Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros
2 horas atrás, Marco_AV disse:

Quando mochilei na Europa em 2013, gastei um total em torno de R$ 13 mil. 

Estas comparações com custos de vários anos atras são totalmente equivocadas e só induzem as pessoas ao erro!

Em 2013 o Euro estava custando R$ 2.50, mas hoje está custando R$ 4.30, uma alta de 72%

Fazer exatamente a mesma viagem hoje, está 72% a mais cara simplesmente por que o Euro está  bem mais caro.

Ou seja, se fosse fazer exatamente a mesma viagem, hoje você gastaria R$ 22.360 e não 13 mil

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 27
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

@João Rosenthal  Citei minha opinião com base na minha experiência. Sim, entendo que meu modo de viagem não é o costumeiro e eu realmente economizo muito mais do que a maioria me "privando" de de

Se Real não derreter até 2020, e se você não esbanjar nos gastos, também acho que dá.

Você é baiano man?? kkk... esse "é de lei" é nosso kkkkkk   kkk Rapaz, viajar para passar privação é osso! Para mim não tem nada mais gostoso que parar no final da tarde para tomar um

  • Colaboradores

@João Rosenthal @poiuy 

Tento me conter, mas são comparações muito fora da realidade... mais atrapalham que ajudam. 

Na minha opinião dependera bastante da passagem de ida e volta ao Brasil e dos deslocamentos internos. O problema é chegar nessa região saindo do Brasil... vai por Roma, ok! So para sair de Fiumiccino e voltar, até Termini Estazioni ja se vão 24 €.

Roma não é tão cara assim... é democrática... claro que você não vai querer beber na frente da Fontana de Trevi ou curti happy hour em Trasteveri ... tem que saber achar os points frequentados pelo locais da cidade....

Além disso, para dar certo deve ser uma trip de no maximo 20 dd e sem deslocamentos mirabolantes... cidades próximas a 2-3 horas de trem/ônibus umas das outras... aeroporto encarece tudo, principalmente nos horários dos voos mais baratos e se tiver com bagagem para despachar.

Considerando os países citados (Europa Central mais a leste) os custos são baixos. Dando uma pesquisada acha-se comida na faixa de 8 €... que chegue a 10 €... Cerveja nessa região sai por menos de 2 € ... Comprando em mercado para preparar fica mais sussa ainda!

Concentre-se em fazer uma estimativa de hosteis, deslocamentos e uso de transporte público! Não adianta você pegar um hostel de 15 € nos confins de uma cidade e gastar 4 ou 5 deslocamentos de metro por dia (já que voltara ao hostel para fazer suas refeições)! Mas acho que nem chega a tanto... da para comer na rua... almoço de verdade e a noite um fast food ou street food... 

Livrando transportes e hospedagem uns 40 € são suficientes por dia (menos para Roma)...

Agora 25 dias, estilo pinga pinga (02 dias aqui...02 dias acola)... não dá! Ate porque a dificuldade de locomoção nesta região da Europa vai te lembrar bastante do Brasil kkkk

 

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Quando o pessoal pergunta uma estimativa de quanto gastaria ou se quantia X de dinheiro é suficiente, eu sempre costumo fazer umas continhas de papel de pão para dar uma ideia de quanto custaria, e quase sempre o autor me retorna dizendo que tinha visto num relato no site x alguém que tinha gastado metade do que eu estimei, fazendo bem mais coisas e num padrão bem mais alto de gastos.

Eu sempre peço para pessoa ver em qual data  aquele relato foi publicado, ver a cotação do euro e dólar naquela data e comparar com o preço do euro hoje, ai a ficha costuma cair e as pessoas entenderem que não pode se basear num valor qualquer de vários anos atras.

 

Mas em relação ao questionamento original, se 10 mil Reais é suficiente para um mochilão econômico de 25 dias passando por Itália, Eslovênia, Hungria, Rep. Tcheca Polônia e Alemanha no mês de maio

 

Fazendo as mesmas contas de papel de pão:

Maio é relativamente fácil achar passagens baratas para Itália e Alemanha, se conseguir uma passagem de R$ 2.500, sobra R$ 7.500 para o resto.

Convertendo R$ 7.500  para euros usando a cotação de hoje, de R$ 4.50, daria  em torno de 1.660 Euros.

A autora falou que está disposta a andar de ônibus, supondo que ela gaste uns 300 euros nestas passagens, sobrariam uns 1.360 euros para o resto.

Dividindo 1.360 por 25 dias, dá 54 Euros por dia para você gastar com comida, hospedagem, passeios e diversão.

