Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Posts Recomendados

Travessia Sitio Bom Jesus / Morro do Chapéu - Travessia dos Veadeiros, Janeiro de 2019.

Essa travessia vai surpreender os amantes do Trekking
 

Por Mauro César - Trekking na trilha 

20190125_104130.jpg

Dona Madalena e Silmênia

Fomos recebidos por Dona Madalena uma pessoa de muita luz, responsável pelo Sitio Bom Jesus, um lugar de pura paz, tudo muito organizado e limpo, vale muito a pena visitar este lugar. Não visitamos o bosque, lugar onde dizem que é surpreendente. 

 

     

20190125_104503.jpg

Igreja - Sitio Bom Jesus

20190125_103915.jpg

Entrada do Sitio - Exemplo de cuidados com o lugar

 

 

 

20190125_105350.jpg

Passagem pelo portal 

 

 

Saímos ás 11h00 do dia 25/01, percurso com nível difícil, ao longo do trecho o GPS ficou desnorteado, mostrava o caminho diferente e acusava o erro depois de vários metros percorridos, obviamente que tínhamos que seguir, confesso que o acesso foi muito complicado. Ao longo do trajeto dessa primeira etapa, a região mostra muito riqueza nas plantações de soja que sumiam de vista. 

 

20190125_134015.jpg

Pausa para foto 

 

 

20190125_112854.jpg

Sincronismo dos pássaros 

 

20190125_112908.jpg

Botas na trilha 

 

 

20190125_113854.jpg

Silmênia pulando a cerca 

 

 

 

20190125_121218.jpg

Trekking 

 

 

 

20190125_124145.jpg

Proteção do equipamento na hora do almoço, muita chuva

 

20190125_124932.jpg

Comendo mi

 

20190125_125952.jpg

Bora né

 

Depois de caminhar em média uns 16 km, chegamos na casa da Miriam, onde nos recebeu de forma muito cativante, muita conversa e risos... tomamos aquele café.

 

 

 

20190125_151115.jpg

 

 

20190125_150833.jpg

 

20190125_150812.jpg

Olhem isso, moleque nem gosta de ovos 

 

 

 

20190125_151314.jpg

Delicia de café 

 

20190125_153052-EFFECTS.jpg

Saída da casa da Miriam 

 

 

 

 

20190125_163521.jpg

 

 

 

20190125_163601.jpg

Será que rola uma carona?

 

20190125_164047.jpg

 

 

20190125_173513.jpg

                                                                            

 

20190125_174031.jpg

Vista do Heliporto 

 

 

20190125_174250.jpg

 

20190125_174351.jpg

 

20190125_174507.jpg

 

20190125_183930.jpg

Paredão impressiona 

 

20190125_184700.jpg

Exuberância 

 

20190125_184715.jpg

Trekking

 

20190125_185530.jpg

Sil superando limites - Nota máxima 

 

20190125_185538.jpg

 

20190125_191234.jpg

Cansado? Não apenas impressionado

 

 

O percurso mais uma vez nos surpreendeu, as coordenadas nos levou por um acesso muito arenoso, sem trilha e direção, muito ingrime e perigoso, correndo o risco de sofrer algum tipo de acidente, rasgamos mata adentro e depois de muita dificuldade conseguimos encontrar a estrada que nos levasse a casa do Sr.Geraldo, estava escurecendo e tudo piorava, mas tínhamos que seguir. E assim foi, escureceu, a estrada estava nos levando ao caminho certo e felizmente por volta das 21h00 chegamos na casa do Geraldo. 

 

 

 

 

 

WhatsApp%2BImage%2B2019-01-28%2Bat%2B20.54.50%2B%25282%2529.jpeg

 

 

Logo na chegada fomos recebidos com esse licor..Será?  comemorar a chegada sempre é importante.

