bares e restaurantes, e tem muitas cachoeiras, e dá para contratar passeios (eu acho).

Agora, a Chapada dos Veadeiros tem trilhas para todos os gostos... Vale da Lua, caminho dos Cristais e Loquinhas são bem tranquilas, o acesso é fácil e quase não tem trilha (ou é bem marcada, com corrimão, escada onde é mais complicado). Eu acho que escolhendo bem, é o mesmo grau de dificuldade de Pirenopolis, mas a cidade em si não é tão bonita.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se fosse eu, ficaria uns dois ou tres dias no maximo em brasilia e ficava o restante em Piri ou em algum outro lugar conforme a NandaFC citou. Piri tem tanta cachoeira que vc pode visitar uma por dia e ficar sem repetir nenhuma por muito tempo. Brasilia é chato porque tudo é muito longe.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Brasília é uma cidade de estadia relativa, e vai do seu perfil de viajante. Mas como sempre falo, se existe uma palavra para definí-la, seria RICA.

Sendo assim, 3 dias JAMAIS seriam suficientes se vc quisesse conhecer a riqueza dessa cidade e seus arredores. Pra vc ter idéia, só no parque nacional e na chapada imperial dá para passar um dia quase inteiro (em cada). No parque da cidade de Brasília mesmo, uma tarde inteira seria bem aproveitada também (fotos, um passeio de kart, a caminhada em si, os espaços para o social, o parquinho que tem por lá...). O zoológico da cidade também é ENORME, te fazendo ficar uma manhã ou uma tarde inteira ali, se vc quiser ver todo o acervo. Como vc vai estar de ônibus, tem toda a questão do deslocamento também. E lembrando que tem uber e metrô, dependendo de onde você estiver, também.

Fora que fevereiro é temporada de chuvas em Goiás, corre o risco de vc perder um ou dois dias por causa da chuva, mas é apenas uma possibilidade. 

Seria bom ficar hospedado em uma das asas, e quanto ao lance da hospedagem "cara" no centro, pessoalmente acho uma questão relativa também, pois mesmo nas asas, é possível achar hotéis e hostels a bons preços (na faixa de 40-60 reais a diária). E no booking mesmo estão alguns exemplos. De dia achei super de boa caminhar por lá (apesar do bicho pegar, naturalmente, de noite, como em toda cidade).

Então assim, em um dia vc automaticamente só tiraria para o Eixo monumental e dependências, caso te interessasse aquele roteiro cívico-cultural (bosque dos constituintescongresso, praça dos 3 poderes, esplanada, catedral, museu, torre de TV, planetário, Mané garrincha, praça dos cristais e museu/memorial JK). Boa parte desse percurso dá pra fazer a pé (trilha e calçada larga nas vias não falta). E isso pq não incluí as visitas guiadas. A noite poderia ficar para shopping ou mesmo procurar uma boa referência gastronômica (eu gosto MUITO do crepe brasiliense, por exemplo, não deixe de comer).

os demais dias poderiam ser para as atrações distantes (ponte JK, + lago Paranoá com ênfase no pontão do lago sul, muito bonito o entardecer lá, jardim botânico, o parque nacional, chapada imperial, zoológico de BSB, parque olho d'água...). 

Eu tiraria 4 dias em BSB sem dúvida alguma, no mínimo, e sabendo que ficou faltando coisa pra fazer e ver. Ah sim, na torre de tv tem uma feira na base onde dá pra encontrar lembrancinhas bem em conta da cidade. Daí só partir da rodoviária para Piri e conhecer suas belezas naturais.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Realmente o tempo necessário em Brasília vai depender muito dos seus interesses. Além das dicas do StanlleySantos, eu sugeririria:

- SQS 308 (a "quadra modelo"), passando pela igrejinha de Fátima - que é logo ali. Essa quadra é considerada uma das mais fiéis ao projeto original da cidade.

- Um passeio de metrô até Águas Claras, se você quiser conhecer uma Brasília mais verticalizada;

- o CCBB é bem legal também. Antigamente eu via uns ônibus gratuitos indo da região central para lá. Não sei se ainda estão operando.

A torre de TV muitas vezes fecha para manutenção, mas a feirinha funciona. Se você quiser ter uma vista panorâmica e o elevador da torre não estiver funcionando, uma dica é a torre de TV digital.