Agora se 54 euros são suficientes ou não, é outra história. 

Mesmo Eslovênia, Hungria e Polônia serem destinos com um custo mais barato, e mesmo eu não ser de gastar muito, para mim 54 euros não daria, por que eu já não tenho mais muita disposição para ficar num quarto coletivo de hostel, e também não abro mão de fazer pelo menos uma refeição decente por dia num restaurante e de tomar uma ou duas cervejas ou taças de vinho e beliscar algo num happy-hour no final do dia, não sou tipo que gosta de ir em baladas e casas noturnas.

Mas se a pessoa estiver disposta a ficar em quarto coletivo de hostel barato (20 Euros por noite), cozinhar o seu jantar no hostel para não passar 25 dias a base de lanche, e comer lanche no almoço e café da manhã, dá para se alimentar sem dificuldade com uns 15 euros por dia. 

Em relação ao almoço, eu não caio nesta lenda de que você vai perder 2 horas do dia para ir no hostel cozinhar, você vai almoçar na rua mesmo, nem que seja um lanche.

Somando 20 euros de um hostel barato, mais uns 15 Euros de alimentação, dá 35 euros, e sobrariam 19 euros para o resto, que seriam passeios, uma ou utra cerveja, uma balada, etc...

Se a pessoa não for muito de balada ou de beber, se não exagerar nos passeios pagos, que muitas vezes são verdadeiras tourist-traps, fazendo só os mais legais, na minha opinião, dá para conseguir uma média de uns 10 euros por dia com passeios.

O que por sua vez deixaria uns 5 ou 9 euros "livres" para beber uma cervejinha num pub em alguns dias, fazer um segundo passeio pago um em ou outro dia, ou então ir almoçar ou jantar fora 2 ou 3 vezes nestes 25 dias.

em resumo, é um orçamento apertado, mas é possível de ser executado, mas tem que ser bem planejado, e você tem que se manter fiel a proposta de ficar em hostel barato, fazer o máximo de refeições no hostel e não ser do tipo que gosta de baladas e nem querer ir num pub tomar umas cervejinhas todo dia...

Mas pessoalmente eu reduziria a viagem para uns 20 dias, para ter folga no orçamento, pois pessoalmente eu acho ruim você passar toda a sua viagem contando as moedinhas na carteira, e controlando os gastos, para não correr o risco de chegar nos últimos dias de viagem e você não ter mais dinheiro para nada alem de pagar o hostel e o miojo do supermercado, pois você acabou gastando um pouco mais que o previsto no começo da viagem.

 

 

 

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores
Em 06/07/2019 em 09:21, poiuy disse:

Quando o pessoal pergunta uma estimativa de quanto gastaria ou se quantia X de dinheiro é suficiente, eu sempre costumo fazer umas continhas de papel de pão para dar uma ideia de quanto custaria, e quase sempre o autor me retorna dizendo que tinha visto num relato no site x alguém que tinha gastado metade do que eu estimei, fazendo bem mais coisas e num padrão bem mais alto de gastos.

Eu sempre peço para pessoa ver em qual data  aquele relato foi publicado, ver a cotação do euro e dólar naquela data e comparar com o preço do euro hoje, ai a ficha costuma cair e as pessoas entenderem que não pode se basear num valor qualquer de vários anos atras.

 

Mas em relação ao questionamento original, se 10 mil Reais é suficiente para um mochilão econômico de 25 dias passando por Itália, Eslovênia, Hungria, Rep. Tcheca Polônia e Alemanha no mês de maio

 

Fazendo as mesmas contas de papel de pão:

Maio é relativamente fácil achar passagens baratas para Itália e Alemanha, se conseguir uma passagem de R$ 2.500, sobra R$ 7.500 para o resto.

Convertendo R$ 7.500  para euros usando a cotação de hoje, de R$ 4.50, daria  em torno de 1.660 Euros.

A autora falou que está disposta a andar de ônibus, supondo que ela gaste uns 300 euros nestas passagens, sobrariam uns 1.360 euros para o resto.

Dividindo 1.360 por 25 dias, dá 54 Euros por dia para você gastar com comida, hospedagem, passeios e diversão.

Agora se 54 euros são suficientes ou não, é outra história. 

