Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Respostas 1,7k
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

Atua Atualmente não sei os preços em Los Roques, mas tenha em mente que vc não terá nenhuma vantagem cambial. O destino já está mais caro que muitos lugares do Caribe, devido às dificuldade de

Oi pessoal, gostaria de retribuir a ajuda que tive aqui e relatar minha viagem a Los Roques em janeiro/18. Fomos em familia, casal e dois filhos de 22 e 17 anos, e ficamos 9 dias completos em Los

Queria ir com algo programado, mas estou vendo que o melhor mesmo é ir livre e decidir tudo por lá!   Valeu pessoal! Se não fosse vocês aqui nem saberia da existência de Los Roques!

Posted Images

  • Membros

Oi Renatossama, como o Gigante Filipe falou (encontramos esse cara lá, gente finíssima - roots total) a Chapi ainda voa de Maiquetia sim.

 

Fomos em um vôo de 14 pessoas saindo de Maiquetia (o mesmo lugar do aeroporto internacional). Ele saiu as 15h30 do Domingo, dia 16.03.2014.

 

Eu cheguei a perguntar para a menina do guichê da chapi se realmente não sairiam mais vôos de Maiquetia, apenas de Higuerote, e ela foi bem clara dizendo que não, ambos os locais ainda terão vôos para Los Roques, porém a maioria deles deveria começar a sair de higuerote por conta do tamanho das aeronaves.

 

Abs,

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Oi Tamara, a negociação com o Jesus foi toda por e-mail, chorei bastante... Paguei a ele somente em Los Roques, em grana. Foi tudo na base da confiança mesmo. Ele comprou as passagens pela Aerotuy e nos mandou os bilhetes por e-mail (sem termos pago nada). Só encontramos ele em Los Roques, ele foi nos receber na pista do "aeroporto", depois um cara da pousada veio buscar as malas e levou até a pousada.

 

Los Roques estava aparentemente tranquila (não sei como fica em feriados e tal). Não tinha nenhum lugar abarrotado de gente mas também não parecia ter muitos quartos disponíveis. Tem uma rotatividade grande nas pousadas mas os restaurantes/pousadas sempre tinham lugar para sentar. De manhã, durante a semana,na hora de pegarmos o barco devia ter uns 150 turistas (no máximo).

 

Um abraço e boa sorte!

 

Didio

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Pessoal,

Estou indo para LR no dia 6 de maio, e ainda nao consegui comprar o trecho interno, por conta dessa mudança dos voos. A pousada está tbm com dificuldades de conseguir o trecho, mas tem a possibilidade de ir por Higuerote.

Minha dúvida. Chego em Caracas as 20h, será que consigo ir para Higuerote a noite, dormir lá e pegar o voo logo cedo??

Qual é o valor em média do taxi, e como consegui-lo??

Obrigada!!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Pessoal,

Estou indo para LR no dia 6 de maio, e ainda nao consegui comprar o trecho interno, por conta dessa mudança dos voos. A pousada está tbm com dificuldades de conseguir o trecho, mas tem a possibilidade de ir por Higuerote.

Minha dúvida. Chego em Caracas as 20h, será que consigo ir para Higuerote a noite, dormir lá e pegar o voo logo cedo??

Qual é o valor em média do taxi, e como consegui-lo??

Obrigada!!

 

 

Laucariola, assim como havia te respondido em MP.

Acho arriscado ir a noite para Higuerote, tendo em vista todo o momento político do país. Pois fica a 150km de Caracas.

Eu dormiria em Caracas/Maiquetia e iria pela manhã cedo, o risco é menor. Além disso... como te instruí, você pode tentar comprar os bilhetes com outra cia aérea que não seja ChapiAir ou AeroTuy. Elas saem do aeroporto auxiliar que fica ao lado do Maiquetia.

 

Estou indo a Los Roques depois de amanhã, chego amanhã em Caracas. Comprei meu bilhete com o Jesus Contreras e a negociação é simples, pagamento integral feito apenas na chegada a Los Roques.

 

Quando voltar(Final do mês) eu faço um relato bacana sobre o arquipélago.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Pessoal, segue o nosso diário de viagem a Los Roques e Isla Margarita.

Dúvidas, entrem em contato através do e-mail [email protected].

 

02/11/2013 - Saímos de Porto Alegre às 6:30 com destino à Guarulhos, pela Gol. Nosso vôo para Caracas, pela TAM, era as 14:55, porém foi trocado para às 16:30. Ficamos bastante tempo no aeroporto esperando. No aeroporto de Guarulhos fizemos um lanche na chegada e almoçamos. O tempo de ócio rendeu leituras de livros e a descoberta que o aeroporto é do Gru, no Meu Malvado Favorito e que há Minions trabalhando (eles que cuidam das nossas bagagens).

O vôo para Caracas foi tranquilo, tirando nossas confusões com o fuso (menos 2:30 - horário de verão no Brasil).

A chegada no aeroporto foi tensa: conhecemos um brasileiro que mora em Caracas no vôo e ele no assustou mais ainda quanto à insegurança do país. Não achamos de início o pessoal do hotel Catimar, algumas pessoas nos abordaram perguntando se queríamos informações (câmbio negro). Após muito nervosismo, sem sinal de celular e sem a moeda local, o funcionário do hotel nos encontrou. Conversamos bastante com um cambista, Angel (Maguila) que é conhecido pelo pessoal do Catimar. Perguntaram o quanto tínhamos visto a cotação e dissemos 1:38, e ficou acordado este valor, entretanto pensamos que poderíamos ter conseguido cotação melhor, estávamos muito inseguros. Por fim, fizemos o câmbio no quarto do hotel onde contamos o dinheiro todo com calma e passamos os dólares ao cambista, Jesus, também conhecido pelo Catimar. Queriam que fizéssemos o câmbio dentro da van, mas recusamos. Como ficamos aguardando muito tempo no aeroporto o rapaz do Catimar nos deu duas garrafas de Gatorade, desconfiados e não tomamos.

Sobre o hotel, é bem simples, em uma zona que dá medo, tem uma festa perto e se houve a música ao longe, com wifi, ar, e banheiro com cheiro muito desagradável de xixi. O custo benefício vale a pena, mas esteja preparado. Estávamos tão cansados e tensos que nem comemos, só compramos duas Pepsis. Tomamos banho e dormimos para esperar o vôo para Los Roques.

 

03/11/2013 - Acordamos às 06:00 para pegarmos o transfer do hotel para o aeroporto às 07:00. Em se tratando de aeroporto, desta vez o nacional, ficamos bem atentos. Despachamos a mala pela Chapi Air e comemos empanadas (risólis). Pagamos excesso de bagagem (Bsf. 25,00 por quilo a mais do que 10) mais taxas aeroportuárias (Bsf. 54,00 por pessoa). Às 09:00 embarcamos na pequena grande companhia aérea, teco-teco da Chapi Air com oito lugares mais pilotos, existe um outro avião deles um pouco maior. Achávamos que seria muito pior pelo o que havíamos lido, o vôo transcorreu de modo tranquilo e depois de trinta dos quarenta minutos de duração começamos a ver as ilhotas e as águas azuis do Caribe. O pouso foi o momento mais tenso, achamos que o avião não acertaria a pista e sim a água, mas estamos aqui contando este relato.

Não havíamos reservado pousada, perambulamos pelas ruas de Gran Roque em busca de acomodações. Nas ruas de areia e embaixo do sol forte, nossa mala se tornou 20 vezes mais pesada. Após pesquisa em vários locais, acabamos na pousada La Corsaria. Gastamos menos do que se tivéssemos reservado tudo do Brasil em função do cambio negro, é importante ressaltar que novembro é baixa temporada e apenas por isso conseguimos acomodação, algumas pousadas estavam lotadas.

Na La Corsaria fomos recebidos pelo Fábio, dono da Venebrasil, muito atencioso e acolhedor. Sem perder tempo, fomos para Fransisquí, onde conseguimos finalmente relaxar e curtir: colocamos as cadeiras dentro d'água, comemos no restaurante da ilhota e tomamos cervejas beeem geladas, mais do que merecidas!!! Não levamos a cava da pousada, pois já era tarde.

Antes de irmos para a ilhota, alugamos o snorkel e lá em Fransisquí mergulhamos em uma piscina natural que fica atrás da praia. Iniciantes na prática, nos encantamos com os peixes que vimos. Às 17:00 (horário que o sol começa a dar tchau) retornamos para Gran Roque e na pousada havia suco e lanche a nossa espera. Descansamos e aproveitamos um farto e saboroso jantar (dois pratos de entrada, um principal e sobremesa, regado a um bom vinho tinto).

 

04/11/2013 - Acordei o Juliano no maior susto: tive um pesadelo e comecei a chorar desesperada!!!! Começamos o dia bem... Depois do susto, fomos tomar café, que começa a ser servido as 8:30. Comemos arepas, que é uma massinha, com uma farinha mais grossa, que lembra tapioca. O café da manha, como tudo que é servido na pousada, é muito farto. Uma dica, não deixem de comer granola com iogurte e o mel que tem na pousada, delicia! As 9:30 saímos com Iuben, menino da pousada, em direção a praia. Alugamos snorkel e fomos a Noronsquí e Crasquí. Na primeira, ficais apenas 40 minutos, nos quais fizemos snorkel e vimos peixes um pouco maiores que no dia anterior. Esta ilha é famosa pelas tartarugas, porém o barqueiro que nos levou disse que na chegada da primeira lancha, todas são espantadas. Na segunda ilha, Crasquí, passamos o restante do dia, é uma ilha extensa, mais habitada e com algumas construções. Vimos lixo em alguns pontos. Fizemos uma caminhada, tiramos fotos lindas e depois tomamos banho de mar.