O deslocamento até Pirenópolis de ônibus é demorado: um pinga-pinga de 4 horas! Então reserve parte do tempo para esses deslocamentos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por Birovisky
      Review em vídeo na íntegra e como usar todas funções:
       
       
      Motivação
      Tive uma péssima experiência com um desses infladores da Bestway, custava metade do preço porém era apenas 110v. Fomos a um camping em Analândia no qual nenhuma tomada estava identificada e pela falta daquelas chavinhas que conseguimos identificar a voltagem, queimei o inflador sem usar.
      Preço
      Na Internet paguei R$128,00 com frete gratuito.
      Pontos Positivos
      Diferente de qualquer um dos infladores elétricos convencionais no qual você precisa fazer uma “Escolha de Sofia” entre um que seja 110, 220 ou daqueles pra carregar no acendedor de cigarro do carro, o Inflador Elétrico Duppio Bivolt Guepardo é tudo em um só com a qualidade que só a Guepardo pode oferecer. Você nunca mais vai precisar esquentar a cabeça se no lugar vai ter energia ou não.
      Infla e Desinfla colchões (a maioria não possui essa função).
      Vários tamanhos de bicos. Enche um colchão inflável de casal em pouco menos de 3 minutos.
      Portátil, leve e por entregar todos os tipos de conexões para você não ficar na mão, considero barato.
      Pontos Negativos
      Apesar da alta vazão possui pouca pressão (0,52 psi), ou seja, não é possível utilizá-lo para encher botes, bolas de futebol ou pneu de bicicletas e motos.
      O colchão não fica 100% firme (até por uma questão de segurança para quem estiver operando-o para não esquecer ligado e inflar o colchão até estourar). Na verdade ele enche corretamente, porém como eu tenho problema na coluna necessito de um colchão um pouco mais firme, para este ajuste ainda é necessário utilizar a bombinha manual, mas é coisa de 20 bombadas no máximo.
      Resumo da Obra
      Você pode pensar que eu to virando campista nutella, só que não, para encher cada colchão inflável você perde nada mais nada menos do que no mínimo 10 minutos, normalmente na turma que vamos acampar se tem no mínimo 4 colchões. IMagine perder energi e tempo enchendo colchão? Se estamos indo acampar é para descansar e se divertir, maximizar o tempo e não perdê-lo enchendo colchões, já nãs basta as barracas (essa é outra questão, é um trampo que amo).
      Siga-nos no WordPress – https://rezenhando.wordpress.com/
      Siga-nos no Twitter – https://twitter.com/Birovisky
      Siga-nos no Instagram – https://instagram.com/Birovisky
      Curta no Facebook – https://www.facebook.com/rezenhandoaculturapopaz/
      Inscreva-se no Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCCfmjZm3KuEE-XsNhfBnqvQ
    • Por Rafael Silva Pereira
      Primeiramente, gostaria de avisá-los sobre dois pontos importantes:
      1: o meu relato está sendo feito um ano após a minha viagem. 
      2: Se você quer uma viagem inesquecível em algum país na América do Sul, então com certeza você deve conhecer o Chile! 
      Estando ciente destes dois pontos, então vamos iniciar com meu relato, minhas dicas e experiências. Bora lá?
      A Recepção que tive ao chegar em Santiago
      Iniciando que tive muita sorte antes mesmo de chegar em Santiago, pois eu não tinha Transfer marcado e pretendia pegar um táxi ou Uber para me levar até o Hostel que eu ia ficar (reservarei um tópico unicamente sobre o hostel). Entretanto, não foi necessária nenhuma destas opções, pois tive a incrível oportunidade de sentar do lado de uma senhora no avião e fiz amizade com a mesma. Ela era brasileira, de São Paulo assim como eu, mas morava há alguns anos no Chile com seu marido. E ela ofereceu uma carona até o meu Hostel que era caminho da casa dela. Como senti confiança nela e realmente parecia ser uma ótima pessoa, logo, aceitei. E pra início de viagem, já me senti bem naquele país e bem recebido.  Assim sendo, minha grande preocupação era que estivesse tudo OK a reserva que eu havia feito do hostel, porque eu nunca tinha feito uma viagem para fora do Brasil e também não havia feito reserva de hotel/hostel da forma que fiz. Contudo, ao chegar no hostel eu também fui super bem recepcionado pela equipe e deu tudo certo, logo, percebi que seria um viagem única e assim foi! Fui bem tratado em absolutamente todos os lugares que fui e irei relatar ao longo do texto. 
      Onde eu me hospedei nestes 5 dias? 
       Fiquei hospedado em um hostel. Para quem não sabe, hostel é um espaço compartilhado, ou seja, como um hotel, porém com quartos compartilhados. Na maioria das vezes utilizado justamente por viajantes, para troca de experiências, boas conversas, novas amizades, além de ser mais barato que um hotel. Se você se identifica com estes itens que citei, um hostel é uma ótima opção, caso contrário, reserve um hotel. O hostel que me hospedei foi o CLH Suites Santiago, o Che Lagarto. Ele fica localizado na San Antonio 60, Santiago. Para quem não conhece, a San Antonio fica bem no centro de Santiago, então você ficará super bem localizado e próximo de muitas coisas para ver e fazer na cidade. O tratamento da equipe do hostel é simplesmente excelente, desde a sua entrada até a saída. Se você precisar de dicas de roteiros, onde ir, chamar um Uber ou qualquer coisa, saiba que os funcionários estarão dispostos a ajudá-lo. O hostel contava com café da manhã já incluso e se você quisesse, dentro de um determinado horário, você podia utilizar a cozinha para você mesmo preparar a sua comida. Ah, o café da manhã era excelente, com bastante opções de comidas e isso porque sou ovolactovegetariano! De noite, você podia optar ao invés de ficar no saguão do hotel, poderia ficar no terraço do hostel, pois lá tinha um DJ tocando diversas músicas e no terraço tem lugar pra você ficar bebendo, conversando e se divertindo. Os quartos que fiquei dispunham de beliches confortáveis e um banheiro compartilhado, mas limpo e com boa estrutura. A grande sacada do hostel é você conversar com as pessoas hospedas, fazer amizades e ter ótimas experiências e isso no Che Lagarto eu encontrei! Fiz amizade com brasileiros, argentinos, uruguaio, colombiano, canadenses e norte-americanos. Veja só!
      Mais lá na frente do texto irei especificar quanto foi que gastei com hospedagem, passagens e tudo mais.  