Mesmo Eslovênia, Hungria e Polônia serem destinos com um custo mais barato, e mesmo eu não ser de gastar muito, para mim 54 euros não daria, por que eu já não tenho mais muita disposição para ficar num quarto coletivo de hostel, e também não abro mão de fazer pelo menos uma refeição decente por dia num restaurante e de tomar uma ou duas cervejas ou taças de vinho e beliscar algo num happy-hour no final do dia, não sou tipo que gosta de ir em baladas e casas noturnas.

Mas se a pessoa estiver disposta a ficar em quarto coletivo de hostel barato (20 Euros por noite), cozinhar o seu jantar no hostel para não passar 25 dias a base de lanche, e comer lanche no almoço e café da manhã, dá para se alimentar sem dificuldade com uns 15 euros por dia. 

Em relação ao almoço, eu não caio nesta lenda de que você vai perder 2 horas do dia para ir no hostel cozinhar, você vai almoçar na rua mesmo, nem que seja um lanche.

Somando 20 euros de um hostel barato, mais uns 15 Euros de alimentação, dá 35 euros, e sobrariam 19 euros para o resto, que seriam passeios, uma ou utra cerveja, uma balada, etc...

Se a pessoa não for muito de balada ou de beber, se não exagerar nos passeios pagos, que muitas vezes são verdadeiras tourist-traps, fazendo só os mais legais, na minha opinião, dá para conseguir uma média de uns 10 euros por dia com passeios.

O que por sua vez deixaria uns 5 ou 9 euros "livres" para beber uma cervejinha num pub em alguns dias, fazer um segundo passeio pago um em ou outro dia, ou então ir almoçar ou jantar fora 2 ou 3 vezes nestes 25 dias.

em resumo, é um orçamento apertado, mas é possível de ser executado, mas tem que ser bem planejado, e você tem que se manter fiel a proposta de ficar em hostel barato, fazer o máximo de refeições no hostel e não ser do tipo que gosta de baladas e nem querer ir num pub tomar umas cervejinhas todo dia...

Mas pessoalmente eu reduziria a viagem para uns 20 dias, para ter folga no orçamento, pois pessoalmente eu acho ruim você passar toda a sua viagem contando as moedinhas na carteira, e controlando os gastos, para não correr o risco de chegar nos últimos dias de viagem e você não ter mais dinheiro para nada alem de pagar o hostel e o miojo do supermercado, pois você acabou gastando um pouco mais que o previsto no começo da viagem.

 

 

 

 

Concordo. Normalmente as pessoas que vem aqui e falam que estão super dispostas a pegar Hostel barato, cozinhar todas as refeições lá e economizar com tudo, são também as que são mais jovens e curtem sair para tomar uma de noite. Ou seja, o orçamento para festa/cerveja ia ser quase zero nesse panorama.

E uma coisa importante que você não mencionou: esses R$7.500,00 que sobrariam se ela achasse um voo a R$2.500,00 deve incluir os deslocamentos entre as cidades, que nem sempre são tão baratos. Pelo panorama do planejamento dela, serão uns 7 ou 8 deslocamentos internos, digamos uma média de 15 euros para cada um deles, isso já seriam uns 450 reais a menos no orçamento. Pouca coisa, mas nem tanto. 

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Fazendo uma outra observação. Uma pessoa de primeira viagem não consegue seguir o orçamento na risca, é muito difícil, pois a primeira vez você tem acesso a muita coisa que nunca teve oportunidade, quee está ali. Pra quem gosta de cerveja, por exemplo, gasta 2 euros aqui, 3 ali, no final do dia já foi 15. Pra quem gosta de Museu, vai em um, vê que tem outro museu por 10 euros, pensa que não é muito e entra, quem gosta de balada vai lá pra se divertir, não vai ficar segurando dinheiro, no final o plano vai para as cucuias.

Viajar com 10.000 reais é possível, tenho um irmão que passaria 30 dias na Europa com 5.000 reais, porque ele já sabe o que lhe interessa, já tem experiência, tem amigos que podem lhe hospedar, ele nunca come em restaurante, não entra em museu, etc. É um estilo de viagem, mas só é possível fazer se tem algumas experiëncias prévia. Eu já não faço nem com 10.000, eu só almoço em restaurante (mesmo que barato), gosto de viajar de trem, já não sou muito fã de hostel, ou quando vou pego de valores mais caros.

Acredito que, para mochileiros de primeira viajem, não dá pra colocar muitos dias com um orçamento apertado. Pois é melhor passar 20 dias e sobrar uns euros do que passar 30 e faltar uns euros.