Antes de aproveitar nossa cava (cerveja, suco, refri, água, melancia, sanduíche e biscoitos) fomos um local indicado para snorkel, com corais. Percorremos um caminho demarcado por conchas, que são abundantes nessa ilha, e chegamos no local de mergulho. Vimos muitos peixes que já havíamos visto. Em meio a uma foto e outra, senti uma coisa na minha perna: fui queimada por um coral. Fiquei desesperada, senti muita dor e ardência. Com calma, conseguimos sair do mar e retornar no local que estava nossa cava. Lá, fiquei colocando gelo enquanto o Juliano foi no restaurante próximo buscar vinagre. Haviam comentado que xixi também seria bom para amenizar a ardência e sem duvida ajudou!!! Depois da tragédia do dia aproveitamos nossa cava e o resto da tarde em Crasquí.

Retornamos para Gran Roque, tomamos banho e descansamos. Fizemos amizades com dois casais de brasileiros e um de argentinos que nos deram muitas dicas. Jantamos todos juntos, bebemos, comemoramos com os aniversariantes (um deles Túlio, funcionário da pousada). A janta, como no dia anterior, foi maravilhosa! As risadas foram até tarde e fomos carregar as baterias para mais um dia no paraíso.

 

05/11/2013 - Acordamos bem cedinho e saímos para comprar sapatilhas de neoprene. Vale muito a pena, pensando que vc ficará mais seguro ao pisar em qualquer coisa no mar. Retornamos, tomamos café da manhã, com panquecas deliciosas! O passeio do dia foi: Cayo D'água, Dos Mosquises e Espenquí. O primeiro nos anestesiou, sem palavras para descrever o quão linda é a ilha! O azul/verde do mar é singular. Aquela passarela clássica das fotos que vemos na internet não aparece tanto, apenas de maio a agosto que é bem visível. Mesmo assim capturamos imagens lindas, fazer uma panorâmica (360 graus) é incrível. Tem uma área para snorkel, com uma vasta variedade de peixes, porém não aproveitamos muito por estarmos inseguros pelos acontecimentos do dia anterior. Em suma, Cayo d'Água é espetacular.

A segunda ilha, Dos Mosquises, é o local onde se desenvolve um programa de proteção às tartarugas marinhas, após uma pequena taxa de 10 Bsf. tivemos uma breve explicação sobre as espécies e as vimos em tanques. Tiramos muitas fotos de tartarugas de todos os tamanhos. Nesta ilha também tiramos fotos com estrelas do mar na praia.

Na última ilha do passeio, Espenquí, ficamos por vinte minutos apenas para tomar um banho, uma ilha bonita, mas sem nenhum atrativo a mais.

Retornamos para Gran Roque e assistimos um belíssimo pôr do sol em frente à simpática igrejinha da ilha. Voltamos para a pousada e no meio do nosso banho, cadê a água??? Depois de alguns copos de água da torneira, nos preparamos para mais um banquete.

 

06/11/2013 - Acordamos, tomamos café e fomos alugar snorkel. Em seguida, fomos com nossos amigos argentinos e brasileiros a Boca de Cote. A viagem de barco é longa, mas o azul magnífico na chegada compensa. Boca de Cote não tem praia, é apenas uma área para mergulho (snorkel). Como eu, Carol, não sei nadar, fiz snorkel com colete. Foi incrível! O grupo ficou junto e pode desfrutar de uma variedade imensa de peixes coloridos, corais e algas.

Após o mergulho, fomos até El Palafitos, que é uma casa de pescadores construída no meio do mar, para facilitar a pesca e se abrigarem de tempestades.

Após, seguimos até Isla Augustín, onde nosso amigo argentino já havia reservado um almoço muito especial: botuto (caracol marinho), ostras, peixe e lagosta. O almoço foi incrível e ao mesmo tempo engraçado: quando fui comer ostra, me disseram para por muito limão; quando fiz, uma parte dela se mexeu e eu gritei: "Ela se mexeu!!!!" então me disseram que se comia a bicha viva, mas vamos lá!!!!

Essa ilha é incrível para um bom banho de mar. Os peixes ficam ao nosso redor, inclusive peixes grandes.

No final da tarde retornarmos para Gran Roque, chegamos um pouco tarde em decorrência de problemas com o barco. Após finalizamos nosso dia como os demais.

 

07/11/2013 - Acordamos e não havia luz na pousada (acontece com alguma frequência). Tomamos café da manhã e partimos para um passeio mais tranquilo, pois estávamos cansados do dia anterior. O tempo estava nublado e ventoso. Fomos à Carenero, uma ilha belíssima! Havia pouco espaço para colocarmos nosso guarda-sol e cadeiras, a maré estava alta e o mar agitado. Não entramos muito na água. Caminhamos bastante na ilha, tiramos fotos fantásticas: um pescador havia pego peixes leão, uma espécie venenosa quando viva, mas ótima para comer; caminhamos em direção a alguma pedras, um local lindo; há tbm um micro cemitério nesta ilha.

Em função do mar agitado, não conseguimos visitar Sarquí, ilha ao lado de Espenquí.

Retornamos e na pousada conhecemos uma casal de gaúchos. Conversamos bastante, comemos o habitual e saímos para tomar uns drinks na Posada Galápagos, que fica na ruela de trás da La Corsaria.

 

08/11/2013 - Acordamos animados para o passeio que havíamos programado para o dia: Boca de Sebastopol. Porém, como não havia mais gente para fechar um barco (mínimo 6 pax.) acabamos indo para Fransisquí/Madrisquí. Começamos com Fransisquí, mesma ilha que fomos no primeiro dia. Fizemos snorkel na piscina natural novamente, onde conseguimos capturar algumas fotos lindas. Aproveitamos na ilha até as 13:00. Trocamos para Madrisquí, ilha com uma pousada, mais agitada, com algumas pessoas morando por ali. Caminhamos por toda a ilha e tiramos muitas fotos!

Retornamos para a pousada e seguimos a rotina. No final da noite fomos até a pousada Aquarena com a gauchada para tomar uns drinks.

 

09/11/2013 - Conseguimos fechar um grupo para Sebastopol. Nosso ultimo dia de praia em Los Roques precisava ser fechado com chave de ouro: visitamos a Boca dos Bobos (região com mangue e muitos pássaros – los bobos); vimos estrelas do mar; fomos até Boca de Sebastopol, onde fizemos snorkel e vimos peixes incríveis. Ali ficamos um tempo em um banco de areia aproveitando a vida dura; depois fomos próximos a uma região onde há um barco encalhado. O local é ótimo para snorkel, mas eu (Carol), não desci, pois o mar estava muito agitado. Não chegamos perto do barco pq é muito raso. Para finalizar o passeio passamos em Cayo Sardiña (banco de areia que possibilita fotos lindas) e Bajo Fabián (banco de areia onde todos os lados que tu olhar verás água; fica pertinho de Los Roques).

Retornamos e encaramos um passeio ao topo do morro do farol em Gran Roque, curtimos um pôr do sol lindíssimo e tiramos muitas fotos. Como sempre o jantar estava incrível, mas foi difícil pensar que no dia seguinte não teríamos aquele mimo e atenção toda da galera da La Corsaria, principalmente do Túlio (chefe), Kevin e Iuben. Neste dia, trocamos um pouco mais de dólares para termos o suficiente para Margarita, o câmbio foi acertado em 1:48 com o próprio Kevin. Dica: ao chegar na Venezuela troque uns 50 dólares no aeroporto de Caracas e o restante faça em Los Roques, pois é muito mais seguro e a cotação é boa. Na farmácia de Los Roques, que fica perto da praça, dá para fazer câmbio ou então, se vc ficar na La Corsaria, o Kevin consegue um cara que faz.

 

10/11/2013 - Era já o dia de partir de Los Roques, como não haveria tempo para irmos à praia, agendamos uma massagem com o italiano Marcelo, a qual foi maravilhosa: a maca de massagem ficou com poças de baba. Recolhemos nossas tralhas e nos despedimos do querido pessoal da La Corsaria, acertamos também o pagamento de nossos passeios. Ao meio dia, voamos para Caracas, o vôo teve alguma turbulência, ficamos tensos naquele aviãozinho da Chapi Air, mas chegamos são e salvos. No aeroporto almoçamos em uma pizzaria e aguardamos o vôo para Margarita. Em um vôo tranquilo, depois de meia hora, estávamos em Porlamar, onde com muita dificuldade conseguimos alugar um carro, pois temos menos de 25 anos, que é a idade mínima... Já tinha escurecido quando saímos em busca da pousada Stevie Wonderland, em El Yaque. Após alguma tensão e seguindo as dicas que tínhamos do Stevie a achamos. Ele nos recebeu com muita alegria e energia! Nos acomodamos e saímos para dar uma volta por El Yaque e achamos um bar/festa na beira da praia, onde jantamos, tomamos drinks e cervejas e curtimos a música. Exaustos, voltamos a pousada para descansar.