 

 

 

WhatsApp%2BImage%2B2019-01-28%2Bat%2B20.54.50.jpeg

 

 

 Jantamos aquela comida caseira feita pela Dona Marlene, sem comentários para essas pessoas, estávamos com muita fome, pois esse trecho exigiu muito de nós. Tudo combinado para o resgate e hora de descansar para o dia seguinte. 

 

 

20190126_082612.jpg

Seu Geraldo - Saída para o segundo dia de trilha 

 

 

20190126_082543.jpg

     Vamos nessa!!

 

 

 

A partida para o segundo dia de trilha foi mais cedo, por volta das 08h30m, muito estradão e por mais uma vez a natureza nos mostra seu valor, logo os papagaios fizeram seu papel.

                                                             

 

 

20190126_105705.jpg

 

20190126_105718.jpg

 

20190126_105731.jpg

Pausa para o lanche 

 

20190126_123051.jpg

Vista para o rio Paranã 

 

20190126_123451.jpg

 

 

Seleções de fotos 

 

 

20190126_125341.jpg

 

20190126_125404.jpg

20190126_125428.jpg

 

20190126_125818.jpg

20190126_131152.jpg

 

20190126_132451.jpg

 

20190126_140306.jpg

 

20190126_142517.jpg

Olhando a paisagem - Muita chuva pela frente 

 

20190126_142807.jpg

Café no bule

 

WhatsApp%2BImage%2B2019-01-28%2Bat%2B22.12.18.jpeg

Desce daí criatura

 

20190126_143102.jpg

Sejam bem vindos 

 

 

20190126_160228.jpg

Pedreira, arquibancada para apreciação do lugar

 

 

 

 

 

 

20190126_160259.jpg

 

20190126_162059.jpg

Serras que se perdem de vista 

 

20190126_162106.jpg

 

20190126_163545.jpg

 

 

 

20190126_164022.jpg

 

20190126_173620.jpg

 

 

 E lá fomos nós, caminhamos bem este dia, a chuva veio com muita força, quase  4 horas de chuva intensa, e a previsão era de continuar por um bom tempo, saímos em uma mata fechada, com muitas bocainas e achamos melhor não continuar, próximo as 18h00 montamos acampamento onde pernoitamos (Hostel Curral fofo), hehe! nome adotado para aquele lugar.

 

 

20190126_173932.jpg

Hostel Curral fofo, assim foi batizado - Acampamento 2° dia 

 

20190127_073414.jpg

Partindo para o trecho final 

 

 

Seleção de fotos  

 

20190127_082729.jpg

 

20190127_083604.jpg

 

20190127_085407.jpg

 

20190127_093635.jpg20190127_093553.jpg

 

 

20190127_100918.jpg

 

20190127_103031.jpg

 

 

20190127_103040.jpg20190127_103933.jpg

 

20190127_103942.jpg

 

20190127_104008.jpg

 

20190127_104023.jpg

 

20190127_104658.jpg

 

20190127_105139.jpg

20190127_105216.jpg

 

20190127_111328.jpg

 

20190127_112727.jpg

Fonte da juventude 

 

20190127_112738.jpg

 

20190127_115903.jpg

 

20190127_120059.jpg

 

 

Subidas e mais subidas, paisagens de tirar o folego, trecho final e nada de chegar na casa do Alex, passamos por entre as bocainas, pequenos rios e a vegetação úmida, assim dificultado nossa caminhada. Enfim conseguimos chegar na tão esperada casa do Alex, hehe. mais uma recepção fantástica, fizemos um lanche, café, peta caseira feita pela sua mãe e pão com mortadela, em meio a conversa Alex nos disse sobre sua trajetória e a escolha do lugar para morar.

 

Em sua propriedade existem três cachoeiras, não deu tempo de visita-las, quem sabe em outra oportunidade. 