      Onde eu fui? O que conhecer? 
      Não irei fazer em ordem cronológica a minha viagem, somente irei apontar e comentar brevemente sobre alguns dos locais que fui. Vamos lá? 
      Catedral Metropolitana de Santiago - Para os fiéis ou não, a Catedral de Santiago é um ponto a ser conhecido, seja por ser um dos pontos turísticos de Santiago, quanto pela sua bela arquitetura Neoclássica. O interior da catedral é simplesmente maravilhoso! Lembrando que não é pago para entrar e conhecer o ambiente, ou seja, é gratuito! 
      Endereço: Plaza de Armas, Santiago, Región Metropolitana. 
       
      Iglesia de San Augustin- Se ainda você quiser permanecer em contato com artes sacras e belas arquiteturas de igrejas católicas chilenas, outro local a ser conhecido seria a Iglesia de San Augustin. Uma igreja consideravelmente pequena, da Ordem de Santo Agostinho, porém muito linda! Vale a visita. 
      Endereço: Estado 180, Santiago, Región Metropolitana. 
      Cerro San Cristobal: Esse sim é um lugar que você não pode deixar de conhecer quando for ao Chile, com uma vista simplesmente única lhe dá condições de visualizar boa parte da capital chilena, além de uma vista maravilhosa das cordilheiras, tanto em solo quanto pelo passeio pelo oferecido por teleférico. Para chegar até o Cerro você irá pagar um valor (que não me recordo quanto, porém bem barato) para te levar até o Cerro assim como você também pagará uma taxa caso queira passear de teleférico (e vale muito a pena, tenha certeza disso!). 