 

11/11/2013 – Acordamos cedinho e podemos ver melhor a Pousada do Stevie: é uma big mansão, com um mega jardim, onde o Stevie aluga quartos. Digo isso pq passa uma sensação muito boa, de estar em casa, não tem aqueleee ar de pousada. O café da manhã era muito gostoso, tudo quentinho e as frutas super saborosas. Pegamos nosso coche e com ajuda da Maria (nosso GPS) fomos até o shopping Sambil para darmos uma olhada nos preços das coisas. É difícil se acostumar a pensar em bolívares, então tudo o que víamos ou pagávamos convertíamos para ter noção do que estávamos pagando. As coisas sempre saiam absurdamente baratas. Apenas olhamos as lojas no Sambil e de lá partimos para Playa El Agua, no norte da ilha. Em Margarita, tudo é muito longe. Para ir até Playa El Agua percorremos cerca de 50km. Ao chegarmos lá esperamos ver águas mais bonitas, mas de qualquer forma a praia é bem bacana. Podemos compará-la com Santa Catarina. Almoçamos por lá, na beira da praia e depois fomos descendo pelas outras praias: Parguito (praia lindíssima para tirar umas fotos no paredão), Playa El Tirano (não descemos, pois não tinha nada demais). Ao chegarmos de volta em El Yaque, compramos pão e frios e acabamos fazendo um sanduíche na própria pousada. Estávamos cansados e tensos da nova experiência de dirigir na Venezuela (os motoristas não usam pisca, cortam a frente de todo mundo e correm muito!!).

 

12/11/2013 – Acordamos cedinho e após algumas dicas do Stevie planejamos nosso dia da seguinte forma: nadar com os golfinhos e fazer compras. Fomos até ao Diverland para fazer o nado com os golfinhos e percebemos que o local não tem organização nenhuma para receber turistas, pois eles não são nenhum um pouco receptivos e simpáticos. Nos encaminharam ao Waterland e lá aguardamos até iniciarem as atrações. Assistimos um show com lobos marinhos e tiramos uma foto com eles! São muito queridos. Depois fomos nos arrumar para nadar: não se pode entrar na piscina com nenhum adorno, para evitar de machucar os queridos. Colocamos um colete super confortável e recebemos instruções de como agir com os golfinhos. Entramos na piscina, que tem 7m de profundidade, e aproveitamos os momentos incríveis com os golfinhos. No final compramos um CD e um DVD com a filmagem e as fotos tiradas pelo pessoal do parque (não deixem de comprar).

Saímos do parque e fomos as compras: fomos do Shopping Costa Azul e no Sambil, onde fizemos compramos a maioria das coisas. Tudo vale muito a pena. Jantamos no shopping e retornamos para descansar.

 

13/11/2013 – O dia foi de muita estrada e lugares incríveis. Seguimos as dicas do Stevie e fizemos o seguinte tour: Parque La Restinga, Museo Mariño, Playa de Punta Arenas, Playa La Pared, Playa El Yaque. O Parque La Restinga é um parque com mangues, banhados por uma laguna (água salgada). Fizemos o passeio com um barqueiro que nos levou a diversos canais do parque; cada um tinha um nome, Canal Del Beso, Tunel El Deseo... Vimos estrelas do mar (aquelas fininhas), pelicanos, caranguejos... depois de vermos a distinta e bonita paisagem, o barqueiro nos deixou em uma praia, que inicia logo que acaba a Laguna. A praia não tem areia, só mini conchas no chão. É muito bonita. Tem alguns restaurantes e todos que estão por ali ficam empurrando coisas para comermos ou comprar. Vimos algumas bijuterias em pérolas, lindas, mas não compramos nada. O barqueiro nos pegou novamente, retornamos e seguimos em direção ao Museo Mariño. Não é o tipo de museu teórico e monótono. Por mais que ninguém explique nada, achamos ele interativo e super interessante. Há exemplares de seres vivos encontrados em todas as partes do mundo. Vimos também tartarugas marinhas, estrelinhas do mar, ouriços do mar e tubarões pequenos, todos vimos em um tanque. Saímos do museu e fomos em direção a Playa de Punta Arenas. Andamos muito até chegar lá. Estávamos mortos de fome, chegamos na praia e almoçamos lá. A praia é bem escondida, mas bem bonita. A paisagem na estrada lembra muito o GTA, por toda ilha temos cactus e uma paisagem desértica. Saímos de Punta Arenas e saímos em busca da Playa La Pared. Passamos por ela e não percebemos. Demos volta e achamos a praia, que tem um paredão tri bonito. Retornamos em direção a El Yaque e conhecemos a praia durante o dia, pois só havíamos ido lá a noite. Lá assistimos um espetacular pôr do sol. A praia é linda e vemos muitos praticantes de kitesurf. Retornamos para a pousada, nos arrumamos e fomos jantar no restaurante Casa Caranta, recomendado pelo Stevie. As expectativas eram grandes, o cardápio é "ambulante": as garçonetes apresentam um quadro com as opções que a casa serve no dia. Comemos um filé com molho de queijo. A apresentação era ótima, porém a carne estava totalmente crua por dentro. Comemos tbm uma massa com molho funghi e camarão. A combinação não fechou, mas estava ok... De sobremesa, pedimos uma torta de chocolate... era na verdade um bolo seco com cobertura... nada demais. Retornamos para a pousada e descansamos.

 

14/11/2013 – Acordamos cedinho e fomos para Isla de Coche: pegamos uma lancha para passar o dia lá. Fechamos o passeio em um lugar próximo a pousada. Lá aproveitamos o dia no sol, com muita cerveja! A ilha é muito conhecida pelas pérolas, compramos lembranças lindas. Almoçamos em um super resort, com um Buffet maravilhoso. Retornamos da ilha por volta de 15:00 e fomos ao shopping fazer mais compras. Jantamos por lá, retornamos para o hotel e arrumamos as malas.

 

15/11/2013 – Acordamos cedinho, organizamos o restante das coisas e fomos ao shopping torrar nossos últimos bolívares (não teria como trocar para dólares e o dinheiro deles não vale nada). Almoçamos no Hard rock Café, no Shopping Sambil. Super recomendamos, muito bom!!!!

Fomos em direção ao aeroporto, devolvemos nosso coche lindo e aguardamos nosso voo. Nossa companhia aérea era a Estelar. O voo atrasou 40 minutos e a companhia não tinha balcão de informações na área de embarque. Ao chegarmos no aeroporto de Caracas (aleluia), pegamos as malas e fomos correndo (literalmente) para o aeroporto internacional. Dá pra ir por dentro do nacional, só pedir informações. Depois de muita procura, achamos o balcão da TAM, que é junto com o da LAN. Ao chegarmos fomos informados por outros passageiros que não poderíamos fazer check-in e embarcar, pois o avião estava com excesso de peso. Depois de muita reclamação e poucas informações por parte da TAM fizemos o Check-in, nos encaminhamos para o embarque. O voo de volta, quando compramos as passagens era 00:10 do dia 16/11, mas assim como a ida, tbm foi trocado para às 21:10 do dia 15/11. Com um pouco de atraso, embarcamos rumo ao Brasil.

 

16/11/2013 – Chegamos em Guarulhos por volta de 7:00, passamos na alfândega e por sorte não nos pararam. Nosso voo de volta para Porto Alegre, pela Gol era às 16:35. Diferente da TAM fomos muito bem atendidos na Gol e conseguimos antecipar o voo. Chegamos em Porto Alegre por volta de 14:00.

 

 

Algumas dicas:

-Levem poucas roupas!!! Enchi a mala e não usei metade. Em Los Roques só usei havaiana, rasteirinha nem pensar!! Muita saída de praia, biquíni, chapéu, protetor solar (levamos dois daqui e secamos os dois, levem daqui, não vale a pena comprar lá, as marcas são muito vagabundas);

-Ao chegar na Venezuela troque uns 50 dólares no aeroporto de Caracas e o restante faça em Los Roques, pois é muito mais seguro e a cotação é boa. Na farmácia de Los Roques, que fica perto da praça, dá para fazer câmbio ou então, se vc ficar na La Corsaria, o Kevin consegue um cara que faz;

-Bem sinceramente, se o objetivo é conhecer Margarita e Los Roques, vá primeiro a Margarita, pq depois de Los Roques tudo se torna feio kkkkkk Margarita não é lugar mais bonito do mundo, vale mais a pena ir a Santa Catarina, pensando no quesito praia, a não ser que o objetivo seja de fazer compras, aí sim!!! Com o câmbio paralelo as coisas ficam absurdamente baratas: Camisas da Tommy a R$100,00, Bolsas, Sapatos... Não vale a pena comprar eletrônicos lá. As roupas são baratíssimas.

 

 

 

Carol vc saberia me dizer quanto pagou na diária no La Corsaria? Você pegou pensão completa? Estou indo pra Los Roques no meio de maio e achei muito caro o preço que o Fabio me passou por email da diária ai queria saber se deixando pra reservar la ocnsigo negociar

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Voltei de Los Roques dia 10/4. Lugar paradisíaco! Estive em Isla Margarita e não acho que valha muito a pena. So vale pelos Resorts que são bons.

 

1º: a Venezuela não está assim tão perigosa como dizem. Nao falo de caracas, mas é so nao dar bandeira. Qualquer turista é alvo.

2º: Nao perca tempo com Caracas, e cidades vizinhas. Nao tem nada pra ver, escutar etc. Se possível va direto a Los Roques

3º: Se for em feriado, compre sua passagem com antecedencia e reserve a pousada. Tem limite de visitantes e a ilha vive cheia de turistas o ano todo.

4º: Los Roques é muito bonita, mas não recomendo para levar crianças ou velhos. Acho que não será muito proveitoso para eles.

5º Não existe uma ilha mais bonita que outra. Todas(!) são lindas. Cada uma tem sua "boniteza" e cada um se apaixona por uma coisa diferente do que o outro. So conhecendo pra poder dizer.

6º Faça snorkeling ou mergulho com cilindro. A agua é absurdamente transparente e com uma variadade/quantidade de peixes que eu ja mais vi. Snorkeling é mais rapido nao requer um treinamento qgrande e é muito barato. Mergulho requer mais dinheiro/tempo/preparo.

7º As pousadas não tem muito luxo e aparenemtente não são muito diferentes umas das outras. Nas pousadas que estive so tinha banho frio (quente pelo calor do sol). Mas todas tinham ar condicionado.