 

 

20190127_120743.jpg

 

20190127_131314.jpg

Café na casa desse camarada - Alex 

 

20190127_132031.jpg

Vista da casa do Alex 

 

20190127_135025.jpg

Vai entender 

 

20190127_140027.jpg

Palmeiral 

 

 

Há 5 quilometros de completar o trecho final, fomos na casa da Dona Nilza, outro ponto de apoio, e mais uma vez aquele precioso café e um papo rápido.

 

 

20190127_150305.jpg

Casa da Nilsa e Virgílio - Lugar de ponto de apoio e venda de doces e Requeijão  

 

20190127_151609.jpg

Subida para o morro do chapéu 

 

20190127_153113.jpg

Vista panorâmica na subida do morro tão esperado 

 

20190127_153122.jpg

 

 

Foram em média duas horas de subida, mais é subida mesmo que chega a pensar em desistir.

 

 

20190127_162503.jpg

Zé do facão

 

No caminho encontramos essa figura, que por sua bondade nos ofereceu sua casa para descansar e nos alimentar, já era hora de completar a travessia, não tínhamos mais tempo, até porque  o resgate combinado com Sr.Geraldo estava perto conforme horário combinado. 

Bateu uma tensão, não conseguimos contato com o mesmo, sinal de telefone péssimo, mas por generosidade ele chega para alegria dos caminhantes. Vencemos todas as diversidades. 

 

20190127_164116.jpg

Final da travessia

Em meio há tantos obstáculos, curiosidades, vistas magnificas, a travessia foi concluída com sucesso.  Minha companheira de caminhada, Silmênia José Pereira superou e me encheu de alegria por essa conquista. Parabéns Sil...Essa travessia promete. 

 

 

 

 

Agradecimentos 

 

Tekking Brasilia - Samuel Schwaida

 

Sr. Geraldo (Secretário de Turismo de São João da Aliança - GO) e Marlene Taralico

Luan - Filho Sr.Geraldo

Alex 

Nilza

Sra.Madalena 

Aline Ferreira e Nara Niuma 


 

Respeite a natureza

 

Recolha todo seu lixo. Se possível traga de volta também o de pessoas menos cuidadosas. Não abandone latas, garrafas e plásticos.

Evite cortar lenha para fogueiras. Use só os galhos caídos e apague bem as cinzas. Faça sua fogueira em local descampado e longe da mata e de moitas de capim.

Evite usar sabão em fontes, riachos e lagos.

Monte seu acampamento afastado das nascentes. Escolha um lugar afastado para banheiro e não se esqueça de enterrar seus dejetos.

Leve alimentação adequada. Evite enlatados, leite em caixa, vidros ou bebidas alcóolicas.

Conheça as regras básicas de primeiros socorros e orientação na natureza.

Planeje seu roteiro de viagem e deixe sempre alguém avisado sobre ele.

Frequentadores da natureza têm maior responsabilidade pela preservação ambiental.

Respeite e confraternize com os habitantes dos locais visitados.

Não use fogo dentro ou perto da barraca. Tenha cuidado também com a vegetação.

 

Pratique o bem!!!

 
  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por mmClarissa
      Fiz uma viagem sozinha, por conta própria às Cinque Terre italianas, vilazinhas cravadas no penhasco com vista pro mar. Reuni informações pelo mundo (virtual e dicas italianas) e aqui deixo um relato com informações úteis 
      A viagem foi em abril/2019, e o clima estava perfeito; um pouco friozinho, mas lindos dias de sol. Bastantes turistas por ser a semana da Páscoa, mas ainda assim muito menos que no verão.
      Saí desde Florença, no esquema day-trip, o que foi um pouco cansativo, mas era o que dava.