  • Gostei! 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • 3 semanas depois...
  • Membros
Em 08/07/2019 em 09:46, Davi Leichsenring disse:

Fazendo uma outra observação. Uma pessoa de primeira viagem não consegue seguir o orçamento na risca, é muito difícil, pois a primeira vez você tem acesso a muita coisa que nunca teve oportunidade, quee está ali. Pra quem gosta de cerveja, por exemplo, gasta 2 euros aqui, 3 ali, no final do dia já foi 15. Pra quem gosta de Museu, vai em um, vê que tem outro museu por 10 euros, pensa que não é muito e entra, quem gosta de balada vai lá pra se divertir, não vai ficar segurando dinheiro, no final o plano vai para as cucuias.

Viajar com 10.000 reais é possível, tenho um irmão que passaria 30 dias na Europa com 5.000 reais, porque ele já sabe o que lhe interessa, já tem experiência, tem amigos que podem lhe hospedar, ele nunca come em restaurante, não entra em museu, etc. É um estilo de viagem, mas só é possível fazer se tem algumas experiëncias prévia. Eu já não faço nem com 10.000, eu só almoço em restaurante (mesmo que barato), gosto de viajar de trem, já não sou muito fã de hostel, ou quando vou pego de valores mais caros.

Acredito que, para mochileiros de primeira viajem, não dá pra colocar muitos dias com um orçamento apertado. Pois é melhor passar 20 dias e sobrar uns euros do que passar 30 e faltar uns euros.

Cara, isso que você esta falando esta me fazendo refletir muito sobre o tipo de trip que eu quero fazer, no começo do meu planejamento estava pensando em gastar 40 euros/ dia, fazendo comida no hostel, visitando museus e tomando um breja no final do dia.....mas vi que seria impossível viajar o tempo que eu quero com esse orçamento. Então comecei a ver realmente o que eu queria visitar, quais os museus são imperdíveis e se eu realmente preciso tomar uma cerveja/dia....cara a ultima vez que eu bebi foram a duas semanas hahaha.

Não sei se funcionaria com todo mundo mas estou fazendo o seguinte: Primeiro penso em quais países quero ir, depois os lugares que mais fazem sentido para mim (sou um cara da cidade ou da natureza?)...ai estimo um valor a mais para caso o murphy ataque...esse pensamento me fez diminuir o período na Europa e aumentar (em muito) o período gasto na Asia.

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

O tio Murphy é foda, quase me f. por causa dele na sexta-feira passada. KKK

Eu tinha ido a Londres a trabalho, e na hora de ir para o aeroporto de Heathrow usando metrô, o trem quebrou no meio de um túnel, até o metrô voltar a funcionar, eu já teria perdido o voo, o jeito foi pegar um táxi, pois perder o voo seria muito mais caro!

Ai invés de gastar as £ 3.10 previstas no metrô, eu iria acabar gastando as £ 3.10 e mais outras £ 40 no táxi.

Sorte que tinha outro desesperado para chegar em Heathrow no mesmo vagão, ai dividimos o táxi e ficou só £ 20 para cada um.

Se fosse num mochilão, estas £ 40 do taxi não previsto, significam um dia de viagem a menos que você conseguiria fazer...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Colaboradores
16 horas atrás, thiago.martini disse:

@Aline Miqueline uiaaaa ... esse ano o euro turismo não baixou de 4,15, com isso teu budget/dia foi cerca de 48 euros para todas as despesas. Nível jiraya hein?!? 

 

É o que falei pra ela, admiro por ter conseguido, mas não deveria propagar essa informação como verdadeira porque 98% dos que tentarem, não irão conseguir.

Até conversei mais com a Aline em outro post, ela não faz nenhuma atração paga (só caminhada pela cidade e atração grátis) e não sai à noite nem pra tomar uma cervejinha. Isso não é o normal de um viajante, acho que quase todo mundo preza por ao menos uma ou duas atrações pagas por cidade, e tomar uma cerveja de vez em quando é quase de lei, isso se não for alguém que curte uma balada.

Além disso, quem tem dias de férias engessados que nem eu raramente consegue passagem ida e volta para Europa a menos de R$3500, são quase inexistentes as promoções.