Todos se conhecem por lá e axei ultra seguro. Se você for roubado ou algo sumiu, acredite, foi outro turista que te roubou.

 

Se você for a Venezuela, vá a Los Roques!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Galera!

 

Eu e um amigo vamos para a Venezuela 15.05 e ficaremos até 25.05. Ficaremos em Caracas até 16.05 (basicamente um dia, para conhecer a cidade) e 17.05 cedo iremos para Los Roques. Grato pelos depoimentos, sobretudo de Didio, que foram bastante esclarecedores sobre algumas coisas. Ainda não fechei hotel para os dois pernoites em Caracas, mas pretendo ficar em Altamira.

 

Por favor Fábio Fisher, sobre táxi de Maiquetía até Caracas, pegamos dentro do Aeroporto mesmo?

 

Pretendo retornar de Los Roques dia 20.05, quando vamos para Isla Margarida e lá ficaremos até 25.05.

 

Como ficaremos três dias em Los Roques apenas, por favor, quais passeios não poderemos perder? Não somos mergulhadores, queremos mais conhecer o Arquipélago e talvez fazer um mergulho, o mais legal!

 

Aguardo retorno!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Olá, Janio

Os taxis ficam na frente do aeroporto, mas preste atenção em pegar somente os taxis oficiais. Eles têm uma carteirinha que podem te apresentar em caso de dúvida. Pagamos 700 bolívares do aeroporto até Altamira (ficamos no hotel Altamira).

Quanto a Los Roques, três dias são muito pouco!!!!! Tente inverter: passar os 5 em Los Roques e 3 em Margarida.

Quanto aos passeios em Los Roques, já que vc tem tão pouco tempo, não perca tempo nas ilhas mais próximas (madrisquí e francisquí). Vá para as mais longe que são as MAIS LINDAS. Amamos Cayo de Água e Boca de Côte (onde se pode fazer um snorkeling MARAVILHOSO)!!!!!!

 

Se quiser, olhe no meu blog a postagem de Caracas (tem muitos de talhes e fotos) e a postagem de Los Roques (tem PASSO A PASSO, preços, fotos, etc.)

Estou à disposição para qualquer dúvida. Tanto aqui nos mochileiros, quanto lá no blog!!!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Silnei changed the title to Los Roques

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por thaltia de lima gomes
      Quando comecei a pesquisar los roques tinha pouquinhas informações sobre. Era um sonho antigo. Entrei num grupo de whats específico de los roques e mesmo lá tínhamos poucas informações.  
      Fui em agosto 2018, em crise vigente. Foi uma viagem maravilhosa. Resolvi postar meu relato pela dificuldade de encontrar informações. 
      Parte I Vôo manaus-maquetia - mais seguro que terra/ estadia maquetia e segurança do Miguel: 
      Los roques
      Voo Manaus para maquetia empresa avior 1050 reais por pessoa em media (quanto antes comprar melhor). Voos em dias específicos. Comprei com Bruno (69) 99249-6756‬ (para não precisar apresentar o cartão de crédito um dia antes na companhia aérea em Manaus. Requisito da avior). Parcelei em 10x em qualquer cartão. 
      Tem voos de copa também do Brasil para maquetia, mas é mais caro e tem escala no Panamá. ✈️Vôo Manaus/Caracas saída às 08:00/chegada às 10:45.
      ✈️Vôo Caracas/Manaus saída às 17:00/chegada às 19:50.
      Mao/Ccs:terça/quinta e domingo
      Ccs/Mao:segunda/quarta e sábado
      Voo maquetia - los roques com segurança do Miguel ‭+58 4141307231‬ . Que compra passagem antecipada, inclui assistência de embarque e desembarque, serviço de transporte ao hotel em maquetia ida e volta. Ele já reserva o hotel e paga. E leva para comer se pedir. 270 dólares por pessoa (passagem e serviço dele). Tem dois voos diários saindo de los roques e maquetia. As 8 e as 17hs. 
      Hotel em maquetia - Miramar suítes diária 20 dólares. Se necessitar pernoitar em maquetia. Ficamos uma na ida e outra na volta.
      Sugestão: se quiser comer fora do hotel só aceita em bolívares. O Miguel paga no cartão dele e você paga em dólar para ele na cotação do dia. O mesmo no hotel, só aceita em bolívares. Miguel paga sua despesa e você da em dólar para ele. 
      Parte II: vila e pousada. 
      Los roques é uma cidade pequena. Pe no chão. Não tem carros passando. É tranquilo. É aquela cidade que vc vivência a simplicidade. Vc compreende que não precisa de muito para viver feliz. Como dizem os venezuelanos: “é o único lugar tranquilo na venezuela”. A Crise demorou a chegar lá. 
      Pousadas em los roques: 
      As pousadas possuem sistema de alimentação completa. Café, almoço e janta. O almoço, vai num isopor com suco, refri, cerveja se quiser, salgadinho, sanduíche ou massa, pois vc passa o dia visitando ilhas em passeios de barco.
      Fui por indicação da melhor alimentação e era a mais barata que encontrei. 
      Pousada casa de sol. 35 dólares por dia por pessoa com café e janta. Não fechei almoço, pois compramos no Brasil salame, pate, torradas, biscoitos e já sabíamos que iríamos comer nos passeios com chichi que falarei logo mais. 
      Pousada casa de sol é econômica, simples. É completa. Você se sente em casa. Os dois José e sol são uma simpatia. Sol faz o café da manhã com arepas, bolo, omelete, pães, geleia, manteiga, sucos e café.
      José prepara o jantar com maestria. Cada dia uma surpresa. Comemos peixes, saladas, risoto, batatas, ceviche, creme de lagosta e outras coisas gostosas e inesquecíveis. 
      O quarto é limpo. Tem Tv a cabo. ‭
      +58 4143032261‬ José da casa de sol.
      Tem varias outras pousadas, as mais caras como natura viva, caracol, Malubu que é cerca de 145 dólares dia por pessoa. Caríssima. E não vi pela aparência tanta diferença. 
      Corsária é em média 70 dólares por dia por pessoa com café, cava e janta. É de um brasileiro, que se chama Fábio. Ele parcela. E já fecha com voo maquetia los roques. Em média 5000 reais 7 dias com voo e alimentação. 
      E outras mais em conta que são de venezuelanos, que podem ser pesquisadas na hora que chega em los roques. 
      Outras acuarela, guaripete, paraíso azul, cayo y Luna, Galápagos, lagunita. Procure a cotação em seus Instagram. 
      Acuarela e lagunita você consegue parcelar pelo airbnb, é cerca de 45 dólares o dia por pessoa com café e janta.
      Parte III passeios e dicas gerais
      Passeios para as ilhas.
      Durante o dia você visita às ilhas. Tem duas formas de conhecer as ilhas. Pela cooperativa. Você fecha a ilha e ele te leva. Ou você faz o passei com um barqueiro. Aí entra o chichi. É um barqueiro diferenciado. Te leva as ilhas, faz snorquel com vc. Te mostra por snorquel tubarão, polvo, lagosta, peixes, tartarugas, arraia, estrelas do mar e toda a vida marinha. Ele pesca o peixe e assa na hora. Faz ceviche de pescado, polvo, moluscos. Comemos ceviche de polvo que é uma delícia. E provamos ceviche de botuto, daquele concha grande. Nem sabia que se comia isso. É delicioso. 
      Algumas bebidas são difíceis de conseguir na ilha. Se puder levar ingredientes para fazer caipirinha Chichi prepara maravilhosamente bem. Venezuela não tem açúcar. Leve. 
      Pega a lagosta e te prepara na hora. Sério.. imagina isso na hora saindo do mar????? E o tanto de estrela do mar!!! ❤️❤️❤️. São lindas ❤️❤️❤️. Vimos tartaruguinhas nascendo e saindo do buraco. Resgatamos e levamos para o local onde cuidam delas para crescerem e devolverem ao mar. 
      Os outros banqueiros não fazem isso. Ele, sua esposa e o genro são uma simpatia. 
      Passeio com o chichi - 6 dias. Gastamos 230 dólares para duas pessoas. 
      Um casal que conhecemos gastou 370 dólares em 10 dias. 
      O cálculo depende da distância das ilhas. O chichi escolhe o passeio do dia, pois depende da maré, do tempo. Mas com o chichi fica mais barato com certeza. Ele visita três pelo preço de uma e faz tudo com você, sem contar a culinária top. 
      Chichi ‭+58 4148372930‬
      atras da praia de franciscy tem uma santa nos fundos do mar. Tem um carinha que te levar lá e te aluga o  Snorquel. Com o Chichi não precisa. Ele tem equipamento de snorquel. 
      Restaurantes: é difícil em los roques. Tem um pequeno ao lado da igreja e outro ao lado da cooperativa dos barqueiros. É bom para comer um ceviche, ou tartar. Como todos os turistas fecham sistema de alimentação é difícil restaurantes por lá. Praia que tem restaurante é francisky e é proporcionalmente caro. 
      Tem um bar ao lado da cooperativa dos pescadores .. da para tomar uma cervejinha ou caipirinha e bater um papo. 