      A cidade base pra explorar as Cinque Terre é La Spezia, cidade um pouco maior que tem trens de Pisa e Florença, entre outros. Talvez uma opção interessante seria ir pra lá na noite anterior, dormir e começar os passeios cedinho. (Existem hostels a preços bacanas)
      Paguei €13,80 no trem de Florença até La Spezia, que demorou umas 2:30h.
      Comprei o bilhete nos totens da Trenitalia (Estação S.M. Novella em Firenze) mas é possível comprar online também. Acredito que, exceto em alta temporada, não seja necessário comprar com antecedência (comprei no dia anterior).
      Uma dica interessante: você compra o bilhete com o seu origem-destino, e dentro da mesma tarifa, pode pegar qualquer horário. (O meu trecho tinha aproximadamente de hora em hora, desde umas 5 da manhã até pra voltar umas 21 da noite)
      -Só não esquecer de validar o bilhete antes de entrar nos trens!

      Saí de Florença às 6am e pouco e cheguei antes das 9 em La Spezia, justo que as 9h abre o escritório de informações e vendas de Cinque Terre.
      Paguei €16 no Cinque Terre card, que dá direito a fazer as trilhas e andar nos trens entre as Terre durante o dia todo.
      Existem muitos trens entre todas as cidades o tempo todo, e os trechos são bem rápidos (são praticamente viagens de metrô rs)
      O card também dá direito a usar os banheiros e wi-fi de todas as estações de trem das Terre.
      Junto com o card é dado um guia com os horários de trens e mapinha das cidades.
      Existem algumas trilhas entre uma e outra cidade, mas aparentemente elas fecham de vez em quando para reparos etc. Verificar no centro de informações qual é a situação de cada trecho.

      Uma das estações de trem nas terre
       

      Vernazza vista do começo da trilha
      Comecei minha caminhada de Vernazza aproximadamente umas 10h e não vi muito da cidade.
      Quando fui, o único trecho aberto de trilha era entre Monterosso-Vernazza, um caminho subindo e descendo penhasco, que fiz em umas 2:30h os 4,5km.
      É uma trilha com muitos, muitos degraus e trechos estreitos e cheios de pedras, então não é muito simples de andar. Ainda assim, várias velhinhas européias estavam encarando a caminhada com seus walking pole rs.
       Achei chatinho que, por ser muito estreito, vários momentos tem que ficar parando pra dar passagem pras pessoas que vem no caminho contrário.
      As partes com vista bonita são principalmente o começo e o final, então fica a questão se vale a pena o esforço rs.
       

      Vista da trilha, e a cidade de Vernazza ao fundo
      A cidade de Monterosso é a maior delas e com melhor estrutura, com uma prainha, um centrinho com varias lojas e restaurantes etc.
      A propósito, achei bem caro pra comer em todas as Terre.

      Chegada à cidade de Monterosso, vindo da trilha
      Minha Terre favorite foi Manarola; os caminhos são bem fáceis e curtos e a vista é mais bonita. São as fotos mais famosas das Terre.
      Riomaggiore achei um pouco confusa de andar; não consegui achar um caminho específico pra algum mirador. Tem um castelo em cima de alguma viela perdida rs.
      Existe uma trilha muito curta beirando o mar entre Manarola-Riomaggiore, chamada Via Dell'amore, mas estava fechada para reparos quando fui.
      Fico devendo informações sobre Corniglia, que não passei

      Voltei pra Florença umas 18:30h, tive que fazer uma baldeação de trem na cidade de Pisa.
      Em geral, foi um bate-volta bem cansativo, por causa da viagem de trem desde cedinho, e o dia inteiro de sobe-desce montanha, mas valeu a pena conhecer esse lugar tão lindo e diferente.