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Fora da Zona de Conforto
      Não há lugar melhor para cultura, história, beleza e uma atmosfera vibrante do que Amsterdã! Como a capital da Holanda, Amsterdã é a cidade mais popular do país e até mesmo uma das cidades mais populares da Europa. 
      Quase todos os itinerários de viagem europeus incluem uma visita a Amsterdã e saber o que esperar antes da chegada é fundamental.
      Amsterdã é uma cidade conhecida por muitas coisas diferentes. Ela ganhou a reputação de uma das cidades mais sombrias da Europa devido à legalização da maconha e da prostituição. No entanto, este aspecto de Amsterdã é apenas uma fração do que você experimentará ao visitá-la.
      É claro que há muitas pessoas que nos visitam com a intenção de festejar e participar de algumas dessas atividades, mas também há um clima muito moderno e descolado em Amsterdã que é incrível de se experimentar.
      Uma das coisas que a maioria das pessoas diz depois de visitar Amsterdã é: “Eu poderia realmente morar aqui”. A cidade tem um clima super bem-vindo e ocidental que a torna muito acolhedora e fácil de se sentir confortável.
      Há muito para saber sobre Amsterdã e esta lista das 15 coisas mais importantes que você deve saber ao visitar Amsterdã o colocará por dentro antes de sua viagem.
       
      Continue lendo: 15 Coisas para Saber Antes de Visitar Amsterdã
    • Por camilandarilha
      Em 2019, realizei a maior viagem da minha vida. Nesta publicação, o relato vai ser bem breve, contudo dependendo, dou mais detalhes por países e cidades depois
      Capítulo 1: Preparação e França
      Em setembro de 2018, decidi largar a faculdade e juntar dinheiro para me jogar em uma aventura na Europa. Estava trabalhando em uma ONG de intercâmbio voluntário e fechei um pacote para passar 45 dias na Croácia por R$400 reais. Muito barato! Pelo menos tinha a hospedagem garantida. (Só vim saber exatamente onde ia dormir quando cheguei na Croácia, mas essa parte fica para outro momento)
       Tinha pouquíssimo tempo e pouquíssimo dinheiro (somente R$1000 guardados) pois planejava passar o ano novo em Paris (já que as passagens no inverno são mais baratas). Vendi praticamente TUDO o que eu tinha, roupas, livros, e vendia comida na rua (principalmente bolo vegano)! Contava a história de que estava indo realizar meu sonho de mochilar, e muitas pessoas me davam dinheiro sem nem pegar a fatia, para que eu vendesse para outra pessoa. Lembro-me de um dia em que ofereci o bolo para dois senhores em um restaurante chique: Um me deu uma nota de R$50 e outro, de R$20. Quase engasguei de surpresa hahaha 😅 depois de vender muito bolo, pastel e etc, consegui juntar R$2500, que somando com o que eu tinha guardado, foi o preço da passagem de ida e volta! Poderia ter pago bem mais barato se tivesse comprado com mais antecedência, então essa é a primeira dica: Se você for fazer na loucura que nem eu, presta atenção nas promoções e procure as datas mais baratas (usei o Skyscanner para isso) mas se você tem mais tempo, compre com antecedência, pois isso pode te fazer economizar uma boa grana! 
      Outra dica: se você vai vender na rua para juntar grana e viajar, não seja seletivo. Eu era um pouco mais tímida, e só oferecia para pessoas que não estavam em grandes grupos e ainda era seletiva, escolhia na rua para quem ia oferecer. OFEREÇA PRA GERAL! HAHA Sério!
      Fiz vaquinha, continuei vendendo e tive também uma ajuda dos meus pais. Acabei indo com cerca de 800/900 euros (ou seja, eu iria me virar com uma média de 100 euros por mês). Na época, isso seria mais ou menos R$4000. 
      Cheguei em Paris e nem podia acreditar que estava ali. Eu nunca nem havia saído do nordeste! Estava fazendo 7 graus, e eu estava com um agasalho de inverno. Porém quando eu digo inverno, é inverno nordestino, ou seja, não servia para quase nada  me lasquei de frio, então outra dica: Não seja mão-de-vaca como eu fui na hora de investir em roupa de inverno. Porquê meu pensamento foi "São menos de três meses de frio, eu vou sobreviver". NÃO PENSEM ASSIM, PELO AMOR DA BICICLETINHA! 
      Fiquei uma semana em Paris e dei um bate e volta em Versailles com uma amiga peruana que fiz através do Couchsurfing. Fui no museu do Louvre de graça (o Louvre é gratuito nos sábados à noite, na baixa temporada! Outro motivo de querer ir pra Paris no ano novo). Fui na Sacred Coeur, Notre Dame (não entrei porquê era pago) e bati bastante perna! Os franceses a quem pedi informação foram gentis e prestativos. O segredo é começar com "Bonjour/Bonsoir! Excusez-moi parlez-vous anglais?" (Bom dia/boa noite! Com licença, você fala inglês?)
      A ideia era pagar pelo transporte (e ainda paguei algumas vezes) mas os próprios parisienses me ensinaram como burlar o metrô 🤷‍♀️ quase não paguei transporte público nesse mochilão. Não estou dizendo que é certo, mas era a forma que eu tinha de economizar. Se você puder pagar, pague, pois se você for pego, paga uma multa de em média 100 euros! 
      Duas vezes pedi informação sobre como comprar um ticket de metrô pois estava toda enrolada, nas duas vezes, as pessoas tentaram me explicar, mas resolveram pagar pra mim. Gentileza que você não espera!
      Fiquei na casa de duas pessoas do Couchsurfing. Me senti muito desconfortável na casa do meu primeiro host, era um francês que morava sozinho e era uma pessoa inconveniente, mas no da segunda, foi ótimo ❤️ uma paquistanesa super gente fina, que morava com o namorado francês e tinha um gatinho, o Pablito. Eles foram ótimos! A paquistanesa falava seis idiomas, incluindo português (se eu não soubesse que ela era do Paquistão, diria que era paulista pelo sotaque!)
      Maas, na noite de ano novo, acabei dormindo no hostel onde a minha amiga do Peru estava se hospedando. O metrô estava fechado (eram 3h da manhã) e eu teria que esperar até às 7h. Tinha uma cama vazia no quarto que ela estava: Ela parou um pouco, pensou e disse baixinho: "Fica aí até às 7h, antes de checarem os quartos para limpeza"! Dei um cochilo, às 7h acordei e meti o pé. Passei pela recepção sem olhar para trás, mas a pessoa que estava na recepção nem disse nada. Provavelmente é difícil saber quem é hóspede ou não em uma época tão festiva. 
      Voltei para a casa do meu host com o c* na mão, pois quando cheguei na estação da zona que ele mora, eram 8h da manhã e ainda estava escuro - e não tinha ninguém na rua. Porém em um determinado momento passei por uma menina que estava andando e mexendo no celular tranquilamente e fiquei um pouco mais tranquila. A pessoa só faria isso em um lugar minimamente seguro, não é?  Mas ainda fiquei em alerta até chegar na casa do meu host. 
       