      Compras: sol da casa de sol que ficamos paga com seu cartão o mercado e nós pagamos para ela em dólar. Ela faz isso para todos os turistas. E faz a melhor cotação. 
      Cerveja é cerca de 1 dólar a lata. 
      O mercado tem cervejas, refrigerantes, água mineral, biscoitos, salgadinhos. 
      Em outros dois dias para os passeios e no dia do retorno comprei macarrão, molho de tomate, atum, presunto, queijo. José preparou um macarrão delicioso para levar ao passeio e no dia do retorno. Comíamos tanto com chichi nos passeios que realmente não compensou fechar almoço.. chegávamos cheios até para jantar. 
      Leve muito protetor solar. Cerca de um tubo para 2-3 dias para duas pessoas. 
      Wi-Fi. Não tinha na pousada. Livre tem na praça central. 
      Ideal ficar 10 dias. Fiquei 6 e já valeu a pena. 
      Por do sol: em frente à igreja❤️ 
      Caridade: Venezuela passa por uma situação difícil, então é difícil conseguir pasta de dente, açúcar, shampoo, roupas com proteção solar. Remédios para dor de cabeça, do estomago. Levamos para doar para eles da ilha. Não custa nada perguntar se precisam de algo. Chichi, José e Miguel são pessoas maravilhosas que merecem esses regalos do Brasil! 
      Oba: Não fiz megulho com cilindro e nem kite. Estava fora do período dos ventos. E o preço do mergulho era elevado. 
       
      Aproveitem!! 
       
































    • Por RoxaneOliveira
      Colômbia Parte 1 – Bogotá
      Cheguei em Bogotá as 5 horas da manhã, morta com a longa conexão em São Paulo, muito bem aproveitada com minhas amigas de lá. O problema é que tive um choque climático e a gripe voltou com tudo. Cheguei na imigração, onde a agente perguntou quantos dias ficaria no país e eu disse que ficaria os 90 dias mesmo. E ela: “O quê? Como? Onde?” E eu disse prontamente: “Bogotá, Bucaramanga, Santa Marta, Cartagena, Medellín, Cali e onde mais der”, em seguida perguntou onde me hospedaria e dei o endereço de um hostel, que realmente pretendia me hospedar, porém, ao conseguir uma hospedagem com o couchsurfing cancelei a reserva, pois em uma viagem de 3 meses é preciso economizar cada centavo. O primeiro dia apenas dormi e fui a Candelária tomar água panela (água quente com rapadura e limão), dizem que cura a gripe e logo depois fomos comer um prato do tipo Executivo. Fiquei chocada por ter custado 6.500 cop (+/- R$ 7,00), prato de sopa de legumes, depois outro prato principal com arroz, abacate, patacones, lentilha e carne de porco. Ainda veio uma limonada. Adorei.
      No segundo dia, já um pouco melhor da gripe tirei o dia para conhecer os Museus Botero, Museu do ouro (vale visitar mais de uma vez) e o cerro Monserrate. Por sorte, o final do dia estava lindo. Comprei o chip para o telefone e fiquei procurando as atrações com o Google maps mesmo. Nada guiado.
      Tendo conhecido as principais atrações, descansei no final de semana e na segunda fui à cidade de Zipaquirá, de Transmilenio mesmo. Peguei o Transmilenio sentido Portal Norte, é um pouco longe do centro, depois, dentro do terminal peguei um ônibus para Zipaquirá. A passagem do Transmilenio é de 2.000 cop e a do ônibus para Zipaquirá é 6.000 cop.
      A entrada para Zipaquirá foi de 50.000 pesos para turistas estrangeiros. Mas o valor salgado vale a pena, pois o tour é todo guiado e em pequenos grupos. A estrutura da atração é impecável.
      Na volta peguei muito trânsito, porém consegui chegar 17 horas e ainda deu tempo de visitar o Museu Nacional. É importante, pois lá conta toda a história da Colômbia, desde o império do Reino de Granada e de ter se tornado Grã Colômbia, após ter sido libertada por Simon Bolívar.
      Terminada a parte turística, tirei dias com amigos que conheci em Bogotá, eles me levaram para a zona G e zona T, a parte mais nobre da cidade, fomos no Bogotá Brew Company, que tem em toda a cidade, depois ficamos caminhando sempre pela região. Eu gosto muito do cuidado que se tem com os parques, vejo muita semelhança com os parques da Europa.
      No meu último dia na cidade, me sugeriram conhecer o El Teatron, uma casa noturna GLS, porém muitos héteros vão também porque acham o lugar muito legal e tinham razão. Infelizmente não fui no sábado, mas sim na quinta. No sábado há muitos ambientes em funcionamento, na quinta apenas 2 ambientes estavam funcionando, mas mesmo assim, garanti muita risada ouvindo música ranchera na cantina. Achei o lugar barato também. Não paguei para entrar e a cerveja era 5.000 cop.
       
      No dia seguinte já era o dia da minha partida para a cidade Villa de Leyva. Comprei a passagem rodoviária para a cidade por 26.000 cop e levei 4 horas para chegar. Em Bogotá o trânsito é caótico. Perdão por te xingar, Rio de Janeiro! A estimativa era de no máximo 2 horas de viagem, mas levei o dobro. Mas, pelo pouco tempo que fiquei na cidade, valeu a pena sentir a tranquilidade e o ar puro. O valor da hospedagem foi de 50.000 cop e achei muito caro, mas é o lugar onde os bogotanos fogem do caos, por isso o preço justifica.
      No dia seguinte já era hora de viajar para Bucaramanga, em Santander, uma viagem rodoviária de 8 horas.
       

    • Por Érica Munhoz
      Se existe uma palavra que define essa viagem para a Venezuela é EXTREMO. A praia mais bonita do mundo, a cachoeira mais alta do mundo, a montanha plana mais alta do mundo. A Venezuela é o extremo da beleza natural, o extremo da aventura selvagem, o extremo do cansaço físico e, infelizmente, o extremo da violência e da corrupção.
       
      A viagem no total deu 23 dias e como há muito a ser dito, o relato será dividido em tópicos.
       
      Resumo do roteiro:
      20/12 – 21/12: Voo CFN – Caracas, pernoite em Maiquetia, translado Higuerote, voo LR
      21/12 a 28/12: Los Roques
      28/12: Retorno Los Roques, translado Higuerote
      29/12: Voo Maiquetia-Puerto Ordaz, Voo Puerto Ordaz-Canaima, Passeios lagoa e cachoeiras no parque, pernoite no alojamento
      30/12: Salto Angel e pernoite no redário
      31/12: Voo Canaima-Puerto Ordaz, pernoite em Puerto Ordaz
      01/01: Transporte Puerto Ordaz – Santa Elena de Uairén, pernoite em Santa Elena
      02/01 a 07/01: Monte Roraima
      08/01: Travessia fronteira e transporte até Boa Vista
      08/01 a 10/01: Boa Vista
      11/01: Voo Boa Vista - CFN
       
      Meu namorado (Felipe) e eu, embarcamos em CFN dia 20/12 às 13:30h rumo a Caracas. Como fomos pela Copa airlines, fizemos conexão no Panamá, onde chegamos às 17:30h (hora local). No free shop do aeroporto do Panamá há basicamente eletrônicos, perfumes, óculos e roupas. Calçados só encontramos uma loja muito pequena e que com a conversão do dólar, não valia a pena comprar. Mas o que achei mais sensacional do free shop do Panamá foi a loja da National Geographic! É de pirar lá dentro!!
       
      Saimos do Panamá às 21:46h e chegamos em Caracas às 00:40h – horário local (em relação à Brasília e ao horário de verão, Caracas é menos 2:30h).
      Por causa do horário, o desembarque em Caracas já estava bem vazio. O Miguel Serrano já estava nos esperando na porta do desembarque com sua esposa e assim não fomos abordados por ninguém.
       
      O MIGUEL SERRANO:
       
      O Miguel é um venezuelano que trabalha como agente de turismo. Quando começamos a planejar a viagem (quase 6 meses antes), o nome do Miguel aparecia na maioria dos relatos e indicações no fórum dos Mochileiros e em um grupo do facebook sobre Los Roques (https://www.facebook.com/groups/losroques/). Começamos a trocar e-mails e whats com ele sobre passagens aéreas para Los Roques, transporte entre aeroportos, hotéis para pernoite em Caracas...
       
      Já adiantando, todas as indicações e recomendações do cara são MUITO VÁLIDAS. Sério. O cara é um excelente profissional, muito confiável ( e pessoa mais desconfiada que eu tá pra nascer) e não te deixa na mão em nenhum momento. E se não fosse ele, nem metade das coisas que fizemos teriam dado certo.
       
      Por mais que tentarei explicar, só vivenciando a situação política e econômica do país para entender a profundidade do que vou falar. Talvez a melhor forma de expressar a situação geral da Venezuela é: TÁ TUDO MUITO FUDIDO por lá (existe um tópico específico para isso mais embaixo).
       
      Apesar de, obviamente, o Miguel incluir o valor dos serviços dele, valeu cada centavo que gastamos com ele. Primeiro por causa do dinheiro mesmo. O Bolívar forte (Bsf. - moeda da Venezuela) no câmbio oficial do governo é muito desvalorizado quando comparado com o câmbio negro. Existe um app pro celular (ou pode consultar no site tbm) chamado Dólar Today que é a base do valor do dólar no câmbio negro. Durante a viagem, em média, 1 dólar equivalia a aproximadamente 180Bsf no câmbio negro, enquanto no câmbio oficial 1 Usd valia cerca de 5 a 6 Bsf. Desde que comecei a acompanhar o valor do Bsf há cerca de 6 meses, a inflação do bolívar no câmbio negro aumentou mais de 100%. Então esse é um app importante de se ter para a viagem. Claro que vc nunca vai conseguir trocar exatamente o valor do dia que o Dólar Today dá, mas ele é uma boa maneira de se manter informado e não ser passado para trás.
       