      Manarola, vista de algum dos vários miradores
      (Mapa retirado da internet; todas as fotos foram feitas com meu celular Galaxy S8 e são #nofilter)

    • Por PedrãodoBrasil
      Expedição Extreme e Serra Fina
       
       
       
       
       
       
      Serra Fina 4 dias    16 a 19 Maio 2019
      Saida de Vitória no dia 15 de Maio e nos Hospedamos no
      Harpia Hostel Pousada Hotel,
      Do Amigo Alessandro (35) 98894-0533  (Hostel e Transfer)
       R. Ângelo Dalessandro - Centro, Passa Quatro – MG
       
      Participantes
      Idealizador da Trip
      https://www.facebook.com/pedraodobrasil  
      27 99805 8885
      Participantes
       
      https://www.facebook.com/bruno.languer.9
      https://www.facebook.com/patrick.martinscastelo
      https://www.facebook.com/rosa.natura.rosa
       
       
       
      1°dia
      16/05/2019
      Início 9 hs
      Fim 16 hs

      -Toca do Lobo, Quartizito e campi amarelo
      -Local do Camping : Capim Amarelo (Acampamento 1)
      *Entre toca do lobo e capim amarelo tem o último ponto de agua do dia a direita no quartizito.
      -Capim Amarelo. 2491mt de altitude.
      Muita subida, escalaminhada, muitas cordas.
      Enfim se vc é nutela não vá .
       
      2°dia
      17/05/2019
      Inicio 08 hs,
      termino 17 hs
      -Capim amarelo
      -Maracanã
      -Cachoeira vermelha
      -Base da pedra da mina (Acampamento 2)
      *Ultimo Ponto de agua do dia na base da Pedra da Mina.
      Chegamos neste ponto estava um bento muito forte e chovendo muito e estava muito frio, resolvemos acampar neste local (Base da Pedra da Mina). Isto por volta das 17:00 hs.
      Os ventos, tempestades e raios se intensificaram.
      Ficamos na barraca por 20:00 hs, pois durante o dia ficou feia a coisa.
      Saímos por volta das 14:00 hs do outro dia, devido tempestades e raios.
       
       
       
      3°dia
      18/05/2019
      Inicio 14:00 h
      Término 18:00 h
      Saímos da base da Pedra da Mina ainda com chuva e ventos fortes, atingimos o topo da Pedra da Mina com seus 2797 Metros de altitude.
       
      Os ventos lá em cima eram muito fortes, além do frio.
      Descemos e atingimos o vale d Rhuá.
      Encontramos uns caras que passaram um perrengue durante a noite.
      Seguimos pelo vale sempre a direita do rio.
      Passar pelo vale do Rhuá e uma coisa única, um belo vale com capins amarelos bem alto e muita lama.
      No final do vale foque sempre o V no final do vale.
      Pegamos agua para o dia seguinte, é importante pegar no mínimo 6 litros de água, pois até o ponto de água seguinte.
      Saímos do vale e dormimos num camping acima. Agora sim fomos agraciados por um por do sol maravilhoso. (Acampamento 3)
       
       
       
      4º dia
      19/05/2019
      Inicio 08:00hs
      Término 18:30 hs.
      Saída do Camping acima do vale do Rhuá e seguimos em frente, hoje porem deu um nascer do sol lindo, indicando que o dia ia ser aberto, pois os dias anteriores não foram de um bom tempo.
      Passamos Pelo Mirante do Vale das Cruzes, Pelo cume do Cupim de Boi, Pico dos três estados 2656 mt altitude, Ombro dos 3 estados, Cume Bandeirante, Alto Dos Ivos, entroncamento com a garganta do Registro, Ponto de água antes do Sitio do Pierre, Sitio do Pierre e Asfalto, onde o resgate nos aguardava.
      Volta ao Hostel, dormimos e fomos embora na segunda feira, finalizando assim a trip, que foi umas das mais HARD que já fiz.
      A Serra Fina para Mim é considerada uma das mais difíceis e pesadas do Brasil.
       
      Use sempre Protetor Labial.
       