      Casa Museo "La Chascona" - Para quem ama poesia tanto quanto eu, considero como outro lugar que você não deve deixar de conhecer. La Chascona foi a casa onde viveu na minha modesta opinião, um dos maiores poetas de todos os tempos e uma das figuras mais importantes da história chilena, Pablo Neruda. Ao visitar a sua casa/museu você entenderá que Pablo Neruda não somente fora importante para a literatura chilena, mas sim também, para a luta política/social no Chile. A visita é interativa, pois você recebe uma espécie de "telefone" e nele contém botões com números, cada número representa um cômodo da casa e ao apertar o botão você terá uma narrativa sobre a história de cada cômodo e objeto da casa. A narrativa é feita em espanhol! A entrada não é gratuita, custou na época cerca de $ 7.000 pesos (não é tão barato), mas se você é fã de Neruda, deve ir! Outro detalhe importante, não é permitido fotos no ambiente. 
      Endereço: Fernando Márquez de La Plata 0192, Santiago, Providencia, Región Metropolitana. 
      Museo Chileno de Arte Precolombino - O Museu de Arte Pré-colombiana vai inspirar e te encantar através da maravilhosa arte pré-colombiana, nos conectando com as raízes indígenas não somente do Chile, mas também da América. Certamente um dos melhores museus da América do Sul! Bem informativo, mas não somente informativo, mas contendo certas exposições até interativas. Contém lindas peças de cerâmicas, metal, algodão, lã, pedra, osso, madeira e etc. Utilizando-se de diversas técnicas para fazer a arte, sendo elas feitas antes da chegada dos europeus na América. Muito válida a visita, porque você vai se encantar e agregar muita cultura e conhecimento. A entrada custou $4.500 pesos. 
      Endereço: Bandera 361, Santiago. 
      Mercado Central:  Para quem é paulista, sabe o Mercadão no Centro de São Paulo? Certo, pensou!? Esse é o Mercadão, porém o de Santiago, mas ainda acho nosso Mercado Central mais atrativo que o deles, mas ainda a visita é válida. Lá eles vendem peixes frescos, tem restaurantes e barracas vendendo souvenirs. A entrada evidentemente é gratuita. Você pagará pelo que consumir/comprar. 
      Endereço: San Pablo, Santiago, Región Metropolitana 
      Bellavista:  O bairro da Bellavista é um local também obrigatório para conhecer no Chile, porque ele tem diversos bares, restaurantes, galerias e é um local ótimo seja no período diurno ou então para curtir à noite, pois também para quem gosta, oferece diversas baladas de diferentes gêneros. Não deixe de visitar! 
      Valparaíso e Viña del Mar
      Fui um único dia para os dois lugares que são bem próximos. Consegui ir pegando um ônibus com saída no Terminal de Santiago. Infelizmente vou ficar devendo qual foi o valor que paguei nas passagens, mas lembro-me que não foi um valor tão caro e a viagem não é tão desgastante, levando um pouco mais de duas horas se não me falha a memória, porém você irá apreciar a vista no decorrer da sua viagem. 
      Valparaíso é uma cidade simplesmente encantadora, muito bonita! Nela você encontrará organização, lindos restaurantes e casas com pinturas a óleo nas paredes, além de muros grafitados. As ruas também são muito lindas, muitas delas de paralelepípedo. Outro detalhe é que a cidade não fica longe do mar, tornando-a assim com uma paisagem deslumbrante! 
       
      Museo Municipal de Bellas Artes/Palacio Baburizza: Um local que gostei de ter ido em Valparaíso foi o Museu de Belas Artes da cidade. O Museu contém peças de grande valor artístico, principalmente pinturas a óleo de artistas sejam chilenos ou estrangeiros. A fachada do museu por si só já vale ser vista. Veja a foto abaixo! A entrada custou: $4.000 pesos. 