      Em Los Roques conseguimos o melhor câmbio (1Usd para 145Bsf) na farmácia da ilha. Em Santa Elena de Uairén, quando fomos para o Monte Roraima, estávamos conseguindo cerca de 1Usd para 120Bsf para notas grandes (por exemplo, se quiséssemos trocar 100 dólares, eles faziam o câmbio a 120Bsf. Mas se fosse pouco dinheiro, tipo 20Usd, eles faziam o câmbio a 70Bsf). Na fila da imigração na fronteira Brasil-Venezuela, ficamos sabendo que algumas pessoas conseguiram câmbio de até 195Bsf na Isla Margarita).
       
      Resumindo: com essa discrepância entre o valor do Bsf no câmbio oficial e no câmbio negro, não valia a pena pagar nada com cartão de crédito, pois seria debitado o câmbio oficial. Tudo só valeria a pena se pagássemos com dinheiro vivo e convertendo pelo câmbio negro. Esse foi o primeiro grande motivo de termos fechado com o Miguel. Ele comprou nossas passagens aéreas para Los Roques, fechou nossa estadia em Los Roques, fez o transporte até o aeroporto de Higuerote e a garantiu a pernoite em Caracas. Pagamos ele somente quando chegamos lá. Isto é, tudo na base da confiança. Se não viajássemos, ele teria feito isso tudo e não veria o dinheiro. Também trocamos 100Usd com ele (com câmbio de 100Bsf) para termos dinheiro pra entrar na ilha (que só aceita Bsf para a entrada). E pagamos tudo para ele,inclusive a Pousada em LR. Quando chegamos na pousada, o pessoal já estava a nossa espera.
       
      Outro motivo de ter fechado com o Miguel foi para termos o apoio de uma pessoa local. A Venezuela não está fácil e a segurança tem que ser prioridade absoluta. Quando chegamos no aeroporto de Caracas, ele e a esposa estavam nos esperando com uma plaquinha com o nome do Felipe bem no desembarque. Os dois super simpáticos, com o carro próprio, nos levaram para dormir em um Hotel (que não lembro o nome!), mas era ótimo, quase a beira mar. Nos buscaram na manhã seguinte, nos levaram até o aeroporto de Higuerote e praticamente só foram embora quando estávamos entrando no avião. Quando voltamos, a mesma coisa. Quando descemos do avião chegando de Los Roques, o Miguel já estava nos esperando.
       
      A mala para Los Roques pode ser no máximo de 10Kg. Alguns quilinhos a mais até podem ir, mas vc paga o excesso de bagagem (que tem que ser paga em Bsf). Muitos quilos a mais não vão. Pq? O avião é um teco-teco de 8 ou até 20 lugares e que não aguenta carregar muito peso. Nossa bagagem excedeu uns 3Kg e não lembro exatamente quanto pagamos de excesso de bagagem, mas deu menos ao equivalente de 20 reais.
       
      Mais uma vez graças ao Miguel! Como estávamos com muito peso pro Monte Roraima (barraca, sacos de dormir, roupas de frio...), ele ofereceu de deixarmos a parte da bagagem que não usaríamos em Los Roques na casa dele. Quando ele fosse nos buscar do regresso da ilha, passaríamos na casa dele para buscar nossas coisas antes de partir para outro destino.
       
      O Miguel também oferece serviços turísticos para Canaima/Salto Angel. Após Los Roques e algumas mudanças de planos em nosso roteiro de viagem, fechamos com ele o passeio para Canaima/Salto Angel. Existe um esquema de corrupção monstruoso nos aeroportos e não estávamos conseguindo adiantar nosso voo para Puerto Ordaz e tbm não achamos passagens rodoviárias (em 3 ou 4 rodoviárias diferentes). Só conseguimos ir para Puerto Ordaz na data que gostaríamos por causa do Miguel. Ele e a esposa ficaram rodando conosco até de madrugada tentando trocar ou comprar passagens para Puerto Ordaz, arranjaram hotel de última hora...
       
      Outra vantagem de ter fechado tudo antes com ele foi a garantia do nosso passeio. Nas altas temporadas, os voos lotam, as passagens esgotam. Da mesma forma, as pousadas na ilha. Então se o tempo está curto e vc não tem disponibilidade para ficar na cidade, caso não consiga passagens/hospedagem, não vale a pena arriscar. É melhor garantir no mínimo a passagem aérea para Los Roques com o Miguel. Em baixas temporadas eu até arriscaria tentar arranjar uma pousada na hora na ilha. Sai bem mais barato. Mas somente em baixíssimas temporadas. Do contrário, tbm não vale arriscar.
       
      Existem várias pessoas que são agentes de turismo como o Miguel. Quando estávamos pesquisando e entrando em contato com várias pessoas, algumas delas, inclusive outros agentes de turismo venezuelanos, nos indicaram o seu contato. Assim, da minha parte e do Felipe, o Miguel tem a nossa total recomendação. Se voltarmos à Venezuela, especialmente Los Roques e Canaima, certamente entraremos em contato com ele novamente.
       
      O e-mail dele é [email protected]
      Whatsapp: +584141307231
      Ele fala espanhol, mas entende bem português também.
       
      LOS ROQUES – O paraíso
       
      Não conheço outras praias no Caribe, mas pelas minhas pesquisas e todos os relatos que já li e ouvi, é unanimidade: Los Roques é o paraíso! Certamente voltarei naquele lugar!
       
      Praias paradisíacas, com tons de azul que confundem com o céu, areia branca e fina e VAZIAS. Com exceção de um bar e a praça na Gran Roque (que é a ilha onde tem as as pousadas e o aeroporto), não há badalação. A maior parte dos turistas são casais ou famílias. Muitos, muitos estrangeiros.
      Apenas duas empresas aéreas fazem o trecho para Los Roques: A Aerotuy e a Chapi Air.
       
      Os voos da Aerotuy partem de Maiquetia (que é uma cidade metropolitana de Caracas e onde fica o aeroporto. É como se fosse o aeroporto de Confins em relação à BH). Essa empresa vende passagens pela internet, mas tem um histórico grande de atrasos. Quando estávamos fechando as passagens para Los Roques, a venda de passagens pela Aerotuy estava suspensa pelo governo exatamente pelo excesso de atrasos e cancelamentos. O voo é mais caro. Cerca de 160 dolares, mais imposto. O avião é um pouco maior (acho que deve ser pra uns 50 passageiros ou um pouco mais).
       
      Os voos da Chapi Air partem de Higuerote, que é uma cidade que fica cerca de 2:30h de carro de Caracas com o trânsito livre. É bem longe, mas é mais garantido (desde que vc já tenha a garantia de passagem, como quando o Miguel comprou pra gente. Dependendo da época do ano, não há passagens, pois os voos lotam e esgotam). A empresa não vende passagens pela internet e custa cerca de 120 dolares, mais imposto (só pode ser pago em Bsf). O avião é um teco-teco de 8 a 20 lugares.
       
      Fechamos com o Miguel a passagem para Los Roques com a Chapi Air (170Usd cada), a pernoite no Hotel em Maiquetia (Bsf 2.300 o casal), o translado ida e volta Caracas-Higuerote (90Usd cada), a Pousada Gremary em Los Roques com pensão média (35Usd cada a diária). Pegamos 7 diárias em LR. Trocamos ainda 100 dólares com o Miguel com o câmbio para 100, dando 10.000Bsf.
       
      O volume de dinheiro é muito grande, então não adianta trocar muito dinheiro. Além de não saber onde por, o risco é maior de ser roubado. Além do mais, o limite de trânsito de dinheiro não declarado é o equivalente a 10.000Usd. Se a polícia te pegar com o dinheiro, além do crime de trocar dinheiro no câmbio negro, dependendo da quantidade de bolívar que trocar pode ultrapassar os 10 mil dólares (já que câmbio oficial é MUITO menor do que o câmbio negro). Ou ser roubado pela própria polícia, pois mais corruptos do que eles não há.
       
      Los Roques é um conjunto de ilhas e quando o teco-teco começa a chegar perto, a imagem é absurdamente espetacular. Indescritível.
       
      A Pousada Gremary (que fica bem na praça) é simples, mas tem uma boa infraestrutura. Os funcionários são muito simpáticos e a comida é muito boa. Parece que nenhuma pousada tem chuveiro quente (por mais luxuosa que seja, pois a ilha é movida a geradores. A energia cai toda hora e creio que se tivesse chuveiro elétrico, seria muito pior). A água também é escassa. A única coisa que é importante ter na sua pousada é: café da manhã e janta, wifi, uma cama confortável e, especialmente, ar condicionado no quarto. De resto, vc ficará na praia em outras ilhas o dia inteiro. Nas ilhas não tem nada pra comprar, salvo raras exceções em algumas ilhas. Então o lance é levar caixas térmicas (Cavas) com gelo e sua comida. As pousadas que oferecem pensão completa incluem esse serviço. Eles preparam a cava pra vc.
       
      Nós optamos por pensão média, que incluía apenas o café da manhã e a janta. A cava nós mesmos montávamos. O Gregório (dono ou filho do dono da Pousada) nos emprestava uma cava. Nela levávamos água 2L, suco 1L, cerveja 6 latas, sanduíches da padaria, além do gelo e um biscoito doce na mochila. Pra gente era mais do que suficiente para um dia inteiro de praia. Essa nossa compra pra cava ficava em média uns 300 a 500Bsf por dia (que no câmbio a 145, dá cerca de 2 a 4usd). Financeiramente vale muito mais a pena comprar e montar sua própria cava. Se a pousada montar a cava pra vc no esquema de pensão completa, vc terá ainda mais conforto pela facilidade e praticidade, e maior variedade de comidas (macarrão, outros sanduíches, mini-saladas...), mas tbm pagará por isso.
       