      Dicas
      Mesmo fazendo a travessia no final da temporada de montanha, bambus e Capim Elefante são uma constante. Luvas e blusa de manga longa é boa pedida.
      O desespero em saber que a travessia oferece pouca água, não deve ser considerado algo extremo, lembre-se que o corpo necessita de liquidos, não somente água. Eu particularmente, levei sucos prontos, e água de coco e só abasteci a garrafa de água mesmo no terceiro dia. Os dois primeiros só bebia nos pontos de água. Mas isso claro, vai de pessoa para pessoa.
      Quando fizer paradas próximo ao Capim Elefante, a presença dos ratinhos deve ser considerada e não deixe a mochila aberta de forma alguma. Nos cumes, nada de comida fora da barraca e se possivel, longe dos cantos para evitar o cheiro.
      Protetor solar e chapeú que cubra o rosto e pescoço é ótimo, pois o bambuzal deixa muito matinho caindo pelas costas. Bandanas também são muito uteis, principalmente nos cumes para não ficar com o nariz vermelho pelo frio.
       
       
       
       































    • Por RosiSousa
      Vamos lá, decidi descrever minha experiência na Chapada do Veadeiros.
      Primeiramente gostaria de deixar bem claro, a cultura desse lugar é utilizar-se de  C A R O N A para todos os lados então é melhor deixar o medo no despache da companhia aérea e aproveitar a experiência 🌄
      Dia 23/05 Cheguei de BSB para Alto paraíso de carona R$ 55,00 o valor foi porque o motorista foi me buscar no aeroporto, geralmente cobra apenas $35. Consegui o contato da carona pelo um grupo do facebook destinado para tal, o nome Chapada do veadeiros carona solidária. São cerca de 4hr de viagem o carro estava cheio de moradores de Alto o que se tornou mais confiável para mim.
      Tem busão para Alto Paraíso, porém só tem 3 horários e o custo é maior.
      Fiquei no camping Consertamos disco voador diária R$20/ o anfitrião Clayton é muito gente fina, tem boas dicas e história do local, o camping é bem simples mas se o intuito é economizar aqui é o lugar certo.
      Dia 24/05 fui conhecer a cachoeira loquinhas é a mais próxima do camping cerca de 4km, fui a pé e sem guia. No meio do caminho já cansada, acenei e consegui a primeira carona sozinha 😬 foi tranquilo demais, porém não podia me deixar na entrada, e tive que caminhar mais, no trajeto solicitei carona e não tive, no finalzinho um grupo parou e ofereceu. Lição: quem tem menos, é o que mais ajuda. A entrada custa R$ 35,00, o que vale muito a pena, pois dentro é cheio de poços e várias cachoeiras para visitar, além do mais a trilha é tablada o que torna mais agradável. 
      Nesse mesmo dia visitei o espaço GOTA, nossa que energia esse lugar transmite, fui andando é muito pertinho da avenida principal. Não deixe de conhecer a estrutura e o serviço deles.
      Dia 25/05 conheci um amigo no camping e combinamos de visitar aFazenda São Bento, fomos de táxi R$ 20,00 cada, depois percebemos que não havia necessidade, afinal era só acenar na estrada e esperar porque muitos visitava esse destino. Enfim, a entrada para São Bento custa R$ 15,00, dentro dessa fazenda também tem Almécegas I e Almécegas II, o custo da visitação dessas é R$ 25,00.
      Chegamos já as 13hr, então aproveitamos São Bento bem no inicio e partimos para a trilha Almécegas I, perdemos  uma carona na estrada e por ser tarde não encontramos outras, então caminhamos 3km uma trilha íngreme, mas a vista e o banho é sensacional.
      Ao voltar conseguimos carona rapidinho.
      Dia 26/05 fomos para a Cachoeira dos cristais, conseguimos carona e chegamos por volta de 13h. A entrada custa R$ 20,00, é uma trilha cheia de poços e pequenas queda d'água.
      Onde fica localizada o Véu da noiva, muito lindo e rasinho.
      Ao retornar conseguimos carona 😝
      Dia 27/05 decidi descansar, fiquei o dia inteiro no camping, até como forma de economizar! E deu certo.
      Dia 28/05 meu último dia nesse paraíso, fiz um bate e volta para São Jorge onde fica a entrada do Parque. Consegui carona e encontrei o amigo dos passeios anteriores, fizemos o cânion I e cariocas, não houve cobrança para entrar no parque.
      Ficamos o dia inteiro ali, cerca de 11km. Voltei para a estrada e consegui a carona de volta.
      Dia 29/05 Voltei para BSB consegui a carona por R$ 40,00.
       