      Depois da França, peguei um voo para a Croácia (que estava incluso naqueles R$3500). Cheguei em Zagreb e peguei uma van até Rijeka, a cidade onde ficaria por 45 dias (acabei ficando 50 dias). 
       
       
       








      20190102_161214.mp4 20190103_132615.mp4

    • Por Fora da Zona de Conforto
      Visitar a Escandinávia e os países que fazem parte dela não é barato. Os custos nesses países são altos tanto em alimentos e bebidas, quanto em acomodações e atrações, o que pode dificultar se você não tiver muito dinheiro para gastar durante a sua viagem.
      Felizmente, há muito para ver e fazer ao ar livre, já que este é um dos destinos mais impressionantes e interessantes do mundo. Além disso, vale a pena gastar para explorar algumas das melhores atrações que os países escandinavos têm a oferecer.
       

       
      Se você estiver viajando com orçamento limitado, há algumas coisas que você pode fazer para manter seus custos baixos, já que não é preciso fazer tudo no auge do luxo. Se você estiver procurando opções de baixo orçamento, saiba que existem algumas maneiras de economizar dinheiro.
      Nem tudo é caro, existem maneiras de encontrar voos baratos e economizar muito dinheiro para aproveitar durante a sua viagem. Para economizar com transporte, continue lendo até o fim, onde dou algumas dicas sobre o Scandinavia Pass.
      Uma das maiores dúvidas durante uma viagem, apesar do que a maioria acredita, não é com o que economizar, mas sim com o que vale a pena gastar. Por isso, aqui estão algumas atrações na Escandinávia com que vale a pena gastar dinheiro…
       
      Continue lendo: 7 Coisas que Vale a Pena Gastar Dinheiro na Escandinávia
    • Por gsultowski
      Olá.. sei que preciso fazer a comprovação financeira de 2400 euros para conseguir o visto. O que quero saber é COMO FAZER esta comprovação? Extrato bancário, declaração?
      Obrigado.
    • Por Rubéns Queiroz
      Hoje a dica è alimentação em uma das cidades mais caras da europa, A REALIDADE!!!
      Link a baixo:
      1kg DE FRANGO R$ 65,00 😨😨
       
      Espero que gostem do conteúdo, qualquer dúvida ou sugestões deixem nos comentários do video, até mais galera!! 

×
×
  • Criar Novo...