      Padaria, loja de gelo, cerveja e padaria são bem pertos uns dos outros. Pousada vc encontra de tudo que é jeito. Tem umas muito luxuosas de até 185usd a diária por pessoa. A maioria gira em torno de 85usd/pessoa/diária. Mas existem algumas mais simples, como a que ficamos ou outras mais simples ainda. Pagamos o valor de 35Usd a diária por pessoa pq fechamos com o Miguel e na alta temporada. Se conseguissemos fechar lá sairia bem mais barato, mas arriscaríamos não conseguir vagas. Na baixa temporada, ouvi falar de pousadas de até 10Usd a diária. Não sei quais são elas. E creio que a baixa temporada seja igual no Brasil: longe de feriados e férias escolares.
       
      O que fazer em Los Roques? Cada dia ir em uma Ilha diferente. Cada uma tem suas características. Unanimidade é que a Cayo de água é a mais bonita. De fato. Fomos nela 2 vezes: no primeiro e no último dia.
       
      Uma semana é tempo mais do que suficiente para conhecer as principais ilhas, onde existem barcos que vão para elas todos os dias (ou seja, as mais comerciais). Mas existem muitas outras ilhas não tão comerciais, mas que valem a pena demais serem visitadas. Mas conseguir barcos pra elas não é tão fácil. Os barcos geralmente são acertados pelas próprias pousadas. No nosso caso, conversávamos com o Gregório sobre qual passeio estava disponível para o dia ou falávamos qual ilha gostaríamos de ir. Ele por telefone logo arranjava o barco. O barqueiro nos buscava na pousada ou, geralmente, íamos até o píer e procurávamos algum responsável que já estava nos aguardando.
       
      Tem 2 empresas de mergulho com cilindro. Se tem interesse em fazer, já procure elas logo quando chegar para ver a disponibilidade de passeios e fazer sua reserva. Não conseguimos e não tenho os nomes/contatos.
       
      Fomos às ilhas Cayo de agua, Augustin, Carenero, Sarqui, Madresqui, Francisqui, Crasqui, Noronsqui, Espenqui, além da base Gran Roque. Dentre elas, Augustin é a única não comercial que conseguimos (ela é vazia. Só tinha eu e o Felipe e mais um casal da Aústria). Dizem que Boca de Sebastopol é incrível pra mergulho e snorkel, mas é menos comercial ainda, então não conseguimos. As que eu mais gostei foram Cayo de agua, Carenero e Augustin.
       
      Levem máscara e snorkel. O aluguel é até barato, mas é muito mais prático e higiênico ter seu próprio equipamento. Vc os usará todos os dias.
      Na farmácia havia acabado o repelente e havia pouco protetor solar. Há muitos pernilongos em Gran Roque. Então não se esqueça! É prudente levar remédios tbm. Não esqueça também os adaptadores para tomadas.
       
      Se vc for na data de alguma festa grande, como no nosso caso o Natal, deixe para ir nas ilhas mais próximas no dia seguinte. Os barqueiros saem mais tarde pq enchem a cara com vontade. Mas foi bem interessante passar o Natal na ilha! Parece que a população é muito católica. Eles entupiram a igreja e todo mundo começou a cantar músicas ao redor do presépio bem ao estilo caribenho! Todo mundo empolgado, batendo palma, celebrando! Depois eles ligaram algumas caixas de som na praça e todos começaram a dançar músicas que fazem sucesso por lá. Até Show da Xuxa em espanhol rolou! Foi uma interação bonita de se ver! Pessoas de todas as partes do mundo dançando, sorrindo e divertindo juntas!
       













    • Por Marina Away
      Venezuela, Janeiro de 2014
      Voo São Pualo – Boa Vista
      Boa Vista
      - se informar com seguranças do aeroporto sobre terminal Carabá local onde pegar taxi ‘lotação’ para Santa Elena do Uiaren e ir de taxi ate esse local (30 reais)
      - taxi ‘lotação’ leva 4 pessoas e cobra 35 reais de cada. Faz parada na aduaneira para que peguem autorização de entrada (não é necessário passaporte, so RG)
       
      Santa Elena de Uiaren
      - Pousada 3 Naciones (melhor custo beneficio)
      -dono da pousada é brasileiro e troca reais por bolivares no cambio negro! Confiável! (estava 1 real = 23 bolivares e no final da viagem estava 1 = 27 bolivares)
      - comprar passagem para Ciudade Bolivar com 1 dia de antecedência (agências de turismo reservam para turistas e deixar pra comprar na hora de sair é arriscado)
      - deixamos parte da bagagem na pousada para subir o monte Roraima apenas com o necessário para 6 dias la
      **todos os onibus que viajamos no país colocam ar condicionado no mais frio, sempre viaje com casaco, meias e saco de dormir
      - na fila (enorme) de carros para abastecer conseguimos o telefone do jipeiro Franklin Sierra telefone 04265673074 que conseguiu contato de Alejandro (Alex) 04266102578 para nos levar a entrada do monte Roraima – o dono da pousada deixa fazer essas ligações
       
      Monte Roraima
      - Taxi com Alex ate aldeia Indigena (cobrou 3 mil bolivares para levar na comunidade e ate a entrada do parque do monte roraima e combinamos dia e horário pra ele buscar – mais 3 mil para a volta – total 6 mil = 260 reais)
      - indígena Jeremias Williams (Rapemon – ele eh rapper! Tenho no facebook) cobrou mil por dia de trek mais 2 mil para comida (total 8 mil = 348 reais)
      - 6 dias de caminhada, tomando banho no rio, cozinhando a própria comida (fizemos compras no brasil: miojo, sopão, sardinha,..) e levando as próprias mochilas. O guia so indicava o caminho.
      - total gastamos 14 mil bolivares (3500 cada um = 152 reais) sendo que as agencias cobram cerca de 10 mil por pessoa (435 reais).
      **muito frio a noite e muito calor de dia com chuva, perigo das roupas da mochila molharem e passar frio a noite
      **levar comprimidos que purificam agua
       
      Ciudad Bolivar
      -viagem de ônibus por 11h entre Sta Elena e CBolivar
      - chegando em CBolivar já compramos passagem de ônibus direto para Caracas e descemos na Plaza Venezuela (8h de viagem)
       
      Caracas
      - Hotel La Floresta ou Altamira ambos no bairro Altamira – mesmo preço (325Bol por pessoa no quarto duplo ou quadruplo = 14 reais) mas La floresta é mil vezes melhor
      - conhecer bairro Boulevard (3ª estação de metro dps da estação Altamira)
      - taxi ate aeroporto para comprar passagem à Los Roques (compramos ida e volta por 7240 Bol para o dia seguinte – 315 Reais)
       
      Los Roques – 5 dias/Empresa Aerotuy
      -pagar taxa ao chegar na ilha (214Bol – 9 Reais)
      -Autorização do Inparques para acampar (guardar este documento) e barcos-taxi para qualquer ilha combinando data para buscarem você la
      - 2 noites em Francisqui de ariba (ilha deserta apenas com a casa abandonada em que o pescador Willy tinha concessão de uso)
      -Ilha principal Gran Roque (única ilha com pousadas e comercio) com área de camping péssima, muitas moscas e sem banheiro, sem chuveiro
       
      Caracas
      - Tour com amigo venezuelano que conhecemos no topo do monte roraima
      - Centro Historico da cidade e Subir montanha Ávila
      - rodoviária para CBolivar fica no bairro Altamira
       
      Ciudad Bolivar
      - empresa Eco Adventures com um agente que nos abordou na rodoviária de Ciudad Bolivar (escritório na própria rodoviária sala n. 33 – site: http://www.adventurevenezuela.com email: [email protected])
      - chorar muito o preço que eles reduzem – 8.500 Bol para 3 dias com 3 refeicoes diárias inclusas com uma noite extra sem alimentação (315 Reais)
       
      Canaima
      - pousada simples, local próximo a cachoeiras
      - Um dia para conhecer as cachoeiras mais próximas de canoa
      -um dia com saída pela manha para Salto Angel e dormir em galpão aberto em redes, sem energia elétrica Jantar e café da manhã servidos pelo guia.
       
      Ciudad Bolivar
      - muito perigosa sem atrações a não ser o delta do orinoco, rio que aparecem botos
      Sta Elena
      - freeshop com poucas coisas mas preço muito bom (perfumes, bebidas e eletrônicos)
      - taxi ‘lotação’ ate Boa Vista
    • Por bloomis
      Acabei de voltar da Venezuela, para onde fui com a intenção de passar 5 dias em Los Roques e como tive muita dificuldade em encontrar informações nos fóruns de viajantes, escrevo um breve relato.
       
      Começando pela situação atual do pais, várias pessoas vieram com comentários bastante pesados em relação a violência, a taxis, andar na rua, etc. Bom, tive que passar 2 dias e meio em Caracas e a minha impressão é de que, como Bogotá, Lima, Cidade do México ou qualquer grande cidade da América do Sul, há obviamente violência, mas é exceção. Peguei vários taxis na rua e caminhei pela região de Altamira e não tive medo hora nenhuma. O que pega de verdade na Venezuela é a questão do dólar. O cambio oficial é de 1usd = 6 BsF, mas na prática você consegue trocar 1 usd por cerca de 250 BsF, tanto em Caracas quanto em Los Roques (maio/2015). Isso se deve às restrições impostas pelo governo. É bem estranho trocar 200usd por 50.000 BsF, até porque a nota de maior valor deles é de 100 bolívares. Em grosso modo, é como receber 600 reais em notas de um real. Você sai litermente com vários maços de cédulas. Na minha opinião o cuidado a se tomar é conferir a contagem, porque teria que ser muito espirito de porco pra falsificar uma nota de tão baixo valor. Mas tudo bem, o que se compra com esse dinheiro? Na minha primeira ida ao mercado, comprei 3 chocolates da Nestlè (Savoy), uma escova de dentes Oral B da mais cara, um Colgate Plax pequeno, 3 chicletes tipo Trident, e um picolé. Tudo isso, pasmem, por menos de 500 BsF (2usd). Fui a duas festas "open bar" pagando os mesmos 500 BsF pela entrada, onde te dao um copo e você bebe o que quiser (obviamente não esperem nada de qualidade muito boa, mas enfim...). Isso tudo na região de Altamira, que é a mais valorizada da cidade. O litro de gasolina custa 0,10 BsF. Isso significa que com R$0,05 se enche o tanque do carro. Uma diária no hotel top de linha em Altamira (The Vip) saiu a 9000 BsF, com café da manhã. No Reinassance (5 estrelas) a diária no fds estava 15.000 BsF.
       