      Endereço: Paseo Yugoslavo 176 C°, Alegre, Valparaíso. 
      Já em Viña del Mar eu aproveitei para conhecer alguma praia e pegar um pouco de Sol. Me deparei com uma praia simplesmente limpa e bonita. Conhecia a Playa Reñaca e recomendo muito! Fui juntamente com os amigos que fiz no próprio Chile, de diversas nacionalidades, estes da foto abaixo. Eu sou o de camiseta vermelha e óculos!  
      Considerações finais
      Galera, fica impossível eu apontar absolutamente todos os lugares que fui e conheci. Os restaurantes eu vou apontar numa outra postagem, pois fui em restaurantes vegetarianos/veganos, ou seja, não agradará todos os públicos. Porém, o que mostrei até então são locais que ao meu ver, lhe trará uma experiência diferente para a sua viagem, tornando-a inesquecível, pois é o que esperamos de uma viagem assim. O Chile é o lugar ideal para curtir a noite, buscar aventuras, ver belas paisagens e acima de tudo, fazer belas amizades. Você com certeza irá voltar para casa com a mala cheia! Cheia de histórias e novas experiências. 
      Custo da viagem: 
      Passagens Ida e Volta: R$684,00 (Voo oferecido pela empresa aérea Avianca)
      5 dias de hospedagem no Che Lagarto: R$ 420,00
      Dinheiro que converti de reais para peso: R$ 727,92 o que me deu em pesos chilenos $120,000,00 (cobrando R$7,92 de IOF pela casa de câmbio aqui no Brasil). 
      Total de gastos = R$ 1.832,00. 

    • Por Jackie Erat
      Salve galera!
      Entre Março e Dezembro de 2018 meu marido e eu fizemos uma viagem de carro pelo Brasil, o trajeto está demarcado no mapa abaixo. Para ver mais detalhes clique aqui (locais que paramos).
      Somos nômades digitais, então ficamos morando cerca de 3 semanas em cada local. Trabalhamos pelo computador durante a semana e no final de semana aproveitamos para fazer passeios e explorar a região. Deu para curtir bastante! Fizemos uma travessia a pé pelos Lençóis Maranhenses (+30k) e também uma pela Chapada Diamantina (50k). Mas hoje queria compartilhar com vocês como planejamos nosso roteiro, a condição das estradas e os trechos que consideramos mais bonitos para se passar de carro.

       
      Vou começar dizendo que não temos carro 4x4, então percorremos tudo com carro regular. 
      O Brasil tem várias estradas off road, mas de todos os lugares que conhecemos apenas 2 foi necessário alugar 4x4 para acessar: Jalapão e Jericoacoara (a vila, pois até Jijoca chega-se de carro normal). Caso você estiver passando por uma rua de areia e atolar, retire 1/3 do ar dos pneus que você consegue desatolar e dirigir tranquilo (Por exemplo, nosso pneu vai 30 e tiramos cerca de o ar até chegar 20, cerca de 15 segundo de retirada de ar por pneu).
      Se você quer planejar o quanto vai gastar de combustível e pedágio na sua viagem de carro, o site http://rotasbrasil.com.br/ é bem útil. O valor médio da gasolina durante nossa viagem foi de 4,41 reais - só abastecemos em postos com bandeira conhecida, como ipiranga, shell, e BR.
      A BR 101 é confiável - tem bastantes postos de gasolina, tem bom movimento, poucos buracos. Tivemos muitos problemas com buracos e má sinalização em Tocantins - mas nada que dirigir com atenção e paciência (durante o dia!) não resolva. Mas assim - buracos gigantes, não dá para dirigir mais do que 40-50km/h. Fora esse TO, também pegamos bastante buracos entre Jericoacoara e a divisa com o Piauí, foram 150 km bem tensos. De maneira geral, até as rodovias mais desertas vão ter postos de gasolina a pelo menos cada 50 km e vai ter algum veículo passando a cada 5 min. Então não ficamos com medo em nenhuma delas (nem medo de assalto, nem de faltar combustível ou de não ter ajuda se houvesse algum problema mecânico). Maranhão foi o estado mais pobre que passamos, necessita um pouco mais de planejamento para não pegar estrada de chão e para achar um hotel para dormir. Passamos por uma comunidade que queria cobrar "pedágio" para passarmos. Mas queriam apenas 1 real e não foram de forma alguma agressivos.
      Quem quiser saber um pouco mais das nossas estratégias de como saber se a estrada é asfaltada ou não, clique aqui. 
      Aqui está nossa opinião sobre os melhores trechos para passar em uma viagem de carro pelo Brasil (não apenas o litoral, mas estradas no geral):
      1) Rota das Emoções - Trecho dos Pequenos Lençóis Maranhenses (cidade de Paulinho Neves)
      2) Rota do Lagarto - Serras do Espírito Santos
      3) BR 101 que passa pela Região de Angra dos Reis (Trecho RJ-Santos, o GPS tenta te mandar pela 116, mas fique na 101!)
      4) Serra Catarinense - Rancho Queimado, Corvo Branco e descer a Serra do Rio do Rastro
      5) Rota Romântica - Serra Gaúcha
      Em termos de cidades históricas: Ouro Preto e Brasília