      Total camping R$ 120,00
      Total entradas R$ 90,00 ( em uma entrada me deram o desconto de R$ 5,00) 😆
      Total carona R$ 95,00
      Total dos três acima R$ 305,00
      E com R$ 45,00 comprei alimentos, frutas e águas.
      Meu consumo geral R$ 350,00 em 7 dias.
      Isso mesmo, só gastei 350,00 por isso não fui nos demais locais. Mas terá uma próxima, aproveite o que a simplicidade tem de melhor, sua essência.
      O   M E L H O R    D A    VIDA    É   D E   G R A Ç A
       
      Sobre as caronas gostaria de agradecer e repassar sobre seus negócios:
      Estevão - Guia de Alto Paraíso, no CAT é possível encontra-lo ( meus passeios não necessitava guia, mas outros que não realizei é obrigatório!)
      Porque indico ele? O cara estava acompanhando um casal nas cariocas, e era aniversário da cliente e ela ama café, ele simplesmente levou todos os utensílios e preparou um café a beira da cachoeira para a cliente.  Ela nunca mais vai esquecer esse ato, nem eu.
      Roberto - gerente e proprietário dos chalés alto da estância, um charme de lugar e o atendimento oferecido por ele é nota 10, pude vê de perto sua preocupação com seus clientes.
       
       
       
       
       
       
       
       

       






    • Por Humbertodown
      Olá pessoal, resolvi criar esse post desde já com intuito de obter muitas informações que possa agregar e me ajudar a começar a me preparar para a primeira travessia de 32 km da Petro - Terê, eu já fiz Pedra do Sino 3 vezes, mas nunca a travessia, estou ansioso, querendo levar o mínimo de peso, mas sabemos sempre que isso é quase impossível, então irei montar a lista dos equipos que provavelmente irei levar já com algumas imagens. Quem quiser deixar dicas eu agradeço. A data da minha travessia será nos dias 06, 07 e 08 de Julho de 2019, alguns amigos que iram comigo farão a travessia em 2 dias (Sábado e Domingo) eu e uma amiga ficaremos até na segunda feira. Ficaremos no Bivaque do Abrigo Açu e no Bivaque do Abrigo 4 (Pedra do Sino) onde já dormi duas vezes no Bivaque e uma no Camping. Ainda preciso comprar uma bota de trilha porque a minha da The North Face esta com o solado gasto, mas acredito que ainda vá dar tempo porque temos alguns meses pela frente, e preciso também de uma calça resistente pra trilha. 
      Vamos a lista de Equipos que já tenho e pretendo levar na mochila e no corpo
      Mochila Trilhas e Rumos 68 litros. 
      Camisetas de Mangas e sem mangas The North Face, Nike, Adidas, Puma todas respiráveis 
      Jaqueta de Plumas de Ganso MacPac Modelo Equinox Alpine Series
      Casaco de Fleece The North Face 
      Saco de dormir Western Mountaineering modelo Versalite -12ºC
      Isolante Térmico EVA Quechua 
      Tripe para máquina fotográfica ou celular e Bastão de Selfie 
      Bastão de Trilha Quechua 
      Lanterna Led de Cabeça 
      Calça Forclaz da Decathlon que vira bermuda
      Bota Quechua da Decatlhon
       
      Ao longo das semanas eu irei postando o que for lembrando e o que a turma recomendar, grato por algum comentário nesse tópico, abraços em todos. 
      No vídeo a seguir esta alguns dos equipamentos pela qual estarei levando para minha travessia.. Jaqueta MACPAC e o saco de dormir WM.
       