      Não tinha água mineral pra comprar em lugar nenhum porque o governo comprou as indústrias que produziam o plástico e não consegue acompanhar a demanda. Há nos mercados e nas farmácias uma lista de vários produtos de alimentação, higiene e limpeza e a quantidade máxima que pode ser comprada por cada cidadão por semana, no dia especificado pelo governo com base no último dígito da carteira de identidade. Sem querer entrar em discussão política, uma coisa me chamou muita atenção. O governo subsidia a compra de 2700usd por ano para todos os cidadãos venezuelanos à taxa de 1usd = 12 BsF (cerca de R$0,10) para viagens internacionais e outros 300usd para compras via internet (eles utilizam em compras pela Amazon, em sua maioria). Basta para isso ter um cartão de crédito e enviar um relatório de gastos depois da viagem. Achei bem interessante esse sistema, pois sempre me perguntava como eles viajavam sendo que o salário mensal lá de um engenheiro, por exemplo, não é muito maior que 400usd. Enfim, acho interessante passar uns 2 dias em Caracas, tem bons restaurantes, gente bonita, vida noturna e alguns lugares legais. Curti muito um bairro que chama Hatillo. Dizem que tem uma loja de produtos típicos muito legal lá que chama Hansl, mas quando fui estava fechada.
       
      Feito esse breve resumo sobre a situação atual do país, vamos agora à parte mais importante. Algumas pessoas no fórum recomendaram o contato de um tal de Moisés (+58 4241352954) para facilitar a compra de passagens. NÃO FAÇAM QUALQUER TIPO DE NEGÓCIO COM ESSE FDP TRAMBIQUEIRO. A questão das passagens pra Los Roques de fato é um problema. A idéia era chegar em Caracas na quinta, fechar os vôos na quinta mesmo com o Moisés e partir para Los Roques no sábado de manhã. Eu e meu amigo passamos as duas semanas antes da viagem conversando com ele por whatsapp e ele não fazia nenhum sentido. Disse inicialmente que tinha um amigo na Aerotuy e que por 100usd nos conseguiria passagens de ida e volta a Los Roques. Depois passou pra 120, 150, 200, 285 até que no dia ferrou com a gente, disse para irmos ao aeroporto de Maiquetia às 5 da manhã do dia que viajaríamos e que era certeza que nos colocaria no vôo das 6:30. Foi um fdp, chegou no aeroporto no horário combinado, bêbado, exalando álcool e não conseguiu porra nenhuma. Repito, NÃO FAÇAM NEGÓCIO COM ESSE CARA.
       
      Fomos ao aeroporto de Maiquetia encontrar o fdp do Moisés às 5 da manhã de um sábado normal, e disseram na Aerotuy que só tinha vaga no vôo das 4 da tarde. Não recomendo ir pro aeroporto ficar em lista de espera, os funcionários da Aerotuy são extremamente mal educados e não há um mínimo de informação. A única coisa que falam é que os vôos estavam cheios e que tinha que esperar. Isso eram 6 da manhã e teria que esperar as 10h pra eles me venderem o bilhete das 16h. Perderia o dia inteiro no aeroporto, que fica a 1h de Altamira (1500 BsF o taxi). Nessa confusão toda meu amigo desistiu de ir pra Los Roques, pois teria que ir no domingo e voltar na segunda, não compensava e ele foi pra Morrocoy. Depois um taxista chegou a falar pra gente que se a gente tivesse oferecido dinheiro pros funcionários da Aerotuy eles teriam colocado a gente no vôo. Na verdade isso até faz sentido, porque além de mim e do meu amigo estavam lá mais 3 brasileiros (um casal e um cara sozinho), todos nós sendo ignorados pelos funcionários da Aerotuy como se fôssemos invisíveis. Não havia sequer uma ordem de chegada entre nós 5. E se tivesse vagado um lugar no vôo? Íamos nos resolver na porrada? Enfim, acho que poderia ter rolado se algum de nós tivesse oferecido um "por fora" mas isso provavelmente implicaria em pessoas que não tem nada a ver com a história perderem seus lugares no avião, ou seja, não seria nada legal.
       
      Sobre a ATUAL situaçao dos vôos pra Los Roques: há vôos de Maiquetia (Aerotuy) e de Higuerote (ChapiAir - teco teco para 12 pessoas).
       
      - A Aerotuy desde abril/2015 soltou uma resolução nova e vende ida e volta a estrangeiros por 297usd, pagos em efectivo EM DOLARES direto nas oficinas deles, portanto so quando se chega na Venezuela. Para os venezuelanos o preço é o equivalente a 100usd em bolívares.
       
      - Os tickets da Chapi custam 150-190usd ida e volta. Acabei optando por voar no dia seguinte com a Chapi. O transfer de Altamira para Higuerote custou 5000 BsF e demorou 1:30h (5am sem trânsito). Na volta, cheguei a Higuerote às 16:30 e também não tinha trânsito pra Caracas, demorei 1:30h tb. Ou seja, todos os sites desencorajam pegar os voos da Chapi pela distância de Higuerote, que na minha opinião não foi nada demais.
       
      Para combinar transfers em Caracas, recomendo o Ignácio (+58 416-6111990 - muito gente boa e tem whatsapp).
       
      Enfim, sugiro realmente que se reserve os vôos antes para não correr risco de ficar sem. Antes da viagem troquei emails com várias agências e se fosse voltar hoje pra lá reservaria com Los Roques Airlines ([email protected]). Eles cobram 210usd pelos voos da Chapi e 300-360 pelos da Aerotuy. Ficamos nessa de achar que poderíamos comprar de última hora em Caracas e deu no que deu, meu amigo ficou sem ir pra Los Roques e eu perdi um dia lá. Procurei em sites, agências, revirei a internet e posso garantir que NÃO EXISTE NADA MAIS BARATO QUE ISSO - portanto esqueçam esses relatos antigos de pessoas que compraram na hora por 100usd e RESERVEM COM ANTECEDÊNCIA!
       
      Nas agências de turismo do Marriot Caracas e também em outra de um shopping em Altamira, os pacotes com vôo e hotel saiam a 600 usd por pessoa (3 noites) ou 800usd (4 noites). Não compensa! Fiquei na Pousada Galápagos e paguei 7000 BsF por um quarto com ar condicionado e banheiro privado. Super tranquilo. Lá tem pousadas para todos os gostos e bolsos, só pesquisar. Fui num fds comum e fechei a pousada lá na hora, mas passei antes em outras 4 antes e não tinha vaga.
       
      Outra opção seria reservar através das posadas de Los Roques. A La Cigala me respondeu ao email. Eles compram os voos para os hóspedes e cobram uma taxa de serviço de 10%, o que é bem melhor que correr o risco de não conseguir os vôos ([email protected]).
       
      Outro cara de uma agência também disse que comprava os vôos da Aerotuy por 330usd ([email protected]).
       
      E finalmente cheguei ao paraíso, que é de fato tudo aquilo que falam!
       
      Em Los Roques, os passeios mais comuns saem por volta de 9:30/10:00 e voltam por volta de 16:00/17:00. Se seu vôo de ida chega depois disso ou o de volta sai antes disso, as únicas opções são ir pras praias mais próximas (Madrisqui e Francisqui??) (há lanchas com frequência) ou alugar um barco privado. Quando cheguei o venfo estava muito forte e não estavam saindo barcos para Cayo de Água nos últimos 3 dias. No meu último dia em Los Roques, o vento mudou e os barcos voltaram a sair pra lá. Só que como tinha um vôo as 16h e os tours com mais gente voltavam pra Gran Roque depois das 5, a única maneira que me restou pra chegar lá foi fretar um "charter" como eles dizem. O preço tabelado no pier é de 250.0000 BsF (100usd) e eles te levam onde você quiser. Acabei conseguindo fechar por 200.000 BsF um passeio das 9:00 as 14:30 com o William "Vellaco" da lancha "Furioso" - recomendo, contato 04147990686, sem whatsapp tem que ligar). Eles levam guarda sol, cadeira e tem até um sonzinho na lancha. Tive a chance de aproveitar Cayo de Água só pra mim por quase 2 horas, até que começaram a chegar os barcos dos tours. Sensação simplesmente indescritível, parecia um sonho mesmo, valeu cada centavo - Los Roques não teria sido a mesma se não tivesse ido lá.
       
      Ah, não deixem de provar as Arepas e Cachapas da Dona Júlia (um quiosco perto do aeroporto) são incríveis! Curti também o restaurante Aquarena, eles tem sucos naturais de várias frutas e alguns pratos com pescados frescos.
       
      É isso, espero ter contrubuído para que os próximos viajantes não passem tanto perrengue, e principalmente pra nenhum usuário do Mochileiros cair na lábia do fdp do Moisés.
       
      Boa viagem!
       
      Leonardo

×
×
  • Criar Novo...