      Rota das Emoções - Paulinho Neves, MA

      Rota do Lagarto ES

      Angra dos Reis


      Serra Catarinense (Pedra Furada)

      Rota Romântica - Serra Gaúcha
       
       
      Se quiserem acompanhar nossa viagem agora na próxima fase (outros países da América do Sul) que se inicia em março, estamos no instagram @vidaitinerantebr
      Qualquer dúvida poste nos comentários!
      Espero que essas informações possam lhe ajudar na sua próxima aventura, grande abraço!
       
      ___________________________________________________________________________________
      Quem prefere vídeo, aqui fizemos um resumão das partes mais bonitas e dicas usando a BR 101 como base: 
       
    • Por nicolesuet
      Olá!
      Depois de pouco mais de três anos juntanto dinheiro, acho que o meu mochilão, finalmente, vai sair no papel no ano que vem, porém tenho muitas dúvidas e espero que vocês possam me ajudar.
      A minha meta é realizar o mochilão com 10000 reais, sendo que consegui juntar uma quantidade considerável de pontos (70 mil) no Multiplos, então eu acho que pelo menos a passagem de ida estará garantida. Pretendo fazer um mochilão de 30 a 45 dias, mas eu estou com muita dúvida sobre quais países e a quantidade países que devo passar. Sei que não posso ser muito ambiciosa e querer ir em muitos lugares,  porque não conseguiria aproveitar a localização. Os países que tenho certeza que quero passar são: França, Itália, Holanda e se possível Grécia. Há tantos lugares que eu gostária de ir. Islândia, Alemanhã, Noruega, Belgica, Republica Tcheca, Inglaterra, Espanha... Enfim o que não falta são lugares incríveis para visitar. Gostaria de pedir sugestão de quem já tem experiência de roteiros, países e cidades que vocês acham que uma pessoa que nunca foi a Europa deve visitar. 
      Qual seria o tempo de antecedencia ideal que vocês recomendam para comprar as passagens de avião? Já estou dando uma pesquisada nos preços usando Skyscanner. Também gostaria de perguntar se vocês acham que compensa "flexibilizar" a volta, dependendo da viagem. Por exemplo, caso eu perceba que ainda tenho dinheiro sobrando e decida extender a viagem por mais alguns dias, logo compraria a passagem de volta em cima da hora. 
      Além disso, existe pacotes de transportes ou atrações turisticas que possam me ajudar a economizar na Europa? Vale a pena usar cards como o Paris Visite? Sobre o que eu pesquisei sobre transporte, acredito que não seja muito lucrativo andar de trem ou ônibus na maior parte do tempo, mas sim usar voos de companhias low cost. O que vocês acham de apps de carona como Blablacar? Confesso que tenho muito medo de usar algo assim.
      Sinceramente, qualquer dica que vocês possam me dar para economizar será bem vinda.
      Não vou gastar muito, ou comprar as famosas "lembrancinhas". Ficarei em hostel e tentarei cozinhar minha própria comida no hostel (pelo menos o café da manhã e a janta), 60 a 70 euros por dia é suficiente contando acomodação, transporte, atrações turísticas, etc?
      Outra coisa que gostaria de perguntar é sobre a questão de câmbio e dinheiro. Como vocês recomendam fazer transações financeiras no exterior? Existe algum cartão próprio para viajantes? Qual a opção mais lucrativa para isso?
      Ao pesquisar sobre a questão de visto, vi que a maior dos países europeus não pedem visto para brasileiros. Portanto devo apenas tirar o passaporte e comprar as passagens? Me desculpa a ignorância, mas nunca viajei para o exterior. 
      A Europa obriga que os turistas possuam seguro de viagem. Vocês tem alguma recomendação de seguro com um bom custo-benefício? Fiquei meio chocada com os preços, achei bem salgado.
      Muito obrigada a todos! Sei que são muitas perguntas, mas fico muito grata com qualquer ajuda possível, sério.
      Nicole.


×