       
       
       


       

       



    • Por Da Silva Junior
      Ferrotrekking de Viana x Marechal Floriano com os amigos.
      dia 29 de Janeiro fiz um Ferrotrekking de Viana a Marechal Floriano passando por Domingos Martins, e contemplamos dois Tuneis e oito Pontilhões. show demais a galera curtiu e muito.
      Abaixo partida as oito da manhã da Pracinha de Viana. 




      Vista da Igreja da Conceição Centro de Viana Sede. 


      Chegamos no Pontilhão do Bairro Santo Agostinho. 

      olha a turma começo de trilha

      entrando no Pontilhão.

      Sentido Domingos Martins Zona Rural de Viana. 



      pausa de 20 minutos Lucas Lima cansou rápido olha que tiamos andado apenas 6 km 

      Vale das Águias, de onde você observa muito elas. 





      Olha a Paisagem Show 














      Depois dessa Curva chegaríamos a Bica de água Mineral a verdadeira água direto da pedra. 




      Eliane e Sr Sergio curtindo a caminhada

      Olha a Bica Aí 

      Bica da Linha

      Pivetta encheu o copo kkkk 



      Saindo do Segundo Pontilhão nesse lado estávamos em Domingos Martins

      olha a altura da criança.

      Pivetta Atravessando o Segundo Pontilhão sobre o Rio Jucu Braço Sul 

      Bora 


      Juliano show e Pivetta lá atras 






      1 KM para chegar no terceiro Pontilhão 



      Vista do Terceiro Pontilhão 


      Terceiro Pontilhão sobre o Rio Jucu braço sul 800 mts para o primeiro Túnel 


      Terceiro Pontilhão no trecho 






      tmjsss quarto pontilhão do Túnel de Pedra dos Ventos chegando 

      Túnel de Pedra dos Ventos com o quarto Pontihão. 

      Aquela foto na entrada do Túnel 





      Dentro do Túnel


      Juliano o cara 





      Saindo do Primeiro Túnel

      Bambuzal de Pedra dos Ventos 



      Escola de Pedra dos Ventos 

      Chegada na antiga parada Ferroviária de Pedra dos Ventos. 

      Olha lá atras da Eliane antiga plataforma de embarque de Pedra dos Ventos em Domingos Martins. 



      AQUELA FOTO E VAMOS QUE ESTÁVAMOS CHEGANDO NO MEIO DO TRECHO

      Ponte do Jucu. 

      Estação Ferroviária do Jucu só Ruínas. 

      Olha o que sobrou apenas a plataforma e a fundação. 

      meio do caminho completados partiu rumo a Germânia. 





      Pausa de uma hora na Estação do Jucu. 


      a Turma.
       

      Segundo Túnel entrada dele. 
       



      depois do Túnel 650 mts quinto pontilhão do Trecho. depois dessa curva aí. 


      Olha ele aí quinto Pontilhão sobre o Rio Jucu Braço Sul. 



      Farra. 

      Pausa para aquela foto. 

       

      Começa da atravessia 

      Formações.




      Chegada na Estação de Germânia Vale da Estação Domingos Martins.  

      Cansados nada bora partiu mais 6km em uma hora. 

      Estação DE Germânia ainda bem conservada. 

      Pontilhão  lado Marechal quase chegando. 








      Chegada em Marechal Floriano. 

      os Guerreiros que chegaram o resto não quis tirar foto tavão mortos. kkkkk

      Show demais ter feito isso nosso amigo Pivetta completou os 31 km conseguimos traze lo para essa aventura foi demais. deixo meu numero para vocês puderem me mandar msg seja no zap ou me ligar já fiz de Argolas até vargem alta e pretendo fazer até a divisa.
      interessados me chame. 27 996973825 aguardo abraço a todos. 





×
×
  • Criar Novo...